FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. O Jantar


Fic: A Tradição do Visgo


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

A semana passa e apesar de tentarem se comportar normalmente durante a semana, eles só conseguiam se falar quando Rony tava junto, e mesmo assim sem se encarar direito.

No dia do jantar, Hermione estava na sua cama, lendo uma carta, quando Gina chega.

-Oi, e aí, animada pro jantar de hoje? –Gina pergunta se sentando na cama com Mione.

-E porque deveria? É só um jantar com um amigo! –fala tentando parecer natural.

-Ah... ta, você acha que eu sou cega é? Eu vejo como vocês dois se tratam, desde a festa. –fala perspicaz e olhando-a com o olhar eu não sou cega nem burra, então não tente me enganar!

-Ai, ta bom! To me sentindo um trapo! –fala em tom cansado e se recostando na cama.

-Porque, vai dizer que não gostou daqueles beijaços ! –fala com sorriso maroto.

-Que pergunta! –fala jogando uma almofada em Gina –Quem não ia gostar! –fala desanimada.

-E você faz essa cara e fala desse jeito?

-É que eu nunca pensei em ter nada com o Harry ele era só meu amigo, mas aí teve aquele primeiro beijo e depois aquilo que acho que não dá nem pra chamar de beijo né! –fala suspirando no fim.

-Mas o que você sentiu que te fez mudar tanto assim, é que se for só atração não vale a pena tentar né.

-Eu sei, mas aí é que ta, eu não sei se eu gosto dele e também se gostar eu tenho certeza que não é correspondido. –fala ainda mais desanimada e abraçando um travesseiro.

-Então me diz o que você sentiu quando ele te beijou da primeira vez. –Gina fala curiosa e atenta.

-Quando ele me tocou eu fechei os olhos, tava com medo e muita vergonha, se tivesse de olhos abertos acho que não teria conseguido, mas aí ele me tocou e foi tão...bom, era suave, gentil, não esperava isso de um beijo de visgo. E quando ele foi se aproximando eu me senti estranha, eu podia sentir a respiração quente dele, o hálito fresco, e aquilo foi me entorpecendo, era como se meus sentidos começassem a falhar, e eu só conseguisse me concentrar nele, as mãos dele, a respiração dele, o som da respiração ofegante e do meu coração acelerado. Foi uma mistura de nervosismo e ansiedade, até que ele tocou seus lábios nos meus e senti um arrepio, então começou o beijo e pude sentir os lábios macios e quentes dele, era muito bom, e foi aí que consegui meio que abraçá-lo, eu realmente nem conseguia me mexer antes, mas depois eu relaxei completamente, ele estava sendo tão gentil, atencioso e carinhoso, que quando vi nossas línguas já se tocavam, era uma dança estranha, no começo foi esquisito, mas depois a gente foi se achando e aí fui notando o quanto era gostoso, meu corpo tava reagindo de uma forma que eu não esperava, sentia calor e frio ao mesmo tempo, assim como sabia que era errado mais ao mesmo tempo não resistia e me entregava, eu perdi toda noção de tempo espaço, era como se flutuasse no nada, como se só houvéssemos nós dois, eu não conseguia nem pensar, aliás, eu já nem sabia mais o meu nome! –fala confusa e um pouco desesperada, por sentir algo que não devia.

-Bruxinha você ta com um problema sério! Quer dizer, depois disso não há a menor duvida de que você ta completamente apaixonada por ele, aliás, eu diria que era um amor meio mal escondido né! –fala entre risos a última parte.

-Muito engraçado, mas o pior foi o segundo beijo, eu simplesmente achei que se não me segurasse nele ia acabar caindo, porque perdi completamente a firmeza nas pernas, depois veio aquele calor, era como se tivesse numa floresta em chamas, perdi completamente os sentidos e isso tudo no inicio... foi avassalador, eu mal conseguia me controlar, só queria ter ele cada vez mais perto, sentir o corpo dele mais junto do meu, e quando ele mordeu meu lábio e senti o gosto de sangue na minha boca, nem sei porque, mas o pouco controle e juízo que tinha foram embora! –fala com o rosto entre as mãos.

-Nossa... eu queria ser beijada assim! –Gina fala sentindo calor só de imaginar aquilo.

-O pior e o que mais me perturba foi o que ele disse depois. “Eu não sou seu irmão”, ele falou isso porque ele teve aquela crise de ciúme idiota e eu disse que não precisava de um irmão mais velho.

-Hermione, acorda! Ele disse que gosta de você! Foi a indireta mais direta que já ouvi! –Gina diz quase pulando na cama.

-Você acha? Eu não sei não Gina, é só olhar pra Cho...

-Esquece isso amiga, eu duvido que ele já tenha beijado aquela galinha, do jeito que te beijo no primeiro visgo, porque aquele segundo, mais um pouquinho e vocês iam nos dar um show proibido pra menores! –fala rindo no fim.

-O pior é que se ele não parasse, não sei se eu ia ter forças pra isso! –fala corada e enfiando a cara no travesseiro.

-Então levanta e vamos começar essa produção! Eu vou maquiar a Luna e depois volto pra te ajudar com a maquiagem e o cabelo, e acredite, se ele não tiver afim, vai ficar! –fala maliciosamente e se despedindo pra encontrar com Luna num banheiro feminino.

Harry estava olhando a vista no mesmo lugar onde se despediu de Sírius e Bicuço no terceiro ano, estava apoiado no parapeito, e mergulhado em seus pensamentos que há quase uma semana giravam em torno de uma só pessoa.

“Porque não consigo parar de pensar nela? Não é certo, mas é inevitável!... Queria tanto que você estivesse aqui pra me aconselhar Sírius!” –dá um longo e desanimado suspiro após pensar no padrinho.

-Senti falta dele não é? –Dumbledore fala se aproximando de Harry.

-Muita, queria que ele estivesse aqui agora! –fala desanimado pro diretor que agora estava a sua esquerda olhando a paisagem.

-Na falta de seu padrinho, e de seu pai, o que acha de se aconselhar com um vovô? –fala bem humorado.

-Hum? Eu não quero te incomodar com problemas bobos. –fala sem jeito e levemente corado.

-Não vai incomodar, e além do mais vi que seu relacionamento com Hermione ainda não melhorou, e se continuar assim esse jantar pode ser bem inútil e desastroso. –Dumbledore fala calmamente, olhando um Harry surpreso.

-Como o senhor sabe disso? Professor...

-Me chame de Alvo, Harry. E quanto a Hermione, não é difícil, eu fiquei surpreso com o que vi no visgo, mas fiquei feliz, sabia que mais cedo ou mais tarde vocês descobririam o amor um no outro. –Harry agora o olhava ainda mais surpreso.

-Eu não sei, me sinto um pouco confuso, eu nunca havia pensado assim nela. Quando a gente foi pego pelo visgo, eu fiquei muito confuso, mas sabia que não poderíamos sair dali sem o beijo, então achei que seria melhor terminar logo com aquilo, mas era estranho, Hermione era minha amiga, minha melhor amiga, eu não achava aquilo certo. Mas quando olhei nos olhos dela, quando a toquei, quando a beijei. Foi diferente, eu senti algo... especial. Foi como se uma corrente elétrica passasse pelo meu corpo, comecei a sentir coisas totalmente diferentes ao mesmo tempo, calor e frio, culpa e desejo, alegria e tristeza. Eu me deixei levar completamente, quando a senti corresponder, quando fomos nos achando... foi perfeito, era uma coisa que nunca imaginei sentir. Nunca me senti tão bem, tão completo, tão tranqüilo, como se nada de mal pudesse me acontecer... mas quando acabou foi estranho, me senti muito mal, acho que foi culpa por sentir, aquelas coisas com a Hermione. Acabei me isolando, fiquei pensando em tudo que já vivemos até hoje, e descobri que estava ainda mais confuso! Já tinham se passado duas ou três horas quando a Gina veio falar comigo, me dizer que até a Hermione tava mais animada que eu, e me mostrou que ela tava conversando com um cara, quando a vi rindo e conversando com ele, senti uma raiva e uma frustração, que quando dei por mim já tava lá discutindo com ela, e o pior é que Hermione quis sair dizendo que não precisa de um irmão mais velho, vigiando ela, não agüentei e a peguei pelo braço e puxei, sem querer caímos no visgo, mas dessa vez eu aproveitei pra descontar toda raiva que eu tava sentindo, e também pra mostrar que eu não sou irmão dela! O problema é que depois me senti bem pior, porque dessa vez foi diferente, havia desejo, paixão, eu queria tocá-la, tê-la pra mim, e só pra mim, acho que se não tivesse me afastado teria feito uma besteira bem maior! Mas ela também, ao invés de me empurrar ou reagir, tava correspondendo, talvez pra não me fazer passar algum tipo de vergonha né... –fala cabisbaixo e alterando empolgação e culpa.

-Talvez ela tenha correspondido pelos mesmos motivos Harry. –Harry o olha confuso –A Hermione pode estar tão confusa quanto você ou até mais, e acho que deveria aproveitar esse jantar pra descobrir o que ela sente e se declarar, tenho certeza que se você quiser de verdade, ela vai ser sua. –Dumbledore fala calmamente olhando pra Harry, que parecia viajar em suas palavras.

-Você acha mesmo que eu devo tentar? É que não sei se tenho o direito de envolvê-la ainda mais nessa história, com Voldemort. –Harry fala olhando, tristemente, o horizonte.

-Harry a vida é pra ser vivida, essa escolha quem tem que fazer é Hermione, a você cabe apresentar-lhe as opções. –Dumbledore fala sabiamente, e tem novamente a atenção do garoto voltada pra si.

-Mas e se ela disser não, eu não posso arriscar nossa amizade. Eu não conseguiria viver sem ela ao meu lado.

-Às vezes precisamos arriscar, mas isso é viver Harry! Fique nervoso, ansioso, sinta seu coração disparar, fique incerto, sofra se for preciso, mas tenho certeza que também vai poder sentir o prazer da companhia dela, se perder em seu perfume, sentir calafrios ao tocá-la, seu coração vai quase parar ao tê-la perto de si quando dançarem, e vai se sentir o homem mais feliz do mundo ao ouvi-la dizer sim! Sei que pra você isso é confuso, mas como diz um velho amigo meu, às vezes é preciso morrer pra viver, mas isso com o tempo você vai entender melhor! -fala sorrindo confiante e no fim pisca discretamente, fazendo Harry ficar confuso e um pouco corado.

-Obrigado Alvo! Como posso agradecê-lo? –Harry pergunta mais animado.

-Amanhã de manhã vá a minha sala contar todos os detalhes desse jantar, a senha é torta de maçã! –fala sorridente antes de sair e deixar Harry sozinho e fazendo planos pra mais tarde.

Faltando uma hora pra eles saírem, Harry já estava pronto. Ele desce ao salão comunal e avista Rony e Neville jogando xadrez bruxo.

-E aí to bonito? –fala meio nervoso, olhando apreensivo, pros amigos.

-E desde quando eu acho homem bonito? –Rony fala com ar bem machista.

-Ah, não liga pra ele Harry, você ta bem legal sim, a Mione vai gostar. –Neville fala com um sorriso confiante, deixando Harry mais tranqüilo.

-Não sei porque essa preocupação toda pra sair com a Mione! –Rony fala olhando o amigo, voltar a ficar nervoso.

-Eu só não quero fazer feio, afinal é um jantar muito elegante. –Harry fala tentando disfarçar.

Nessa hora Pavarti e Lilá que estavam vendo e ouvindo a conversa, sobem em disparada pro dormitório onde Hermione ainda de roupão discutia com Gina sobre a maquiagem.

-Nossa Hermione que inveja, eu tenho de você! –Lilá fala quase morrendo e se sentando em frente às duas.

-É verdade o Harry ta lindo! Chega me deixou sem ar! –Pavarti fala se abanando.

-Ele acabou de descer todo perfumado, e preocupadíssimo, parece que quer te impressionar! –Lilá fala maliciosamente, deixando Hermione levemente corada.

-Mas como ele está? Quero detalhes. –Gina pede querendo analisar a situação.

-Ele ta vestindo, ai... como eu posso dizer... ele está lindo, com uma calça social preta, sapatos da mesma cor, hum, Lilá...aquela blusa dele é azul?

-Claro que não, você é daltônica Pavarti? Aquela blusa é prata! Deixa que eu conto, então, ele está de terno, um terno preto com a blusa prata, e a gravata também preta, sabe, está um charme! –Lilá suspirou encantada.

-É acho que até tentou arrumar o cabelo sabe... um arrumado totalmente desordenado! –Pavarti ri baixinho, sonhadora.

-Numa coisa a gente tem que concordar, com certeza ele quer te impressionar, Mione, e com estilo. –Gina riu do próprio comentário, enquanto Hermione, estranhamente não sabia o que pensar. -Hum, então vocês vão estar combinando, vão ser um par elegantíssimo, e justamente por isso vai parar de discutir e me deixar fazer o que quiser com você! Meninas fiquem ali na porta e não deixem ninguém entrar, senão eu mesmo azaro vocês e a garota que entrar! –Gina fala autoritariamente e as duas saem, deixando apenas ela e Mione no quarto.

Um pouco mais tarde Harry está andando de um lado pra outro no hall de entrada, juntamente com os outros casais que iam ao jantar. Hagrid e McGonagall já olhavam o relógio, preocupados com o atraso de Hermione.

-É, parece que a Granger resolveu te dar um bolo Potter! –David McGinity, da Lufa-Lufa, fala com ar zombeteiro.

-Vai ver ela se deu conta que esse jantar não é pra gente da laia dela! –Malfoy fala presunçoso.

-Aquela garota é louca de deixar um gato desse esperando! –Lindsey McCoy, da Lufa-Lufa, fala olhando Harry de cima a baixo.

-Realmente aquelazinha, deve ter ficado cega de tanto ler! –Belatriz Adams, da sonserina, fala “comendo” Harry com os olhos, provocando uma certa expressão de raiva em Malfoy.

-Parem de falar bobagens, ela já deve ta vindo, relaxa cara, daqui a pouco ela ta aqui. –Goldstein fala tentando acalmar o amigo.

-A Gina que ta arrumando ela, e se conheço bem as duas, a Mione já deve ta quase azarando a Gina pelo atraso, mas com certeza a Hermione não deve demorar muito, é que a Gina perde um pouco a noção do tempo quando começa a mexer com cabelo e maquiagem! –Luna fala distraidamente.

-Se ela tiver tentando deixar aquela lá, apresentável vai demorar anos, portanto acho melhor irmos logo! –Malfoy fala entediado, e com ar de desprezo.

-Me desculpem o atraso, juro que depois azaro a Gina, mas já podemos ir.

Hermione se desculpa descendo as escadas, e deixando todos surpresos, principalmente os rapazes que ficam abobalhados, e de queixo caído ao ver a morena, que aparentemente tentara ser discreta, mas havia falhado totalmente nisso. Usava um vestido preto, tomara que caia, justo ao corpo, marcando suas curvas, chegava à altura de seus joelhos com uma fenda lateral que se abria até a cocha. O salto alto ajudava a marcar as pernas firmes e torneadas, uma fina corrente prateada pendia singela em seu tornozelo direito, só um pequeno detalhe, que não desviava a atenção de suas belas pernas. Tirou uma incomoda mecha de cabelo que insistia em cair sobre seus olhos, seu cabelo estava solto, liso e leve, dançando no ritmo de seus passos, a maquiagem um pouco pesada, marcava os olhos atentos e brilhantes, com linhas negras e um misterioso brilho prateado. Seus lábios brilhavam vermelhos e suculentos. Usava uma gargantilha, insinuante, em que pequenos cristais pendiam de finas correntes prateadas, caindo sobre seu colo e se espalhando graciosamente sobre os seios. Nas mãos uma pequena bolsa prata e um casaco negro, comprido, que, aparentemente era capaz de esconder todo o vestido que usava.

-Bom, acho que agora todos podem ir. –Minerva fala sorridente ao ver Hermione descer.

-Sim, vamos meus jovens! –Hagrid fala animado.

Ao chegarem no local, eles atravessam um tapete vermelho onde são fotografados por diversos fotógrafos, e adentram num salão enorme, onde são recepcionados pelo dono do restaurante que da uma atenção especial a Harry Potter e sua acompanhante, e a Draco Malfoy, a quem cumprimenta como se conhecesse há muito tempo. Depois disso encaminhados as suas mesas, onde são prontamente atendidos por um garçom.

-Então... agora que jantamos, e já comemos a sobremesa, o que acha de dançar? –Harry pergunta receoso, e muito nervoso, apesar de tentar disfarçar.

-E desde quando você sabe dançar? –Hermione pergunta entre surpresa e desconfiada.

-Sírius me ensinou, quando comentei sobre meu baile fracassado! –fala tentando rir, mas muito nervoso.

-Ah... nesse caso acho que não tem problema! –Hermione fala descontraída, e respondendo ao sorriso que Harry abre ao ouvir a resposta.

Ambos se levantam e vão até a pista de dança, onde uma musica suave é tocada pela orquestra.

“Como o perfume dela é bom!” –Harry pensa ao sentir o perfume de Hermione.

“Se ele continuar fazendo isso, não vai dar certo, é melhor conversarmos!” –pensa aflita, ao sentir a ponta do nariz dele percorrendo suavemente o pescoço dela.

-A professora McGonagall elogiou suas notas, essa semana, ela ta muito otimista com seu desempenho nos NIEM’S ano que vem! –Hermione fala apressadamente, e um pouco nervosa. “Droga, onde já se viu falar de escola e estudo! Agora mesmo que ele vai me achar uma CDFzinha desinteressante...Droga!”

“Só a Mione mesmo pra pensar em estudos, mas assim é bom que o dialogo não fica tenso!” –pensa sorrindo da situação, e se sentindo mais confortável com a proximidade.

-Eu também to bastante otimista, acho que vou conseguir ser auror! E você já sabe o que quer seguir? –Harry fala normalmente e Hermione fica mais relaxada.

-Eu ainda to em duvida entre auror e medi-bruxa, mas seja lá qual for, com certeza não vou escolher pelo salário e horários regulares! –Hermione fala divertida e os dois riem um pouco pra descarregar a tensão.

Um pouco mais tarde, eles ainda estão dançando, mas agora o silêncio voltara a reinar. Seus corpos estavam bem próximos, Harry não agüentando mais aquela proximidade começa novamente a passar a ponta do nariz pelo pescoço dela, provocando um arrepio, que ele parece não notar.

“De novo não, porque ele faz isso? Será que ele quer que eu o agarre?” –pensa respirando fundo e tentando se controlar.

Antes que Hermione pudesse começar outro assunto, ele começa a percorrer o pescoço dela com os lábios, não a beijava, apenas tocava com eles suavemente a pele da morena, o que a fez por instinto, mover a cabeça, discretamente, de modo a afastar os cabelos do local. Harry percebendo isso toca delicadamente a ponta da língua na pele dela, fazendo-a se arrepiar e apertar mais seus braços em torno do pescoço dele.

-Vem comigo. –Harry sussurra no ouvido dela fazendo-a estremecer e se limitar a segui-lo.

Os dois vão a uma sacada, numa janela um pouco afastada das demais pessoas do salão.

-A noite está linda não? –Harry fala pra Hermione que está a sua esquerda, olhando a noite clara e sem nuvens.

“Idiota, onde já se viu falar uma coisa dessas, eu sou realmente um desastre!” –Harry fecha os olhos e se xinga mentalmente.

“Agora entendo porque o Harry vivia meio em pânico e me pedindo conselhos, ele é péssimo!” –pensa tentando se controlar pra não rir.

Harry olha pra ela, respira fundo. Ela se vira pra olhá-lo.

-Definitivamente eu sou péssimo com palavras, então... olha nos meus olhos, lê na minha alma o que eu quero dizer mais não encontro palavras. –Ele olha profundamente nos olhos castanhos de Mione, fazendo-a mergulhar naquele verde que brilhava intensamente, de um jeito que ela nunca vira antes. Harry pega uma das mãos de Hermione e leva até seu peito, em cima do coração. –Pode ver o que sinto?

-Posso. –Hermione sussurra, ainda perdida naquele oceano verde.

-Pode sentir? –fala pressionando a mão dela em seu peito, pra que ela sentisse seu coração acelerado.

-Posso, mas preciso ouvir... preciso que diga! –fala ainda olhando-o.

-Obrigado...obrigado por me ensinar o que é amizade, confiança, respeito, sinceridade. Obrigado por me mostrar, de certa forma, como é ter uma mãe atenciosa, preocupada, cuidadosa, carinhosa. Obrigado por me ensinar o que é companheirismo, cumplicidade, paixão, amor... aprendemos juntos a beijar, quero que me ensine o que é ter uma familia, o que é ser um bom namorado, um bom marido, um bom pai, um... bom amante, quero que me ensine a ser o homem da sua vida! E prometo, que eu vou ser um bom aluno! –terminar de falar (sussurrar) com um sorriso encantador e acariciando-lhe o rosto, suavemente, aparando as lagrimas que caiam dos olhos dela.

-Sabe que eu sou uma professora exigente, não sabe? –fala de forma descontraída, mas ainda deixando algumas lagrimas caírem.

-Sei e juro que vou ser o melhor aluno que você já viu! –fala divertido e se aproximando. –Quer namorar comigo?

-Claro, adoro desafios. –assim que termina de falar Harry a beija docemente, selando aquele compromisso.

-Só uma coisa, você sabe que sendo minha namorada, Voldemort vai correr atrás de você não sabe? –pergunta olhando-a seriamente e segurando suas mãos.

-Eu quero é que aquele mestiço idiota se dane! Agora que você é meu nem Voldemort nem ninguém tira você de mim, ou me afasta de você! –fala num misto de provocação e proteção.

-Mudei de idéia, não quero você como minha namorada. –fala bastante surpreso.

-Não, porque? –ela pergunta sem entender a reação dele.

-Porque se antes tinha alguma duvida elas se acabaram! Você é a mulher ideal pra trazer um Potter ao mundo! Quer casar comigo? –pergunta se ajoelhando aos pés dela.

-Seu doido, pára com isso! Não é brincadeira que se faça viu! –fala tentando dar uma bronca nele, mas sem conseguir não sorrir.

-Mas eu não to brincando! É serio... Casa comigo? –insiste, mas dessa vez em tom galante.

-Somos novos pra isso, tenta repetir daqui uns anos! –fala fazendo-o se levantar.

-Uns anos? Como assim? –pergunta meio decepcionado.

-Que tal depois que a gente se formar. Acabamos o sétimo ano e aí pensamos nisso.

-Que tal acabamos o sétimo ano, e casamos ainda no verão? –sugeri de jeito charmoso.

-Hum... tudo bem, mas agora pára de viajar ok? –fala puxando-o pela gravata.

-Você manda professora! –ele brinca antes de receber um beijo apaixonado.

No dia seguinte de manhã, todos estavam tomando café da manhã no salão principal.

-E aí como foi o jantar ontem? –Rony pergunta a Harry e Hermione que estavam sentados a sua frente.

-Bom... ótima comida, boa música, e o lugar é muito bonito. –Hermione responde simplesmente.

-Só isso? Vocês não têm mais nada a dizer? –Gina pergunta, aos dois que estavam a sua frente.

-Nada demais. –Harry responde um pouco sem jeito e Hermione fica levemente corada.

Nesse momento as corujas do correio matinal chegam, e Hermione pega o Profeta Diário, pondo-o de lado na mesa.

-Me empresta o jornal um instante? Quero ver um anúncio. –Gina pede a Hermione, que lhe entrega o jornal.

Gina pega o jornal, agradecendo a amiga, mas ao abrir da de cara com uma foto de Harry e Hermione se beijando na varanda do restaurante, e em cima a manchete: “Em jantar romântico Harry Potter, declara seu amor e pede Hermione Granger em casamento” . Logo em baixo: “Menino-que-sobrviveu casará no verão seguinte a se formar em Hogwarts, com sua “amiga”, confirmando as notícias dadas em primeira mão por Rita Skeeter, durante o Torneio Tribruxo”.

Gina começa a ler a reportagem que conta sobre o jantar e ao virar a página, de modo a não deixar Hermione ou Harry vê-la, e se depara com uma foto de Harry ajoelhado aos pés de Hermione, e com uma descrição exata do que aconteceu desde que chegaram à sacada, com direito as falas e, em especial uma de Hermione posta em letras maiores e em negrito, onde chamava Voldemort de mestiço idiota. Gina ao ver a reportagem e as fotos fica espantada olhando pra ambos, assim como Rony que olhava o jornal por cima do ombro da irmã.

-Hermione, acho que você e o Harry deviam dar uma olhadinha nesse jornal. –Gina fala entregando-lhe o profeta, e vendo-os ficarem assustados com a capa.

-Se isso não é nada demais nem quero imaginar o que seria! –Rony diz provocando-os.

Eles iam responder, mas dão de cara com o salão comunal todo olhando pra eles, com cara de espanto e Dumbledore sorrindo pra eles, assim como McGonagall.

N/A: Oi, espero que tenham gostado dessa shortfic, e desculpem a demora, mas meu pc não ta legal, por isso, pra queles que lêem o Sucessor, fiquem tranquilos que tou com o cap 2 pela metade e posto nem que seja amanhã!

N/A²: Quem gostou por favor envie comentários! Obrigada!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Dira em 06/06/2012

Adorei! Muito fofa! Pena que não foi isso que aconteceu de verdade no livro, rs!

Nota: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Feh Voshimidth em 30/12/2011

ADOREIII *--------*

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por CamilaSalvatore em 14/11/2011

Ótima, parabéns... continue assim !!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2019
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.



 

 




 
                           

 


Warning: fopen(): Filename cannot be empty in /nfs/c10/h06/mnt/147811/domains/fanfic.potterish.com/html/includes/cache.php on line 39