FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

51. Chegando Lá


Fic: O preço do amor- Capítulos revisados-AGORA COM CAPA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Quando Rony ouviu a batida suave na porta do seu quarto, ele abruptamente parou de andar e virou-se para ver de que direção tinha vindo o barulho. ‘Será que era ela? Ela estava aqui. Iria realmente acontecer. Eles estavam saindo para ter relações sexuais’. Eles estavam saindo para ter relações sexuais e uma vez que isso acontecesse, eles iriam estar de fato casados. Hermione estava prestes a se tornar sua esposa. Não apenas sua mulher, ela seria mais do que isso. Ela estava prestes a se tornar sua alma gêmea, porque depois de consumado o casamento, eles iriam ligar suas almas com uma Poção da União. Eles estavam prestes a estar conectados de uma maneira que nem mesmo seus pais não estavam.


 


‘Oh deus’ ele gemia em sua cabeça, incapaz de fazer qualquer coisa, olhando para a porta fechada, o pânico agarrando-o e arranhando o interior de seu estômago quando o som voltou a bater, ainda mais alto desta vez. ‘Oh Deus, oh Deus, oh Deus’!


 


-Ron, você está aí? ele ouviu a voz de Hermione chamar através da porta.


 


-Inferno sangrento!


 


‘Ponha a pressão para fora e deixe-a entrar’.


 


-Posso entrar? perguntou ela, enquanto abria a porta. -Ron? Hermione perguntou novamente incerta, empurrando a porta, chamando seu nome. -Por que você não me responde? ela perguntou, quando o viu em pé no centro de seu dormitório. -Todo mundo já desceu para a festa de Halloween, afirmou ainda do corredor, - então achei que era seguro vir para cima. Estão todos fora, certo? ela lhe perguntou, referindo-se aos seus companheiros de quarto. -Assim, posso entrar então? ela acrescentou, uma vez que ele balançou a cabeça e deixou-a saber que eles estavam, de fato, sozinhos.


 


‘Diga alguma coisa, seu idiota’, uma voz gritou em sua cabeça, mas por mais que tentasse, ele não conseguia falar, então respondeu acenando com a cabeça novamente.


 


‘INFERNO SANGRENTO’!


 


-Você está bem? Hermione perguntou, quando os arregalados olhos de Rony mudaram do seu rosto para o saco que tinha trazido do corredor, e se tornaram ainda maiores. -Você está se sentindo bem? ela pressionou, movendo-se mais para perto, notando sua tez pálida e a respiração rápida. -Você não vai ficar doente, vai?


 


‘Eu poderia’ , pensou. ‘Mas seria preciso mais do que isso para me deter’.


 


-O que... o que é isso? ele finalmente perguntou, apontando para a mochila que Hermione tinha deixado cair a seus pés.


 


-Oh, ela disse, com as bochechas corando de leve. –São só ... hum ... algumas coisas que eu pensei que poderia precisar.


 


-Que tipo de coisas? Rony perguntou, incapaz de esconder o alarme de sua voz enquanto ele imaginava o que poderia haver naquele saco.


 


‘Cordas? A venda para os olhos? Molho de chocolate? Óleo com sabor de morango para o corpo? Você é tão pervertido. É de Hermione que você está falando. Livros? Ela não traria livros de sexo, traria’? Não, ele decidiu, mas ela poderia ter colocado a poção nessa bolsa e trazido até aqui. É isso. -É a poção, não é? Você trouxe-a com você.


 


-Eu não vejo nenhuma razão para nós nos arriscarmos, nos esgueirando para o quarto andar quando terminarmos.


 


‘INFERNO SANGRENTO! Vamos realmente fazer isso’.


 


‘Se já está decidido, vamos fazer! Sua libido gritou bem alto em sua cabeça. ’ Já esperamos tempo suficiente. Não se atreva a voltar agora’. Cale a boca!


-É... você s-se, Hermione? Rony gaguejou, enquanto observava a sua cama e percebeu o jeito que ela se moveu desconfortavelmente. -Porque nós... nós não temos ainda. Quero dizer, nós podemos ... podemos esperar, se quiser.


 


‘NÃO INFERNO, NÃO PODEMOS! Eu disse para você calar a boca. Não calo! Você é o único que está prestes a arruinar tudo. Novamente. Menos conversa e mais amassos! sua libido exigia.


 


-Isso é estúpido, Hermione suspirou, respirando profundamente algumas vezes antes de marchar para a cama de Rony e lentamente começou a retirar suas vestes. -Não é muito diferente das outras vezes que brincamos, acrescentou ela, soando muito mais confiante do que ela realmente se sentia. -Isto não é realmente tão diferentes assim.


 


-Oh, é, Rony gritou sem pensar. -É totalmente diferente.


 


-Não, não é, discordou Hermione, esperando que ela pudesse convencer a si mesma, assim como ele. -Não realmente, ela continuou, dobrando lentamente suas vestes e colocando-as ao pé da sua cama, antes de soltar sua gravata da escola e escorregá-la sobre sua cabeça. -Fizemos quase tudo, menos isso, lembrou ele.


 


‘Não que não tivéssemos chegado bem perto uma ou duas vezes’, ela continuou em sua cabeça, ‘então realmente, não deve ser tão diferente. Você pode fazer isso’, ela disse a si mesma, sabendo que, uma vez que tiver passado o nervosismo inicial e começasse a apreciar o que estavam fazendo, iria relaxar e, eventualmente, atingir um ponto que seria natural que isso acontecesse. ‘Apenas se concentre no que você precisa fazer agora para deixá-lo de bom humor e preparar o que vai acontecer depois na sua mente’.


 


-É o que nós dois queremos, certo? Hermione disse, tirando a blusa e dobrando-a em cima da gravata, formando uma pilha ordenada. -Então não há razão para esperarmos mais.


 


-Hum... certo, Rony murmurou, sem saber como proceder. -Então... uh ... eu deveria trancar a porta, então? perguntou ele, enquanto a observava tirar as roupas . -Certo, ele disse novamente, forçando seus pés a se mover quando ela lançou lhe um olhar incrédulo. Não só ele fechou a porta, ele também pegou a cadeira mais próxima e a colocou sob a maçaneta como medida preventiva. -Isso deve mantê-los lá fora por tempo suficiente, ele murmurou.


 


-Tempo suficiente para quê? Hermione perguntou, quando se sentou cautelosamente na beira da cama de Rony e inclinou-se para remover os sapatos e meias.


 


-Para que você possa vestir-se, Rony respondeu, usando os dedos para tirar seus próprios sapatos. -Uma das vantagens de viver com Fred e Jorge é que você aprende a barricar uma porta bem o suficiente para impedi-los de aprontar com você enquanto você está dormindo. Eu não poderia impedi-los completamente, não se eles realmente quisessem entrar, especialmente depois que aprenderam a aparatar, mas Alohomora não move aquela cadeira, explicou ele, - e Simas não espera que ela esteja lá, por isso, se ele tentar rastejar até aqui e pegar um vislumbre de você pelada, vamos ouvi-lo chegando bem antes que ele consiga passar pela porta.


 


-Você não acha que ele realmente iria tentar algo assim, acha? Hermione perguntou, ficando de pé novamente.


 


-Não, se ele valoriza sua vida, ele não vai.


 


-Bem, em todo caso, eu vou Imperturbalizar a porta, afirmou, se apoiando em um joelho, pegando sua bolsa até que encontrar sua varinha. -Dessa forma, ninguém será capaz de nos ouvir, também, acrescentou ela, afastando sua varinha para longe depois que a usou.


 


-Você não vai proteger a cama, então? Rony perguntou, quando Hermione se levantou novamente, e deslizou as mãos atrás das costas.


 


-Por quê? perguntou ela. -Temos toda a sala só para nós.


 


‘Inferno sangrento’! Rony gemeu em sua cabeça, completamente alheio ao fato de que ela respondeu a sua pergunta, porque a única coisa que ele ouviu foi o som do zíper na parte de trás da saia dela deslizando para baixo. Esse som insignificante poderia ter passado despercebido em outra situação, mas teve um efeito imediato sobre ele. Não foi apenas o seu nível de ansiedade que subiu um degrau ou dois. Foi que ele descobriu que era possível estar completamente apavorado e excitado ao mesmo tempo. Até aquele momento, ele estava preocupado que seus nervos pudessem representar algum problema, mas obviamente que não ia ser o caso. Tudo o que Hermione tinha que fazer era tirar alguma coisa e seu corpo ficou imediatamente pronto.


 


‘É isso’, pensou ele, vendo com os olhos arregalados quando Hermione lentamente saiu da saia. ‘Vamos realmente fazer sexo. Mas como diabos eu devo começar’? ele perguntou a si mesmo. ‘Eu não posso simplesmente saltar sobre ela’. Em seguida surgiu a resposta. ‘Deixe-a fazer o primeiro movimento’.


 


‘Ela já fez o primeiro movimento, você enlouqueceu’? uma voz mais sensata falou dentro de sua cabeça. ‘Ela está quase nua, pelo amor de Merlin. Não basta ficar aqui e assistir ou você vai deixá-la desconfortável’, ele repreendeu a si mesmo, quando percebeu que estava observando suas coxas bem torneadas.


 


‘Como ela não está desconfortável’? Rony perguntou a si mesmo, quando Hermione dobrou a saia no meio, virou as costas de frente para ele, e colocou-a em cima de sua pilha de roupas. ‘Como ela podia não estar aterrorizada? ele se perguntou , mais do que um pouco decepcionado pelo fato de que a camisa de botões que ela estava usando era comprida o suficiente para esconder sua calcinha de vista. ‘Nós vamos fazer sexo’.


 


-Bem? Hermione disse, quando girou para trás e encontrou Rony olhando para ela como ele nunca antes tinha olhado pernas nuas. -Você vai ficar parado aí na porta, ou o quê? perguntou ela. -Porque é bastante frio aqui e eu estava contando com você para ajudar a aquecer-me.


 


-Er, bem, Rony respondeu sem jeito, puxando a blusa sobre sua cabeça e deixando-a cair no chão enquanto ele andava para frente diminuindo a distância entre eles.


 


-Espere, Hermione disse, segurando uma das mãos no ar para detê-lo antes que ele chegasse perto demais. -As luzes, acrescentou ela, quando viu a expressão confusa no rosto.


 


-Mas eu quero ver você, Rony protestou, dizendo a primeira coisa que lhe veio à cabeça sem ter tempo para pensar sobre o que ela poderia pensar, ou o quão desconfortável ela poderia sentir-se. -Er ... desculpe, acrescentou ele quase que instantaneamente. -Isso realmente não importa. Vou apagá-las, disse ele, movendo-se até a sua mesa de cabeceira, arrebatando sua própria varinha de cima, e apontando-a para as lanternas a gás que queimavam acima de suas cabeças.


 


-Só as diminua, Hermione alterou, quando subiu em cima da cama de dossel e fechou as cortinas.


 


Por um momento, Rony considerou extinguir todas as lanternas, apenas para deixá-la à vontade, mas no fim, ele cedeu à base de seu desejo e deixou um delas em chamas. A maior parte da luz seria difundida pelo feitiço que Hermione tinha desenhado em torno da cama, mas iria passar luz o suficiente para que pudessem se enxergar.


 


‘Além disso’, ele argumentou de forma rápida enquanto tirou sua calça antes de se mover para cama de novo, ‘é mais romântico e dessa forma eu não vou fazer um vexame completo me mexendo no escuro tentando descobrir onde estão as coisas’.


 


Depois de algumas respirações profundas e de tentar desacelerar o coração, Rony mergulhou sob a roupagem vermelha e grossa que o separava de sua futura mulher, mas o que ele descobriu por trás dessas cortinas foi tão surpreendente que parou o que estava fazendo antes de colocar mais do que um joelho em cima do colchão. Hermione não estava enterrada debaixo de seus cobertores como ele esperava. Ela não tentou cobrir-se para afastar o ar frio da noite. Muito pelo contrário, na verdade. Ela estava ajoelhada no centro de sua cama, nada da camisa branca à vista, e vestindo nada mais além da roupa íntima mais sexy que ele já havia visto.


 


Não só os olhos de Rony se arregalaram pela enésima vez naquela noite, mas a boca ficou seca quando ele concentrou a atenção nas finas fitas de laço rosa abraçando suas coxas. Ele tinha visto as calcinhas de Hermione inúmeras vezes até agora, mas em nenhuma vez ela estava usando qualquer coisa feminina ou abertamente sexy como esta. E não foi apenas sua calcinha, ele percebeu, quando seus olhos subiram e estacaram em seu peito. O sutiã combinava, apenas o delicado laço rosa corria nas costuras, enquanto o resto do –‘Querido Deus’, o resto do seu sutiã era transparente. Uma malha rosa pálido cobria a maior parte de seus seios, acentuando-os, mas ainda deixando tudo à mostra.


 


-Então, você gosta dela, então? Hermione perguntou recatadamente, incapaz de manter suas bochechas sem corar, enquanto observava o fogo inflamar-se profundamente nos olhos azuis de Rony.


 


-Uh huh, respondeu ele, incapaz de falar algo mais coerente enquanto ele lutava para manter o controle sobre a sua luxúria. Ele queria dizer a ela que ela era perfeita, que ele nunca tinha visto alguém ou alguma coisa mais bonita. Ele queria que ela soubesse que ele poderia perfeitamente passar o resto de sua vida apenas olhando para ela, mas as palavras não vinham. Esses pensamentos foram levados quando uma intensa onda de excitação explodiu dentro dele. Tudo em que ele podia pensar agora era tocá-la, tocar seus gloriosos seios cobertos de renda, e pressionar seus mamilos tensos contra as palmas das mãos, enquanto ela o acariciava.


 


Antes mesmo de perceber que estava fazendo isso, Rony jogou-se na cama, de joelhos em frente a ela e avançando para fazer exatamente isso. Ele percebeu o que suas mãos estavam fazendo em cima da hora e conseguiu desviá-las para os ombros no último segundo possível, mas não podia tapar as orelhas que ficaram vermelhas quando ele a ouviu rir.


 


‘Inferno sangrento’ Rony resmungou em sua cabeça, quando Hermione estendeu a mão e tirou o nó da gravata em volta do seu pescoço. ’ Você não pode simplesmente atacá-la, você tem que deixá-la excitada’ admoestou a si mesmo. ‘Mantenha suas mãos para si mesmo até que ela lhe dê permissão’.


 


-Hermione? ele praticamente implorou quando ela começou a desabotoar sua camisa. Mas ao invés de responder, ela simplesmente apertou os lábios sobre sua clavícula e beijou-o suavemente. ‘Oh Deus’! Rony gemeu em sua mente, quando ela continuou a trabalhar em seus botões soltos e sua boca foi baixando progressivamente. -Mione, ele tentou novamente.


 


-Hmmm? ela cantarolou contra o seu peito, mas Rony tinha atingido o limite de suas forças.


 


Ele queria os lábios suculentos dela pressionados firmemente contra os seus, e não deslizando suavemente em seu peito. Ele precisava beijá-la. Ele queria prová-la, e ele não ia esperar mais.


 


‘Para o inferno com a espera pela permissão’ , ele decidiu, colocando ambas as bochechas dela em suas mãos grandes, erguendo o rosto dela até que pudessem se olhar, e em seguida, pressionou sua boca contra a dela e beijou-a profundamente.


 


Rony não estava surpreso que ela o beijou de volta, ou que ela o fizesse com uma fome e uma intensidade que combinava com o sua própria. Hermione normalmente aguentava, como ela argumentou, com tudo o que tinha. Ele foi, no entanto, pego de surpresa quando ela começou a tremer em seus braços e inesperadamente afastou-se dele.


 


-Muito rápido? ele perguntou, depois de procurar-lhe os olhos e perceber que ela realmente estava tão nervosa com tudo isso quanto ele.


 


-Um pouco, sim, ela respondeu um pouco hesitante.


 


-Nós não temos, lembrou ele. -Podemos esquecer tudo e ir até a festa, se quiser.


 


-Não, Hermione disse: - Só... você pode apenas me abraçar por um minuto? perguntou ela.


 


Mal as palavras saíram de sua boca, os braços de Rony serpentearam em torno de suas costas e Hermione se viu voltada contra ele. Liberando uma respiração profunda, ela relaxou e deixou a cabeça cair contra o peito para que pudesse ouvir a batida daquele coração reconfortante.


 


-Ron? perguntou ela, quando percebeu o quão rapidamente o seu coração estava bombeando. -Você tem ... tem medo?


 


-Não, ele mentiu instantaneamente. -Ok, ele alterou, uma vez que ele percebeu por que ela tinha perguntado. -Eu posso estar um pouco nervoso, mas eu definitivamente não estou com medo. E você?


 


-Um pouco, admitiu Hermione. -Eu sei que é bobagem, mas eu não posso ajudá-lo.


 


-Não é bobo, Rony assegurou-lhe, abraçando-a ainda mais apertado. -Você sabe que a última coisa que eu quero fazer é machucá-la, acrescentou.


 


-Você vai, afirmou categoricamente. -É inevitável, mas será apenas por um minuto, acrescentou ela, quando sentiu seu corpo inteiro endurecer. -Tem que acontecer, continuou ela. -Não há nenhuma forma de não ser assim. Eu não quero esperar mais. Eu te amo e eu quero isso. Quero estar com você, realmente estar com você. Eu quero ser o seu tudo.


 


-Você é, respondeu Rony, correndo uma mão pelo cabelo dela enquanto lhe dava um leve beijo na testa.


 


-Ainda não, Hermione sussurrou contra ele, - mas logo eu serei. Tenho pensado muito sobre isso, afirmou um pouco mais alto, - e eu não quero que você faça isso devagar. Não sou do tipo que mergulha na água fria um pouco de cada vez. Prefiro mergulhar direto e começar quando o pior já passou. Assim, quando chegar a hora... apenas faça rápido para a dor passar logo.


 


-MALDIÇÃO! Rony gemeu para si mesmo, quando a enormidade do que ia fazer com ela se estabeleceu em seus ombros mais uma vez. Ele iria machucá-la. Ele ia machucá-la o suficiente para que ela realmente sangrasse e pior de tudo, ele iria sentir prazer. Para ele, seria prazeroso e gratificante, mas não para ela. Ele iria ter o prazer de infligir dor a ela e mesmo que ele se odiasse por isso, no fundo ele ainda iria querer continuar.


 


-E se eu não quiser? ele se perguntou em voz alta.


 


-Você tem que, Hermione respondeu, percebendo um pouco tarde demais como sua ansiedade estava afetando ele. -Não é algo que posso fazer por minha conta. Eu preciso de você para fazer isso, afirmou. -Para mim, para nós.


 


-Eu não quero.


 


-Sim, mas você vai fazer, insistiu Hermione, deixando cair os olhos onde ainda havia uma prova visível desse fato, embora já não fosse tão óbvio como tinha sido quando eles estavam se beijando.


 


-Não, eu não, insistiu ele, se afastando para que pudesse olhá-la nos olhos. -Eu não acho que posso viver comigo mesmo se eu tiver o prazer de ferir você.


 


-Oh Ron, Hermione suspirou, pegando ambas as mãos dele quando viu o quanto os seus comentários o perturbaram. -Não é assim. Será somente por alguns segundos e então será agradável para mim também. Talvez não na mesma medida, ela alterou, quando viu que ele não estava acreditando. -Mas eu tenho certeza que será lindo. Como não seria?


 


-Mas deve haver algum tipo de mágica ou algo que podemos usar para que você não sinta...


 


-Não, Ron, disse ela, balançando a cabeça com tristeza. -Há feitiços, claro, mas não podemos usar nenhum deles. A barreira tem de ser violada e você tem que ser o único a fazê-lo. É o que eu estou sacrificando, meu corpo e minha pureza. Você é obrigado a fazer isso não apenas pela poção, mas pelo sangue que derramarei para completá-la. Esse sacrifício é necessário para manter a conexão, como é o sacrifício que você vai fazer para mim.


 


-Isso não é um sacrifício, Hermione. Não haverá qualquer dor envolvida, não para mim de qualquer maneira.


 


-É um sacrifício, ela insistiu. -É algo que eu vou tomar de você. Não contra a sua vontade, mas eu vou estar tomando de qualquer forma. Você não pode dá-lo sem minha ajuda e eu não posso levá-lo sem o seu. Esse é o ponto. Nós dois iremos dar e receber ao mesmo tempo. Pode não parecer um sacrifício porque é bom, mas é, e enquanto nós continuarmos a entregar nossos corpos um do outro, nós vamos ser capazes de preservar o vínculo criado pela poção.


 


-Mas eu não quero te machucar, Rony gemeu, caindo para trás em seu travesseiro.


 


-Se o meu braço estivesse quebrado e você fosse o único por perto para me ajudar, você o consertaria para mim, não é? Hermione perguntou, enquanto ela estava deitada de bruços ao lado dele. -Mesmo que você saiba que teria que me magoar um pouco para fazê-lo? Você faria isso porque você sabe que é necessário para os ossos serem devidamente alinhados, se você estiver pondo na tala ou tentando curar a fratura, e porque não é algo que eu possa fazer por mim mesma. Esta é a mesma coisa, disse ela, inclinando-se e beijando-o ternamente. -Eu não posso fazer isso sozinha. Eu preciso de você para fazer isso por mim, disse ela, beijando-o novamente. -Eu quero que você faça isso. Eu quero me entregar a você. Eu quero que você me faça sua e eu quero ter você pra mim em todos os sentidos. Eu sei que você quer muito, disse ela, beijando-o novamente. -Você está sempre pensando nisso.


 


-Essa é a minha linha não é? ele tentou fazer piada.


 


-Eu te amo, disse Hermione, pressionando seu corpo contra o dele procurando por um pouco de calor extra.


 


-Eu também te amo, disse ele muito sério, capotando do seu lado até estar de frente para ela.


 


-Que tal fazer um acordo? Hermione perguntou, quando ela estendeu a mão e terminou a desabotoar sua camisa.


 


-Que tipo de acordo? Rony respondeu, enfiando um fio de cabelo atrás da orelha para que ele não pudesse obscurecer a visão de seu rosto.


 


-Quando eu digo ‘nós’, eu quero dizer ‘você’. Pare de pensar sobre a poção e todas as outras coisas por um tempo e se concentre apenas em nós? ela disse, colocando sua mão esquerda sobre o peito e passou-a até seu ombro. -O que nós queremos. O que nos faria sentir bem. Acrescentou ela, empurrando a camisa meio solta para baixo do seu ombro. -Talvez isso ajude a tirar um pouco da pressão.


 


-Você quer dizer para eu apenas pensar nessa como qualquer outra noite? Rony perguntou, entendendo a dica e sentando-se apenas o suficiente para sua camisa deslizar o resto do caminho, antes de deixá-la cair. ‘Mesmo que ela não seja’, ele acrescentou em sua cabeça.


 


-Mais ou menos, Hermione respondeu, quando se inclinou para frente e deixou cair um beijo leve em seu peito. -Só faremos o que nós dois quisermos fazer, disse ela, enquanto continuava a acariciá-lo com os lábios. -Nada mais, nada menos.


 


-Isso soa... b ... ooo ... om, Rony guinchou a última palavra, quando sua mão escorregou de seu estômago e se estabeleceu entre as pernas.


 


-Muito impressionante Sr. Weasley, ela balbuciou, enquanto passou a mão para trás e para frente sobre sua ereção revitalizada. ‘Não vai ser tão difícil distraí-lo como eu pensava’. -Descanse agora, ela instruiu, empurrando-o de costas, enquanto ela veio de joelhos e montou sobre suas pernas , -e deixe-me cuidar de você.


 


-Tomar... cuidar de mim? ele perguntou, pouco antes de ela se estabelecer em cima dele e delicadamente beijar o ponto sensível em seu pescoço.


 


-Isso mesmo, Hermione sussurrou em seu ouvido e depois continuou a chupar seu pescoço. -Isso é bom não é? ela perguntou em voz baixa, chovendo beijos suaves contra a sua carne novamente e novamente.


 


-Sim, Rony concordou, incapaz de manter-se sem gemer quando ela mudou de posição e enfiou a mão em suas calças.


 


-E você não quer que eu pare, não é? Hermione perguntou, sedutoramente arrastando o dedo indicador para baixo o comprimento dele, deixando um rastro de fogo em sua esteira. -Porque isso parece muito bom, não é? ela perguntou, quando Rony gemeu alto. -Vou levar isso como um sim, ela sussurrou, antes de precipitar a língua para fora e lambê-lo.


 


‘Eu me pergunto se ele ainda vai pulsar assim uma vez que estiver dentro de mim? Hermione pensou, quando ela sentiu o membro de Rony pulsar em sua mão. ‘E se assim for, eu vou ser capaz de senti-lo? Pare. Pare com isso agora ou você vai deixá-lo nervoso novamente. Não pense mais nisso’, ela instruiu-se, libertando seu domínio sobre Rony e usando ambas as mãos para livrá-lo de sua cueca box.’ Apenas se concentre no que você está prestes a fazer. Você já fez antes, então não é uma grande surpresa. Apenas fique focada em fazer isso e esqueça todo o resto’.


 


-Hermione, o que...


 


-Shiii... disse ela suavemente, quando ficou de joelhos e abaixou-se até que ficou entre suas pernas novamente. -Quero cuidar de você, disse ela, inconscientemente, molhando os lábios com a língua.


 


-Oh Merlin, Rony gemeu, quando percebeu o que ela estava prestes a fazer. ‘Espere’, uma voz gritou em sua mente. ‘Se ela usar a boca para tirá-lo, você não será capaz de’... -ESPERE! Rony gritou ansiosamente. -O que você está fazendo?


 


-Eu achei que fosse bastante óbvio, respondeu ela. -Vai ser melhor assim, ela assegurou-lhe. ‘Para você’, pensou ela, mas não disse essa parte em voz alta. -Isso é o que dizem os livros, sabe... ela acrescentou com naturalidade. -Vai durar mais tempo na sua primeira vez se você já...


 


-HERMIONE! Rony gritou horrorizado, erguendo-se nos cotovelos para que pudesse olhar para ela. Ele não sabia o que era pior, o fato de que ela tinha lido até sobre as formas de evitar a ejaculação precoce, ou o fato de que ela achava que ele precisava desse tipo de ajuda.


 


-O quê? Hermione perguntou ingenuamente, claramente não vendo qual era o grande problema. -Eu não escrevi os livros, afirmou, quando ele continuou a encará-la com uma expressão horrorizada no rosto. -E não é só para você, você sabe? ela continuou. -Havia seções sobre como torná-lo melhor para mim também, mas podemos falar sobre isso depois de já ter acabado.


                              ***


 


Uma vez que estava tudo acabado, Rony levou um momento para realmente recuperar o fôlego, e quando ele estava prestes a pedir desculpas pela sujeira, Hermione abriu as cortinas e pulou da cama. Nessa fração de segundo, ele tinha certeza de que ela estava tão revoltada que decidiu ir embora, mas no momento que esse pensamento cruzou-lhe a mente, ela voltou e soltou a mochila em cima da cama.


 


-O que você está fazendo? Rony perguntou, os olhos arregalados com o choque quando Hermione enfiou a mão na bolsa e puxou uma faixa de seda que ela usou para limpar o sêmen de seu peito. -Que diabos é isso? ele perguntou, depois que ela pescou algum tipo de saco plástico estranho em sua mochila, deixou cair o pano sujo dentro, e literalmente fechou o zíper. ‘Um saco plástico com um zíper? Mas que diabos’?


 


-Podemos precisar disso, Hermione respondeu diretamente, quando enfiou o saco plástico de volta em sua mochila e deixou-a cair no chão, antes de subir na cama sozinha. -Apenas no caso.


 


-Apenas no caso de quê? Rony perguntou, incrédulo.


 


-Bem, você sabe... disse ela, corando ligeiramente. -Precisamos de seu sêmen para a poção, então agora se algo der errado vamos ter um ‘salva-vidas’.


 


-Errado? Rony gritou ofendido. –Você fala como se eu não pudesse fazer de novo.


 


-Claro que não, Hermione respondeu, inclinando-se sobre o lado da cama, revirando a bolsa novamente, e se virou de volta com mais um daqueles sacos de plástico estranhos. De primeira Rony pensou que era o mesmo, mas quando ele olhou mais perto ele percebeu que o material interno era listrado com uma tinta vermelha escura de algum tipo.


 


-É sangue, afirmou, quando ele enrugou a testa em confusão. -Meu sangue para ser mais precisa. Eu piquei o dedo antes de eu vir até aqui, por isso é ainda bastante fresco, o que vai ajudar. Não vai ser tão potente como o sangue nós vamos obter se meu hímen ainda estiver intacto, ela declarou clinicamente, mas ainda é sangue de virgem, por isso vai ser melhor do que qualquer coisa que possamos coletar após... bem, você sabe. Eu pensei que nós deveríamos ter isso também, explicou ela. -Apenas no caso de uma emergência.


 


-Você está louca, Rony disse, balançando a cabeça quando ela pegou o material respingado de sangue na mão.  -Absolutamente louca.


 


-É bom estarmos preparados, Ronald.


 


-Que outras coisas loucas que você tem guardado aí dentro? ele perguntou, saltando para frente, inclinando-se sobre a lateral da cama, agarrando a alça de sua bolsa, e arrastando-a de volta para a cama onde ele pode remexe-la.


 


‘Mais tiras de pano’, ele pensou, tirando-as para fora e jogando-as de lado. ‘Um par extra de cuecas’. Bem, acho que isso faz sentido. ‘A poção’, ele continuou em sua mente, tirando um frasco de vidro selado cheio de gosma azul brilhante de sua bolsa, em seguida, virá-lo de cabeça para baixo para testar a consistência. –ARRE! ele gemeu, franzindo o nariz com desgosto, pois aos poucos ele percebeu que não era apenas espesso, era robusto também. -Isso parece ainda pior do que Poção Polissuco. Nós não temos que tomar muito, certo?


 


-Não muito, disse Hermione, pegando o frasco de sua mão, em seguida, empurrando-o, e sua calcinha, de volta na bolsa. Já cansou de bisbilhotar as minhas coisas?


 


-Aparentemente, respondeu ele, quando Hermione agarrou a alça da bolsa e puxou-a para longe dele. -Só que eu não sabia que você tinha um esconderijo secreto de moedas de chocolate, ele acrescentou: -Posso pegar uma?


 


-Não, ela retrucou muito mais duramente do que pretendia.


 


-Ah vamos lá, Rony gemia, pedindo não apenas com suas palavras, mas com seus brilhantes olhos azuis de cachorro pidão. -Você tem o suficiente para nós dois lá dentro.


 


Se os objetos enterrados no fundo de sua bolsa, fossem de fato, galeões de chocolate, ela teria dado de bom grado todos a ele, mas não eram e, quando ele descobrisse o que eles realmente eram e o que eles foram usados , ele ficaria alarmado. Por um momento ela pensou em dizer a ele exatamente por que ela os tinha, só para acabar com isso, mas tinha levado uns bons dez minutos para acalmá-lo e não parecia uma ideia muito boa deixá-lo estressado novamente. ‘Ainda não’ , ela decidiu. -Vou te dar uma mais tarde, Hermione finalmente respondeu.


 


-Oh, eu entendi, Rony disse com um sorriso. -Você acha que pode me subornar com chocolate, não é? ele brincou. -E o que é exatamente que eu tenho que fazer para ganhá-los?


 


-Nada, respondeu Hermione, conseguindo soar tanto escandalizada quanto ofendida, ao mesmo tempo. -Eu nunca iria suborná-lo para fazer isso.


 


-Mas você quer que eu, disse Rony com um brilho travesso nos olhos. ‘Coberta de chocolate Hermione com certeza deve ser saborosa’, pensou ele, seu sorriso tornando-se ainda maior quando ele permitiu que seus olhos vagueassem sobre seu corpo coberto de rendas delicadas. ‘Mas eu suponho que podemos guardar isso para outra hora’. -Minha vez, ele gritou, pulando à frente sem aviso e usando seu peso corporal para deitá-la na cama.


 


-O que você está fazendo? Hermione gritou, tremendo debaixo dele quando sua boca quente desceu para o pescoço para beijá-la na parte onde ele sabia que era a mais sensível.


 


-Cuidar de você, ele abriu a boca, apenas o tempo suficiente apenas para sussurrar. -Justo é justo. É a minha vez.


 


‘Além disso, Gui me disse que eu precisava fazer isso primeiro’ , ele acrescentou em sua mente, quando deixou cair um beijo suave na bochecha e lentamente beijou seu caminho para a boca. ‘Cuide de suas necessidades em primeiro lugar e certifique-se que ela está relaxada’ , ele repassou o conselho de seu irmão mais velho em sua cabeça.’ Eu posso fazer isso’.


 


‘E sobre o que vem depois disso’? ele perguntou a si mesmo.’ Você pode fazer isso’?


 


‘Tenho certeza que vou saber na hora’.


 


-Merlin, você é linda, Hermione, Rony disse, afastando-se dela e sentando para que pudesse olhar para baixo em seu corpo. -Você sabe disso, né? ele perguntou, em seguida, viu-a corar e espalhar calor de seu rosto para o resto do seu rosto.


 


-Não, eu não sei, ela discordou, se deslocando desconfortavelmente sob seu olhar escrutado.


 


-Sim, você é, insistiu ele, com os olhos ardendo de tanto amor e luxúria. -Perfeita, ele murmurou, descendo e deslizando sua mão direita sobre seu estômago liso até que parou com a mão abaixo de seu peito. -Absolutamente perfeita, ele sussurrou, observando seus mamilos endurecem sob o material de seu sutiã. -Deus, eu adoro olhar para você. E tocar em você, acrescentou, colocando sua mão direita e provocando o mamilo com o polegar. -E beijar você, ele disse suavemente, quando abaixou a cabeça ao peito e beijou-a outra através do tecido fino de seu sutiã.


 


-Você tem um gosto tão bom, disse ele, empurrando sua mão esquerda para baixo de seu corpo e esfregando o dedo indicador para trás e para frente sobre sua calcinha rendada. -Eu nunca vou ser capaz de obter o suficiente de você. A maneira como você gosta. A maneira como você se sente. A maneira como você me faz sentir. Você me deixa absolutamente louco, Hermione.


 


-Oh Ron, ela gemeu baixinho, quando sua mão deslizou finalmente debaixo da calcinha.


 


-Você gosta disso? perguntou ele, mesmo que a resposta à sua pergunta fosse por demais evidente pela forma como ela foi arqueando o corpo e pressionando a parte inferior do corpo contra a sua mão. -Porque eu posso dar-lhe mais, acrescentou em uma voz rouca. -Muito mais, ele gemeu, despertando ainda mais a si mesmo, assim como ela. -Antes que a noite acabe eu vou preenchê-la completamente.


 


-Oh Deus, Hermione choramingou em voz alta, extremamente animada com a sua promessa, - Por favor, Ron, ela implorou, agarrando a colcha que estava abaixo de seus corpos. -Eu quero mais. Preciso de mais.


 


Quando ele abruptamente abandonou o corpo dela, Hermione suspirou de decepção e sentou-se para ver o que ele estava fazendo. Ela observava, o coração martelando furiosamente, quando ele envolveu seus dedos ao redor do topo de sua calcinha de renda delicada e lentamente arrastou-a para baixo de suas pernas, apenas para atirá-los ao lado quando a parte inferior do corpo estava completamente nua para ele.


 


Quando ela olhou para ele, Hermione não pôde deixar de sorrir quando percebeu que Rony estava mais uma vez totalmente excitado. Sem realmente pensar sobre o que estava fazendo, ela se inclinou para frente um pouco mais e estendeu a mão para tocá-lo, mas no instante em que seus dedos roçavam sua carne dura, ele sussurrou em voz alta e empurrou a mão dela.


 


-Oh não, você não, afirmou, deslocando para o lado e abrindo as pernas dela, em seguida, ajoelhando-se entre elas e inclinando-se para empurrá-la de volta contra a cama. -É a minha vez de cuidar de você, lembra? ele disse, lambendo os lábios e dando-lhe um sorriso diabólico.


 


Ela sabia o que estava prestes a fazer. Ele ia usar a sua boca sobre ela, da mesma forma que ela tinha usado dela sobre ele. Mas não era isso que ela queria. Não seria suficiente. Ele acendeu o fogo queimando profundamente dentro dela com a sua promessa do que viria mais tarde, mas ela queria agora. Seu corpo doía, literalmente, para ele. Ela queria se sentir mais do que seus dedos ou a boca. Eles poderiam trazê-la até a conclusão, mas eles não iriam preencher o vazio dentro dela. Havia apenas uma coisa que iria encher o vazio que sentia dentro de si mesma, e ela queria ser preenchida, completamente, exatamente como ele havia prometido.


 


-Pare! gritou Hermione. Rony, assustado, parou de tocá-la com os dedos.


 


-O quê? ele perguntou, sacudindo a cabeça erguida e olhando para ela com surpresa. -Mas... você realmente não quer que eu pare, não é? ele perguntou, incrédulo. -Eu ainda nem comecei.


 


-Estou pronta, afirmou Hermione, sabendo que se ela não falasse agora, ele finalmente iria fazê-la vir, e que quando isso acontecesse o desejo e a dor que estavam a queimando através de suas veias, lentamente ganharia distância. Ela o queria agora. Tinha que ser agora, ou ela poderia por tudo a perder.


 


-Mas ... Não, protestou ele, seus olhos arregalando-se quando percebeu do que ela estava falando. -Você não pode estar pronta.


 


-Mas eu estou.


 


-Não, você não está, Rony disse obstinadamente. -Você ainda nem mesmo... Você não pode estar pronta. Gui disse ...


 


‘Oh, pelo amor do céu’, Hermione gritou em sua mente. ‘Não desta vez’. -Não importa o que Gui diz, ela disse a ele, obrigando-se a não deixar que sua irritação com seu irmão mais velho intrometido a atrapalhasse. -Tudo o que importa é o que eu estou dizendo a você, ela declarou: - E eu estou dizendo a você que eu quero você agora. Preciso de mais do que a sua boca. E eu sei que você me quer também. Eu posso ver em seus olhos. Eu posso sentir em seu toque. Faça amor comigo, Ron. Faça-me sua. Agora. Por favor. Estou pronta.


 


‘OH MERDA’! Rony amaldiçoou alto em sua cabeça, enquanto olhava em seus profundos olhos castanhos e viu a necessidade que estava dançando dentro deles. ‘É isso. É realmente isso. Eu vou finalmente perder minha virgindade e eu vou tomar a de Hermione ao mesmo tempo. Oh deus. É realmente isso’.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Eliana de Albuquerque Lima em 27/12/2013

Essa história é show, sério é uma das mais interessante e criativa que já li. Bjos

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Amandazeni em 23/12/2013

Estou trabalhando na tradução, logo posto mais capítulos! Obrigada por acompanhar >.<

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Pessoa em 19/12/2013

essa fic tá cada vez melhor. tô amando.
quero mais, tô super ansiosa pra saber o rest.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.