FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

33. Abrindo o jogo


Fic: Uma brincadeira do destino - Epilogo postado


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Um pouco mais tarde, na sala dos medibruxos



Gina acaba de dar um copo d'água a seu marido. Poucas vezes na sua vida ela viu Harry Potter com tal expressão, como se tivesse sido estuporado ou azarado ou quem sabe as duas coisas



A ruiva gostaria mesmo que seu marido não tivesse descoberto sobre o Malfoy e a sua amiga desta forma, mas o que está feito está feito e agora cabe a ela lidar com um Harry Potter ainda em estado de choque



- Diz que isso não está acontecendo – ele balbucia de vez em quando o que faz a sua esposa suspirar e rolar os olhos. Ela sabe que se seu marido tivesse tido a notícia de uma forma mais branda, provavelmente ele esbravaria, xingaria e ameaçaria azarar Draco Malfoy de todas as formas possíveis, mas a forma inesperada com que isso se deu fez com que ele ficasse, digamos, em estado de choque



Se Harry tivesse encontrado Draco e Hermione em uma posição, digamos, mais comprometedora, talvez o choque não fosse tão grande. No entanto aquela cena horrivelmente romântica e doméstica foi intimidade demais para ele. Mas tudo tem um limite e é por isso que Gina diz usando seu melhor tom Molly Weasley



- Chega, Harry Potter! Agora o senhor vai se acalmar e falar com a Hermione, não cabe a mim dizer o que aconteceu e lembre-se que ela está convalescendo e que uma discussão não vai fazer bem ao bebê



Seu marido a olha de forma magoada, Harry não precisaria ser muito inteligente pra saber que Gina sabe um pouco aqui outro ali desta história toda – Você sabia! – ele afirma – Você sabia que essa história de inseminação era mentira, que ela estava de caso com o Malfoy!



Gina respira fundo. Seu marido definitivamente precisa parar de andar com o seu irmão, esta reação seria típica de Rony e cabe a ela como boa esposa que é fazer seu marido voltar à realidade, então ela se arma da pouca paciência que lhe resta e diz:



- Eu não vou nem responder, Harry! Como eu disse, o senhor vai se acalmar e ter uma bela conversa com a sua amiga. É ela quem deve falar, não eu. Mas eu lhe digo, se você falar ou fizer qualquer coisa que prejudique a saúde de Hermione, o fato de você ser o menino que sobreviveu não vai lhe ajudar muito, Voldemort vai parecer um mini pufe perto do que eu vou fazer com você!



XXXXX



Enquanto isso, no quarto



Hermione está sozinha. Foi difícil pra ela convencer o pai do seu filho a se retirar depois do que aconteceu, mas ela sabe que a sua presença apenas tornará as coisas mais difíceis quando Harry vier e ela sabe que ele virá, é apenas questão de tempo



Uma enfermeira acabou de sair depois de verificar a sua pressão que milagrosamente continua dentro do aceitável, a ela parecia quase impossível que isso acontecesse depois do que sucedeu há alguns minutos



Se ela fechar os olhos, Hermione pode ver claramente o semblante abismado de Harry ao ver Draco com a mão em sua barriga conversando com o bebê, semblante este que rapidamente passou de abismado para enojado e na falta de uma palavra melhor traído. A morena esperava um rompante violento do amigo, mas ele simplesmente deu as costas e fechou a porta o que evidentemente foi muito pior do que uma explosão de raiva



Ela se lembra também que o loiro, após passar o susto inicial, queria a todo custo ir conversar com Harry Potter e esclarecer a situação e apenas com muita dificuldade ela conseguiu convencê-lo a ir embora e deixar que ela mesma cuidasse da situação



Neste momento ela vê que a sua porta se abre. Hermione vê com a respiração suspensa que Harry entra e o seu semblante não parece realmente amigável. O momento em que ela mais temia finalmente chegou, o momento em que ela vai explicar toda a situação em que se encontra para um de seus melhores amigos



Ela olha para o amigo sem saber direito como começar, ou melhor, sem saber se deve mesmo começar algo ou se deve esperar que Harry comece. Hermione sabe que o seu amigo deve estar tão ou mais desconfortável que ela. A morena conhece muito bem Harry Potter para saber que ele deve estar se sentindo traído, que ele deve estar magoado com o que chamaria de falta de confiança e deve também estar horrorizado em vê-la com Draco Malfoy



- Você está bem? – Harry finalmente quebra o silêncio – eu fiquei preocupado quando a Gina disse que você estava aqui



- Estou – Hermione fala aliviada por ele ter começado a conversa em um território neutro – foi só um susto, eu já estou bem – ela respira fundo e continua – desculpe, Harry, eu não queria que você ficasse sabendo desta forma



Harry olha para a amiga, ele gostaria de dizer muita coisa, mas neste momento a única coisa que sai da sua boca é – por que, Mione, por que não nos contou? Por que inventou essa história maluca de inseminação?



Hermione luta para não deixar seu queixo cair. Ela pensou em muitas coisas, mas nunca que seu amigo acharia que ela tivesse inventado uma história como essa pra esconder um possível envolvimento com Draco Malfoy. Nem que ela quisesse teria imaginação suficiente pra isso



- É isso que você acha, Harry? – ela finalmente consegue replicar – você acha mesmo que eu inventei uma história maluca para encobrir meu caso com o Malfoy?



- O que mais eu poderia pensar Mione?- Harry diz se esforçando para não se exaltar. A última coisa que ele quer é fazer com que Hermione passe mal novamente – eu sei o que eu vi. Eu gostaria de não ter visto, mas eu vi



- Eu sei que você viu, Harry – Hermione respira fundo enquanto diz – eu sei exatamente o que parece e eu sinto muito que tenha sido assim. É uma história meio longa e complicada, mas se você puder me ouvir eu te conto como tudo aconteceu



Harry olha para a amiga, agora pensando racionalmente ele conhece Hermione bem demais para saber que ela não iria inventar uma história tão mirabolante assim. Então ele apenas se senta a seu lado e diz – me conte tudo...



XXXXX



Enquanto isso



Draco caminha pela Londres trouxa, se ele fosse para casa o loiro sabe que provavelmente não aguentaria a tensão e voltaria para o hospital correndo o risco de encontrar Harry Potter, e ele sabe que não seria nada bom para a saúde de Hermione e provavelmente para a sua também



Diabo de mulher independente! Ele vocifera. Ao mesmo tempo em que ele está, digamos, um pouco furioso por não ter sido permitido ficar, ele está ainda mais preocupado que alguma coisa prejudique Hermione e seu bebê. Draco Malfoy sabe que seria capaz de azarar Harry Potter se ele sequer pensar em falar algo para Hermione que a deixe chateada. Talvez ele não o fizesse porque sabe que isso também deixaria a mãe do seu filho mais chateada ainda



Ele resolve dar algum tempo para que Hermione e Harry conversem e depois Draco vai novamente a hospital levá-la para casa caso ela tenha alta e caso não tenha ele está decidido a ficar com ela nem que pra isso precise azarar um ou dois medibruxos



XXXXX



No hospital



Gina por um momento gostaria muito de ter as antigas orelhas extensíveis que os gêmeos inventaram ou quem sabe ser um besouro como Rita Skeeter para ouvir a conversa entre seu marido e Hermione



Em todos os anos que ela conhece seu marido, Gina pode dizer que nunca viu Harry Potter assim. A ruiva tem certeza que nem se alguém trouxesse provas concretas da volta de Voldemort, Harry teria ficado em tal estado



Gina sabe que a história de Hermione parece surreal demais para ser verdade, mas ela sabe também que seu marido conhece a amiga e que depois de ouvir tudo ele vai fazer o que sempre faz. Ficar chocado talvez, mais apoiá-la incondicionalmente mesmo que isso não signifique necessariamente apoiar Draco Malfoy em sua vida



XXXXX



Pouco depois



Harry Potter luta para não deixar seu queixo cair. Se ele achava que havia tido a sua parcela de surpresa do dia ao presenciar a cena entre Draco e Hermione, nada o preparou para a história que a sua amiga acabara de narrar



- Você está mesmo me dizendo que o Malfoy foi o tal doador que usaram por engano na clínica? – ele diz como se precisasse repetir em voz alta para acreditar



- Foi isso mesmo, Harry – Hermione confirma – eu sei que parece loucura e muitas vezes eu me pego pensando que é realmente uma loucura, mas foi isso que aconteceu. Desculpa se eu não contei a você ou ao Rony, mas eu simplesmente não sabia como



- Tudo bem, Mione eu entendo e acredito em você – Harry diz cautelosamente – o que eu realmente não consigo entender é porque o Malfoy estava aqui e porque ele estava naquela posição. Vocês pareciam um casal!



- É complicado, Harry – Hermione diz com um suspiro. Ela tem consciência que nada nesta historia é simples – ele quer fazer parte da vida do bebê de uma forma ou de outra – ela vê que Harry faz uma cara de desagrado – ele é o pai mesmo que isso tenha acontecido desta forma e eu acabei decidindo que não posso tirar isso dele. É estranho sabe, mas ele está diferente. Eu não tenho o direito de dar detalhes, mas ele passou por muita coisa, coisas que mudam muito uma pessoa. A gente foi se aproximando – ela vê que os olhos de Harry se abrem espantados, mas neste momento ela não quer mentir para o amigo, não mais – estamos tentando ter um relacionamento cordial. Eu disse a ele que no momento é só o que posso fazer



- Ele tentou mais alguma coisa? – Harry vê as palavras saltando da sua boca ao mesmo tempo em que Hermione empalidece – você está bem? Quer que eu chame a Gina?- ele diz, preocupado



- Eu estou bem, não se preocupe – Hermione diz grata pela preocupação de Harry ter feito que ele esqueça ao menos momentaneamente a sua pergunta – agora se você puder chamar a Gina e ver se eu posso ir pra casa, eu agradeceria – e antes que ele saia, ela completa – eu não sei se posso te pedir isso, mas eu vou contar ao Rony... Você poderia estar comigo?



Harry olha para a amiga. Ele sabe que o choque que levou não foi nada se comparado ao que o seu amigo irá sentir, mas o olhar suplicante que Hermione lhe dá basta para que ele tenha certeza que não vai abandonar a sua melhor amiga e é por isso que ele diz – claro Mione. O que você precisar, pode contar comigo



Harry sorri para a amiga ainda pensando na história louca que ela lhe contou. Ele sabe que ainda precisa esclarecer muita coisa, mas agora não é a hora e nem o local. Ele vai esperar que Hermione se estabeleça e depois esclarecer alguns pontos que ainda estão obscuros nesta história toda



- Obrigada, Harry – Hermione diz com um suspiro de alívio – isso realmente significa muito pra mim



- Eu vou encontrar a Gina – ele diz – e ver se você pode ir pra casa



Harry sai do quarto e Hermione finalmente solta o ar preso em seus pulmões. Foi difícil, ela admite, mas o alívio que sente neste momento é indescritível. Ela sabe que isso não significa que as coisas serão necessariamente mais fáceis, mas tirar o peso deste segredo de seus ombros é algo que lhe dá uma incrível sensação de paz



XXXXX



Quase ao mesmo tempo



Draco Malfoy entra novamente no hospital. Ele espera que Hermione tenha alta e que ele possa levá-la para a sua casa. Nem sob impérios, o loiro vai deixar que a mãe do seu filho fique sozinha hoje. Ele só espera que Hermione seja racional o suficiente para saber que não seria aconselhável. Mesmo que os médicos digam que ela está bem, o loiro vai ficar mais tranquilo se ela estiver sob sua supervisão



Embora a sua vontade seja ir direto ao quarto de Hermione, Draco resolve primeiro perguntar por Gina, pois ele sabe que se Harry Potter estiver no quarto a cena pode não ser bonita e a última coisa que ele quer é deixar Hermione chateada



Para sua sorte, antes que ele precise se dirigir a recepção, ele vê a ruiva. O loiro rapidamente se dirige a ela – eu vim buscar Hermione, ela já pode ir? – ele pergunta



- Eu estava mesmo vendo isso – ela diz – você foi ao quarto dela? – Gina pergunta pensando no desastre que seria se o loiro e Harry se encontrassem no quarto de Hermione



- Não – o loiro responde já sabendo o que passou pela cabeça de Gina – a Hermione pediu para que eu saísse para que ela e o cicatriz pudessem conversar, não que eu tenha concordado, mas você conhece a sua amiga...



Gina, embora não admita, tem que concordar com Draco Malfoy, Hermione pode ser bem teimosa quando quer. Ela assente e o loiro continua



- Então eu achei melhor não entrar lá sem ter certeza que o cicatriz saiu e eu te digo, ele pode ser o cara que derrotou você sabe quem, mas se ele fizer qualquer coisa que chateie a Hermione, Voldemort será uma lembrança feliz perto do que eu vou fazer com ele



- E você vai ter saudades de ser uma doninha de verdade perto do que eu vou fazer com você se sequer passar pela sua cabeça magoar a minha amiga – a voz de Harry Potter se faz ouvir



- Senhores, não se esqueçam que vocês estão em um hospital – Gina diz utilizando o seu melhor tom de medibruxa. Não que a ruiva nunca tenha tido que acalmar ânimos acirrados, mas nunca com seu marido envolvido



- Foi ele que começou – os dois homens falam ao mesmo tempo, o que faz com que Gina role os olhos. Ela respira fundo, afinal alguém precisa ser o adulto da história, e pela cara dos dois homens eles é que não serão



- Não interessa se alguém começou – ela diz usando o tom que aprendeu com a sua mãe – vocês dois vão se comportar como os homens adultos e civilizados que são



Os dois homens se entreolham como gladiadores prestes a entrar em uma batalha – a Hermione já pode sair? – eles novamente falam ao mesmo tempo



Harry e Draco se entreolham novamente e depois olham furiosos para Gina que está prestes a soltar uma gargalhada inapropriada diante da cena. A ruiva respira fundo para manter seu tom profissional enquanto diz – se a pressão estiver estabilizada, nada impede que ela vá para a casa



- Eu vou levá-la – mais uma vez os dois homens falam juntos e desta vez a ruiva não segura o riso



- Vocês precisam parar com isso – ela diz tentando manter a compostura – e antes que vocês comecem realmente a brigar – ela olha para o marido e para o loiro – eu vou falar com a Hermione, se ela quiser que você a leve – ela agora olha diretamente para Draco – não vejo problema algum – e antes que Harry manifeste o seu desagrado, a ruiva completa – ele é o pai desta criança, Harry, quer você goste ou não. E se o Draco quer passar por isso com Hermione e ela concorda, não sou eu quem vai impedir



A ruiva sai deixando os dois homens sozinhos e pedindo aos céus que eles consigam se comportar como bruxos adultos e não saiam duelando com suas varinhas em pleno hospital



Harry e Draco se entreolham. A tensão é tão forte que pode ser sentida no ar, é como se ambos os homens estivessem apenas esperando um movimento do outro para sacarem suas varinhas, uma simples respiração mais profunda poderia causar uma tragédia



Draco olha para Harry Potter, o mesmo Harry que foi o seu maior desafeto durante anos. Ele sabe que agora ambos são homens feitos, mas ele sabe também que existe muito rancor de ambas as partes e quis o destino que as suas vidas fossem interligadas de uma maneira tão inusitada. Sim, interligadas, pois Draco sabe que seja qual for a relação que ele tenha com Hermione, Harry Potter e o ruivo sempre estarão em seu caminho e o loiro sabe que terá que conviver com isso, goste ele ou não



Harry encara o loiro tentando ser racional e dizendo a si mesmo que Draco Malfoy foi pego pela armadilha do destino e em momento algum pode ser alvo de sua ira, não por este motivo. Ele luta para que o seu lado racional prevaleça enquanto diz para si mesmo que o bebê que Hermione espera não foi feito da maneira convencional e tenta tirar da sua cabeça a cena de estranha intimidade que presenciou entre a sua amiga e o sonserino



- Mantenho o que disse – Draco finalmente quebra o silêncio – se você chateou a Hermione, eu não estou nem aí que você seja o herói do mundo bruxo, não vai sobrar muita coisa do grande Harry Potter



- E eu também mantenho o que disse – Harry encara o loiro – você vai sentir saudade de ser uma doninha se magoar a Hermione de alguma forma



- Diabos, Potter! – Draco vocifera – Ela vai ter um filho meu! A última coisa que eu quero é magoá-la



- Você espera mesmo que eu acredite nisso, Malfoy? – Harry rebate – Você espera mesmo que eu acredite que você está feliz em ter um filho que não planejou, com a última mulher pela qual você poderia se interessar



- Não vou dizer pra você que este era o meu sonho de infância – o loiro diz – você pode não acreditar, mas a vida me ensinou muita coisa nestes últimos anos e uma delas foi aceitar de bom grado o que ela me oferece. Foi um choque, eu posso lhe garantir, foi difícil, mas eu decidi que eu quero este bebê, é sangue do meu sangue



- Mesmo que este sangue do seu sangue tenha uma mãe nascida trouxa? – Harry pergunta de modo ferino. O loiro pode até ter convencido Hermione, mas Harry não vai se deixar levar assim tão facilmente



- Potter... – o loiro o encara – eu não tenho que contar toda a minha vida a você, não é como se você fosse alguém importante pra mim, mas eu posso te dizer que muitas coisas aconteceram e hoje mais do que nunca eu sei que esse tipo de coisa não importa e, quer saber, eu não me importo nem um pouco se você acredita ou não, eu sei que a Hermione acredita e isso me basta



- Então suponhamos – Harry diz – eu disse, suponhamos, que eu acredite que você realmente não se importa com o sangue e esse tipo de coisa. O que você pretende, Malfoy? Por que eu conheço a minha amiga e eu sei o quanto ela quer ser mãe e se você pretende de alguma forma tirar isso dela...



Draco respira fundo. Ele não pode dizer de maneira alguma que Harry está completamente errado. Isso foi o que ele pensou no início, caso Hermione não o deixasse fazer parta da vida desta criança, mas agora ele sabe que nunca poderia fazer tal coisa, não apenas porque ele sabe que uma criança precisa tanto da mãe quanto do pai, mas também porque ele sabe que esta atitude partiria o coração da mãe do seu filho e ele, sabe se lá porque, não suportaria partir o coração de Hermione. Então ele apenas diz – eu não quero e não vou tirar nada dela, Potter, eu apenas quero fazer parte da vida desta criança e embora eu saiba que você não acredita e pra falar a verdade eu não me importo nem um pouco com isso como eu já disse, eu lhe garanto não passa pela minha cabeça fazer nada que a faça sofrer



O loiro poderia até falar mais alguma coisa, mas a chegada de Gina dizendo que Hermione pode ir para casa interrompe a conversa dos dois homens...





NOTA DA AUTORA



Finalmente eu apareci! Desculpa a demora, os motivos são os mesmos então não vou me ficar aqui falando sobre isso. Mas como já falei estou tentando me organizar e espero conseguir diminuir o espaço entre as postagens nem que seja um pouquinho.



Espero que tenham gostado do capítulo, finalmente o Harry já sabe da história toda. Agora só falta o ruivo esquentadinho, vamos ver no que vai dar...



Bjos e até o próximo


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por LoLa Malfoy em 30/07/2017
Meu Deus mulher!!! quero continuação. preciso! HAHAHAHA
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Luiza Snape em 16/06/2017
Meu, fico só imaginando a reação do Rony! Não vejo a hora de ver! :D Atualizaaaa! <3
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.