FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. Capítulo X


Fic: Na escuridão da sua ausência


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo Dez

All the love gone bad turned my world to black...
(Todo amor virou mal e levou meu mundo pro escuro)
...tattooed all I see...all that I am...all I'll be.
(...Tatuando tudo que eu vejo, tudo que eu sou, tudo que eu poderia ser)
yeah... Uh huh...uh huh...ooh...

:.: O grande dia havia chegado. Rony estava extremante nervoso e perguntava sem parar se todas as coisas estavam saindo do modo planejado. Harry ficou responsável por ajudar o amigo a se arrumar para o casamento, já que Rony, nas condições em que estava, não conseguiria achar uma meia sequer.
- Será que já chegou todo mundo? E se vier muita gente e não tiver cadeiras? Eu bem que falei pra Mione não chamar muita gente senão não ia caber - Rony disse impulsivamente.
- Rony, procure relaxar, vai dar tudo certo. Você está muito nervoso - disse Harry ao amigo.
- Nervoso? Eu? - disse enquanto roia as poucas unhas que lhe restaram. - Não estou nervoso!
- Imagina! - disse sarcasticamente.
- Será que a Gina vai poder vir? - Rony pensou alto.
- Eu já lhe disse um zilhão de vezes, Rony, que Dumbledore cancelou as aulas de hoje por causa do casamento de vocês - disse Harry, tentando acalmá-lo. - Afinal ele não deixaria de vir no casamento da professora de Defesa Contra as Artes das Trevas de Hogwarts, não é mesmo?
- Hermione deve estar feliz com isso, pois você sabe que ela não gosta de perder um dia sequer de serviço - disse um pouco mais calmo.
- É, a Mione não muda - concluiu Harry, lembrando-se de como a amiga era esforçada nos estudos e presumia que no trabalho devia ser da mesma maneira.
Rony, neste instante, parou de se olhar no espelho e encarou Harry com uma feição muito séria no rosto.
- Obrigado por tudo, tá Harry? Eu sei que nestes últimos dias eu estou sendo um chato por causa dos preparativos para o casamento, mas você está sendo um amigão. Aliás, você sempre foi, né?
- Ah... Imagina, Rony - disse encabulado. - Amigos são para essas coisas.
- Obrigado - disse, abraçando o amigo de tantos anos e de tantas aventuras.
Harry sentiu, durante o abraço, que seu abdômen ainda doía, devido a fratura que sofrera na batalha final contra Voldemort. Harry havia passado semanas na enfermaria da escola após vencer o bruxo e seus Comensais, que haviam invadido Hogwarts.
- Acho melhor nos apressarmos, Rony, pois quem chega atrasada é a noiva e não o noivo - disse, desvencilhando-se do abraço.
- Ainda mais se o noivo está com o padrinho, não é mesmo? - Rony acrescentou com um sorriso.
O salão de festas, que fora alugado para o casamento, estava muito bem decorado. Haviam muitos lírios espalhados por todo o local. Um altar estava disposto de frente aos bancos, que contornavam um imenso tapete vermelho de veludo.
Os bancos já estavam quase cheios. Amigos e parentes dos noivos já estavam sentados com sorrisos abertos nos lábios. Há alguns meses não tinham momentos bons, pois as memórias da batalha final de Voldemort ainda permaneciam nítidas em suas mentes. Mas naquele dia todos sorriam felizes pelo casal, pois sabiam o quão imenso era o amor deles.
Assim que Rony e Harry entraram no salão notaram os rostos conhecidos. Estavam presentes Dênis e Colin Creevey, com sua inseparável máquina fotográfica, Simas Finnigan, Dino Thomas, Angelina Johnson, Parvati e Padma Patil, Lilá Brown e até Vítor Krum, o que fez com que Rony emburrasse a cara no mesmo instante em que o viu.
- Não acredito que o convencido do Krum veio - disse Rony ao ouvido de Harry.
- Mas vocês o convidaram, não é? - disse Harry quase rindo, pois lembrava da admiração que Rony tivera pelo apanhador da Bulgária.
- Eu não queria convidá-lo, mas a Mione disse que seria falta de educação não o chamar... Hum... Perda de tempo! - disse, fazendo uma de suas caretas características.
Todos os professores de Hogwarts estavam presentes, a exceção de Severo Snape, que havia morrido lutando contra Voldemort. Até Draco Malfoy, que aceitou sem muita explicação o cargo de professor de Poções na escola, estava presente. Antes mesmo que Rony pudesse notar a presença de Malfoy o bruxo se aproximou e disse, com uma voz arrastada:
- Bonita festa, Weasley. Deve ter te custado meses de salários do seu empreguinho chulé no Departamento de Jogos e Esportes Mágicos, não é mesmo?
Rony havia sido promovido no serviço, passando a ser assim Chefe de Departamento de Eventos Esportivos. Apesar disso, Draco Malfoy ainda o perturbava com seus comentários impertinentes.
- Olha quem fala... Você vivia se gabando na época da escola, dizendo que seria Ministro da Magia e, olha agora: professor de Poções em Hogwarts - disse Rony calmamente, não estava a fim de brigas no dia de seu casamento. - Quem diria, hein, Malfoy?
Draco Malfoy se demonstrou realmente afetado com a colocação de Rony e se limitou a dizer somente "Tive os meus motivos" antes de sair andando.
A música ambiente dava ao local uma sensação de tranqüilidade. O dia estava claro e pela proximidade que o salão de festa tinha de um campo florido o perfume das flores era o odor predominante.
- Cadê a Gina, Harry? - perguntou Rony assim que se deu conta que não vira a irmã desde cedo. - Ela é minha madrinha de casamento, juntamente contigo, não pode faltar.
- Ela disse que demoraria a chegar porque ia ajudar Hermione a se vestir.
Neste instante, os dois viram Gina entrar pelo salão.
- E aí, Gina, como estão as coisas? E Mione, como está? - disse Rony, demonstrando-se nervoso mais uma vez.
- Calma, Rony, está tudo dando certo. A Mione está linda e vai entrar a qualquer momento - disse, já segurando o braço de Harry, que seria seu par como padrinho.
- Calma por quê? Não estou nervoso - disse Rony, roendo as unhas mais uma vez.
- Imagina! - disse Harry e Gina quase ao mesmo tempo.
Ouviram, neste momento, o som da Marcha Nupcial começando a tocar. Todos os presentes pararam de conversar e olharam para trás, na esperança de ver a noiva.
Rony sentia seu coração bater mais forte, parecia que ele sairia por sua boca. Estava sentindo uma felicidade sem igual, era mais forte que ele. Queria chorar, sorrir, gritar e muitos outros bons desejos.
Hermione apareceu, então, no início do tapete vermelho. Estava acompanhada de seu pai. Seu vestido era branco e seu véu era comprido e preso em uma tiara de brilhantes. O vestido era rendado com detalhes azul claro e com uma calda que se arrastava a metros de distância da noiva. Seus cabelos estavam soltos e com uns cachos bem definidos. Os sapatos altos destacavam bem o porte elegante que Mione tinha. O buquê de Hermione era feito de lírios brancos, assim como a decoração. Estava mais linda do que nunca!
A bruxa entrava no salão com um sorriso enorme no rosto. Sua felicidade era expressa em seu olhar. Todos olhavam admirados para a beleza que Hermione possuía. Rony não conseguiu segurar as lágrimas e, por mais patético que pudesse parecer, chorou. Chorou de felicidade!
Quando Hermione alcançou o noivo lhe deu a mão esquerda, soltando a outra mão de seu pai. Rony cumprimentou o sogro com um aceno e beijou suavemente a mão da noiva. Os olhares se encontraram e ambos souberam o quão feliz o outro estava.
"Eu te amo", Rony pôde ler esta frase nos lábios de Hermione. :.:
- Está aberta a segunda parte do julgamento de Ronald Weasley - disse um dos homens vestidos de branco. - Dou a palavra ao digníssimo Sr. Set Vigme.
- Obrigado, César - o Pescador de Ilusões de Rony já havia se levantado. - O meu querido amigo Alden Domus mostrou, há algumas quimeras atrás, o que meu cliente fez com seu filho após a morte de sua esposa, Hermione G. Weasley. Mas o que temos de considerar também são as grandes boas ações que meu cliente fez em vida. Não podemos ser tão firmes e puni-lo por um erro cometido pouco antes de morrer...
- Se o caro Pescador de Ilusões me der licença - disse Alden Domus, levantando-se de sua cadeira -, a principal acusação a qual o Sr. Weasley está sendo julgado é de suicídio, ou seja, de assassinato!
Se Rony tinha dúvida de sua antipatia por seu Aparador de Utopia agora não tinha mais.
- Esta acusação de suicídio eu me aprofundarei mais adiante - disse Set calmamente, fazendo com que Domus se sentasse mais uma vez. - O fato é que Ronald Weasley amava, sim, e ainda ama seu filho, Jonathan Weasley. Todos nós sabemos que quando os vivos ficam emocionalmente abalados falam coisas sem pensar. Vou lhes mostrar que meu cliente ficou muito feliz com a gravidez da esposa.
A sala começou a escurecer novamente e no telão surgiu a imagem de Hermione. Rony sentiu, ao ver seu amor no telão, um aperto no coração de tanta saudade.
A bruxa lia, muito sorridente, uma carta que estava em suas mãos. Parou de ler e guardou rapidamente esta carta na maleta de Rony.
- Mione, você viu minha maleta? - perguntava Rony, da cozinha, aos gritos.
- Está aqui na sala, meu amor - disse com um sorriso maroto.
- Ah, preciso ir que eu estou mais que atrasado – ele pegava a maleta enquanto beijava a esposa. - Acho que vou chegar tarde hoje, então, não me espera para jantar, tá?
- Justo num sábado? Você sabe que fim de semana é o único tempo que temos para passarmos juntos, já que estou em Hogwarts durante toda a semana - disse com uma voz melosa.
- Você sabe que se eu pudesse eu passaria todo o tempo contigo, mas não posso.
- É uma pena você se atrasar hoje, pois vou fazer uma comidinha do jeito que você gosta... Para comemorar. - Comemorar o quê? - indagou.
- Nossa felicidade, meu amor - ela disfarçou. - Agora vá que você está realmente atrasado.
Rony deu mais um beijo em Hermione e desaparatou no meio da sala. Mione se encaminhou, ainda com um sorrisinho maroto, até a cozinha. Na cozinha havia um relógio que, como o relógio d'A Toca, mostrava onde cada um da casa estava. Um dos ponteiros, com o nome de Hermione, apontava "casa" enquanto o de Rony estava indo em direção à palavra "trabalho".
- Um, dois, três... - Hermione contava, pausadamente, como se fizesse contagem regressiva para algo que aconteceria. - ...Quatro, cinco, seis, sete, oito, nove... - e no exato momento em que Hermione disse "dez" o ponteiro com o nome de Rony foi em direção da palavra "casa" novamente.
- Mione... O que... Esse exame... O que... Ahn...? - disse Rony, aparecendo de repente na cozinha.
- Calma, meu amor. Venha, sente-se aqui - disse Hermione, ajudando o marido a se recompor. - Está mais calmo?
- Mas o que... Na minha maleta... O que... O exame...? - Rony estava nitidamente confuso.
- Isso é um exame mágico de gravidez - disse Mione com a mais pura tranqüilidade.
- Gravidez... De quem? - Rony não dizia coisa com coisa.
- Minha, né Rony? De quem mais poderia ser? - ela disse ligeiramente brava.
Neste momento Rony percebeu o que realmente estava acontecendo. Um filho! Um filho dele com seu grande amor! Só podia ser um sonho!
- Um bebê - essa foi a única coisa que Rony conseguiu pronunciar.
- Não, Rony, uma lula gigante. É claro que é um bebê... Nosso bebê.
- Nosso bebê... Nosso bebê! - ele disse aos berros. Não se continha de felicidade. - Nosso bebê... É nosso bebê, Mione... Meu e seu... Nosso.
- O filho que sempre desejamos, Rony - Hermione também não continha a emoção; lágrimas correram pelo rosto da bruxa.
- Ela vai ter todos os brinquedos bruxas que quiser, roupas novas, vai ser linda, mas não vai namorar... - disse Rony, passando a mão na barriga de Hermione, perdido em seus pensamentos.
- E se for menino? - Hermione sorria com o entusiasmo do marido.
- Se for menino ele será um grande jogador de quadribol... Provavelmente um apanhador... Vai para Hogwarts e cairá na Grifinória, como nós dois. Tenho certeza que ele herdará sua inteligência e sua beleza - disse, olhando bem firme para a esposa. - Obrigado Mione.
Hermione sorriu e disse:
- Obrigado por quê?
- Por me fazer o homem mais feliz do mundo! - disse, beijando a barriga da esposa.
A cena começou a desaparecer e o lugar começou a clarear novamente. Todos na sala tinham feições nos rostos que Rony classificou como boas. A cena que Set havia escolhido para passar realmente comovera a várias pessoas no tribunal.
- Tenho muitas outras cenas que mostram o quanto meu cliente pretendia ser um bom pai. A fatalidade que aconteceu com a Sra. Weasley foi somente um estopim para uma ação impensada. Ronald Weasley não sentia realmente tudo aquilo que disse contra o filho. Ele se arrependeu disso e merece uma chance - Set disse de maneira convicta. - Acredito que todos aqui já perceberam que meu cliente é uma boa pessoa, basta agora julgar se ele merece ir para a Terra da Luz por causa de suas boas ações ou não - e, indo em direção à mesa, onde Rony estava sentado, concluiu. - Sem mais defesa.
Pela primeira vez desde que chegara no Limbo Rony se sentiu seguro. Havia confiança nas palavras de seu Pescador de Ilusões, sabia que tinha chance de ir para a Terra da Luz e passar toda a eternidade com Hermione.
- Se o Sr. Set Vigme terminou sua defesa tenho esta audiência por encerrada - disse novamente o homem vestido de branco. - O veredicto será dado daqui a 15 quimeras.
:.: Rony e Hermione tinham saído da festa mais cedo, como é de praxe em todos os casamentos. Estavam agora em um hotel bruxo muito luxuoso, em Londres.
- Espere um instante - disse Rony, pegando Hermione no colo e a carregando até o quarto. - Todo noivo precisa carregar a noiva na lua de mel. É para dar sorte.
- Sei que teremos muita sorte.
A suíte em que estavam era enorme e tinha uma bela decoração. Havia no centro uma grande cama com um lençol de seda a forrando.
- Tudo isso parece um sonho! - disse Hermione ao contemplar o esplêndido quarto.
- Você é um sonho, Mione. Você é meu sonho que virou realidade, sabia? - disse Rony, abraçando a esposa. - Te amo Sra. Weasley, minha esposa.
- Eu também te amo Sr. Weasley, meu esposo.
Os dois estavam sentindo uma felicidade embriagante. Tudo aquilo que estava acontecendo parecia realmente ser um sonho. Tudo estava saindo melhor do que planejavam. A noite parecia não acabar. Nada poderia estragar aqueles momentos de prazer. Amaram-se durante toda noite. Sentiam-se envoltos em um sentimento mágico e perfeito. Pertenciam-se um ao outro.
- Te amo! Te amo! - diziam, pois se amavam mais do que tudo:.:
N/A: Este capítulo 10 eu estou dedicando a minha amiga Biba Akizuki, que fez 18 aninhos no dia 14. "Parabéns a você, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida..."... Felicidades, fofa!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.