FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

32. Quando bate o desespero


Fic: Uma brincadeira do destino - Epilogo postado


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hospital St Mungus para acidentes mágicos



Draco Malfoy sempre se considerou um homem centrado e racional. Ele nunca se deixou levar pelos impulsos ou tomou alguma atitude que pudesse ser avaliada como insana. Nem no período mais crítico da sua vida, quando descobriu o câncer, ele se deixou levar pelo desespero. Draco se orgulhava de conseguir manter a sua cabeça no lugar e tomar as decisões de forma fria e controlada



Verdade seja dita, o loiro sempre encarou com certo desprezo as pessoas que encaravam situações difíceis de forma descontrolada, ele nunca foi fã de pessoas extremamente emocionais, de pessoas que perdiam o senso de objetividade. Ele sempre se orgulhou de conseguir mascarar as suas emoções



Sim, isso era a sua opinião até alguns momentos atrás quando uma figura ruiva irrompeu em sua lareira para dizer que Hermione havia sido internada e neste momento eles se vê invadindo o hospital da forma mais irracional possível



Ele se lembra vagamente de alguém na recepção dizendo que ele não podia entrar daquela forma, enquanto corria desesperado pelos corredores do hospital. Apenas depois de percorrer vários metros é que Draco se deu conta de que não tinha a mínima noção de onde Hermione poderia estar e ele se vê neste momento lançando impropérios a si mesmo por não ter dito a ideia de perguntar na recepção, a Gina por apenas ter dito que Hermione estava no hospital e sumido sem dar mais explicações, no mundo inteiro pela conjunção de fatores que permitiram que isso acontecesse



Para e pense, Malfoy. O loiro diz para si mesmo. Ficar correndo de um lado para outro não vai ajudar em nada. Então ele vê um rapaz que provavelmente deve ser um aprendiz – por favor – ele diz – estou procurando uma amiga, a senhorita Granger. Ela está aqui, mas não sei ao certo onde



- Você pode perguntar na recepção – o jovem diz e Draco se segura para não azará-lo. De jeito nenhum ele iria voltar para a recepção depois de passar ignorando os gritos da recepcionista



Draco sabe que ser arrogante agora não vai lhe ajudar em nada então ele tenta com esforço usar um tom humilde enquanto diz – é eu sei, mas eu estou tão preocupado que passei pela recepção sem notar. Minha amiga está grávida...



- Ah – o rapaz o interrompe – se for algo em relação a isso, provavelmente ela está no terceiro andar



Em sua mente ele percebe que o rapaz ainda fala alguma coisa, mas Draco apenas murmura um rápido agradecimento antes de partir como um raio para o terceiro andar. Ele para em um corredor onde existem várias portas e suspira desanimado, ele sabe que se começar a entrar em todos os quartos não tardará até que alguém o interpele e isso definitivamente não seria nada bom



Droga! O loiro vocifera mentalmente enquanto tenta em vão pensar em algo que o leve até a mãe do seu filho e neste momento ele vê uma cabeleira flamejante saindo de um quarto, ele só precisa de um minuto para identificar a amiga de Hermione e seguir rapidamente em seu encalço



- Weasley! – ele praticamente grita fazendo com que Gina e as outras pessoas que estão passando se virem e olhem para ele



- Fale mais alto, Malfoy – Gina diz exasperada – acho que não te ouviram direito em Hogwarts



- Não me importa se me ouviram em Hogwarts, na Austrália ou mesmo na lua – ele diz exasperado – onde ela está?



Gina olha para o loiro. Ela sabia que Draco ficaria preocupado, mas nem em um milhão de anos a ruiva imaginou que veria Draco Malfoy naquele estado. É quase como se ele se importasse verdadeiramente com a sua amiga



Ele vê que a ruiva continua o encarando e neste momento algo terrível passa pela sua cabeça – ela está bem? Ela perdeu nosso filho? – ele pergunta com um aperto horrível em seu coração



- Não, Malfoy, acalme-se! – Gina fala mais alto do que o habitual, mas neste momento é necessário, pois a seu ver o loiro na sua frente está a ponto de um colapso nervoso – a Hermione está bem, ela teve apenas um pequeno sangramento e se apavorou, por isso a pressão subiu e nos decidimos mantê-la aqui até que se estabilize, mas está tudo bem agora. Foi mais um susto que qualquer outra coisa



- Eu quero vê-la – o loiro diz e Gina estranha não ver aquele tom mandão em seu semblante, a ela parece que a preocupação deixou Draco, digamos, um pouco mais humano



Gina olha para o loiro, ela sabe que pouco antes de Hermione passar mal os dois haviam discutido e a última coisa que ela quer é que a sua amiga tenha algum tipo de aborrecimento agora. Ela sabe que Hermione está bem, mas a pressão é algo traiçoeiro e que num minuto ela pode estar controlada e algo pode fazer com que ela suba, o que para Hermione não é nada bom



Ela vê que Draco está esperando ansiosamente a sua resposta e seu olhar não transmite a ideia de alguém que esta dando uma ordem, pelo contrário, parece mais um pedido, senão uma súplica



Mesmo assim a ruiva se vê na obrigação de fazer algo a respeito, então ela diz – veja bem, Malfoy, o sangramento foi pequeno, não chega a ser algo totalmente normal, mas não representou nenhum perigo, já a pressão pode sim ser algo preocupante



- A pressão dela subiu por causa da nossa discussão? – o loiro pergunta se sentindo extremamente culpado



- É difícil afirmar que sim ou que não – ela responde usando seu melhor tom de medibruxa – pode sim ter contribuído, mas também pode ter sido apenas pelo fato de ter ocorrido um sangramento, eu pessoalmente acredito que vocês já brigaram tantas vezes que acho difícil que tal ocorrência fosse fazer a pressão dela subir



- É, mas antes ela não estava esperando um filho meu – ele diz, mortificado – e então, eu posso vê-la?



- Venha comigo – Gina diz enquanto se encaminha para o quarto de Hermione, ainda pensando se esta é uma boa ideia



XXXXX



Enquanto isso, na casa dos Potter



Harry acabou de receber uma mensagem do hospital onde Gina lhe avisa que vai atrasar. Ela pede que ele não se preocupe, mas Hermione teve alguns problemas e teve que ser internada



Não se preocupe... Ele fala para si mesmo com ironia. Como se fosse possível não se preocupar com a pessoa que lhe é o mais próximo de uma irmã que ele já teve, está em seu sangue se preocupar com Hermione



Harry sabe o quanto a sua amiga quer este bebê e que se algo acontecesse a ele, Hermione ficaria devastada. Ele se pega pensando com todas as suas forças que se fosse algo realmente grave, Gina não lhe esconderia



Mesmo assim ele se conhece bem o suficiente pra saber que não vai se sentir bem consigo mesmo enquanto não verificar com seus próprios olhos



E é por isso que Harry Potter se prepara para ir ao St Mungus...



XXXXX



De volta ao St Mungus



Gina chega com Draco até a porta de um aposento – eu vou me certificar que ela quer recebê-lo antes de qualquer coisa – a ruiva diz enquanto entra deixando Draco do lado de fora



O loiro olha para porta que se fecha, neste momento ele está mais inseguro do que nunca. E se Hermione não quiser vê-lo? E se ela estiver tão chateada que não queira mais a sua presença? E se o simples fato de Gina mencionar seu nome fizer com que ela passe mal novamente?



Draco definitivamente não poderá culpá-la se Hermione disser que não quer vê-lo e é por isso que ele sente um alívio indescritível quando Gina sai dizendo que Hermione o receberá



Draco entra no quarto da mãe de seu filho da mesma forma que entraria em um campo de quadribol em uma partida particularmente difícil, com a respiração suspensa, mas aparentando confiança para todos que o veem



Ele vê Hermione deitada no leito, embora esteja um pouco pálida a mãe do seu filho parece bem o que faz com que Draco solte o ar que estava preso em seus pulmões num suspiro aliviado



Ele olha para a mulher que há algum tempo atrás era no máximo um desafeto escolar, mas que neste momento é mais importante do que poderia um dia precisar, a mãe de seu filho. E Draco vê que não é apenas isso, ele não consegue pensar em Hermione como um recipiente carregador da sua criança, ele não gosta de admitir, mas ela em algum momento desta relação louca começou a ser importante pra ele



Ele não sabe direito o que dizer, a Draco parece que qualquer coisa que ele diga poderá fazer com que a pressão de Hermione se altere ou que ela se aborreça e simplesmente o expulse do quarto



Mas ao mesmo tempo o loiro sabe que se apenas continuar fitando-a, ela também poderá ter uma reação não muito agradável, além disso, se ele ficou sabendo que ela estava no hospital foi porque ela pediu para que ele fosse avisado. Então Draco respira fundo e diz – você está bem? Eu fiquei preocupado



- Agora está tudo bem – ela diz – eu apenas me apavorei com o sangramento e a pressão subiu – ela abaixa os olhos – me desculpe por te chamar assim, mas eu não queria passar por isso sozinha



Draco olha para a mãe do seu filho sem acreditar. Ele foi praticamente um trasgo com ela e Hermione lhe pede desculpas?



Ele se aproxima e segura a sua mão e Draco nota que embora ela pareça surpresa Hermione não a retira – sou eu quem tenho que pedir desculpas, eu não devia ter brigado com você. Eu sei que a sua pressão não pode subir, eu deveria ser mais contido



Hermione suspira – a gente sempre briga, Draco. Eu sei que não devia, mas acho que não dá pra evitar



- Mas a gente devia evitar – ele diz mais alto do que gostaria – a gente brigou, você teve um sangramento, a sua pressão subiu...



- Draco! – Hermione interrompe, alguém tem que pensar racionalmente neste momento e pelo jeito não será o loiro – em momento algum dá pra relacionar a nossa briga com o meu sangramento. Eu fiquei chateada, não nego, mas isso não tem nada a ver com o que aconteceu



- Como você pode ter tanta certeza? – ele diz e vê Hermione rolar os olhos. O loiro respira fundo, a última coisa que ele quer é começar outra discussão com Hermione neste estado, então ele diz apenas – que seja, o importante é que você está bem? Você está, não está?



- Estou, Draco – ela diz – foi só o susto mesmo. Se dependesse de mim eu já teria saído, mas a Gina quer monitorar a minha pressão mais um pouco



- Ela está certa, você sabe disso – Draco fala enquanto acaricia a sua mão – nós temos que cuidar do Junior e se o melhor é você ficar mais algum tempo aqui...



- Eu vou fazer de conta que você não chamou meu filho de Junior de novo – Hermione o interrompe – algo me diz que você faz isso apenas para provocar



Antes que Draco possa responder, ele sente um pequeno tremor em sua mão que está levemente encostada na barriga de Hermione. Ele olha para a mãe do seu filho com uma expressão assustada



- Você sentiu? – ela pergunta sorrindo



- Isso foi... O bebê? – ele diz, ainda incrédulo



Hermione olha pra ele e assente com a cabeça. Pra ela isso é algo que acontece com frequência, mas só agora ela percebe que para Draco é a primeira vez, não é como se eles tivessem tanta intimidade a ponto do loiro ficar o tempo todo tocando a sua barriga, seja ele pai do seu filho ou não. No entanto ela sabe que não seria justo privá-lo deste momento, então ela pega a mão do loiro e a guia para o local onde os movimentos estão mais fortes, Hermione não pode deixar se sorrir ao ver os olhos de Draco se abrirem desmensuradamente



- Ele se mexe mais quando eu converso com ele, você quer tentar? – Hermione diz e vê que o queixo de Draco cai



- Eu posso? – ele balbucia – você acha que ele vai reconhecer minha voz?



- Só temos um jeito de saber – a morena diz ainda sem acreditar que está proferindo estas palavras



Draco fica sem saber o que fazer por um instante e então ele cuidadosamente coloca as suas mãos sobre o ventre de Hermione



Se alguma vez alguém dissesse a Draco Malfoy que ele estaria fazendo uma coisa dessas, ele diria que de modo algum se prestaria a algo tão ridículo, mas neste momento ele não consegue ver nada ridículo em suas atitudes



E ele se pega falando coisas sem nexo para a barriga de Hermione, com um sorriso nos lábios. A morena também sorri, os dois estão tão absortos que não percebem a porta do quarto se abrindo lentamente...



XXXXX



Um pouco antes



Harry chega ao hospital repetindo que Hermione está bem, como se esta frase fosse um mantra. Ele sabe que Gina nunca esconderia algo assim, mas ele também sabe que sua esposa nunca daria uma notícia ruim com uma simples mensagem e que talvez Hermione tenha ficado mal antes das coisas melhorarem. De qualquer forma, Harry se sente na obrigação de visitar a amiga e ver como ela está com seus próprios olhos, ele teria até chamado Rony se não quisesse primeiro verificar como as coisas estão antes de avisar ao ruivo que costuma ser bem mais impetuoso que ele



O moreno passa pela portaria murmurando um oi para a recepcionista e perguntando se Gina está ocupada. A mulher lhe diz que ela está realizando um atendimento, Harry então pergunta por Hermione e se dirige ao terceiro andar ao receber a informação que é lá que ela estaria. Depois ele procura a sua esposa, a sua amiga é a prioridade no momento. Harry sabe que por mais independente que seja ninguém deve passar por este tipo de coisa sozinho, ele sabe que Gina está no hospital a trabalho e que com certeza não poderá ficar o tempo todo com Hermione, então Harry se vê satisfeito em além de saber como ela está ainda passar um tempo com sua amiga



Ele abre a porta do quarto de Hermione lentamente com um sorriso no rosto pensando em fazer uma surpresa para a sua amiga



O sorriso morre em seu rosto quando Harry percebe que quem está surpreendido é ele...





NOTA DA AUTORA



Espero que ninguém tenha ficado muito chateado porque eu parei exatamente nesta parte, em todo caso acho que vou falar rapidinho e me mandar antes que eu receba alguma azaração...



Falando sério agora, espero que gostem do capítulo. Estou fazendo o possível pra postar um pouco mais rápido, mas tenho consciência que ainda não está nem perto do ideal. Não é por pouco caso ou falta de esforço, espero que entendam, mesmo assim acho que já melhorei e vou fazer o possível pra diminuir ainda mais o espaço, lembrando sempre que não depende só da minha vontade



Bjos e até o próximo, e quem puder deixar uma palavrinha vai me deixar muito feliz


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lisa Granger em 10/03/2017

to adorando fic!! Ansiosa pelo próximo capítulo 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por JuhSnape em 01/03/2017

AHHHHHH!!!!! FIcou maravilhoso!!!! Continua <3

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por silvia xavierdos santos em 10/01/2017
Meninaaaaa amoooo esta fic ñ demora muito por favor!!!!
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.