FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

12. BE MY VALENTINE


Fic: HARRY POTTER E O OLHO DE SHIVA (REUPADA)


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO 12



 



BE MY VALENTINE



 



 



 



 



 



 



 



 



O mês de janeiro avançava, sem muitas novidades. Gina estava preparando-se para os N.O.Ms, acompanhada de Janine que, embora cursasse o sexto ano, deveria prestá-los para cumprir o programa. Não estava tendo dificuldade com as matérias, tanto na teoria quanto na prática, sendo quase tão boa quanto Hermione e sendo também um valioso apoio para Gina, quando esta via-se em algum aperto.



Os rapazes tinham outras preocupações. Aproximavam-se as datas dos próximos jogos: Grifinória vs Corvinal e Sonserina vs Lufa-Lufa. Com a formatura de Angelina, Harry era agora o capitão do time da Grifinória e levava a sério suas atribuições, mas sem excessos. Sabia que poderiam esperar uma partida dura pois, recuperada de seus problemas “etílicos/emocionais”, Cho Chang estava treinando como nunca a fim de compensar a diferença entre sua Comet 300 e a Firebolt de Harry, uma vassoura nitidamente superior. Além dos treinos coletivos realizava, secretamente, treinos solo nos mais diversos horários. Quanto à Lufa-Lufa, mesmo que o time tivesse melhorado surpreendentemente, Draco não os via como uma grande ameaça, embora não os subestimasse, pois vira o trabalho que Malone dera a Harry na primeira partida, tirando o máximo de desempenho de sua Cleansweep-12, de uma forma inacreditável.



O gelo e a neve começavam a derreter, anunciando a primavera que se aproximava e, com ela, uma nova visita a Hogsmeade em 14 de fevereiro, Dia dos Namorados. Os dias começavam a ficar menos frios e, quando menos se esperava, chegou o dia do jogo contra a Corvinal. As arquibancadas estavam lotadas e os alunos da Lufa-Lufa e parte dos da Sonserina misturavam-se às torcidas da Grifinória e Corvinal, conforme suas preferências. Logicamente Pansy, Nott e Draco juntaram-se à Grifinória. Crabbe e Goyle preferiram assistir junto à Lufa-Lufa e Sheldrake assumira seu lugar na tribuna, como narrador e comentarista da partida. Janine e Draco estavam muito felizes por poderem, finalmente, assistir juntos a um jogo. Amplificando magicamente a voz com um Feitiço Sonorus, Sheldrake deu início à narração:



 



_Senhoras e senhores, bem vindos a mais um jogo da Copa das Casas, desta vez jogando Grifinória contra Corvinal. Grifinória encontra-se em vantagem, pois vem de uma vitória sobre Lufa-Lufa. Já Corvinal, se perder hoje, pode dar adeus às finais. E adentra o campo o time da Corvinal, com o goleiro Henderson, os artilheiros Corner, Davies e Smith. Os batedores Goldstein e Sheridan e, finalmente a apanhadora, Chang, que superou seus problemas recentes e está, novamente, no melhor de sua forma. E agora entra o time da Grifinória. Primeiro o goleiro, Weasley. Seu desempenho nas finais do ano passado e no primeiro jogo desta temporada fala por si. A seguir, os artilheiros. O’Toole, Gilmore e Weasley. Será que teremos outra “Manobra de Weasley” nesta partida? Kane e Foster, dois batedores do mesmo nível de Fred e Jorge Weasley, quem não se lembra deles? E, por último, mas muito importante, o apanhador, Potter, que precisou de uma centena de dementadores para, uma única vez, impedi-lo de apanhar o pomo. Podemos esperar um jogo emocionante nesta tarde, minha gente. Mas, esperem! Chang não está montando sua Comet 300. Que vassoura ela está usando? Meu Deus! Chang está com uma FIREBOLT!! Por isso tantos treinos solo em segredo. Ela estava se adaptando à nova vassoura. Ei, Potter, pode se preparar para um osso duro de roer, pois Chang deve estar com fome de vitória. Lá vem Madame Hooch, pronta para dar início à partida. Ela apita e COMEÇA O JOGO!!!



 



A goles foi lançada para o alto e Gina a pegou. Imediatamente O’Toole e Gilmore juntaram-se a ela e avançaram, rumo às balizas da Corvinal, em uma impecável Formação de Ataque de Hawkshead, abrindo caminho entre os adversários, até que um balaço, rebatido por Sheridan, obrigou-os a dispersar. Gina passou a goles para O’Toole e avançou, a fim de recebê-la novamente. Outro balaço veio em sua direção e ela teve de soltar a goles e executar um Giro da Preguiça para escapar. A goles acabou indo parar nas mãos de Zachary Smith que, rapidamente, passou-a para Roger Davies que lançou no aro da direita, mas Rony estava atento e rebateu, com a cauda da vassoura, fazendo-a ir parar nas mãos de Gilmore, que passou para Gina e esta fingiu lançar no aro da esquerda, na verdade lançando-a no aro central quando Henderson deixou-o livre. Grifinória abriu o placar, com os primeiros dez pontos.



Nesse meio tempo Harry empenhava-se em procurar o pomo de ouro, sendo seguido de perto por Cho. (“De novo ela quer me marcar, em vez de procurar o pomo, como quando eu estava no terceiro ano. Bem, vamos ver se ela já está familiarizada com a Firebolt.”, pensou). Aumentou a velocidade e ela foi atrás dele. Em seguida ele subiu e ela o acompanhou, perfeitamente sincronizada. (“Que danadinha. Deve estar me seguindo pelo Ki. Vamos ver como ela se vira com isso.”) E diminuiu seu Ki, até uma intensidade que julgou estar imperceptível para Cho. A seguir desceu, com ela em seus calcanhares. Contornou as balizas em grande velocidade, sempre com ela atrás. (“Ela realmente está voando muito bem. Se eu não pegar logo o pomo, a coisa vai ficar feia.”) Resolveu tentar algo que poucas vezes havia feito. Sheldrake continuava a narrar e comentar a partida:



 



_Potter subiu novamente, com Chang colada nele. Ela realmente se adaptou à Firebolt. Agora estão descendo em mergulho, numa velocidade impressionante. Será que Potter viu o pomo? Estão muito próximos do chão. Corvinal marca. Trinta a vinte para Grifinória. Essa foi indefensável, mesmo para Rony Weasley. Potter e Chang ainda estão em mergulho. Potter sobe. Chang sobe junto. Era uma Finta de Wronski, pena que não deu certo. Chang está parelha com Potter em habilidade de vôo.



 



Harry estava começando a se preocupar. (“Está na hora de pensar em algo inusitado.”) E então, com o canto do olho, localizou o pomo, a cerca de três metros do chão. Concentrada em marcá-lo, Cho ainda não havia visto. Aquele seria seu trunfo, em uma jogada para lá de arriscada. Corvinal marcou e empatou. Trinta a trinta. (“Se minha idéia não der certo e Cho capturar o pomo, o resto do time vai me dar de comer a um explosivim.”) E subiu, em grande velocidade. Cho estava um pouco atrás dele. (“Ótimo. Ela caiu. Agora é só fechar a ratoeira.”) Continuou subindo, até atingir uma grande altura, conseguindo abrir cerca de dez corpos de vantagem, mas sem perder de vista o pomo lá em baixo, que não parecia ter percebido que Harry o mantinha na mira. (“Agora”, pensou). Cortou a força da vassoura e, imediatamente, começou a cair com mais velocidade do que quando havia subido. Em um instante, caiu abaixo da altura em que Cho se encontrava, ainda a subir, dando-se ao luxo de acenar para a adversária enquanto caía. Deixou a vassoura cair um pouco mais e então acionou novamente, voando em direção ao pomo enquanto que, cerca de vinte metros acima, Cho finalmente percebera o que ele havia feito. Com grande dificuldade, devido à velocidade em que se encontrava, mudou de direção e desceu em mergulho, tentando alcançar Harry. Mas já era tarde demais. Antes mesmo que o pomo percebesse e se deslocasse de sua posição, os dedos de Harry fechavam-se firmemente à sua volta. O pomo de ouro havia sido capturado e a partida estava encerrada. Cento e oitenta a trinta para Grifinória. Entusiasmado, Sheldrake narrava a captura:



 



_Inacreditável, senhoras e senhores! Usando de muita criatividade para compensar o desempenho de sua adversária que, com sua nova vassoura e sua habilidade recuperada, estava parelho com o seu próprio, Potter arriscou tudo e enganou Chang com uma engenhosa adaptação da arriscadíssima Manobra de Weasley! Localizando o pomo a baixa altura, fingiu não lhe dar atenção, para não alertar Chang. Em seguida subiu com ela atrás, executando a Manobra de Weasley e capturando o pomo. Bastante arriscado pois, se Chang não caísse no truque, ela estaria em vantagem e poderia ter capturado o pomo. Realmente Gina Weasley e Harry Potter foram feitos um para o outro, pois até mesmo seus pensamentos coincidem. (“Você nem imagina o quanto, Sheldrake”, pensou Harry). _ Uma vitória espetacular e mais do que justa da GRIFINÓRIA! Também devemos aplaudir o time da Corvinal pelo excelente desempenho e magnífico espetáculo que ambos os times nos proporcionaram. A partida está encerrada e os times retornam ao solo. Todos se abraçam, cumprimentando-se pelo jogo limpo. Este ano está sendo excelente para o Quadribol. Soube que Chang está sendo sondada pelos Tornados para assumir uma vaga, depois que se formar. Será que teremos Chang Cho-Yen como jogadora profissional nos próximos anos? Vamos esperar e conferir.



 



Durante os cumprimentos, Cho sorriu para Gina e Harry, dizendo:



 



_Não consegui minha revanche por aquele jogo, há três anos, mas muito obrigada a vocês dois por me ajudarem a me reencontrar. Sem os seus conselhos eu ainda estaria dependente do álcool e não poderia me recuperar e receber a proposta dos Tornados, meu time do coração. Muito obrigada, novamente. _ e abraçou os dois, com lágrimas de felicidade nos olhos.



 



Depois que os jogadores tomaram banho e saíram dos vestiários, Harry e Gina encontraram Janine e Draco, a caminho da festa, na Torre da Grifinória que, excepcionalmente, receberia um sonserino como convidado especial. Lógico que, para respeitar a tradição, a senha teria de ser trocada depois. Draco disse:



 



_Você arriscou bastante, Harry. Como percebeu que Chang iria cair na sua armadilha?



_Cho estava muito concentrada em me marcar, em vez de procurar o pomo. Isso prejudicou sua atenção difusa e fez com que ela me perseguisse na subida, sem perceber que ele estava abaixo de nós. Aí, foi só executar a Manobra de Weasley e apanhar o pomo. Mas, como você disse, foi muito arriscado. Se ela não tivesse caído no truque eu não teria tempo de descer para persegui-la e ao pomo.



_Gostei de te ver ganhar, Harry. Pode parecer meio egoísta de minha parte, mas eu estou louco para te encarar novamente em uma final. Se vencermos a Lufa-Lufa, será a reprise do nosso terceiro ano. Mas prometo que, desta vez, não vou me dependurar na sua vassoura.



 



Todos riram e Janine perguntou:



 



_Você chegou mesmo a fazer isso, Draco? Poderia ter caído.



_Fiz e deu certo, temporariamente. Harry não conseguiu pegar o pomo naquela hora e acabamos sofrendo um pênalti. Depois disputamos o pomo, milímetro a milímetro, mas Harry o pegou. A Grifinória levou o troféu, depois de sete anos. Desde depois do tempo do irmão de Rony, Charlie, que a taça não saía da Sonserina. Foi preciso uma nova geração dos Potter para mudar esse quadro. O pai de Harry, Tiago Potter, foi um dos melhores apanhadores que a Grifinória já teve.



_Hermione tinha razão. _ disse Janine _ Você realmente era uma peste naquele tempo.



_Isso porque você não viu a briga que tivemos no ano passado. Harry me acertou de um jeito que eu quase devolvi toda a refeição que havia feito antes do jogo. E eu que achava que a mão da Hermione é que era pesada. A do Harry parece uma marreta.



 



Todos riram novamente e foram para a festa da vitória.



 



Alguns dias depois, Harry e Gina estavam na sala do Prof. Mason, dando continuidade ao seu treinamento de Oclumência e controle do elo telepático que ela e Harry mantinham.



 



_Gina, você já está apta no que se refere ao controle do elo. Quanto à Oclumência, você está muito bem. Basta treinar todas as noites, antes de dormir. Garanto que Voldemort nunca mais conseguirá possuir você novamente. Vocês são os melhores alunos que eu já tive. Aprenderam em poucos meses o que seriam precisos vários anos para outros aprenderem. A pureza de seus corações os favorece. Fiquei admirado com o progresso de Draco Malfoy. O amor dele por Janine completou o ciclo iniciado pelo questionamento quanto à sua lealdade para com as Trevas. Mas o apoio de todos vocês foi fundamental. Graças ao poder do amor e da amizade, os filhos de diversos elementos importantes na hierarquia de Voldemort romperam com ele e passaram para o lado da Luz. Pansy Parkinson, Theodore Nott, Fabian Sheldrake, Vincent Crabbe, Gregory Goyle, os pais de todos eles são Death Eaters de alto escalão. Alguns foram presos, outros estão em liberdade. Porém há rumores de que Voldemort plantou um espião em Hogwarts e nem mesmo Snape conseguiu descobrir quem é. Seria bom que todos vocês ficassem com os olhos e ouvidos atentos para qualquer pista.



_De uma coisa nós sabemos. _ disse Harry _ Mesmo entre os alunos há gente tão fanática quanto os adultos. Os da Sonserina são mais fáceis de identificar. Millicent Bulstrode e Blaise Zabini são exemplos. Em outras casas é mais difícil, pois eles são mais enrustidos, o que não quer dizer que não existam. Afinal de contas, o sujo do Wormtail era da Grifinória. Acho que deveremos abrir nosso leque de suspeitos para todas as casas.



_Mas não podemos correr o risco de ficarmos paranóicos quanto a isso. _ disse Gina _ Senão estaremos colaborando com o inimigo, já que Voldemort é mestre em disseminar a desconfiança, a cizânia e a discórdia. Não poderemos deixar que ele nos divida.



_Tem razão, Gina. Por enquanto, creio ser suficiente que mantenhamos o Ki alerta, para identificarmos algo que suponhamos estar fora de sintonia. Procurem manter segredo sobre o seu elo telepático. Ele será bastante útil para vocês. É bom que também pratiquem projeção astral e não fiquem envergonhados nem constrangidos caso tenham outras uniões espirituais. _ Harry e Gina ficaram como duas cerejas _ Elas servem para reafirmar o amor de vocês dois, fortalecendo seus espíritos e aumentando suas capacidades mentais, além de gerar uma energia que pode ser usada para repelir uma ameaça de vulto, no plano astral. Vocês verão que, quando for necessário, o poder do amor será a energia mais forte em um combate, já que ele nos direciona para o Bem e para a Luz. Agora vão. Acredito que ambos tenham aula agora.



 



Harry e Gina saíram da sala e foram para suas respectivas aulas. Gina para a de Herbologia e Harry para a de Poções. Naquele dia, Snape ensinaria sobre sedativos de contato, substâncias que eram capazes de colocar alguém para dormir mediante o contato com a pele ou com o sangue, muito úteis no treinamento Ninja, embebendo os dardos de uma zarabatana ou as pontas de uma Shuriken, a fim de incapacitar um inimigo sem matá-lo. Harry prestou o máximo de atenção nas instruções de preparo das substâncias, pois achava que haveria oportunidade de usá-las. Alguma coisa, no fundo de sua mente, lhe dizia isso.



Depois da aula, carregado de anotações, Harry voltou para a Sala Comunal, a fim de mostrá-las para Gina. Ela ficou impressionada com a potência das substâncias e com a utilidade que teriam para ela, pois adaptavam-se às armas Ninja nas quais se especializara. De repente a voz de Gina se fez ouvir na mente de Harry:



 



_ “Harry, Voldemort está por perto. Posso senti-lo tentando forçar entrada em minha mente. Ele não vai conseguir, mas eu vou ficar com uma tremenda dor de cabeça.



_ “Eu também posso percebê-lo, Gina. É incrível, mas eu acho que ele sabe fazer projeção astral. Mesmo o corpo astral dele não pode ultrapassar os limites de Hogwarts, mas ele está lá fora. É melhor que nós também nos projetemos.”



_ “De acordo, Harry. Vamos ver o que aquele imundo quer de nós.



 



Harry disse a Rony e Hermione:



 



_Não deixem que ninguém nos perturbe nem mexa em nossos corpos. Depois eu explico.



 



Gina e Harry sentaram-se lado a lado no sofá e fecharam os olhos. Em um instante suas cabeças penderam e seus corpos astrais abandonaram os físicos.



 



_ “Harry, onde está ele?



_ “Veja, Gina. Logo ali, um pouco à frente dos muros.



 



Realmente, um pouco fora dos limites da propriedade de Hogwarts, encontrava-se o corpo astral de Lord Voldemort, admiravelmente com a aparência de Tom Riddle quando estudante.



 



_ “O que quer de nós, Voldemort?” _ perguntou Harry.



_ “Queria, novamente, possuir Gina Weasley, mas acho que ela agora está mais forte e está resistindo a mim.



_ “Nunca mais você vai conseguir me dominar, maldito! Eu estou preparada para você.



_ “Estão preparados para morrer? Se eu destruir seus corpos astrais, os corpos físicos também morrerão. Tenho meios para isso!



 



As formas astrais de Harry e Gina se entreolharam e, imediatamente, chegaram à conclusão do que deveriam fazer.



 



_ “Voldemort, você vai se decepcionar duas vezes. Primeiro porque nunca mais será capaz de dominar a mente de Gina e segundo porque não vai conseguir nos destruir, pois temos como repeli-lo.



_ “Não me faça rir, Harry Potter! Como é que dois patéticos e insignificantes adolescentes podem pensar em fazer qualquer coisa para repelir um ataque do, modéstia à parte, mais poderoso bruxo das Trevas da atualidade?



_ “Com algo que você nunca poderá deter, pois é um poder que não possui!” _ disse Gina _ “Isto!” _ e as formas astrais de Virgínia Weasley e Harry Potter se tocaram e, mais uma vez, começaram a se fundir em uma só. Voldemort olhava para aquilo e parecia, pela primeira vez, sentir alguma preocupação. Novamente consumando uma união espiritual, uma das mais profundas e puras formas de amor, geraram uma explosão de energia que lançou a forma astral de Lord Voldemort a uma distância incalculável, somente sendo possível ouvir o grito astral de ódio do Lorde das Trevas:



_ “MALDITOS ‘ABORRECENTES’! GINA WEASLEY E HARRY POTTER, PROMETO QUE VOCÊS PEDIRÃO POR UMA MORTE RÁPIDA! EU ODEIO VOCÊÊÊÊÊÊÊSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!” E a voz sumiu na distância.



 



Harry e Gina retornaram aos corpos físicos e Rony perguntou:



 



_Dá para explicar o que acabou de acontecer? Vocês dois pareciam mortos e, de repente, despertaram com um salto.



_Daqui a pouco, Rony. Assim que alguém chamar o Prof. Mason.



 



Distante dali, Voldemort também acabara de retornar ao seu corpo físico com um solavanco que chegou a assustar Bellatrix Lestrange, que velava pela segurança do seu mestre.



_Meu Lorde, o que houve? _ perguntou Bellatrix, ao ver que Voldemort tinha a aparência de quem havia sido surrado por um trasgo. _ por que o senhor está assim?



_Fui imprudente e quase paguei um alto preço, Bella. Descobri que a mente de Gina Weasley está definitivamente fechada para mim e quase tive meu corpo astral destruído quando ela e Potter...



_Potter? O senhor confrontou Harry Potter?



_Sim, Bella. Aqueles dois malditos pirralhos também possuem a habilidade da projeção astral e, o que é pior, sabem utilizar “O-Poder-Que-O-Lorde-Das-Trevas-Não-Possui”.



_Como assim?



_Não sei como, as formas astrais dos dois se uniram em uma só, gerando uma energia tal que quase me dilacerou. Agora é melhor que mudemos de esconderijo, porque aquele moleque deve ter me rastreado. Eu senti isso. Mas sei que o meu espião em Hogwarts ainda está seguro e já cumpriu sua primeira missão, na noite do Baile de Inverno.Ainda não estou em total desvantagem. Vamos embora daqui. _ e os dois desaparataram dali, indo para outro dos esconderijos do Lorde das Trevas.



 



Em Hogwarts, Derek Mason havia acabado de entrar na Sala Comunal da Grifinória e estava recebendo as informações de Harry e Gina:



 



_Então ele esteve aqui perto? Voldemort?



_Sim, Prof. Mason. _ disse Gina _ Ele tentou forçar entrada em minha mente, mas não conseguiu. Então Harry e eu nos projetamos e o confrontamos. Ele foi repelido pela energia de uma união espiritual entre nós dois.



_Quer dizer que ele também tem essa habilidade, projeção astral. Isso é raro em bruxos das Trevas, pois eles desprezam as disciplinas trouxas do corpo e da mente. Porém Voldemort é um caso à parte, pois ele deve ter estudado tudo o que podia, depois de se formar em Hogwarts e sair pelo mundo, adquirindo poder e iniciando os Dias Negros.



_Mas eu consegui rastreá-lo, professor. Ele foi para a propriedade da família Riddle, em Little Hangleton. _ disse Harry.



_Mas a mansão Riddle está sendo vigiada. Ele não voltaria para lá.



_Ele está em um subterrâneo, com Feitiços de Ocultamento. É melhor mandar os Aurores.



_Tem razão, Harry. Ainda que eles já tenham desaparatado de lá, pode ser que haja alguma pista dos planos daquela cobra. _ e Mason saiu, para tomar as providências necessárias.



Agora dá para nos explicar o que houve? _ perguntaram Hermione e Rony.



_Na noite do baile, eu e Gina tivemos, pela primeira vez, uma projeção astral e também descobrimos que, devido ao nosso amor, podemos unir nossas formas astrais em uma só, gerando uma incrível energia, algo de que vocês dois também são capazes, pois o amor de vocês também é puro e verdadeiro, bastando treinar. Mas Voldemort, embora também possa se projetar, não pode realizar esse tipo de união, pois não é capaz de amar com pureza de sentimentos. Ele veio, em forma astral, tentando invadir a mente de Gina. Só que ele não contava que ela estivesse preparada para repeli-lo. O resto é o que vocês me ouviram contar ao Prof. Mason. _ Harry omitiu o fato de que ele e Gina possuíam o elo telepático. Não era a hora de ninguém mais, além do Prof. Mason, saber disso.



 



Chegara o Dia dos Namorados, 14 de fevereiro. Janine explicou que, no Brasil, a data era comemorada no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro. O clima em Hogwarts tornara-se bastante romântico, pelo menos para aqueles que tinham amor no coração. Todos estavam muito gentis, até parecendo que a Poção da Paz havia sido distribuída na escola. A caminho de Hogsmeade, os quatro casais conversavam, lembrando-se de anos anteriores:



 



_Harry não teve muita sorte no ano passado. _ comentou Gina _ Acabou tendo uma discussão com Cho e ficaram um tempo brigados.



_Depois ela entendeu que era por causa da entrevista que fiz com Rita Skeeter. Tivemos uma outra discussão depois e rompemos de uma vez. Ela tinha ciúmes da Mione, pode?



_Ainda bem que ela conseguiu se encontrar. _ disse Rony _ Não é legal alguém se destruir quando passa dos limites. Espero que seja bastante feliz com Luke Donovan.



_Pode crer. Com álcool não se brinca. Tem muita gente que se tornou dependente por bobeira. Uma dosezinha hoje, outra amanhã e, dali a pouco, pimba! Não fica mais sem. _ Draco falou.



_É, gente. _ disse Janine _ Não sei bem como é na sociedade bruxa, mas na sociedade trouxa o alcoolismo é uma das maiores pragas sociais, sendo reconhecido como doença e das mais difíceis de se tratar.



_Também é assim, Janine. Há uma ala do St. Mungus para tratamento de problemas relacionados a alcoolismo. _ explicou Luna _ A Poção Abstemius, que o Prof. Snape e Madame Pomfrey criaram, vai ser um grande auxílio no tratamento desses casos. Bem, chegamos. Então, no Três Vassouras, como combinado?



 



Todos os outros concordaram e os casais foram cuidar das atividades que haviam programado.



Cerca de uma hora depois, Harry entrou na Joalheria Encantos Brilhantes e, rapidamente, perguntou para a balconista, olhando para os lados:



 



_Minha encomenda chegou, Srta. Hawthorne?



_Sim, Sr. Potter. Aqui está. _ disse Solange Hawthorne, entregando uma pequena caixa a Harry, que pagou e disse:



_Não diga nada a ninguém, OK?



_Tudo bem, Sr. Potter.



 



Harry saiu da joalheria, sem perceber que Solange Hawthorne fazia força para segurar o riso.



 



Depois, no Três Vassouras, os casais estavam à mesa, se torcendo de rir. A intervalos quase regulares e um tentando despistar o outro, Harry, Rony, Neville e Draco haviam ido à joalheria e comprado os pares de anéis de compromisso que já haviam encomendado, verdadeiros distintivos de namoro e amor sincero, tanto entre trouxas quanto entre bruxos, tendo compreendido porque a Srta. Hawthorne estava segurando o riso. Os rapazes tiveram a mesma idéia e queriam fazer segredo, até o último momento. Após as manifestações, ofertaram às garotas os anéis a elas destinados, colocando-os no dedo anular da mão direita de cada uma e recebendo um beijo de agradecimento, tendo os seus próprios colocados por elas.



Rony lembrou-se de algo que ocorrera quando estavam no segundo ano, um cartão com versinhos que Gina mandara a Harry. Gina reclamou:



 



_Golpe baixo, mano! Aquele cartão foi o maior mico. Harry teve de agüentar, durante semanas, o pessoal recitando: “Teus olhos são verdes como sapinhos cozidos.” _ todos riram.



_Do cartão e dos versos eu gostei, pois foram sinceros. Na verdade, o mico foi aquele duende fantasiado de Cupido, recitando-os em cima de mim. Só podia ser uma idéia daquele pavão do Lockhart. Coitado.



_Coitado por que? _ quis saber Janine.



_Ele era um bruxo medíocre, que levava o crédito pelas façanhas que outros fizeram. Ele os entrevistava, descobria como eles haviam se livrado de criaturas das Trevas e depois usava um Feitiço de Memória, para que esquecessem do que haviam feito. Daí escrevia livros nos quais ele aparecia como herói. Quando descemos à Câmara Secreta de Slytherin para resgatar Gina, ele conseguiu tomar a varinha da minha mão e tentou lançar um deles em nós. _ contou Rony.



_E o que aconteceu? _ perguntou Draco, que não conhecia essa parte da história.



_Tá na cara que o feitiço voltou para ele. Você se lembra que minha varinha estava quebrada?



_É mesmo. Uma vez você tentou me azarar, quando ofendi Hermione com aquela história de “Sangue-Ruim”. Lembro que o feitiço voltou.



_E eu passei horas arrotando lesmas. Na época foi uma coisa horrorosa, mas lembrando agora até que parece engraçado.



_Já vi que vocês têm histórias para encher livros. _ disse Janine _ E que fim levou o Lockhart?



_Está internado no St. Mungus. Dizem que a memória dele está voltando devagar. Daqui a alguns anos acho que poderá ter alta. Só espero que ele se lembre de ser mais humilde no futuro. _ disse Hermione.



 



Todos concordaram e ocuparam-se, com moderação, de suas cervejas amanteigadas.



 



Dali a pouco, eis que entrou no Três Vassouras a nova turma do mal da Sonserina, agora liderada por Bulstrode e Zabini. Draco viu aquilo e comentou com os outros:



 



_Ninguém merece. Tanto trabalho meu e de vocês para eu sair e tirar gente da gangue do mal e logo aparece alguém para tomar o lugar que eu ocupava.



_Você pelo menos tinha mais estilo. _ comentou Harry _ Já essas duas...



 



As garotas chegaram perto da mesa dos casais e comentaram:



 



_Que gracinha. Será que esses anéis vão começar a ser reconhecidos como distintivos de otários? Me admira muito você, Malfoy, agora começar a agir como um desses apaixonados melosos que tanto desprezava antes. _ vários sonserinos riram.



 



_Disse muito bem, Bulstrode. DESPREZAVA. _ disse Draco, sem se dar ao trabalho de olhar para Millicent _ Tudo é uma questão de encontrar a pessoa certa, aquela que vai abrir a nossa mente, mostrando que há mais do que orgulho e preconceito contra emoções e sentimentos. Não sei como você ainda não percebeu, QI de verme. Um trasgo perceberia.



 



Janine mediu Bulstrode e Zabini de cima a baixo e disse, alto o suficiente para que todos os alunos no bar ouvissem;



 



_Vejam quem veio nos visitar, gente. Fazia tempo que “Coturno” e “Sandalhinha” não nos davam o desprazer de ter de olhar para suas caras.



 



Risadas altas, por todo o bar, seguiram-se ao comentário de Janine. Até mesmo Madame Rosmerta abaixou-se por trás do balcão e riu gostoso. As duas olharam para Janine e perguntaram:



 



_Do que foi que você nos chamou, sua bugra de olhos azuis?



_Do que todos as chamam, só que eu encontrei as palavras mais adequadas: “Coturno e Sandalhinha”. Sabem, lá no Brasil isso poderia até ser nome de dupla sertaneja. _ os risos aumentaram _ Além do mais, os anéis de compromisso na Encantos Brilhantes já acabaram. Eles só vieram para quem encomendou. Acho que vocês terão de esperar até o ano que vem. _ os risos aumentaram ainda mais.



_O que você está querendo dizer com isso?



_Apenas o que todo mundo sabe e que vocês pensam e fingem ser segredo.



_Depois nós da Sonserina é que somos preconceituosos.



_Pode parar, Bulstrode. Ninguém aqui falou em preconceito. Todos nós aqui aceitamos bem as diferenças de cada um.



_Exatamente. Nós somos hetero por opção mas não somos homófobos. _ disse Draco _ A orientação é algo individual.



_E respeitamos a escolha que cada um faz. _ foi a vez de Gina se manifestar.



_Ainda que não seja o que queremos para nós. Mas nem por isso vamos discriminar ou debochar. _ disse Hermione _ Só que vocês dão muita bandeira.



_É verdade. Vocês bem que poderiam ser um pouco mais discretas. _ disse Harry _ Entre nós, tudo bem. Mas pode haver gente na escola ou mesmo no Ministério que não seria tão tolerante.



_E se uma coisa assim, de alguma forma respingasse na escola como um todo... _ Rony ponderou.



_A reputação de Hogwarts iria baixar. _ completou Luna.



_Como disse Draco, não somos homófobos. _ disse Neville _ Mas não podemos garantir quanto a outros.



_Mesmo por que o que está em questão não é o que alguém faz de sua vida. _ disse Janine _ Tenho vários amigos, em diversos países, de todas as orientações sexuais e gosto muito de todos eles.



_A questão é que não é a orientação sexual que dá má fama às pessoas. _ comentou Draco, com o rosto bastante sério.



_Mas que pessoas como vocês, agindo dessa forma, é que dão má fama à orientação sexual. _ concluiu Janine.



_Agora chega, sua bugra enxerida! _ disse Millicent, o rosto crispado de raiva _ Vou te mandar de volta para o pampa dentro de um frasco de poção! _ e começou a sacar a varinha. Mas Janine, com um gesto, fez com que a varinha de Millicent Bulstrode voasse da mão dela, direto para a sua,através de telecinese.



_Como foi que você fez isso sem varinha, Sandoval?



_Coisa de trouxa, como vocês dizem. Já se esqueceu de que sou paranormal? Para mim é fácil usar telecinese. Mas o mais importante eu vou dizer agora. Acho que alguns de vocês devem ter assistido “Highlander”, não é? _ e vários dos alunos, tanto puro-sangue quanto mestiços, fizeram que sim com a cabeça _ Então, vocês sabem que aqueles guerreiros imortais não duelavam em solo sagrado, certo?



Certo”, disseram todos os alunos.



_Então fica bem claro que não podemos duelar aqui, pois o Três Vassouras é solo sagrado para nós, alunos, certo?



Certo”, novamente disseram todos aplaudindo, admirados, a lógica de Janine. Mesmo Bulstrode e Zabini tiveram de concordar, cedendo à solidez dos argumentos da grifinória.



_Trégua, então, Bulstrode?



_OK, Sandoval. Trégua, por enquanto.



_Muito bem. Olha, Bulstrode, não falei por mal. Só que, como o Harry disse, outros podem não ser tão compreensivos. Prometam que vão pensar no que eu disse e dar menos bandeira, tá legal?



_Vamos pensar no assunto.



_Certo. E, só para garantir, suas varinhas ficam com Madame Rosmerta. _ e, com outro gesto, a varinha de Blaise Zabini voou do bolso das vestes para a mão de Janine, que entregou as duas a madame Rosmerta, que disse:



_Gostei da maneira diplomática com que você resolveu a situação.



_Ter convivido com o pessoal da embaixada, quando meu pai era adido militar, ajudou bastante. O caso é que não é interessante um confronto aqui dentro e muito menos interessante que a escola venha a ser criticada por causa das preferências de alguns alunos. A última coisa de que precisamos, agora com a ameaça de Voldemort, é de uma divisão entre nós devido a preconceitos idiotas.



 



De volta à mesa, Draco comentou com Janine:



 



_Ainda bem que foi você que usou a telecinese. Se fosse qualquer um de nós elas iriam desconfiar.



_Sei que me excedi um pouco, mas aquelas duas sabem ser fiasquentas, espalhafatosas. Vamos ver se agora elas tomam jeito e baixam um pouco a bola. Mas eu acho (e Janine sorriu, travessamente) que os apelidos “Coturno e Sandalhinha” vão pegar.



 



Draco olhou para ela e disse:



 



_Acho que você passa tempo demais comigo. Está começando a assimilar o meu senso de humor. _ todos na mesa riram.



_Se for por isso, meu amor, já pode me chamar de Janine Sandoval Malfoy.



_É um pedido? Esperava que fosse eu a fazê-lo.



_Estou poupando seu trabalho. Considere-se pedido em noivado, casamento, tudo junto. _ e beijou Draco, apaixonadamente.



_Não se esqueça de que vocês têm meia dúzia de testemunhas aqui na mesa. _ comentou Rony, divertido.



_Não só testemunhas, mas padrinhos. _ disse Draco. Tornaremos a falar disso quando chegar a hora. Certo, Janine?



_Certo, Draco. É garantido que vai ser. Agora só falta resolvermos quando.



_Para mim, qualquer data depois da formatura está bom. Agora que te encontrei, não pretendo te deixar. _ e beijaram-se novamente.



_Oh, oh. _ disse Luna _ Buquê à vista.



_Vamos deixar para disputá-lo na hora, OK? _ brincou Gina.



_Mantenham aguçados os reflexos desde já, meninas. _ aconselhou Hermione. _ Eu não pretendo ficar para trás._Companheiros, acho que foi aberta a temporada e a caça somos nós. _ observou Neville. _ Vamos preparar os galeões para as alianças.



_De minha parte, me considero caçado e feliz. _ disse Harry _ Acho que nem mesmo Voldemort me deixaria de mau humor hoje.



 



Inesperadamente, Rony olhou para Hermione e declamou versos de uma canção de Beto Guedes:



 



_Nem o sol/ Nem o mar/ Nem o brilho das estrelas/ Tudo isso não tem valor/ Sem ter você.



 



Em seguida, Harry disse, olhando para Gina:



 



_Amor da minha vida/ Daqui até a eternidade/ Nossos destinos foram traçados/ Na maternidade.



 



Prosseguindo na brincadeira, todos começaram a declamar para suas namoradas trechos de poemas e canções com temas de amor, coincidentemente em sua quase totalidade, do repertório de pop rock trouxa brasileiro. A brincadeira se espalhou pelas outras mesas. Do lado deles, Seamus Finnigan e Theophilus Boot continuaram a letra da canção de Cazuza, que Harry havia iniciado, declamando-a para Parvati e Padma Patil:



 



_Paixão cruel, desenfreada/ Te trago mil rosas roubadas/ Para desculpar minhas mentiras/ Minhas mancadas.



 



Perto dali, Luke Donovan olhava nos olhos de Cho Chang e dizia, secundado por Colin Creevey que estava na mesa ao lado com Paula Benton, uma garota do terceiro ano da Lufa-Lufa, um dos maiores clássicos de Lulu Santos:



 



_Quando um certo alguém/ Desperta o sentimento/ É melhor não resistir/ E se entregar.



 



Pansy Parkinson e Fabian Sheldrake cantaram juntos o sucesso do Jota Quest:



 



_O amor/ É o calor/ Que aquece/ A alma./ O amor/ Tem sabor/ Para quem bebe/ A sua água.



 



Mesmo Snape, que havia chegado há pouco, sussurrava no ouvido de Madame Rosmerta:



 



_Ainda que eu falasse/ As línguas dos homens/ E falasse a língua dos anjos/ Sem amor eu nada seria.



 



Luna e Neville começaram a declamar os versos de uma canção do Legião Urbana, feita a partir de um poema de Camões:



 



_Amor é fogo que arde sem se ver/ É ferida que dói e não se sente/ É um contentamento descontente/ É dor que desatina sem doer. _ no que foram seguidos por Draco e Janine:



_É um não querer mais que bem querer/ É solitário andar por entre a gente/ É um não contentar-se de contente/ É cuidar que se ganha em se perder.



 



Então, ouviram-se duas vozes, vindas de uma mesa próxima, continuando o poema:



 



_É estar-se preso por vontade/ É servir a quem vence o vencedor/ É ter com quem nos mata lealdade/ Tão contrário a si é o mesmo amor.



 



O bar ficou em silêncio, todos os alunos boquiabertos. A continuação do poema havia sido feita por Millicent Bulstrode e Blaise Zabini.



 



_Ué, gente, para que o espanto? Somos sonserinas puro-sangue, mas também conhecemos o poema de Camões e a canção do Legião Urbana. E, além do mais, estamos em trégua e queremos participar da brincadeira. Que mal há nisso? _ perguntou Bulstrode, rindo.



 



Janine puxou um coro de palmas para as duas e a brincadeira prosseguiu, até que a memória dos jovens se esgotasse e não se lembrassem mais de poemas e músicas ainda não declamados.



Janine e Hermione analisavam o poema de Camões:



 



_Mas quantas frases contraditórias. _ disse Hermione _ E a verdade é que o amor é mesmo assim. Provoca as mais diversas reações.



_ “Feliz daquele que ama, pois encontra algo fora de si mesmo.” _ disse Harry.



_Que profundo. De quem é essa citação?



_Potter. Acabei de criar. _ sorriu Harry _ Mas o poema é bem interessante.



 



Janine continuou explicando:



 



_Tinha tudo a ver com o estilo literário da época, o Barroco. Eram características dele o pessimismo e o uso da antítese nos versos. Tive de analisar todo o poema, quando estudava Literatura Portuguesa. Camões era leitura obrigatória e a nossa professora era muito exigente.



_A Literatura Portuguesa é bastante rica. _ disse Draco _ Quando criança, cheguei a viajar para Portugal, pois a família possui terras lá, na Região do Douro, com vinhedos. Travei conhecimento com livros de vários períodos: Trovadorismo, Barroco, Arcadismo, Romantismo, etc. Mas o Romantismo também foi forte aqui na Inglaterra.



_Isso mesmo. _ comentou Janine _ Principalmente os Romances de Cavalaria.



_Um dos principais autores foi Sir Walter Scott. _ Harry lembrou-se dos livros lidos na infância _ “Ivanhoé” era um dos meus preferidos.



 



Luna, que também havia lido “Ivanhoé”, entrou na conversa:



 



_Realmente, era um livro que agradava a trouxas e bruxos. Uma história linda.



 



Rony disse:



 



_Não tive muito contato com literatura trouxa, mas Dickens era o meu autor preferido.



_É mesmo. _ Gina recordava-se da infância _ Você sabia o “David Copperfield” de cor.



_O livro já teve várias versões para o cinema. Eu mesma já assisti algumas.



_Legal, Mione. Poderíamos recriar na Sala Precisa.



_Então fica assim. Vamos recriar alguns filmes baseados em livros de Dickens na primeira oportunidade. _ e, consultando o relógio, recordou-se de que ela e Rony eram monitores _ Ai gente, que chato. Já está na hora de irmos embora. Foi um dia muito gostoso.



_Principalmente porque a confusão que estava se armando acabou antes de começar, graças à diplomacia de Janine. _ disse Padma, que passava pela mesa deles a caminho da saída, abraçada a Theo Boot.



_Acho que, pelo menos por hoje, ninguém vai querer saber de conflitos. _ comentou Pansy que, com Sheldrake, parara a fim de cumprimentá-los _ Todo mundo se divertiu bastante, mesmo que entrou a fim de briga.



 



Millicent Bulstrode e Blaise Zabini, muito contentes, também estavam de saída e passaram pela mesa dos Inseparáveis, a caminho do balcão, para pegarem suas varinhas com Madame Rosmerta e irem embora. Milly então disse:



 



_Sandoval, amanhã será outro dia, mas hoje nos divertimos tanto que a trégua fica estendida até o final. De acordo?



_Ótimo, Bulstrode. Assim terminaremos o dia em paz. Até amanhã.



_Até amanhã. Vamos embora, Sanda... digo, Blaise.



_Vamos nessa, Cot... oops, quer dizer, Millicent.



 



Todos no bar caíram na gargalhada. Bulstrode e Zabini até engrossaram o coro de risadas ao saíram, as duas vermelhas como penas de fênix.



Janine comentou, com um sorriso arteiro:



 



_Não falei que os apelidos iriam pegar?



_As duas ficaram como dois tomates. _ disse Gina _ Nem mesmo nós, Weasley, enrubescemos tanto assim.



_Pareciam duas camisetas coloradas.



_???



_Aaah, desculpem. Esqueci de contar. _ e abriu o casaco mostrando, por baixo dos agasalhos, uma camiseta vermelha e branca, com um escudo circular no peito onde apareciam, entrelaçadas, as letras “S”, “C” e “I” _ É o time de futebol para o qual eu torço no Brasil, o Sport Club Internacional de Porto Alegre. O apelido dele, devido à cor da camiseta, é “Colorado”.



_E há outros times importantes por lá? _ perguntou Harry que, além do Quadribol, gostava do futebol trouxa.



_Sim, há o Juventude, da cidade de Caxias do Sul na região serrana, que despontou como a terceira potência do futebol no estado.



_Terceira? E quais são a primeira e a segunda? _ foi a vez de Neville perguntar.



_Bem, a segunda potência que, a propósito, é segunda mesmo, pois foi rebaixada para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, é o Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense, conhecido como “Tricolor”, por ter como cores o azul, o branco e o preto, em uma camiseta listrada. Aliás, há uma piada assim: “Pergunta: O que é um gremista vestindo a tradicional camiseta listrada do seu time? Resposta: Um ‘élfico’ com código de barras”. _ a gargalhada foi geral _ E a primeira, obviamente, é o Inter. _ e começou a cantarolar os versos iniciais do hino do seu time: “Glória do desporto nacional/ Ó Internacional/ Que eu vivo a exaltar./ Levas a plagas distantes/ Feitos relevantes,/ Vives a brilhar...



_Já vi que a rivalidade por lá é grande. _ comentou Draco.



_Mas bah, tchê! Pior do que Grifinória e Sonserina. Precisava ver em dia de Gre-Nal, jogo do Grêmio contra o Inter. A flauta que os torcedores do time vitorioso tocam em cima dos do time derrotado é danada. Agora que o Grêmio caiu, dizem que agora não há mais “Gre-Nal” no campeonato Brasileiro, só “Gre-Nau” na Segunda Divisão.



_???



_GRÊmio e NÁUtico, um time do estado de Pernambuco, que também está na Segunda Divisão. _ o riso foi geral, novamente. Aproximavam-se dos portões de Hogwarts, assobiando uma antiga música romântica chamada “Be My Valentine”.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2020
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.



 

 




 
                           

 


Warning: fopen(): Filename cannot be empty in /nfs/c10/h06/mnt/147811/domains/fanfic.potterish.com/html/includes/cache.php on line 39