FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

28. "-Eu vou te beijar"


Fic: Nós... Irmãos ?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________





Capitulo 29
"-Eu vou te beijar"




Lily não gostou muito de ver que James estava com eles e principalmente do sorrisinho irônico estampado no rosto dele e Lucy lembrou-se de perguntar para a ruiva o que tinha acontecido.

-E ai Lily, o que houve? – Lily ao ouvir a pergunta mexeu discretamente no cabelo e analisou as pontas como se quisesse apenas sair dali.

-Nada de importante, porém ele pediu para eu guardar segredo.. não conte para as meninas, depois te conto melhor a história. – A voz dela era um tanto quanto desconfiada.

-Okay, mas não teve nenhum beijinho? – perguntou Lucy ansiosa, sorrindo de orelha a orelha.

-Só um selinho que ele roubou de propósito. – respondeu a ruiva com os olhos faiscando, o moreno conversava com Remo e não via o olhar mortal que ela lhe lançava.

-Me explica uma coisa.. por que vocês não ficam afinal? – perguntou Lucy meio avoada, ela olhava o céu enquanto caminhava graciosamente.

-Como assim?

-Ah, ficar sabe.. tipo, se você não sentisse pelo menos uma atração física por ele, você não deixaria tudo o que aconteceu acontecer, então ta na cara que ele pelo menos te acha atraente, assim como você acha isso dele, pelo menos, mas porque vocês não ficam? Isso que me intriga. – disse Lucy como se aquele simples fato de assumir transformaria a vida deles.

-Nós somos irmãos Lucy – respondeu Lily monotonamente, como se apenas comprovasse um fato.

-Não Lily, vocês não são irmãos, e eu não faço a mínima idéia de quem foi que pôs essa besteira na sua cabeça, mas essa pessoa esta completamente enganada. – Lucy falou seriamente, perdendo o ar encantador que trazia.

-Explica isso pra minha mãe. – disse Lily levemente irritada, mas não era com Lucy, era com a própria forma de encarar as coisas.

-TÁ AI! Pronto, descobri, então você está se escondendo atrás da desculpa de que sua mãe não aprovaria para esconder o medo de se ferrar no final. – disse Lucy e após a constatação ela voltou a olhar avoada para o céu, parecia ter planos para a noite.

Lily olhou a menina assustada, a idéia processando na cabeça.

-Acho que não quero falar disso – disse Lily mecanicamente, olhando para o vazio.

-Tudo bem.. – disse Lucy sorrindo, sabia que a ruiva iria falar de qualquer jeito.

-Não, na verdade eu quero falar disso...

-Bota pra fora.. – É, ela estava certa mais uma vez, sorriu com o pensamento.

-Bem, talvez você tenha razão, só que nada me garante que ele também queira, e eu não enfrentaria a minha mãe - porque eu sei que teria que enfrentar - apenas pra ser um brinquedinho na mão dele, imagina que ótimo, eu brigo com todo mundo - porque vai ter briga - e uma semana depois eu to jogada em um canto sofrendo o meu momento pé-na-bunda? Não, isso não é pra mim.

-Então você não tem certeza se gosta dele, e acha que apenas uns amassos não valeriam tanto. É talvez você tenha razão.. talvez.

-É incrível como você distorce tudo que eu digo! – brincou Lily rindo.

-Na verdade babe, eu apenas descodifico, transformo a mensagem oculta que você deixa nas palavras em um fato, poder da mente.. sabe como é. – brincou a outra.

-Ou seja, você me entende.

-Exatamente, e faz dois dias que a gente se conhece, isso não é ótimo?

-Bem, eu posso me considerar uma pessoa sortuda, muito sortuda, apesar que não quero nem imaginar quando passar um ano do seu lado, acho que você vai poder até prever o meu futuro, mas eu sou realmente muito sortuda.

-Eu posso me considerar o que então? Super-hiper-mega-tera-power sortuda? E eu acho que já posso ver seu futuro. – disse Lucy sorrindo enquanto passava o braço entre o braço da amiga e olhava para James discretamente.

-É, acho que sim.

-Modesta pouca né?

-Claro.

-Posso te fazer mais uma pergunta?

-Manda.

-Se eu ficasse com o James, o que você sentiria? – Lily percebeu que ela não adicionou o “não que eu queira ou fosse ficar” na frase.

-Não sei direito, bem, meu ego seria ferido sim, e eu sentiria ciúmes, muito ciúmes.. bem.. na verdade.. eu odiaria. – falou a ruiva pensando apenas no que sentiria, transformando em palavras, não se importando em medi-las.

-E o que você está esperando?

-Pra ir ficar com ele? – perguntou Lily sorrindo.

-Exatamente. – respondeu a menina também sorrindo.

-Um pedido, talvez.

-Eu não acho que ele vá pedir. – disse Lucy olhando para o maroto, o sorriso de Lily sumiu, então a morena continuou – Eu acho que ele irá apenas te beijar, e esperar pelo tapa depois.

Lily riu aliviada e Lucy percebeu, então virou os olhos e disse:

-Lily, você é muito insegura, mesmo se eu afirmasse que ele não iria querer ficar com você, eu não teria como saber, você teria que ir descobrir, se alguém fala que você não pode, então você tem que ir e tentar, quem vai decidir se você pode ou não é você mesma.

-É você tem razão.. mas acho que essa insegurança faz parte de mim, não tem como eu dizer ‘Não, agora eu sou a Femme Fatale e rainha do auto-controle e eu tenho certeza que até o Brad Pitty largaria da Jolie por mim, porque eu sou muito segura de mim mesmo’.

-Huahuahuaa, você tem razão, talvez eu é que esteja meio defeituosa, descarada demais, sabe? E o Brad não largaria da Jolie, eles tem filhinhos babe, regra numero um para ser uma mulher de verdade, nunca destrua casamentos onde têm filhos envolvidos, as crianças sofrerão mais, e quem faz maldade pra criança vai pro inferno. Mas eu acho que realmente sou descarada, fazer o que, é a vida.

-Acho que não, imaginar você tímida seria triste, e eu gostei dessa regra, ir pro infenro não me parece muito bom.

-Verdade, agora me diz, essa lanchonete não chega nunca?

-Não, olha ali, chegamos! – disse Lily mostrando com a cabeça o local, os olhos de Lucy brilharam quando ela viu quem estava sentado lá com alguns amigos, aparentemente.

-Oi professor! – disse Lucy piscando para Lily antes de ir cumprimentar Victor, o professor de matemática .

-Oi Lucy! – Ele parecia um tanto quanto inseguro, o sorriso da morena aumentou, então ela olhou para os amigos dele. – Bem essa é a Lucy, minha aluna.

-Olá! – disse ela inocentemente, parecia até que um plano maluco não estava passando por sua cabeça.

-Oi! – responderam os amigos do professor, sorrindo, a beleza de Lucy já os tinha encantado, então as outras meninas se aproximaram para cumprimentar o professor também, e Sirius ciumento, passou a mão por entre a cintura de Lene.

Após todos os cumprimentos, eles escolheram uma mesa e se sentaram, logo um garçom chegou e os pedidos foram feitos, Lily se sentou ao lado de Sirius e todos começaram a conversar, o clima era animado, e Lucy parecia feliz de estar ali, entre eles, e de vez em quando seu olhar cruzava com o professor, que desviava rapidamente, o que fazia a menina sorrir mais maroto ainda.
Lily estava falando com Dori sobre a dança quando ela olhou para a porta, lá estava Rafael e Lívia, o olhar dos dois se cruzaram e Lily sentiu como se tivessem arrancado algo dela, esperou a dor, porém era como se aplicassem uma anestesia nela quando sentiu o pé de James roçar delicadamente o dela, e aparentemente sem intenção, pois ele tinha tirado o pé rapidamente e conversava com Remo como se nada tivesse acontecido.

Lily sentiu o coração parar, era como se tivesse esquecido de respirar, sentiu o sangue sumir de suas mãos e pode perceber que elas estavam geladas, então sentiu a presença de Sirius que estava ao seu lado, ele conversava com Lene, mas tinham se calado, e como reflexo segurou sua mão por debaixo da mesa, o moreno sentiu que a mão da ruiva estava gelada, e automaticamente olha para seu rosto, ela sorria amarelo, então ele olhou na direção de onde seu olhar vinha e viu parado na porta Rafael e Lívia, sentiu o sangue subir a face, porém a mão gelada - e agora suada - da ruiva apertou levemente a mão dele, e ele, resignado, depositou um discreto beijo na testa dela e a encarou, ele não entendia porque ela estava sorrindo nervosamente.

-Que foi Lily? – perguntou ele baixinho, quase que ela não o escuta, mas a ruiva não responde, apenas faz uma careta.

-Eu estou ficando preocupado Lily! – disse ele, pedindo para que ela começasse a falar.

-Bem... alguma coisa mudou... – respondeu ela olhando para o rosto dele com um olhar pedinte.

-O que mudou? – perguntou ele ansioso.

-Eu não sinto nada.. mais nada..

-E..? – encorajou ele, se sentindo meio aliviado, meio angustiado.

-Sobrou o vazio. – disse ela sorrindo desesperada, suas mãos geladas apertando as dele, que reforçou o aperto.

-Você poderia me por ai dentro pra preencher esse vazio, não é?

-Você sabe que não. – O olhar dela era vazio, ela estava arrepiada, ele percebeu que ela tinha olhado para Lene, e tentou fazer com que a ruiva enxergasse o que apenas ela parecia não ver.

-Olha pra frente. – disse ele cansado, então ela olhou, James a encarava.

-O que tem ele?

-Ele pode entrar ai dentro! – Não era uma pergunta, ela tinha percebido isso pelo olhar penetrante dele.

-Ai Sirius! – gemeu ela confusa, ela não queria gostar de James, aquilo era masoquismo na percepção dela.

-Ele já esta ai, eu sei. – disse ele interpretando a resposta dela, um sorriso discreto no canto dos lábios.

-Você, mais que eu, sabe que isso não é certo.. seria a maior decepção da vida da minha mãe. – disse ela mordendo o canto da boca, estava angustiada, ela queria tanto que as pessoas parassem de incentivá-la a gostar dele, que as pessoas dissessem que aquilo seria besteira, que seria loucura, que ela sofreria demais com aquilo, para assim poder ouvir um ‘Eu avisei!” quando quebrasse a cara, ao invés de um “Me desculpe Lily!, quando o pior acontecesse.

-Então a sua felicidade não é importante pra ela? – perguntou ele irônico, tirando-a de seus pensamentos.

-É, mas se eu soubesse que iria durar pra sempre, que não passaria uma semana e eu já estaria enjoada, ou que ele estaria enjoado e me desse um pé na bunda, eu poderia pensar em arriscar. – disse ela tentando achar uma desculpa, mas sabia que mesmo que ele a pedisse em casamento, ela ainda não se sentiria segura.

-Lily, toda essa segurança que você procura vai dar em casos como o do Rafael. Pensa comigo, se fosse você no lugar dela, o que teria acontecido? Bem, eu sei o que teria acontecido, você faria uma faculdade, casaria logo após terminá-la, depois de uns anos engravidaria, teria uma casa para cuidar e um filho, e no final das contas ia viver como 90 % das mulheres do mundo.

-E se fosse com o James.. o que seria?

-Eu não sei.. – respondeu ele sorrindo e ela sorriu de volta, tinha entendido – Você não faz o tipo de mulher que nasceu pra uma vida assim Lily, você não seria feliz desse jeito, ou poderia até ser, mas não seria completamente.

-Você diz como se eu fosse nascido pro Glamour, os holofotes seriam pouco para o que eu nasci destinada a fazer. – disse ela sorrindo, ele sentiu-se melhor ao vê-la sorrir.

-Você não nasceu para menos que o céu Lily, o céu é apenas um pouco do que você merece, sabe como é, você é irmã de Sirius Black, ninguém da verdadeira família dele nasceu para menos que o céu, e para você, eu sei que até as estrelas são insuficientes.

-Você é um Gentleman Sirius, mas eu sei que não mereço tanto.

-Doce Ilusão ruiva! – disse ele apertando levemente o nariz dela – Mas e o Jay?

-Bem, eu preciso pensar melhor sobre isso, nem é tão urgente, e não é como se ele fosse partir amanhã pretendendo nunca mais olhar para minha cara. – disse ela simplesmente, e Sirius gelou, era como se tivesse algo preso na garganta, sorte que ela não percebeu, então ela interpretou o silêncio do maroto como o fim da conversa, ele apenas trocou um olhar pasmo com James, que parecia ter ouvido a última parte da conversa.

Lily virou-se para conversar com Dori e Anna, enquanto isso Lucy conversava alegremente com James, os dois rindo a todo instante, e Sirius fazia carinho no cabelo de Lene, que estava com a cabeça encostada em seu ombro e mexia nos botões da camisa do moreno.


Meia hora depois..

-Ai que fome, cadê esses pedidos que não chegam? – indagou Dori passando a mão na barriga, Remo brincava apaixonadamente com o cabelo dela, enrolando-o carinhosamente por entre os dedos.

-Concordo com você, também to com fome. – incentivou Lucy, e rapidamente todos começaram a concordar, Sirius olhou para Lily e sorriu, ela colocou a mão em cima da barriga do moreno e pôde ouvir o estômago dele roncando, sorriu de volta e se encostou no ombro dele, então dois pedidos chegaram.

-Os outros já vêm, aqui tem um x-salada e um x-bacon! – disse o garçom colocando no centro da mesa os pedidos.

-O x-bacon é meu. – disse Vini que só comia x-bacon, e Lily percebeu que o x-salada era dela, então o pegou e disse:

-E o x-salada é do Six! – E entregou para o moreno, que a olhou surpreso.

-Nem vem ruiva, é seu, pode comer.

-Eu to mandando você comer Sirius. – ordenou ela aparentemente irritada, mas depois sorriu.

-Nem vem que não tem Lily, é seu, e eu to falando sério.

-Larga de cú doce,você sabe que eu não vou comer. – respondeu ela petulante, todos assistiam compenetrados.

-Vai Lily, come, eu não vou me sentir bem se você não o comer.

-Realmente você não vai se sentir bem, com seu estômago rugindo por comida. Me diz, qual foi a última refeição que você fez, a no meu quarto? - disse ela e todos pararam de respirar, Sirius olhou para o rosto dela e depois para o de James, e sem poder se conter o moreno caiu na gargalhada, sendo acompanhado por todos menos Lily, que ficou sem entender, até Sirius ser piedoso e explicar.

-Lily isso não saiu bem, “a última refeição que você fez foi no meu quarto” abre espaços para várias coisas. – disse ele piscando para ela, que começou a corar, ela ficou mais vermelha que seus cabelos, então pegou o lanche e o socou na boca da moreno.

-Coma Sirius! – E o maroto começou a mastigar meio a contragosto, mas a fome era tanta que ele nem se irritou.

-Morde ai! – disse ele dando o lanche para a ruiva, Lene se virou para conversar com James e se afastou um pouco, qualquer um que via a cena achava que Sirius e Lily eram na verdade um casal, pois ora ele colocava lanche na boca dela, ora ela na dele, e todos tinham que convir que eles faziam um belíssimo casal.

E para felicidade deles os pedidos finalmente chegaram para todos, e mais uma vez Lily dividiu o seu lanche com Sirius, já que tinha comido metade do dele.

-Põe katchup ai pra mim Six! – pediu ela enquanto bebia seu refrigerante, e o maroto obedeceu prontamente, então os dois foram morder o lanche e melaram todo o rosto de katchup.

-Eee lere! E Sirius olha o que você fez com o meu rosto? Me melou inteira! – disse ela rindo enquanto limpava o Katchup do rosto e ele sorriu maroto antes de falar em seu ouvido:

-Se estivéssemos sozinhos eu daria uma lambida enorme no seu rosto, mas não vou te constranger a esse ponto, não agora! – disse ele baixinho, ela o olhou e sorriu, ele tinha Katchup até no queixo, então ela olhou em volta e percebeu que ninguém estava prestando muita atenção e lambeu o Katchup do rosto dele.

-Lily, isso não é justo, sua safada. – disse ele falsamente indignado.

-Eca, é nojento isso sabia? – disse ela fazendo careta enquanto bebia coca.

-Nossa, eu tenho gosto ruim?

-Não Six, você é muito gostoso, mais eu prefiro você com leite condensado, Katchup não é o meu preferido. – respondeu ela marota, enquanto mordia mais um pedaço do lanche.

-E como você sabe que eu sou melhor com leite condensado?

-Eu só imaginei que ficaria melhor, vou perguntar pra Lene depois. – disse ela simplesmente enquanto colocava uma mecha do cabelo do moreno para trás.

-Bem, é com tristeza que te informo que a gente nunca fez isso, ainda.

-Huahuahauhaa, quando fizer você me conta, agora eu fiquei curiosa.

-Pode deixar ruivinha.

E assim que todos terminaram eles começaram a se perguntar para onde iam.

-Amanhã não tem aula, eu não vou embora antes das uma da manhã! – disse Dori sorrindo e beijando a bochecha de Remo.

-Que tal um lugar pra dançar? – sugeriu Lucy, que mesmo com as pernas doloridas não via a hora de cair numa pista de dança.

-Pode ser, mais qual? – disse Lily, e todos sugeriram seu lugar preferido, por fim eles entraram em consenso e decidiram ir em uma danceteria perto da saída da cidade, há uns oito quilômetros dali.

-Okay, ta todo mundo a pé, como a gente vai? – perguntou Lily olhando para Sirius.

-Eu pego o carro do meu pai. – disse James calmamente.

-E eu pego o do meu, daí fica certo – disse Remo e Sirius sorriu animado, então eles pagaram a conta e voltaram para casa de James, ficaram esperando Remo voltar com o corro do seu pai, e dez minutos depois apareceu uma Blazer preta em frente a casa deles.

-Bom, vai eu, a Anna, o Vi, a Dori, o Remo, o Sirius e a Lene no carro do Remo, e a Lily vai com o James no dele. – disse Lucy saindo correndo em direção ao carro rindo loucamente, e todos saíram rindo de perto da ruiva e de James, que ficaram parados com cara de nada.

-HEY! PERA AI! Porque vai todo mundo amontoado no carro do Remo e eu vou sozinha com o Potter?

-Relaxa Lily, ele não vai te morder. – disse Sirius sorrindo.

-Quem garante? – perguntou ela exasperada e James sorriu ao ver a cara dela.

-Lily se você não voltar em vinte e quatro horas a gente liga pra polícia, pode ser? – disse Lene fechando a porta do carro de Remo.

-HÁ HÁ, muito engraçado! – disse ela irritada. – O Vini, você vai deixar isso acontecer?

-Ele é nosso brother Lily, relaxa!

-RELAXA? Ele pode ser um tarado e você pode nem saber, como vai me deixar sozinha com ele?

-JAY? VOCÊ É UM TARADO MOLESTADOR DE RUIVINHAS? – berrou Lucy de dentro do carro, rindo como louca.

-Até agora não! – disse ele sorrindo.

-PRONTO LILY! ELE NÃO É, AGORA ENTRA LOGO NESSE CARRO SENÃO VOCÊS VÃO CHEGAR SÓ AMANHÃ LÁ! BEEIJOS E SE COMPORTEM, NADA DE PORNOGRÁFIA DENTRO DO CARRO DO PAPAI! – disse a morena enquando Remo dava partida no carro e eles iam na frente.

-Vadia! – resmungou Lily baixinho, então James disse:

-Podemos ir?

-Eu tenho escolha?

-Nenhuma, agora vamos – respondeu ele calmo, enquanto abria porta pra ela, que bufou ao ver o cavalheirismo dele.

Ela entrou no carro e ele entrou do outro lado, eles fecharam a porta e James ligou o carro, ele tinha a feição despreocupada.

-Pra onde você quer ir?

-Ué, pra onde todos vão.. – respondeu ela temerosa e ele caiu na gargalhada.

-Você achou que eu ia te levar aonde?

-Sei lá! Eu não confio em você.

-Deveria, eu não faço maldades com menininhas inocentes, como a Lucy mesmo disse.

-Lá vem você com esse papo de inocência, da última vez deu no que deu.

-E no que deu? – perguntou ele divertido, estava adorando o rumo da conversa.

-Deu na gente fugindo do seu pai, ou você já se esqueceu?

-Bem, agora ele não está aqui. – disse ele ignorando a pergunta dela.

-E isso quer dizer que...?

-Que a gente não precisa ir lá se não quiser, eu posso dar meia volta e voltar para casa.

-Pra que lugar da casa? A sua cama? – perguntou ela tentando soar irônica, querendo esconder toda a curiosidade que a corroia.

-A gente já usou ela, eu estava pensando em algo mais selvagem, tipo o sofá da sala, ou mesmo o sofá do teu quarto. – disse ele maroto.

-Nada criativo isso, a gente também já usou o sofá. – disse ela soando despreocupada.

-Não pro que eu poderia querer fazer agora. – respondeu ele com a voz firme, então ele olhou para frente, mais com um sorrisinho nos lábios, com uma mão escorada no volante, dando partida no carro e indo em direção a danceteria.

-E o que você quer fazer? – perguntou ela com falsa inocência, ele apenas a olhou e gargalhou, então ela disse novamente:

-Você poderia me levar a um motel se é isso que você quer. – respondeu ela irritada, ele apenas sorriu mais.

-Isso é um sim?

-Não, isso é um “se você quer me comer, pelo menos ofereça um lugar confortável para isso”.

-Eu não disse que queria te comer.

-Precisava?

-Claro, você não pode interpretar as coisas assim ou vai acabar indo pra cama com alguém que você não quer. – respondeu ele divertido.

-Então o que você queria fazer comigo?

-O que você quisesse. – disse ele olhando para a estrada.

-E o que acha que eu quero? – perguntou ela ansiosa, querendo que ele a olhasse, mas desejando que ele não batesse o carro em um poste qualquer.

-Boa pergunta.

-É, realmente boa pergunta. – pensou ela em voz alta.

-Você me falaria o que quer?

-Eu não sei o que quero.

-E se eu parar o carro agora, o que você faria?

-Perguntaria o porque de você o ter parado.

-E se eu te beijasse? – perguntou ele ainda olhando para a estrada.

-Não sei o que faria.

-E se eu te beijar agora?

-A gente morre, porque tem um caminhão vindo do outro lado da rua e acho que não sobreviveríamos a isso. – disse ela divertida, tentando não parecer nervosa.

-E se eu parar o carro e te beijar, o que acontece?

-Você já me perguntou isso.

-E você não respondeu.

-Eu já disse que não sei o que faria.

-E se eu lhe propusesse esquecer nosso suposto parentesco e repetir o que aconteceu antes, o que faria?

-Eu diria que ainda estou com raiva de você pelas marcas deixadas.

-E se eu prometesse não marcar?

-Eu pensaria sobre o assunto. – Ela sabia que sairia marcada, não importa como fosse.

-E se eu quisesse uma resposta?

-Eu diria que você teria que descobrir sozinho.

-Eu vou te beijar.

-Isso é uma pergunta? – perguntou ela receosa.

-Não. – disse ele parando o carro e virando-se para ela.

Ele a olhou brevemente então aproximou o rosto do dela e logo seus lábios se tocaram, ele segurava levemente o seu pescoço e a beijava mais profundamente. Ela correspondia da mesma forma, as unhas arranhando levemente a nuca dele enquanto brincava com uma mecha pequena.

O gosto da boca dele na dela era bom demais, Lily queria chegar mais perto, muito mais perto, era incrível como ficava louca quando ele a beijava.

Então o beijo foi lentamente interrompido, e James ficou olhando-a, esperando uma reação.

-Eu realmente acho que eles iriam ligar para a polícia se eu não aparecer James. – disse ela sorrindo olhando para fora da janela enquanto ele ligava o carro, ele sorria levemente, então eles logo chegaram e entraram no lugar, ela não pensava em nada.

A música alta era contagiante, mas Lily se preocupou em achar os amigos, isso não antes de pegar na mão de James e o levar para onde estava indo, seria pior ainda ficar sozinha ali, então o guiou sem pensar no que ele pensaria daquilo.

Andaram praticamente o lugar inteiro e não encontraram ninguém, então pararam próximos ao bar e Lily perguntou:

-O que vai querer?

-Fala você, eu vou lá e pego.

-Não, você fica aqui e eu vou lá, agora me fala, o que quer?

-Trás o que você quiser, mas acho que aquele negócio azulzinho na mão do barman parece ser bom. – disse ele simplesmente, enquanto Lily ia buscar algo para beber.

Encostou no balcão e disse:

-Eu quero dois daqueles trequinhos azuis ali!

-Nananinanão moçinha, você não vai querer se arrepender de ter bebido isso, amanhã – disse Lucy chegando por trás da menina e sorrindo, então dirigiu-se ao barman – Ela vai querer uma coca e um negocio azul desse ai.

-Lucy.. vaca.. vagabunda.. vadia.. me deixou sozinha com ele de propósito.. sua..

-Amiga.. eu sei.. não precisa elogiar tanto..

-Você me paga, eu ainda não te perdoei. – disse Lily tentando fazer uma cara brava.

-O que aconteceu?

-Ele me beijou.. só isso...

-Bem, depois você me conta melhor ,olha ali atrás – disse a morena apontando com a cabeça para James que conversava com uma menina – E não esquece a bebida, e nada de álcool no sangue ruiva, você vai me agradecer por isso depois. – disse Lucy entregando as bebidas para a amiga e indo de encontro com o pessoal.

Lily respirou fundo e dirigiu-se até James, a tal menina estava deslumbrada com o sorriso do moreno.

-Algum problema amor? – perguntou Lily inocente enquanto entregava a bebida dele e pegava em sua mão.

A menina que conversava com ele nem esperou a resposta, olhou Lily de cima a baixo antes de sair de perto.

Lily, então, soltou a mão do moreno, mas ele a puxou para um beijo quente e apaixonado, quando se soltaram a ruiva estava sem ar.

-Quem deixou você me beijar? – perguntou ela levemente irritada.

-Estamos quites.


-Eu to perguntando quem deixou você me beijar James Potter.

-Quem deixou você chispar com a menina daqui? – perguntou ele rindo levemente enquanto a abraçava por trás e bebia o negócio azul, ele sentiu-se eufórico ao ver que ela não resistiu ao abraço, ele esperava uma enxurrada de tapas.

-Bobo.

-Linda.

-Retardado.

-Maravilhosa.

-Tapado.

-Sexy.

-Tá, parei. – disse ela resignada enquanto tomava sua coca.

-Hm, é bom isso hem. – disse ele tomando mais um pouco do negocio azul.

-Dá um golinho? – pediu ela se virando para ele sem sair do abraço, ela estava achando aquilo esquisito, fazia mais ou menos uma hora que estava com ele mais parecia ter passado apenas dez minutos.

-Nem pensar, aqui tem mais álcool do que você já consumiu em sua vida inteira.

-Então porque você esta bebendo?

-Porque eu posso com isso, você não. – disse ele deixando o copo na mesa.

-Mentira, você não pode com isso, e quem vai me levar de volta para casa?

-Tem razão, é só esse copo e mais nada, depois eu te acompanho na coca. – disse ele bebendo mais um pouco enquanto ela olhava cobiçosa para o copo azul.

-Dá um gole vai, só um pouquinho. – Era a primeira vez que ela sentia vontade de consumir algo diferente.

-Nem vem ruiva, é meu.

-Por favor James.

-Só se você me dar um beijo.

-Dou até três, agora deixa eu beber. – disse ela tirando o copo da mão dele e o colocando na boca, porém ele a segurou e ela bebeu uma gotinha apenas.

-Ah, não vale, eu quase nem senti o gosto.

-Meu deus, você é uma alcoólatra.. – brincou ele.

-É gostoso isso, deixa eu tomar só um pouquinho vai. – pediu ela igual uma criança, ela tinha achado a cor da bebida incrivelmente apetitosa.

-Não e eu quero os meus beijos. – disse ele sorrindo de orelha a orelha.

-Nem vem, você não me deixou beber. – disse ela irritada, soltando-se levemente dele.

-Eu já bebi, tem gosto suficiente na minha boca pra você provar, não é melhor? – disse ele a beijando levemente, enquanto sentia o copo ser arrancado de sua mão.

-Consegui! – disse ela bebendo o resto que tinha no copo e parando de repente.

-Que foi? – perguntou ele preocupado.

-James, porque o chão ta girando?

-Você ta de brincadeira né? A bebida nem chegou no estômago! – disse ele preocupado.

-Haha seu besta, acreditou! – disse ela colocando o copo na mesa enquanto se sentava.

-Você não vai dançar? - perguntou ele enquanto se sentava também.

-Depois.

-Agora você vai me beijar não é?

-Não disse isso.

-Como você é má.

-Como você é apressadinho.. em menos de duas horas já roubou três beijos meu.

-E você ainda me deve mais dois.

-Não lembro de ter dito nada disso.

-Não tem problema, eu me lembro por você – disse ele antes de beijá-la mais uma vez.


_________________

N/ª AI POVÃO! Seis me falaram que tava faltando Jay e Lily, eu fiz eles até se beijarem.. e não foi só uma vez não.. agora quero um monte de comentários vio!Huahuauahauhauhau!

Beeeeijos;*

N/b-Oie Genteeeee!!!!!!!
Ai meu deus...vc num vão acreditar...vcs acreditam que a Vanessa tava dizer que num gostou muito DESSE cap???O.o...
OMG...me diga se tem como???
Meninoooo...esse cap tah PERFEITOOOO!!!
Ela compensou a falta de James nos outros caps mesmo...O.o...meu deus..4 beijos???O.o..
Num eh para todo mundo num em???O.o...ai meu deus..soih kero ver no que isso vai dah...o.O...
AI meninaaa e akela cena do Sirius e da Lily em???Oo...
Minha nossa senhora...O.o..se a gente nun soubesse diria que existe algo amais ai neh???
Bem....num deixem de comentar viu..
Beijoooooo!!!!!
Lethicya Black




















Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.