FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. 6 dias, o incêndio


Fic: A Terra dos Esquecidos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

11 – 6 dias, o incêndio.

Hermione se sentia estranha, corria pelo bosque em busca de algo, algo altamente necessário. Como por instinto corria em direção ao centro do bosque, seu sonho poderia não ser somente sonho, havia algo mais...

Por aqui, deve ser por aqui...

Parecia que andava em círculos, tinha impressão que já havia passado por aquelas arvores, mas percebeu que não quando finalmente viu as ruínas... Uma casa muitíssimo antiga caída aos pedaços somente com a porta inteira. Com um pouco de imaginação era possível ver a antiga casa de seu sonho, a casa de Marry.

Se aproximou e nada parecia ter vida, não se ouvia nenhum ruído que não fosse seus passos. Determinada, seguiu em frente até chegar na porta, abriu-a e de repente tudo mudou, a casa parecia que nem havia passado todos aqueles anos, não havia ruínas, nem nada.

O silencio a incomodava, mas não recuaria, seguiria em frente, salvaria todos que a amava e que ela também amava.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Apolium acordou atordoado, estava num lugar escuro, mas quando sua visão se estabilizou viu Duda amarrada e com as roupas ensangüentadas assim como as dele. Não se lembrava do que havia acontecido, mas sentiu algo apertar seu coração ao ver sua amada Eduarda naquele estado. Não sabia se estava morta ou não, mas devia estar fraca.

Ele estava amarrado pelos pulsos e pernas, completamente imobilizado. Ele tentava de tudo, mas não conseguia se mexer, se amaldiçoava por deixar isso acontecer.

Duda estava fraca, sua Eduarda estava muito mal e ele não sabia o que fazer para ajudar. Tentava se soltar, mas não conseguia. Fechou os olhos e se concentrou, com um pouco de custo, conseguiu por fogo nas amarras e se soltou saindo com algumas queimaduras, se apressou para soltar Duda e com ela nos braços tratou de sair logo dali, sabe-se lá o que aqueles dementes dos Dampiros pretendiam com eles.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~**~*~*~*~*

Ron não se lembrava do que havia acontecido, sentia a cabeça doendo. Ainda estava na floresta e isso o alertou, estava amarrado numa arvore sem saber o que fazer. Como havia chegado lá? Ele não fazia idéia. Se esforçou para se soltar mais nada aconteceu.

Hermione... Precisava encontrar Hermione! Ela podia estar em perigo, na verdade ela estava. Sozinha num bosque, cheios de Dampiros e agora provavelmente vampiros também... Ele tinha que encontrá-la.

Hermione uma vez o ensinou algumas técnicas desconhecidas da maioria dos bruxos. Ele conseguiu aprender com facilidade apesar de tudo. Fechou os olhos e se concentrou. Os nós da corda. Logo eles começaram a se desfazer sozinhos.

Liberto, ele se levantou, mas sua alegria não durou muito, foi atingido de raspão por algo com fog que veio de trás dele.

– Onde pensa que vai???!!! – era uma voz masculina e rouca, não parecia nada amistosa.

– Quem é você?? – retrucou Rony olhando o alto homem Loiro que parecia ser alemão.

– Não interessa... Como conseguiu se soltar??

– Quem é VOCÊ????

– Sou Albert, e estou atrás da prometida.

– Quem é a Prometida... ?

– Marry, a única bruxa que pode nos salvar...

– E onde ela está? – Perguntou Rony levemente interessado.

– Ela morreu há mil anos...

– E como você quer achá-la? Ela está morta... – ron indignou-se.

– Ela voltou, só que Lea só poderá nos salvar se no seu coração tiver ódio e amor ao mesmo tempo, por isso tem que morrer! – disse se aproximando.

– Do que está falando? – Ron discretamente pegava sua varinha no bolso de trás.

– Verá agora! – o loiro desapareceu.

Ron ficou alerta, mas sentiu uma forte dor no braço e viu uma queimadura, o canalha o atingiu e Ron nem sabia de onde. Respirou fundo, mas a situação estava complicada. Se concentrou tentando ouvir algo, ouviu um passou e o atingiu com um feitiço estuporante. Viu algo voar longe e o loiro reapareceu.

O amarrou e esperou que acordasse, queria explicações.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

– Apolium, onde estamos? – disse Duda com a voz fraca.

– A salvo, pelo menos por enquanto. O bosque está repleto de Dampiros, teremos que nos esconder, mas vamos também atacar. Se sente bem? – perguntou ele preocupado.

– Sim, já estou bem... Como isso é possível? – disse Duda quando viu que seus ferimentos sumiam lentamente.

– Você é uma de nos, nos recuperamos rápido, só assim garantimos nossa sobrevivência.

– Eu vou ser assim para sempre. – perguntou e Apolium estranhou a pergunta.

– Não entendo o que quer dizer...

– Se eu quiser voltar a ser humana?

– Não voltará!

– Por que fala isso?

– Por que assim vai ser, será uma vampira para sempre e ponto final.

– Quem é Marry?

– Do que você está falando? – Apolium começou a se irritar. Não gostava de falar nela.

– Marry, enquanto você dormia eu escutei você dizer o nome dela. Quem é ela?

– Ela é só parte do meu passado, apenas isso. Vamos ter que atacar alguns Dampiros, pedi ajuda de uns vampiros para nos ajudar. Vamos acabar com essa raça maldita.

Por ora ela não tocaria mais no assunto, mas não queria viver uma mentira. Fora que sentia falta de ser Humana, pelo menos não era caçada como um animal.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Agia secretamente. O eclipse estava próximo e nada poderia dar errado. Pegou seu lendário livro milenar e folheou as paginas que pareciam novas, pois estavam protegidas magicamente. Antoniet havia dado um tempo nas suas tentativas de assassinato, mas nada ia dar errado. Ela sentou no chão e desenhou um pentagrama no chão, usando velas vermelhas e palavras de um estranho e esquecido idioma, ela tentava invocar seu Deus Dragon.

Uma nuvem particularmente estranha se formou diante de si, feita de fumaça e fogo. Sua aura se avermelhou e seus olhos ficaram negros, sua alma estava pronta. A nuvem sumiu e um sorriso maligno se formou em seu rosto.

Levantou-se e andou para a janela e a pulou, levitou até a mais alto que o topo das arvores e fechou os olhos, as nuvens começaram a ficar negras e um vento forte começou a bater nos seus cabelos.

Entre suas mãos uma chama se formava. A floresta ia arder.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

– Diga logo o que quer? – gritou Rony furioso.

– Sua Hermione tem que morrer para trazer Marry de volta.

Eduarda e Apolium andavam com cautela quando ele ouviu o nome de Marry. Eduarda sentiu um gosto amargo na boca.

– Você não vai encostar um só dedo na minha Mione, ou estará morto pelas minhas mãos.

– Marry é a única que poderá derrotá-los, é a vida de Hermione ou a humanidade.

– A humanidade que vá para o inferno, na minha Mione ninguém encosta.

Apolium respirou fundo, havia transformado Duda em vampira por ter se encantado por ela, mas Marry foi seu grande amor, mesmo nunca tenha sido correspondido. Duda estava lá vendo a reação dele e não gostou de como ele deu atenção ao assunto.

– Marry foi a maior bruxa de todos os tempos depois de Merlin, mas nunca foi reconhecida, só ela pode nos ajudar. A alma da sua Hermione é a alma de Marry reencarnada, mas não são a mesma pessoa, temos que trazê-la de volta. Eu sei como.

– Pois não va... – Rony foi atingido nas costas e caiu desacordado.

– Se eu te ajudar, você a trás de volta? – perguntou Apolium com as mãos ainda em chamas esquecendo-se completamente de Eduarda.

– Se me soltar, posso sim...

– Ótimo.

Apolium soltou o Albert, Duda desapareceu e Apolium nem notou. Ela não deixaria barato esse descaso.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Seus olhos negros apontava para o céu e assim começava a tempestade e o céu estava escuro. Antoniet estava bem acima do acampamento de Andrômeda. Quando a viu fez que raios se formassem no céu, ela era a própria encarnação do mal, não se importava com quem mataria, ela exterminaria todos aqueles que se pusessem no seu caminho.

Andrômeda a via e não conseguia acreditar, Antoniet havia dobrado seu poder que já não era pouco. Ela sentia isso no seu próprio corpo.

– ANTONIET, PARE COM ISSO!!!! –gritou Andrômeda com a ultima esperança de Antoniet acordar.

– Vá para o Inferno... – murmurou a vampira quando uma imensa bola de fogo se formou em cima da sua cabeça, que sem pestanejar jogou no acampamento.

Protetores de Andrômeda se jogaram em cima dela e formaram uma barreira protetora para que o fogo não os atingisse. Um dos dampiros abriu suas asas negra e levantou vôo, mais antes de chegar na vampira, seu corpo virou cinza, assustando grande parte dos Dampiros. Vultos negros cruzaram o céu e formaram uma linha de batalha. Vestidos de caps negras desceram furiosos para a terra para atacar os Dampiros. O fogo se alastrava no bosque e muitos animais fugiam.

Destruição. Muitos Vampiros e dampiros caiam feridos e até mortos no chão do bosque, a chuva caia forte e raios controlados por Antoniet atingiam tudo que era vivo.

Mas de repente, tudo se acalmou, a chuva parou e Antoniet estava paralisada. Atrás dela estava numa espécie de concentração, meditação, Andrômeda e Gina. As duas com a poder da mente tentava controlar o poder nefasto da vampira. Harry em cima de sua vassoura apontava a varinha para Antoniet e um feixe de luz continuo sai dela e ele murmurava uma maldição que provavelmente aprendera com Hermione. Ninguém fazia idéia do poder de Ginevra, mas logo saberiam.

Antoniet de algum modo desapareceu e os vampiros sobreviventes também sumiram. Ninguém sabia como.

O desastre só havia começado.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

tentarei postar o próximo até domingo.

bjs

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.