FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. 1 - A briga


Fic: EU QUERO TE ODIAR MAS NÃO POSSO - FIC antiga com capítulos reescritos e novos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Ela não conseguia segurar uma raiva incontrolável que sentia naquele momento, havia 7 anos que ele a provocava de todas as maneiras possíveis e imagináveis, com risos e humilhações.



Depois de tanto tempo, exatamente naquele dia ela chegara ao limite, não agüentava mais, toda a paciência já havia se esvaído, não havia mais volta, era o dia de fazer o sonserino pagar por tudo que já havia feito.



Hermione sentia um cansaço físico e mental, uma exaustão que acabava com seu corpo, porém, algo dentro de si ainda a motivava a ficar de pé, a vontade de encontrá-lo.



Porque tinha que ser daquele jeito? Porque fizera isso com ela? No fundo ela sabia o motivo, ele  simplesmente a ODIAVA. Não um ódio comum, mas uma cólera de inimigos mortais.



Ela tremia, suava, queimava por dentro. Estava cansada, abatida, mas ao mesmo tempo que seu corpo ruía, ela sabia que não seria covarde mais uma vez, não seria a Hermione ponderada e diplomática que aceita tudo ou que tem medo de tomar alguma atitude impensada.



Naquele dia ela estava com a razão, porque iria temer?



Ela caminhava pelos corredores a passos largos e barulhentos, era como se não visse as paredes (e de fato não as via!).



Algo dentro dela fazia com que esquecesse que seu corpo era humano, que precisava se conter, descansar, refletir, pensar... Toda coerência que lhe era intrínseca voou pelos ares.



Havia tantos sentimentos dentro de si, todos ruins a respeito do sonserino, mas o que prevalecia acima de todos era a vontade de VINGANÇA.



Com os nervos a flor da pele e o coração apertado dentro do peito, corria pelos corredores a procura daquele rosto que dali a pouco estaria totalmente desfigurado se ninguém a impedisse.



De fato nada mais a sua volta importava a não ser encontrá-lo e dar tudo que ele merecia. As pessoas que por ela passava ficavam pasmas ao ver a reação de Hermione, que era totalmente diferente de seu jeito habitual.



Seu coração pulsava rápido a ponto de pular do peito, mas Hermione Granger estava determinada a encontra-lo - podia ser a hora que fosse, aonde fosse – se dependesse dela não sairia vivo, não dessa vez....



“Eu vou matá-lo, eu  juro que vou pegá-lo hoje. Dessa vez ele passou dos limites, eu juro que se eu encontra-lo (e eu vou) vão demorar vários anos para concertar todas as fraturas que eu vou deixar nele. Quem ele pensa que é? Pode falar o que quiser, fazer o que quiser, todos esses anos e ficar por isso mesmo? Não hoje Malfoy, a bomba está prestes a explodir você vai ver todo estrago que a dinamite Hermione pode fazer....!!!!!”



A cada curva que fazia no castelo o calor que seu corpo emanava subia. Seu rosto queimava, suas mãos suavam, mas o choro...esse não saia de jeito nenhum...



Os cabelos volumosos voavam de forma selvagem, ao  passo em que caminhava. Sentia que estava perto, só faltavam alguns metros e chegaria até a entrada do salão principal, onde ele provavelmente estaria.



Quando ela pisou os pés na entrada pareciam sair faíscas de seus olhos, e alguns primeiranistas sentiram medo ao verem a sua feição.



Haviam muitos alunos, e quase todos sabiam o motivo que trazia ali Hermione Granger.



Um silêncio começou a pairar no ar, todos olhavam curiosos para ela, pois queriam ver qual seria a reação quando identificasse o rosto do sonserino no meio da multidão.



- Onde está Draco Malfoy?_ela perguntou, olhando terrivelmente para um grupo de alunos menores.



- A...a....al...ali....- responderam abrindo caminho para que ela passasse.



O enorme silêncio que pairava no ar, que foi quebrado apenas pelas próprias risadas de Malfoy e seus colegas,  que não haviam se dado conta  de que “ela” havia chegado.



Hermione olhou com absoluta fúria para ele, que estava de costas para ela, apertando nas mãos o papel – que teria dado causa a todo o problema.



A imagem queimava entre seus dedos. Era um misto de mágoa, desprezo e ódio, que faziam com que ela mudasse totalmente de estado....Ela estava realmente perigosa!!!



Caminhou determinada até ele, tocando apenas no seu ombro...



- Háháhá....o que foi_ disse ele sem se ver quem era, mas ao se virar tranqüilo foi bombardeado por um incrível soco certeiro no nariz, caindo para trás...



- Boa Noite Malfoy, está feliz em me ver_ disse ela irônica.



Atrás dela se ouvia muitos “Ohhh”s vindos da plateia que assistiu a gladiadora Hermione batendo no pobre e indefeso Draco Malfoy...



Draco caído no chão, tinha parado de rir apenas a fitava assustado. Aos poucos tentava se levantar devagar, ainda tonto, tentando ordenar seus pensamentos para saber de onde vinha aquilo que tinha acertado seu belo nariz...



Se havia algum medo nela, acabava de sumir, e certamente se naquele instante Voldemort aparecesse ali ela o faria chorar como um bebezinho.



 



*



-Harry, Harry...Maninho..._corria desesperada Gina ao encontro dos dois.



-Ei! Gina esse aqui é o vestiário masculino, vou contar tudo a mamãe..._disse Rony tentando se esconder atrás de um armário.



- Fique quieto Ronald Weasley, eu vim aqui... por uma caus... por uma causa muito importante _ ela quase não conseguia respirar, pois havia corrido muito até chegar.



- O que foi Gina? _disse Harry prontamente se levantando de onde estava sentado. Os dois tinham acabado de terminar o treino de quadribol.



- Não tenho tempo de explicar muito, preciso que venham comigo...



- Mas porque? O que aconteceu? _ disse Harry.



- É Gina, o que pode ter acontecido? Ou melhor, boato sem importância?_ zombou Rony...



- Olha se pra você Hermione é sem importância então....



- O que que aconteceu com ela?_ Rony terminava de vestir a camiseta e já acabara de ficar atento ao que a irmã dizia.



- Com ela ainda não aconteceu nada... Já com o Malfoy... acho que ele vai passar umas férias na enfermaria!!!



- Hãmm????



- Tentei impedi-la, mas não consegui preciso que venham comigo agora. Ela vai se meter em encrencas!!!



- O Malfoy!!! Tinha que ser, o que ele fez dessa vez? Eu juro que ele vai se ver comigo_ disse Rony já preparando os punhos.



- Rony não temos muito tempo, ela foi até ele, e no estado em que estava é capaz de pegar uma detenção, suspensão, expulsão, ou pior tomar um feitiço do Malfoy... Eu não sei do que os dois são capazes!



Rony enfurecido, pegou no braço de Harry antes mesmo que ele pensasse, já estavam correndo em busca da fera Hermione.



 



*



Ela estava em pé perante ele, rodeando como uma leoa em cima de carne fresca esperando para atacar. Deixou que ele recuperasse os sentidos, e levantasse a cabeça, para pedir “delicadamente” explicações sobre o papel que tinha em seus dedos.



- O SIGNIFICA ISSO?_ disse esfregando a foto em seu rosto...



Ao olhar novamente a foto que ele tinha conseguido dela no banheiro dos monitores, riu debochadamente.



-É uma foto para provar_ ele começou a rir novamente_ como as sangue - ruins, são ridículas...



Toda sonserina começou a rir, mas parou instantaneamente.



-Estou perguntando seu imbecil PORQUE FEZ ISSO?_dizendo isso enquanto picava a foto em pedacinhos e segurava nas mãos...



-Ué Granger não gostou do meu trabalho artístico sobre as CDF´s medonhas de Hogwarts. Sabe que você conseguiu ser destaque? Ninguém consegue ser mais ridícula que você!!!_ riu ainda mais.



Ela bufou mais uma vez e pegou ele pelo colarinho, dando mais um soco em seu nariz. Sentou em cima de seus braços deixando ele indefeso, o que fez com que arregalasse os olhos.



- Ei Granger o que aconteceu com a monitora chefe, e o exemplo, não vai deixar que os alunos menores vejam você...



- Esse distintivo? Ela tirou de seu peito, e ainda olhando nos olhos dele, jogou para trás. Mostrando a ele que pouco ligava para seu título de monitora.



Nesse momento ele começou a não duvidar mais do que poderia acontecer ali.



- Bem Malfoy ESPERO QUE O SEU TRABALHO ARTÍSTICO SEJA TÃO REPUGNANTE QUANTO APETITOSO...



- Porque Granger.... você pretende come-lo? Não come muito, porque você já está acima do peso.



- É claro que eu não vou comê-lo. É VOCÊ QUEM VAI!!!!_e quando ele foi tentar dizer alguma coisa já nadavam em sua boca vários papeizinhos picados...



- Pare..Gran..fff...._tentou dizer algumas coisa mas ela colocava de um a um em sua boca.



- Você foi um menino muito mau_ dizia ela rindo sarcasticamente, fazendo todos ficarem com um certo medo da forma psicótica que ela aparentava naquele momento.



Depois que ele tinha engolido tudo, quis se mexer, mas ela o prendia fortemente.



- Você me paga Granger, me paga!!!!!!



- Malfoy você não consegue nem se mexer, como você vai me fazer pagar alguma coisa? Faz 7 anos que não tenho paz, porque você faz questão de estragar os meus dias, quando eu tenho o desprazer de me cruzar com você. Sério, eu pensei que me encher o saco sempre com ofensas, provocações, sabotagens bastaria para você ser feliz, mas pelo jeito não né? Precisou ir ao extremo da ofensa para poder satisfazer esse seu ego.  Será que eu não tenho razão de te dar uma boa surra?



Ele tentava se mexer e sair dali, mas não podia. Estava sendo humilhado na frente de todos, porque não conseguia se desvencilhar de Hermione, que estava mais forte do que nunca.



- NÃO SE MEXA MALFOY PODE SER MUITO PIOR. VOCÊ ACABOU COM TODO O MEU JUÍZO. PORQUE EU NÃO TO LIGANDO SE VÃO ME EXPULSAR, OU SE VÃO ME CASTIGAR, OU SE VÃO ME TIRAR O CARGO DE MONITORA....A ÚNICA COISA QUE EU QUERO AGORA É FAZER UMA COISA QUE NUNCA ACONTECEU... ME SENTIR FELIZ PERTO DE VOCÊ.... E COMO EU VOU CONSEGUIR ISSO? DESCARREGANDO TODA ESSA RAIVA QUE EU SINTO AGORA EM CIMA DO SEU COURO, ATÉ VOCÊ GRITAR POR SOCORRO AO SEU PAPAIZINHO.....AAA ME DESCULPE...ELE NÃO VAI PODER VIR TE SALVAR NÉ? PORQUE SERÁ?....SERÁ QUE É PORQUE ELE ESTÁ EM ASKABAN LUGAR ONDE VOCÊ DEVERIA ESTAR FAZENDO COMPANHIA A ELE!!!!!!!!!!!!!!!!!?



-Sua ...Sang..._ele tentava falar mas ela interrompeu



- VOCÊ NÃO ESTÁ EM CONDIÇÕES DE FALAR QUALQUER COISA...PORQUE SE ESSES MEUS OLHOS CHEGAREM A VER ESSES SEUS DENTES EU SOU CAPAZ DE ARRANCA-LOS  AGORA MESMO UM POR UM  E SEM ANESTESIA!!! Eu não sei o que eu fiz para você me odiar tanto! Eu tentei por muitos anos me controlar, tentar entender que você era muito infantil e fazia essas coisas porque não tinha maturidade, mas hoje foi o limite! Você queria que eu te odiasse? Pois agora você conseguiu!!! E nem queira saber o quanto! E saiba que só não falo tudo o que eu penso de você porque tem primeiranistas aqui ouvindo entendeu? Mas, eu me contento em deixar você com dois olhos roxos para o dia da formatura, porque aí eu tenho certeza que toda vez que você olhar as fotos vai se deparar com uma cara inchada e feia – que só vai piorar, porque sinceramente você é horrível – e vai lembrar de mim!



Quando ela acabou de falar, os alunos deram uma grande salva de palmas frenética, gritos e muitos já tinham se posicionado em torcidas a favor de Hermione!!!



Aquela seria uma das noites que ficaria pra história de Hogwarts.



Draco imobilizado pelas grossas pernas de Hermione, não conseguia pensar em nada no momento, ele nunca tinha escutado tantas coisas de alguém, como ouviu dela.



Sua boca tinha uma lesão e só agora percebera porque o gosto de sangue se misturou com os restos de papel que Hermione havia feito ele comer.



Ele percebeu que estava em uma situação constrangedora, todos olhando, rindo, gritando, uma garota sobre ele...(não era necessariamente do jeito que ele queria), e o estranho de tudo era que não sabia o que fazer, não esperaria uma atitude daquela por parte dela nem em 100 anos!!!



Contudo, ele sabia que precisava revidar, como ela poderia ganhar tão fácil? Jamais se utlilizaria de violência, mas sabia que poderia ganhar apenas com as palavras, já que Hermione era apenas uma garota boa nervosa, enquanto ele era uma cobra astuta e bastante inclinada para o mal.



- Espero que esteja satisfeita Granger...._disse rindo como se nada tivesse acontecendo..



- Satisfeita Malfoy? Não conte com isso, eu ainda nem comecei a me divertir.



-.....Daqui a pouco vão chegar os dois coleguinhas patéticos, para te salvar, vamos ver quantos segundos eles demoram pra vir até aqui, e mais uma vez vai provar que você não é capaz de nada além de enfiar a cara nos livros e encher a cabeça das pessoas de teorias sem fundamento, como sempre, simplesmente para poder esquecer o recalque que tem dentro de por ser uma inútil...que não tem nem ao menos um NAMORADO... Afinal, quem ia querer algo com alguém que tem esse cabelo todo desleixado, que se veste como um menino e não tem o mínimo de delicadeza...



Ela ficou imóvel por um instante ele a olhava nos olhos, e ali se transmitiam os piores sentimentos...



- Como pode ver, eu não preciso que os meus amigos venham me salvar, eu estou aqui emcima e você está aí embaixo. Sabe de uma coisa, pelo menos eu tenho amigos, e você não tem ninguém! E se eu não tenho namorado é porque eu não quero... Quer saber? O que você tem a ver com a minha vida? Não lhe devo satisfações..._disse ela ficando totalmente desconcertada, ele havia tocado na ferida, ela odiava esses assuntos, ela já tinha Harry e Rony seus melhores amigos, porque iria querer alguém para abraçar? Alguém com quem pudesse se sentir uma garota feliz? Alguém para beijar? Alguém para chamar de amor?...ela não precisava daquilo... Pelo menos, era o que pensava, porém, no fundo sabia que por mais que tentasse ter o controle sobre tudo, essa era uma área de sua vida que pudesse controlar.



- Granger, como consegue ser tão patética, tenho pena de você. Eu consegui??? Simm, eu sabia que eu chegaria no seu ponto fraco, mas não sabia que seria tão rápido! Ao contrário de você que é uma fracassada eu tenho tudo o que quero, tenho dinheiro, sou de família nobre e não trouxa, sou bonito, popular, e quando eu quero uma coisa eu consigo, inclusive, quem eu quero eu consigo! SE VOCÊ FOSSE METADE DO QUE EU SOU...



Toda a fúria inicial que Hermione sentia, começava a dar lugar para a mágoa e tristeza que Draco sempre conseguia despertar nela. Por mais que tudo que ele disesse não fosse realmente verdade, a forma como ele falava a deixava arrasada.



Seus olhos estavam marejando, mas aquele momento não merecia que soltasse nenhuma lágrima.



“Não definitivamente essas palavras não estão te afetando, ele não pode me magoar assim... eu devia ....eu devia...porque eu to com vontade de chorar...porque Merlin ele me conhece tão bem?”



-SE EU FOSSE METADE DO QUE VOCÊ É EU SERIA UMA BOSTA DE DRAGÃO!!!



“Eu falei isso mesmo? Me diz alguém, eu falei isso mesmo? O que está acontecendo? Eu não sabia que eu sabia falar palavrões!!! Até isso esse sonserino asqueroso me faz fazer. Além de neurótica, psicopata (porque eu to com uma vontadinha de acabar com ele!!!), eu estou ficando mal criada, será que eu preciso de terapia? Não, eu não preciso, quem vai precisar de terapia daqui a pouco vai ser o Malfoy.....Unidade de TERAPIA intensiva (UTI) porque você não perde por esperar.”



Por essa realmente Malfoy não esperou...e ainda levou uma salva de palmas da torcida de Hermione.



Eles se olharam novamente. Ela tinha um ar de satisfação no rosto, mas por dentro havia um vazio tomando lugar. Quando ela olhava para ele sentia nojo e desprezo mas não tinha mais vontade de bater nele, neste momento o seu lado racional começava a apontar, e o que parecia divertido já se tornara tedioso.



Malfoy começava a falar alguma coisa que ela não estava mais ouvindo, apenas pensava no que ele lhe dissera antes sobre sua vida. Não podia ser verdade, ele não entendia nada dos seus sentimentos...ele era só seu ...INIMIGO...



“Ei Hermione, porque você está parando, nãooo você não pode! Precisa continuar! Precisa continuar batendo nele, falando algumas coisas horríveis para magoá-lo... Vamoss!!”



- Malfoy ...._disse ela levantando o punho alto..._quais são suas últimas palavras? _ terminou com um tom de desanimo...que logo ele percebeu, e aproveitou a deixa.



-Me bate Granger!!!_aquela boca vermelha proferia calmamente e com um olhar nada desafiante...



-O que v..vo..você disse?_perguntou incrédula..



-É Granger...me bate...



-Não preciso que você me diga o que eu tenho que fazer entendeu?_a garota não estava entendendo aquela reação.



-Você não tem coragem......_disse ele bolando um plano para fazer com que ela caísse.



-Porque eu não teria Malfoy...? Não fale asneiras, você sabe muito bem que a qualquer momento posso te dar uma surra....se eu fosse você não pagava para ver.



-Tenho certeza que não pode ...não seria capaz...você está só esperando seus amiguinhos chegarem, para resolverem tudo por você...e mais uma vez prova que é uma inútil...



-Fique quieto Malfoy..._agora os olhos estavam cheio de lágrimas, não podia ouvir ele falar. Ergueu o punho, mas o braço não obedecia. Ela fitava o rosto pálido dele, um talhe perfeito, olhos cinzentos, e cabelo levemente caídos sobre a testa, e um corte no lábio inferior, que deixava a boca dele mais vermelha ainda...



Em um momento de distração, enquanto pensava no que deveria fazer, Draco conseguiu soltar uma das suas mãos e segurar a dela com força...



Nesse momento ela estava derrotada, ele acabava de dominá-la e a platéia gritava novamente ao ver que ela caíra no chão se debatendo, e gritando, enquanto ele sobre ela segurava fortemente seus braços...



-Viu só Granger como o jogo pode mudar...!!!_riu chegando bem perto do rosto dela.



-Me solta seu imbecil, eu te odeio Malfoy, eu te odeio seu ...



- Granger, como você é insolente, mais respeito comigo! Agora você está nas minhas mãos. Eu não te disse que tudo o que eu quero eu consigo?



Ele olhava para os olhos dela, grandes, expressivos, furiosos. Sua pele rosada e suada, fazia com que vários cabelos grudassem em sua testa, um conjunto perfeito nariz, olhos, e boca....lábios rosados, de aparência macia, que Malfoy, apesar de tudo, não conseguia tirar os olhos.



Sem forças, Hermione estava ali pensando como poderia fazer para se desvencilhar dele, enquanto isso reparava na face branca e fria que ele tinha. Algo que não poderia ter reparado em nenhuma outra ocasião, pois jamais tinha chegado tão perigosamente perto dele.



“Até que de rosto não é tão mal. Ei! Hermione, claro que ele é, é sim e de caráter também. Mas esse perfume, como esse bosta cheira bem... Ele tem bom gosto para perfumes... Para tudo garota: concentração, pense em fugir dele...em fugir...”



-Problemas é você quem vai ter se não me soltar agora mesmo...._dizia Hermione tentando se soltar.



-Como eu tenho medo de você... dá para notar a minha cara de preocupação?



-Malfoy eu te odeio, a hora que eu botar as minha mãos em você novamente, não vai sobrar um fio de cabelo nessa sua cabeça loira... Eu vou  te dar um chute naquele lugar que o sol não bate, que você não vai mais poder ter filhos...eu juro Malfoy...



-Se você não ficar quietinha eu vou fazer algo que você não ia gostar nada...



-Não comece com as suas ameaças infames... Não acredito em você... Seu animal, trouxa, imbecil, canalha _ ela estava ofegante, cansada, e ele ali só assistindo ela proferir todas aquelas palavras grosseiras. Ele não se mexia apenas olhava para a os lábios rosados dela, que pareciam hipnotiza-lo com tanta personalidade. Suas mãos agora suavam e conseguia sentir o perfume dela que claramente sufocava suas narinas..._seu escroto, tosco, pau-mandado ....ei, não vai se defender?_disse ela indignada, porque ele estava olhando para ela daquele jeito calmamente, de uma forma ameaçadora. O que ele poderia fazar?



-Malfoy seu idiota, porque não me encara, seu..sh.....



Ela não esperava por aquilo, ninguém esperava, mais um “Ohhhh” foi ouvido do público. Mas dessa vez era seguido de assovios e de murmurinhos.



Um corpo despencou, era Pansy Parkinson, mas ninguém deu muita atenção para o desmaio dela, todos queriam ver o BEIJO que iria ficar para a história de Hogwarts!



Hermione parou de respirar no momento em que Draco tocou os seus lábios com os dele, um beijo... Aquilo era improvável, impossível, inesperado, fatal...



Não havia descrições para uma cena daquela. Os lábios quentes e macios de Draco, tocaram delicadamente os lábios de Hermione. Naquele momento a surpresa de Hermione a paralisou, como se um misto de emoções invadissem o seu corpo que relaxou imediatamente se entregando ao que estava acontecendo. Draco tocou o rosto dela com os dedos e fez com que seu braço arrepiasse. Aos poucos ele sabiamente percorria sua boca com carinho e ao mesmo tempo com um sentimento de domínio, que ela não conseguia decifrar. A respiração de Hermione começou a mudar, e embora estivesse ofegante no início, uma calmaria estranha a invadiu, como se ali fosse o lugar mais seguro de todo o mundo. A sala inteira boquiaberta, enquanto os mais terríveis inimigos, pareciam trocar carícias abertamente e com tanta sincronia que pareciam se conhecer intimamente a anos.



Ele selou as palavras grosseiras dela com um beijo, e o salão todo festejava, Hermione estarrecida, não conseguia raciocinar “o que diabos esse Malfoy está fazendo, eu juro que ... eu vou....” Ela não conseguia pensar em nada, algo irreal e totalmente incrível. Enquanto os pensamentos dela buscavam uma explicação, sentia que não queria ou precisava de nenuma, e sim implorava inconscientemente para que aquele momento perdurasse.



Ele não fez quesão de segura-la mais, havia soltado os seus braços, e instintivamente ela tocou nos cabelos dele.



Depois daquele instante, Hermione olhou fundo nos olhos dele e ele a fitava como se estivesse encantado, porém, mais do que depressa ela voltou a consciência a tempo de enterrar seu joelho, naquele lugarzinho que fez Malfoy gritar, amaldiçoando e soltando vários palavrões, se contorcendo no chão quase cego de dor.



-Eu avisei Malfoy..._disse séria...se levantando e olhando para ele, que não conseguia mais dizer nada, além de gemer.



Enquanto estava ali parada olhando para ele, Hermione ouviu passos chegando por trás, sua intuição acusava que os pés seriam de uma pessoa muito importante e que certamente estaria encrencada. E como ela queria que esse pressentimento estivesse errado, mas não estava.



-O que está acontecendo aqui?_Pronto! Suas suspeitas confirmadas, agora era só esperar o castigo inevitável... “Eu já sabia que estava perdida, mas agora eu tenho certeza”.



Tentou manter a calma e a serenidade ao se voltar para a vice-diretora. Se tivesse sorte ela esconderia a parte da história que ela massacra o Malfoy e ficaria por isso mesmo, mas não podia, haviam testemunhas demais por ali, então, era dizer a verdade ou dizer a verdade..



-Me diga senhorita Granger! O que está acontecendo aqui, onde está seu distintivo de monitora?_falou em tom severo.



-Er... está ali, professora, eu pego..._sentiu suas bochechas ficarem vermelhas, ao abaixar para pegar, o distintivo e dar de cara com Malfoy ainda se contorcendo no chão, meio desnorteado pela pancada.



-Malfoy, levante-se! _ Ordenou a professora Macgonagal.



Malfoy sabia que se levantasse, teria culpa no cartório, estava muito encrencado, precisava ser a vítima agora...



-Você quase me aleijou Granger...se pensa que vai sair impune pode esquecer.



Hermione bufou colocando a mão na testa e se levantando, e ajeitando a blusa com o distintivo pendurado...



-Muito bem, comece as explicações...



-Ai AI AI ....acho que vou morrer..._gritava Malfoy, e atuava como um profissional.



Hermione não sabia o que dizer todos estavam olhando para ela esperando uma manifestação.



“Pense Hermione, pense....”



-...na verdade, professora, o Malfoy, tirou uma foto minha no banheiro dos monitores, e espalhou por todos os quartos.



-Senhor Malfoy!!!_disse a professora horrorizada, olhando para o aluno_ prossiga Srta.



-Como pode ver professora , foi uma atitude incorreta...e..



-Prossiga...



-EU vou morrer eu vou morrer, não sinto a parte inferior do meu corpo..._gritava Malfoy esperando que alguém desse confiança a ele, mas todos estavam mais interessados em ouvir Hermione se explicar.



-Bem eu resolvi.... bem...fazer justiça com as próprias mãos....e...



-Não acredito que a Srta. resolveu partir para a agressão física, em vez de usar os bons costumes civilizados. Não posso conceber isso Srta Granger, isso terá consequências_ Malfoy sorriu no canto da boca vitorioso, encarando Hermione que estava vermelha de raiva_ Para os dois! Os dois se dirijam a sala do diretor, lá iremos ajustar a melhor solução para toda esta confusão.



Malfoy se levantou, de onde estava ainda com uma certa dor, e com cara de espanto, achava que a sua ceninha comoveria a vice-diretora, mas desta vez não funcionou. Hermione seguiu, Macgonagal sem pestanejar, pois sabia que era o melhor a fazer.



Só neste momento é que Harry, Rony e Gina chegaram ao salão correndo.



-Tarde demais _disse Rony sentando ao ver apenas Hermione na outra extremidade do salão caminhar atrás da vice-diretora.



-O que aconteceu?_perguntou Harry a Dino Thomas que foi testemunha do ocorrido.



Gina sentou ao lado do irmão. Cansados de tanto correr, mas muito tristes por não conseguirem impedir Hermione de se meter em encrencas.



-Eu não acredito que não consegui chegar a tempo. O que vai acontecer com ela agora Gina?_ disse Rony preocupado.



-Bom meu irmãozinho isso é o que a gente vai saber depois que ela sair da sala do Diretor.



 



                        *                                 *                                 *



Depois que saíram do salão, Minerva acompanhava aos dois em direção a sala do diretor, Hermione, atrás dela com a cabeça doendo, só conseguia pensar nas coisas insensatas que havia cometido há alguns instantes...um inimigo, uma foto, uma briga, um beijo.



Mas o pior era saber que todo o seu autocontrole, fabricado e tão cuidadosamente cultivado por anos, havia acabado em poucos minutos.



“Merlin, o que eu fiz de tão errado que mereço um castigo como esse? Me diz porque tudo acontece comigo? Tá, tá, eu sei que eu procurei isso tudo, pois eu podia ter me calado! Mas dava mais...né? Pelo menos ele pagou um pouco do que me fez, e tem me feito por tantos e tantos anos. E, eu estou feliz... eu estou feliz? Como que eu não consigo ficar feliz? EU sei o motivo, é porque aquele verme me beijou. Acho que eu vou vomitar, ainda to sentindo aquele gosto de menta na boca, e está decidido, eu nunca mais chupo bala de hortelã na minha vida! Foi simplesmente repugnante, horripilante, nauseante, elefante, borbulhante... Será que eu to passando bem? Definitivamente, eu não eu não estou passando bem... Foi ele aquele Malfoy que acabou com o meu raciocínio lógico e eu não sei mais nem o que eu to falando... Vamos Hermione se concentre, você está prestes a entrar na sala do diretor e prestes a ouvir um sermão de meia hora sobre ‘as regras dessa escola, e a conduta dos monitores...’ Se você tiver sorte, daqui a pouco sua cabeça para de doer, aí você vai ter uma crise de choro, seu nariz vai trancar e você não vai conseguir pregar o olho a noite toda.... Eu to pensando no depois? Espero que Dumbledore esteja bem humorado. Eu ainda nem sei se eu vou ser expulsa do colégio, ou na melhor das hipóteses vão me trancar na masmorra do Snape. Hermione como você é otimista!!! Já que eu estava arriscando minha reputação, porque eu não quebrei o nariz dele?...”



Enquanto Hermione pensava, suas pernas caminhavam automaticamente até a sala, naquele momento não conseguia ver onde Malfoy se encontrava, se estava atrás dela, não sabia.



Hermione só queria que todo aquele suposto pesadelo acabasse logo, queria entrar naquela sala o mais rápido possível, e depois subir para o seu quarto tomar um banho e dormir. A dor de cabeça a estava destruindo, embora já estivesse mais calma.



Finalmente chegaram na porta da diretoria, Minerva bateu com delicadeza e fez sinal para que entrassem. Com passos curtos Hermione entrou. Draco vinha atrás dela a contra gosto, mas Hermione só percebeu quando ele passou alguns passos na sua frente, de modo que parecia querer acabar logo com aquilo.



O diretor estava sentado em sua cadeira, alta e imponente, perante os dois. Com os dedos cruzados e um olhar que nenhum dos dois pode decifrar, com uma das mãos convidou ambos a sentarem, nas luxuosas cadeiras também vermelhas.



-Muito bem, Sr. Malfoy e Sta. Granger, como devem saber já estou informado, sobre o ocorrido, bem, foi o que os trouxe aqui não é mesmo?_sorriu dele mesmo _ não vou me ater a sermões, isso não será preciso_ Hermione pode ouvir Malfoy respirar aliviado na cadeira e naquele momento ela apenas massageou as têmporas_ os senhores já são praticamente adultos, e quero que entendam que o que fizeram não foi uma atitude correta, principalmente, por serem monitores, deveriam ser exemplo. Mas como já disse, não vou me ater a sermões.



Os dois permaneceram em silêncio, aguardando pelo veredito.



-Como estão no sétimo ano e daqui a um mês será a formatura de vocês, e acho que seria com terminarem com essas briguinhas infantis. Para ajudar, quero garantir que ocupem suas mentes com um pequeno trabalho que darei a vocês.



-Trabalho?_disse Malfoy sentando mais pra trás ainda e recostando os braços no encosto_á essas alturas?



Hermione sentiu a cabeça latejar mais uma vez, mas ainda estava satisfeita pela decisão de Dumbledore, pelo menos  um trabalho já era melhor que a masmorra do Snape.



-Não diria bem que seria um trabalho_ Dumbledore, abriu a gaveta da escrivaninha e tirou dois envelopes, e deu aos dois..._essa semana recebi essas duas correspondências.



-De que se trata_ Hermione perguntou examinando com cuidado o envelope.



-Há alguns anos que esse evento não acontecia mais, pra ser mais exato, mais ou menos 7 anos, portanto duvido muito que tenham ouvido falar.



“Evento?, mas não era um trabalho?...ai ai ai....”



-É um campeonato entre escolas, cada escola manda dois representantes, serão uma série de competições, pra ser mais exato provas para testar as suas habilidades. E sei que os Senhores tem muitas, além disso, espírito de competitividade não falta. Venho pensando em quem mandar para este campeonato, mas acabei não tendo absoluta certeza. Então, acabei tendo um pressentimento de que os seus talentos cabiam nos requisitos, e como vocês dois precisam aprender um pouco sobre companheirismo, resolvi manda-los pra lá.



“ Masmorra do Snape, Masmorra do Snape, Masmorra do Snape!!!”_pensava Hermione...



-Como assim?_disse Malfoy não entendendo nada..



-Vocês irão entender melhor quando chegarem lá. Como o campeonato irá começar logo, eu sugiro que se dirijam aos seus quartos e leiam bem essa carta e já separem tudo o que vão precisar. Pelo jeito está descrito tudo que será necessário, horários de café almoço e janta nos alojamentos, e como se darão as provas.



-E quanto  tempo ficaremos lá? E as aulas como faremos?_pediu Hermione..



-Bem ficarão lá por 15 dias, e voltarão na semana da formatura. E a respeito das aulas mandarei a vocês todos os deveres, via correio-coruja_sorriu Dumbledore satisfeito esfregando os oclinhos meia lua _será na certa um trabalho diferente, uma experiência única, e peço aos senhores que façam bom proveito, do tempo que ficarem por lá. Tenho certeza que se sairão bem nas provas. Aproveitem essa oportunidade, pois é única. Grandes bruxos participaram e se saíram bem a ponto de garantirem seus futuros. Eu os alerto de que terão apenas hoje para arrumarem suas coisas. Vocês partem amanhã cedo.



-Mas professor Dumbledore...



-Srta, sem mas, de certa forma será a punição de vocês._ Dumbledore sorriu e depois olhou para Hermione com um olhar firme.



“Punição? Ser trancada na masmorra do Snape é punição, mas isso é praticamente a morte!!!”



-Tenho certeza que trarão orgulho para a nossa escola não é mesmo? Os dois melhores alunos do sétimo ano, tem muito  o que mostrar.



Agora era a hora em que Hermione se arrependia profundamente do que havia feito, suas últimas semanas de aula desperdiçadas em um campeonato idiota com um garoto mais idiota ainda.



-Já sabem o que devem fazer, portanto, podem ir _Dumbledore fez um aceno com a mão e Hermione pediu licença e saindo. Quando chegou na porta suspirou fundo e caminhou rapidamente  pelo corredor. Malfoy vinha logo atrás, e correu atrás dela segurando firmemente o seu braço.



-Ei Malfoy me solta.



-Você tem noção do que fez? _ disse com um olhar furioso.



-Eu? Olha a minha cara de alegria. Você acha que essa foi a melhor notícia que eu recebi? Eu vou desperdiçar meus últimos dias de Hogwarts me juntando a você em um campeonato. Por sinal, como você está caminhando se a dez minutos não sentia as pernas?_debochou  ela.



-Você se acha a engraçada né? Mas só vou dizer uma coisinha sangue ruim. Quem ri por último, ri melhor. Cuidado Granger, quem brinca com fogo, pode acabar queimado._falou seriamente para ela.



-Não me diga? Já deu pra ver que eu tenho medo de você. Te garanto: esses próximos dias vão ser os piores da sua vida, pode apostar.



“E conseqüentemente da minha também....humf...”_ pensou Hermione.



Ele chegou mais perto, e deu de dedo na cara dela.



-Vamos ver quem torna a vida de quem um inferno, Granger_ ele olhou mais uma vez para os olhos castanhos dela, e sorriu debochado, soltando o braço dela e indo em direção ao próprio quarto.



Quando ele saiu, Hermione segurou firmemente a carta ao ponto de amassá-la levemente, e colocou a mão na cabeça, respirando fundo.



“Ainda não consigo acreditar, é comigo tudo isso? Vou passar ao meus últimos 15 dias de colegial na companhia da pior pessoa do mundo, que tem o perfume mais gostoso do universo...Hei!!! Dá pra parar de pensar um pouquinho no perfume dele? Não deprime por favor, concentra...um, dois, três, pense em coisas boas Hermione...._e ela de imediato, ali parada no corredor tocou os lábios_ nãoooo! Menos! Isso não foi bom, não foi bom.”



Ela caminhou em direção ao quarto o mais rápido que pode. Queria afastar os pensamentos da sua cabeça, queria esquecer pelo menos um pouquinho e fingir que nada aconteceu. Impossível! Naquele momento estavam correndo em sua direção o trio, Harry, Rony e Gina.



Os três a abraçaram, e ela sentiu que estava protegida ali, seus amigos, o que mais poderia querer. Neste momento todas as lágrimas que segurava desceram pelo rosto.



-Não chora Mione, nós estamos aqui, com você_ disse Gina.



-Nos perdoe por favor, não conseguimos chegar a tempo..._disse Rony.



-Obrigada, por estarem aqui agora..._disse ela ainda derramando lágrimas.



Ficaram ali por alguns segundos, mas Hermione sabia que precisava ir para o quarto, arrumar suas coisas.



-Preciso ir não tenho muito tempo...preciso fazer as malas..._ disse angustiada.



-As malas? Te expulsaram do colégio?_disse Rony desesperado.



-Não Rony, é só uma viagem.



-Pra onde???_perguntaram os três juntos.



-Acho que para o inferno...._Falou cabisbaixa, limpando as lágrimas e sorrindo amarelo _venham no caminho eu explico.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Draco caminhava em direção ao seu quarto, ainda dolorido. Deitou em sua cama do jeito que estava, abriu a carta rapidamente, e leu. Antes mesmo de terminar, levantou, pegou o malão e começou a atirar as roupas dentro sem rodeios, estava uma fera não conseguia pensar em nada a não ser Vingança. Aquela palavra soava como música em seus ouvidos Sabia que era isso que faria, só não sabia como fazer.



“Sangue-sujo...você me paga, minhas ultimas semanas de diversão e vou ter que trocar tudo para viajar com você, ir para um raio de uma competição em que teremos que ser parceiros!!!???....Por Merlin ...eu mereço?..._ele pensou melhor _Não responda! Como um lindo  e louro, sangue-puro, popular, vai viajar com a gentalha, com uma sangue ruim, feia, idiota, que tem um beijo maravilhoso, um perfume delicioso... Ei! Malfoy pare com isso imediatamente! Ela não é nada disso, o fato é que você foi acertado diversas vezes no rosto e está delirando! _enquanto terminava seu monólogo, dramático, um de seus colegas, Joe entrou no quarto e começou a debochar dele.



-E aí Malfoy o que ta fazendo? Está muito frouxo pro meu gosto_disse batendo no braço dele.



-Não seja trouxa, to apenas pensando alto idiota, você não vai acreditar cara, vou ter que viajar com a Grifinóriazinha!



-A das fotos?



-Essa mesma, o velho caduco me obrigou a ir a uma competição com ela... espere até meu pai saber disso...



-Quando você vai?_disse ele mexendo nas próprias coisas..



-Amanhã de manhã...



-E vai perder o encontro com a garota da Corvinal?



-É mesmo! Tinha esquecido! Essa Granger me paga, já prometi que vou fazer o inferno da vida dela_ disse Malfoy enterrando um murro do travesseiro.



-Então quer dizer que eu posso ir no seu lugar?_ falou esperançoso.



-Faça o que quiser, minha diversão vai ser muito melhor que essa, vou me vingar daquela estúpida..._sorriu malicioso.



-Quer dizer então que vai dar uns amassos na grifinória né?_disse Joe rindo.



-Claro que não seu idiota, vou fazer ela sofrer, você acha que eu ia me meter com uma Sangue sujo daquela espécie?



-Bom você até já beijou ela, mais um pouquinho, já podemos marcar a data do casamento _disse Joe e Malfoy irritado pegou o travesseiro e jogou nele, depois de um segundo estavam quase rolando no chão os dois, um batendo no outro, mas Joe apenas ria.



-Você é quem sabe né?Até que ela é bem bonitinha!_ Joe ria.



-Ah não enche Joe, você sabe muito bem que só beijei aquela garota, para que ela calasse a boca.



-Jeito estranho de calar a boca de alguém em Malfoy, a menos que haja uma atração entre dois corpos...e assim._ Joe riu ainda mais da situação.



-Vê se entende de uma vez por todas que eu não tenho nada a ver com aquela garota besta! “Besta que beija bem....muito bem...”



-Malfoy....Malfoyyyy...acorda...ta pensando em que? Estou te achando muito esquisito hein? Sabia que a Pansy desmaiou quando você beijou a mocinha lá?



-Pansy? Que Pansy?.... ahhhhh ....é mesmo? _falou desinteressado.



-É... a Pansy sua namorada...esqueceu? Você não vai vê-la?



Ele pensou, terminou de arrumar as malas, e jogou-as para um canto.



-Não tenho tempo para ela...e além do mais ela não é minha namroada.



-Humm...to vendo que a grifinóriazinha te virou a cabeça mesmo..._disse ainda rindo Joe...



-Abra essa boca mais uma vez, que você fica sem a língua..._disse saindo do quarto, num tom não muito alterado, mas rapidamente.



Bateu a porta e começou a caminhar pelo corredor.



*                                 *                                 *                                 *                                 *



 



-Foi isso que aconteceu..._disse Hermione aos três que escutavam a sua narrativa atentos.



-EU VOU MATAR O MALFOY_ disse Harry alterado.



-E EU AJUDO_ terminou Rony, arregaçando as mangas.



-Ei calma vocês dois!!!!...Já tem gente de mais encrencada por causa desse mala, vocês sabem muito bem que ele não vale a pena, é um covarde. Por favor, não façam nada que me faça sentir culpada depois.



-Mas Hermione...



-Nada de mas... não quero vocês encrencados por conta desse monstro. O que eu fiz não foi certo, mas agora não tem mais jeito. Além disso, pra que bater nele? Existem coisas piores,  a se fazer do que isso_ riu ela.._eu sei me defender...garanto a vocês que ele não passará impune.



-Bem Hermione se você diz... Mas no momento em que você disser que podemos, a gente dá uma lição nele.



-Ta bem ta bem...._disse sabendo que não deixaria que eles fizessem isso..._Garotos depois a gente se fala_ deu um beijo na bochecha de cada um _ vou arrumar minha mala, saio pra lá amanhã cedo. Preciso de tudo em ordem, Gina..vamos comigo?



-Claro que sim amiga..._até depois garotos.



As duas foram para o quarto de Hermione, Gina estava pensativa, queria fazer muitas perguntas para Hermione, mas não sabia a reação dela, então limitou-se a esperar o melhor momento.



Hermione pegou sua mala e abriu, pedia para Gina pegar algumas, roupas, alguns livros, enquanto lia o que dizia a carta, em voz alta.



 



                        IIV Campeonato de duplas de WHITEVILLE



 



Parabéns!Se você está lendo essa carta é porque é mais uma dos muitos alunos e alunas que participarão da IIV campeonato de duplas de Whiteville.



Aqui está a lista de trajes principais  que deverá consigo na viajem.



 



 



*Traje para o jantar de confraternização e demais festividades



*Trajes de Banho



*Traje para as competições (de verão)



*Trajes para passeio



*Uniforme da equipe



*Traje para a festa de encerramento (traje a rigor)



 



Os atletas deverão se hospedar, no hotel CANTO DA FÊNIX, e deverão respeitar a política do lugar, (horários de saída, de chegada, das refeições).



As instalações estão de acordo com as necessidades dos hóspedes.



Serão um total de 30 atletas, de 15 escolas, do mundo todo.



Ao chegarem no hotel,os atletas se encaminharão para a recepção e retirarão, a chave do quarto, em que se instalarão, juntamente com o programa, dos 3 dias em que permanecerão lá antes do início das provas oficiais.



 



Desde já agradecemos



 



A comissão Organizadora.



 



 



-Uniforme da equipe?_ perguntou-se Hermione_Não temos um uniforme...e...



Nesse momento uma aluna do primeiro ano bateu na porta trazendo um grande pacote.



-Senhorita Hermione, o diretor mandou entregar isso pra você.



Hermione deu um sorriso e pegou o pacote, agradecendo.



- Acho que isso responde a sua pergunta!._sorriu Gina..._abra logo Hermione  vamos ver.



-A Gina se quiser pode abrir, não estou com a mínima vontade._disse colocando muitas coisas na mala, e deixando o pacote de lado.



-Hermione..._perguntou Gina indecisa.



-Pode falar_virando de costas para ela e escolhendo que livros ia levar.



-Então você beijou mesmo o Malfoy?_disse com meio sorriso.



Hermione ficou muda, porque ela havia lembrado aquilo? Ela ainda não tinha parado para refletir o quanto aquele beijo representou, porque de fato foi alto inesperado e increvilmente imprevisível. Gina estava trazendo a tona a situação que Hermione não queria mesmo ter que lidar.



-Gina eu não... foi ele quem... sabe aquilo não foi um beijo, foi terrível, um pesadelo...



Hermione respirou fundo, e os olhos começaram a marejar, uma raiva súbita tomou conta de si junto com uma repentino nervosismo, que a fez tremer, mas não soltou lágrimas. Não deixou que Gina notasse.



-Você gostou daquele beijo não é mesmo...?



 -Gina, pode pegar pra mim aquela pilha ali de roupas? _ Hermione mudou de assunto.



-Hermione você não respondeu a minha pergunta..._parou na frente dela e esperou a resposta..._Você pode até enganar o Harry e o tonto do meu irmão, mas a mim você não engana. Alguma coisa aconteceu, que mexeu com você. Espero que você me conte, porque mais do que ninguém eu entendo você.



-Aquilo não foi um beijo Gina e..._disse olhando para a amiga, mas em seguida desviando  o olhar...



-Hermione....você gostou daquele beijo não foi?



-Eu? É claro que não, eu detestei  aquele beijo! Está satisfeita Gina. Como eu poderia gostar de algo que tenha vindo daquele ridículo sarcástico, ignorante, tudo de pior... O que te fez pensar que eu gostei do beijo dele?_Hermione se jogou na cama e tampou o rosto com o travesseiro.



Gina apenas ria.



-Eu te conheço muito bem, e eu tenho muita percepção, meu radar pra detectar pessoas que estão tentando esconder a verdade, está sempre ligado.



-O que? Acho então que esse seu radar está com defeito, porque eu não estou mentindo pra você_ disse atirando o travesseiro em Gina._ Que fique claro! Eu não gosto do Malfoy, eu detestei aquele maldito beijo, foi a pior sensação que eu já senti, o gosto mais amargo que eu já provei. Algo inexplicavelmente ruim, e além disso eu não gosto dele, ele é asqueroso, nojento, repulsivo, ignorante. Você já reparou no cabelo dele que coisa mais horrível? E aqueles olhos sem graça? Além da voz dele insuportável, combinada com aquele jeito arrogante, metido a besta. E o pior é quando ele te olha e você tem vontade de simplesmente bater na cara dele, e sabe o perfume, também é horrível, tipo cheiro de bosta de dragão....



-Nossa pra uma inimiga você sabe bastante detalhes dele hein?_Gina riu mais uma vez.



-Sabia que essa conversa ta me estressando? Acho melhor você me ajudar aqui se não eu não acabo isso nunca.



-Ta bem ta bem..._Gina ainda ria da amiga.



-Que que foi hein?_Hermione riu jogando um chinelo nela.



-Quem sabe quando você voltar de viajem não chega aqui de mãozinhas dadas com o sonserino mais gostoso do colégio?



-GINAAAAAAAAAAAAAA...._disse enfurecendo de brincadeira.



-Posso abrir o seu uniforme?_disse Gina.



-Pode sim...vai enfrente_ Hermione sabia que não conseguiria impedir, e no fundo tinha uma certa curiosidade, mas era teimosa demais para admitir.



-Hermione, que lindo isso...venha ver.



O uniforme, era uma calça prateada, com detalhes em azul, uma bota cano médio, e uma blusinha azul, uma jaqueta prata como a calça, com detalhes em azul também.



- Que roupa linda Hermione, você vai arrasar_ os olhos das duas encheram ao ver todos os detalhes da roupa...ao virarem a jaqueta puderam ver o nome da equipe AUDACIOS, bem destacado nas costas, e o nome de Hermione na frente. Era um uniforme muito bonito, que encheu os olhos das duas.



-É muito bonito realmente..._disse Hermione pasma..._é incrível..._sorriu ela...



-Prova ele..._disse Gina ansiosa.



-Bem, vamos ver como essa coisinha fica em mim_disse ela pegando a roupa e indo para o banheiro.



Não demorou mais que um minuto e ela estava de volta, havia ficado muito bonito.



-Amiga, ficou lindo_disse Gina _imagina só como não vai ficar um desses naquele corpão do  Malfoy.



A cara de Hermione fechou de repente, porque ela tinha que sempre falar nele?



-Gina ...porque que você fica repetindo esse nome repugnante...? Você é minha amiga ou é amiga da onça?



-A Mione...eu só brinquei, não tem porque ficar mal humorada_ terminou Gina rindo da cara dela.



-Não tem a menor graça...deixa eu tirar logo essa roupa, que a gente ainda tem muito serviço, Srta. Folgada _ela também rira agora...atirando o chinelo em Gina.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Ele apenas andava pelos corredores, tentando de alguma forma esfriar a cabeça. As provocações de Joe realmente mexeram com seus pensamentos. Não conseguia entender como as coisas poderiam ter tomado um rumo tão diferente do esperado. Caminhava devagar com as mãos no bolso e olhando para os pés de vez em quando.



-Draquinho, meu amor..._ Pansy gritava histérica, enquanto imediatamente pulava no pescoço de Draco e dava um beijo ardente...



-O que está fazendo aqui?_disse tirando as mãos do bolso e tentando se livrar um pouco das garras da sonserina desesperada..



-ORA, EU SOU SUA NAMORADA..._dizia ainda gritando.



-Que tal você falar a palavra namorada, mais baixo. Sabe muito bem que só estamos ficando _disse Draco enquanto se desvencilhava dos beijos, que ela insistia em dar.



-E daí meu amor, eu te amo e você também me ama... é assim que as coisas devem ser... se não somos namorados em breve seremos né fofinho?



-Olha garota, amanhã estou saindo de viagem, vê se cuida da sua vida...Que eu...



-Viajar... mas Draquinho querido...



-Para de me agarrar aqui ta legal?_disse ele praticamente a empurrando.



-Draco você não era assim...o que está acontecendo? Foi aquela trouxa quem fez isso com você? Draco porque a beijou?_agora a garota gritava alto, e as lagrimas corriam na sua face...



Aquela era uma pergunta sem resposta para Draco. Ele ficou mudo, mas precisou prosseguir, precisava sair dali se livrar dela.



-Só estou te avisando que não quero mas preciso ir a esse lugar com  a ......



-É com aquela trouxa né? Você não vai você é meu entendeu Draco, ela não vai se meter entre nós. Ela não vai destruir o nosso amor...Porque a beijou?Agora vai viajar com ela... Draco você está gostando dela?



-Me dê licença Pansy não sou de ninguém, e por mais que eu esteja louco eu nunca iria me meter com um tipo daquele, e eu beijei....porque......porque....  para ver se você  parava com esse escândalo que fica fazendo toda vez que me vê... dá um tempo garota... já te disse que estamos ficando... e se você não parar com isso, nem isso você vai ter.._falou rudemente com ela...



-Mas Draco...



-Chega de mais, que agora eu preciso ir...



Ele deixou Pansy falando sozinha, e continuou impassível.



Caminhou um pouco mais e encostou o braço em uma parede, respirou fundo e passou as mãos nos cabelos...



 



“-Você ... háháhá...é quem ...hihaihaiha  sabe né?Até que ela é bem gostosinha...



-A não enche Joe, você sabe muito bem que só beijei aquela garota,para que ela calasse a boca...



-Jeito estranho de calar a boca de alguém em Malfoy, a menos que haja uma atração entre dois corpos...e assim...”



 



“-Não preciso que você me diga o que eu tenho que fazer entendeu



-Você não tem coragem......



 -Porque eu não teria Malfoy...?Não fale asneiras, você sabe muito bem que a qualquer momento posso te dar uma surra....se eu fosse você não pagava para ver..



-Tenho certeza que não pode ...não seria capaz..”



 



Precisava tirar aquilo tudo da cabeça. Era estranho como já não tinha mais controle sobre seus próprios pensamentos. Definitivamente, não queria voltar para o dormitório antes que Joe estivesse dormindo, estava cansado das besteiras que ele insunuava sobre ele e Hermione, então resolveu que não iria ficar ali parado, tiraria tudo aquilo da cabeça. Ódio não era a palavra exata para definir o que sentia, raiva tão pouco, só o que sabia era que podia ser algo muito forte, pois só conseguia sentir a intensidade dentro do seu peito.



Continuou caminhando pelos corredores, e as vezes olhava para seus polidos sapatos negros, por vezes admirava os quadros sem muito interesse. O que sabia era que apartir daquele dia algo mudaria, pois era o que acusava o seu sexto sentido.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Depois de ter arrumado as coisas, Gina saiu do quarto de Hermione, a deixando sozinha.



-Se precisar de alguma coisa, é só falar tá bem?



-Pode deixar Gina...boa noite. _ despediu-se exausta.



-Boa noite...



Estava cansada, acabada, agora Hermione só precisava de uma cama e um banho e uma boa noite de sono.



Entrou no banheiro, tirou a roupa e ligou o chuveiro no frio. As gotas de água escorriam por seu corpo e ela apenas fechava os olhos tentando não se concentrar na horrível e teimosa dor de cabeça, que ainda não desistira de atormentá-la, desde aquela fatídica hora em que começara.



Se deixou levar por pensamentos enquanto permanecia ali parada esperando os pingos caírem.



“Que dia horrível Hermione, em questão de horas sua vida se transformou no caos, pelo menos, eu espero que esse lugar para onde vamos seja no mínimo agradável. Que água gostosa geladinha, vai me garantir uma boa noite de sono, e assim vou esquecer aquele débil, mas, falando no oxigenado, como será que ele ficou no uniforme? A Gina tem cada ideia. Sabe que eu não deveria estar pensando nisso? Eu não deveria! Hermione acho que você está desenvolvendo algum tipo de neurose ou algo assim. Nossa eu estou pensando com toda essa calma nesse assunto. Deve ser isso, e isso é muito grave! Deixa eu desligar logo esse chuveiro, e partir para o meu sono dos justos.”



Saiu do banheiro e vestiu o pijama, agora a dor de cabeça parecia ceder um pouco, assim deitou na cama, e tentou não pensar em nada...Mas ele continuava em seus pensamentos seja para o bem ou para o mal.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Demorou algumas horas para que Draco, se  rendesse ao sono e voltasse para o dormitório, tudo estava silencioso (a não ser pelos roncos de Goile, que parecia ter engolido um trator)



Colocou seu pijama, e rapidamente, deitou se entregando ao sono profundo. 


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.