FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. 16 de novembro, apartamento


Fic: Até as últimas consequências - FIC DE AMIGO SECRETO 2008


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

15:12, segunda-feira, 16 de novembro, apartamento

Dois dias haviam se passado após aquela festa trouxa mal sucedida, em que Hermione, Harry e Draco precisaram retornar para casa após mais um desentendimento entre Hermione e Harry. As discussões entre eles eram constantes, mesmo que houvessem oficializado o noivado a pouquíssimos dias e o tivessem feito com a absoluta certeza de que era isso que eles realmente desejavam.
Hermione estava em seu quarto, o mesmo que dividia com Harry, deitada na grande cama de casal ao lado da janela que dava vista para a única avenida movimentada daquela cidade, aninhada contra as cobertas macias e os inúmeros travesseiros de pena de ganso. Era uma tarde fria e Hermione havia tirado o dia de folga, alegando dores de cabeça terríveis e indisposição para o seu trabalho no Ministério. Na verdade, ela só havia feito isso porque sabia que naquela tarde Harry teria uma reunião importante com alguns membros da Ordem e Draco era um dos poucos que não precisaria participar. Logo teriam a tarde inteira livre naquele apartamento para que ficassem juntos sem que corressem riscos algum. A casa era magicamente protegida, inúmeros feitiços a bloqueava de qualquer um que tentasse aparatar ali, portanto, estavam seguros até que Harry surgisse e batesse contra a porta, e ai então tudo voltaria a ser como antes, as farsas se fariam presentes.
Draco estava deitado ao lado dela, havia acabado de acender um de seus cigarros, o seu vicio mais constante, e soltava arcos de fumaça acima da cabeça de ambos. Estavam ali há aproximadamente uma hora, insaciáveis como se descobriram muito recentemente.
Repentinamente, Draco se afastou de Hermione, deslizando para a beirada da cama. Ela pareceu se assustar com a súbita ausência do louro ao seu lado, sentando-se na cama e observando-o sem entender muito do que ele estava fazendo. Draco manteve o cigarro aceso preso aos lábios enquanto tentava retirar algo debaixo do colchão.

- Você já viu o que o seu Potter guarda debaixo da cama? – disse a ela, sua voz soando distorcida pelo cigarro pendendo no canto dos lábios.

Hermione não fazia idéia do que ele estava falando, deslizou para próximo dele e o abraçou por trás, estavam ambos nus. Foi quando ele conseguiu, arduamente, retirar o que estava escondido em baixo daquele colchão, tornado o objeto visível aos olhos de Hermione.

- Uma arma?! – Hermione indagou a si mesma, seus olhos levemente arregalados pela surpresa quanto ao fato de Harry possuir uma arma de fogo.

- Eu não sabia que era assim que os trouxas se defendiam. – Draco comentou, analisando minuciosamente a arma em suas mãos.

Ele nunca havia se interessado por artefatos bélicos trouxas, mas o tipo de vida que estava sendo obrigado a levar naquela cidade ao lado de Hermione e Harry o estava afetando diretamente. Tudo começou com a admiração pelos variados automóveis, um tipo de meio de transporte que se tornara essencial para eles, logo em seguida vieram os vícios, como muitas das bebidas trouxas e a nicotina, e agora seu interesse estendia-se pelas armas tão potentes.

- Por que ele tem uma arma? – Hermione interrompeu o momento de divagação de Draco, abraçando-o ainda mais forte, sem tirar seus olhos de cima daquele objeto que ela julgava tão agressivo.

- Talvez porque ele tenha esquecido que é um bruxo. – ironizou, tragando uma vez mais em seu cigarro.

- Está carregada? - Hermione perguntou a ele, não gostava da possibilidade de Harry esconder uma arma carregada bem em baixo daquela cama.

- Não sei. – respondeu a ela, duvidoso.

Hermione bufou próximo ao ouvido dele, afastando-se e cobrindo-se com o lençol que estava sobre a cama, seu pavor em relação a armas de fogo fazia-se visível com suas expressões nada simpáticas.

- Guarda isso, Draco. – pediu a ele, um pouco irritada.

- Sabe onde ele guarda a munição? – Draco disse, abaixando-se e procurando pelas balas que ele esperava encontrar embaixo daquele colchão, também.

Hermione soltou mais um suspiro indignado, detestava as brincadeiras dele. Observou-o ainda mais atentamente, não conseguia parar de fazê-lo quando tão próxima dele. Draco estava encantador naquele corte de cabelo curtíssimo, era o seu homem perfeito, o seu amante e sabia que não viveria mais sem ele. Maldito dia em que ele havia entrado em sua vida e agora não poderia mais deixá-la.

- Você me assusta desse jeito, Draco. – comentou, antes de desabar sobre as almofadas novamente.

- Relaxa! – tranqüilizou-a, desistindo de sua procura pela munição e juntando-se a ela na cama.

Com um puxão rápido, Draco retirou o lençol que cobria o corpo de Hermione e o jogou longe dali. Posicionou-se sobre ela, segurando seu cigarro em uma das mãos longe o bastante deles, enquanto segurava a arma na outra. Deslizou seus lábios úmidos por toda a pele alva dela, beijando-lhe os seios e descendo pela barriga, onde provocou algumas cócegas nela. Incitando-a daquela forma, Hermione se sentiu pronta para mais uma relação. Draco capturou os lábios dela ligeiro, beijando-a vigorosamente, e antes que desfizesse o contato de bocas, mordiscou forte o lábio inferior dela, puxando-o de leve. Ele sabia atiçá-la. Mas então, com os lábios separados, ele a fitou maliciosamente, erguendo a arma e deixando-a visível bem diante da face de Hermione.

- Eu não devo levar muito jeito com isso. – disse a ela, sorrindo ao ver a expressão de irritação dela. - Quer ver?

- Pare com isso, Draco. – bateu forte contra a mão dele a fim de afastar a arma de sua visão, sem o menor êxito.

- Qual seu último desejo? – indagou a ela, sorrindo divertido com sua brincadeira e posicionando a arma contra a têmpora dela.

Era um gesto grosseiro, Hermione encarava a atitude dessa forma. Não estava achando a menor graça naquele joguinho estúpido, mas participaria apenas porque realmente tinha um desejo, um último desejo até que Harry chegasse da reunião e eles tivessem que voltar às farsas.

- Me faça sua de novo. – disse a ele, sorrindo faceira e acariciando-lhe a nuca.

Draco sorriu largo, imaginava mesmo que este seria o pedido dela. Foi quando a penetrou ligeiro, em uma estocada forte, ouvindo um gemido abafado vindo da sua castanha, acompanhado de um sorriso satisfeito.

- Pedido concedido, Herms. – sorriu maroto, apertando a arma ainda mais contra a cabeça dela, seu dedo posicionado e pronto para disparar. - Adeus minha bruxinha.

Hermione arregalou os olhos de leve, seu coração disparou em seu peito, sentiu seu corpo arder de um tipo de nervosismo, não sabia o que exatamente ele pretendia fazer, mas sabia que boa coisa não seria. Foi quando ele apertou o gatilho, e então um disparo...
Draco soltou uma gargalhada alta, tragando de seu cigarro quase esquecido em sua outra mão.

- Idiota! - bufou irritada, fechando os olhos e batendo forte contra a mão dele, dessa vez com algum tipo de êxito. - Largue isso.

E então um disparo... Falho. Havia sido um ruído fraco, próprio de um disparo vindo de uma arma descarregada. Hermione respirou aliviada, mas o que ele pretendia com aquilo?

- Ah, sem munição não tem graça. – Draco reclamou, esboçando uma expressão fingida de indignação.

Ele sabia que a arma estava descarregada, havia mentido desde o inicio para ela, queria apenas assustá-la, e havia conseguido. Moveu-se dentro dela algumas vezes, mas então a deixou sem ir até o fim. Ainda irritada, Hermione retirou o cigarro dos dedos dele quando ele os conduzia até os lábios, tragando de uma só e profunda vez. Sentiu a fumaça descer por sua garganta e invadir seus pulmões, mas conseguiu conter muitas das tosses que ameaçaram se desprender dali. Draco riu divertido, ela estava se viciando também?

- Será que eu sou uma péssima influência pra você, Granger? – disse a ela, sorrindo, mesmo que soubesse que ela não retribuiria a seus sorrisos.

Draco retirou o cigarro das mãos dela, estava gasto e pequeno, mal podia segurá-lo, e então deixou que a fumaça “acariciasse” todo o corpo dela, até que encostasse, sem aviso prévio algum, a pequena ponta acesa do cigarro contra a pele dela, um pouco abaixo do quadril, na parte lateral esquerda. Hermione fechou os olhos sentindo a ardência naquele local, não era uma sensação boa, mas a excitou completamente.

- Agora você tem uma marca minha. – Draco disse a ela, desfazendo o contato do cigarro com a pele dela e beijando-a fogosamente.

Foi o bastante para uma última relação antes que Harry retornasse ao apartamento.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.