FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

48. Vingança


Fic: O preço do amor- Capítulos revisados-AGORA COM CAPA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

-Ah, vamos lá Hermione, Rony gemeu, quando ela o arrastou para fora da Sala Precisa e seguiram o mesmo corredor que Harry havia seguido para voltar logo a torre. -Nós não temos que voltar ainda.


 


-Ainda é noite de semana. Nós temos aula amanhã ,ela lembrou , mantendo um aperto firme em sua mão para que ele a seguisse de volta à Torre da Grifinória.


 


-Também é nossa noite de núpcias, Rony protestou.


 


-Tecnicamente, nós só estamos noivos um do outro até que a união seja consumada, ela retrucou: - E nós já decidimos que não vamos fazer isso até que a poção esteja pronta.


 


-Eu sei, Rony suspirou, - mas isso não significa que temos de voltar para a Torre de imediato. Eu pensei que poderíamos...


 


-Brincar um pouco? Hermione terminou para ele.


 


-Bem, sim, respondeu ele. -Nós estávamos sozinhos e no lugar perfeito. Por que não aproveitar?


 


“Porque uma vez que começarmos, nenhum de nós vai querer parar”, ela pensou. “E eu não tenho a força para resistir esta noite. Não depois do que acabamos de fazer”.


 


-Por que estamos fora após o toque de recolher? disse ela, se escondendo por trás das regras, assim ela não teria que admitir que ela não confia em si própria para estar a sós com ele naquele momento.


 


-E daí? Somos monitores, Rony respondeu, enquanto ela o arrastava pelo corredor mal iluminado. -Nós somos obrigados a estar fora após o toque de recolher.


 


-Nossa ronda terminou há uma hora, ela argumentou.


 


-Isso nunca nos impediu antes. Nós sempre voltamos tarde.


 


-Não tão tarde, protestou Hermione. -Temos de Defesa Contra as Artes das Trevas no início da manhã. Precisaremos estar acordados e concentrados para isso. E o Harry?


 


-O que há com ele? Rony perguntou. -Ele vai ter que encontrar sua própria menina para brincar com ela, brincou.


 


-Ele praticamente fugiu logo que acabamos, disse Hermione, parando em frente do retrato da Mulher Gorda e olhando para ele com desconfiança. -Oh, Ron, você não fez isso não é?


 


-Não fiz o quê? , ele perguntou, franzindo a testa em confusão. “Cuidado, Weasley”, ele advertiu a si mesmo, enquanto ele olhava para o fundo dos olhos castanhos de Hermione. “Ela tem que estar prestes a lançar um feitiço e me bater com a fúria de um olhar desses. Que diabos está acontecendo aqui? Por que ela está tentando começar uma briga agora”?


 


-Você não lhe pediu para sair logo que acabássemos, não é? Hermione disse acusadoramente.


 


-Claro que eu não fiz, Rony respondeu com sinceridade. -Por que eu faria algo assim?


 


-Então por que ele foi embora? Hermione perguntou, depois de proferir a senha e entrar na sala comunal.


 


-Bem, eu posso estar errado, Rony disse, enquanto a seguiu e fez uma análise rápida da sala para se certificar que estava sozinho, - mas acho que ele provavelmente pensou que seria melhor nos deixar sozinhos na nossa noite de núpcias, continuou ele, saindo do seu caminho pelo stress das duas últimas palavras que ele falara. -É natural que nós iríamos querer algum tempo sozinhos. Eu não estou dizendo que ele tinha de fugir como ele fez, mas ainda assim, foi uma conclusão lógica. Então a questão não é por que Harry saiu correndo, informou para ela, - é por que você está fazendo isso? O que está acontecendo? Por que você não quer ficar sozinha comigo? Rony perguntou, mas ao invés de responder como ele esperava, Hermione simplesmente ficou ali olhando para ele.


 


Mesmo se não tivesse ouvido a incerteza e decepção em sua voz, ela ainda teria sabido que seu ego foi ferido, pois a dúvida de que ele estava sentindo era claramente visível em seu rosto. Então ao invés de acalmá-lo com palavras, ela fez a primeira coisa que me veio à cabeça e sem um aviso, ela se lançou contra ele, batendo seu corpo contra o dele, empurrou suas duas mãos em seus cabelos, puxou seu rosto para a frente, e o beijou.


 


Dizer que Rony tinha ficado desorientado com a ferocidade do ataque seria um eufemismo. Na verdade, ele levou uns bons trinta segundos antes de reunir inteligência suficiente para responder. Ele não só não esperava que Hermione o beijasse naquele momento, apesar de que fazia parte dela surpreendê-lo. Mas a verdade era que ele nunca iria esperar que ela fosse beijá-lo assim no meio do salão comunal. Atrás de portas fechadas era uma coisa, mas eles estavam à vista. É verdade, a sala estava vazia, mas se alguém descesse as escadas, esse alguém seria obrigado a observar os dois monitores do sexto ano se agarrando. E, no entanto, ali estava ela, esfregando-se contra ele de uma forma que, literalmente, o deixou durante toda a semana sentindo os joelhos bambos.


 


-Por isso, Hermione respondeu ofegante, poucos minutos depois, quando eles foram forçados a se separar em busca de ar.


 


-Hein? Rony murmurou, abrindo os olhos cheios de luxúria e permitindo que eles vagassem livremente pelo corpo dela. Naquele momento em particular não fazia ideia do que estavam falando antes do beijo começar, nem se importava. -Venha aqui, disse ele, apertando o braço em torno de sua cintura e puxando-a para trás quando ela tentou se soltar e separar seu corpo do dele.


 


-Veja, é disso que eu estava falando, disse Hermione, colocando as duas mãos sobre o peito dele afastando-o. -Você não pode controlar a si mesmo mais do que eu posso, informou a ele, enquanto sua boca descia para o pescoço dela, provocando um gemido de prazer que só parecia instigá-lo. -Nós... nós temos que parar, disse Hermione levemente, permitindo-se fechar os olhos e deixando a cabeça cair ainda mais para lhe dar melhor acesso.


 


-Porquê? Rony murmurou contra seu ouvido, seu hálito sensual fazendo cócegas no pescoço de Hermione e causando arrepios em seu corpo inteiro. -Por que devemos parar? perguntou ele, enrolado em seu pescoço enquanto suas mãos deslizavam pelas costas e uma delas terminava segurando fortemente a bunda dela.


 


-Oh Deus! Hermione gemia alto, quando Rony a puxou para frente e aproximou a parte inferior do corpo contra o dela. -Por favor, ela gemeu baixinho, enquanto ela tentava manter o ultimo vestígio de razão e sanidade.


 


-Apenas me diga o que você quer, amor, informou, trazendo a mão dela entre eles e inclinando-se para beijar a palma da mão.


 


-Eu. .. eu quero ..., ela ofegou. “Oh para o inferno com ele” , ela pensou, cedendo à tentação e procurando seus lábios mais uma vez. “Temos de parar”, ela disse a si mesma quando ela o beijou. “Antes de nos empolgar demais. Mas é tão bom”, ela argumentou, depois de sua língua disparou sobre o seu lábio inferior e mergulhou em sua boca. “Não. Não, nós temos que parar. Eu tenho que parar”! ela gritou em sua cabeça. “Enquanto eu ainda puder. PARE AGORA! SIMPLESMENTE PARE! PARE AGORA”!


 


-Ron, Hermione murmurou contra os lábios dele, quando ele começou a conduzi-la na direção de um dos sofás. -Ron... por favor, disse ela um pouco mais alto, afastando sua boca da dele. -Nós não podemos.


 


-O quê? Rony perguntou, gemendo alto. -Por que não?


 


-Nós estamos no meio do salão comunal.


 


-Você está me matando aqui, ele rosnou em frustração.


 


-Sinto muito.


 


-Hermione? Rony resmungou. -Tudo bem. Não dá pra ser aqui embaixo, ele suspirou, correndo uma mão pelo cabelo já despenteado. -Por que não ir para o meu quarto?


 


-Eu não acho que essa seja uma ideia muito boa, Hermione informou a ele. -É uma noite de semana e se eu for lá com você, eu não seria responsável para voltar para o meu quarto. Lilá e Parvati vão perceber se a minha cama não for mexida e saberão que eu não dormi lá em seguida, elas saberão que eu nunca voltei das rondas. E se um de seus companheiros nos pegar nesse meio tempo? É muito arriscado.


 


"Eu posso ligar o meu alarme e te acordar cedo", Ron sugeriu, na esperança de que seria suficiente para acalmar ela.


 


"Eu adoraria ir com você", Hermione disse, "mas isso nunca vai funcionar. Você não é exatamente a pessoa mais fácil de acordar pela manhã. Nós dois vamos estar cansados e provavelmente vamos dormir direto ignorando o alarme, mas não posso dizer o mesmo sobre seus companheiros de quarto. "


 


"Ok, estou sem idéias, então," Ron admitiu, "mas você deve ter algum plano que funcione, então o que é isso? Apenas me diga onde você quer ir e ..."


 


"Ron", disse Hermione, sacudindo a cabeça para trás e para frente quando ela o interrompeu. "Eu. .. hum ... eu acho que provavelmente seria melhor se nós apenas fomos para a cama.


 


"Sozinhos"? , ele perguntou, arregalando os olhos em descrença. "Você não pode estar falando sério?" ele disse, quando ela mordeu o lábio inferior e balançou a cabeça em silêncio. "De jeito nenhum", disse ele, dando um passo a frente e envolvendo os braços em torno dela. "Eu não vou deixar você ir", informou a ela. "Hoje não. Podemos dormir aqui embaixo.Eu não me importo", disse ele, olhando para o sofá rapidamente antes de reorientar a sua atenção para ela, "mas você vai ficar comigo."


 


"Você sabe tão bem quanto eu que nós não vamos dormir", Hermione suspirou.


 


"Mas Hermione é ...," ele começou a protestar, mas parou quando ela cobriu seus lábios dedo indicador.


 


"Não nesta noite", disse ela baixinho.


 


"Amanhã, então," Ron insistiu, depois de puxar a mão dela de sua boca e entrelaçando seus dedos com os dela. "Amanhã não é uma noite de escola, assim você pode ficar no meu quarto. Eu vou deixar você ir agora, mas só se você prometer que podemos passar a noite de amanhã juntos."


 


"Tudo bem," Hermione respondeu com um leve sorriso, depois de ponderar sobre isso por um momento.


 


"A noite inteira? Não é justo que caia fora uma vez que eu cair no sono."


 


"A noite inteira", ela concordou.


 


"E no sábado à noite também."


 


"Vamos ver", disse Hermione, baixando os olhos para o chão e balançando a cabeça como se estivesse um pouco irritado, quando na verdade ela estava tentando esconder a sua diversão dele.


 


Ele estava de pé tão adorável como uma criança petulante quando ele negociou os termos de sua libertação. Se ele tinha alguma idéia do quanto ela estava lutando contra si mesma e como ela estava próxima de desistir e ir com ele agora, ela certamente estaria em apuros.


 


"Não é suficiente", declarou ele, apertando seu aperto em sua cintura para que ela não seja capaz de escapar. "Sábado à noite também."


 


"Se você tiver feito o dever de casa de Transfigurações antes de domingo, "Hermione respondeu.


 


"Oi! Isso é chantagem, isto é," Ron choramingou.


 


"Você tem que dar para receber", Hermione disparou para trás rapidamente. "Esse é o acordo, é pegar ou largar".


 


"Se eu concordar com isso vamos fechar o negócio com um beijo?" ele disse com uma risada.


 


Uh oh, Hermione pensou, sabendo muito bem onde isso iria levá-los. "Eu acho que você teve mais beijos que o suficiente por esta noite", respondeu ela, se contorcendo em seus braços, em um esforço para libertar-se.


 


"Só mais um e eu vou deixá-la ir", afirmou Ron com um sorriso.


 


"Fechado", disse Hermione rapidamente, inclinando-se,tocando levemente seus lábios com os dele, em seguida, puxando para trás e olhando-o com um sorriso insolente antes mesmo que ele tivesse tempo de registrar o que tinha acontecido.


 


"HEY! Você trapaceou", Ron gritou, mas mesmo quando ele disse isso, ele libertou seus braços em torno dela e lhe permitiu afastar-se dele. "Bem?" disse ele, depois que ela tinha andado alguns passos para trás e, em seguida, parou ao lado do sofá. "Você não vai ir para a cama?"


 


"Eu não quero", admitiu ela, quando ela estudou-o atentamente. "Ron Eu. .. Eu não quero que você pense que esta noite não significa nada para mim, porque ela significa", disse ela, quando se sentou no sofá e fez sinal para ele se juntar a ela. "Isso significa tudo", continuou ela, estendendo a mão para a corrente, que estava escondido debaixo da camisa, logo que ele se sentou ao lado dela, em seguida, puxando a corrente, elevando-a aos lábios e beijando-a suavemente. "Eu ainda não posso acreditar que você faria isso por mim", disse ela, deixando cair o colar novamente contra o seu peito quando ela colocou os braços ao redor de seu pescoço e o beijou tão ternamente.


 


"Por que não? Eu te amo," Ron disse baixinho, uma vez que ela se afastou e estava olhando para ele novamente.


 


"Eu também te amo", respondeu ela, enquanto seus olhos brilhavam. "Eu. .. Me desculpe se eu arruinei coisas. Lamento que você tem que esperar, mas não vai demorar muito e agora ..."


 


"Hermione," Ron disse, cortando-a. "Você não tem que pedir desculpas por isso. Quero dizer com certeza, é frustrante e é difícil esperar, às vezes, mas não é culpa sua. A poção é a coisa mais importante agora. Mas, está quase pronto, certo?"


 


"Vai ser concluído na próxima semana."


 


"Graças a Merlin," Ron suspirou alto.


 


"Eu estava pensando sobre isso, porém," Hermione disse, hesitante. "Cerca de ... você sabe, quando terminar", esclareceu, "e eu estava pensando que talvez ... bem, não é algo que eu quero apressar."


 


"O quê?" Ron perguntou, um pouco de cor saindo de seu rosto. "Mas eu pensei que você estava pronta."


 


"Eu estou", assegurou ela. "Pelo menos eu acho que estou. Quando estamos juntos, eu sei que eu estou, é só quando não estamos juntos, que eu fico nervosa com isso. Mas não é isso que eu quis dizer. Eu não quero apressar isso . Será nossa primeira vez e nós só ganhamos um desses por isso é especial, você sabe? E significa ainda mais agora ", continuou ela, quando ela subconscientemente envolveu os dedos na corrente pendurada no pescoço, porque ... "


 


"... Nós vamos realmente estar casados," Rony terminou, e Hermione balançou a cabeça.


 


"Por isso, não será apenas a nossa primeira vez", disse ela calmamente. "Vai ser realmente nossa noite de núpcias e eu não quero que seja algo apressado, em um armário de vassouras, ou uma sala de aula, ou um túnel secreto, e depois voltar para cá como se nada tivesse acontecido."


 


"Você acha que isso é o que eu quero?" Ron perguntou, parecendo um pouco insultado.


 


"Não, eu não acho", respondeu ela rapidamente. "Eu sei que não é o que você quer, é por isso que eu acho que devemos esperar, mesmo após a poção está terminado. Não muito tempo", disse ela, quando Ron parecia que ele estava prestes a protestar. "Só até o Halloween."


 


"Dia das Bruxas?" Ron perguntou, enquanto sua mente começou a pensar em todas as coisas que queria dizer. "Todo mundo vai estar na festa."


 


"Exatamente," disse ela, o peso sendo tirado dos seus ombros quando Ron respondeu de forma positiva. "Teremos a Torre a nós mesmos por horas e não teremos de andar com rodeios ou se preocupar em ser preso ou apressar tudo. Mas é mais do que isso. Halloween ... é ... é ... Parece que no momento certo. Tem muito significado, sabe?


 


"Os pais de Harry foram mortos na noite de Halloween," Ron disse, mais para si do que para Hermione.


 


"E Voldemort foi derrotado, mas não é isso que me referia", afirmou. "Halloween é importante para nós. Todos nós três", explicou. "É o aniversário do dia em que todos se tornaram amigos, por isso parece apropriado para que ele também será o dia que nós nos tornamos mais que isso."


 


"Nós já estamos mais do que amigos", Ron lembrou.


 


"Eu sei", respondeu Hermione. "Mas eu ainda gostaria de Halloween para ser o nosso dia do casamento oficial. O dia em que comemorar e lembrar a cada ano. Eu sei que é apenas mais um dia e não deveria realmente importar, mas eu sinto que importa."


 


"Por mim tudo bem", Ron respondeu com uma risada suave. "E eu nunca vou ter que me preocupar com nosso aniversário, não é? Porque quem poderia esquecer do Dia das Bruxas? O melhor feriado do ano, com a possível exceção do Natal."


 


"Só porque você pode ter uma refeição composta por nada além de doces", disse Hermione, sacudindo a cabeça para trás e para frente, infelizmente.


 


"Você acha Harry vai trazer alguns para mim?"


 


"Tenho certeza que ele vai, se você pedir com jeito. Então, significa que você vai ser o único a dizer-lhe porque não vamos estar lá com ele."


 


"EU!" Ron gritou. "Você já me fez explicar o Lànain para ele. Porque você não pode fazê-lo desta vez? É o justo."


 


"Justo ou não, você é o único que tem que fazê-lo.


 


"Ah, vamos lá."


 


"Eu não posso falar com Harry sobre a nossa vida sexual."


 


"Mas eu sou um garoto, por isso posso automaticamente?"


 


"Tudo bem, tudo bem", retrucou Hermione. "Eu vou falar com Harry, mas isso significa que você vai ter que falar com a Gina."


 


"Quem disse que nós íamos dizer a Gina alguma coisa?" Ron questionou.


 


"Você honestamente acha que ela não vai perceber que estamos ausentes da festa? Eu particularmente não quero que ela venha nos procurar, não é? Porque é isso que é passível de acontecer se não explicar a ela de antemão. "


 


"Harry pode dizer a ela então."


 


"Isso não é responsabilidade do Harry, é nossa. Então eu vou falar com Harry e você pode explicar tudo isso à sua irmã", disse Hermione, sabendo muito bem que Ron nunca iria concordar com isso.


 


"Tudo bem, você ganhou", ele suspirou. "Vou falar  com o Harry."


 


"Eu achei que você falaria".


 


"Eu nunca vou ganhar uma discussão contra você durante o resto de nossas vidas, não é?"


 


"Você já ganhou algum antes?"


 


"Ah, cala a boca", Ron gemeu. "Eu devo ter ganhado pelo menos uma em algum lugar."


 


"Eu tenho certeza que é mais do que uma verdade", ela riu, como ela se inclinou e beijou-o rapidamente. "Embora eu não fique contando."


 


"Hermione, 375. Rony, quatro. Será que isso soa certo para você?" ele perguntou, sua voz assumindo um timbre descontentes.


 


"Eu adoro você", Hermione riu baixinho, atirando os braços ao redor de seu pescoço novamente e beijando-o profundamente, antes de se mover e se levantar. "Bem, é melhor ir para a cama, antes que se torne 376. Vou ver você de manhã", acrescentou ela, como ela começou a caminhar em direção as escadas das meninas. "Boa noite Rony."


 


"Noite", ele murmurou, enquanto a observava subir as escadas e só depois que ela desapareceu ele se  levantou.


-Noite, ele resmungou, enquanto observava ela subir e só depois que ela tinha desaparecido ele levantou-se.


 


-O que você está fazendo? Harry perguntou, enfiando a cabeça para fora de sua cama depois de ouvir movimento no quarto e viu Rony com a cabeça enfiada dentro do seu malão.


 


-Você realmente não espera que eu vá dormir sem minhas roupas não é? Rony disse sarcasticamente. Ele deixou cair um par de pijamas em sua cama e começou a tirar suas roupas.


 


-Eu quis dizer, o que você está fazendo aqui? Harry perguntou em voz baixa. -Eu pensei que vocês dois estavam indo para... bem, eu supus que vocês iam ficar na sala esta noite...


 


-Não, respondeu Rony, girando ao redor para enfrentar sua própria cama, antes de retirar sua camisa e substituí-la por seu pijama.


 


-Então, vocês dois não ...


 


-Não, disse Ron novamente, antes que Harry pudesse terminar a pergunta.


 


-Eu não acredito! Gritou Simas. Ele arrancou as cortinas em torno de sua cama e sorriu para Rony como um gato feliz. – E você escondendo de nós. Ok, você pode confiar em mim. Ele emendou, como seu olhar em Harry, que, obviamente, sabia muito mais do que parecia sobre a vida amorosa de Rony. -EI! Longbottom! Simas gritou, lançando seu travesseiro para o menino dormindo na cama ao lado dele. –Acorde! Você nunca vai adivinhar quem foi que arranjou uma namorada.


 


-Inferno sangrento! Rony gemeu, com o rosto todo inundado de cor. –Cale a boca.


 


-Então? Simas perguntou, esfregando as mãos com uma expressão de alegria que foi uma perfeita imitação dos dois irmãos gêmeos de Rony. -Quem é ela? Estou certo que não é Lilá, disse ele, antes que o ruivo tivesse chance de abrir a boca e responder. -Tudo bem, então não é ela, Simas continuou, uma vez que ele viu o olhar de repulsa que tinham seus companheiros de quarto. -Deve ser alguém de uma das outras casas, porque se fosse uma Grinfinória vocês dois estariam indo para a Sala Comunal, em vez da Sala Precisa. -Ser Monitor finalmente veio à calhar, não é? Torna muito mais fácil para você, não é? Tudo que você tem a fazer é abandonar a Granger após as rondas e depois encontrar com sua passarinha e fazer cócegas, ele riu, arqueando as sobrancelhas sugestivamente. -Você acha que ela vai te dar uma detenção ou reduzir pontos da casa, quando ela descobrir o que você está fazendo? Hermione, eu quero dizer.


 


-Não, Harry disse com uma risada macia, mas não a estendeu demais, porque seu melhor amigo virou com uma expressão horrorizada no rosto e lhe lançou um olhar que ninguém viu, mas em seguida gritou: - Você é débil mental? Cale a boca!


 


-Então, quem é Weasley? Simas perguntou novamente. -Por favor, diga-me que não é aquela pirada da Luna Lovegood.


 


-Não chame ela disso! Uma nova voz soou no quarto.


 


-O que importa pra você como eu a chamo? Simas perguntou à Neville, que estava corando um pouco, agora que todos os olhos estavam fechados sobre ele.


 


-Não há nada de errado com Luna, disse Neville, levantando-se em seu cotovelo e sentando na sua cama. –Assim, claro que ela é um pouco excêntrica. Acontece que eu acho que ela é legal, então não vai colocá-la para baixo só porque você não a conhece.


 


-Bom para você Neville, Harry disse, dando ao seu amigo um sorriso encorajador.


 


-O que é isso, o fã-clube de Luna Lovegood?


 


-Eu avisei, gritou Neville, pegando o travesseiro que Simas tinha jogado sobre ele fora de sua cama e jogando-o de volta tão forte quanto podia.


 


-Tudo bem, Simas riu. -Mas talvez você deva salvar algumas do Weasley, vendo como ele é o único fora bonking ela."


 


-Ele é um merda, Neville, Rony disse. Ele escorregou as calças do pijama e subiu em sua própria cama. -Só ignore-o.


 


-Um merda, eu sou? Simas riu. -Você pode querer dar uma olhada no espelho antes de tentar negar novamente. A menos que você espera que eu acredite que você fez isso a si mesmo."


 


-Fez o quê? Rony perguntou suas mãos indo para o pescoço automaticamente. De jeito nenhum, pensou ele. Hermione nunca iria deixar uma marca visível e ela nunca sequer tocou meu pescoço. Ele quer apenas foder comigo. -Eu não sei do que você está falando, disse ele, tentando disfarçar, apesar do fato de que suas brilhantes orelhas vermelhas foram uma oferta inoperante.


 


-Eu estou falando sobre o seu cabelo, Simas riu: - Há apenas uma maneira que conheço para tê-lo desgrenhado deste jeito, e é ter um bom amasso. Não há como negar. Especialmente desde que Potter já lhe deu cobertura. Você não vai dizer nada? ele perguntou, quando Rony permaneceu em silêncio.


 


-Não, respondeu Rony finalmente, voando para cama e enfiando-se sob suas cobertas. "Noite Harry."


 


-Ah, vamos lá, Simas gemeu, enquanto observava Harry se deitando também. -Apenas me diga quem é.


 


-Calado, Finnigan, Rony resmungou. -Você não vê que eu estou tentando dormir aqui?


 


-Todos os monitores são como você? ele perguntou jovialmente. -O trabalho é mais pesado do que você pensou que seria, ensinando a novatos como abotoar suas calças corretamente?


 


-Você vai fechá-la agora mesmo, se você sabe o que é bom para você, avisou Rony, enquanto ele se sentava em sua cama e olhava para o loiro irlandês ameaçadoramente.


 


-Ficou nervoso é, que eu fiz? Simas continuou, intencionalmente só para ver se ele poderia irritar Rony até o ponto de ele esquecer de si mesmo e deixou escapar algo incriminador. -Qual é o problema Weasley? Pegou uma puritana que não é tudo o que você pensou que seria? Você está desperdiçando seu tempo, companheiro. Você sabe disso, não é? Esse é o problema com as meninas sem experiência. Você tem que colocar tanto tempo e esforço para isso e mesmo quando eles finalmente resolvem abrir as pernas para você, é um passeio sem brilho na melhor das hipóteses.


 


-Cala a boca sangrenta! Rony rugiu, seu rosto ficando todo vermelho, e não de vergonha, mas raiva. -Uma palavra mais sobre ela ... ele começou a dizer, mas conseguiu parar a tempo e encobrir seu erro. -Só mais uma palavra sobre ela e eu juro por Deus que você vai se arrepender.


 


-Você é tão previsível, Weasley, ele comentou.


 


-Como você, Harry emendou, da sua própria cama. -E já que você esta expedição de pesca pouco rendeu, vai fazer o favor de calar a boca de modo que o resto de nós possa dormir um pouco?


 


-está bem, Simas resmungou, enquanto engatinhava de volta para sua própria cama. -Mas eu não vejo por que vocês dois estão mantendo um segredo tão sangrento. Quero dizer, obviamente você não quer saber da Granger, porque ela vai percorrer todo tempo atrás de você e estragar todo o seu divertimento, mas não é como se eu fosse dizer a ela ou qualquer coisa.


 


-Não, você só vai contar todos os outros, Harry respondeu.


 


-Ao contrário do que se poderia pensar, eu sou realmente capaz de manter um segredo, Potter.


 


-Por quanto tempo? Harry perguntou, se erguendo. -Uma semana? Mas como ele mesmo disse, ele estava se perguntando por que Rony não tinha acabado confessado. Ele certamente teria fechado Simas para cima, porque nem mesmo ele foi estúpido o suficiente para falar sobre Hermione conscientemente assim em frente de qualquer um deles.


 


-Ah, chega! O jovem irlandês gemeu de trás de suas cortinas.


 


                                  ***


 


-Bem? Hermione disse, quando Harry se juntou a seus amigos na mesa da Grifinória para o almoço. -O que ela disse? ela perguntou, sabendo que ele tinha ficado para trás uma vez que sua lição de Defesa Contra as Artes das Trevas tinha terminado para que ele pudesse falar com Tonks sobre ela continuar seu treinamento de Oclumência. -Será que ela vai ajudá-lo? Você chegou a perguntar a ela, certo? acrescentou ela, quando ela notou olhar vazio de Harry. -É melhor não ter se acovardado, porque senão eu vou marchar até a sala dos professores, e quando ela chegar eu vou perguntar por mim mesma.


 


-Hermione, dê a ele a chance de tomar fôlego e uma chance de responder antes de começar a torcer sua calcinha. Rony suspirou. -Não se preocupe companheiro, disse ele a Harry, - Ela não vai realmente fazer isso.


 


-E o que faz pensar que eu estou usando calcinha? Hermione se inclinou para frente e sussurrou no ouvido de Rony.


 


O efeito sobre ele foi instantâneo. Não só as orelhas dele se encheram de cor quando ele jogou a cabeça para a esquerda para olhar para ela, mas o garfo que ele estava segurando caiu de sua mão e caiu com um barulho no centro do prato. -Você está falando sério? Rony sussurrou suavemente, sua refeição agora completamente esquecida.


 


-Não, admitiu Hermione com um sorriso: -Eu estava apenas tentando fazer um ponto. Você não deve fazer suposições.


 


-Inferno sangrento, Rony gemeu. -Você não deveria estar dizendo coisas desse tipo. E se Simas tivesse ouvido você? perguntou ele.


 


-Não deveria estar dizendo coisas como o quê? Gina perguntou casualmente, olhando para Harry, que encolheu os ombros, antes que ela se sentasse ao lado dele e olhasse através da mesa para seu irmão.


 


-Droga Gina- Rony respondeu, seus ouvidos se tornando ainda mais escuros. -Não tem amigos de sua idade para sentar-se com eles?


 


-RON! Hermione gritou, cavando o cotovelo em sua costela.


 


-OW! O quê? ele perguntou, torcendo-se em seu assento em uma tentativa de fugir dela. -Ela é a única metendo o nariz nos negócios de outras pessoas. Ela está muito próxima de ser tão ruim quanto o Finnigan.


 


-É mesmo? Gina respondeu calmamente. -E pensar que, eu vim aqui para avisá-lo.


 


-Avisar sobre o quê? Rony perguntou, seus olhos azuis profundos de estreitamento com suspeita.


 


-Sai fora, idiota, disse sua irmã, quando ela começou a carregar seu prato cheio de comida. -Como se eu fosse te dizer agora.


 


-Gina?


 


-Então, Harry, ela disse, ignorando propositadamente a tentativa de seu irmão para chamar sua atenção. -O que aconteceu com a Tonks?


 


-Um não, tanto assim, Harry respondeu, soando como se ele prefere não discutir o assunto.


 


-Você foi falar com ela, certo? Hermione pressionou-o.


 


-Er ... sim, admitiu.


 


-E? Hermione perguntou.


 


-E um não, respondeu ele com um suspiro pesado.


 


-Ela não sabe como fazê-lo? Rony perguntou, surpreso. -Mas eu pensei que eles treinavam Aurores como...


 


-Ela sabe, Harry interrompeu-o, mas aparentemente Oclumência não é fácil. É puramente defensivo e não produz qualquer efeito para a pessoa usá-lo, por isso é algo que todos os aurores são treinados.


 


-Então, qual é o problema? Rony questionou.


 


-O problema é que Legilimência é muito invasivo e de acordo com Tonks, há orientações do Ministério muito rígidas e que devem ser seguidas a fim de serem preparados. E, infelizmente, é preciso um Legilimens para treinar um Oclumente bem o suficiente para que ele possa mentir sem.. . Ah inferno, eu não me lembro do termo que ela usou, mas o que importa é que ela pode me ajudar com o básico em minha técnica e tudo. Ela disse que poderia até me mostrar como fazer alguns exercícios de relaxamento, mas eventualmente eu vou ter que treinar com um Legilimens se eu quiser atingir um nível onde eu possa olhar direto alguém nos olhos e mentir sem revelar nada.


 


-Então, mais cedo ou mais tarde você vai ter de falar com Snape? Hermione disse sem rodeios.


 


-Não necessariamente, Harry respondeu quase que instantaneamente. -Dumbledore é um Legilimens também. Eu estava esperando que se Tonks for me ajudar a começar de novo e eu fizer os exercícios de relaxamento e tudo, ele poderia estar disposto a treinar-me em seu lugar.


 


-Professor Dumbledore é horrivelmente ocupado, Harry, Hermione advertiu. -Ele tem um monte de responsabilidades para lidar agora e pode não ser capaz de ...


 


-E eu não? Harry disparou de volta, o ressentimento em sua voz, pegando Hermione completamente de surpresa.


 


-Tenho certeza de que não é o que ela quis dizer, Gina disse, suspeitando que Harry estava se referindo a profecia que pairava sobre sua cabeça, e que ele ainda não tinha dito aos seus amigos.


 


-Então você está indo trabalhar com Tonks? Rony perguntou com cautela.


 


-Só por um tempo, Harry respondeu, parecendo normal, mais uma vez. -Agora que vocês dois estão finalmente acabando com a sua detenção, ela disse que ia tentar arrumar algum tempo para mim, aos sábados.


 


-Bem, isso já é alguma coisa, não é? Rony perguntou. -Quero dizer, você já tinha algum direito de formação, um tipo de prioridade não acha?


 


-Sim, certo, Harry murmurou. Desde quando é que minha vida nunca foi tão fácil?


 


-Hermione, disse Gina, quando seu irmão e seu amigo se levantaram para deixar a mesa. -Eu tenho aula de Encantamentos no próximo tempo e eu não consigo obter o meu encanto Silenciando abaixo a direita. Eu estava pensando se você poderia talvez ter um minuto para eu te mostrar e você me mostrar o que estou fazendo de errado.


 


-Claro, respondeu ela, acenando para Rony e Harry irem sem ela. -Vou encontrá-los depois na classe.


 


-Mas temos aula de Poções agora! Rony objetou, desconfortável com a ideia de sua caminhada através de uma masmorra cheia de sonserinos sozinha, mas não querendo admiti-lo.


 


-Então? Hermione respondeu.


 


-Então você não pode se atrasar, respondeu ele, olhando para Malfoy que ainda estava sentado em sua própria mesa.


 


-Eu não vou chegar atrasada, ela assegurou-lhe. -Isso só vai levar um minuto. Mas, vá em frente se você está preocupado. Vou alcançá-lo.


 


-Você tem certeza? Harry perguntou, sabendo que Hermione não gostava de andar sozinha por lugares escuros ou isolados.


 


-Tudo bem, fiquem então. Vocês podem ajudar, na verdade. Qual de vocês quer ser voluntário? perguntou ela, atraindo a sua atenção sobre Gina.


 


-Para quê? Rony perguntou.


 


-Vamos, companheiro, Harry sussurrou em seu ouvido, quando ele agarrou Rony pelo braço e começou a arrastá-lo para longe. -Vamos, acrescentou ele, porque ele tinha uma ideia bastante boa do que Hermione estava prestes a sugerir.


 


-Mas eu preciso da presença d eum de vocês para Gina poder me mostrar o que ela está fazendo de errado.


 


-Você é débil mental? Rony perguntou, enquanto sua boca se abriu. -Nós não vamos servir de cobaias para a Gina testar feitiços que ainda não sabe em nós.


 


-Oh, deixe-os ir, Gina disse calmamente.


 


-Tudo bem então, Hermione suspirou, - Eu suponho que é melhor você começar por dizer-me o que acontece quando você tenta lançar o encantamento.


 


-Nada, respondeu Gina, enquanto observava seu irmão e Harry de pé.


 


-Absolutamente nada?


 


-Não, quero dizer nada de inesperado. Ele funciona muito bem, admitiu. -Eu estava apenas usando isso como uma desculpa para falar com você a sós por um minuto.


 


-Gina, disse Hermione, desaprovando.


 


-Rony disse o que Simas falou algo, certo? a jovem ruiva perguntou, antes de Hermione conseguir dizer mais alguma coisa.


 


-Claro que ele falou, afirmou. Rony tinha dito a ela tudo sobre a primeira coisa que Simas disse pela manhã e ele não tinha ficado nem um pouco feliz com isso. Principalmente porque seus companheiros de quarto apresentaram súbito interesse em sua vida amorosa, o que significava que ela não ia ser capaz de ficar com ele em seu quarto no fim de semana como tinham planejado. -Estou surpresa que ele tenha feito isso.


 


-Ele não o fez. Simas fez, admitiu Gina. -Bem, em um corredor. Quando estávamos saindo de Defesa Contra as Artes das Trevas antes, ele simplesmente ficou para trás e me perguntou se eu sabia quem Rony estava vendo, ela informou sua amiga. -Eu joguei mudo é claro, mas ele não acreditou. A coisa é que, quando ele me contou o que ouviu Harry e Rony discutem, bem ... Parvati estava perto o suficiente para ouvi-lo e, claro, ela contou à Lilá. Gina sussurrou. -Foi um acidente, ela insistiu. -Eu realmente não acho que ele quis dizer para qualquer uma delas ouvir, mas aconteceu e Lilá me perguntou se Rony tinha uma namorada.


 


-E o que você disse?


 


-Er... Bem, eu não sabia o que dizer, Gina admitiu calmamente. -Quero dizer, eu sei que você quer mantê-lo calmo e tudo, então eu realmente não disse nada, mas Simas falou. Ele... hum ... só disse que ela estava perdendo seu tempo tentando paquerar Rony, até porque nunca iria acontecer. Disse-lhe que se Rony, ele foi leal, apenas... hum ... eu não acho que isso teve o efeito desejado.


 


-O que quer dizer, com efeito desejado? Hermione perguntou, sua testa enrugada em confusão.


 


-Bem, algumas meninas adoram um desafio, não é? Gina perguntou retoricamente. -E, conhecendo Lilá, que derrete as bolas de neve no inferno, acho que ele pode ter inadvertidamente a motivado a fazer um outro jogo.


 


-Oh, pelo amor de céu, Hermione gritou em alta voz.


 


-Tenho certeza que Simas não quis que isso acontecesse, reiterou Gina. -Ele realmente estava tentando ajudar. Ele estava dizendo que ela teria que tirar de sua mente a ideia de ir atrás dele novamente, depois da maneira que ele a deixou para baixo da última vez que tentou quando eu deixei-os no corredor, mas a coisa é, eu acho que ela poderia ser estúpida o suficiente para experimentar e eu pensei que você deveria saber. Duvido que Simas diga a Rony. Eu com certeza não diria se fosse ele.


 


-É isso que você estava indo para avisá-lo sobre quando você sentou-se?


 


-Até que ele decidiu ser um imbecil, admitiu Gina. -Queria ajudá-lo e eu não queria que ele fosse pego de surpresa, mas eu definitivamente queria que você soubesse o que estava acontecendo, pois se refere a você também. Então ... er ... o que você vai fazer?


 


-Eu não sei, admitiu Hermione.


 


-Você vai dizer a Rony?


 


-Acho que vou ter que dizer, Hermione respondeu: - Só que eu não posso fazê-lo em sala de aula, e eu provavelmente deveria esperar até estarmos sozinhos. Definitivamente vou ter que esperar até que Simas não esteja por perto, ela murmurou para si mesma. Rony já estava com raiva por ele se meter em seus negócios e sem querer estragar seus planos, se ele descobrir isso, ele era susceptível de exagerar e ir atrás dele. Vou dizer-lhe mais tarde esta noite, e então eu vou ter que mantê-lo afastado a partir de amanhã de Simas, ela decidiu. –Gina. Obrigado.


 


-Se você quiser ajudar com qualquer negociação com Lilá... a ruiva flamejante respondeu com um brilho malicioso nos olhos , -é só me avisar. Eu ficaria muito feliz em ajudá-la.


 


-Isso não será necessário, respondeu Hermione, agarrando sua bolsa do chão para que ela pudesse se encaminhar para a aula de Poções, - mas obrigado.


 


‘Eu provavelmente deveria dizer primeiro ao Harry’, Hermione pensou consigo mesma, como sua última aula do dia terminou e ela deixou sua sala de aula Runas Antigas. ‘Talvez ele possa dar alguns conselhos sobre como proceder para dizer a Rony e se nada mais resolver, ele vai ser capaz de me ajudar a acalmá-lo. Além disso’, ela continuou em sua cabeça, enquanto fazia seu caminho de volta até a Torre da Grifinória sozinha, ‘ele vai precisar de algum tempo para descobrir como impedir Rony de ir atrás de Simas, na hora em que todos forem para a cama. Talvez eu devesse apenas esperar e contar amanhã ao Ron’, Hermione pensou. Posso dizer à Harry hoje à noite e, em seguida, nós podemos dizer a Ron amanhã e que lhe dará um dia inteiro para se acalmar. Que poderiam trabalhar, ela decidiu. A menos que ele queira começar uma briga, caso ele fale sobre o assunto durante todo o dia’, ela acrescentou com um suspiro. ‘Então, eu estou de volta onde eu comecei. O que preciso é falar com Harry em primeiro lugar e ver o que ele pensa’.


 


Infelizmente, no minuto em que o retrato da Mulher Gorda se abriu e Hermione passou por cima do limiar para a Sala Comunal, a conversa com Harry não era mais importante. Tudo aconteceu tão rápido que, mesmo após o fato, Hermione não tinha certeza de como ela o fez. Um segundo, ela estava olhando para Rony, que estava sentado em uma das cadeiras enormes junto à lareira, onde ele tinha tido obviamente um jogo de xadrez com Harry, e então seus olhos correram até Lilá Brown, que estava empoleirado no braço da cadeira de Rony.


O tempo pareceu parar. Hermione congelou na porta, sua mochila ainda pendurada no ombro, e reparou nos trajes da companheira de quarto, ou a falta de roupas, vendo como suas vestes, meias e gravata escola tinha sido descartada, deixando-a em uma saia que estava longe de ser comprida e uma camisa apertada, branca, com os botões soltos, que deixava muito pouco à imaginação. E como se isso não bastasse, os três primeiros botões da blusa estavam abertos, expondo o suficiente para ter atraído a atenção de todos os meninos na área imediata, todos estavam olhando para ela como uma manada de cervos capturados pelos faróis de um carro próximo.


 


‘ISSO MESMO’! Hermione pensou, no instante que Lilá se inclinou para frente, proporcionando uma vista perfeita para Rony por baixo de sua camisa, que ele aproveitou.


 


-Alguém já lhe disse o quão bonito é seu cabelo? a loira sensual perguntou e estendeu a mão correndo os dedos sobre os fios ruivos de Rony. -Do jeito que ela brilha à luz do fogo.


 


‘TIRE SUAS MÃOS SUJAS, SUA BARATA NOJENTA’! Hermione gritou em sua cabeça e mal as palavras se formaram em sua mente, Lilá fez exatamente isso, embora não por vontade própria.


 


No início, Hermione não notou a centelha de luz vermelha que criou vida onde os dedos de Lilá foram tocar Rony, e assim que ela fez, houve um clarão ofuscante e a jovem loira foi literalmente arremessada do outro lado da sala, enquanto todos os alunos se desligaram de suas mesas. Ela aterrissou com um baque forte, a vários metros de distância, no chão de pedra fria, olhando ainda mais atordoada do que todos os outros.


 


-LILÁ! Parvati chorou, quando pulou da cadeira e correu para sua amiga, que estava ofegante como se tivesse entrado uma forte rajada de vento pela janela.


 


-Que diabos? Simas pediu à ninguém em particular, quando pulou do sofá, seguido por Harry, Neville e Rony que estavam tão assustados quanto ele com o ataque inesperado.


 


-Ela está be ..., Harry começou a perguntar à Parvati, mas parou quando ele percebeu toda a cor escorrer para fora do rosto de Rony. -O que é isso? perguntou Rony , chicoteando sua varinha para fora, girando ao redor para ver o que tinha seu melhor amigo tão assustado, e, finalmente, pode perceber Hermione, que estava positivamente fervendo na porta. ‘Oh merda’, ele murmurou sob sua respiração.


 


-HERMIONE! Rony gritou de horror, antes de dizer a primeira coisa que me veio à cabeça. -Não é o que parece.


 


-NÃO É O QUE PARECE! ela gritou, deixando cair sua mochila no chão e avançando para o ruivo com um olhar que era tão ameaçador que todo mundo se afastou dela sem nem pensar. -Não é o que parece? ela retrucou, colocando as duas mãos nos quadris. -Parecia que você estava olhando para dentro da camisa dela, que é o que parecia ser, ela sussurrou.


 


-SANTO DEUS! Simas gritou bem alto, quando percebeu o que estava acontecendo. -Ele não... eles não são ... é ela? ele perguntou à Harry.


 


-Vá em frente, me diga que você não estava olhando, Hermione perguntou, ignorando completamente o fato de que todos na sala agora estavam olhando para ela. -Oh, cale a boca, gritou ela, no instante que Rony abriu a boca. -Basta sentar e calar a boca. Eu vou lidar com você em um minuto.


 


-ESTÃO SIM! Simas gritou triunfante.


 


-Estão o quê? Neville perguntou timidamente.


 


-Juntos, Simas respondeu.


 


-Huh?


 


-Ela é sua namorada, disse Simas para Neville, apontando o dedo para Hermione quando explicou o óbvio. –Era com ela que ele estava na noite passada.


 


-Meta o dedo em suas coisas, antes que eu o arranque fora, retrucou Hermione, enquanto empurrava Simas para o lado e começou a marchar em direção de Lilá e Parvati.


 


-Oooooh, uma briga! o jovem irlandês disse, emocionado, esfregando as mãos em antecipação.


 


-Você vai calar a boca, disse Harry. Simas bateu na parte de trás da cabeça quando ele perseguiu sua amiga de espessos cabelos, esperando poder alcançá-la antes que ela fizesse qualquer coisa de que pudesse se arrepender. -Hermione, espere.


 


-Fique fora disso, Harry. É entre mim e ela, Hermione advertiu, enquanto andava até suas duas companheiras de quarto.


 


-Como você se atreve? gritou Parvati, manobrando entre Hermione e sua melhor amiga.


 


-Eu? Eu não sou a única a tentar roubar o namorado de outra menina.


 


-Você não tinha que amaldiçoar ela! Parvati disparou de volta.


 


-Como eu poderia saber que vocês dois estavam juntos? Lilá disse defensivamente.


 


-Você deveria ter dito a nós, acrescentou Parvati.


 


-Eu já lhe disse que minha vida pessoal não é da sua conta. Você estava tão preocupada com essas histórias ridículas sobre mim e Harry, que nunca sequer considerou Rony como uma possibilidade.


 


-Por que você iria querer o Rony, se você pudesse ter o Harry? Parvati disse sem pensar.


 


Por um momento todos observavam Hermione escancarar a boca para as duas garotas em frente a ela numa descrença absoluta enquanto as palavras de Parvati atingiram- na, e então ela explodiu. -DESCULPE-ME ?, ela gritou à plenos pulmões, claramente ofendida em nome de seu namorado. –O que você quer dizer com isso?


 


-Não, não, Harry disse por trás de Hermione, envolvendo os braços em volta dos ombros da menina para impedi-la de lançar-se para frente. -Você é uma Monitora, lembre-se, acrescentou ele em voz baixa. -Você deveria dar o exemplo.


 


‘Vou dar um ótimo exemplo’ , Hermione pensou, torcendo seu ombro em uma tentativa de se libertar. -Vamos, ela sussurrou. -Eu estou bem.


 


-Tudo bem, disse Harry, soltando ela, mas ficando perto para o caso de ela mudar de ideia. -Você disse o que precisava ser dito, então por que não vamos embora e...


 


-Eu não terminei ainda, Hermione o cortou.


 


-Isso nunca teria acontecido se você tivesse me dito a verdade, insistiu Lilá. -Mas ao invés disso você apenas ficou omitindo e ... e você ouviu tudo o que disse e você nunca disse uma palavra. Nem uma palavra.


 


-Como se isso tivesse importância, Hermione disparou de volta. -Você sabia perfeitamente bem que ele estava saindo com alguém, e mesmo assim você ainda veio aqui vestida desse jeito e tentou seduzi-lo.


 


-Hermione, pare, Rony disse, vindo por trás dela e de Harry. -Não foi assim.


 


-Deixe-me adivinhar, ela estava sentada um pouco perto demais do fogo e começou a ficar quente? Hermione perguntou, revirando os olhos quando viu a verdade de sua declaração no rosto de Rony. -Eu não posso acreditar que você caiu num truque tão óbvio.


 


-Bem, é que estava meio quente lá, Rony disse fracamente.


 


-Você é um idiota, gritou Hermione, jogando os dois braços no ar, exasperada. -Mas ele é MEU idiota, ela retrucou, depois de se virar para olhar Lilá, uma vez mais, - De modo que você irá manter sua camisa e suas patas sujas longe dele. E você... disse ela, virando-se para Rony novamente.


 


-Você vai me matar agora?


 


-Não.


 


-Você não vai? Rony perguntou, sua voz lívida com a esperança. -Sério? acrescentou um pouco cético.


 


-Você quer ficar com a Lilá? Hermione perguntou sem rodeios.


 


-Claro que não, Rony respondeu em voz alta, sem sequer se preocupar em pensar nisso.


 


-Então é isso, disse Hermione, pegando sua mão e arrastando-o para longe das duas meninas, que ainda estavam discutindo.


 


-Droga, ela ouviu Simas murmurar quando ela levou Rony e Harry de volta para os seus lugares junto ao fogo. -Eu estava esperando ver alguma carnificina.


 


-Carnificina? Hermione bufou. Eu vou te mostrar carnificina. Foi por causa dele que Lilá soube que você tinha uma namorada, ela informou a Rony, apontando para Simas. -E então ele falou para ela ir atrás de você novamente.


 


-Eu não! Simass gritou indignado.


 


-Sim, foi você, ela rebateu. -Gina estava ali e ela me disse tudo o que aconteceu.


 


-Eu só estava tentando ajudar, disse Simas, dando um passo para trás quando viu o endurecer característico de Rony, e ele fechou uma carranca.


 


-Sério? Hermione respondeu. -E você também estava oferecendo ajuda quando ela chegou e começou a tirar as roupas?


 


-MALDIÇÃO! Gina gritou, e passou apressada pelo buraco do retrato e entrou na Sala Comunal, imediatamente observando como todos estavam agitados. -É verdade, não é? perguntou ela, fazendo uma varredura do espaço procurando Lilá ou Parvati, ambas as quais estavam faltando. -Você realmente mandou-a voando pela sala? ela perguntou à Hermione excitada. -Oh, por que você não podia ter esperado até que eu estivesse aqui para ver, ela gemeu. -Em vez disso eu tive que ouvir sobre isso de um par de alunos do segundo ano que você enviou correndo para as masmorras. Não posso acreditar que eu perdi.


 


-Bem, você chegou a tempo para a segunda rodada. Disse seu irmão com raiva.


 


-Onde Rony mata Simas, Harry adicionou, quando Gina olhou para ele fixamente.


 


-Quais são suas últimas palavras, Finnigan?


 


-Ah, ela disse a ele, então? Gina perguntou a Harry com um sorriso. -Excelente.


 


-Oh meu deus, Harry murmurou, pouco antes de ela começar a rir. ‘Como pude levar tanto tempo para perceber’? ele se perguntou. ‘Ela tem um pendor para traquinagem, assim como os gêmeos’.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.