FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

14. "O Chuveiro" ou "A garota da c


Fic: Sweet Revenge - Não temos nada a perder!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Midori finalmente pode respirar ao sair do Salão e avistar as cinco ali, paradas, com um grande ponto de interrogação pairando sobre suas faces confusas.
- James? - Carly finalmente falou alguma coisa. E logo todas falavam ao mesmo tempo.
- Eu sinto muito, mesmo. Mas eu, sei lá. Eu vou consertar isso, eu não conseguia nem olhar pra... Você sabe ele... - Midori tentava se explicar. Loren começou a rir alto, parecendo satisfeita, fazendo todas a encararem, perplexas.
- Isso é... PERFEITO! - Loren finalmente se pronunciou.
- Como? - Midori perguntou, sem entender.
- Vamos matar dois coelhos em uma só cajada. - ela sorriu e o grupo seguiu sua direção para suas respectivas aulas.
~~~~
Enquanto isso, próximo ao lago, dois garotos discutiam enquanto um outro observava e mais dois tentavam apartar a briga.
- JAMES VOCÊ NÃO VAI SAIR COM A MIDORI! - Wallace gritava, sendo segurado por Joey que mal sabia se segurava o amigo, ria, ou ajudava a espancar o outro amigo.
- WALLACE, SE ACALMA, POR FAVOR! - James gritava se escondendo atrás de Danny. - EU POSSO EXPLICAR.
- ENTÃO... - ele parou respirando fundo - Vai. Explica.
- Sério? - ele espiou pelo ombro do garoto. - Bom... Pra começar... - ele saiu um pouco de trás do Danny. - Ela me chamou pra estudar. Uma coisa inocente. E eu e você percebemos, claramente, que ela tá muito...
- James... - Wallace franziu a testa - CALA A BOCA, VOCÊ NÃO ESTUDA! - voltou a gritar, tentando acertar o pobre moreno.
- EU TAVA BRINCANDO, CARA! CALMA! - ele gritou voltando a se esconder. Wallace parou novamente ollhando para Ramon que havia levantando a mão, como um aluno em classe.
- Fala. - Wally apontou pro novo integrante, mantendo a calma.
- Bom... - Ramon pensou um pouco. - Se eu entendo de mulheres, e eu já passei horas ouvindo minha irmã e "aprendendo" - fez aspas com os dedos rindo - Isso me parece como uma tentativa de ciúmes... talvez.
- Não... - Wallace deixou escapar, chocado. - Ela não faria isso. A Midori que eu conheço....
- Te garanto - Daniel interrompeu - Que a Midori que você conhece não era tão... - ele colocou as mão em frente ao tórax, como se segurasse dois balões, recebendo um tapa de James, que rira depois.
- Eu quis dizer que ninguém muda tanto. Ela era tão pura, inocete, não gostava de chamar atenção e sequer olhava outros garotos nos olhos. E agora ela... Ela...
- Nada na atenção, faria um cara deitar no chão pra ela pisar em cima se quisesse e me hipinotisou a ponto de me fazer dizer sim pra um encontro que eu não queria ir? - James sugeriu.
- É... - ele o olhou torto. Ramon riu.
- Mas não deve ser nada, relaxem. - o moreno disse. - Alguém viu o Thomas?
- A última vez que eu vi, ele estava com uma carta. - James respondeu.
- Ah, não. De novo não. - Joey revirou os olhos.
- Achei que ele tivesse desistido! - Danny sentou-se, sendo seguido pelos outros.
- Não, ele passou a noite lá duas vezes seguidas. - James respondeu, olhando o céu.
- Que carta? - Ramon perguntou.
- Ah, você chegou bem na hora que elas pararam. - Wallace riu.
- A Garota da Carta. - Joey entitulou. - Por "Os Marotos". - continuou - Era uma vez um mané que gostava de uma garota antissocial com tendências psicopáticas e longos cabelos loiros. - James riu.
- Até que um dia, ele decidiu que era uma boa ideia seguir a garota pra ver onde ela ia todas as noites. - James continuou - Então ele o fez. Seguiu. Descobrindo que a garota passava a noite em claro lendo livros e mal dormia. O mané então...
- O mané então decidiu que queria se comunicar com a garota. - Danny interrompeu - Mas como ele era muito mané, chegou na bela conclusão de que escrever uma carta era melhor do quê ir lá falar com ela. Ele escreveu. Escondeu em um livro mané e foi embora.
- Mas o mané voltou no dia seguinte pra ver se ela havia lido a tal carta. - Wallace continuou - E ela respondeu. Então o mané e a garota passaram a trocar cartas daquela forma.
- E o que aconteceu? - Ramon perguntou depois de um breve silêncio.
- Ela parou de responder. - Thomas surgiu atrás do moreno o fazendo pular de susto. James, Joey, Danny e Wallace riram. - E depois... - ele continuou se sentando ao lado do rapaz. - De alguns dias sem respostas, vendo ela pelos corredores sem poder dizer nada, o mané, depois de passar mais uma noite revirando a maldita biblioteca, ele achou uma carta dela. - ele sorria frouxo.
- O que aconteceu, Tom-tom? Ela respondeu! - James estranhou - Você devia estar dando um pulinhos pela escola, igual um... Um...
- Grilo? - Wallace sugeriu.
- Não.
- Veado? - Joey perguntou.
- Isso. - respondeu, recebendo um olhar feio de Thomas.
- Ela respondeu - ele continuou, ignorando o amigo - Mas ela disse que quer me encontrar.
- E qual o problema nisso? - Ramon perguntou.
- O problema é que... - Thomas fez uma pausa passando a mão sobre o rosto. - é a Dorothy Cormich.
- Merlin! - James exclamou.
- A Cormich? Sério, Toms? - Joey arregalou os olhos. - Enlouqueceu?
- Espera... Vocês não sabiam quem era? - Ramon os olhou confuso.
- Não. Mas agora dá pra perceber o porquê. - Danny parecia assustado.
- Como isso foi acontecer, cara? - Wallace perguntou.
- Eu sei lá. Ela parece fria, sozinha e meio louca mas ela... Quando ela esta lá lendo e rindo sozinha, parece até outra pessoa. - Concluiu, sorrindo.
- Você é doente. - James riu. - E como você vai encontrar com ela? Por que você sabe muito bem o que ela acha da gente. - ele apontou o grupo.
- Argh... Eu sei. - ele respondeu. - Quer saber? Não importa. Eu vou me encontrar com ela e ela vai entender. Ela tem que entender. - Thomas parecia decidido.
- Isso aí. - Wallace riu.
- Senhores Potter, Fontaine, Waesley, Wood, Bones e Malfoy, matando aula? - Minerva os repreendeu "surgindo" próxima a eles. Os seis bufaram, já sabendo o que lhes aguardavam: castigo - Menos 10 pontos para suas respectivas casas e é melhor correrem para a biblioteca esta noite para fazerem 5 rolos de pergaminho, cada, sobre a matéria importantíssima de História da Magia sobre a Guerra dos Gnomos que perderam hoje. Eu os quero sobre minha mesa até o primeiro horário de amanhã, ou então haverá consequências. - ela olhou séria para o grupo. Eles afirmaram com a cabeça. - Agora sigam seus caminhos, a próxima aula começa em 5 minutos. - eles obedeceram e se arrastaram para dentro do castelo. Minerva sorriu, ela sabia que aquela não era nem a primeira, nem a última vez que dissera palavras quase iguais a essas.
~~~~
Alguns dias se passaram e o final de semana finalmente chegou. Carly e Loren haviam saído para conferir se todos estaam na posição correta, estava na hora de seguir com o próximo passo. E nada melhor que um jogo histórico de Quadribol, para isso. Sonserina versus Corvinal.
- Muito bem, pronta? - Perguntou à Rock.
- Sempre. - ela sorriu.Ela tirou o casaco e os sapatos, entregando-os para Carly e Loren, e entrou no vestiário masculino da Sonserina. ‘Você consegue, Rock. Você é a fase 3. É... Três!‘ - pensava, positiva - ‘Você só precisa fazer tudo que foi combinado e logo tudo vai acabar‘. Ela sorriu confiante. Respirou fundo. Mexeu no armário do garoto e trocou de roupa. Ainda faltavam alguns minutos para o jogo acabar. Olhou seu reflexo no espelho e passou a mão pelos longos cabelos pretos. Quando ouviu gritos comemorativos e passos pesados vindo em direção à porta. Ela sorriu e correu para a sala com os chuveiros, se direcionou ao box com uma toalha verde bordada as iniciais J.B., fechou a cortina e ficou de costas pra parede, em silêncio. Esperando. Não demorou muito para que ela ouvisse os garotos conversando e começando a trocar de roupa.
- Você viu a cara do McKile quando eu peguei o pomo? - ela pôde ouvir James se exibindo.
- Eu estava muito ocupado desviando de um balaço. Joey, muito obrigado. - reconheceu a voz do Malfoy. Thomas acertou o amigo na cabeça.
- Dá um desconto pra ele, TomTom. - Danny começou - Rock não foi vê-lo jogar, ele tá todo sensível. - ela abriu os olhos, surpresa. Joey jogou uma meia no amigo. - Não desconta em mim. - o loiro riu.
- Eu nem ligo. - Joey começou, tirando o resto de roupa que o restava, indo em direção ao box e o abrindo - Ela pode ir pro... - parou, surpreso, olhando a morena de cima a baixo vestindo apenas sua camiseta branca que mais parecia um vestido na pequena. Ela ergueu a sobrancelha, como que pedisse pra que ele continuasse.
- Pode ir pro..? - Thomas perguntou jogando a cueca pra cima e entrando no chuveiro ao lado. Joey sorriu.
- Pro inferno. - ele entrou no box, fechando cortina atrás de si, a encurralando. A respiração curta de ambos, tão próximos. Ele ligou o chuveiro. A água quente caia entre os dois, que se olhavam nos olhos, parados. Como se quisessem dizer muito e ao mesmo tempo não dizer nada. Ele se aproximou e eles se beijaram, não um beijo qualquer. Um beijo com saudade, um beijo que os faziam lembrar porque se encontravam tantos entres os corredores de Hogwarts e esquecer porque pararam com isso. Rock sabia bem que aquilo tudo fazia parte de um plano maior. Era errado, mas ele precisava saber como era... Saber como ela...
- Senti sua falta. - ele sussurrou a olhando nos olhos. Ela segurou o olhar firme, lembrava dos planos, da dor. Sorriu. ‘Eles nem desconfiam‘ -pensou. Sem dizer uma palavra mais, continuaram a se beijar. Logo o vestiário se esvaziou, já não se ouvia uma alma viva. Apenas os dois. Então, Rock tentou sair, ele a segurou.
- Eu preciso ir. - ela disse ainda de costas pro moreno. Ele a abraçou.
- Eu entendo. - ele sorriu. Ele sabia que Rock não era esse tipo de garota. Ele a soltou, voltando para, finalmente, seu banho. Rock saiu do chuveiro. Tirou a camiseta molhada e vestiu suas roupas de antes. Suspirou pesado. Sabia que era tudo parte da fase 3, mas por um momento parecia real. Aliás, ela deixou ser real, nem que fosse por apenas um breve segundo. Ela precisava disso. Precisava dele, nem que fosse por aquele momento que ela se esqueceu até do próprio nome. Saiu do vestiário, descalça e com os cabelos molhados. Atravessou o campo e seguiu em direção ao salão omunal da Sonserina encontrar com Loren e Robbie.
~~~~
No Salão Comunal da Soserina, Loren e Robbie jogavam xadrez bruxo enquanto esperavam.
- Você acha que deu certo? Rainha na E6. - ela ordenava e a peça seguia seu curso.
- Não tenho certeza. Mas até onde a gente sabe, a Rock consegue. Ela é persistente. - Robbie respondia, se concentrando nas peças brancas. - Torre na F6.
- Estranho, não é? - Loren parou de prestar atenção no jogo e olhava a ruiva.
- O quê? - ela respondeu olhando de volta.
- Como nunca nos demos a chance de nos conhecermos melhor. Todas nós. - Loren se levantou e deitou no sofá.
- Verdade. Mas ainda bem que acabou. - Robbie sorriu, levantou os pés da amiga e os colocou sobre seu colo. - Não ria mas, eu acho que o máximo de amizade que eu já tive foram os meninos. - ela riu - Isso até eles me excluírem pra aprontar, essas coisas. - ela revirou os olhos. As duas riram. O quadro se abriu, Rock entrou correndo e se jogou de bruços no sofá ao lado. - Rock?
- Oi? - perguntou com a voz abafada pela cara enfiada em na almofada.
- Você está bem? - Loren se levantou e foi até ela.
- Tô... - ela respondeu. Loren e Robbie se entreolharam.
- Rock... - Robbie passou a mão pelos cabelos molhados da garota. Rock levantou apenas para permitir que Loren ficasse no lugar da almofada. Robbie sentou no chão, ao seu lado. A morena começou a chorar. - Tá tudo bem, se acalma. Ele fez alguma coisa errada? Alguém viu você lá?
- Não... - ela disse parando de chorar e sentando. - Eu só... Eu só queria que ele entendesse.
- Ele vai. - Loren respondeu. Robbie afirmou com a cabeça.
- É... O plano está funcionando até agora. Ele vai entender. - Robbie afirmou.
- Todos ele vão. - Loren completou. Rock sorriu, respirou fundo e se levantou.
- Vamos dormir. Amanhã é a próxima fase e precisamos estar descansadas.
- Vamos. - Loren concordou. As três subiram e foram dormir. Elas terão um longo dia pela frente.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Naylla em 06/07/2016

Olha, você vai ter que continuar lendo kkkkkk
É realmente complicado entender como as meninas se sentem porque, como você pode ver, elas só têm um lado da história: o delas.
A Robbie ficou muito sozinha depois que o Wallace e a Midori se separaram, já que ele ficou "deprimido" e passou a dar mais atenção pros meninos do que antes. Aliás, já não dava tanta atenção assim quando namorava a Midori e tinha ela pra cuidar. Então quando ela foi perseguida pelos corredores por um estranho, ela já estava cheia de coisas na cabeça (fora que o temperamento dela é um pouco... esquentado demais). E, quando as meninas surgiram com essa ideia e explicaram os mals entendidos causados no passado, ela não quis ficar de fora já que percebu que não ficaria mais sozinha. Também, ela não queria mexer só com o Ramon, ela queria que os meninos aprendessem a lição de terem mexido com elas todos esses anos.
A Dorothy sempre foi solitária, principalmente por ser arrogante. Depois que a Midori conseguiu "quebrar" essa barreira que a Dothy construiu, ficou mais fácil pra ela desabafar com alguém e... BOOM! Midori a faz descobrir que o cara que ela tanto gostava era parte de um grupo de garotos que não levavam nada a sério, pegavam todas as garotas da escola e isso a fazia revirar o estômago. E, pela fama dos marotos, a única coisa que ela conseguiu imaginar fo que aquilo tudo era uma brincadeira com ela. Depois que a Midori juntou co as outras meninas, ela achou uma ótima ideia aprontar com ele também. (Só que né, ela não entendeu ainda que ele gosta mesnmo dela)
A Loren realmente não tem motivos, ela  se encantou com a ideia de aprontar com os Marotos e principalmente com seu irmão: que é superprotetor e cara-de-pau. Fora que ela sabia que era inútil gostar do Daniel: ele é um maroto.
Como você consegue perceber, os marotos sepre tiveram uma fama ruim. Ramon, após entrar, fez parte dessa fama. Thomas, mesmo apaixonado por Dorothy, faz parte dessa fama. James, que é o pior já que é bascamente o líder, faz parte dessa fama e endoça ela. E o Daniel também faz parte desse grupo. Aos olhos da Loren eles são todos iguais. Aos olhos das seis meninas eles são todos iguais.
Carly tinha "tudo" (aos olhos dela) e não enxergava que merecia coisas melhores. Pra ela, James (ao dar aquele beijo no meio do salão) tirou aquilo dela. Porque ele é um Maroto. Entende? Ele tem a fama, ele pega as garotas, ele apronta, ele é o líder. Ele não teria como gostar dela porque todos sabem que ele só gosta dele mesmo.

Espero ter exlicado kkkkkkk
Que bom que está gostando da fic <3
Qualquer coisa, comenta <3
Bjos 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por lehleh potter em 22/06/2016
Olha eu aqui de novo, eu vi que você modificou vários capítulos, o que foi bom, já que a versão antiga me deixava um pouco perdida, e deixava algumas questões pendentes, mas ainda tenho algumas duvidas, tipo essa: eu entendi o motivo de algumas meninas quererem se vingar dos novos marotos, a Midori e a Rock tem motivos de sobra, mas por exemplo, a Robbie não tem motivo para se vingar do Ramon, mesmo assim ela participa disso, a Rock é amiga do Ramon, o mais certo não seria ela o defender? E o caso das outras meninas, o James fez um favor para a Carly de uma forma errada, mas sincera, o Thomas realmente gosta da Dorothy e o Daniel, na minha humilde opinião, não fez nada para a Loren, e mesmo assim eles vão pagar o pato pelo o que as meninas acham que eles fizeram? Não seria meio injusto se as meninas se vingassem do Thomas, do Ramon e do Daniel, e (um pouco menos injusto) do James ? Já que estamos vendo a historia dos dois pontos de vistas sabemos a verdade, e o que realmente aconteceu, e já que sabemos ficamos na duvida se essa confusão de opiniões e realidade entre meninas e meninos vai acabar de uma forma injusta, ou se todos vão esclarecer tudo e terminarem com um grande final feliz! Por favor me explique, eu quero me achar nessa historia...
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por lehleh potter em 21/06/2016
adorei! continua logo...
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.