FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. O servo de Lord Voldemort


Fic: Marotos Lendo Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

– O servo de Lord Voldemort

– Levando em conta que todo mundo já sabe que eu não sou servo de ninguém, – Sirius disse com um meio sorriso sarcástico para Alice – Creio que esse capítulo esteja se referindo a Pedro.

– Ou não. – Tiago disse levantando as sobrancelhas para Snape insinuante.

Hermione gritou. Black se levantou de um salto. Harry teve a sensação de que levara um tremendo choque elétrico.
— Encontrei isso ao pé do Salgueiro Lutador — disse Snape, atirando a capa para o lado, mas tendo o cuidado de manter a varinha apontada diretamente para o peito de Lupin.
— Muito útil, Potter, obrigado...
Snape estava ligeiramente sem fôlego, mas o rosto expressava contido triunfo.
— Vocês talvez estejam se perguntando como foi que eu soube que estavam aqui? — disse com os olhos brilhantes. Acabei de passar por sua sala, Lupin. Você esqueceu de tomar sua poção hoje à noite, então resolvi lhe levar um cálice. E foi uma sorte... Sorte para mim, quero dizer. Encontrei em cima de sua mesa um certo mapa. Bastou uma olhada para me dizer tudo que eu precisava saber. Vi você correr por essa passagem e desaparecer de vista.

– Além de tudo ele ainda usou meu mapa! – Tiago disse entredentes.

– Tiago, no momento eu acredito que você tenha focado no problema errado. – Remo disse receoso – Eu não tomei a poção, e está escurecendo…
– Você quer dizer… – Sirius encarou Harry, Rony e Hermione como se procurasse por sinais de licantropia – Você se transformou essa noite… E sem a poção você ficou perigoso…
– Você estava lá Sirius. – Tiago disse tentando se acalmar – Você consegue controlar Remo…
– Não sozinho. – Remo disse baixando o olhos desesperado – Se eu fizer alguma coisa, com algum de vocês, eu não vou suportar…
– Você não vai fazer nada. – Tiago disse categórico – Você nunca machucou ninguém, e não vai ser dessa vez que vai machucar, eu não vou deixar.
– Você não vai estar lá! – Remo gritou nervoso – Pela primeira vez, você não vai estar lá para ajudar Sirius a me segurar…
– Eu nunca vou abandonar você Remo. – Tiago disse trincando os dentes – Eu não sei como, mas sei que nunca vou abandonar nenhum de vocês…
Severo revirou os olhos.

— Severo... — começou Lupin, mas Snape atropelou-o.
— Eu disse ao diretor várias vezes que você estava ajudando o seu velho amigo Black a entrar no castelo, Lupin, e aqui tenho a prova. Nem mesmo eu poderia sonhar que você teria o topete de usar este lugar antigo como esconderijo...
— Severo, você está cometendo um engano — disse Lupin com urgência na voz. — Você não sabe de tudo, posso explicar, Sirius não está aqui para matar Harry...
— Mais dois para Azkaban esta noite — disse Snape, os olhos brilhando de fanatismo. — Vou ficar curioso para saber como que Dumbledore vai encarar isso... Ele estava convencido de que você era inofensivo, sabe, Lupin... Um Lobisomem manso...

– Babaca! – Tiago disse entredentes – Eu sempre soube que você não prestava.

– Se eu pudesse… – Sirius disse tremendo de raiva – O Ranhoso mereceu tudo que ele conseguiu na vida dele, ele merece ser um mal-acabado, mal-amado… Que nunca vai entender o que significa ter amigos.
– Só espero que vocês dois não acabem em Azkaban. – Tiago murmurou temeroso.

— Seu tolo — disse Lupin com brandura. — Será que um ressentimento de criança é suficiente para mandar um homem inocente de volta a Azkaban?

– É claro que para ele é motivo suficiente… – Sirius rosnou para Snape – Ele desconta a raivinha infantil dele em crianças que não tem culpa alguma! Ele maltrata Harry só por ser seu filho!


BANGUE!
Cordas finas que lembravam cobras jorraram da ponta da varinha de Snape e se enrolaram em torno da boca de Lupin, dos seus punhos e tornozelos;
Ele perdeu o equilíbrio e caiu no chão, incapaz de se mexer. Com um rugido de cólera, Black avançou para Snape, mas este apontou a varinha entre os olhos de Black.
— É só me dar um motivo — sussurrou o professor. — É só me dar um motivo, e juro que faço.

– Esperou vinte anos para a sua vingancinha de colégio… – Sirius revirou os olhos em desprezo – Pois eu aposto que você não me mata.


Black se imobilizou. Teria sido impossível dizer qual dos dois rostos revelava mais ódio.
Harry continuou ali, paralisado, sem saber o que fazer ou em quem acreditar. Olhou para Rony e Hermione. Seu amigo parecia tão confuso quanto ele e ainda tentava segurar um Perebas rebelde. Hermione, porém, adiantou-se, hesitante, para Snape e disse, respirando com dificuldade:
— Professor... Não faria mal ouvirmos o que eles têm a dizer, f... faria?
— Senhorita Granger, a senhorita já vai enfrentar uma suspensão — bufou Snape. — A senhorita, Potter e Weasley estão fora dos limites da escola em companhia de um criminoso sentenciado e de um Lobisomem, pelo menos uma vez na sua vida, cale a boca.

– Se isso não te disse em quem você deve confiar… Não sei o que diria. – Sirius disse irônico.

– Você é realmente um babaca de marca maior. – Lily encarou Snape decepcionada – Como você pode falar com uma aluna desse jeito.
– Fica pior… – Rony murmurou apenas para Hermione ouvir, mas todos os presentes escutaram.

— Mas se... Se houve um engano...
— FIQUE QUIETA, SUA BURRINHA! — berrou Snape, parecendo de repente muito perturbado. — NÃO FALE DO QUE NÃO ENTENDE! — Saíram algumas fagulhas da ponta de sua varinha, que continuava apontada para o rosto de Black. Hermione se calou. — A vingança é muito doce — sussurrou Snape para Black. — Como desejei ter o privilégio de apanhá-lo...

– Você é desprezível. – Frank disse e Alice concordou enfaticamente ainda sem poder falar.

– É como eu falei. – Sirius sorriu para Snape com nojo – Apenas uma vingança adolescente.

— Você é que vai fazer papel de tolo outra vez, Severo — rosnou Black. — Se esse garoto levar o rato dele até o castelo — e indicou Rony com a cabeça... — Eu vou sem criar caso...
— Até o castelo? — retrucou Snape, com voz insinuante. — Acho que não precisamos ir tão longe. Basta eu chamar os dementadores quando sairmos do salgueiro. Eles vão ficar muito satisfeitos em vê-lo, Black... Satisfeitos o suficiente para lhe dar um beijinho, eu me arriscaria a dizer...

– O pior de tudo, – Lily resmungou com desgosto – é que sei que você faria isso, sei que você faria isso hoje mesmo se estivesse em uma posição de poder.

– Ou em superioridade numérica. – Tiago completou – Ele adoraria nos atacar aqui e agora, mas sabe muito bem que nunca poderia atacar a todos nós ao mesmo tempo e sair inteiro.

A pouca cor que havia no rosto de Black desapareceu.
— Você... Você tem que ouvir o que tenho a dizer — disse ele, rouco. — O rato... Olhe aquele rato...
Mas havia um brilho alucinado nos olhos de Snape que Harry nunca vira antes. O professor parecia incapaz de ouvir.

– Ele é alucinado. – Tiago disse com desdém – Sempre foi. Ele é o tipo de pessoa que acha que, se ele conseguir ser um comensal da morte, ele vai ser alguém importante nessa vidinha medíocre.


— Vamos, todos. — Snape estalou os dedos e as pontas das cordas que amarravam Lupin voaram para suas mãos. — Eu puxo o Lobisomem. Talvez os dementadores tenham um beijo para ele também...
Antes que se desse conta do que estava fazendo, Harry atravessou o quarto em três passadas e bloqueou a porta.
— Saia da frente, Potter, você já está suficientemente encrencado — rosnou Snape. — Se eu não estivesse aqui para salvar sua pele…

– Espero que agora você perceba em quem você deve confiar. – Remo disse com um suspiro triste – Se eu quisesse te matar, já teria te matado antes.


— O Profº. Lupin poderia ter me matado cem vezes este ano — disse Harry. — Estive sozinho com ele montes de vezes, tomando aulas de defesa contra dementadores. Se ele estava ajudando Black, por que não me liquidou logo?
— Não me peça para imaginar como funciona a cabeça de um Lobisomem — sibilou Snape. — Saia da frente, Potter.
— O SENHOR É PATÉTICO! — berrou Harry. — SÓ PORQUE ELES FIZERAM O SENHOR DE BOBO NA ESCOLA, O SENHOR NÃO QUER NEM ESCUTAR...

– Agora eu estou sinceramente orgulhoso! – Sirius exclamou satisfeito levantando-se para apertar a mão de Harry.

– Todos estamos. – Tiago concordou com Sirius enfaticamente – Só espero que você não permita que Sirius seja mandado de volta para Azkaban…

— SILÊNCIO! NÃO ADMITO QUE FALEM ASSIM COMIGO! — gritou Snape, parecendo mais louco que nunca. — Tal pai, tal filho, Potter! Acabei de salvar seu pescoço; você devia me agradecer de joelhos! Teria sido bem feito se Black o tivesse matado! Você teria morrido como seu pai, arrogante demais para acreditar que poderia ter se enganado com um amigo... Agora saia da frente, ou eu vou fazer você sair. SAIA DA FRENTE, POTTER!

– Lembre-se, Ranhoso, – Tiago disse entredentes – se eu sobreviver a tudo isso, você nunca vai se aproximar da minha família.

– Eu espero que Harry reaja. – Sirius disse encarando Snape com verdadeiro ódio – Não, eu espero que Hermione reaja!

Harry se decidiu em uma fração de segundo. Antes que Snape pudesse sequer dar um passo em sua direção, o garoto ergueu a varinha.
— Expelliarmus — berrou, só que sua voz não foi a única a gritar. Houve uma explosão que fez a porta sacudir nas dobradiças; Snape foi levantado e atirado contra a parede, depois escorregou por ela até o chão, um filete de sangue escorrendo por baixo dos cabelos. Fora nocauteado.
Harry olhou para os lados. Rony e Hermione também tinham tentado desarmar Snape exatamente no mesmo instante. A varinha do professor voou no ar descrevendo um arco e caiu em cima da cama, ao lado de Bichento.

– Vocês nocautearam esse mal-amado! – Sirius comemorou com uma grande gargalhada semelhante a um latido.

– Espero que isso signifique que vocês acreditam no Sirius. – Tiago disse feliz.
– Pode ser que eles prefiram morrer pelas minhas mãos a passar mais alguns segundos na presença desse ser baixo e desagradável… – Sirius deu de ombros – Eu preferiria.

— Você não devia ter feito isso — censurou Black olhando para Harry. — Devia tê-lo deixado comigo...

– É claro. – Remo disse às gargalhadas – Você com certeza era mais do que capaz de derrotar o Seboso, mesmo desarmado.

– Claro que sim. – Sirius levantou as sobrancelhas convencido – Eu sempre fui. Se eu consigo fugir de Azkaban e passar meses enganando o ministério e fugindo de dementadores, você realmente acha que eu seria derrotado por esse projeto de bruxo das trevas?
– Ou você poderia ter dito apenas obrigado. – Rony deu de ombros rindo.
–  Obrigado. – Sirius disse tirando um chapéu imaginário para Harry, Rony e Hermione.

Harry evitou o olhar de Black. Não tinha certeza, mesmo agora, de que agira certo.
— Atacamos um professor... Atacamos um professor... — choramingou Hermione, olhando assustada para o inconsciente Snape. — Ah, vamos nos meter numa confusão tão grande...
Lupin lutava para se livrar das cordas. Black se abaixou depressa e o desamarrou. O professor se ergueu, esfregando os braços onde as cordas o tinham machucado.
— Obrigado, Harry — agradeceu.

– Isso é uma reação digna. – Remo disse implicando com Sirius.


— Não estou dizendo com isso que já acredito no senhor — disse o garoto.

– Mas está dizendo que está disposto a ouvir, – Tiago disse olhando para Harry com carinho – E isso é mais do que o bastante.


— Então está na hora de lhe apresentarmos alguma prova. Você, garoto... Me dê o Pedro, por favor. Agora.
Rony apertou Perebas mais junto ao peito.
— Nem vem — disse o garoto com a voz fraca. — O senhor está tentando dizer que Black fugiu de Azkahan só para pôr as mãos em Perebas? Quero dizer... — e olhou para Harry e Hermione à procura de apoio —, tudo bem, vamos dizer que Pettigrew pudesse se transformar em rato, há milhões de ratos, como é que Black vai saber qual é o que está procurando se estava trancafiado em Azkaban?
— Sabe, Sirius, a pergunta é justa — disse Lupin, virando-se para Black com a testa ligeiramente franzida. — Como foi que você descobriu onde estava o rato?

– A foto de Rony no profeta diário. – Sirius disse – O Fudge me deu um jornal enquanto eu estava em Azkaban, e depois disso eu fugi, só pode ter sido isso.


Black enfiou uma das mãos, que lembravam garras, dentro das vestes e tirou um pedaço de papel amassado, que ele alisou e mostrou aos outros.
Era a foto de Rony com a família, que aparecera no Profeta Diário no último verão, e ali, no ombro de Rony, estava Perebas.
— Onde foi que você arranjou isso? — perguntou Lupin a Black, perplexo.
— Fudge — disse Black. — Quando ele foi inspecionar Azkaban no ano passado, me cedeu o jornal que levava. E lá estava Pedro, na primeira página... no ombro desse garoto... Reconheci-o na mesma hora... Quantas vezes o vi se transformar? — a legenda dizia que o menino ia voltar para Hogwarts... Onde Harry estava...
— Meu Deus — exclamou Lupin baixinho, olhando de Perebas para a foto no jornal e de volta ao rato. — A pata dianteira...
— Que é que tem a pata? — disse Rony em tom de desafio.
— Tem um dedinho faltando — afirmou Black.
— Claro — murmurou Lupin. — Tão simples... Tão genial... Ele mesmo o cortou?
— Pouco antes de se transformar — confirmou Black. — Quando eu o encurralei, ele gritou para a rua inteira que eu havia traído Lílian e Tiago. Então, antes que eu pudesse lhe lançar um feitiço, ele explodiu a rua com a varinha escondida às costas, matou todo mundo em um raio de seis metros, e fugiu para dentro do bueiro com os outros ratos...

– Nunca imaginei que Pedro pudesse fazer isso. – Tiago disse colocando a mão na testa desolado – Snape estava certo afinal.

– O que quer dizer com isso? – Sirius perguntou franzindo a testa para Tiago.
– Ele disse, que eu sou arrogante demais para acreditar que eu poderia ser enganado por um amigo… – Tiago murmurou – E ele estava certo, eu sou arrogante demais. Eu devia ter imaginado que Pedro me trairia. Eu devia ter confiado em Sirius.
– Você não tinha como imaginar. – Lily disse com doçura – Isso só mostra como você é uma pessoa boa… Você apenas acredita nas pessoas, e isso é uma coisa boa, não é uma coisa ruim.
– Mas nem todos são confiáveis. – Tiago disse com um suspiro pesado – E eu já devia ter aprendido isso.
– Agora você já sabe. – Sirius disse para acalmar Tiago – Quando isso acontecer você não vai cometer o mesmo erro, não vai confiar na pessoa errada.
– Só isso já vale nossa vinda. – Harry murmurou feliz.

— Você já ouviu falar, não Rony? — perguntou Lupin. — O maior pedaço do corpo de Pedro que acharam foi o dedo.
— Olha aqui, Perebas com certeza brigou com outro rato ou coisa parecida! Ele está na minha família há séculos, certo...
— Doze anos, para sermos exatos — disse Lupin. — Você nunca estranhou que ele tenha vivido tantos anos?
— Nós... Nós cuidamos bem dele!
— Mas ele não está com um aspecto muito saudável no momento, não é? — comentou Lupin. — Imagino que esteja perdendo peso desde que ouviu falar que Sirius fugiu...
— Ele tem andado apavorado com aquele gato maluco! — justificou Rony, indicando com a cabeça Bichento, que continuava a ronronar na cama.

– Mas Perebas já estava doente antes… – Frank disse pensativo – Mione comprou o Bichento no dia que Rony foi à loja de animais procurar um tônico… E na época ele disse que o rato estava doente desde que voltaram do Egito.

– Agora não sei se você está simplesmente mentindo ou se está desesperado para que tudo seja mentira… – Sirius disse encarando Rony com pena.
– Ele estava desesperado. – Tiago disse – Eu o compreendo, quando descobri sobre Pedro também senti esse desespero, gostaria que fosse tudo mentira…

Mas isso não era verdade, ocorreu a Harry de repente... Perebas já estava com cara de doente antes de conhecer Bichento... Desde que Rony voltara do Egito... Desde que Black escapara...
— O gato não é maluco — disse Black, rouco. Ele estendeu a mão ossuda e acariciou a cabeça peluda de Bichento. — É o gato mais inteligente que já encontrei. Reconheceu na mesma hora o que Pedro era. E quando me encontrou, percebeu que eu não era cachorro. Levou um tempinho para confiar em mim. No fim eu consegui comunicar a ele o que estava procurando e ele tem me ajudado...
— Como assim? — murmurou Hermione.
— Ele tentou trazer Pedro a mim, mas não pôde... Então roubou para mim as senhas de acesso à Torre da Grifinória... Pelo que entendi, ele as tirou da mesa-de-cabeceira de um garoto...

– Tem uma coisa que eu não entendo. – Neville disse de repente – Você diz que consegue se comunicar com Bichento, então animagos conseguem se comunicar com animais quando estão transformados? Ou é por que ele é metade Amasso?

– Nós temos facilidade de nos comunicar com animais… – Tiago deu de ombros – Mas não do jeito que Sirius está dizendo, a ponto de saber detalhes.
– Acho que isso se deve à metade Amasso dele… – Sirius cogitou – Amassos são extremamente inteligentes e perceptivos.

O cérebro de Harry parecia estar fraquejando sob o peso do que ouvia. Era absurdo... Contudo...
— Mas Pedro soube o que estava acontecendo e se mandou... — falou Black. — Este gato... Bichento, foi o nome que lhe deu?... Me disse que Pedro tinha sujado os lençóis de sangue... Suponho que tenha se mordido... Ora, fingir-se de morto já tinha dado certo uma vez...
Essas palavras sacudiram o torpor mental de Harry.
— E sabe por que é que ele se fingiu de morto? — perguntou o garoto impetuosamente. — Porque sabia que você ia matar ele como tinha matado os meus pais!

– Me desculpe, Harry, mas você está sendo extremamente lento. – Tiago disse olhando para o filho com preocupação – Se ele estivesse fugindo de Sirius, ele teria se revelado quando Sirius foi preso, não ficaria escondido se fingindo de bicho de estimação de crianças.

– Isso é realmente bizarro. – Sirius disse pensativo – Imagino que tipo de coisa ele presenciou…
– Podemos, por favor, não falar sobre isso? – Rony perguntou corando furiosamente.

— Não — disse Lupin. — Harry...
— E agora você veio acabar com ele!
— É verdade, vim — disse Black, lançando um olhar maligno a Perebas.
— Então eu devia ter deixado Snape levar você! — gritou Harry.
— Harry — disse Lupin depressa —, você não está vendo? Todo este tempo pensamos que Sirius tinha traído seus pais e que Pedro o perseguira... Mas foi o contrário, você não está vendo? Pedro traiu sua mãe e seu pai... Sirius perseguiu Pedro...
— NÃO É VERDADE! — berrou Harry. — ELE ERA O FIEL DO SEGREDO DELES! ELE DISSE ISSO ANTES DO SENHOR APARECER. ELE CONFESSOU QUE MATOU MEUS PAIS!
O garoto apontava para Black, que sacudia a cabeça devagarinho; de repente seus olhos fundos ficaram excessivamente brilhantes.
— Harry... Foi o mesmo que ter matado — disse, rouco. — Convenci Lílian e Tiago a entregarem o segredo a Pedro no último instante, convenci-os a usar Pedro como fiel do segredo, em vez de mim... A culpa é minha, eu sei... Na noite em que eles morreram, eu tinha combinado de procurar Pedro para verificar se ele continuava bem, mas quando cheguei ao esconderijo ele não estava. Mas não havia sinais de luta. Achei estranho. Fiquei apavorado. Corri na mesma hora direto para a casa dos seus pais. E quando vi a casa destruída e os corpos deles... Percebi o que Pedro devia ter feito. O que eu tinha feito.
A voz dele se partiu. Ele virou as costas.

– A culpa é minha. – os olhos de Sirius se encheram de lágrimas imediatamente – Eu nunca devia ter deixado vocês usarem Pedro como o fiel do segredo, eu não devia ter sugerido isso, não foi você quem confiou na pessoa errada, fui eu! – Sirius colocou a cabeça entre os braços e começou a soluçar furiosamente.

– A culpa não é sua. – Tiago disse indo até Sirius e pousando a mão em suas costas – Você não me obrigou a fazer nada. Eu devo ter achado uma boa ideia… Não era responsabilidade sua…
– Mas fui eu! – Sirius gritou – Foi tudo culpa minha.
– Não foi. – Tiago disse enfático – E acho melhor você parar de se culpar, pelo visto todos nós temos uma parcela de culpa pelo que aconteceu no final.
– Eu juro, – Sirius disse levantando a cabeça e encarrando seu melhor amigo – que nunca vou permitir que você morra, que nunca vou permitir que você seja traído por um de seus amigos.
– E eu nunca vou deixar você acabar em Azkaban. – Remo disse dando tapinhas nas costas do amigo.
– E eu jamais deixarei que as pessoas te menosprezem por causa da sua licantropia. – Tiago concluiu sorrindo para Remo e voltando para seu lugar.

— Basta — disse Lupin, e havia um tom inflexível em sua voz que Harry nunca ouvira antes. — Tem uma maneira de provar o que realmente aconteceu. Rony, me dê esse rato.
— Que é que o senhor vai fazer com ele se eu der? — perguntou Rony, tenso.
— Obrigá-lo a se revelar — disse Lupin. — Se ele for realmente um rato, não se machucará.
Rony hesitou. Então, finalmente estendeu a mão e entregou Perebas a Lupin. O rato começou a guinchar sem parar, se contorcendo, os olhinhos negros saltando das órbitas.
— Está pronto, Sirius? — perguntou Lupin.
Black já apanhara a varinha de Snape na cama. Aproximou-se de Lupin e do rato que se debatia e seus olhos úmidos pareceram, de repente, arder em seu rosto.
— Juntos? — perguntou em voz baixa.
— Acho melhor — confirmou Lupin, segurando Perebas apertado em uma das mãos e a varinha na outra. — Quando eu contar três. UM... DOIS... TRÊS!
Lampejos branco-azulados irromperam das duas varinhas; por um instante, Perebas parou no ar, o corpinho cinzento revirando-se alucinadamente, Rony berrou, o rato caiu e bateu no chão. Seguiu-se novo lampejo ofuscante e então...
Foi como assistir a um filme de uma árvore em crescimento. Surgiu uma cabeça no chão; brotaram membros; um momento depois havia um homem onde antes estivera Perebas, apertando e torcendo as mãos. Bichento bufava e rosnava na cama; os pelos das costas eriçados.

– Bichento é melhor julgador de caráter do que qualquer um de nós. – Tiago murmurou cansado.


Era um homem muito baixo, quase do tamanho de Harry e Hermione.
Seus cabelos finos e descoloridos estavam malcuidados e o cocuruto da cabeça era careca.
Tinha o aspecto flácido de um homem gorducho que perdera muito peso em pouco tempo. A pele estava enrugada, quase como a pelagem do Perebas, e havia um ar ratinheiro em volta do seu nariz fino e dos olhos muito miúdos e lacrimosos. Ele olhou para os presentes, um a um, respirando raso e depressa. Harry viu seus olhos correrem para a porta e voltarem.
— Ora, ora, olá, Pedro — saudou-o Lupin educadamente, como se fosse freqüente ratos virarem velhos colegas de escola à sua volta.
— Há quanto tempo!
— S... Sirius R... Remo. — Até a voz de Pettigrew lembrava um guincho. Novamente seus olhos correram para a porta. — Meus amigos... Meus velhos amigos...

– Hipócrita. – Sirius rosnou.

– A voz dele devia soar como guinchos por estar a 12 anos em sua forma animaga, deve estar mais acostumado a viver como rato do que como gente. – Remo murmurou irritado.
– Nós já deviamos saber… – Tiago bufou novamente – O rato é o simbolo da traição… É como se a forma animaga dele sempre estivesse nos avisando que ele não era confiável.

A varinha de Black se ergueu, mas Lupin agarrou-o pelo pulso, lançando-lhe um olhar de censura, depois tornou a se virar para Pettigrew, com a voz leve e displicente.
— Estávamos tendo uma conversinha, Pedro, sobre os acontecimentos da noite em que Lílian e Tiago morreram. Você talvez tenha perdido os detalhes enquanto guinchava na cama...
— Remo — ofegou Pettigrew, e Harry observou que se formavam gotas de suor em seu rosto lívido —, você não acredita nele, acredita...? Ele tentou me matar, Remo...
— Foi o que ouvimos dizer — respondeu Lupin, mais friamente. — Eu gostaria de esclarecer algumas coisas com você, Pedro, se você quiser ter...
— Ele veio tentar me matar outra vez! — guinchou Pettigrew de repente, apontando para Black, e Harry percebeu que o homem usara o dedo médio, porque lhe faltava o indicador. — Ele matou Lílian e Tiago e agora vai me matar também... Você tem que me ajudar, Remo...

– Como esse rato miserável ousa falar de Tiago e Lily! – Sirius rosnou segurando-se com força no sofá, tentando se controlar.

– Eu não acredito! – Remo estava lívido – Eu simplesmente não consigo acreditar que ele ainda ouse se fingir de inocente! Com quem ele pensa que está falando?

O rosto de Black parecia mais caveiroso que nunca ao fixar os olhos fundos em Pettigrew.
— Ninguém vai tentar matá-lo até resolvermos umas coisas — disse Lupin.
— Resolvermos umas coisas? — guinchou Pettigrew, mais uma vez olhando desesperado para os lados, registrando as janelas pregadas e, mais uma vez, a única porta. — Eu sabia que ele viria atrás de mim! Sabia que ele voltaria para me pegar! Estou esperando isso há doze anos!
— Você sabia que Sirius ia fugir de Azkaban? — perguntou Lupin, com a testa franzida. — Sabendo que ninguém jamais fez isso antes?
— Ele tem poderes das trevas com os quais a gente só consegue sonhar! — gritou Pettigrew com voz aguda. — De que outro jeito fugiria de lá? Suponho que Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado tenha lhe ensinado alguns truques!

– É claro! – Sirius bufou – Por que todos os outros servos de Voldemort que estão em Azkaban não usam esses truques para fugir de lá também? – completou extremamente irônico.


Black começou a rir, uma risada horrível, sem alegria, que encheu o quarto todo.
— Voldemort me ensinou alguns truques?
Pettigrew se encolheu como se Black tivesse brandido um chicote contra ele.
— Que foi, se apavorou de ouvir o nome do seu velho mestre? — perguntou Black. — Não o culpo, Pedro. O pessoal dele não anda muito satisfeito com você, não é mesmo?
— Não sei o que você quer dizer com isso, Sirius... — murmurou Pettigrew, respirando mais rapidamente que nunca. Todo o seu rosto brilhava de suor agora.
— Você não andou se escondendo de mim esses doze anos. Andou se escondendo dos seguidores de Voldemort. Eu soube de umas coisas em Azkaban, Pedro... Todos pensam que você está morto ou já o teriam chamado a prestar contas... Ouvi-os gritar todo o tipo de coisa durante o sono. Parece que acham que o traidor os traiu também. Voldemort foi à casa dos Potter confiando em uma informação sua... E Voldemort perdeu o poder lá. E nem todos os seguidores dele foram parar em Azkaban, não é mesmo? Ainda há muitos por aí, esperando a hora, fingindo que reconheceram seus erros... Se chegarem, a saber, que você continua vivo, Pedro...

– É claro… – Tiago bufou – Todos achavam que Sirius era o fiel do segredo, então se Pedro simplesmente aparecesse dizendo que se escondeu quando Sirius tentou matá-lo ele seria considerado um herói… Mas os seguidores de Voldemort, os verdadeiros comensais da morte, eles sabiam a verdade, eles sabiam que Sirius não era um deles…


— Não sei... Do que está falando... — respondeu Pettigrew, mais esganiçado que nunca. Ele enxugou o rosto na manga e ergueu os olhos para Lupin. — Você não acredita nessa... Nessa loucura, Remo...
— Devo admitir, Pedro, que acho difícil compreender por que um homem inocente iria querer passar doze anos sob a forma de um rato.
— Inocente, mas apavorado! — guinchou Pettigrew. — Se os seguidores de Voldemort estivessem atrás de mim, seria porque mandei um dos seus melhores homens para Azkaban, o espião, Sirius Black!
O rosto de Black se contorceu.
— Como é que você se atreve? — rosnou ele, parecendo de repente o cachorro do tamanho de um urso que ele fora há pouco.
— Eu, espião do Voldemort? Quando foi que andei espreitando gente mais forte e mais poderosa do que eu? Agora você, Pedro, jamais vou entender por que não reparei desde o começo que você era o espião; você sempre gostou de amigos grandalhões que o protegessem, não é mesmo? Você costumava nos acompanhar... A mim e ao Remo... E ao Tiago...

– Tão óbvio! – Sirius bateu na própria testa – Tudo tão óbvio! O rato sempre gostou de viver à sombra de qualquer um mais forte que ele. Na escola eramos nós. Fora da escola ele podia arranjar protetores melhores.


Pettigrew tornou a enxugar o rosto; estava quase ofegando, sem ar.
— Eu, espião... Você deve ter perdido o juízo... Nunca... Não sei como pode dizer uma...
— Lílian e Tiago só fizeram de você o fiel do segredo porque eu sugeri — sibilou Black, tão venenosamente que Pettigrew deu um passo atrás. — Achei que era o plano perfeito... Um blefe... Voldemort com certeza viria atrás de mim, jamais sonharia que os dois usariam um sujeito fraco e sem talento como você... Deve ter sido a hora mais sublime de sua vida infeliz quando você contou a Voldemort que podia lhe entregar os Potter.
Pettigrew resmungava, perturbado; Harry entreouvia palavras como "extravagante" e "demência", mas não conseguia deixar de prestar mais atenção à palidez do rosto de Pettigrew e ao jeito com que seus olhos continuavam a correr para as janelas e a porta.
— Profº. Lupin — disse Hermione timidamente. — Posso... Posso dizer uma coisa?
— Claro, Hermione — disse Lupin cortesmente.
— Bem... Perebas... Quero dizer, esse... Esse homem... Ele dormiu no quarto de Harry durante três anos. Se está trabalhando para Você-Sabe-Quem, como é que ele nunca tentou fazer mal a Harry antes?

– Para que? – Sirius perguntou encolhendo os olhos – Por quê ele iria se arriscar matando Harry por um mestre morto? Por que ele faria algo que não fosse gerar uma recompensa?

– Não faria. – Tiago disse em tom de desprezo – Nunca fez, sempre esperava algo em troca, por cada coisinha que fazia.
– E sempre queria crédito por coisas que nem ao menos fez. – Remo suspirou.

— Taí! — exclamou Pettigrew com voz esganiçada, apontando para Hermione a mão mutilada. — Muito obrigado! Está vendo, Remo? Nunca toquei em um fio de cabelo de Harry! Por que iria fazer isso?
— Vou lhe dizer o porquê — falou Black. — Porque você nunca fez nada, nem a ninguém nem para ninguém, sem saber o que poderia ganhar com isso. Voldemort está foragido há doze anos, dizem que está semimorto. Você não ia matar bem debaixo do nariz de Alvo Dumbledore, por causa de um bruxo moribundo que perdeu todo o poder, ia? Não, você ia querer ter certeza de que ele era o valentão do colégio antes de voltar para o lado dele, não ia? Por que outra razão você procurou uma família de bruxos para o acolher? Para ficar de ouvido atento às novidades, não é mesmo, Pedro? Caso o seu velho protetor recuperasse a antiga força e fosse seguro se juntar a ele...

– E então, Pedro estaria ali, pronto para agir e receber todas as glórias, no momento em que ouvisse que Voldemort voltou. – Tiago disse com nojo.


Pettigrew abriu a boca e tornou a fechá-la várias vezes. Parecia ter perdido a capacidade de falar.
— Hum... Sr. Black... Sirius? — disse Hermione.
Black se assustou ao ouvir alguém tratá-lo assim, com tanta polidez, e encarou Hermione como se nunca tivesse visto nada parecido.
— Se o senhor não se importar que eu pergunte, como... Como foi que o senhor fugiu de Azkaban, se não usou artes das trevas?
— Muito obrigado — exclamou Pettigrew, acenando freneticamente com a cabeça na direção da garota. — Exatamente! Precisamente o que eu...

– Esse idiota acha que Hermione está tentando defendê-lo. – Sirius bufou – Mas é óbvio que ela quer apenas recolher todas as informações pertinentes… Esse é o estilo dela…


Mas Lupin o fez calar com um olhar. Black franziu ligeiramente a testa para Hermione, mas não porque estivesse aborrecido com ela. Parecia estar considerando a pergunta.
— Não sei como foi que fugi — disse lentamente. — Acho que a única razão por que nunca perdi o juízo é porque sabia que era inocente. Isto não era um pensamento feliz, então os dementadores não podiam sugá-lo de mim... Mas serviu para me manter lúcido e consciente de quem eu era... Me ajudou a conservar meus poderes quando tudo se tornava... Excessivo... Eu conseguia me transformar na cela... Virar cachorro. Os dementadores não conseguem enxergar, sabe... — Ele engoliu em seco. — Aproximam-se das pessoas se alimentando de suas emoções... Eles percebiam que os meus sentimentos eram menos... Menos humanos, menos complexos quando eu era cachorro... Mas achavam, é claro, que eu estava perdendo o juízo como todos os prisioneiros de lá, por isso não se incomodavam. Mas eu fiquei fraco, muito fraco, e não tinha esperança de afastá-los sem uma varinha... Mas, então, vi Pedro naquela foto... E compreendi que ele estava em Hogwarts com Harry... Perfeitamente colocado para agir, se lhe chegasse a menor notícia de que o partido das trevas estava reunindo forças novamente...
Pettigrew sacudia a cabeça, murmurando em silêncio, mas todo o tempo seus olhos se fixavam em Black como se estivesse hipnotizado.
—... Pronto para atacar no momento em que se certificasse de que contava com aliados... E para entregar o último Potter. Se lhes entregasse Harry, quem se atreveria a dizer que traíra Lord Voldemort? Pedro seria recebido de volta com todas as honras... Então, entendem, eu tinha que fazer alguma coisa. Era o único que sabia que ele continuava vivo...

– Você não podia deixar meu filho em perigo… – Tiago disse emocionado – Você se arriscou a levar o beijo do dementador para proteger o Harry, e para vingar minha morte…

– Ninguém pode dizer que não sou seu amigo de verdade. – Sirius disse sustentando o olhar de Tiago.

Harry se lembrou do que o Sr. Weasley contara à mulher: "Os guardas dizem que ele anda falando durante o sono... sempre as mesmas palavras... Ele está em Hogwarts”.

– Não era Harry, – Frank disse olhando para Alice cuidadoso – era Pedro… Ele nunca quis matar Harry…

Alice olhou para Sirius com expressão arrependida. Parecia querer pedir desculpas, mas ainda estava silenciada.
– Não me peça desculpas para depois me apontar o dedo de novo. – Sirius disse fazendo um gesto impaciente com a mão – Só me peça desculpas quando for ser sincera, e quando não for mais julgar os outros.

— Era como se alguém tivesse acendido uma fogueira na minha cabeça, e os dementadores não pudessem destruí-la... Não era um pensamento feliz... Era uma obsessão... Mas isso me deu forças, clareou minha mente. Então, uma noite quando abriram a porta para me trazer comida, eu passei por eles em forma de cachorro... Para eles é tão difícil perceberem emoções animais que ficaram confusos... Eu estava magro, muito magro... O bastante para passar entre as grades... Ainda como cachorro nadei até a costa... Viajei para o norte e entrei escondido nos terrenos de Hogwarts, como cachorro. Desde então vivi na floresta, exceto nas horas em que saía para assistir ao Quadribol, é claro. Você voa bem como o seu pai, Harry…

– Um cão que gosta de quadribol! – Lily exclamou de repente – Vocês sabiam o tempo todo que Sirius estava por perto, sabiam o tempo todo que ele poderia ter matado Harry quando quisesse e não matou em momento algum.

– Ele só queria assistir ao quadribol. – Tiago disse feliz em ouvir, de seu melhor amigo, que Harry voava tão bem quanto ele.
– Então era você no dia que Harry fugiu da casa dos tios? – Lily perguntou pensativa.
– Muito provavelmente sim. – Sirius deu de ombros.

Black se virou para o garoto, que não evitou seu olhar.
— Acredite-me — disse, rouco. — Acredite-me, Harry. Nunca traí Tiago e Lílian. Teria preferido morrer a traí-los.
E, finalmente, Harry acreditou. A garganta apertada demais para falar, fez um aceno afirmativo com a cabeça.

– Vocês vão inocentar o Sirius, – Tiago murmurou esperançoso – Assim como inocentaram Hagrid no ano anterior… E Sirius vai cuidar de você. Você vai viver em uma casa bruxa e finalmente vai ser feliz nas férias…

– E Remo poderia viver lá também, – Sirius começou a sonhar – seria bom para o Harry ter dois amigos por perto…
Hermione, que já tinha os olhos cheios de lágrimas, não conseguiu resistir e deixou um soluço fino escapar por entre os lábios.

— Não!
Pettigrew caíra de joelhos como se o aceno de Harry fosse a sua sentença de morte. Arrastou-se de joelhos, humilhou-se, as mãos juntas diante do peito como se rezasse.
— Sirius... Sou eu... Pedro... Seu amigo... Você não...
Black deu um chute no ar e Pettigrew se encolheu.
— Já tem sujeira suficiente nas minhas vestes sem você tocar nelas — exclamou Black.
— Remo! — esganiçou-se Pettigrew, virando-se para Lupin, implorando com as mãos e os joelhos no chão. — Você não acredita nisso... Sirius não teria lhe contado se eles tivessem mudado os planos?
— Não, se pensasse que eu era o espião, Pedro. Presumo que foi por isso que você não me contou, Sirius? — perguntou ele, pouco interessado, por cima da cabeça de Pettigrew.
— Me perdoe, Remo — disse Black.

– Vocês pensaram… – Remo olhou para Tiago e Sirius ligeiramente magoado – Vocês pensaram que eu era o espião de Voldemort?

– Nós não temos como saber Aluado. – Tiago disse encarando Remo com seriedade – Mas agora isso nunca vai acontecer, seja o que quer que tenha nos feito desconfiar de você, nunca irá nos influenciar.

— Tudo bem, Almofadinhas, meu velho amigo — respondeu Lupin, que agora enrolava as mangas das vestes. — E você me perdoa por acreditar que você fosse o espião?
— Claro. — E a sombra de um sorriso perpassou o rosto ossudo de Black. Ele, também, começou a enrolar as mangas. — Vamos matá-lo juntos?
— Acho que sim — concordou Lupin sombriamente.

– Não! – Tiago gemeu de repente – Vocês não podem matá-lo.

– Mas ele é um traidor vil! – Remo disse sem entender o motivo para Tiago querer o rato vivo.
– Ele te traiu! Entregou vocês para Voldemort! – Sirius concordou com Remo enfático.
– Mas se vocês o matarem, serão assassinos! – Tiago disse encarando os melhores amigos – E se fossem condenados, quem cuidaria de Harry? Harry teria que viver com os trouxas? – Tiago ponderou – Com ele vivo, Sirius pode provar sua inocência, e ser um homem livre.
– Tiago tem razão. – Lily disse preocupada – Vocês não podem se tornar assassinos! Vocês são melhores do que isso.

— Vocês não me matariam... Não vão me matar... — exclamou Pettigrew. — E correu para Rony.
— Rony... Eu não fui um bom amigo... Um bom bichinho? Você não vai deixá-los me matarem, Rony, vai... Você está do meu lado, não está?
Mas Rony olhava Pettigrew com absoluto nojo.
— Eu deixei você dormir na minha cama! — exclamou ele.
— Bom garoto... Bom dono... — Pettigrew se arrastou até Rony — você não vai deixá-los fazerem isso... Eu fui o seu rato... Fui um bom bicho de estimação...

A expressão de Rony era a do mais puro nojo. Ainda se lembrava perfeitamente daquela noite, da raiva que sentiu ao descobrir que ele e toda a sua família foram enganados por doze anos. Pettigrew definitivamente não merecia uma segunda chance.


— Se você foi um rato melhor do que foi um homem, não é coisa para se gabar, Pedro — disse Black com aspereza.
Rony, empalidecendo ainda mais de dor, puxou a perna quebrada para longe do alcance de Pettigrew. Ainda de joelhos, este se virou e cambaleou para frente, agarrando a bainha das vestes de Hermione.
— Garota meiga... Garota inteligente... Você... Você não vai deixar que eles... Me ajude.
Hermione puxou as vestes para longe das mãos de Pettigrew e recuou contra a parede, horrorizada.
Pettigrew continuou ajoelhado, tremendo descontroladamente, e foi virando lentamente a cabeça para Harry.
— Harry... Harry... Você é igualzinho ao seu pai... Igualzinho...
— COMO É QUE VOCÊ SE ATREVE A FALAR COM HARRY? — rugiu Black. — COMO TEM CORAGEM DE OLHAR PARA ELE? COMO TEM CORAGEM DE FALAR DE TIAGO NA FRENTE DELE?

– Como ele se atreve! – Sirius rosnou segurando-se ao sofá com tanta força que suas unhas furaram o estofado.

– Calma, Sirius. – Remo disse prevendo que as coisas não acabariam bem se Sirius se descontrolasse completamente – Você pode se machucar se se transformar irritado.
– Remo tem razão. – Tiago observava o amigo com cuidado – Apenas se acalme, nós vamos mudar tudo isso. Eu prometo.

— Harry — sussurrou Pettigrew, arrastando-se em direção ao garoto, com as mãos estendidas. — Harry, Tiago não iria querer que eles me matassem... Tiago teria compreendido, Harry... Teria tido piedade...

– É claro que não teria piedade! – Tiago disse entredentes – Só não permitiria que meus amigos se tornassem assassinos! Eles não merecem passar anos em Azkaban!


Black e Lupin avançaram ao mesmo tempo, agarraram Pettigrew pelos ombros e o atiraram de costas no chão, O homem ficou ali, contorcendo-se de terror, olhando fixamente para os dois.
— Você vendeu Lílian e Tiago a Voldemort — disse Black, que também tremia. — Você nega isso?
Pettigrew prorrompeu em lágrimas. A cena era terrível, ele parecia um bebezão careca, encolhendo-se.
— Sirius, Sirius, o que é que eu podia ter feito? O Lord das Trevas... Você não faz idéia... Ele tem armas que você não imagina... Tive medo, Sirius, eu nunca fui corajoso como você, Remo e Tiago. Eu nunca desejei que isso acontecesse... Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado me forçou...

– Mentiroso! – Tiago gritou com os dentes trincados – Ninguém te obrigou a nos trair! Poderia ficar escondido assim como nós ficamos! – Tiago tremia da cabeça aos pés, a cada minuto aquela história parecia ainda pior.


— NÃO MINTA! — berrou Black. — VOCÊ ANDOU PASSANDO INFORMAÇÕES PARA ELE DURANTE UM ANO ANTES DE LILIAN E TIAGO MORREREM! VOCÊ ERA ESPIÃO DELE!
— Ele estava assumindo o poder em toda parte! — exclamou Pettigrew. — Que é que eu tinha a ganhar recusando o que me pedia?

– É exatamente como vocês disseram! – Lily disse nervosa – Ele entregou a pessoa que o protegeu por anos, que foi seu amigo. Só por que não tinha nada a ganhar não entregando… Ele é um monstro!

– Agora faz todo o sentido ele não estar aqui. – Frank disse com um suspiro pesaroso – Todos nós temos uma segunda chance, mas ele não…

— Que é que você tinha a ganhar lutando contra o bruxo mais maligno que já existiu? — perguntou Black, com uma terrível expressão de fúria no rosto. — Apenas vidas inocentes, Pedro!
— Você não entende! — choramingou Pettigrew. — Ele teria me matado, Sirius!
— ENTÃO VOCÉ DEVIA TER MORRIDO! — rugiu Black. — MORRER EM VEZ DE TRAIR SEUS AMIGOS! COMO TERÍAMOS FEITO POR VOCÊ!
Black e Lupin estavam ombro a ombro, as varinhas erguidas.
— Você devia ter percebido — disse Lupin com a voz controlada —, que se Voldemort não o matasse, nós o mataríamos. Adeus, Pedro.
Hermione cobriu o rosto com as mãos e se virou para a parede.
— NÃO! — berrou Harry. E se adiantou, colocando-se entre Pettigrew e as varinhas. — Vocês não podem matá-lo — disse afobado. — Não podem.

– O que? – Sirius e Remo perguntaram ao mesmo tempo.


Black e Lupin fizeram cara de espanto.
— Harry esse verme é a razão por que você não tem pais — rosnou Black. — Esse covardão teria olhado você morrer, sem levantar um dedo. Você ouviu o que ele disse. Dava mais valor à pele nojenta do que a toda sua família.
— Eu sei — ofegou Harry. — Vamos levar Pedro até o castelo. Vamos entregar ele aos dementadores. Ele pode ir para Azkaban... Mas não o matem.
— Harry! — exclamou Pettigrew, e atirou os braços em torno dos joelhos de Harry. — Você... Obrigado... É mais do que eu mereço... Obrigado...
— Tire as mãos de cima de mim — vociferou Harry empurrando as mãos de Pettigrew, enojado. — Não estou fazendo isso por você. Estou fazendo isso porque acho que meu pai não ia querer que os melhores amigos dele virassem assassinos... Por sua causa.

– Você tinha razão. – Tiago disse olhando para Harry com orgulho – Você nunca me conheceu, mas é como se tivesse passado toda a vida comigo.

– Eu sempre senti como se conhecesse meu pai… – Harry murmurou observando Tiago – Mas agora percebo que estava enganado… Há muito mais para conhecer do que jamais imaginei…
– Espero que isso seja uma coisa boa. – Tiago disse encarando Harry.

Ninguém se mexeu nem fez qualquer ruído exceto Pettigrew, cuja respiração saía em arquejos, e ele levava as mãos ao peito.
Black e Lupin se entreolharam. Então, com um único movimento, baixaram as varinhas.
— Você é a única pessoa que tem o direito de decidir, Harry — disse Black. — Mas pense... Pense no que ele fez...
— Ele pode ir para Azkaban — repetiu Harry. — Se alguém merece aquele lugar é ele...
Pettigrew continuava a arquejar às costas do garoto.
— Muito bem — disse Lupin. — Saia da frente, então.
Harry hesitou.
— Vou amarrá-lo — disse Lupin. — Só isso, juro.
Harry saiu do caminho. Cordas finas saíram da varinha de Lupin, desta vez, e no momento seguinte Pettigrew estava se revirando no chão, amarrado e amordaçado.
— Mas se você se transformar, Pedro — rosnou Black, a varinha também apontada para Pettigrew —, nós o mataremos. Concorda, Harry?

– Péssima ideia… – Tiago murmurou de repente – Basta um segundo de distração e ele pode se transformar e desaparecer… No que vocês estavam pensando?

– Não sei. – Sirius disse coçando a cabeça nervoso – Devíamos ter trancado ele em uma jaula inquebrável…
– Só espero estar errado… – Tiago disse encarando o livro – Mas não podemos esquecer que Remo não tomou a poção, e é noite de lua cheia…
Remo tremeu ao pensar no que poderia acontecer se ele se transformasse.

Harry olhou a figura lastimável no chão e concordou com a cabeça de modo que Pettigrew pudesse vê-lo.
— Certo — disse Lupin, subitamente eficiente. — Rony, não sei consertar ossos tão bem quanto Madame Pomfrey, por isso acho melhor só imobilizar sua perna até o entregarmos na ala hospitalar.
Ele foi até Rony, se abaixou, tocou a perna dele com a varinha e murmurou:
— Férula! — Ataduras se enrolaram à perna de Rony e a prenderam firmemente a uma tala.

– Isso com certeza é muito melhor do que perder todos os ossos de uma vez por um feitiço mal feito. – Gina sorriu para Harry e Rony.


Depois, o professor ajudou o garoto a se levantar; Rony, desajeitado, apoiou no chão o peso da perna e não fez careta.
— Está melhor. Obrigado.
— E o Profº. Snape? — perguntou Hermione com a voz fraquinha, contemplando o professor encostado à parede.

– Vocês deviam deixá-lo ai. – Tiago disse maldoso – Não faria falta nenhuma… Quando ele acordasse tudo já estaria resolvido sem a presença desagradável dele.


— Ele não tem nenhum problema sério — disse Lupin se curvando para Snape e tomando seu pulso. — Vocês só se entusiasmaram um pouquinho demais. Continua desacordado. Hum... Talvez seja melhor não o reanimarmos até estar a salvo no castelo. Podemos levá-lo assim...
Lupin murmurou:
— Mobilicorpus!— Como se fios invisíveis tivessem sido amarrados aos pulsos, pescoço e joelhos de Snape, ele foi posto de pé, a cabeça pendendo molemente, como a de um títere grotesco. Ele flutuava a alguns centímetros do chão, os pés frouxos sacudindo.
Lupin apanhou a Capa da Invisibilidade e guardou-a em segurança no bolso.

– Pelo menos alguém guarda algum carinho pelos meus pertences. – Tiago bufou olhando para Sirius e Harry com desagrado – Esperava mais de vocês dois…

– Sabe Sirius, – Hermione o olhou de repente – Eu sempre me questionei sobre uma coisa, e nunca tive a oportunidade de perguntar…
– O que é? – Sirius perguntou curioso.
– Eu nunca entendi por que você agiu de forma tão culpada… Sabe, você poderia simplesmente ter dito: “Estou aqui apenas para matar o rato” – Hermione disse levantando as sobrancelhas para ele – Mas em vez disso fez questão de dizer: “Apenas uma pessoa vai morrer aqui hoje.” Você pode imaginar como isso nos deixou apavorados, não é?
– Eu acho que nenhum de vocês entendeu que Sirius é a pessoa mais dramática do mundo. – Tiago disse revirando os olhos para o melhor amigo.

— E dois de nós devemos nos acorrentar a essa coisa — disse Black, cutucando Pettigrew com o pé. — Só para garantir.
— Eu faço isso — disse Lupin.
— E eu — disse Rony decidido, mancando até o prisioneiro.
Black conjurou pesadas algemas do nada; e logo Pettigrew estava novamente de pé, o braço esquerdo preso ao direito de Lupin, o direito preso ao esquerdo de Rony. O garoto estava muito sério.
Parecia ter tomado a verdadeira identidade de Perebas como uma ofensa pessoal. Bichento saltou com leveza da cama e abriu caminho para fora do quarto, o rabo de escovinha elegantemente erguido no ar.

– Ele me enganou por doze anos! – Rony disse irritado – Ele se enfiou dentro da minha casa, com minha família… E minha irmãzinha… – Ele completou olhando para Gina, sem querer pensar no que o rato poderia ter visto de sua irmã durante toda a sua vida – É doentio… Um homem adulto se escondendo como animal de estimação de crianças.

– É realmente doentio… – Remo disse observando Rony ligeiramente preocupado.
– Eu realmente preciso saber o que aconteceu depois disso. – Sirius disse ansioso – Podemos apenas ir para o próximo capítulo?
– É a vez de Alice ler. – Frank disse encarando Tiago e Sirius.
– Podemos remover o feitiço… – Tiago disse pensativo – Mas apenas se ela prometer que não vai julgar ninguém…
Alice acenou enfaticamente que concordava com a condição de Tiago. Sirius retirou o feitiço de Alice, ela pegou o livro que Lily lhe estendia e abriu no capítulo seguinte:
– Capítulo XX – O beijo do Dementador.




Hey leitores mais lindos desse mundo! Eu já havia dito que não garantia um capítulo por semana, e domingo realmente não consegui postar, mas hoje tive um tempinho e resolvi deixar vocês lerem esse capítulo, espero que tenham gostado!
- Juliet Potter: Quase postei o cap sem o seu comentário! A história do Remo sempre me emociona também, até coloquei todo mundo emocionado por isso. O Snape me irritou muito nesse capítulo, mas descontei toda minha raiva xingando muito ele. Eu sei que fim de ano é corrido, mas pelo menos significa que as férias estão chegando, né?
- Hilary Morgana Juno Soares Lestrange: Eu sempre estou in love com o Sirius, até shippo ele comigo normalmente. Não sei se a Mione achou que as leis não podiam ser quebradas ou se pensou que só dava para se transformar estudando mais com o ministério… Mas acho que é mais para a segunda, ela sabia que as leis bruxas podiam ser quebradas. Acho que o Remo estava tão nervoso com tudo o que tava acontecendo, com o Sirius inocente e o Pedro vivo que nem pensou no homenum revelio. Eu espero que ninguém shippe Lily/Remo, seria uma coisa bizarra. Eu entendo perfeitamente pessoas que “trocam” de família, eu trocaria se arranjasse uma melhor do que a minha (menos minha mãe e minha mãe maria
- GysLupinBlack: Eu também adoro a história dos marotos, sempre achei uma das melhores, e acho que a JK devia escrever um livro sobre eles. Falta muito para eles descobrirem o motivo da inveja do Snape… Já expliquei a personalidade da Alice, ela não é uma pessoa ruim.
- Regiane Helena: Logo logo todos eles vão ter suas próprias opiniões e vontades, com isso a Alice vai se tornar a pessoa que sempre devia ter sido. O Tiago é muito protetor mesmo, e eu adoro escrever esse lado da personalidade dele.
- Stehcec: Nem acredito que estamos quase no fim de PdA! Eu sou meio viciada em The Sims e fiz o Tiago e a Lily com um cachorro de estimação que era o Sirius, o mais próximo de ter o Sirius como cachorrinho de estimação que eu poderia chegar… E eu adoro escrever o Sirius irônico e sem culpa nenhuma, muito mais divertido! Acho que o medo do Remo é mais de acabar machucando alguém sem querer… Ou do filho dele nascer lobisomem e a mulher passar a odiar ele por causa disso… E apesar de a Alice ser um pouco mala e pensar que as coisas são do jeito que o jornal diz, ela tem um coração, e ela parou para pensar enquanto estava silenciada e se lembrou de todas as vezes que o Remo foi legal com ela e etc. E sempre achei meio idiota o Remo achar que induziu o Tiago e o Sirius a alguma coisa, deve ser quase impossível induzi-los a fazer algo que não quisessem. Se o Tiago for castigar o Snape de novo não vai ser com um simples nariz de tomate! E muito obrigada mesmo Steh! Fico feliz que você goste tanto de tudo o que eu escrevo!
- Gi Molly Weasley: Você realmente deu uma sumida! Mas fico feliz que tenha voltado e esteja gostando!
- Izabella Bella Black: Eu acho que a Hermione pensava que só dava para aprender animagia depois da escola, por isso só daria para fazer acompanhados pelo ministério. É uma magia muito difícil e tem que ser acompanhada igual aparatação, para garantir que ninguém se machuque, mas Harry e Rony aparatavam sem autorização direto no último livro. Os animagos podem assumir outras formas, mas se sentem mais a vontade em suas formas originais. Li isso em algum lugar, no pottermore, talvez? ou em uma entrevista da JK. Acho que Remo não vai reagir muito bem a ter tido um filho, ele tem medo de condenar alguém a licantropia assim como ele foi condenado. Mas a maioria das pessoas é assim, a Alice é apenas uma pessoa comum, entende? Ela acredita nas coisas e defende a própria opinião.  Acho que foi por isso mesmo que o Pedro explodiu a rua, ele deve ter explodido vários trouxas junto com ele, e devia estar uma confusão de pedaços de gente pela rua…
- Tati Rodrigues: A Lily tem medo de se machucar se ficar com o Tiago, e ele está cansado de ser pisoteado por ela, então os dois estavam precisando desse tempo. E a Alice eu já expliquei muito por ai, ela é só uma menina normal, que cresceu aprendendo que o ministério não fazia nada de errado e o jornal estava certo. Você pode ver várias pessoas como ela durante a saga, o Rony morreu de medo quando soube que o Remo era lobisomem, a Molly tratou a Mione mal por que acreditou na Skeeter, o Simas tratou o Harry mal por que acreditou no ministério e etc, então ela é apenas uma bruxa normal. Mas ela vai ver as coisas acontecendo e vai aprender a verdade.
- Flaa: A Alice já está aprendendo aos poucos como as coisas são na realidade, ela vai ter muitos choques em CdF e OdF e vai ver que nem tudo é o que o ministério diz ser. Já tomou alguns choques em PdA… Eu também acho a história do Remo linda e emocionante.
- Tiago Henrique Mejias Balthazar: Que bom que resolveu comentar! Gosto muito de receber comentários e fico honrada que tenha gastado uns segundinhos do seu dia para comentar a minha história. Não se preocupe, não vou desistir.
- Luiza Snape: Eu estou escrevendo várias outras fics que não são relacionadas a MLHP, e quando acabar MLHP pretendo me dedicar a elas um pouco. Mas não se preocupe, vou concluir MLHP direitinho.
- Anna Evans Potter: Que bom que não fui rude, sempre acho que estou sendo, é por que eu defendo a minha história com muita voracidade. Que bom que está gostando!
- AngelDhu: Eu já achava Azkaban um lugar terrivel antes de ler o que a JK colocou no Pottermore, agora tenho até calafrios só de pensar… E o Remo ainda tem muita sorte na vida, imagino que os outros lobisomens odeiem os bruxos em geral pelo modo como são tratados e por nunca poderem conviver com os resto do mundo, acho que Greyback mesmo, é apenas mais uma vítima que acabou se tornando quem se tornou por não ter tido as coisas que Remo teve. Eu também não teria tido toda a paciencia que o Sirius teve, se dependesse de mim o rato teria morrido. Pelo menos a gente sabe que o Harry passa a ter mais cuidado com a capa depois.
- 1988bookworm: Eu adoro quando você analisa meus personagens, mesmo quando você não me diz o que saiu da sua analise! Tudo que você escreveu sobre o Lupin e sobre o preconceito de Alice e Rony é muito parecido com tudo o que pensei na hora de escrever! E eu adorei que você escreveu tudo isso, já que você praticamente colocou meus pensamentos no papel! Nem sei o que te responder já que você já disse tudo o que tinha que ser dito!

- Day Caracas: Eu não ia conseguir postar fim de semana passado! cheguei do casamento mortinha! E eu sei como é o enem, acabou comigo no ano que fiz também. Eu adoro escrever o Sirius jovem, ele é tão divertido! O Remo ainda não aceita que o problema peludo dele não o define como monstro, e morre de medo de passar a licantropia dele para frente, por isso tem tanto medo de ter uma família, ele imagina que poderia acontecer um acidente e acabar mordendo a mulher ou o filho, e pensa que talvez a licantropia passe para o filho por genética, então ele tem muito medo. E a Alice está começando a ver as coisas um pouco melhor e logo ela vai estar pensando mais claramente sobre tudo.
Tassia Samara: Não sei se você lê MLHP também, mas não tinha outro jeito de te agradecer pelos comentários nas minhas outras fics! Muito obrigada mesmo por ter lido e comentado, significa muito para mim.


Não deixem de comentar! 
Quem quiser fazer parte do grupo da fic, onde posto novidades, prévias e enquetes:
https://www.facebook.com/groups/742689499098462/


E para quem é do grupo: Quem acertou a frase da semana?
















Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 9

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Helena em 13/09/2018
Pedro na minha opinião é uma das piores pessoas do livro. Ele além de ser malvado, é um covarde traidor. Um rato é realmente a melhor definição para ele.
Nota: 0

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por M_sinistra em 15/02/2018
Eu acho que ser mudar a história ser for o Harry ter que acabar mesmo com o Voldemor ele vai fazer isso com os pais deles vivo ou não. porque mesmo assim o Harry Potter vai querer destruir os objetos da H onde o v escondeu as parte da sua alma
Nota: 0

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Prado Soares em 15/11/2014

olha q bonitinha eu, coentando antes de ficar pqpvelmente em cima da hora :v adorei a insinuação do james sobre o nome do capitulo :p isso pq eles nao SABEM q o ranhoso era/vai ser um comensal... claro, eles desconfiam pq, ne, nao eh como se ele nao aparentasse ser um :v mas sabeeeer, sabeeer meeeesmo, só em CdF :p btw, nem acredito q esse já eh o 19 :3 agr soh falta o 20, 21 w o 22 :3 jaja começamos CdF :3 fico pensando como esse cap deve ter sido foda pro remo, enquanto o trio nao aparecer na ala hospitalar, ele ainda vai ficar c medo de atacar algum deles... o snape eh tao irritante! esse desprezo todo dele eh soh pra disfaçar a inveja e o ciume q ele tem dos marotos! e isso eh revoltante! ele fico com esse desprezo dele por inveja!!!babaca!!! esse ódio todo do lupin tb eh inveja SIM! inveja pura! e, sinceramente, dizem q ‘‘aah mas ele sofreu mt nas maos dos marotos‘‘ E ISSO LA EH ARGUMENTO? OLHA UQ ELE FAZ COM OS ALUNOS! E nao eh só o harry! O neville tb! Ele ‘‘desconta‘‘ uq sofreu nos alunos! aaahh o sirius voltou a ser legal :3 ele eh tao legal pra ficar triste! realmente, ele nao agrede o harry ou os outros por terem nocauteado o snape, ele soh fala q podia deixar c ele UHSAUHASUHHSUHSAUHSUAHAS  eu acho q, tecnicamente, o james confiou no sirius sim, quando ele deu a ideia d q o pedro seria uma boa ideia... nao acho q eles deveriam desconfiar, porra, o cara eh seu amigo por - no minimo - 7 anos, voce nao vai duvidar da amizade dele soh pq ele eh fraco e incompetente! o rony, por exemplo, nao consegue acreditar q o perebas eh o pedro, nao só pq eh definitivamente bizarro, mas pq ele era o bichinho de estimaão dele, poxa... le tinha um carinho mt grande pelo rato imbecil, tanto q ficou pau da vida c o bichento... essa amizade deles eh tao bonita... nao eh simplesmente amigos, eles sao familia, sabe? aquele tipo de pessoa com qm vc sp pode confiar, q vc sabe q nunca vai te trair ou te atrapalhar de alguma forma... voce sabe q eles sempre vao estar ali qnd vc rpecisar... eu fico d cara c a audacia do pedro... tipo, ta claro q o remo acredita no sirius, e ele ainda tenta agir como se nada tivesse acontecido? francamente! e eh obvio q a mione ia qrer saber de detalhes! nem q fosse por curiosidade! explicar tudo é o t mais facil d convencer alguem! tanto q uma das maneiras mais ‘‘convicentes‘‘ de se contar uma mentira é inventando o maximo de detalhes possivel (obviamente, tem q ser convincente, nao va´falar q um alien te raptou :v ) - acho super interessante a fala so sirius qnd o pedro fala com ele, acho tão Black, entende? tipo... eh o tipo de coisa q voce fala qnd tem mt desprezo por alguem... e isso eh muito black :v nao sei pq, mas eu acho q li em algum lugar q o aluado tinha se distanciado deles, acredito q tenha sido por isso q eles desconfiaram, nao algo tipo ‘‘ele eh um lobisomen‘‘ mas algo tipo ‘‘ele anda mt distante‘‘... e eh claro q o james ia dizer q n era pra matar ele :p e eu concordo plenamente, por mais q de vontade, eles se ferrariam depois!!! é incrivel como eles foram tolos! eles deveriam ter dado um jt de realmente prender o rato imundo! assim seria mt facil pra ele fugir! Sirius eh realente dramatico! fico pensando como deveria ser em hogwarts na epoca deles, msm qnd voldemort ficou poderoso, devia ser sempre tao engraçado!!! fico feliz q a alice tenha dado uma amadurecida! de verdade! mas confesso q  nao vou alimentar mts esperanças :p afinal, vai que... ela errou ate agora :p mal posso esperar pelos proximos capitulos!!!! :3 bjao jujuba :* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mary Lily Potter em 15/11/2014

De todos os livros acho que é nesse que eu mais odeio o Snape ( ou talvez no quarto qnd ele faz aquele comentário horrível sobre a Mione) 

Mas ele é um dos meus personagens favoritos porque a Jk consegue fazer com que sentimos várias coisas por ele.. Desde ódio mortal até diversão como naquelas discussões com o Harry no sexto livro.  Amo demais kkk  mas ninguém supera o Tiago <3Agora eu realmente tenho vontade de chorar quando o Remo acha que é um monstro. Não é algo que que ele possa controlar, mas ele não pode deixe de ser feliz por causa disso. Fico pensando como vai ser a reação deles quando descobrirem o q o Snape fez pela Lily. Já pensei em tantas possibilidades.. KkkE não adianta. Por mais que tenha passado 12 anos em Azkaban, o ego do Sirius continua intacto e enorme kkk adoro ele <3E poxa Tiago. Você não é arrogante por pensar que nunca iria ser traído. Só acha que todos tratam q amizade do mesmo jeito que vc. O que infelizmente não é verdade. Não é culpa sua. Ah droga... Não acertei a frase de novo... Mas ainda vou conseguir.... Kkk só não sei quando. KkkAcho que finalmente a Alice está abrindo um pouco os olhos não é? Não q ela vá mudar de uma hora pra outra... Mas já eh um começo.Agora eu fiquei intrigada com o comentário do Harry que tem muito o que conhecer do Tiago. Ele quis dizer no geral mesmo ou ele estava se referindo aquela lembrança do quinto ano dos marotos?E para o próximo capítulo, uma das minhas cenas favoritas. Quando Sirius pede para o Harry morar com ele!! Mal posso esperar!!! Um bjoo 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Stehcec em 15/11/2014

Oi Juh
Primeiro desculpa, pq falei que iria comentar a 2 dias atrás e só tô vindo comentar hoje, mas é pq to colocando minhas series em dia.
Segundo, amei o cap como sempre!

O Snape é um frustado, metido e insuportavel desde adolescente e como o Sirius disse, merece tudo que acontecer com ele na vida! Entendo perfeitamente a furia do Tiago em saber q ele usou a capa e ainda o mapa feito por eles. O Remo sempre se culpando pelas coisas que ele não tem culpa. Ainda bem q encontrou amigos maravilhosos e sem preconceito. Fico com dó da Lily q sempre tenta ver o lado bom das pessoas e se decepcionou com o snape. O Tiago disse tudo, ele acha que se tornar comensal vai ser importante. Qnd o Harry falou (leia-se gritou) com que ele era patético eu amei, tbm tirei o chapeu pra ele. O Sirius é ótimo, coitado fraco como estava não conseguiria acabar com o snape. Ainda bem que os 3 reagiram na mesma hora. É triste saber que vc foi enganado por alguem que vc achava ser amigo. PAUSA SÓ PRA DIZER QUE ACERTEI A FRASE DA SEMANA YEAH 0/. O Harry sempre foi lentinho mesmo. Cada vez mais amo a amizade entre os 3. Acho tão perfeito como eles se protegem, e claro que o Sirius iria se culpar. Quando li o livro pela primeira vez era nova ainda e tem coisas que não tinha prestado atenção como o fato dele se esconder por causa dos comensais. Claro que eles sabiam que ele era o traidor. Claro que ele só ser arriscaria se soubesse que o voldemort estava reunindo forças. Mas uma coisa eu não entendo, pq ele não tentou matar o Harry no primeiro livro, voldemort estava quase forte e ele estava na escola. CLARO q o Sirius arriscaria tudo pelo Harry, assim como faria o mesmo pelo Tiago. Tá dando dó da Alice muda, já fiquei com pena dela, mas o Sirius tem razão se for pra pedir desculpas e depois acusar ele nem adianta. Nossa como eu e acho q todos queriam que o Harry fosse viver com o Sirius e ser feliz. Nunca entendi pq eles pensaram que o Remo era o espião do Voldemort. Como o Tiago e Harry são parecidos, pensam de maneira igual. Realmente o Pedro não tem salvação, apesar que no final ele ajudou o Harry, mas por ser fraco e não por ser bom (penso assim). Acho tão engraçado o Tiago ressentido pelo não cuidado do harry pela capa. hahaahhhahahaa mas ele tem razão. Nunca tinha pensado pelo ponto de vista q o Pedro viu a Gina se trocando. Ai que nojo. Próximo cap veremos Alice, ansiosa. hahahahahahahaahaha

Abraços e Até amanhã! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por 1988bookworm em 15/11/2014

Mais um cap ótimo Jubs!! admiro muito o seu empenho em escrever todos esses capitúlos de maneira caprichada "sem ganhar nada" em troca... vc teria  uito pra ensinar pro Rabicho... ;) 

Sério, as vezes dá raiva o quão burro o Harry é... assim, eu sei que pra história ter esse clima emocionante, é necessário que ele "esqueça" de algumas coisas... eu nunca entendi o porque não usaram um petrificus totalus no rabicho e não levaram ele com um mobili corpus que nem tavam levando o snape... muito mais fácil, muito mais seguro e evitaria toda essa frescurada e o Sirius não seria um foragido... :/ é que nem em OdF quando o Harry inventa mil e uma maneiras de burlar todas as regras da escola só pra se comunicar com o Sirius quando ele tinha o espelho no malão o tempo todo!! e o Sirius nem pra lembrar ele disso... affs, sério passei o quinto livro inteiro xingando o Harry o pq ele não usava o maldito espelho...
E o Rabicho eu até entendo que na posição em que ele se encontrava não tinha nada que ele pudesse fazer, então tentar de qqr forma dissuadir eles de lhe matarem parecia melhor que ser morto... mas foi ridiculo e nã sei onde ele acahava uns argumentos tão fracos... e nunca tinha parado pra pensar nisso de tudo o que o rabicho devia ter presenciado sendo o bichinho de estimação dos Weasley... rato nojento...

e Lilly e Tiago voltaram a conversar civilizadamente, o que sempre é um bom sinal e Alice parece estar finalmente entendendo como as coisas realmente funcionam no mundo bruxo..


Bjos e não se sinta abandonada Jubs!!! #AindaTeAmamos :D
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por NathaliaHelena em 15/11/2014

AAAAAAAAAAAAAH CAARA, Esse foi o capítulo mais angustiante que eu já lí até agr, kkkkkkkkkkkkkkkk‘ 
Muito muito bom, a forma como eles conseguem descobrir as coisas tipo eu não sei o que flr... só UAAAl, enfim, aparentemente Alice está criando juízo, e o relacionamento de Tiago e Lily melhorando *------------*, ansiosíssima para o próximo cap. Não vou poder comentar em todos, mas sempre estarei acompanhando, õ
Parabéns pelo trabalho õ/  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Izabella Bella Black em 15/11/2014

Primeiramente capitulo maravilhoso e perfeito. Gostei muito do Sirius já no começo ter sido sarcastico com a Alice, ela merece e gostei tambem do Tiago insinuanto o Snape. Achei muito legal o Tiago e o Sirius acalmando o Remo sobre ele se transformar junto com o trio e achei muito emocionante o Tiago falando que apesar de tudo e mesmo morte ele nunca iria abandonar os amigos. Sirius esta certo, Snape mereceu tudo o que acontece, por que de certa forma ele esta colhento as consequencias das ações dele no passado e se ele acabou sozinho e sem ninguem foi por que Snape escolheu assim. Para o Snape um resentimento de criança seria sim o suficiente para mandar um não dois homens inocentes para Azkaban simplesmente para se vingar, eu acho o Snape um personagens bem constuido de certa forma, mais não acho que ele seja um heroi como muitos por ai, nunca o persoei por tudo o que ele fez o Harry passar e tambem por ter perturbado o Sirius em OdF por ele ficar em casa. Eu gostei muito da Lily chamando o Snape de um babaca de marca maior, esta na hora de ela acordar para quem o querido amiguinho dela se tornou. Eu entendo que o que os marotos fizeram foi errado, eles não deveriam ter feito tudo o que fizeram com o Snape, mas tambem não podemos esquecer que o Snape não ficava quieto, ele revidava ou então era ele quem provocava e outra ele não soube amadurecer e deixar essas brigas no passado, ele tinha que ir lá e descontar no filho do inimigo dele, e de forma conveniente se esquecento que Harry tambem era filho da Lily, cuja mulher ele supostamente amava. Uma coisa eu seu todos os babacas são comensais da morte, Voldemort devia mudar o nome de Comensais da Morte para Os Babacas, imagino eu que ficaria bem melhor. Lembro que quando li o livro pela primeira vez amei quando o Harry começou a gritar com o Snape, só por essa parte já vale ler o livro inteiro. Mas uma vez concordo com Sirius, prefiria morrer pelas mãos de um suposto assasino do que ter que aturar o Snape com seu trama de adolescente. Amei mesmo "projeto de bruxo das trevas", adorei isso. Não se é todo dia que vemos Tiago falando que Snape estava certo em alguma coisa. Concordo com Harry só o fato de saber que nenhum deles irá acreditar no rato do Pedro, já valeria toda a viagem. Eu tambem ficaria desesperada seria o mesmo que alguem chegar aqui em casa e falar que um dos gatos é na verdade o bruxo que causou a morte dos pais da minha melhor amiga, eu tambem ficaria desesperada e tentaria achar outra solução. Pelo menos alguem percebeu que se Pedor fosse inocente ele teria se revelado logo depois da prisão do Sirius, só o fato dele ter ficado anos e anos como um bicho de estimação mostra que alguma coisa eles esconde. Chorei muito na nova promessa dos marotos, foi muito emocionante, acho muito linda a amizade deles. E Sirius não devia se culpar pois ele somente deu a ideia e não obrigou o Tiago e a Lily a escolherem o Pedro, eles escolheram por que quiseram. Com toda certeza o Bichento é um julgador de carater melhor, eu amo esse gato, ele é muito esperto. Isso eu não sabia, que o rato é o simbolo da traição. Eu sempre pensei em uma coisa, como ninguem desconfiou de nada, sendo que a pessoa que o fiel do segredo geralmente tambem fica escondita e ninguem sabe quem é, como ninguem desconfiou quando todos descobriram que era Sirius, antes dos Potter morrerem? Não sei se fez algun sentido. Achar que a Mione estava tentando o defentere foi muita idiotice do Pedro. Realmente ninguem pode falar que Sirius não é verdadeiramente amigo de Tiago. Adorei o que o Sirius disse para a Alice, realmente ela achou o que um simples pedido de desculpas iria mudar tudo o que ela falou para o Sirius no decorrer do livro? Pelo jeito todos do passado já entenderam toda a historia. Eu ja prevejo que quando eles descobrirem que o trio não conseguiu inocentar Sirius eu irei chorar e muito. Tadinho do Aluado, mais imagino eu que eles só desconfiaram dele, pois se não me engano na epoca ele viajava muito. Vendo agora Harry e Tiago são muito parecidos na forma de pensar. Eu vou chorar, foi muito emocionante a pequena conversa entre o Harry e o Tiago. Concordo com Tiago eles bem que podiam ter deixado o Snape na casa dos gritos não iria fazer nenhuma falta. Não deixa de ser verdade Sirius é muito tramatico. Pedro é um ser doentiu. E finalmente a Alice pelo jeito aprendeu que deve ficar bem quietinha. Nunca tinha pensado nisso, sobre como varias pessoas expludiram junto teve ter ficado uma confusão de pedaços. Desculpe qualquer erro, mais estou morrendo de sono e só agora consegui tempo para comentar. Beijos.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Anna Evans Potter em 12/11/2014

M-E-U M-E-R-L-I-N (pode parecer estranho, mas eu adquiri a mania de dizer "Meu Merlin" no lugar de "Meu Deus")!!!!!! Sério, você tem que postar o próximo o mais rápido que puder! Eu vou morrer se você não postar logo!
Tadinho do Sirius. Ele deve estar muito chateado com tudo o que aconteceu. A culpa não foi dele, coitado.
Obaaaaa… Lily e Tiago estão conversando civilizadamente, o que imagino que seja um passo na direção da reconciliação dos dois… :D
Estou esperando o próximo capítlo…  

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2020
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.



 

 




 
                           

 


Warning: fopen(): Filename cannot be empty in /nfs/c10/h06/mnt/147811/domains/fanfic.potterish.com/html/includes/cache.php on line 39