FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. A viagem


Fic: EU QUERO TE ODIAR MAS NÃO POSSO - FIC antiga com capítulos reescritos e novos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

A manhã chegou rápido, para ambos.



Hermione levantou rapidamente, trocou de roupa, pegou a sua mala.



Olhou-se no espelho, não estava com a melhor aparência do mundo, mas pra ela pouco importava.



-Vê se se anima garota! Pense pelo lado bom, você vai se ver livre por uns dias dessas aulas chatas, do professor Snape, das provas e...ainda vai ficar do lado do garoto mais gato dessa escola!_ disse Padma tentando levantar o astral de Hermione.



-Preferia mil vezes poder estar no seu lugar Padma, do que ir à essa viagem.



Padma e Patil apenas se entre olharam, enquanto Hermione terminava de calçar os sapatos...



-Estou pronta, acho que já vou..._Hermione abraçou as duas, e sentia que embora fossem quinze dias, aquilo pareceria uma viagem de um ano, por tudo o que sabia que iria passar junto de Draco.



-Espere Mione, temos uma coisinha aqui pra você lembrar da gente..._disseram.



Padma foi até o seu criado e tirou uma caixinha para fora, abriu-a com cuidado e tirou um vidrinho dela.



-Olha essa aqui é um pouquinho de uma poção que conseguimos. É um perfume para ser mais exata, caso o Malfoy encha o seu saco ou torre muito sua paciência você espirra duas gotinhas nos seus pulsos.



-Humm...e o que vai acontecer?



-Nossa Hermione, olha a hora!!!_disse Patil, fazendo Hermione se dirigir para a porta.



-Se quiser fazer passar o efeito, faça uma mistura de água com açúcar e beba três goles.



-Mas... mas o que que ela faz?



-Vamos Hermione já está em cima da hora....adeus amiga.



Disseram as duas colocando Hermione para fora do quarto e fechando a porta.



-Ótimo, não quiseram me dizer, obviamente porque não deve funcionar..._olhou para o vidrinho, e abriu cuidadosamente e o cheiro era muito agradável..._pelo menos para perfume isso deve prestar...



Desceu até o saguão, alguns alunos desjejuavam, ela porém pegou apenas um pãozinho, e saiu caminhando arrastando a mala e atraindo olhares desconfiados pra si.



Tinha uma vontade incrível de gritar: “O que estão olhando? Por acaso ou sou verde?”.. Mas sabia que esse comentário além de ser muito ofensivo – e isso era algo que ela deveria mudar, além dos palavrões que descobriu que sabia falar – era desnecessário, pois naturalmente todos queriam saber qual seria a punição ou o que teria acontecido na sala do diretor depois que ela e Malfoy terminaram a briga.



Caminhou quase até a porta, viu uma poltrona grande ali perto, tinha uma estátua do lado e ficava quase escondida, atrás dela, ali parecia ser um lugar bem esquecido, ótimo para fugir de todos.



Ela começou a pensar, e ficar comovida com a estátua e com a poltrona, pois muito embora conhecesse a escola toda tão bem, nunca havia reparado naquele lugar. Sempre que entrara pela porta, mal olhava para os lados, era sempre um momento de tamanha alegria que era impossível notar o que havia na entrada. Mas hoje, que precisava sair do local com tanta tristeza, aquele parecia ser um lugar incrível, camuflado, escondido e privado. Privacidade era o que mais queria dado as circunstâncias e por isso achou uma boa ideia sentar ali. 



Comeu o pãozinho, quase empurrando goela a baixo, estava sem fome.



Olhou para a mala, e começou a resmungar uma música, dali de onde estava dava para ver perfeitamente todo o salão, principalmente a mesa da Sonserina. Deifinitivamente, não era o que queria ver naquele momento e isso a revoltou, era perseguição ou o que? Agora tudo que via, parecia ter a ver com o imbecil do Malfoy.



 “Isso é definitivamente um complô contra mim, acabei de não mais simpatizar com esse lugarzinho...”



Encostou a mala na poltrona, e olhou para a mesa da Grifinória, seus amigos ainda não tinham descido...Precisava se despedir deles...



“White Ville... estranho como esse nome é familiar...”



Estava ali pensando, pensando, pensando, quando ouviu alguém falar, alguém não... “alguéns” ...



-Olha aqui Pansy, eu não tenho nada para falar com você.



-Mas Draquinho meu anjo...eu ...



-Olha eu não sou seu anjo coisa nenhuma ok? Quer parar de agarrar o meu pescoço?



-Meu amor eu quero um beijinho de despedida....e eu quero agora...



-Vê se me esquece entendeu, não sou seu namorado, não pertenço a você, estou cheio desses seus ai ai ais....vê se entende de uma vez por todas...NÂO AMO VOCÊ!!!



-Mas Draco tudo que a gente viveu e....



Draco parou e virou para ela segurando os braços dela pra que ficasse uma distância considerável dela...



-Olha Pansy... a gente só ficou, eu não quero e nunca quis ter nada mais sério com você, entendeu?



Ela ficou quieta por alguns instantes.



-Foi ela né?



-Ela quem?



-Foi a Grifinóriazinha, não foi?



-Do que está falando? Pirou?



-Você está saindo com ela, não é mesmo? Foi aquela idiota que fez isso com você.



-Escuta aqui Pansy, comeu fezes de dragão? Você acha que eu ia querer alguma coisa com aquela Nerd? As minhas decisões ninguém influencia compreeendeu? Ela não é nada, é uma inútil.



Hermione que escutava tudo teve vontade de voar no pescoço dele e acabar de uma vez por todas com o infeliz, mas se conteve, precisava escutar tudo...estava cada vez mais interessante.



-Olha Draco não estou brincando, ela vai me pagar.



-Desencana menina, eu não gosto de você porque eu não gosto de você, não é porque eu gosto de alguém. Agora me dá licença que eu estou de mau-humor e você me irritando _ele virou as costas pegou a mala e começou a caminhar na direção onde Hermione estava.



Essa imediatamente, começou a ler a revista e disfarçou. Logo o sonserino chegou caminhando calmamente como se nada tivesse acontecido, não puxou papo, nem sequer dirigiu uma palavra a Hermione, que parecia centrada totalmente no que lia, atrás da revista ela estava ali, mordendo o lábio inferior, com uma tremenda vontade de rasgar a droga da revista, e partir pra cima do Malfoy. “Sou uma dama, sou uma dama, eu preciso controlar os meus impulsos, eu preciso controlar o meu sistema nervoso, meu coração ta batendo a 120 por minuto...lá lá ri lálá....”



Ela cantarolava por dentro tentando se acalmar, mas uma voz disse alguma coisa, que fez sua respiração parar...



-Granger, não que isso me importe mas...Você é tão nerd que lê revistas de cabeça pra baixo agora?



Foi nesse momento que ela olhou para a revista que tava na sua frente e constatou que estava de cabeça para baixo... O que dizer nesta hora? É claro que ele percebeu que havia algo de errado, que provavelmete ela não estava bem.



“O que que eu to fazendo? Ótimo Hermione, agora que que você vai dizer pra esse mala, porque você vai ter que dizer alguma coisa, tentar inutilmente reparar o mico. E na 1ª opção temos: a verdade, que poderia ser ‘Olha Malfoy eu estou com essa revista de cabeça para baixo, porque eu tava escutando a tua conversinha com a Pansy-Cheira-Gambá Parkinson, e confesso fiquei muito satisfeita ao saber que estou jurada de morte por ela, e que ela sente ciúmes de mim, pois acha que eu e você estamos tendo um caso’. E na 2ª opção temos: uma quase verdade que poderia ser ‘Olha Malfoy, eu não lhe devo explicações, a revista está assim porque peguei ela quando caiu, porque você me deu um tremendo susto a hora que chegou, e claro que isso é de se esperar com essa sua cara ridícula’. E, na 3ª opção temos: a mentira que poderia ser: ‘Veja bem, eu estava aqui tranquilamente treinando a minha leitura de cabeça pra baixo quando você chegou, me atrapalhou, e ainda vem me dizer que a minha revista está virada... mas claro que isso eu já sabia, porque fui EU QUEM A COLOCOU ASSIIIIIIIMMMM!!!!!E agora vê se me dá licença que eu ainda não acabei de ler a matéria sobre os gnomos pernetas da Malásia!!!!’. Isso tudo é muito confuso, nenhuma dessas se encaixa no contexto, o que eu vou dizer pra essa mala? Bem, eu sempre fui ótima em improvisos...”



-Obrigada, eu não tinha percebido...



Ela desvirou a revista e deu uma breve olhada pra Malfoy que agora escorava o pé sobre a mala.



“Alguém poderia me informar por gentileza o que eu acabei de fazer? Sim, sim, Hermione você acabou de falar a maior besteira da face da terra...Sim, você acaba de fazer a maior cagada (agora eu já me conformei...eu uso esses palavrões...) do século...Você admitiu que estava com a revista de cabeça para baixo...você deixou ele pisar em você...e o que você fez? Você falou palavras suaves e delicadas, e ainda agradeceu o infeliz por te fazer passar de idiota!!! Quando Malfoy disse que você estava com problemas eu acho que ele apenas constatou o seu estado de neurose aguda...é preocupante, muito preocupante...”



Os dois ficaram ali por mais ou menos 15 minutos, nenhuma palavra de nenhum dos lados. Hermione fazia caretas atrás da revista, e seu rosto estava vermelho. Alguns passos foram ouvidos, Hermione respirou fundo, se sentia aliviada, provavelmente era Dumbledore.



-Senhores...estão prontos? Iremos partir daqui a 5 minutos, peguem suas malas e se dirijam para a porta..._disse Dumbledore com a mesma suavidade na voz de sempre.



Ambos pegaram as malas, e finalmente Hermione tirou a revista da frente dos olhos, percebendo várias gotículas de suor nas mãos. Assim, guardou a revista, e saiu rapidamente dali.



Nesse momento viu se aproximar correndo, Harry, Rony e Gina que a abraçaram em conjunto, ela adorava aqueles momentos.



-Mione, viemos nos despedir de você...



-Vê se se cuida, e se o Malfoy fizer alguma coisa a você...qualquer coisa...eu e o Rony acabamos com aquele idiota...



-Calma garotos, pode deixar que nada vai acontecer...



-Mas Mione...



-Sem nada de mas, eu sei que vocês me amam, e que vão me cuidar sempre de onde estiverem, mas pode deixar que eu vou me virar e vai dar tudo certo.



-Mione, vê se me manda notícias...se você esquecer de mim te transformo em um sapo com bolinhas amarelas quando você voltar_sorriu Gina..._olha, você esqueceu isso...Gina entregou, uma pequena maleta a Hermione.



-Mas isso não é meu Gin.....



-É sim Mione, você vai levar isso..._Gina colocou na mão dela, e ela segurou mas olhou para a amiga sem entender. Gina piscou para ela, e ela entendeu que não poderia falar nada ali, pelo menos não na frente dos garotos. O que quer que tivesse dentro daquela maleta era extremamente confidencial.



-AAA...aham...eu havia me esquecido..._disse Hermione piscando de volta.



-Perfeito, então... Meninos ela precisa ir, e vocês tem uma agradável aula com o Snape.



-Mione não quer me levar junto com você dentro da tua mala?_dizia Rony..



-Se eu pudesse eu levava todos vocês.... hehehe...



-Vamos sentir sua falta..._disse Harry choroso abraçando ela mais uma vez.



-Eu sei, eu também vou sentir falta de todos vocês..._terminou ela com os olhos marejados..._agora eu preciso ir.



Ela se distanciou deles, saindo pela porta, mas antes deu uma breve olhada para a escola. Ainda não era a despedida final que teria que dar dali alguns dias, mas era como se fosse. Era mais um agravante, para piorar o seu humor naquela manhã: o fato de saber que estava no 7º ano e que logo iria se despedir definitivamente de Hogwarts.



Draco já estava do lado de fora, acompanhado do Diretor, Ninphadora e Lupin, o que surpreeendeu muito Hermione.



-Oi Tonks _disse ela abraçando-a.



Draco só fazia aquela cara crônica de desprezo.



-Olá Hermione, quanto tempo..._sorriu para ela feliz.



-O que está fazendo aqui?



-Eu e o professor Remo, vamos levar vocês até o local do campeonato.



-Acho melhor vocês irem, se não chegarão atrasados..._dizia Dumbledore.



-É melhor mesmo Ninphadora, temos coisas importantes a resolver hoje..._olhou Lupin de esguelha para ela, que corou imediatamente, e quase soltou um risinho malicioso.



-Sim sim, temos coisas importantíssimas a resolver...vamos...



-Boa sorte, nos comunicaremos em breve..._disse Dumbledore rapidamente.



-Adeus Professor Dumbledore..._disse Tonks apertando a mão do diretor.



-Até logo, Alvo..._ disse Lupin fazendo o mesmo e esboçando um sorriso.



-Bom garotos chegou a hora de vocês partirem, vocês irão para o hotel onde o profº Lupin e a srt. Tonks, ajudarão os senhores a se instalarem. Bom como não tiveram tempo para treinarem para a competição juntos, terão 3 dias para bolar uma estratégia.



“Estratégia? A única coisa que vou bolar é uma tortura dolorosa pra esse sonserino...!!!”



Draco apenas fez uma cara de desgosto.



-Perfeito_ disse Malfoy irônico.



-O que disse Sr. Malfoy?



-Perfeito professor, que bom que vamos ter tempo... _ concertou rapidamente sua frase.



-Pensei ter ouvido um tom de ironia na sua colocação..._disse Dumbledore sorrindo mais uma vez..._Bem de qualquer forma, conto com os dois, tenho certeza de que trarão ótimos resultados para a nossa escola.Boa sorte.



-Vamos precisar..._replicou mal humorado mais uma vez...



-Sr. Malfoy...



-Nada, nada professor_ disse novamente, tentando ignorar o diretor.



-Foi o que pensei...Adeus.



Foi aí que os 4 apartaram até a estação de trem.



Chegando, entraram no trem e Ninphadora muito empolgada conversava com, Lupin que respondia no mesmo tom animado a ela.



Hermione e Draco ficaram para trás, Hermione caminhava rápido tentando se distanciar de Draco, sentir a presença dele era sempre uma trauma. Ele percebeu o distanciamento e foi atrás dela, puxando seu braço.



-Se pensa que isso vai ficar assim Granger, pode esquecer.



-Você pediu para estar aqui Malfoy...a culpa não é só minha.



-Não é só sua? É claro que é só sua...você quem deu aquele escândalo sem sentido. Pode esquecer que essa vai ser uma viagem feliz.



-Crianças, achamos um vagão aqui..._gritava Tonks animada.



-Bla, Bla, Bla...Vamos ver quem vai ser o terror de quem...agora me dá licença que eu não estou com paciência pra te agüentar.



Ela puxou o braço deu um sorrisinho, e saiu. O sangue de Draco queimava, mas foi caminhando atrás dela, sem parar.



A viagem seguiu. Lupin lia um jornal, enquanto Tonks, permanecia alguns segundos em silêncio, de vez em quando falava, alguma coisa sobre pegar alguns comensais. Hermione sentada olhava para a janela e pensava.



“Quer capturar comensais Ninpha? Que tal começar aqui pelo vagão...hehehe...vai pegar um que tem capacidade no futuro de substituir Voldemort...e  com louvor....hehehe!!!”



Na outra janela estava Draco, olhando para a paisagem, mas seu rosto era totalmente inexpressivo e fechado.



Lupin, baixou um pouco o jornal e piscou para Tonks que entendeu a mensagem, e logo chamou Hermione...



-Hermione, quer ir comigo comprar algo para comermos?



A garota permanecia ali, concentrada.



-Mione....você está me ouvindo?



-Oi...o que você disse?



-Eu perguntei se quer ir comigo com....



-Vamos..._falou levantando antes que ela terminasse...



-Quer alguma coisa em especial Remo?



-Não, não, confio no seu bom gosto..._ piscou para ela.



Ninphadora ficou vermelha, mas logo saiu do vagão junto com Hermione.



-Pode me contar o que está acontecendo?_ disse Tonks preocupada.



Hermione baixou a cabeça, mas levantou imediatamente.



-O que exatamente você sabe?



-Sei que estamos levando vocês para uma competição, e pelo jeito você e o gatinho malvado brigaram...porque não estão se falando.



-Então você não sabe de nada...._riu Hermione tristemente...



-Você vai me contar ... ou vou ter que arrancar de você?_Terminou Ninphadora, sorrindo de canto...



-Bem, senta...porque é uma longa história...



Depois de tudo esclarecido, as perguntas que Hermione temia vieram.



-E você beijou aquele gatinho?



-Primeiro aquilo não é gatinho nem aqui nem na lua, segundo não foi um beijo , foi praticamente como desentupir uma fossa com a boca, a mesma sensação. Aliás, a mesma não porque a fossa é bem mais educada!



-De qualquer modo Hermione, gostando ou não dele, aturando ou não aquele gato, a competição é séria, e é uma oportunidade única...



-Porque essa  droga de competição é tão importante?



-A dupla que ganha essa competição, tem emprego garantido, no Ministério da Magia...Se você não sabe, muita gente influente hoje venceu nessa competição, ou ficou entre os primeiros colocados... Só os melhores conseguem. Além disso, dentre as premiações está  uma viagem  para qualquer parte do mundo, com tudo pago. Não é tentador?



-Tentador? Isso é muito tentador...só tem um coisa que eu não entendo... porque Dumbledore mandou justamente nós dois? Ele poderia ter nos punido de tantas formas diferentes, mas não.



-Olha, Dumbledore é muito sábio. Tenho certeza de que ele mandou vocês é porque sabe que são competentes. Não acho que se trata só de um castigo, acho que tem muito mais do que isso.



-Sabe que estou começando a ter dúvidas sobre  a sanidade de Dumbledore..._riu Hermione tentando achar alguma coisa engraçado na sua própria colocação.



Tonks maneou a cabeça reprovando a garota, mas riu em seguida.



-Além do mais, eu não disse que essa competição é algo fácil. Muitos alunos de Hogwarts, foram, mas nenhuma dupla foi campeã.



- Claro, foi por isso que ele nos mandou, porque sabia que íamos perder como todas as outras equipes...._falou com ironia..._ e isso já é uma punição!



-Pode ser que sim...mas aí é que está a chance de vocês provarem que podem. Queira ou não, você e o Malfoy são ótimos alunos, dominam a magia muito bem, são inteligentes, e muito corajosos.



-O Malfoy? Corajoso? O Harry é muito mais macho que ele.



-Pode até ser, mas mais falso não é mesmo...



-E de que a falsidade adiantaria?



-Para vencer essa competição, não basta ser apenas corajoso, você tem que ter lábia, saber jogar como mestre. Isso é coisa de que o Harry não entende, é puro demais. Essa competição garante um emprego de uma certa importância no ministério, você sabe que o ministério não é um lugar pra gente muito digamos, não é um lugar para alguém como o Harry...



-Você está me assustando Tonks...



-Não se assuste Mi...só estou tentando fazer você entender porque você e o Malfoy formam uma boa equipe, e tem muitas chances de chegar a uma ótima colocação. Além do mais... não vai ser sacrifício nenhum ficar do lado de um gatinho desse por alguns dias vai?



-TONKSSSS....!!!!!!!!!!!!!!!_falou nervosa...



-Já parei, já parei.... _ ela riu se divertindo da situação_ ...agora vamos comprar alguma coisa e voltar pro nosso vagão, pois tem dois gatinhos nos esperando...._disse a garota olhando para Hermione.



-AAAA...Não vai me dizer que está rolando alguma coisa entre você e...



-Por enquanto é segredo....eheheheh _riu Tonks adorando o comentário de Hermione...



As duas voltaram para o vagão conversando, e com os braços cheios de guloseimas, sentaram e logo o clima pesou novamente, a garota passou um olhada, pelo vagão de forma rápida e eficiente, conseguiu ver Draco, ainda olhando para a janela, do mesmo modo que estava quando elas deixaram o lugar, Lupin ainda lia o jornal.



-Trouxeram alguma coisa para mim?_perguntou Remo , tirando finalmente os olhos do jornal.



-Sim, se quiser, esses azuis estão uma delícia_ antecipou Tonks, sentando do lado do professor.



Chegaram depois de alguns minutos, já podiam sentir o trem parando na estação.



-Finalmente chegamos, peguem suas malas_disse Lupin, aliviado.



Os quatro desceram do trem e começaram a caminhar. Tonks conversava animada com Lupin, parecia que ela é quem fazia parte da equipe. Andaram por algumas quadras, e logo chegaram ao Hotel dos competidores.



O local era muito bonito, tudo muito colonial, parecia mais um vilarejo do século 18. Tratava-se de um grande casarão todo amarelo com as aberturas brancas, dotado de uma delicadeza, e tranqüilidade rancheira. Uma faixa, logo acima da entrada que dizia em letras garrafais: BEM VINDAS EQUIPES DO VIII CAMPEONATO DE WHITEVILLE...



Logo a baixo vinha a placa pintada nas mesmas cores do casarão estampado o nome do lugar: CANTO DA FÊNIX.



Os qautro olharam para o hotel, examinando rapidamente o conjunto da obra.



-Viu que lugar adorável?_disse Tonks para todos.



-Muito bonito_ concordou professor Lupin, adentrando e chamando os outros dois...



Entraram pela porta seguiram no hall, mas a tranqüilidade de fora não tinha nada a ver com o que acontecia dentro do lugar.



Uma saleta perto da entrada estava cheia de adolescentes, empolgados, eufóricos, conversando animados, rindo, gritando, se cumprimentando. Mais a frente havia uma bancada que não parecia com uma recepção, a não ser a placa que indicava que ali era realmente uma recepção.



-Fiquem aqui eu e Lupin vamos até ali buscar as coisas de vocês....._disse Tonks puxando Lupin até o a bancada que estava sendo disputada por vários professores também muito eufóricos.



Draco e Hermione, ficaram ali relativamente perto um do outro, com as caras amarradas, apenas observando o que estava acontecendo ali. Várias garotas e garotos, animados e aparentemente felizes, o que era totalmente ao contrário dos dois...



Draco com aquele ar de superioridade fajuta, tentava ignorar a todos. Sentou-se em uma poltrona e colocou sua mala perto, pegou uma revista e começou a folhear, já Hermione se irritava com aquele tipo de atitude, que expressava extremo desprezo e ignorância.



Não se conformava de maneira nenhuma com a ideia de estar ali com ele, enquanto poderia estar ali com Harry ou com Rony, rindo e se divertindo como todas as outras pessoas da sala, ou mesmo estar na escola aproveitando seus últimos dias de aula, junto com seus amigos. Começava até a sentir uma certa falta das aulas dos Snape... (É ela estava desesperada mesmo!)



Hermione passou os olhos pela sala, mas os pousou por alguns segundos sobre Draco, e foi surpreendida no mesmo momento por um olhar cinzento dele que acabava de desviar da revista.



-O que está olhando? Eu sei que eu sou lindo mas, não me olha muito não se não vai pegar muito mal pra mim por aqui._ falou em tom sarcástico.



-Sabia que até o ridículo atrai olhares? Esquece esse negócio de bonito, isso é só nos seus sonhos. Sorte nossa que essa competição não tem nada a ver com beleza, porque nesse caso tiraríamos o último lugar e é claro por culpa sua...._terminou Hermione, se saindo da pergunta, e imediatamente levantando, a fim de tomar um ar do lado de fora, porém, percebeu que Lupin e Tonks já voltavam, suados, descabelados mas com um sorriso vitorioso nos lábios.



-Com....con...conseguimos, a ...cha..chave do quarto de vocês..._disse Ninphadora ofegante...



-As chaves né? Foi isso que quis dizer_disse Hermione tranqüilamente..



-Não, não, é uma chave só, uma chave pra cada dupla. Ou seja, um quarto pra cada dupla.._finalizou Lupin sentando na cadeira e limpando o suor das têmporas com um lenço.



-O quê?_disseram os dois em coro, Draco que até agora não participou de nenhuma conversa coletiva, agora já estava em pé, e atordoado.



-É claro que tem duas chaves, tem que ter, vocês não estão entendendo, eu não posso dividir, um vagão com ele, quanto mais um quarto..._bradou indignada, implorando para tudo aquilo não ser verdade.



-É a primeira vez que eu concordo com a Granger. Eu não vou dividir um quarto com ela e...



-Calma garotos, vocês vão se acostumar _ disse Lupin calmamente.



”Se acostumar? Bom consolo né? Nossa eu posso me acostumar com uma cama cheia de espinhos, ou com agulhas em baixo das unhas. Mas me acostumar com tudo isso, aí já é pedir demais!!!!”_ pensou Hermione nervosa.



-Qualquer dúvida que tiverem, consultem a recepcionista a Srta. Meredith. Aqui está o programa de vocês dos três dias antecedentes ao campeonato. Bem acho que é isso, eu e o professor Lupin estamos atrasados, sei que ficarão bem_nesse momento Ninphadora foi até Hermione e a abraçou..._Boa sorte, e se quer um conselho, relaxe e curta esse momento.



-Espero que tragam bons resultados_ disse Lupin abrindo um sorriso, e cumprimentando Draco que fazia cara de nojo.



-Boa Sorte para os dois, adeus_ saíram os dois apressados, lado a lado.



Hermione tinha a chave na ponta dos dedos, a apertou como se a pobre peça de metal tivesse culpa daquilo. O ódio fervia novamente, mas estava muito exausta para por tudo pra fora. Agora eles estavam sozinhos, ele era a única referência de Hogwarts num raio de 500Km.



-O que está esperando Granger, quero ir para o meu quarto logo, se você não percebeu você é que está com a chave dele.



-Nossa, sabe que eu nem percebi? Se não fosse você pra me avisar o que essa pecinha de metal estava fazendo na minha mão, não sei o que seria de mim.Vê se para de encher Malfoy, ainda são muitos dias pra te agüentar.



Os dois subiram as escadas carregando as malas. O casarão tinha 3 andares, na chave dizia dormitório 12, caminharam por um longo corredor no primeiro andar, mas obviamente o quarto não era ali, demorou até que constatassem que teriam que subir mais um lance de escadas.



-Se não fosse por mim estaríamos dando voltas no andar de baixo, sorte que aqui tem alguém que pensa...



-Se você calasse um pouco a sua boca, quem sabe sobraria tempo para que eu pudesse falar. Aliás ao invés de reclamar, abre logo essa porta, que eu não agüento mais essa sua voz enjoativa.



-É o que eu to fazendo, não está vendo?



Na porta estava uma placa com o nome da equipe: AUDÁCIOS, e logo a baixo o número do quarto.



Ao abrir a porta os dois se depararam com um quarto com duas camas iguais uma encostada em cada parede, divididas por um criado mudo, e uma janela que pegava o fundo da parede, ao lado da cama direita havia uma porta, ali estava o banheiro e na frente das duas camas um closet, parecia ser um ambiente super agradável, se não fosse pela presença colérica um do outro.



-Ótimo, eu durmo na cama direita_ disse Hermione.



-Quem disse_ Draco parou de puxar a mala, e riu..



-Eu disse...



-Mas e se eu quiser dormir na cama direita...? Que eu saiba o quarto não é só seu...



-Bem, mas eu disse primeiro _finalizou colocando a mala sobre a cama...



Malfoy não protestou, abriu o closet,e falou ironicamente...



-Essa lado aqui é meu...



-Ei isso não é justo!!!_ disse Hermione indignada.



-Porque não? A lei no quarto não é essa? Quem fala primeiro escolhe o que quer? Então, eu só estou pondo em prática o tratado que você mesma assinou..._ria e falava com ela tirando o cabelo da frente dos olhos.



-Mas nesse caso é injusto, porque eu carrego muito mais coisas que você, eu preciso de mais espaço..._começou a se irritar.



-Mas o problema é que as minhas roupas são finas e sensíveis, e precisam de muito mais espaço que esses seus trapos.



-E onde é que eu vou colocar todas as minhas coisas_ urrava a garota cerrando os punhos, com a feição mudando de meiga para assassina a cada segundo...



-Se vira....joga em baixo da cama, ou melhor....joga pela janela..._ria cinicamente tranqüilo, enquanto ela praticamente tinha um ataque nervoso.



-AHHHHHHHHHHHHHHH.............. Seu idiota, vou te matar...



Hermione batia nele e ele tentava se desvencilhar, dos tapas...



-Vai começar tudo de novo Granger?



TOC TOC...uma batida na porta, e de imediato alguém abriu a porta.



-Olá...tudo bem com vocês?_disse a garota, olhando assustada para os dois que pareciam estar travando uma luta  livre.



-Olá..._disse Hermione disfarçando e soltando o colarinho dele e desamarrotando as roupas do garoto, esboçando um sorriso falso..._eu só estava...



-Ela estava me mostrando uns golpes...._agora Draco deu um tapa forte nas costas de Hermione.



-AHHH é claro...eu tava mostrando uns golpes pra ele..._Hermione devolveu o tapa, com mais intesidade com que recebeu...



-Hum...bom...hehehe...eu sou Núbia, sou vizinha de vocês!!!_a menina era bonita, cabelos loiros lisos, olhos azuis, um corpo até mais ou menos na opinião de Hermione, mas aparentemente muito metida.._estou hospedada no 11, eu e o meu parceiro Gregory. Vocês são da onde mesmo?



-Nós viemos da escola de Hogwarts, conhece?



-Não_ disse estupidamente para ela, mas trocando olhares com Draco, e esse correspondia...



-Não... nunca ouvi falar. Nós viemos de uma escola bem superior a essas que tem por aqui , a nossa escola é dos EUA, mas vocês não devem conhecer_ disse esnobemente, mexndo no cabelo..._bom, acho que a nossa conversa vai ter que ficar para depois, preciso ficar bem bonita para o jantar de hoje a noite..,a gente se fala ...como é mesmo o seu nome garoto?



-Malfoy....Draco Malfoy...ao seu dispor_ disse ele beijando a mão dela.



-A noite vou estar no jantar é claro...você vai não é?



-Se você estiver...é claro que vou.



“Náuseas, náuseas....essa garota é um nojo...se alguém não tirar essazinha daqui, eu vou estragar esse lindo carpe, estou passando mal... Merlin, socorro, o Malfoy é irritante, mas ele perde pra ela... é sério, essa ceninha que eles estão fazendo está me provocando uma ância de vômito...”



-Nossa que cavalheiro, muito simpático você _ disse Núbia sorrindo, e fitando os olhos dele.



“O Malfoy.... simpático? O cérebro dessa garota derreteu...”



Saiu do quarto rebolando, fazendo Draco olhar para ela.



-Acho que vou acabar gostando daqui..._ disse Draco malicioso.



-Perfeito Malfoy, já achou uma garota daquele tipo que você curte: mal educada igualzinha a você..._disse indo para o closet organizar as coisas.



-Granger, você está com inveja, mas como eu sou muito bom, vou te dar um conselho: tenta ser um pouquinho parecida com ela, que daqui há uns 20 anos você consegue virar uma garota..._debochou ele mais uma vez..



Hermione, não sabia o que falar, se virou para o closet e entro nele com a sua grande mala, para desfazer. As palavras dele doíam agora, e por mais que tentasse esquecer as provocações que ele fazia a incomodavam seriamente, não apenas a irritavam, mas faziam com que pensasse nos seus reais defeitos, naquilo que as vezes ela não notava em si mesma... Aquilo mexia com ela ao ponto de não saber mais se era verdade ou não.



Não era uma menina chorosa, não queria ser, muito menos uma garota fresca e romântica... Ela tinha convivido demais com Rony e com Harry, talvez por isso aprendeu a ser mais dura e menos delicada. De fato dividia problemas de meninos no dia a dia, e apesar da amizade de Gina, era com seus dois amigos homens que ela tinha mais contato.



“É claro que eu sou uma garota, só não sou uma oferecida como essa menina. E ele acha que ser garota é isso? Bom então ele tem razão mesmo ...eu não sou uma menina!!!”



Enquanto filosofava mentalmente, olhou novamente para o pequeno espaço no closet, e olhou para a mala. Uma mala enorme cheia de coisas que certamente não caberiam naquele espacinho minúsculo.



“Bem, se concentre Hermione não perca a calma querida, ele quer que você se descontrole, mas não é isso que você vai fazer, você vai organizar tudinho e depois vai arrumar um jeito de se vingar dele ...”



Abriu a mala e retirou, um pequeno aparelho de walk  man, colocou as pilhas que havia trazido e ligou os plugues em duas caixinhas de som, e pos ali dentro do closet...



Ela só conseguia relaxar com músicas, escolheu o seu CD favorito, algo para esquecer de pensar naquilo ...que atormentava sua cabeça...



 



Depois que saiu percebeu que Malfoy não estava mais ali, mas sim no banho. O vapor saia pelas frestas, a água devia estar muito quente. Constatou que foi bem não ter dado de cara com ele. Pegou a maleta que Gina tinha dado para ela, e foi se encaminhando para o closet, mas enquanto se distraía com a música, seus olhos pousaram sobre a cama de Draco. Sim, ali estava ela, entre aberta, ali sobre o colchão...toda verde escura com muitos bolsos...



A mala do Draco... (não, não era o Draco... apesar de que ele é uma mala. Nesse momento, não se tratava do nosso antagonista...).



Ela estava ali, parada, semi aberta....e sabia telepatia!!!



SIM, essa mala fazia aulas de oclumência, porque sem mais nem menos ela parecia se comunicar com Hermione.



MALA: “Olá Hermione, meu nome é Lisa, eu sou a mala de Draco Malfoy muito prazer!”



HERMIONE: “Como você sabe meu nome? (eu estou falando com uma mala...mas e daí? Quem disse que ela não pode falar?)”



MALA: “É claro que eu sei...Precisamos conversar, você precisa me ajudar... eu estou com uma baita coceira, no meu lado esquerdo.... Não sei o que é que está me incomodando...você poderia me ajudar?”



HERMIONE: “Coceira? Como eu poderia te ajudar? (eu não estou surtando, eu apenas estou sendo prestativa oras...a mala precisa de mim...!)



MALA: “É fácil...é só abrir aqui do lado e tirar dali o que está me provocando essa terrível coceira...Por favor linda moça ...eu sei que você está morrendo de vontade de saber o que eu guardo em minhas entranhas...”



“Além de conversar, a mala está me induzindo a fazer coisas proibidas! Eu não posso fazer isso! Não posso e não quero mexer nas malditas coisas dele!!!!! E você mala feche essa boca que eu estou ficando nervosa, e daqui a pouco eu vou jogar você pela janela...e isso não é apenas uma ameaça...”



-Com quem está falando Granger?_bradou Draco de dentro do banho que parecia escutar a discussão. Envolta em seus pensamentos e na sua curiosidade, mais do que na hora, gritou com ele, usando o tom de voz que agora era habitual em suas conversas, especialmente com Draco.



-NÃO É DA SUA CONTAAAAA!!!!



HERMIONE: “Dona Mala, se você acha que eu vou levar a sério as suas provocações, você está redondamente enganada. Eu estou sempre sob controle (que mentira..!) não vai ser por conta da sua coceira que eu vou fazer a besteira de mexer nas coisas imundas do Malfoy...”



MALA: “É uma pena Srta. Hermione, porque há muitas coisinhas legais aqui dentro...”



HERMIONE: “Você não entende _ disse agora em um tom inconformado_ eu não posso mexer nas coisas dele...”



MALA: “Mas é só uma mexidinha, ele não vai descobrir. Além do mais, ele vai demorar bastante, ele está no banho agora....vamos...só uma mexidinha...”



HERMIONE: “Só uma mexidinha?.....mas eu.....”



“Vamos, devem ter coisas muito legais, aqui...você nem imagina....” (É isso mesmo que está acontecendo? Eu estou praticamente caindo na lábia de uma mala barata, que pratica oclumência e provavelmente deve ter pensamentos malignos? Ela está me induzindo a mexer nas coisas daquele imprestável, está tentando me persuadir?)



HERMIONE: “EU NÃO VOU FAZER ISSO, sabe porque? Nem você e nem aquele loiro estúpido mandam em mim! Eu estou bem, definitivamente você não está colocando pensamentos na minha cabeça! Você é só uma mala idiota, que pertence a alguém muito mais idiota que embora tente não vai conseguir me tirar do sério, que não vai conseguir me fazer perder a cabeça, que não vai conseguir arrasar com os meus dias aqui! Eu não vou mexer em nada dessa mala, porque nada dele me interessa. Não importa o que tenha aí dentro, certamente é algo do mal, de comensais, de Voldemort, e que não me diz respeito. Ele não me diz respeito. É isso eu tenho que ficar aqui e aturá-lo mais alguns dias, e depois é a formatura, eu vou sair de Hogwarts vou conseguir um trabalho incrível com as minhas habilidades, e nunca mais vou precisar olhar para a cara dele! Eu me chamo Hermione Granger, eu sou uma bruxa muito boa, eu sou sim!



Nessa hora, Hermione estava parada a um metro de distância da suposta mala falante, pensante e com personalidade, enquanto Draco abria a porta do banheiro fazendo o vapor sair e tomar o quarto. De fato, ele parecia um deus reluzindo em meio a nuvens, musculoso, forte, loiro, e com o seu corpo perfeito envolto em apenas uma toalha branca na cintura.



Ele chegou a tempo de ver a discussão que Hermione travava com “não se sabe quem”. Embora ela estivesse olhando para sua mala, era impossível saber o porque daquele monólogo. A princípio ele ficou assustado, mas achou divertido, pois ela era divertida, engraçada em meio a tantas teorias e convicções. Um jeito sério e ao mesmo tempo hilário de lidar com as coisas.



-Está tendo uma crise de dupla personalidade?_disse o Mister Mundo Bruxo, secando os cabelos com outra toalha.



-Vê se me deixa em paz eu e a ...._ela não podia falar que estava desfrutando de um papo cabeça com a mala dele, porque isso é totalmente irracional. É certo que aquilo não era racional em nenhum nível, mas ele não podia perceber a que grau de loucura ela se encontrava _ eu e a minha dupla personalidade. E já vou logo avisando que ela não é tão boazinha como eu!



-Você a cada minuto me surpreende Granger _disse ele abrindo a própria mala, e ela não tirava os olhos dali, estava hipnotizada, pensava na conversa que teve com a mala, mas que por óbviu era o seu próprio inconciente lhe pregando peças..._quando eu penso que você não é tão louca, você me aparece com uma nova e me faz ter certeza de que você tem problemas.



-É claro que eu estava brincando seu idiota, e é que claro que você não é tão inteligente para saber que há diferença entre brincar de falar sério.



Ela foi até o closet e pegou as coisas que precisava para também tomar banho.



-Granger você sabe que infelizmente temos que ir juntos a esse jantar de abertura não sabe?_disse arrumando as vestes em cima da cama.



-É claro que eu sei. Já estou me preparando psicologicamente para não vomitar a comida, por estar na sua presença._bradou Hermione, indo para o banheiro e batendo a porta forte.



Hermione fechou a porta e fitou seu rosto no espelho, olhou fundo em seus próprios olhos “um jantar com o Malfoy, isso é só o começo da tortura”.



Ela não queria que fosse uma noite terrível, mas inevitavelmente seria, com ele sempre é... as coisas sempre conseguem ficar péssimas ao lado dele.



Havia uma música tocando do lado de fora do quarto. Ela reparou que se tratava de uma das suas músicas preferidas, então não se deu ao trabalho de gritar novamente com ele. Aquele som agradável, fez com que ficasse um pouco menos irritada, e decidida a tomar agradavelmente o seu banho, relaxante e quentinho...



TOC TOC TOC...



-Granger, só pra avisar, acho que acabou a água quente..._ gritou Malfoy para ela.



Depois que Hermione entrara em baixo do chuveiro, é que as palavras dele chegaram ao seus ouvidos... estava gelada, seu corpo entrara em contato com aquele líquido de temperatura antártica, fazendo tremer de cima em baixo.



-AAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!! Eu não acredito!_você me paga Malfoy....



-Aiii....essa água está geladdaaaaaa......BRRRRR......O que você fez com a água quente Malfoy?



Hermione tomou o banho rápido, lavou os cabelos, e saiu do banheiro tremendo...Mirou o quarto mas ele não estava mais lá.



“Ele tem sorte de não estar aqui...” Se dirigiu até a porta e a trancou para que não houvesse a chance dele entrar.



Aparentemente, ele tinha guardado todas as suas coisas nos lugares porque a terrível mala não estava mais lá.



Abriu o closet, e pegou um vestido rosa claro, que estava no pequeno cubículo, tinha medo que quando tirasse alguma peça, despencasse todo o resto.



As suas coisas estavam compactas, um movimento mal calculado e ocorreria um avalanche.



Estava sem ânimo. Olhou para ao relógio, faltavam ainda faltavam várias horas para o jantar, daria tempo de se arrumar e sobraria ainda muitos minutos livres.



Então decidiu ter calma para ficar pronta, vestiu uma meia fina, e logo colocou o vestido que não era sofisticado, ou deslumbrante, mas ela se sentia bem nele. Aparentava uma certa discreção e fineza, nada de muito chamativo. Lembrava muito o estilo anos 50, com a cintura bem marcada e com um corte godê. Ao contrário do que Malfoy poderia dizer, ela estava parecida com uma dama. Escolheu bem um par de sapatos de bico redondo, em um tom claro. Decidiu que precisava de uma maquiagem leve, então caprichou nos detalhes. Finalizou o cabelo em um coque alto. Destrancou a porta do quarto, para o caso de Draco querer entrar.



-Ótimo, ao menos já acabei com isso...aaaa tchim.......eu não acredit...tchim..... por culpa dele eu acabei de pegar um resfriado. Era só o que faltava....porque Merlim....tudo tem que acontecer comigo, acho que a lei daquele tal de Murphy foi feita especialmente pra mim. Tenho a impressão de que tudo está conspirando contra mim. Eu sou só uma adolescente tentando passar pela adolescência da forma mais suave possível!!! O que eu fiz de tão errado, pra merecer isso?....aaaaa tchim...



Sentada na cama ela esperneava, entre os muitos ataques histéricos costumeiros. A música de Draco ainda estava no quarto, mas não se tocara disso, pois era tudo que ela mais gostava de ouvir. Estranhamente ele tinha um gosto musical compatível, mas ela jamais admitiria, e quando ele chegasse no quarto, bem... ela reclamaria.



Mas aos poucos, depois do banho, de estar pronta e por ainda faltar muito tempo para o jantar, acabou por deitar na cama, e em meio a exaustão física e mental dormiu.



 



*                                 *                                             *                                             *         



Draco ria cínico, saiu do quarto ainda ouvindo os gritos da garota. Ria, mas não era um riso feliz. Ele queria que fosse, mas não era, e porque não podia estar feliz? Ela estava berrando de raiva, e ele estava conseguindo transformar a vida dela em um inferno. Mas porque não se sentia alegre?



“Viu Granger, com quem você mexeu? Vai ser assim de agora em diante: você me odeia? Ótimo, porque eu também te odeio, você apronta comigo? Ótimo, eu também apronto... Eu te odeio, eu te odeio....eu vou te odiar...sempre...”



Caminhava a passos lentos, as mãos nos bolsos, mas a cabeça altiva como sempre. Passou pela porta do quarto 11, o quarto de Núbia. Ela era uma garota linda. Com certeza desde a primeira vez que a viu gostou dela, quem sabe as coisas não poderiam evoluir, e pensando bem, ele viu isso como uma possibilidade não muito remota.



Desceu as escadas. Alguns jovens passeavam por ali, pelos corredores que lembravam muito a estética de Hogwarts. Naquele momento pensou que não seria tão mal estar ali, apesar de estar inevitavelmente colado em Hermione.



Quem sabe conseguiria conviver com ela em paz... Não, definitivamente não! Ele havia prometido que seria tudo terrível para ela, a filhote de dragão merecia sofrer...ela iria sofrer.



Várias garotas conversavam no andar de baixo, ele as olhou, e fez aquela sua típica expressão de galã de novela mexicana, que, consequentemente fazia as garotas irem ao delírio.



Draco era um típico conquistador barato, fizera muitas garotas caírem aos seus pés e posteriormente serem enxotadas. Ele era bonito e sabia usar dessa beleza, somada a um carisma natural que aperfeiçoava constantemente. Seu jeito de ser era frio e calculista quando se tratava de envolvimento afetivo, talvez tivesse herdado isso de seu pai. O fato era que não pretendia deixar com que seu coração se apaixonasse por alguém. O amor, a seu ver, era para perdedores, pois deixava fraco e vulnerável. Ele era um Malfoy, aquele que tem tudo, é tudo, e não perde o foco por nada ou por ninguém.



Disse um “olá” educado e muito polido para as garotas que davam sorrisinhos e agora cochichavam entre si. Ele sorriu de volta e continuou caminhando, tendo a certeza de que espalhara um pouco mais do seu charme por entre os corredores do hotel.



*                                 *                                 *                                             *



Depois de mapear o local, decidiu que era hora de voltar para o quarto. Já passava das 7 horas, precisava se arrumar, para o jantar, a porta estava fechada, e deu uma boa olhada na na placa que indicava o nome da equipe.



-Audácios, da onde que aquele velho caduca, tirou esse nome infame?



Girou o trinco da porta e entrou, já se preparou para dar de cara com Hermione psicótica conversando sozinha ou mesmo gritando com ele por acabar com a água quente do chuveiro. Mas não, ela estava deitada na cama em um sono profundo, porque mesmo com o barulho que Draco fez ao entrar ela não se moveu. A música tocava baixo, a respiração dela era leve, parecia estar tendo um ótimo sonho. Sua figura frágil, inocente ali, não se assemelhava ao temperamento alterado que Draco sempre tinha o costuma de presenciar. Encantadora! Sua boca entre aberta, suas pálpebras delicadamente cerradas, o rosto delicadamente tranquilo permanecia sobre o travesseiro. O corpo da garota inerte, delicadamente posicionado como um cisne. Ela tinha um ar de princesa, como se fosse uma Bela Adormecida, pronta para ser despertada.



Draco se surpreendeu por não parecer nada com a Hermione de sempre, era outra garota.



A surpresa era boa, mas não boa para Draco, porque todas as vezes que Hermione se aproximasse de uma garota normal, ele temia não poder mais odiá-la como antes. Tudo que ele havia dito sobre ela não ser uma menina, ser estranha ou indelicada, acabava de cair por terra. Não havia argumentos para destruí-la ou ofendê-la, porque nada estava errado ali.



Ela jamais saberia o quanto conseguia despedaçá-lo apenas com a sua presença, sem usar nenhum argumento, nem gritos, nem choros e nem ofensas. Naquele momento ele acabava de perder. O conquistador barato que estava ali perante a figura terna de menina, não estava mais compreendendo as sensações que seu corpo produzia...



 (NOTA DA AUTORA: Musica que estava tocando....A letra dessa musica tem muito a ver, com o momento... The Blower's Daughter _Damien rice )



Ele chegou mais perto de onde ela estava e parou para olhá-la. Era uma Hermione que ele não conhecia, a Hermione sem as expressões de nojo, sem o olhar arrogante. Era a calmaria, a serenidade, era aquela Hermione que ele nunca sonhou conhecer. E embora ele lutasse para desviar o olhar e se concentrar em outras coisas, ele sentia que precisava admirá-la, como se fosse uma obra de arte.



Toda aquela raiva que ele sentia, pareceu se dissipar perto da fragilidade dela. Suas narinas se encheram com o perfume doce, tão doce como ela parecia ser, ali dormindo, embalada pela musica ao fundo.



Draco respirou fundo, pois não pretendia que aquilo acontecesse, estava começando a pensar nela de um jeito improvável, e não eram pensamentos malignos, o que o deixou muito furioso consigo mesmo, por perder o controle.



Entrou dentro do closet e fechou as portas.



-O que que ta acontecendo comigo? Pelo jeito a loucura dela é contagiante, eu não estou bem!! Minha mente está repleta... dela! Isso tudo só pode ser uma estratégia que ela criou para te atormentar. O que você tem na cabeça para achar a Granger angelical? Não você só pode ter merda na cabeça, é,  é isso que você tem uma grande merda dentro dessa cabeça. Entenda de uma vez por todas: a Granger é um monstro, monstros não são bonitos, nem angelicais, nem meigos, nem nada. Monstros são monstros, horríveis, asquerosos, nojentos. E a Granger é um MONSTROOOOO....Ela é feia, nerd, e você odeia ela....odeia ela....Se concentra e vai para o martírio, mas não olha pra ela em hipótese alguma. Faz o seguinte, imagina a medusa deitada naquela cama, se você olhar ela te transforma em pedra. Lembra: A MEDUSA!!! Porque você não consegue parar de pensar nela? E essa maldita música tocando, espera! Fui em quem colocou essa música! Mas ela vai se arrepender por fazer isso comigo, com os meus sentidos, com a minha vida. Ela está acabando com a minha droga de vida, com a minha sensatez, e isso tudo em um dia só... um maldito dia... Eu não vou agüentar...eu vou enlouquecer...”



Bateu o pé no chão e passou a mão nos cabelos... respirou fundo, contou até 10...



Ele saiu mais uma vez do closet agora vestido com uma camisa preta e uma calça social preta, tentou não olhar para ela, mas ela não era a medusa, nem por perto, e havia uma vontade incontrolável de mirá-la. Penteou os cabelos loiros, e passou o perfume mais uma vez... Mas era inevitável, ele a olhou mais uma vez, olhou para aquela boca....que ele havia beijado...e que beijo...!!!



Nervoso e se sentindo rendido por um turbilhão de emoções, Draco não sabia o que fazer.



-Será que eu vou ter que acorda-la? Não! Só o que me falta, eu não vou tocar nela, eu não posso tocar nela...._a barriga esfriou...depois de um giro de 360º...



O relógio acusava ser quase 8 horas...e eles não poderiam se atrasar para o jantar!



“Vou jogar um balde de água nela. É issoooo... péssima idéia... se essa doida resolver trocar a roupa aí definitivamente vamos chegar depois da sobremesa.... O que eu faço o que eu faço!?”



Draco caminhava de um lado para o outro no quarto como se tivesse uma tarefa mortal a fazer, não tinha como adiar....teria que fazer...e os minutos se esgotavam, a cada sapatear com os lindos sapatos caros.



Nesse momento tomou coragem e se aproximou, como quem chega perto de um animal feroz. Estendeu a mão aos poucos, pois não sabia se o seu corpo obedeceria, e direcionou seus dedos para tocar exatamente no braço da garota.



-Gr..Granger....acorda....a gente tem que ir..._disse seco, e desviou o olhar dela...da boca linda macia e rosada....



Não se movia, o sono era realmente profundo.



-Granger...acorde...._Draco estava ficando nervoso... precisava acorda-la o mais rápido possível, mas aquele perfume estava deixando nele um certo desconforto – que no fundo gostou muito.



A beleza dela era como uma chama que incendiava Draco, e sentia que não deveria tocá-la pois iria se queimar, então resolveu apelar para sua voz, e gritar mais alto o nome dela



- GRANGER.....acorde agora_ dizia ele decididamente evitando precisar tocar em seu corpo.



Agora para o alívio dele ela parecia acordar. Se espreguiçou, e ele saiu de perto dela alguns centímetros, não queria que ela tivesse qualquer impressão de que se aproximara tão perigosamente. Para que ela não desconfiasse, fechou a cara, e deixou o mau humor transparecer no rosto.



-Por que você me acordou?_falou Hermione ainda bocejando.



-Bom, nós vamos chegar atrasados, será que você acha isso um motivo aceitável?



-Que horas são?_falou assustada fitando os olhos nos dele...mas falava calmamente



-8:15....



-E eu, preciso terminar de me arrumar_ disse esquecendo que já estava pronta.



-Bom..._disse ele levantando dali de onde estava, e mudando a cara para aquela costumeira, agressiva,e irônica..._não que vai adiantar muito, porque você fica feia de qualquer jeito...



-Olha aqui...voc....aaaaaa tchim!!!!!!!!_mal levantou e espirrou..._viu o que você fez? Agora eu estou resfriada, por culpa sua!!!!



-Tô pouco me lixando para você e para as suas frescuras. Além do mais, você é uma bruxa, porque não esquentou a água do chuveiro?_disse dando os ombros e virando de costas.



Hermione maneou a cabeça, não tinha tempo para discutir. Olhou no espelho e percebeu que já estava arrumada o suficiente.



Embora não quisesse admitir, ele tinha razão sobre o banho, ela era uma bruxa, poderia ter feito um feitiço para esquentar a droga da água. O problema é que Draco sempre a tirava do sério nas piores horas, fazendo com que seu cérebro não funcionasse direito.



Ao entrar no closet sentiu novamente o cheiro de Draco. “Ele passou aquele perfume de novo? Agora ele infestou esse closet, e as minhas roupas com esse cheiro horrível. Se eu digo que esse cheiro é horrível, é pra ele ser horrível e não para grudar no meu nariz e me fazer sentir flutuar. Não é isso que os cheiros de horríveis fazem...”



Draco deitado na cama com os braços atrás da cabeça esperava Hermione.



-Vai demorar muito pra sair daí, ou eu vou ter que te tirar a.... (boca aberta, baba escorrendo no canto da boca, coração acelerado, respiração bloqueada....hehehe) força...!!!



Nesse momento Hermione saiu do closet com toda a sua beleza. Draco não entendia como, mas ela estava incrivelmente bela, não que naquele momento ele admitisse isso. As outras com certeza estariam mais belas que ela, mas nenhuma delas era ELA. Naquele momento ele teve certeza que a Granger de antes tinha sido abduzida e os ETs haviam sido muito generosos, trocando o monstro pela princesa.



-Malfoy....._Falou enquanto pegava um lenço.



Ele não respondeu porque não conseguiu pensar em nada para ofendê-la.



-Malfoy...eu estou falando com você...Hora de ir, vamos?_agora ela estava na frente dele, mas Draco não se mexia.



-Garoto você está surdo? Ou eu to falando japonês?



-Etês?_disse Draco, olhando enigmático para ela, retornando parcialmente do mundo da lua...



-Do que você está falando? Faz mais ou menos 5 minutos que eu estou te chamando e você parece estar hipnotizado, pensando não sei no que... Eu entendo que você é sequelado, mas não deixe que isso atrapalhe a vida das outras pessoas que não tem culpa dessa sua disritmia mental.



-Você demorou muito, eu estava quase dormindo.



-Agora a culpa é minha? Você precisa é urgente  de um psiquiatra....seu desequilibrado.



-Então somos dois... Porque não era eu que até algumas horas estava conversando com objetos inanimados com por exemplo uma mala..._disse dando os ombros e depois, soltando o sorriso arrogante de sempre, deixando-a compre sempre furiosa.



Hermione caminhou para fora do quarto, ficou quieta, pois sabia que se alguém precisava de ajuda de um psicanalista era ela, mas não iria admitir, não para ele...



“Como ele sabia que eu tava conversando com a mala, será que deu pra notar? Ou será que foi a mala que me dedurou? Por Merlin Hermione não viaja! Você não falou com a mala foi apenas uma alucinação da sua cabeça. Mas ele viu, ele viu sim, e agora eu to passando de doida para ele. Quer saber eu não me importo com o que ele pensa, eu me importo? Eu não sou doida! Eu confesso que às vezes a minha razão está quase se mandando da minha caixa craniana ....mas ela ainda está aqui dentro... mesmo que com as malas prontas para ir embora. (Definitivamente, eu não vou mais usar a palavra ‘mala’, ela acaba de ser extraída do meu vocabulário)...”



-Que tal você me esperar?



-Eu estou parada aqui te esperando, vamos nos atrasar, e mais uma vez você vai jogar a culpa em mim..._disse saindo do transe e voltando-se para ele que agora fechava  a porta.



Hermione naquele momento mantinha uma distância de aproximadamente 4 metros de Malfoy, e depois que ele trancou a porta, começou a caminhar em direção a ela.



Ele desfilava pelo carpet como se flutuasse, munido de uma elegância que surpreendeu Hermione. Como ele poderia ter tanta classe? A camisa preta bem alinhada, em conjunto com a gravata vinho, calças escuras, e um sapato de verniz, eram o suficiente para deixá-lo incrível. O cabelo loiro, penteado para trás deivdamente alinhado, possuía alguns fios que insistiam em cair em sua testa, os quais eram colocado no lugar pelos dedos brancos dele. Os olhos? nunca estiveram mais azuis, e provocantes. Sua postura era altiva e ao mesmo tempo transparecia uma naturalidade de como quem faz isso habitualmente sempre precisar forçar qualquer movimento ou ensaiar seus passos.



Se haviam mais pessoas naquele espaço, naquele corredor ou passando por ela, era impossível notar, pois toda sua atenção estava focada no caminhar do sonserino, que aos poucos se aproximava.



É claro que ela tentou por diversas vezes desviar o olhar dele, mas Draco era magnético, e não havia meios de se defender desse tipo de ataque que é tão preciso e eficaz, que a deixou desarmada e vulnerável. 



Os 4 metros pareciam 8, 12, 16... Ela olhava para ele como se nunca o tivesse visto, como se aquela fosse uma versão nova de Draco, ao menos um que de maneira alguma poderia a magoar, a machucar ou a ferir com palavras e ações. Naquele momento ele era um “invólucro” tão perfeito que era impossível imaginar que seu “conteúdo” poderia ferir ou envenenar. 



Todas as brigas e discussões do quarto, pareciam ter desaparecido, pois aquele ser tão exemplar não seria capaz de fazer todas aquelas coisas.



Ele chegou bem perto dela e deu o braço, dizendo com suavidade.  



-Vamos?



Nesse momento Hermione pode até perceber um tom de educação da voz dele, um olhar tímido mas fatal, mas que causou um tremendo efeito sobre ela.



Somente com aquele “vamos?” ela tinha certeza que iria para qualquer lugar que ela a levasse... Porque ele fazia isso? Era proposital? Era um teatro? Fazia parte do seu show? Hermione não entendia como poderia sentir uma montanha russa de emoções o tempo todo com relação a ele. Era ódio, era medo, era atração, era vontade de esganar, vontade de abraçar, vontade de beijar...



-É...É...é Claro que sim..._ gaguejou, mas instantaneamente se recompôs e não deixou que ele notasse o seu nervosismo e a ansiedade.



Ela tocou no braço dele e sentiu o tecido macio da camisa muito bem escolhida, lavada e passada. O perfume marcante que estava em sua roupa aos poucos tomava as narinas de Hermione e parecia envolve-la percorrendo todo o seu corpo. Seu próprio perfume aos poucos desaparecia, deixando lugar apenas para a essência imponente que dele emanava.



Aquele jantar seria um marco para os dois, deveriam fingir uma amizade que jamais houvera, um bom relacionamento que de maneira nenhuma cultivavam, mostrar uma parceria que jamais foi selada. Se ainda não estavam atuando, deveriam começar.



Qualquer um que olhasse para aquele casal caminhando pelos corredores não duvidaria de que eram perfeitos juntos, por mais que no fundo ambos jamais admitissem que havia harmonia nos seus gestos, olhares e movimentos.



E embora nenhum deles acreditasse no que estava acontecendo, e estivessem sentindo repulsa pelos próprios sentimentos que inconsciemente iam e vinham dentro de seus corações, aquele tornei sequer havia iniciado, e muitas surpresas ainda estavam por vir.   



Nada mais sábio que o tempo, nada mais misterioso que o coração, nada mais forte que o amor...ou ódio? Paixão? Cólera?... Qual seria o mais forte?



Em uma noite especial, uma linda moça, um lindo rapaz, desciam as nervosamente para um jantar inesquecível.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.