FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Capitulo IV


Fic: A New Life, The New Love. - FIC NOVA POSTADA HHR


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Não era novidade que eu não conseguiria dormir naquela noite, mas não esperava acordar tão cedo, e ficar deitada na cama não resolveria muita coisa. Decidi me levantar e aproveitar pra colocar meus materiais em ordem, arrumar minha roupa e tomar um banho para que qualquer sintoma de sono não voltasse.

O que mais adorava aqui era poder acordar e ver que o sol brilhava, as folhas das árvores pareciam cada dia mais verdes... Tudo era tão expressivo e diferente... O calor, a brisa suave que entrava pela janela e as pessoas. Olhando pela sacada do quarto, vi que não era a única que havia acordado cedo: muitos caminhavam pela rua, aproveitando a bela manhã.

Um banho quente foi tudo que eu precisava, vesti minha camiseta de uniforme, uma calça jeans clara justa, coloquei um tênis all-star e aproveitei pra passar uma base no rosto, tirando qualquer marca de uma noite mal dormida. Um gloss nos lábios, brincos na orelha e alguns acessórios e já estava pronta! Peguei minhas coisas, sai do quarto e andei em direção a sala para tomar meu café da manhã.

Quando cheguei à sala, vi o que não esperava ver: Harry havia acordado mais cedo do que o normal e já estava terminando de tomar seu suco, jogado no sofá vendo TV.

- Bom Dia papai! – Disse depositando um beijo em seu rosto.

- Bom Dia meu anjo! Acordou cedo!

- É pelo que vejo não fui à única. – Sussurrei enchendo meu copo. – Já está indo trabalhar?

- Sim, tenho que ir mais cedo. Fiquei muito tempo longe do escritório, tenho muitas coisas a fazer... Mas espero que almoce comigo hoje; busco você no colégio, que tal?

- Claro. – Assenti comendo.

- Obrigado pelo convite também pai, fico muito agradecido. – Desdenhou Harry levantando e colocando a mochila nas costas. – Vamos? – Pediu ele já segurando meus materiais.

- Tchau pai, te espero na porta do colégio. Obrigado, mas eu mesma levo. – Afirmei raivosa pegando minhas coisas e saindo.

O caminho foi silencioso e um tanto que incomodo. Havia certos momentos em que ele tentava puxar algum assunto, mas falhava e desistia, voltando ao silêncio incomodo. Chegamos ao colégio e um enorme frio passou pela minha espinha. Era enorme, muito grande, não sabia nem onde começava ou terminava. Tinha tanta gente e um movimento enorme, e parecia que todos me observavam...

– Oh! Droga. – Deixe escapar. Isso não era nada bom! Nunca dava certo eu no meio de tanta gente: sentia-me perdida e sem reação. Seria um mico total, perdida e sem conhecer ninguém além dos meninos. Olhando para fora da janela vi um enorme grupo, e lá se encontrava também, Gina, Luna, Draco e Rony e mais tantos outros que nunca tinha visto.

- Não é tão ruim assim. – Afirmou Harry reparando minha expressão.

- Não: é bem pior. – Bufei reparando que ele já descia do carro e rodeava o carro na minha direção.

- Vamos? – Convidou ele com a mão estendida.

- Não precisa ficar me carregando, não sou nenhuma criança. – Afirmei raivosa, descendo do carro.

- Não é o que parece. – Debochou Harry – Você não fica bem ranzinza, então não tente me ignorar pelo que aconteceu ontem.

- O que aconteceu ontem? – Perguntei dando uma de desentendida. – Você se acha o centro das atenções não é? – Falei frustrada andando.

- Sei que fui rude e você só estava preocupada. Agi mal saindo e deixando-a para trás.

- Esse é o problema: você esta acostumado, ou melhor, muito mal acostumado a ser o centro das preocupações dos outros, e age como se fosse normal desdenhar do sentimento dos outros. – Murmurei para que só ele pudesse ouvir, contendo o nervosismo.

- Não fale assim... Sabe que não é verdade! Estou aqui pedindo desculpas, e por ser você, por que nunca havia pedido desculpas para ninguém. E não desdenhei do seu cuidado, só não estava me sentindo bem, e me senti pior depois daquilo. – Confessou Harry com as mãos nos bolsos da calça e me olhando.

- Esquece. – Pedi voltando a minha caminhada.

- Não me ignore, ou faço-a passar a maior vergonha da sua vida. – Advertiu ele olhando para os lados.

- Você não seria tão atrevido. – Questionei com uma pontada de duvida.

- Não queira pagar para ver, pequena: faço com que todas as atenções se voltem pra cá muito antes de você pensar em dar mais um passo. – Provocou me deixando corada.

- Convencido. – Acusei

- Sinto muito se por destino eu sou conhecido por todos.

- Você esta fazendo com que todo mundo olhe para cá Harry, pare com isso. – Pedi.

- Não sou eu, é você. Os alunos daqui não estão acostumados a ver uma garota tão linda brigando comigo na frente de todos. – Disse sorrindo cruzando os braços.

- Você é um metido mesmo.

- São seus olhos.

- Que tal você olhar nos meus olhos e ver agora o que eles estão querendo dizer. – Afirmei nervosa deixando transparecer minha indignação pela falta de seriedade dele.

- Tudo bem, eu aceito seu pedido de desculpas. – Falou sorrindo para me deixar mais nervosa. – Mas não podemos ficar parados no meio do estacionamento se você não quer chamar tanta atenção. – Brincou segurando minha mão e andando com se fosse à coisa mais normal possível.

Conforme íamos andando, as pessoas, uma por uma, o cumprimentavam em todo lugar que passávamos. Mesmo querendo ajudar, ele sempre tornava as coisas mais complicadas: todos o conheciam e com certeza estariam se perguntando quem era eu, principalmente as garotas, que suspiravam quando ele passava e me olhavam com a maior cara de desdenho.

Os garotos, alguns com receio me olhavam, outros quando eu passava, não disfarçavam o olhar de interesse, que eram surpreendidos pelo olhar de reprovação de Harry.

Reunimo-nos com a galera, e ficamos conversando até que o sinal soasse e avisasse que as aulas já iriam começar. O tempo até que foi bom, conheci mais gente e fiquei mais calma com o tempo, deixando que enormes gargalhadas escapassem da minha boca.

O sinal soou e fomos à direção das salas. Eu e as meninas avançamos na frente, rindo e conversando de braços dados, sendo acompanhados pelos garotos que vinham logo atrás. Subimos algumas escadas que dava acesso às salas do ultimo andar e entramos na última sala do corredor.

Logo de cara parecia que todos os lugares já eram definidos: o grupo dos garotos se sentou todo no fundo, eu e as meninas um pouco a frente, e os outros lugares sendo ocupados por mais alguns grupos.

Vi que outro grupinho se sentava no outro lado ao fundo da sala, não tinha como se esquecer do rosto daquele garoto: era Chad Michael com certeza. E cada um no seu canto, nem pareciam que praticamente todos jogavam no mesmo time, simplesmente se ignoravam na sala e cada um formava o seu grupo.

- Bom Dia alunos! Para quem não me conhece sou o professor Dimitri. – Falou um senhor de mais ou menos 40 anos. – Como hoje é nosso primeiro dia de aula, vou dar a vocês a chance de se conhecerem e formarem grupos para uma aula mais dinâmica. Muitos sabem que não é do meu feito isso, mas abrirei uma exceção por hoje. – Declarou ele escrevendo algumas coisas na lousa e os alunos formando grupos.

Harry imediatamente arrastou uma cadeira para o meu lado e fez sinal para que eu me sentasse, me juntando aos outros do nosso grupo. Os meninos eram umas pestes, não deixavam à gente prestar atenção e não calavam a boca um segundo que fosse. Rony ficava contando suas piadinhas e tirava atenção de todos.

Apesar de não ter sido tão aproveitador as aulas e já esta quase no final, para o primeiro dia estava gostando bastante.

– Sobre aquela conversa de ser o centro das atenções? Lembra-se? – Ele perguntou baixo encostado na cadeira com o braço nas minhas costas em cima da minha cadeira.

- O que tem? – Perguntei copiando o que o professor estava escrevendo.

- Tem um pouco de verdade.

- Um pouco? – Indaguei risonha.

- Um pouco. Confesso que é interessante e lisonjeador o seu jeito preocupado.

- Não se acostume, você tem que fazer por merecer. – Brinquei olhando-o ouvindo o sinal soar. Tentando mudar de assunto disse: - Tenho que ir agora, papai deve estar me esperando. – Afirmei arrumando minhas coisas e me levantando.

- Eu a levo até lá.

- Você vai almoçar com a gente? – Perguntei olhando-o e tentando me desvencilhar das pessoas que estavam a nossa frente.

- Pensei que você estava tentando fugir de mim. – Constatou risonho.

- Para com isso. – Pedi raivosa. Por que as pessoas têm que andar tão rápidas por aqui? Pensei comigo mesma.

- Não, vou sair direto daqui e vou à loja de carros com os meninos, depois vamos almoçar fora e em seguida vou buscá-la no escritório.

- Quem disse que eu quero que você me busque? – Indaguei brincalhona.

- Era o que você ia me perguntar logo depois do almoçar com vocês.

- Não ia nada.

- Por que é tão difícil pra você admitir que eu a conheça? Sei o que você pensa ou vai falar.

- Hoje você acordou se achando mesmo. – Respondi rindo, avistando meu pai logo em seguida.

- Pronta? – Perguntei papai.

- Sim!

- Certeza que você não quer ir meu filho? Por falar nisso, você não me disse aonde vai! – Perguntou sarcástico.

- Depois você vai ficar sabendo pai, uma surpresa.

- Tenho até medo dessas surpresas que você me arruma Harry. – Brincou James entrando no carro.

- Tchau pra vocês! – Disse Harry se afastando.

________________________________________________


A semana havia passado depressa demais, e tudo havia voltado ao seu devido lugar: as aulas e toda aquela pegação no pé com deveres, estudos e tendo que conciliar com os treinos, algo que era a única coisa que me agradava, havia aumento mais do que era possível.

Estava me sentindo mais impaciente do que o normal, por onde passava tinha que ouvir comentários sobre como a nova morena que estava no colégio: como era irresistivelmente atraente, o que no caso era Hermione e isso me deixava com os nervos à flor da pele.

Havia me tornado mais protetor do que imaginava: isso me deixava nervoso! O simples fato de o tempo todo que ela sair de perto de mim na hora do intervalo e ter que ficar parado reparando que olhos interessados se direcionavam a ela, me irritava profundamente. Mas no pequeno espaço de tempo em que ela ficava perto de mim, era totalmente diferente: sempre atenciosa e delicada, fazia com que qualquer nervosismo passasse.

Já havíamos começado a pegar pesado nos treinos e nas táticas de jogos para o campeonato que começaria em menos de um mês. Ainda estava decidindo a escalação para o time no amistoso que teríamos a dois dias, o treinador havia jogado toda a responsabilidade nos meus ombros e estava ficando mais do que o tempo normal analisando os jogadores e os novatos que estavam entrando.

- Esse ano vai ser mais complicado escolher! – Exclamou Rony. – Felizmente temos muitos jogadores bons no time.

- É! Isso que estou vendo. – Disse reparando o jogo que estava tendo.

- Bem que poderíamos mandar Chad para o time reserva. Temos muitos jogadores novos.

- Ele pode ser insuportável Rony, mais infelizmente joga bem. – Afirmei passando a mão pelo cabelo impaciente.

- Já até pensei na festa que faremos depois do jogo. – Declarou Rony animado.

- Não conte comigo!

- Com você? O que aconteceu? É sempre o primeiro a organizar as festas depois dos jogos. – Estranhou Draco me olhando.

- Vou ter outro tipo de comemoração. – Disse lembrando-me de tudo que tinha em mente pra amanhã.

- Uhn! Não vai nos contar qual vai ser sua comemoração? Ou melhor, com quem vai ser? – Rony não se cabia de tanta curiosidade.

- Posso até contar onde, agora com quem não precisa pensar muito pra adivinhar. – Afirmei entregando um folheto para que eles pudessem ver o lugar.

- Cara! Até que você não é um cara tão insensível e burro. – Curtiu Rony constatando o lugar.

- Gina está me enchendo o saco pra levá-la ai! – Disse Draco. – Mas me parece não ser muito sua cara.

- Pra que ser minha cara, quando pode ser a cara dela? Vocês são os namorados mais burros e tapados que eu conheço! Não é de se assustar ver suas namoradas brigando com vocês.

- Vou levar Luna lá também!

- Leve, mas leve outro dia, não to a fim de encontrar sua cara lá amanhã.

- Você tem andado muito estressado, o que foi Harry? – Perguntou Draco me olhando.

- Não sei cara! Deve ser ansiedade pra voltar a jogar logo. – Afirmei sem nenhuma convicção.

- Só isso?

- Tem ela também.

- Ela? – Perguntou Rony confuso.

- Hermione seu idiota. – Afirmou Draco sem nenhuma duvida.

- É! Não consigo me concentrar nas coisas com ela longe de mim.

- Não seria perto a palavra certa? – Perguntou Rony novamente confuso.

- Eu fico pensando se ela esta bem, ou se tem algum folgado dando em cima dela. – Declarei raivoso me levantando.

- Isso é complicado. – Disse Rony.

- Tudo é complicado pra você Rony. – Desdenhou Draco sorridente.

- Mas não quero falar mais sobre isso, vamos terminar logo esse treino, por que estou cansado.

Logo depois dessa conversa, entrei no vestiário. Passei uma ducha demorada pelo corpo esperando que desse o horário certo para buscá-la.

Dirigi mais rápido do que o normal, não sabia dizer se por que a velocidade era algo que gostava ou se era a pressa pra vê-la novamente. Tinha ficado de buscá-la na sua primeira aula de pintura no Museu, o que com certeza ela estaria adorando: sempre ficava falando do quanto estava ansiosa para esse dia e o tanto que no caminho pra lá ela havia falado mais do que o normal.

Parei no estacionamento, na chance de que pudesse vê-la me esperando, mas no movimento de pessoas que passavam indo e vindo, nenhum sinal dela. Estacionei o carro e desci para procurá-la.

Adentrando a sala percebi que a sua professora se encontrava conversando com outros alunos, e com um sorriso simpático apontou na direção onde Hermione estava.

Ela era a única que se encontrava na sala, sentada em uma cadeira alta que a deixava menor do que já era. Estava rodeada por quadros e todo tipo de tintas e equipamentos para pintura. Ela terminava com maior facilidade do que os outros que haviam ido embora, estava tão concentrada que nem percebeu minha chegada.

- Esta atrasada. – Sussurrei no seu ouvido.

- HARRY! – Gritou Hermione assustada virando-se rapidamente.

- Nossa! Sou tão feio assim? – Brinquei girando sua cadeira para que ficasse na minha frente.

- Perdi a noção do tempo! Tem muito tempo que você chegou? – Perguntou tímida.

- Tem! Muito tempo, até cansei de esperar no carro. – Falei serio.

- Mentiroso. – Disse ela sorridente. – Você não devia estar aqui dentro. – Terminou cobrindo com um pano o quadro.

- Ei! Eu não terminei de ver ainda não. – Reclamei dando um passo.

- Não senhor! Eu ainda não terminei.

- Ah! Você esta querendo fazer uma surpresa pra mim... Sou eu ai não é? – Indaguei brincalhão.

- Meu Deus! O mundo não gira em torno de você não Harry Potter. – Disse Hermione dando um tapa no meu ombro e saindo. – E vamos logo que estamos atrasados.

- Você se atrasou, eu não.

- Ainda temos que nos arrumar para ir á casa do Sirius, então ande logo Harry.

- Mandona! – Bufei seguindo-a.

________________________________________________


Havia ficado de encontrar as meninas após o termino da aula, mas tinha me esquecido que teria que entregar uma listagem na coordenação, de todos os professores com quem tive aula na minha primeira semana, para confirma a minha presença na lista de chamada.

Estava pra ter um acesso de loucura na correria que estávamos apenas no final da primeira semana, e por todos os lados viam as pessoas comentavam sobre o primeiro jogo que teria amanha! Oh Deus, será que algum dia ainda iria se acostumar com toda aquela correria de Nova York?

Andava tão apressada e absorta em pensamentos, que só parei quando choquei meu corpo contra outra pessoa, fazendo com que todos os meus materiais caíssem espalhados pelo corredor.

- Me Desculpe! Estava tão distraída que nem percebi você. – Tentei me desculpar, vendo o estrago que havia feito.

- Não tem problemas Hermione. – Disse uma voz grossa e arrastada fazendo com que a morena erguesse seu olhar, deparando-se com Chad Michael. – Deixe que eu pego pra você. – Pediu ele agachando e pegando meus materiais e livros no chão. – Esta atrasada?

- Um pouco, tenho que entregar uma lista na coordenação e tinha me esquecido.

- Importa em acompanhá-la até lá?

- A... Ah não, tudo bem. – Afirmei ainda confusa, pois nunca havia trocado uma palavra se quer com ele e pelo que conhecia dele pelas outras pessoas, não era nada agradável. – Pode deixar que eu mesma leve minhas coisas!

- Não que isso! Não há incomodo algum, está um pouco pesado não acha?

- É! Deixei acumular alguns livros e não entreguei na biblioteca. – Confessei corada por anda tão longe e voada.

- Ainda não se acostumou? – O indagou curioso.

- Sinceramente? Não! – Disse enquanto andávamos pelos corredores vazio por já ter acabado o horário de aula.

- Ansiosa pelo jogo de amanha? – Continuou ele com suas perguntas, me deixando um pouco receosa se respondia ou saia de perto tentando não parecer tão grossa.

- Bem, acho que sim, pelo menos é o que todos falam por aqui, então acho que vai ser muito bom! – Afirmei parando ao balcão e estendendo a lista para a senhora que se encontrava a minha frente.

- Obrigado querida! Agora está tudo certo. Pode ir!

- De nada! – respondi à senhora, voltando logo em seguida para o garoto, que continuava ao meu lado. - Bem, tenho que ir: fiquei de encontrar minhas amigas na porta do colégio e já estou bastante atrasada.

- Tudo bem. Espero poder vê-la em breve, quem sabe amanhã? Com nossa vitória com certeza faremos uma grande festa em minha casa. Espero poder contar com sua presença.

- Ah sim! Sem problemas. – Declarei pegando minhas coisas e dando meia volta em direção a saída.

”Que menino estranho.” Pensei comigo mesma.

Andei com passos longos e apressados, tentando não chegar mais atrasada do que já estava. Olhei para trás e vi que ele não estava mais lá, senti alivio e pensaria em toda sua educação e na sua enorme atenção depois. Vi que as meninas estavam encostadas no carro e acenaram quando me viram.

- Olá meninas! Novamente desculpe a demora.

- Sem problemas Mi, só por que você ainda não se acostumou com toda essa movimentação. – Brincou Gina. – Então vamos? Mamãe já me ligou falando que o almoço está quase pronto.

- Ah! Claro.

- Esta tudo bem com você Mi? Parece meio estranha? – Perguntou Luna.

- Bem... Sei que não fiquei louca nem nada, mas vocês sabem que acabou de vir falar comigo e ainda fez questão de levar meus materiais pra mim?

- QUEM? – Indagou Gina curiosíssima.

- Chad Michael.

- O QUE? NÃO ACREDITO.

- Nem eu! Foi super estranho: ele foi tão atencioso e simpático! Fiquei até meio sem saber o que falar.

- Muita calma nessa hora! Quero saber tudo, conte todos os detalhes. – Pediu Luna me puxando para sentar no banco ao seu lado.

- Ok! – Contei tudo para elas, e sabia que se não fosse vírgula por vírgula elas me perguntariam tudo de novo, começando pelo esbarrão e terminando no convite pra festa na casa dele. Elas pareciam duas loucas boquiabertas e prestando muita atenção em tudo que eu falava. – E foi isso.

- Muito estranho... Muito mesmo... – Disse Luna com a mão no queixo pensativa, como se estivesse decifrando alguma coisa.

- Ai isso foi nojento. – Declarou Gina nos assustando e fazendo com que olhássemos pra ela com uma cara de “não entendi” . – Ele não é assim, ele é um idiota, devia ter mandando ele se...

- Gina! – Gesticulei para que ela não continuasse o que iria dizer.

- Tome cuidado amiga, ele só pode estar tramando alguma coisa, ele não é assim. Atencioso e tal. – declarou Luna, ainda com aquela expressão no rosto.

- Nem quero pensar, deixa isso pra lá. Isso foi um encontro esporádico, que não irá acontecer sempre. Mas de qualquer forma vamos antes que sua mãe ligue novamente Gina.

- É verdade! – a ruiva confirmou. Entramos no carro e no caminho conversamos mais um pouco. Elas pareciam não se cansar de falar sobre esse assunto: Gina era tão engraçada, que com certeza se fosse ela no meu lugar daria um soco daqueles na cara do garoto. – Por favor, Gina isso fica entre nós. Ok?

- Claro! Apesar de adorar causar uma confusão e tal, vou fazer isso só por que você é minha amiga. – Brincou ela.

________________________________________________


Deitado na cama, com as mãos atrás da cabeça e olhando para o teto, não estava com a mínima vontade de dormir. Foi quando ouvi a porta do quarto dela se abrir... Será que tinha acontecido algo, ou ela não estaria conseguindo dormir?

Levantei, e desci as escadas para ver o que estava acontecendo. Com toda certeza meu pai estaria dormindo feito uma pedra por estar tão cansado... Foi quando eu vi a luz da cozinha acesa: ela deveria estar com fome!

Andando devagar, vi-a em frente à geladeira, procurando algo. Mas não foi o cheiro de algo que ela estivesse preparando para comer que me chamou a atenção, mas o cheiro que vinha dela: era como se ela cheirasse a morango, um cheiro de flores com morango... Era isso mesmo. E esse cheiro estava perfeito.

Tirando o suco da geladeira e andando em direção a mesa, pude vê-la melhor, eu não estava acostumado a ver uma garota assim, não na cozinha da minha casa: com o cabelo solto nas costas ainda molhados, ela estava descalça vestindo apenas um pijama. O que não ajudava muito, pois não cobria muita coisa, mas ao contrário, mostrava tudo de perfeito que ela tinha: pés pequenos e graciosos, pernas bronzeadas e torneadas, uma cintura fina, mãos delicadas e lábios volumosos e vermelhos.

Eu não deveria ficar aqui parado no escuro olhando-a, acho que deveria me juntar a ela, já que estava com fome, ou achava que estava, poderia ser mais fome de outra coisa, mas não deveria sentir isso. Não agora! E muito menos por ela... Andando um pouco mais, a chamei.

- Hermione? – Eu não deveria ter feito isso: ela estava tão distraída com o copo na mão, que se assustou e o deixou cair no chão, causando um barulho alto e jogando estilhaços de vidro por todos os lados, fazendo com que ela pulasse para que não a atingisse.

- Ai! – Foi o que pensei: como sou burro! Não deveria nem estar aqui, quanto mais, assustando-a dessa forma. Quando olhei, vi que um caco tinha cortado seu pé. – Hó meu Deus Harry, eu não tinha visto você aqui, me desculpe, olha só o que eu fiz. – Disse ela se agachando e pegando o restante dos cacos.

- Não faça isso! – Disse segurando seu braço e a erguendo de volta, não com brutalidade, jamais a tocaria assim, mas o mais delicado que eu poderia ser. - Deixe que eu mesmo pegue! A culpa foi minha, cheguei sem avisar e a assustei. Não se mova, seu pé esta sangrando.

- Não foi nada demais! Ai como sou burra... Vou pegar um pano e logo irá parar de sangrar.

- Não, deixa que eu cuide! Espera só um pouco, vou colocá-la sentada, enquanto limpo essa bagunça e depois cuido de você.

- Não prec... – Antes que ela pudesse responder coloquei minhas mãos em sua cintura e a ergui até que ficasse sentada no balcão da pia.

Rapidamente limpei toda a bagunça, e nem me preocupei que com o barulho meu pai tivesse acordado, acho mesmo que se a casa caísse, ele não acordaria. Fui correndo até meu quarto, peguei minha mochila de futebol com meu quite de primeiros socorros e voltei para a cozinha!

- Bem, algo que não falta aqui em casa é os quites de primeiros socorros. – Disse colocando minha mochila ao lado dela e a abrindo. Percebi que estava muito calada e a olhei: ela tinha um olhar pensativo, como se estivesse com vergonha pelo que tinha acabado de fazer. Coloquei minhas mãos, uma em cada lado dela, olhei e disse: - Está tudo bem com você?

- Eu estou bem. - Disse com a voz baixa

- Então o que foi? Por que você está assim: calada? Está doendo muito e não quer me falar? – indaguei, colocando uma mão em seu queixo e erguendo seu rosto, para que ela me olhasse. – Esta com vergonha? - Ela só balançou a cabeça, em sinal positivo de resposta. – Ei, não precisa: fui eu que causei toda essa bagunça! Mas vou cuidar de você e vai melhorar rápido. E se aceitar minha desculpa, eu preparo um enorme sanduíche pra você. – Disse, fazendo que com ela risse e surgissem aquelas covinhas que eu adorava. – Ta duvidando dos meus dotes culinários é? – Perguntei enquanto limpava o pé dela e fazia um curativo. – Não deveria fazer isso, não vou aceitar que depois venha me pedir pra fazer outro pra você, duvidando de mim assim!

- Não estou falando nada, você que esta dizendo... Você tem isso tudo de quite de primeiro socorros? Você se machuca muito nos jogos? - Ela disse enquanto vasculha minha mochila.

- Um pouco, mas é bom se prevenir! Mas quando eu me machucar, prometo que deixo você cuidar de mim. – Disse rindo enquanto terminava de enfaixar seu pé, levantei meus olhos para ter a certeza de que ela estava toda corada. – Vem. – A peguei no colo, era tão leve e tão quente, que o pequeno percurso até o balcão se tornou longo. Sentei-a e sem tirar as minhas mãos que estavam em volta do seu corpo disse: - Está melhor? Ou o laço está apertado?

- Não, está bom, obrigado! – Ela me olhou e sorriu. Estávamos tão pertos que o calor que saia da sua boca batia no meu rosto e queimava. Suas mãos pequenas ainda estavam nos meus braços, quando começou a deslizar, passando pela mão e retirando em seguida. Saindo do transe que estava e tomando o maior cuidado para não fazer o que não deveria, andei em direção e geladeira e disse: - Agora, aprenda como se faz pequena!

- Espero que papai não acorde com todo esse barulho que fiz.

- Não se preocupe, ele está cansado. – Expliquei terminando de preparar os sanduíches, empurrei seu prato na sua direção ela mordiscou devagar.

- É não esta nada mal mesmo.

- Nada mal? Você é uma menina muito má mesmo: está com vergonha de me elogiar? Vendo-a corada disse: - Você esta corada!

- Não estou não! Você que esta vendo coisas.

- Não estou vendo coisas: estou vendo você, e vejo que você fica corada quando fica com vergonha, morde os lábios quando está ansiosa e passa as mãos pelos cabelos quando esta nervosa.

- Pra uma pessoa como você, você até que repara muito!

- Uma pessoa como eu? – declarei, rindo dela. Com toda certeza ela estava ficando nervosa por estar presa naquela cadeira e não pode sair correndo para o seu quarto sem minha ajuda.

Peguei as louças, coloquei na pia e andei em sua direção, movendo sua cadeira giratória para que ela ficasse a minha frente. Coloquei meus braços, um em cada lado do balcão a prendendo e chegando bem perto eu perguntei: - O que é uma pessoa como eu?

- Você não me parece o tipo de garoto que repara muito em garotas, além da aparência.

- Por que você acha isso?

- Por que sim! E agora eu quero ir para o meu quarto Harry, por favor, me ajuda. – Ela pediu descendo da cadeira.

- Você ta fugindo da conversa, e esta tentando jogar seu charme pra me fazer desistir.

- Eu não estou jogando charme nenhum, nem tenho charme! E nem tenho isso tudo que você esta dizendo que eu tenho. – Disse emburrada colocando os brancos cruzados na frente do corpo.

- Tudo bem! Não vou insistir mais. Quer que eu a carregue até o quarto?

- Não! Só me ajude. – Pediu ela segurando meu braço. – Foi um corte bobo, então amanhã nem vou sentir mais nada.

- Ok! Sem pressão. – Afirmei andando ao seu lado.

Ela não iria ceder, estava nervosa demais pra me escutar. Então seria bem melhor que a noite acabasse ali mesmo, não queria também ter que pensar no que eu poderia fazer sem pensar direito. Amanhã seria outro dia, e com certeza seria outro dia bem melhor! Estava tudo preparado, nada sairia errado e ela não me escaparia.

________________________________________________


N/A(Sara) Oiêe amooures! Estou muito feliz mesmo por estar postando esse cap. 1º Por que eu adorei muito escrever ele e 2º Por que o PROXIMO vai ser melhor ainda - kkkkk e com certeza todos vocês vão gostar! To mais feliz ainda com os comentarios , quero agradecer de coração a todo mundo que comentou, estou alegre e EMOCIONADA com cada um. É bom saber que vocês estão gostando ^^ Sempre quero poder a cada cap melhorar mais e mais e poder fazer com que todos gostem como eu!

Obrigado a:
Karine
Jeh Guimarães #
Betina Black
*Mione Cullen Malfoy*
Carla Ligia Ferreira
Joy_
Andréa Pismel da Silva
Marcia Mendes Rdrigues
Angel Cullen = Srta. Cereja
Mione03
Hermione.Potter
Nick Granger Potter
Angel Cullen = Srta. Cereja
Rha
Josy = Beta linda do meu core! Acho que ela não ta bem gente, me entregou o cap 3 dias depois que mandei pra ela ¬¬ pensei que ela ia demorar 13 dias pra entregar - kkkkk amôo amiga mais que especial ;D você não presta mais eu TE AMO - hahaha :P

Se esqueci de alguem POR FAVOR PERDOE - ME estou no meu trabalho, postando rapidinho escondido aqui e morrendo de medo de ser pega pela minha gerente - hahaha o.O Beeeijokas =)

N/B (Josy): Gnte.... amei esse cap e ter sido a primeira a ler (essa eh a parte boa d ser beta!!! Hehehehe) to doida p/ler o prox e saber o q o harry está aprontando!!! Demorei dessa vez naum neh!?!? Hehehe

Bjoks gnte!!


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.