FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Prólogo


Fic: O Mundo sem Mim


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 1 -- Prólogo - O derrotado morre e o vencedor perde tudo


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


 


Um vento frio uivava sua tristeza e desespero na cena abaixo. Um castelo parcialmente destruído, abandonado, e centenas de corpos espalhados pelo chão, esparramados em uma confusão sem mais nenhuma lembrança sobre a quem um dia serviram.


Sangue foi espalhado por toda parte, céu escuro, lua negra em luto pela perda de vidas. Tudo estava mortalmente parado, o vento tinha parado, dando um aspecto de uma paisagem agourenta e sinistra. Mas nada assustador ia aparecer por lá, a guerra havia acabado. Tinha terminado... para todos. Ninguém realmente havia ganho, as perdas foram grandes demais.


Um pássaro voou sobre o que era um campo outrora verde, um pássaro incomum. Um grito profundo ressoou por todo lugar, uma melodia triste e desesperada escapou por sua garganta, tentando encontrar pelo menos uma pessoa ainda viva.


Na campina, algo de repente se move. Um corpo deitado de bruços foi empurrado para o lado para revelar um garoto moreno, exausto e completamente esgotado, com um cicatriz peculiar na forma de um raio em sua testa.


Harry Potter olhou em volta sem emoção, ofegante e submerso. Ele deixou escapar um soluço sufocado quando olhou para o corpo da pessoa que o tinha protegido, Remo Lupin. O lobisomem tinha recebido o Avada Kedavra enviado por Tom Riddle que estava destinado para si, enquanto Harry estava usando a mesma maldição que o Lorde das Trevas quebrando assim o Priori Incantatem na mesma hora. Só que nenhum dos seguidores de Voldemort teve a chance de correr na frente de seu mestre para protegê-lo.


Voldemort estava morto, assim como todos os outros Comensal da Morte, Incluindo Snape o espião.


Na verdade, a parte mais difícil para Harry foi testemunhar a morte de seus amigos e ver os seus corpos esparramados pelos terrenos. Dumbledore, McGonagall, Flitwick, até mesmo Hagrid, todos eles partiram. Bem como Roni e Hermione ... inferno, todos os alunos que uma vez estudaram Hogwarts. Eles não foram poupados.


Harry apenas ficou sentado no chão, sem piscar, os braços frouxos ao lado do corpo enquanto lágrimas silenciosas fizeram o seu caminho pelo seu rosto. “Estão todos mortos. A Profecia ... estava certa. Um de nós deveria permanecer vivo ... enquanto todos os outros morreram.”


Deixou-se cair para trás chocando-se em um baque no solo frio, olhando vazio para o céu choroso, estava começando a chover ... e ele não se importou.


“O que é issso? O que esssta acontecenedo?”


Os olhos verdes sombrios de Harry se arregalaram um pouco quando virou a cabeça para o lado para ver quem tinha falado. Nenhum som saiu de sua boca e ele apenas piscou para Nagini, que estava deslizando na grama manchada de sangue nas proximidades.


Harry não tinha ideia de como a maldita cobra tinha sobrevivido, mas se ela queria mordê-lo e acabar com sua miserável vida, era mais do que bem-vinda. Mas o bote nunca veio. Nagini parecia completamente desorientada e sem ideia sobre o que havia acontecido nos terrenos do magnífico castelo, despertando assim o interesse de Harry.


"Por que você parece tão confusa, Nagini? Por que você não me mata, como o ssseu messstre queria? Como você tentou fazer diversssass vezess?" ele sussurrou de volta para a cobra para obter a sua atenção.


Funcionou, Nagini se virou para ele ainda mais e deslizou até que estava ao lado do garoto cansado. "Você fala? Masss eu não sssei do que esstá falando. Tudo que eu lembro é um homem olhando para mim e murmurando algo que não reconheci, e então o ressto é tudo um borrão para mim."


Harry quase zombou em confusão. "Eu não posso acreditar que é posssível isso", ele murmurou para si mesmo, mas falou em língua de cobra sem perceber. "Eu não ssabia que a ‘Imperiuss’ poderia ssser ussada em cobrass. Eu acho que você essteve ssob o controle de Voldemor‘ todosss esssess temposs."


A perigosa serpente inclinou a cabeça para o lado como se estivesse pensando sobre o que Harry tinha lhe dito. No entanto, ela olhou para cima quando o garoto moreno sentou-se de repente, um estranho pedaço de madeira semelhante a uma vara estava em sua mão.


"Eu não posso continuar assim. Eu estou sozinho ...", disse ele desesperadamente, e apontou a vara para si mesmo.


Nagini, que não entendia uma palavra do que ele estava dizendo, já que ele voltou a falar na linguagem humana, mas a serpente não era estúpida, ela compreendeu que o menino obviamente queria fazer algo irreparável para si mesmo.


A serpente sibilou alto e deu o bote, enrolando-se em torno dos braços do garoto para impedi-lo de fazer algo estúpido. Harry deu um grito assustado, mas começou a se debater para se livrar da serpente. "Deixe-me ir! Eu não tenho maisss nenhuma razão para viver!"


Nagini lhe mostrou suas presas com raiva. "Essstúpida criança sserpente! Não jogue ssua vida fora como sse fossse nada!"


Harry estava começando a se livrar do domínio de Nagini, a criatura não queria cortar a circulação do sangue de Harry e machucá-lo ainda mais do que já estava. Mas como o garoto de olhos verdes recuperou o controle sobre sua varinha, um grito estridente ecoou bem acima de sua cabeça e Fawkes pousou na frente deles.


Claro, a velha serva de Tom sibilou alto para a fênix, mas parou quando percebeu que o pássaro de fogo não ia ser uma ameaça à sua existência. Harry parou de lutar e ficou olhando para os olhos tristes da fênix.


"Então você está contra mim também, Fawkes? Olhe ao seu redor, todos estão mortos! Mesmo Dumbledore! O que você quer que eu faça?" Harry perguntou a fênix com uma voz angustiada e triste.


O Menino-que-Sobreviveu-Novamente cambaleou para trás quando ouviu uma voz profunda e melodiosa ecoando em sua cabeça.


"Eu poderia ajudá-lo ...Ter as coisas que você perdeu e que seu coração tanto almeja. Outra chance para a felicidade, mas você teria que forjá-la por si mesmo, não será uma tarefa fácil."


Harry teve a percepção de que era Fawkes falando com ele. ‘Eu acho que era dessa forma que Dumbledore conversava com Fawkes.’ ele pensou silenciosamente, e, em seguida, respondeu baixinho. "Explique-me"


O pássaro de fogo agitou suas asas um pouco antes de continuar. “Existem muitos mundos, muitas dimensões paralelas que eu conheço. Eu poderia enviar-lhe para uma delas, mas você não seria capaz de voltar para esta nunca mais. Ela se tornaria sua nova casa para sempre.” Fawkes parou para avaliar a reação de Harry e parecia assentir com a cabeça quando Harry fez uma careta.


Por que ele iria querer voltar aqui? Ele foi o único sobrevivente de Hogwarts, de toda esta maldita guerra.


Fawkes continuou sua explicação. “Você não existe nesse mundo, você foi morto quando bebê. Não existiu o Menino-que-Sobreviveu, não há esperanças, e Voldemort ainda detém uma posição de poder sobre o mundo dos bruxos, ele sai de seu esconderijo mais frequentemente e mostra um lado mais ousado e provocante. Você poderia reiniciar sua missão lá e forjar o seu próprio futuro porque, como você já sabe, você é o único com uma conexão com Voldemort, e é o único que é capaz de derrotá-lo.”


Harry assentiu com a cabeça, sem pensar duas vezes, seu semblante com uma expressão determinada e os olhos brilhando em renovada antecipação e seriedade. Isso não seria um simples passeio, ele sabia, tinha certeza que iria fazer o seu trabalho corretamente desta vez, e proteger este novo mundo como ele estava destinado a fazer.


Afinal, ele havia derrotado Voldemort nesta dimensão, então ele já sabia como o bastardo gostava de jogar. Ele sabia de informações que as pessoas na outra dimensão provavelmente nem sequer imaginam, e ele é extremamente poderoso para um garoto de 17 anos de idade, mais poderoso do que qualquer estudante de Hogwarts jamais seria.


“Apenas me dê um segundo.” Harry segurou sua varinha firmemente e murmurou “Accio!”.


Segundos mais tarde, sua brilhante Firebolt, presente de seu falecido padrinho, seu velho álbum de fotos, sua capa de invisibilidade, uma bolsa de dinheiro bruxo e sua chave do cofre em Gringotts flutuaram para ele a partir da torre da Grifinória em partes destruída e, surpreendentemente, sua fiel coruja Edwiges seguindo os pertences de Harry por sua própria vontade. Ele pegou os seus objetos mais preciosos e reduziu-os seu tamanho para que ele pudesse colocá-los em seus bolsos e pediu a coruja branca para pousar em seu braço já estendido.


“Eu acho que eu estou pronto” disse para Fawkes com uma voz profunda e autoritária. Quando Harry deu um passo em direção a fênix agora voando, algo cutucou seus calcanhares.


“Você vai a algum lugar? Possso ir com você? Não ssão muitasss pesssoass aqui que falam a minha língua e eu não quero ficar sssozinha. Issso é esstranho, masss eu também ssinto que lhe devo minha vida. Eu gosssto de você, criança sserpente.”


Harry olhou para a suplicante serpente e curvou-se lentamente, mostrando-lhe o braço parcialmente coberto, suas roupas estavam em frangalhos, mas ele iria corrigir isso mais tarde.


Nagini silvou contente se arrumando em torno de sua cintura. Quando ela finalmente parou de se mover, a serpente era quase imperceptível dentro da capa de Harry.


Fawkes voou até Harry para deixá-lo acariciar sua cabeça uma última vez, e então ela sobrevoou acima da cabeça do menino. A canção da fênix entrou em ressonância com a varinha de Harry e o Grifinório de 17 anos de idade começou a brilhar em uma cor avermelhada.


Enquanto Harry começara a desaparecer, ele ouviu as últimas palavras de orientação de Fawkes. "Não se esqueça, Harry Potter. Neste mundo ninguém lhe conhece e vai ser difícil viver sem atrair muita atenção para si mesmo. Você pode dizer o que quiser quando você chegar, e pode ir para Hogwarts ou não, não importa. Mas lembre-se, Algumas coisas serão diferentes, pois é uma dimensão paralela a sua. Boa sorte, é possível que meu outro ‘eu’ lhe procure se surgirem problemas.”


Harry sentiu um grande puxão, ainda maior do que uma chave de portal, e estando muito cansado e esgotado para resistir, depois de ter sido alvo de tantas maldições Imperdoáveis ele caiu inconsciente nas últimas palavras de Fawkes que ecoavam em torno de sua mente.


Segundos depois, o terreno se tornou mortalmente quieto novamente e a fênix explodiu em chamas. No entanto, das cinzas ... nada resurgiu.


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Fim do Prólogo.


Olá Pessoal,


Como informei, esta fic pertence a Eternal Cosmos e estou traduzindo ela, visto que eu adorei essa fic. Acho ela muito fantástica e quero sempre ler ela. 


Espero que gostem e tenham uma boa leitura.


Deixem um comentário sobre a tradução e sobre a fic, assim podemos sempre ter contato e saberei como está ficando. Abraço pessoal.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.