FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. A Brilhante Hermione


Fic: Trio de Ouro e a Nova Profecia


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A:Olá gente mais um capitulo novo, esse eu achei bem grandinho, mas ele teve que ser assim já que ele foi o primeiro capitulo da fic que eu imaginei Espero que gostem


N/A:  Nesse capitulo eu vou apresentar um outro personagem original, ela sera quase uma vilã. 


N/A: Obrigada pelo comentario Steffany Olivera dos Santos, fico feliz que a fic esteja te agradando.


*


A garota de olhos azuis sorria ao ver tanto choro e dor, era esse seu passatempo predileto visitar velórios para enxergar a tristeza nos olhos dos outros, ela traduzia aquilo como um combustível para sua alma e nada lhe dava mais prazer e na realidade ela se sentia no direito de rir e zombar da dor dos outros, pois a vida havia sido muito cruel com ela: foi abandonada com apenas 8 anos no mundo e como ainda não sabia que era uma bruxa teve que sobreviver as mais terríveis situações que uma criança poderia resistir, vagou 3 anos completamente sozinha pela Londres trouxa, teve que dormir debaixo de chuva e roubar para se alimentar, resistiu a doenças que poderiam levar qualquer um a morte, mas tudo isso sozinha, seu maior desejo até os 11 anos era poder sonhar, ela jamais havia conseguido isso, pois não sentia a menor esperança de algo bom em sua vida e o mais próximo que tinha de sonhos eram seus terríveis pesadelos.


Isso tudo mudou quando enfim fez seu 11° aniversário, ela ainda se recordava claramente como tudo aconteceu:


{Início do Flashback}


A chuva havia acabado de cair, as ruas estavam inundadas, crianças sorriam brincando nos pingos de água que caiam do céu e em meio a toda aquela diversão, estava lá ela uma pequena garotinha de apenas 11 anos, que foi obrigada a se tornar adulta antes mesmo de se quer ter sido adolescente. Ela estava deitada em um beco sujo e fedorento, encoberta por papelões, fazendo o que era de seu costume, chorando enquanto ouvia os outros rirem e se divertirem, de repente avistou um ponto vindo do céu que conforme se aproximou mostrou-se ser uma linda coruja marrom, esta estava com um envelope preso em suas patas, e após pousar no ombro da garota o soltou e alçou voo novamente, a garota ao abrir a carta sentiu-se invadida por uma grande onda de espanto era um convite para adentrar a “Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts”, mas o que era essa escola ela não tinha a mínima ideia ainda.


{Fim do Flashback}


A garota se aproximou lentamente de uma mulher que estava debruçada sobre o caixão, a abraçou e viu a senhora lhe lançar um olhar confuso.


-A senhora era a mãe dele? - A garota perguntou com um tom falsamente penoso, e assim que a mulher assentiu com a cabeça ela a abraçou novamente e sussurrou em seu ouvido com uma voz totalmente sarcástica.


-Meus pêsames, a mamãe perdeu o filhinho coitada dela, ele bateu as botas.


Observou a senhora a olhar atônita enquanto ela se afastava gargalhando, sim definitivamente ela adorava fazer aquilo.


*
-Boa tarde Sr. Kingsley. - Hermione o cumprimentou de volta, antes de se sentar entre Harry e Ron no sofá. - O senhor está bem?


-Melhor agora que tenho certeza que o Trio de Ouro realmente estará presente na cerimônia. - Ele respondeu sorrindo enquanto observava o resto dos Weasley chegando pela lareira, os três retribuíram com um sorriso tímido.


Após todos os comprimentos, o Sr. Kingsley redirecionou o olhar totalmente ao trio de ouro e começou a explicar.


-Bem primeiramente eu farei um breve discurso, explicando o porquê da homenagem, e logo após eu preciso que pelo menos um dos três faça um breve discurso, quem se habilita?


-A Mione. - Harry e Ron gritaram institivamente.


-Eu? Não eu não. - Hermione vociferou sacudindo a cabeça.


-Porque não Mione? – Ron perguntou sorrindo para a amiga.


-Eu que pergunto, porque eu?


- Ah Mione você sabe que a mais inteligente de nós três. - Harry afirmou sufocando um sorriso.


- Um discurso não e questão de inteligência, na realidade se trata de dizer de forma racional aquilo que você pensa e sente em relação a determinada coisa. - Hermione retrucou fazendo sua típica expressão parecida com a de quem está tentando ensinar algo bom a seus filhos.


-E quem melhor que você pra fazer isso, já que eu e Harry nem entendemos o que você acabou de dizer. - Exclamou Ron fazendo todos presentes rirem e até mesmo Hermione soltar um tímido sorriso.


-Não, mas é que...


-Mione! - Gina disse interrompendo a colega. - vocês são um trio, então vocês tem que decidir as coisas em conjunto, ou seja votando, logo Harry e Ron votaram para que você faça o discurso então independentemente de para quem você irá votar, o discurso logicamente terá que ser feito por você, já que você recebeu dois votos.


Harry e Ron se abriram em sorrisos para Gina, eles sabiam que Hermione não iria resistir a fazer o que era lógico, e até ela sabia disso também então acabou cedendo.


-Isso foi golpe baixo Gina. - A garota disse lançando um olhar indignado para a amiga, e fazendo os outros rirem.


-Calma querida vai dar tudo certo. - A Sra. Weasley se pronunciou pela primeira vez desde que chegaram ao ministério.


-É Hermione você vai conseguir, até porque você sempre foi brilhante. - O Sr. Weasley disse concordando a mulher.


-Então está decidido a Srta. Granger falara pelos três? - O ministro perguntou fixando o olhar na garota ao que ela assentiu com a cabeça.


-Pois bem. - Ele prosseguiu. - Logo após a inauguração do monumento, o profeta diário pediu para conversar um pouco com os senhores, tudo bem?


-Ah não, aquele jornal falou mal do Harry durante 4 anos inteiros, e agora querem uma entrevista conosco. Nem pensar. – Hermione vociferou indignada ao que os outros dois concordaram com a mesma expressão de indignação.


-Calma jovens. - Kingsley se pronunciou minutos após o ataque de indignação do trio. - Depois da derrota de Voldemort, o profeta diário parou de ser uma revista sensacionalista e agora eles são regulados diretamente pelo ministério. Vocês não leram as últimas edições?


-Sim faz tempo que eles não contam mentiras, está bem nos aceitamos. - Harry respondeu pelos três e o outros dois concordaram.


-Mas será só o profeta diário? - Ron indagou.


-Bem tem uma revista que também pediu para conversar com vocês, acho que é Jovem bruxo se eu não me engano.


Hermione gelou e se virou institivamente para Gina que ao perceber a expressão da amiga abafou uma risadinha.


-Me desculpe Sr. Kingsley. -Hermione exclamou. - Mas eu só aceitei falar com o profeta diário porque o senhor disse que ele agora é um jornal digno, mas essa jovem bruxo me parece mais coisa para celebridade juvenil e sinceramente eu não desejo ser uma.


- Ora Srta. Granger, mas a senhorita é querendo ou não. - Kingsley retrucou.


-Mas eu também não gostei muito da ideia não. - Harry se pronunciou sobre o assunto.


- A pessoal, qual é? eles só querem dar uma palavrinha com a gente, vamos aceitem por favor. - Foi a vez de Ron dizer.


-Definitivamente não Ronald. - Hermione disse e Harry concordou com a cabeça.


-Ah vocês parecem que tem algo esconder, estão com medo de uma simples revistinha. - Gina disse com um sorriso incomodo no rosto.


-Eu não tenho nada a esconder, só não gosto da ideia de pagar de celebridade juvenil. – Harry disse com veemência e Hermione concordou com a cabeça.


-Por favor gente façam isso por mim. – Ron pediu com uma cara de cachorro sem dono.


-Tá... tudo bem aceitamos né Mione? - Harry perguntou olhando para Hermione, por um momento ela pensou em dizer não, mas ao perceber que poderia acabar piorando as coisas se fosse a única do trio a negar, ela resolveu aceitar.


-Ótimo. - Exclamou o ministro. - Então logo após a cerimônia vocês podem voltar para essa mesma sala, e ai primeiro conversarão com o profeta depois com a jovem bruxo. Entre- ele completou após ouvir alguém bater na porta, e por esta entrou uma jovem linda de cabelos lisos e morenos que não aparentava ter mais de 20 anos.


- Sr. Ministro o ministério já está lotado, todos os jornalistas já chegaram e já estamos encima da hora. - Ela disse direcionada ao ministro, mas na verdade de tempo em tempo olhava na direção do trio principalmente na de Ron que parecia que fora petrificado por um basilisco, pois não piscava nem os olhos.


-Sim Srta. Johnson obrigado, mande avisar que já estou indo.


-Sim senhor. - ela disse antes de se retirar.


-Ron pode parar de babar que a moça já se retirou. – Harry exclamou fazendo todos rirem menos o próprio Ron.


-Sr. Kingsley acho que temos uma baixa no trio de outro, o cérebro do meu irmão parou de funcionar. – Falou Gina dando início a mais uma roda de gargalhadas.


Por fim Hermione decidiu agir e sacando a varinha a apontou para o rosto de Ron e exclamou “Aguamenti” um jato de água voou da varinha dela diretamente para o rosto do garoto, e após isso ele despertou de seu transe e ao perceber que todos o observavam e riam ele corou em grande escala e se virando indignado para Mione gritou:


-VOCÊ É DOIDA MIONE? QUAL É O SEU PROBLEMA?


-O meu nenhum. - A garota respondeu com simplicidade. - Mas já o seu eu acho que é excesso de hormônios. - Todos riram novamente, e Ron lançou um olhar fulminante para eles principalmente para seu pais, e depois olhou para as roupas que haviam se molhado e revirou os olhos em forma de indignação para Hermione. - Ah Ronald deixa que eu resolvo isso. – Ela disse apontando a varinha para as roupas do garoto e murmurando “Targeo” e então as roupas secaram instantaneamente e depois repetiu o mesmo processo agora no rosto dele.


-Pois bem. - O ministro interviu ainda tentando recuperar o folego depois de tantas risadas. – Sr. Weasley, o senhor pode acompanhar a sua mulher e sua filha até os assentos por favor. - Arthur concordou se retirando juntamente com Molly e Gina que ainda sorria descaradamente. - E vocês me acompanhem.


Os três acompanharam o ministro para fora da sala e depois o seguiram por um corredor luxuoso e bonito, Hermione ainda se lembrava de todos os detalhes da aparência do ministério, uma vez que já havia invadido ele duas vezes, uma junto com Harry, Ron, Neville, Gina e Luna no 5° ano dela e outra mais recentemente junto com Harry e Ron durante a caça as Horcrux, os quatro chegaram a uma porta grande a qual Hermione tinha certeza que era por onde se chegava ao salão de entrada e lá ocorreria a cerimonia. Hermione foi perturbada novamente por uma onda de medo, mas se controlou, Harry por sua vez parecia estar nervoso e então segurou forte a mão de Hermione que estava a seu lado, a garota nem ligou ela e Harry sempre foram amigos e não não via nada de mal em segurar em sua mão, Ron embora demonstrassem um pouquinho de preocupação estava com o rosto resplandecente, e Mione sabia o porquê e não o culpava este era o sonho de Ron ele sempre quis ser famoso.


-Estão preparados? - o Sr. Kingsley perguntou se virando para os garotos que assentiram, e então ele fixou o olhar por um momento nas mãos entrelaçadas de Harry e Hermione, mas não disse nada, apenas apontou a varinha para a própria garganta e murmurou “Sonorus”, e então abriu a porta.


Quando os quatro entraram foi uma explosão de aplausos, flashes das câmeras dos jornalistas bruxos foram disparados instantaneamente. O átrio do ministério estava bastante diferente do que era meses atrás quando Voldemort o governava. O teto continuava Azul-pavão, mas agora era tudo mais iluminado, perdera aquele clima sombrio que tinha antes, mas a maior diferença era que no lugar da antiga estatua dos bruxos sentados encima dos trouxas agora estava uma imensa estatua também, mas esta estava encobrida por um gigante véu azul-marinho e embaixo daquele véu pelo que parecia estava o monumento ao trio de ouro. Os quatro estavam sobre um pequeno palco que os separam da multidão embaixo.


-Boa tarde a todos os presente, bruxos e bruxas da Inglaterra e de todo o mundo. - Kingsley exclamou com a voz amplificada pelo feitiço, fazendo os aplausos cessarem. - Agradeço a presença de todos vocês em especial da impressa e também da professora Minerva Mcgonagall a diretora de Hogwarts- Uma nova chuvas de aplauso irrompeu no salão, e Hermione percebeu que Harry que continuava apertando a mão da garota, e Ron que sorria descaradamente para as câmeras estavam espantados com a novidade, Hermione por sua vez já desconfiava que isso fosse acontecer, ela observou a professora se levantar na primeira fileira, onde estava sentada ao lado de uma garota de olhos azuis cintilantes e fazer, uma breve reverencia a plateia.


-Enfim estamos aqui hoje por um motivo bastante especial. -Kingsley prosseguiu. - Viemos prestar nossas homenagens a esses três jovens, ou melhor, três heróis que com apenas 17 anos arriscaram suas vidas para salvar o mundo do Lorde das trevas. Esses três garotos ainda não haviam nem terminado a carreira escolar em Hogwarts, mas mesmo assim se enfiaram em uma aventura perigosa, e conseguiram vagar pelo mundo como fugitivos durante quase um ano inteiro sem serem pegos e isso se torna mais notável ainda se levarmos em conta que um dos três era Harry Potter e este era na época o garoto mais procurado da Inglaterra. Entre os feitos mais notáveis dos três estão a invasão ao ministério da magia ainda na época dominado por Voldemort, de onde conseguiram escapar ilesos, e também a invasão ao banco gringotes de onde fugiram montados em um dragão, e relembrando tudo isso feito para salvar o mundo de um destino cruel e sombrio. Devo dizer que nunca foi minha intenção que o depoimento desses jovens dados a mim sobre suas aventuras vazassem, mas isso ocorreu e agora eu percebo que foi até em certo grau satisfatório, pois assim o mundo pode reconhecer esses três bravos heróis. E agora quero pedir uma salva de palmas para Hermione Jean Granger, Harry James Potter e Ronald Bílius Weasley. – As palmas ressoaram por todo o salão novamente. Hermione conseguia enxergar a Sra. Weasley na terceira fileira e pelo visto ela estava se debruçando em lágrimas no ombro do marido.


-E agora quero pedir que para falar em nome do trio, a Srta. Hermione Granger se dirigisse aqui a frente. - O Sr. Kingsley pediu se voltando para a garota e sorrindo para ela, Hermione não estava nem um pouco com medo pelo o contrário estava sentindo uma súbita coragem, ela olhou para Harry que ainda segurava sua mão e lhe mandou um olhar e este entendeu o recado e soltou a mão da garota para que ela pudesse ir para a frente do palco, mas assim que isto aconteceu Hermione percebeu que a fonte daquela súbita coragem era devido a Harry estar segurando sua mão, e então teve que reunir cada pedaço de força de vontade que tinha para não grudar na mãe do garoto novamente e avançar para frente e assim ela o fez.


Ao chegar à frente o Sr. Kingsley lhe fez uma breve reverencia e avançou para trás, Hermione então com a mão tremendo apanhou a varinha e a direcionou para sua garganta e murmurou “Sonorus” assim ampliando sua voz.


-Bem...é...- Hermione tentou falar, mas percebeu que sua voz não iria sair, ela estava trêmula e as suas mãos pareciam ter acabado de serem atingidas por um feitiço congelante, a garota então após olhar para a plateia e perceber os vários olhares indagadores sobre ela, resolveu fazer a última coisa que queria, mas era preciso se voltou para trás ainda com a varinha apontada para a garganta e segurou na mãe de Harry e aquela onda súbita de coragem a invadiu novamente, o gesto foi recebido por aplausos veementes da plateia e mais vários flashes disparados, Hermione percebeu que Ron os olhava intrigado, mas ainda assim se esquivou sorrindo para mais perto dos amigos para não perder os flashes, Harry por sua vez apenas apertou a mão da garota novamente com força e ela percebeu que aquilo também o tirava o nervosismo.


-Desculpe gente é que eu estou bastante nervosa. - Ela prosseguiu após os aplausos pararem. – Então eu, Harry e Ron embora assustados com tudo isso, com essa fama, estamos nos sentido honrados por ter um monumento dedicado a nós três no centro do ministério da magia, mas eu devo lhes dizer que esse monumento não é só para nós, embora todos achem que nós fomos os únicos responsáveis pela derrota de Voldemort, essa não é verdade. Há muito mais pessoas por trás da derrota dele e não apenas nós, entre elas eu gostaria de citar e agradecer alguns como - Hermione elevou os olhos em busca das pessoas estava procurando e os encontrou todos juntos. - Neville Longbottom, Luna Lovegood, Gina Weasley e todos os outros membros da AD. Quero agradecer também a ordem da fênix em geral, e também ao ministro Kingsley que esteve completamente envolvido na proteção do Harry, aos vários professores de Hogwarts em especial a professora Mcgonagall.


E agradecer muito as várias pessoas que estiveram completamente ligadas a derrota de Voldemort, mas não estão mais presentes entre nós. - Uma lágrima escorreu pelos olhos da garota e Harry percebendo lhe soltou a mão e a abraçou pelos ombros, enquanto Ron foi para o outro lado dela e também depositou sua mão sobre os ombros da garota. - Me desculpem me emocionei..., continuando esses que se foram estarão sempre em nossos corações, pois morreram lutando bravamente por um mundo melhor, são vários mas eu citarei alguns: Sirius Black, Alastor Moody, Albus Dumbledore, James Potter, Lily Potter, Ninfadora Tonks, Remo Lupin, Severo Snape,Colin Crevvey, Fred Weasley e vários outros - Hermione fez uma pausa seus olhos estavam marejados de lágrimas, olhou para os lados e viu que Harry estava com lagrimas percorrendo toda sua face ela sabia que o amigo ainda se culpava pelas várias mortes, Ron também chorava silenciosamente e Kingsley estava com os olhos marejados, redirecionou seu olhar para a plateia e viu que Molly e Arthur também choravam abraçados, e em outra fileira Gina também estava abraçada com Neville ambos chorando, observou mais atentamente e pode ver também Carlinhos e Percy Tentando controlar as lágrimas, e Fleur abraçada a Gui enquanto este chorava abundantemente.


-Desculpem novamente. - Hermione tornou a falar quando consegui se recompor. - Mas é que essas pessoas são muitos especiais tanto para mim quanto para Harry e Ron e para vários outros aqui presentes, mas prosseguindo quando eu e Ron decidimos seguir Harry nessa aventura a qual ele foi predestinado antes mesmo de nascer, nós sabíamos os riscos e perigos envolvido, mas nós não poderíamos deixar Harry sozinho, até porque não era só ele que precisava que Voldemort fosse derrotado, era o mundo inteiro tanto os bruxos como os trouxas. E é completamente gratificante poder dizer que eu ajudei a fazer um mundo melhor.


E agora que enfim ele foi derrotado eu queria aconselhar que cada um de vocês e também os que não estão presentes aqui olhassem para dentro de si próprios e procurassem aquilo que possuem de igual a Voldemort, pode parecer estranho eu sei, mas é que se pensarmos cada um temos um pouco de maldade em nós, como aqueles que rejeitam e inferiorizam os trouxa e não entendem que tanto os trouxas como nós no final de tudo somos apenas humanos e porque não dizer iguais, hoje eu me orgulhoso de dizer que sou uma sangue-ruim. - Toda a plateia a mirou intrigada. - Eu sei que isso pode soar estranho, mas é a verdade eu me orgulho de ser sangue-ruim e não vejo mal nenhum nisso. Uma vez um sábio homem disse ao Harry que “São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais que as nossas características e qualidades”, e então não importa se somos mestiços, sangue-puros ou sangue-ruins, o que importa são as decisões que tomamos, o caminho que decidimos seguir. Outro conselho que eu gostaria de dar é que nós possamos parar e pensar em como tratamos outras criaturas magicas, principalmente elfos-domésticos que muitas vezes são muito mais dignos que vários bruxos, mas mesmo assim sofrem na mão de seus senhores, sobre isto outra vez um outro sábio homem disse a mim, Harry e Ron que “se você quer saber como um homem é veja como ele trata seus inferiores, e não os seus iguais”. Então o que eu peço é que agora nesses novos tempos em que não estamos preocupados com Voldemort e seus comensais nós paremos de nos colocar no centro do mundo e de inferiorizar outras criaturas mágicas. E é isso, obrigada a todos em nome do trio de ouro.


A plateia se levantou para aplaudir calorosamente de pé enquanto Harry e Ron a abraçavam.


-Você foi ótima Mione. - Ron disse ainda em meio ao abraço dos três.


-Brilhante, você foi brilhante. - Harry exclamou admirado.


-Obrigada. Ai eu amo vocês dois.


-Nós também te amamos. - os dois disseram enquanto se separavam do abraço.


Após alguns minutos as palmas ainda estavam intensas, e Kingsley precisou intervir, e apontando a varinha para garganta começou a dizer.


-Obrigado Srta. Granger pelo lindo discurso. - Ele disse e depois voltou-se para a plateia que dava as últimas palmas. - Hermione Granger acabou de nos dar a demonstração do que a muito tempo os professores de Hogwarts já sabiam, que ela é simplesmente brilhante, e que esse trio não são apenas jovens heróis, são pessoas que decidiram lutar por um mundo melhor, e que eles realmente merecem essa homenagem. - Dizendo isso ele apontou a varinha para o véu e ordenou “Locomotor Véu”. O véu saiu flutuando e revelou gigante estatua dos três reluzindo a cor dourada, na estátua os três estavam em posição de duelo com as varinhas apontadas e logo abaixo da imagem deles estava escrito em letras garrafais que também reluziam dourada a palavra “Trio de Ouro”. O véu saiu flutuando por cima da multidão que aplaudia novamente com mais intensidade ainda e pousou encima do palco. Após longos minutos as palmas cessaram e Kingsley começou a falar novamente.


-Mais uma vez muito obrigado a esses três jovens...


-Sr. Kingsley, com licença. -Hermione o interrompeu. - Quero dizer que achei muito bonita a estatua, mas eu queria fazer algumas alterações se o senhor me permite é claro.


-Sim pode fazer suas alterações Srta. Granger. - O Ministro concordou um pouco receoso.


Hermione agarrou com cada um de seus braços um dos meninos e juntos se moveram para frente do palco, enquanto toda a plateia olhava para ela em um estado de completa confusão, a garota simplesmente apontou a varinha para a grande estatua dos três e com vários movimentos da varinha foi escrevendo o nome de cada pessoa de qual ela lembrava que foi morto durante a guerra contra Voldemort, quando Harry e Ron  percebem o que a amiga estava fazendo se adiantaram e a abraçaram pelo ombros, a garota conseguiu novamente ouvir o barulho de choros vindo da plateia assim que escreveu o nome de Fred no monumento.


-Parabéns Srta. Granger. - O Ministro disse com sua voz amplificada, assim que Hermione terminou de escrever os vários nomes. - Wu mesmo não teria pensando em algo assim. Por fim os senhores e senhoras podem aproveitar a festa que será realizada no salão ao lado muito obrigado novamente a todos. - Ele concluiu retirando a varinha da garganta.


Vário flashes foram disparados novamente e Hermione, Harry e Ron acenaram para a plateia enquanto se retiravam pela mesma porta que haviam entrado, Hermione estava feliz ela tinha certeza que a plateia havia compreendido aqueles conselhos que ela havia lhes passado e já que era que era pra ter fama que essa fama fosse usada para ajudar os outros, e mesmo com essa grande onda de felicidade a garota estava um pouco receosa, pois sabia que em poucas horas estaria cara a cara com Rita Skeeter e sua pena de repetição rápida, e o pior de tudo é que Hermione não podia mais ameaça-la de fazer uma denúncia por ser uma animaga clandestina já que Rita havia regularizado sua transformação animaga, e ainda por cima Hermione sabia que o que para ela significou apenas um gesto de amizade ao segurar a mão de Harry, para Rita e para os diversos leitores da “Jovem Bruxo” significaria muito mais, e Hermione também nem saberia responder o porquê daquele gesto, afinal nem ela mesma sabia porque quando Harry a tocava ela se sentia segura e corajosa. “Por Merlin como eu vou conseguir explicar isso?” ela pensou antes de entrar logo atrás de Ron na sala do ministro. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Gabriela--Granger--Potter em 27/03/2014

Amei o capitulo
Assim como todos os outros, serio esse capitulo me deixou até um pouco treiste a Mione quase me fez chorar.
E quem é essa garota de olhos azuis? Parece assustadora. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Stehcec em 24/03/2014

Olha
vc está seguindo um caminho muito bom!
Eu estou gostando muito msm! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.