FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

53. Capítulo repostado 8/12


Fic: Uma brincadeira do destino - Epilogo postado


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Os caprichos do tempo são algo que Draco e Hermione já se acostumaram, aos do tempo e aos do destino, o loiro e a morena aprenderam da forma mais difícil que não há como lutar contra eles. Não há como lutar contra o tempo e o destino, mas há como lutar contra várias outras coisas e é por isso que neste momento eles estão em uma ala do hospital que foi preparada para que eles possam dar a entrevista prometida. O casal se entreolha, eles conversaram muito sobre isso antes de decidir como fariam. Não vai ser fácil, mas eles acham que vai ser o melhor para acabar de vez com essa história.



- Vai dar tudo certo – Draco sussurra enquanto segura o rosto de Hermione entre as suas mãos e a beija carinhosamente – nós vamos fazer isso juntos. Essa história acaba aqui.



E dizendo isso eles se dirigem ao local da entrevista...



XXXXX



Pouco antes



Gina olha a profusão de repórteres que aguardam ansiosos. Eles não têm ideia da notícia bombástica que terão hoje, ela pensa sorrindo, definitivamente as coisas vão ficar um pouquinho loucas depois. Mas pensando bem é melhor assim, ela fala para si mesma, quem sabe assim as coisas finalmente se ajeitem.



Ela vê que os repórteres a encaram e muitos deles parecem querer fazer alguma pergunta, mas o seu olhar a lá Molly Weasley faz com que ninguém tenha coragem de lhe dirigir a palavra. Então ela diz:



- Senhores, eu peço que se acomodem, em alguns minutos o senhor Malfoy e a senhorita Granger estarão com vocês. Antes disso eu gostaria de dizer que eles vão dar uma declaração que abrangerá temas controversos entre eles a notícia que saiu no profeta há alguns dias, eu peço que deixem que eles expliquem tudo antes de qualquer tipo de pergunta. Essa é uma condição que eu como medibruxa estou impondo, a senhorita Granger não pode se estressar.



Ela vê que alguns repórteres até querem fazer algumas perguntas, mas temem que sejam retirados e não possam ouvir a declaração do casal mais famoso do mundo bruxo no momento. O melhor a fazer é ter um pouco de paciência.



Neste momento Draco e Hermione adentram o recinto. O loiro empurra uma cadeira de rodas onde uma Hermione obviamente ainda grávida se encontra. Draco sorri mediante o burburinho que se forma. Na cabeça dos repórteres apenas um pensamento, mas como?



XXXXX



Enquanto isso



Harry e Rony se preparam para ir ao hospital. As coisas vão realmente ficar feias depois de tudo o que aconteceu nos últimos dois dias. Harry olha para o amigo, Rony lhe contou que não havia sinal da esposa no dia em que ele foi ao apartamento o que deve indicar que ela voltou para a Espanha, isso seria bom se o ruivo não estivesse andando como um zumbi nos últimos tempos.



- Eu vou passar no apartamento depois que a gente sair do St Mungus – Rony diz – vou ver se ela deixou alguma coisa. É estranho ela sair assim, ela deve ter deixado algum bilhete sobre como encontrá-la, afinal a gente precisa assinar os papeis da anulação.



Harry assente com a cabeça – você quer que eu vá com você? – ele vê o amigo negar



- Não precisa, obrigado – Rony diz – eu preciso resolver estas coisas sozinho. Será que já deu tempo? – ele olha para o relógio



- Acho que a entrevista deve estar começando agora – Harry pensa por um momento – se a gente se apressar ainda pegamos os repórteres de queixo caído, antes de fazer o nosso trabalho.



- Então vamos nessa – Rony sorri – eu não perco isso por nada – ele diz e os dois homens partem em direção ao hospital St Mungus...



XXXXX



No hospital



Os repórteres se entreolham sem saber se devem ou não perguntar, o senhor Malfoy foi muito claro quando disse que gostaria de fazer uma declaração primeiro e só depois abriria para as perguntas. Eles temem que caso alguém não siga as regras ele cancele a entrevista, mas a pergunta está no ar.



Hermione sorri e olha para Draco que assente com a cabeça – como os senhores podem ver – ela sorri – meu bebê ainda não nasceu, eu sei que existem muitas perguntas e elas serão respondidas no devido tempo, mas primeiro nós vamos explicar tudo o que aconteceu, peço que tenham um pouco de paciência – ela olha para Draco que toma a palavra



- Bem senhores, primeiro nós vamos explicar a respeito do falso boato sobre o nascimento do bebê. Peço desculpas por fazer com que alguns perdessem seu tempo, mas acreditem foi preciso. Depois eu falarei a respeito da concepção do nosso filho, em seguida caso alguém ainda tenha alguma pergunta eu terei o prazer de responder desde que não me interrompam.



Ele vê que a maioria dos repórteres assente com a cabeça, então o loiro pigarreia e continua:



- Primeiro queremos pedir desculpas pelos boatos a respeito do nascimento da nossa criança. Tudo teve um motivo que vamos esclarecer agora – ele olha para Hermione que continua:



- No início da minha gravidez foi constatado que a minha pressão estava mais alta do que o ideal e que por este motivo eu deveria evitar qualquer tipo de aborrecimento, principalmente nesta fase final – ela suspira – não preciso dizer que os últimos meses foram bem difíceis pra mim em virtude de alguns de vocês – ela vê que alguns se entreolham envergonhados – eu sei que vocês fazem o seu trabalho, mas tudo tem limite.



- Sim, senhores – Draco toma a palavra – tudo tem um limite e um de vocês vem ultrapassando todas as barreiras do aceitável e do ético. Eu posso dizer até de forma desleal com os próprios colegas, esta pessoa colocou em risco o bem estar do meu filho e da mãe dele quando usou estes subterfúgios e desta forma nós tínhamos que pará-la, por isso toda esta encenação a respeito do nascimento da criança – Draco olha para os presentes, alguns estão boquiabertos outros olham sem entender direito – eu vou contar o que aconteceu e digo que vocês têm a nossa autorização para publicar esta história – ele sorri ao ver os olhos de alguns deles brilhar como uma criança a quem disseram que a partir de agora haverá natal uma vez por mês. Draco suspira e começa a sua narrativa...



XXXXX



Voltando há dois dias atrás...



O loiro saiu esbaforido do quarto quando Hermione falou algo sobre a bolsa. Ele não entendeu direito, mas uma coisa ele entendeu muito bem, seu filho vai nascer e nada o preparou para o que ele está sentindo. Draco corre sem destino por alguns minutos até achar a medibruxa ruiva e dizer a ela o que está acontecendo, Gina parte em direção ao quarto de Hermione ao mesmo tempo em que chama um assistente e pede que ele prepare uma sala de parto, Draco a vê entrado no quarto de Hermione e a levando com ele em seu encalço ainda achando tudo uma situação surreal.



Eles vão até uma sala que ele não conhece, mas antes que Draco entre Gina o impede – você fica, Malfoy.



- Uma ova que eu fico! – ele rebate – é o nascimento do meu filho e eu quero participar – o loiro a encara disposto a brigar.



- Eu vou examiná-la primeiro – Gina sustenta o olhar furioso do loiro – e você não vai estar presente mesmo! É constrangedor e eu sei do que eu estou falando, eu coloquei o Harry pra correr nesta hora quando eu fui ter meus filhos. Então espere quietinho aqui fora que eu te chamo em alguns minutos – ela diz enquanto fecha a porta antes que Draco possa falar alguma coisa e a ele só resta esperar.



Por sorte, a espera não foi muito longa embora para Draco parecessem horas. Alguns minutos depois a medibruxa diz para o loiro entrar e Draco respira fundo e entra rezando para estar mesmo preparado para o grande momento. No entanto, para a sua surpresa Hermione se encontra na sua cadeira de rodas e seu semblante definitivamente não é o de uma mulher que está prestes a ter um bebê.



O que aconteceu? – o loiro consegue perguntar em meio ao atordoamento



- Relaxa, Malfoy – Gina diz com um sorriso bem sarcástico em seu semblante – foi só uma encenaçãozinha para que a história do bebê nascendo seja mais verossímil, eu duvido que exista alguém em todo o St. Mungus que não saiba que o herdeiro Malfoy vai nascer. A esta altura os jornais já foram avisados e em breve estarão por aqui.



- Você não fez isso comigo! – ele olha acusatoriamente para Hermione



- Desculpa, foi mais forte que eu – Hermione diz tentando parecer culpada – é que de repente me ocorreu que assim ficaria mais realista, eu não queria te assustar.



- Se te consola, Malfoy. Eu também não sabia de nada e me assustei tanto quanto você – Gina diz – agora vamos ao que interessa



Nem bem ela diz estas palavras, Harry e Rony vestidos de enfermeiros entram – vocês verificaram a sala? – Harry diz



- É claro – Gina responde com um suspiro – estamos seguros



- Então vamos dar início – Hermione fala ao mesmo tempo em que arranca um fio de cabelo da sua cabeça com uma pequena careta – pelo que eu conheço daquela víbora, ela não vai demorar pra tentar arrancar alguma coisa. Só temos que esperar...



XXXXX



De volta aos dias atuais



Draco olha para a plateia, ele não se lembra de algum dia ter um bando de repórteres tão absorto em uma história e tão curioso também. Ele pode ver que muitos deles estão se segurando para não falar e se arriscar a ser colocado pra fora. O loiro tem que admitir que ele está gostando muito da situação e vai gostar mais ainda do que virá. Então ele diz:



- Eu sei que todos vocês estão curiosos, mas tenham mais um pouco de paciência. Como eu disse, foi tudo uma armação e depois que estava tudo pronto nós tínhamos que esperar e não precisamos esperar muito...



XXXXX



Novamente há dois dias atrás



Draco olha o vulto moreno de cabelos cheios que se encontra de olhos fechados, ao lado da cama um berço. O loiro ainda está meio estupefato com tudo, mas isso não tira o seu foco e ele sabe exatamente o que tem que fazer agora. Então ele boceja uma vez ou duas e se prepara para descansar um pouco, amanhã o dia vai ser longo, ele gostaria muito de ficar, mas ele sabe que não pode, a medibruxa ruiva foi categórica quanto a isso. Então ele dá uma última olhada e fecha a porta atrás de si...



XXXXX



Pouco depois...



A penumbra do quarto é exatamente o que ela precisava. Vai ser arriscado, mas ela não resiste e ela sempre pode se transformar se notar que algo está acontecendo. Então Rita Skeeter assume a sua forma humana enquanto chega perto do leito. Se tudo der certo ela ouvirá algo que valha a pena publicar e quem sabe ela consiga uma foto do herdeiro em primeira mão, ela já imagina a manchete destacando a forma de concepção da criança com uma bela foto do rebento Malfoy.



Ela se aproxima do berço após lançar outro olhar na mãe adormecida, ela pesquisou sobre isso e sabe que as mães costumam tomar uma poção que as permita descansar enquanto a criança dorme, os medibruxos sabem que elas precisarão de toda energia depois, então a repórter se sente relativamente segura, o seu medo era que o senhor Malfoy ficasse no quarto, pois assim seria muito arriscado tomar a sua forma humana.



Ela se aproxima do berço cautelosamente, mas antes que chegue perto o bastante para pegar qualquer tipo de informação uma voz a paralisa:



- Não se mexa Skeeter! Você está presa por invasão e por utilizar a sua forma animaga para espionar as pessoas e obter informações ilícitas...



XXXXX



De volta ao momento atual



- Conforme o senhor Malfoy narrou – a voz de Harry Potter se faz ouvir, enquanto ele entra no recinto – nós pegamos um de vocês invadindo o quarto da senhorita Granger que evidentemente não estava lá. A senhorita Skeeter valendo-se do fato de ser um animago não registrado, um besouro pra ser mais exato, conseguiu entrar no quarto e estaria pronta para dar a notícia em primeira mão se tudo não fosse uma armadilha para pegá-la – ele se cala por alguns instantes enquanto um burburinho de vozes indignadas se forma, provavelmente alguns deles também já foram prejudicados pela repórter inescrupulosa.



- Nós não vamos dar detalhes – Harry continua – mas o fato é que a senhorita Granger foi levada para um local seguro e nós colocamos alguém usando a poção polissuco em seu lugar, e quanto ao bebê, um berço com um boneco enfeitiçado para emitir choro de vez em quando que facilmente enganaria alguém que não estivesse muito perto e a colega de vocês foi pega em flagrante e vai responder por invasão, uso da forma animaga sem registro e algumas outras acusações que os advogados do senhor Malfoy e da senhorita Granger farão. Ela se encontra neste momento em uma cela no quartel dos aurores e após julgamento passará alguns meses em askaban onde esperamos que ela aprenda que existem limites que não devem ser ultrapassados.



- Nem preciso dizer que os senhores estão autorizados a publicar esta história também – Draco diz com um sorriso cínico – embora eu deva dizer que isso provavelmente vai denegrir a imagem da imprensa para muita gente, enfim vocês decidirão. Bem, esta foi a primeira parte apenas pra explicar o porquê do boato lançado a respeito do nascimento do meu filho – ele olha para Hermione e respira fundo – agora iremos revelar a respeito da notícia sobre a concepção do nosso filho.



Ele olha para Hermione que respira fundo e segura a sua mão. Eles conversaram e decidiram que seria assim, sem subterfúgios, sem mentiras. O casal não quer mais se arriscar a inventar alguma história ou mascarar a verdade e correr o risco de que depois alguma coisa venha à tona. Então eles vão logo passar por isso juntos.



- Bem – a morena começa – antes de contar a história, eu quero dizer que o que eu fiz foi algo que acontece no mundo trouxa com uma relativa normalidade e que é muito usado por casais que não conseguem ter filhos – ela vê os olhares estupefatos de muitos – nós bruxos temos a magia, os trouxas, bem, eles têm a ciência e a tecnologia e eu como nascida trouxa me orgulho de fazer parte deste mundo e poder usufruir disso quando necessário.



Ela vê que muitos repórteres talvez nascidos trouxas ou mestiços assentem com a cabeça, então Hermione continua – eu sempre quis ser mãe, no entanto meu trabalho e outras coisas acabaram atrapalhando que eu me relacionasse com alguém. Eu estava até disposta a abrir mão de um marido e um casamento, mas não de ter um filho. Então eu decidi utilizar a tecnologia trouxa para realizar o meu desejo – ela vê que muitos não estão entendendo, mas Hermione não quer se aprofundar no assunto no momento, então ela diz – eu me proponho a enviar um material sobre isso depois para quem se interessar, mas agora isso não é o que interessa, basta vocês saberem que sim os trouxas podem fazer isso e eu decidi que teria um bebê assim.



- Sem um homem? – uma voz ao fundo não resiste e pergunta.



- Sim e não – Hermione diz – é claro que é preciso da parte masculina, mas o homem não precisa cumprir o seu papel se é que me entendem. Mas por favor, se eu for explicar isso com detalhes meu filho vai entrar em Hogwarts e vocês ainda terão perguntas e tirando que nenhum de vocês vai mesmo publicar tantos detalhes técnicos. Mas voltando ao que interessa eu queria ter um bebê e recorri aos métodos trouxas, eu sei que alguns de vocês estão perguntando onde o senhor Malfoy se encaixa – ela diz e olha para o loiro.



Draco respira fundo e pigarreia, ele não se sente confortável com isso, mas ele e Hermione combinaram que não haveria mais segredos, então ele começa:



- Como é do conhecimento dos senhores, eu fiquei afastado por alguns anos do mundo bruxo por causa de uma doença grave – ele vê alguns assentirem com a cabeça – eu não entrei em detalhes porque sempre achei que isso não era da conta de ninguém, mas a doença que eu tive é muito rara entre os bruxos e por este motivo não havia tratamento bruxo, então eu tive que recorrer a um tratamento trouxa.



Ele faz uma pausa e respira fundo. Neste momento seria fácil ouvir o barulho de uma agulha caindo, então ele continua:



- Foi um tratamento longo e difícil e eu poderia ficar com algumas sequelas, entre elas eu poderia ficar incapaz de gerar meus filhos e isso me preocupou a ponto de seguir o conselho do meu médico e procurar a tecnologia trouxa e por um acaso do destino eu acabei sendo o pai do filho que a senhorita Granger tanto queria.



- Sim, um acaso do destino - Hermione diz - não foi algo planejado, da mesma forma que acontece com muitos casais que acabam tendo filhos que não foram planejados. Eu planejei o meu bebê embora não tenha planejado o pai dele, mas devo dizer que agora se eu pudesse escolher, não escolheria outra pessoa. O destino não poderia ter me dado um pai melhor e eu estou muito feliz de ter o Draco ao meu lado e de nós estarmos percorrendo este caminho juntos. Agora nós vamos abrir para que os senhores façam as suas perguntas...



- Um momento – Draco interrompe e Hermione olha espantada pra ele, afinal agora seria o momento das perguntas segundo o combinado – um momento – Draco repete – em breve os senhores poderão fazer suas perguntas, mas antes eu gostaria de uma última declaração – ele vê que Hermione o encara sem entender – eu sei que isso não estava planejado – ele sorri – mas a vida me ensinou a não perder uma chance de improvisar, então como eu disse, eu gostaria de uma última declaração – ele olha para os repórteres – mas se os senhores me permitem, esta declaração não será para a imprensa embora vocês tenham o privilégio de testemunhá-la – ele sorri novamente – e caso queiram publicar, tem a minha permissão. A minha declaração é para você, Hermione – ele vê os olhos da morena aumentarem enquanto a sua boca forma um pequeno o de surpresa.



- Hermione – o loiro diz olhando-a nos olhos – eu nunca pensei que um dia o destino iria colocar aquela sabe tudo irritante na minha vida dessa maneira, eu nunca imaginei que eu estaria dividindo uma parte da minha vida com você, que nós estaríamos dividindo uma história e um filho, eu nunca pensei que nós estaríamos ligados pra sempre da maneira mais primitiva possível, eu nunca pensei que estaríamos ligados pelo amor – Draco faz uma pausa e vê as lágrimas se formarem nos olhos de Hermione, ele sorri e continua:



- Um dia eu te disse que deveríamos nos casar porque era a coisa mais sensata a fazer, eu disse que deveríamos ficar juntos porque uma criança precisa do pai e da mãe. Sim, uma criança precisa do pai e da mãe e nós seremos pais incríveis, mas agora... – ele respira fundo e se ajoelha – eu estou aqui pedindo para que você se case comigo, não porque é a coisa mais sensata a se fazer ou porque uma criança precisa do pai e da mãe. Eu estou pedindo para que você se case comigo porque eu te amo – ele sorri ao ver as lágrimas descendo dos olhos dela – eu amo o jeito como você se preocupa com nosso filho mesmo antes dele nascer, eu amo seu jeito responsável e preocupado, eu amo quando você morde os lábios enquanto está lendo, eu amo o jeito como você se aconchega a mim quando está dormindo e é unicamente por amar você que eu estou aqui diante dos seus amigos e da imprensa para pedir... Você quer se casar comigo?



A morena sorri enquanto se levanta da sua cadeira de rodas e enlaça os braços ao redor do pescoço de Draco, trocando um longo beijo enquanto os flashes das máquinas fotográficas disparam loucamente. No entanto, nem Draco e nem Hermione se importam neste momento.



Eles ficariam se beijando por muito tempo alheio aos repórteres que disparam máquinas fotográficas ou ao sorriso de Gina ou ao semblante surpreso de Harry e Rony, se Hermione não interrompesse o beijo com uma expressão assustada e dissesse – a bolsa estourou e eu estou falando sério. Agora é verdade, o bebê vai nascer...





NOTA DA AUTORA



Finalmente, agora vai! O baby vai chegar! Pelo menos eu espero... (corre pras colinas)



Falando sério, fic mais do que na reta final agora. Espero que tenham gostado do capítulo que eu particularmente adorei escrever e imaginar a cena dos dois se beijando e os flashes das máquinas pipocando enlouquecidos.



O próximo capítulo se tudo der certo será o último. Não vou dar cem por cento de certeza porque de vez em quando as coisas saem do meu controle e eu não faço como planejei, mas digamos que uns noventa por cento de certeza eu posso dar.



Bjos e até o próximo e quem puder deixar uma palavrinha vai me fazer muito feliz


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.