FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. Desentendimentos


Fic: Trio de Ouro e a Nova Profecia


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 Eba! Mais um capítulo, sinceramente eu odiei este capítulo kkk, espero que vocês não compartilhem da minha opinão.
Pode haver alguns(espero que não muitos) erros, pois não tive tempo de revisar, desde já peço desculpa pelos eles.
-----------------------------------------------------------------------------------
Hermione se levantou e retirou o livro de DCAT que estava dentro de sua mochila, e desprevenidamente o bilhete que ela havia recebido mais cedo caiu de dentro do livro, e Harry foi mais rápido que ela e agarrou o bilhete do chão e rapidamente o leu.


-Quem te mandou isso Mione? – O garoto perguntou olhando de modo curioso para a amiga.


-Isso é coisa minha Harry. – Hermione se defendeu puxando o bilhete da mão do amigo.


-Hermione o que é isso? – Harry perguntou novamente.


-Esquece isso. – Hermione exclamou aborrecida com a insistência do amigo. – Foi apenas uma brincadeira das garotas.


-Hermione não tente me fazer de bobo. – Harry retrucou irritado. – Como foi que essa carta chegou até você?


-Quer mesmo saber Harry. – Ela gritou. – Não é da sua conta.


Hermione saiu em passos largos da sala, deixando para trás um Harry bufando, um Ron confuso, e um professor curioso.


-Será que a Mione tá com problemas cara?- Perguntou Ron abaixando a voz para que apenas o amigo o ouvisse.


-Não só ela Ron. –Harry respondeu. – Acho que nós três estamos com problemas.


-Depois nós investigamos isso. – Ron sugeriu. – Mas agora vamos antes que cheguemos atrasados na outra aula.


-Tá bem. Vamos. – Harry concordou e os dois seguiram para fora da sala indo em direção a sala de DCAT.


*


Minerva observava atenciosamente a sala em que estava, tudo estava como era no tempo em Dumbledore era diretor. Os quadros dos antigos diretores se movimentavam pregados nas paredes cor de marfim. O chão lustroso brilhava intensamente reluzindo os raios de sol que trespassavam as janelas de vidro. Mais atrás da mesa de Minerva, jazia a velha penseira de Dumbledore, com seu metal cor de cobre enferrujado e aspecto alaranjado.


-Professor Dumbledore o senhor está bem? – Minerva perguntou ao perceber a inquietude em que se encontrava o ex-diretor em seu quadro.


-Não Minerva. – Ele respondeu calmamente. – Sabes muito bem que eu não posso ficar tranquilo, com a proeminência de um novo líder das trevas.


-Eu não considero isso uma questão tão preocupante. – Minerva retrucou cerrando os olhos. – Nem ao menos sabemos se esse tal bruxo herdeiro de Voldemort existe, devemos considerar a hipótese de ser apenas um inútil boato alarmante.


-Eu sei disso minha cara Minerva. – O quadro falou. - Mas não devemos desconsiderar também a hipótese de que este boato seja verídico, é bem a cara do Tom arranjar um descendente antes de morrer, apenas para não deixar seu reinado cair por terra.


-Então o senhor realmente acha que Voldemort pode ter um filho?


-Sim Minerva infelizmente eu acho que sim. – O professor respondeu prontamente, com um tom de voz calmo, mas que não correspondia ao nervosismo contido em seus miúdos olhinhos azuis. – Mas isso não é o que mais me preocupa, na realidade eu temo por Harry, Hermione e Ron.


-Por que professor. – A mulher perguntou nervosa levantando-se em salto da cadeira. -  Acha que se realmente esse bruxo existir ele vira atrás dos três?


-Não sei Minerva. – Disse Dumbledore. – Confesso que isso também me aterroriza, talvez ele possa querer vingar a morte do pai. Mas o mais me deixa preocupado é a instabilidade emocional dos três, eles já passaram por tantas situações de risco, e quando finalmente acham que estão em paz...


-Aparece um novo bruxo para atormenta-los. – Minerva concluiu.


O quadro do professor apenas concordou com a cabeça.


*


A sala já estava completas alunos da Grifinória e da Lufa-Lufa já haviam se amontoado em seus respectivos cantos da sala. Do lado da Grifinória podia-se ver sentado na primeira mesa da fileira Harry e Ron, algo que causa estranhamento nos demais, pois percebiam que estava faltando alguém junto aos dois, e esse alguém estava sentada três mesas atrás, era Hermione. A garota se sentia mal de ter que brigar com Harry, fazia muito tempo que isso não acontecia, mas foi preciso ela não podia revelar a ele e a Ron o modo misterioso de como recebeu aquela carta, isso com certeza iria deixar os amigos preocupados isso era algo que Hermione não queria.


Harry mirava a mesa vazia do professor silenciosamente, enquanto ignorava as cotoveladas de Ron, ele se sentia péssimo brigando com Hermione e aparentemente por um motivo fútil, tudo por que Hermione não queria lhe contar de onde havia surgido aquela maldita carta. Ele não gostava que Hermione guardasse problemas só para ela, afinal eles eram amigos e ele estaria sempre lá para ajudá-la, mas pelo aparentemente não sabia disso, e essa situação desmoronava Harry, pois além de estar brigado com a amiga ainda sentia que ela não confiava nele.


-Bom dia alunos. – Cumprimento-os um homem de cabelos castanhos, pele pálida, e um sorriso amigável que acabava de adentrar a sala e se dirigia a mesa do professor. – Me perdoem meu atraso, tive alguns problemas inadiáveis e por isso precisei de utilizar alguns minutos que pertenceriam a aulas de vocês. Pois bem, eu me chamo Damian Levi, e como todos sabem ficar a encargo da disciplina de Defesa contra as artes das trevas. Bem suponho que se vocês não gostarem de mim, terão o rápido prazer de se livrarem deste professor.


Um murmúrio de curiosidade percorreu a sala após aquelas palavras inquietantes.


-Professor. – Um garota da Lufa-Lufa ergueu a mão. – Porque se livraremos rápido do senhor?


-Perdão pensei que vocês soubessem da maldição que ronda esse cargo, me avisaram que nem um professor durou mais de um ano. – O professor respondeu sorrindo para turma e que também correspondeu com alguns sorrisos. – Estou brincando alunos, espero que vocês não tenham o prazer de se livrarem de mim, pelo menos não tão rapidamente.


-A quarta maldição imperdoável. – O professor gritou bastante alto fazendo os alunos se assustarem e Lilá soltar um gritinho agudo. – Eu suponho que todos vocês saibam do que se trata. Certo?


99,9% da sala respondeu negativamente exceto, é claro, Hermione que ergueu a mão afirmando que sabia do que se tratava.


-Pois acho que a Srta...?


-Granger senhor,. – A garota completou. – Hermione Granger.


-Ah, mas é claro com eu não lhe reconhec?. – O professor exclamou surpreso. -  A grande mente do último século. É uma enorme honra conhece-la Srta. Granger.


-Er... obrigada. - A garota murmurou claramente envergonhada.


-Pois então responda para nós do que trata a quarta maldição imperdoável.


-Ah... sim. – Hermione falou e logo depois acrescentou. – A quarta maldição imperdoável foi inventada a muito anos atrás, pelo grande mago Merlin, no início a sua invenção tinha como único objetivo fins médicos, uma vez que essa maldição causa a degradação dos ossos, então era usada para ajudar no tratamento de corcundas, fazendo com que a maldição dissolvesse parte do osso que se encontrava voltada para cima e assim acelerando o processo de cura em corcundas. Mas alguns séculos depois Voldemort e sua turma se apoderaram dessa magia simples e a aperfeiçoaram tornando uma técnica cruel e sádica, uma vez que quando usada sobre seu oponente ela esfarela os ossos dele lentamente sendo assim um técnica de tortura, onde a pessoa tem que observar seus ossos sendo moídos pouco a pouco enquanto apenas sente uma dor dilacerante. Logo que o ministério tomou conhecimento da forma como Voldemort estava usando essa técnica milenar, foi declarado que ela passaria a ser uma maldição imperdoável. Após a primeira queda de Voldemort ninguém mais usava essa técnica nem para fins tortuosos nem para fins médicos, então por isso ela acabou sendo esquecida e até retirada dos livros didáticos.


-Realmente os boatos não são falsos Srta. Granger. – O professor exclamou surpreso. – Ótima resposta, parabéns. 20 pontos para Grifinória. Como muito bem a Srta. Granger explicou essa técnica já não mais utilizada hoje em dia, mas eu a considero de extrema importância. Então irei demonstra-la agora mesmo.


Ele pegou a bolsa que havia deixado encima da mesa, e retirou um pote cilíndrico que continha um pequeno ratinho lá dentro. Pegou o rato com a mão e murmurou: “Engorgio”, O rato aumentou de tamanho.


- Pois bem, prestem bastante atenção. – Ele falou alto e apontou novamente a varinha para o rato, a turma ficou a apreensiva. Então ele gritou. – “Aphaerema”.


 O rato começou a guinchar alto, pode-se ouvir o barulho que remetia a ossos sendo moídos, pouco a pouco a pele do rato foi perdendo a sustentação enquanto ela guinchava nervosamente com os olhinhos quase saindo de orbita, e de repente o guincho e o barulho parou, e na mão do professor estava a pele do rato, nem um sinal de osso. Algumas aluna com Padma e Lilá enfiaram a cara nas mãos enquanto choravam, Hermione estampava uma expressão que beirava o nojo e a rupulsa.


-Eu sei que é algo aterrorizante. – O professor se manifestou. – Mas é preciso que vocês conheçam, infelizmente.


-Essa aula não termina mais. – Ron resmungou. – Eu já estou morrendo de fome.


-Só você mesmo pra sentir fome depois de ver um rato sendo morto desse jeito. – Harry retrucou.


Passaram-se mais alguns minutos, e para alegria de Ron, a aula acabou. O professor foi o primeiro a sair da sala, sendo logo seguido por uma avalanche de alunos, Harry ainda guardava os livros e nem havia percebido que Ron já tinha saído da sala na velocidade de uma bala. Ele colocou o último livro dentro da mochila e se levantou, abriu um sorriso imenso ao ver quem ainda estava dentro da sala também guardando seus livros: era Hermione Granger.


-Er... Hermione?


A garota levantou a cabeça assustada, não havia percebido que ainda havia alguém dentro da sala, ainda mais que esse alguém era: Harry Potter.


-O que foi Harry? – A garota perguntou tentando fingir indiferença.


-Podemos conversar? Ele pediu.


-Tudo bem. – Ela respondeu. – Prossiga.


*


Claire observava da grande porta de entrada, a formação de uma tempestade, as nuvens cinzas e escuras que começam a se unir davam um perfeito da sua vida, também cinza e escura. Um sorriso tímido escapou dos seus lábios, pois enfim ela conseguiu colocar seu plano em pratica, havia percebido que Ronald Weasley não tirava os olhos dela, esse era seu plano acabar com cada um do trio começando pelo mais fraco, o Weasley, depois o grande Potter e por último a perfeita Granger.


Ron estava indo em direção ao salão principal para o almoço, todo seu corpo pedia desesperadamente por comida, mas ao passar perto da entrada e ver quem estava encostada na grande porta, ele esqueceu-se rapidamente da fome que há segundos atrás o afligia. Era Claire Walker, seus cabelos negros caiam delicadamente sobre seus ombros, entrando em um perfeito contraste com sua linda pele.


Claire se virou para ir para o salão principal, e então abriu um largo sorriso ao ver quem a observava quase babando, Ronald Weasley parecia completamente estático a admirando. Ela se aproximou dele que levou um susto ao perceber que estavam pertos um do outro.


-Algum problema? – Claire perguntou inocentemente


-Er... Bem... Não, nem um problema.


-É que você estava me olhando fixamente, que eu pensei que tinha alguma coisa com meu corpo.


-Não tem nada, seu corpo é perfeito. – Ele disse sorrindo timidamente para garota, mas ao perceber o que havia falado suas orelhas avermelharam rapidamente.


-Você acha mesmo?


-Er... Sim, acho.


-Seu corpo também não é nada mal. – Ela disse sorrindo sedutoramente para ele, e se retirando em seguida deixando o garoto em um completo estado de choque.


*


-Mione eu não gosto de ficar brigado com você. – Harry resmungou passando a mão pela face da amiga.


-Eu também não Harry. – Hermione falou. – Ainda mais por motivos frívolos.


-Mas acontece que esse motivo não é frívolo Mione. – Harry retrucou. – Eu estou preocupado com você, e queria que confiasse em mim pra me contar quem te mandou essa carta.


-Harry eu já te disse, aquela carta foi apenas uma brincadeira da Lilá e da Patil.


-Não minta pra mim Mione. Qual o problema você não confia em mim?


-É claro que confio, mais que tudo Harry.


-Então por que não me conta? – Harry agora gritou, por mais que ele não quisesse brigar com a garota aquela atitude infantil dela o deixava nervoso.


-O que você quer saber? Eu já te contei a verdade. – Hermione também gritou. – Quer que eu diga que quem me enviou a carta foi algum bruxo das travas? É isso?


-Você está sendo muito burra Mione. – Harry vociferou. – O que é? Você se acha poderosa de mais, para dividir seus problemas com outros? Deve ser isso. Acho que essa história de mente do século te subiu à cabeça.


Hermione não respondeu, apenas se virou e saiu correndo da sala, Harry despencou na cadeira ao seu lado.


-O que você fez idiota? – Ele gritou consigo mesmo. – Só piorou as coisas. Aí Merlin por que eu fui gostar de uma garota tão complicada?


*


Hermione correu para beira do lago e se encostou na gigante arvore que lá estava, o lago apresentava uma coloração mais escura que o normal e estava completamente silencioso. Ela precisava refletir e aquele lugar a ajudava a fazer isso. Era completamente idiota toda aquela briga com Harry, mas era preciso, ela não queria que Harry depois de tudo o que já passou tivesse mais um motivo para se preocupar.


Alguns pingos de chuva já começavam a pingar no lago, um vento começou a soprar balançando a copa da árvore e levando algumas folhas ao chão. A chuva provavelmente não iria demorar a cair.


-Me desculpe. – Uma voz soou atrás da garota a fazendo se assustar, ela virou-se e encontrou Harry com os olhos demonstrando uma grande tristeza, seus cabelos se despenteavam mais ainda com o vento, ele estava coberto com um agasalho da Sra. Weasley. – Eu realmente fui intrometido, não deveria ficar me metendo nos seus assuntos. Eu só estava preocupado com você Mione, eu quero cuidar de você como você sempre cuidou de mim.


Uma lágrima repentina escapou dos olhos de Hermione, o seu coração se disparava a uma velocidade absurda ouvindo Harry dizer aquilo.


-Eu sei Harry. – O garoto se aproximou e sentou-se de frente a ela, limpando com o dedo a lágrima que percorria a face da garota. – E eu também só queria cuidar de você, por isso não quis te contar a verdade sobre essa maldita carta. Não queria te preocupar.


-E eu te agradeço por isso Mione. – Harry falou se aproximando mais de Hermione. – Mas eu quero que você entenda que eu te amo muito, e não acho justo que você se preocupe sozinha com os problemas, não se esqueça que você, Ron e eu somos um time.


-É devo admitir você tem toda razão. –Disse Hermione passando a mão pelos cabelos desalinhados do amigo. – Me perdoe Harry por tentar esconder a verdade.


-Então você vai me contar sobre essa carta?


-Eu a recebi ainda hoje de madrugada, uma coruja que eu não conheço me entregou ela, sem remetente e sem nada mais.


-Bem acho que nosso planos de ter um ano normal falharam miserávelmente, pois o trio de ouro tem mais um mistério nas mãos.


-Eu não queria isso Harry, tudo o que eu mais desejava é que você conseguisse levar a vida normal que sempre sonhou.


-Você também não sabe o quanto eu desejava que nós pudéssemos levar uma vida normal. – Harry disse trazendo a amiga para um abraço, mas a soltando rapidamente para poderem se olhar. -  Mas a vida é assim, temos que aceitar os problemas que ela nos impõe e lutar para superá-los. É lutando que se...


-Aprende a viver e a vencer. –Hermione completou sorrindo. Harry era tão especial e único, era alguém que Hermione desejava ter sempre a seu lado e neste momento ela teve certeza que o amava.


Extrañarte es mi necesidad
Vivo en la desesperanza
Desde que tu ya no vuelves más
Sobrevivo por pura ansiedad
Con el nudo en la garganta
Y es que no te dejo de pensar


O vento soprou forte novamente, fazendo os cabelos de Hermione voarem para trás e depois caírem desajeitadamente sobre os seus ombros. Harry a admirava com os olhos brilhantes, ele se sentia tão grato por ela existir, por ela o proteger e o querer sempre tão bem. Ele tinha certeza que a amava mais que tudo.


Poco a poco el corazón
Va perdiendo la fe
Perdiendo la voz


(Sálvame del olvido)
Sálvame de la soledad
(Sálvame del hastío)
Estoy hecho a tu voluntad
(Sálvame del olvido)
Sálvame de la oscuridad
(Sálvame del hastío)
No me dejes caer jamás


Harry pegou uma mecha teimosa que estava caída sobre a face de Hermione e a colocou atrás da orelha da garota, mas a mecha logo saiu voando de novo junto com o vento. Os dois estavam tão próximos, ambos com os corações acelerados, compartilhando o mesmo desejo e a mesma vontade. Os lábios se encontravam separados por milímetros de distância, enquanto os dois mantinham os olhos fixos nos olhos do outros. Mais uma vez ventou forte e Harry enfim quebrou a distância entre os dois lábios. A chuva começou a cair com toda sua intensidade, molhando os dois, mas estes nem reparavam na chuva e também em mais nada.


 


Me propongo tanto continuar, 
pero amor es la palabra que me cuesta a veces olvidar.
Sobrevivo por pura ansiedad, 
con el nudo en la garganta y es que no te dejo de pensar.
Poco a poco el corazón va perdiendo la fe, perdiendo la voz.


Hermione sentiu seu coração dar vários saltos, quando Harry separou a mínima distancia existente entre os dois, ela não ofereceu nem uma resistência pelo contrário enlaçou o pescoço de Harry demonstrando o tanto que desejava aquele momento, ele por sua vez aprofundou o beijo a trouxe para mais perto de si. Era um momento Realmente mágico, e tanto Harry como Hermione desejavam que ele jamais tivesse fim, que os dois lábios nunca mais se separassem, e que um pertencesse sempre ao outro.


Algo começou a arder no pescoço de Harry e Hermione, o beijo foi interrompido pelo susto, sabiam o que estava queimando em volta do pescoço deles. Se olharam assustados e juntos retiraram as Correntes de Proteu de dentro da camisa, ambos os pingentes estava na mesma forma a de uma coroa com a inicial R no meio, indicando que Ron se encontrava em perigo.


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
N/A:
E ai gostaram? eu espero que sim, esse é um capítulo bastante importante pra fic, tem um segredo muito interessante que é revelado neste capítulo. Vocês acharam?
Essa música que eu usei aí no final se chama Sálvame-RBD, ela não tem nada a ver com a cena, mas eu a coloquei porque verdadeiramente eu a amo kkk.

Mateus Guilherme: Primeiro a comentar kkk, Que bom que você gostou eu fico super feliz, espero que este também te agrade. Um abraço e comente novamente.
Stehcec:
  Devo confessar que eu te amo kkk, é muito bom saber que você vai continuar me apoiando com essa Fic até o fim, obrigadissima. Ainda não revelei quem é o vilão e acho que vai demorarar um pouco, mas eu vou dar algumas pistas durantes os proximos capítulos. É pode ser que esse professor esteja querendo pagar de santo, mas agora que eu apresentei o outro professor, mudou de opinião? Não esqueça de comentar. Bjs!
Luiz Eduardo Melo: Ainda bem que você gostou. Quem sabe sua ideia não esteja certa, esperar pra ver né? Espero que você também goste desse capitulo e comente.
MioneAndHarry: Oi linda eu acho tão bom que você gostou. Olha daqui a alguns capítulos eu vou revelar mais da historia dela, eu até estive pensando em fazer um capítulo só sobre ela. O que acham?

Obs: Ontem eu estava relendo a Fic desde o começo e fiquei até com vergonha dos primeiro capítulos kkk, eu realmente escrevia muito mal, mas acho que melhorei bastante. E vocês o que acham? BJs! espero comentários. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mateus Guilheme em 06/06/2014

Me agradou kk, capítulo muito bom, eu tambem reli a Fic e você realmente melhorou muito a sua escrita em tão pouco tempo. Parabéns.
Eu acharia muito legal um capítulo só com a historia da Claire. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Joyce Aguiar em 06/06/2014

Aí que fofo H², muito lindo esses dois.
Menina você quase me mata com essa cena kkk.
Estou esperando pelo proximo capítulo. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por MioneandHarry em 06/06/2014

Oi, Aí eu quase tive um ataque com Harry e Hermione só lendo kkk, e ainda resolvi ler escutando a música. Quase que eu morro kkk.
Não precisso nem dizer que realmente você está de parabéns, pois sua escrita evoluiu muito mesmo.
Amei o novo segredo.
Ai o que aconteceu com Ron? Morrendo de ansiedade para descobrir, não demore a postar. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Luiz Eduardo Melo em 06/06/2014

Outro capítulo muito bom, eu tambem acho que sua escrita realmente está evoluindo, torço para que continue assim.
Ah eu descobri o segredo, que na verdade não é muito segredo kkk .
No aguardo do proximo. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Stehcec em 06/06/2014

Ebaa

que lindo que você atualizou!
Fiquei mega feliz.
Estou super curiosa pra saber mais coisas.

Acho q eu descobri o segredo revelado, tive q ler de novo pra descobrir, mas tava meio na minha cara. hahaahhaha
Não sei se posso falar ahaahah

Amei o momento H/H muito lindo e romantico. Fofo fofo
já me acostumei com os dois. haha
e ainda com a musica linda de rbd!

E que bom q vc me ama! hahahaahah
vou continuar lendo sempre, sempre!

P.S. não achei o cap horrivel. Está muito bom! 
Até o próx. bj 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.