FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Capítulo III.


Fic: thegossipqueen. - CAPÍTULO TREZE. coments?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Math E. Gomez. ® 2OO8.
Todos os direitos reservados, proibida a reprodução por todo ou quaisquer meios.
Photobucket

Capítulo III
Oh My Fucking God!
16.1O.O8


Photobucket


MusicPlaylistRingtones
MySpace Music Playlist at MixPod.com



Narrado por: Emmeline Vance



- Eu não estou com raiva. – comentou Tiago.

Lily fez uma cara feliz.

- Eu estou com ódio. Muito ódio! – berrou ele, no corredor vazio.

Eu já disse que o Tiago fica muito gostosinho bravo? :9
Uii, vai ser delícia assim lá na minha casa amigo.
Eu me lembro que ele nem era tão hot like that quando eu saí, né.
O que o tempo não faz... Ai, ai.

- Eu vou te matar Lílian! – berrou ele, avançando pra cima.

- Ahhh! – berrou Lene, impondo-se sobre ele para evitar um desastre. Que pena.

- Tii, não faz assim! – gritou ela, pra ele que tentava escapar dos braços da Lene. – Olha pelo lado bom; eu ainda quero namorar com você, e você namora a mais famosa da escola!

- OMG. – disse ele, parando de se mexer e fazendo uma cara de pensativo. – Agora eu sou o corno mais famoso da escola! EU VOU TE MATAR DUAS VEZES LILY!

- Ai, Ti, você supera. – comentou Lily, com aquela sua voz nojenta melosa. – O Seth não significou nada pra mim...

- Ah! Então o nome dele é Seth? – indagou ele, ainda puto.

- É. – sussurou Lene, agarrando-o pelo braço, tentando mantê-lo o mais longe possível da Lily.

-ÓTIMO! SE MORRE LÍLIAN EVANS! – berrou ele.

- Se morre? – indagou ela, confusa.

- É. Desisti de você, simplesmente. Não apareça nunca mais na minha vida. Eu estou completamente desligado a você. – ele se virou. E então, voltou e acrescentou: - e sabe o que mais? Eu tenho nojo de você. Sinceramente, eu não sei como alguém consegue ser tão vadia quanto você.

Ele se virou. Então pegou o anel que ele usava;

- ‘Ta vendo isso aqui? – ele então jogou numa lata de lixo. E se foi.

Lily não parecia abalada, mas mesmo assim Lene foi consolá-la.

- HOHO³. – comentei, triunfante.

Ela fez uma cara neurótica pra mim. Que meda.

- VOCÊ! SUA VADIA DESGRAÇADA!

Ui.

- Eu? Você trai o seu namorado e eu levo a culpa. Muito bonito.

- VOCÊ-NÃO-DEVIA-TER-FEITO-ISSO!

- Eu tenho pena de você! – exclamei.

- Eu vou acabar com você. – falou ela, se controlando. – Vou acabar com você.

- Eu sou a rainha da fofoca. – murmurei, dando ênfase a cada palavra. A Lene escutava tudo, chocada. E a Lily... ela tinha que escutar. – E a rainha da fofoca pode acabar com quem quer que seja, na hora que ela quiser. Entendeu?

Me virei pra sair.

- Ah é? – ouvi Lílian, revidando. – Seu plano definitivamente não deu certo! Não dou 24 horas pra ele voltar pra mim sem eu ter feito nada.

Photobucket


Vinte e quatro horas depois, shopping, praça de alimentação.

- Ele não vai voltar! – chorava Lily, fungando e resmungando freneticamente para Lene. – Ele não vai voltar nunca mais!

- Calma, amiga, calma. Você supera. – comentou ela.

Missão cumprida, Srta. Emmeline Vance.
Você definitivamente é brilhante.

- Que tal torrarmos algum dinheiro com roupas pra você esquecer dele? – sugeriu Lene.

- P-pode ser... – concordou Lily.

Ambas se levantaram e seguiram em direção à lojas caras.

É, é, Emmeline Vance. Você realmente é uma rainha brilhante. Saber tudo sobre todos não é a sua única qualidade. Você também sabe como acabar com todos.

- Eii. – comentou uma voz amigável atrás de mim.

- Aê. – falei. – Pensei que você não vinha mais.

- Pensou errado. – falou ele, me dando um selinho.

- E aí, deu tudo certo? – perguntou ele, sentando-se na mesa.

- Deu. – falei eu, dando uma mordida no meu sanduíche, que acabara de chegar. – Mas não podemos abusar da sorte. Ele pode voltar pra ela a qualquer momento.

Ele me olhou sério.

- Então... o que planeja fazer?

- Bem. É por isso que eu chamei você aqui. Pensei que você estivesse no internato!

- É... eu realmente estava. Mas agora... eu consegui fugir.

Ele me deu um sorriso maroto.

- E por você...

Ele tentou me beijar, mas eu hesitei.

- Epa. Nem vem. Eu já tenho um rei.

Ele fez uma cara estranha.

- Remus Lupin. Acho que você pode conhecer.

- Aquele nerd desgraçado?! – exclamou ele, revoltado.

Comi uma batatinha :9

- Você sabe que eu preciso fazer a minha imagem de boa moça, né? Ele é mais que perfeito.

Ele sorriu desconfiado.

- Tudo bem, se você diz. – ele então deu uma chupada na minha Coca. Ei, é a minha Coca! – Então pra quê você me chamou aqui?

- Eu tenho uma missão pra você.

- Posso saber qual é? – ele falou.

- Claro. Se eu não te dissesse, como você ia fazer, anta?

Eu ri maléfica. Muhuhahahahahahhahaha. /‘Ta, parei.

- Então, como você sabe, todo ano, a mãe da Lene, Demi McKinnon, produz um desfile da sua marca de roupas, McKinnon, pra divulgar a coleção de verão. Então é muito simples. Você vai lá e fisga a Lily de vez.

- Maas... – indagou ele. – A Lene vai ‘ta lá. Eu vou fazer isso na frente dela?

- Claro que vai. – terminei o meu sanduíche. Estava bom. Mas não tão bom quanto o gostinho de ver a rainha em decadência. – E vai ser divertidíssimo.

- Então... às 4:00?

- Quero ver você lá. E arrasando o coração da Lily.

Ele se levantou sutilmente. Já em pé, virou-se e me olhou com uma cara de curiosidade; uma curiosidade incomum.

- Por que você está fazendo tudo isso?

Olhei-o com uma cara... surpresa.

- Quer dizer, por que você está realmente querendo acabar com ela?

- Sabe... – comecei. – Eu nunca tive irmãos. E a minha mãe... bem, ela não me dá muita atenção. Aí um dia eu conheci a Lily e depois a Lene. Elas eram as minhas melhores amigas, eu convivia mais tempo com elas do que com qualquer outra pessoa. Mas ai eu tive que ir...

- E porque você teve que ir?

- Você está curioso demais hoje, não acha? – ofeguei.

- Ah, conta vai! – insistiu ele.

- A minha mãe ela... estava com uma doença muito ruim e teve que ir pros EUA se cuidar. Satisfeito?

- Talvez. – falou ele. – Mas eu ainda quero saber por que você está fazendo tudo isso.

- Ela me roubou tudo. E, por pior que ela seja, eu ainda gosto dela.

- Então por que você não a deixa em paz?

- Por que ela me traiu. E eu quero tudo de volta. Agora sai daqui que eu tenho muitas surpresas pra essa tarde. [6]’

Photobucket


Que do mal eu estou me sentindo. Quer dizer, eu não sou má. Eu não fasso coisas ruins –angel girl versão 2.0 off. Eu amo meus pais, apesar de eu não ter um pai; eu adoro meus amigos apesar de eles serem ruis pra mim. Eu nunca menti a não ser pelaquela vez que eu disse que ia pra casa da Lily e eu ia era pra balada. Ah, e teve aquela vez também que eu...; eu sempre comprei presentes caros para a minha mãe no cartão de crédito dela, é claro.

Eu sou um anjo em pessoa.

Mas ainda há aquelas pessoas que me acham má. Como a Lily.

Mas acredite: tudo que eu faço é para o seu próprio bem ou não [6]’.

Eu estou agora no Centro de Convenções de Londres. Aqui vai acontecer um desfile da marca McKinnon, assinada pela mãe dela, Demi McKinnon. O que você ainda não sabia é que, todos os anos, eu, Lily e Lene assistiamos ao desfile juntas. E era muito bom. E esse ano nós assistiremos o desfile novamente juntas. Só que dessa vez, a Lily vai ter alguma surpresinhas [6]’. beigoseeunãosoumá;*

A Lily estava sentada num local perto da passarela. Ela e Lene discutiam sobre algum assunto que eu não tenho a mínima ideia de qual seja, mas a conversa estava tão carolosa que ela não pode perceber o bote.

- Opa. – ele falou, ao derramar um pouco de champanhe na borda do seu vestido. – Desculpe.

- Seth? – indagou ela, surpresa.

- Ah! Oi, Lily! – exclamou ele, surpreso.

Uau, uau. Por que será que eu não estou surpresa em ver Seth aqui?

- O... o que você está fazendo aqui? – indagou Lily, curiosa.

- Err... eu...

Informamos aos convidados da grife McKinnon que o desfile começará daqui a dez minutos. Marlene McKinnon, sua mãe está chamando por você na ala quarenta e cinco. Obrigado.

- Er... eu tenho que ir. – falou Lene, então pegou a sua bolsa e saiu em direção aos bastidores do desfile.

A coisa vai começar a ficar mais emocionante, quando os pombinhos ficam sozinhos.

- Emmy? – uma voz então atrapalhou toda a minha concentração.

Olhei para trás e dei de xara com quem eu não queria ver. Quer dizer, queria, mas não agora –q.

- Tiago! – exclamei. – Que bom vê-lo.

Nos abraçamos.

- Então... é verdade que você voltou pra ficar?

- Mas não é, garoto! – exclamei, alegre. Eu sou falsa.

- Então... seja bem vinda.

Ele sorriu. Sorri de volta.

- Muito obrigada.

- Então... o que faz aqui?

- Hmmmm....

Estou destruindo o seu namoro com a Lily.

- Vou assistir o desfile... sabe como é, né, todo ano eu assisto e... Mas o que você faz aqui?

- Bem... eu decidi perdoar a Lily. Sabe... o que ela fez foi algo muito sutil... porém, é passado. Agora, eu confio na fidelidade dela.

- Bom saber. – comentei.

- Bem, então a gente se vê! – despediu-se ele.

- Mal posso esperar.

Eu realmente mall posso esperar. Ah... não posso mesmo!

Photobucket

Narrado por: Lílian Evans.


Mas que diabos o Seth está fazendo aqui? Ele é todo o motivo da minha discórdia. Mas nossa, como ele fica gato com esse novo corte de cabelo.

- Então, o que você está fazendo aqui?

- Er.. eu vim pra cá, Lil’, por um motivo muito especial.

Ele está fazendo uma cara estranha. Tenho medo ;x

- Que... que coisa? – indaguei, inocentemente.

- É que... Lily este tempo todo que eu estive fora... Eu... Lily, eu voltei pra você.

Como é que é?

- Como é que é?

- Eu estou perdidamente apaixonado pro você. E eu espero que você sinta o mesmo por mim.

Eu estava completamente pasma. Essa foi incrível.

- Mas é que...

- Não. Não diga nada. – falou ele, carinhosamente, colocando o dedo na minha boca.

- Mas eu...

- Eu não quero ouvir outras palavras além de ‘eu te amo também’.

Ele então fez menção de ir me agarrar. Eu o afastei pra longe.

- Olha, Seth, eu tenho namorado.

- Tinha. – murmurou ele.

- Como é?

Ele então me lascou um beijão. Um beijo de cinema. E sabe o que mais? No começo eu não queria, mas eu confesso que depois de uns dois segundos de beijo eu passei a desejá-lo, como eu não fazia a muito tempo. E eu não estava nem aí pro Tiago. Ele não me chamou de vadia? Pois é isso que eu vou ser.

O beijo durou mais ou menos trinta segundos, mais pra mim foi a eternidade.

- Claro. – pigarreou alguém, que se destacava da multidão de agora estava olhando. – Por que não repetir a dose?

Tiago.


OMG. Por que tudo tem que dar errado?

- Calma, Tiago, eu...

Eu tentei ir na sua direção, ele me olhava perplexamente, mas Seth segurou minha mão.

- Não vai, amor, ele é só um babaca...

Tiago ficou puto.

- Ah, você vai ver quem é o babaca!

O desfile começou. As luzes começaram a apagar, e luzes coloridas começaram a surgir em meio da passarela. Flashes e mais flashes eram vistos aos nossos olhos, e uma música bem alegre estilo Madonna tocava para dar um toque final ao desfile.

As modelos começavam a andar pela pista com os designs feitos pela tia Demi.

Tiago se aproximou de Seth e lhe deu um soco, que o fez voar longe e cair de bunda perto da platéia.

- Ai meu Deus! – gritei, indo em direção ao Seth, mas ele, já se levantava e gritava:

- Ahh, não é qualquer mauricinho filho da puta que vai me dar um soco não!

Ele então avançou pra cima de Tiago, que revidou e eles dois ficaram lá se matando.

- Socorro! – berrei eu, indo em direção aos seguranças.

Esbarrei em alguém; era uma garota com cabelos loiros esvoaçantes, usava um vestido preto e um tênis.
Emmy.

- Me desculpe. – falei fingindo que não a conhecia. Ela olhou com um sorriso pra mim, um sorriso que significava uma coisa: vitória. Mas será que...?

Não. Ela não seria capaz.

Saí, mas ainda fiquei a observando de longe. Ela tinha uma calorosa conversa com Remus, um amigo nosso da escola. Antes de ela sair, ela e Remus eram namorados. Será que eles voltaram de vez? Ah, ela já devia ter planejado isso! Já que toda rainha precisa de um rei...

Desisti de observar, chamei o segurança e voltei ao local onde os meninos brigavam, mas eles já não estavam mais aqui.

- Mas eu juro que eles estavam aqui – berrei, procurando-os.

- Olha, senhorita, da próxima vez que for brincar, por fav...

Eu não os olhava mais; agora eu olhava fixamente um movimento do outro lado da passarela; até as modelos que desfilavam paravam para olhar. Eram duas pessoas brigando... Devem ser eles!

- Olha, ali! – berrei para os seguranças.

Eles olharam, surpresos e correram para aparar a briga.

O desfila já havia cessado, e Lene e sua mãe já estavam observando os dois brigando.
Juntei-me a elas.

- Lily, o que significa isso? – indagou Lene, surpresa.

- Não tenho a mínima idéia. – sussurrei, aflita.

Photobucket


- Foi bom você ter me acolhido aqui na sua casa depois daquele escândalo de ontem. – comentei, escovando os dentes, para Lene, que estava tomando banho.

- É... aquilo estragou o desfile da mamãe... – comentou ela, fechando o chuveiro. – Mas em compensação, eu saí em todos os jornais!

- É... – comentei, nem um pouco entusiasmada.

- Ah, vai, por que você está tão triste?

- Eu não estou triste... – falei. – Estou preocupada.

- Preocupada com o quê? – indagou ela, saindo do banheiro e indo em direção ao seu enorme guarda-roupa.

- Depois dessa – comecei. – aposto que a Emmy vai conseguir de volta o seu reinado. Ela veio pra roubar tudo de mim.

- Eu não acredito! – berrou ela, do nada.

- É – insisti. – a Emmy quer roubar tudo de mim...

- Não, não é isso! – interrompeu ela. – O Sirius acabou de mandar uma mensagem aqui pro meu celular. Ele quer sair amanhã pra jantar.

- O Sirius? – perguntei, surpresa, colocando um sorriso no rosto. – Ele nunca sai pra jantar com ninguém!

- Aii *-* - exclamou ela, feliz, enquanto vestia a roupa. – Por que será que ele quer sair?

- Um anel de compromisso? – sugeri, terminando de me vestir.

- OMG *-*

- Onde vai ser?

- No restaurante francês Le Dinner.

- Acho que vou convidar o Tiago também, sei lá, quero fazer as pazes com ele. – comentei. – Ai a gente podia fazer um encontro duplo...

- Uma ótima idéia. – opinou ela, terminando de se vestir.

- Se bem que, depois de ontem, ele deve estar uma fera comigo, eu nem falei com ele depois da briga...

- Hmm... Estamos atrasadas. – desconversou ela.

Descemos as escadas da sua enorme mansão, fomos até a cozinha pegar uma barrinha de cereais light e então seguimos para o carro, onde o motorista nos levaria até a escola. Seria um péssimo dia, eu podia sentir.

Ao chegarmos na escola, todo mundo estava olhando para a gente. Ou melhor, para mim. Éramos uma espécie de celebridades, daquelas que todo mundo fica olhando, encarando, mas no fundo, ninguém gosta delas. E pra piorar a situação, o que senti era que ninguém gostava de mim, mesmo.

As pessoas me olhavam com olhares mortíferos.

Sussurravam entre si:

“Olha aquela Lílian Evans que traiu o namorado!”

“Você sabia que ela estragou o desfile das McKinnon?”

“Como ela está mais feia com a chegada da Emmeline! Devia voltar a usar óculos!”

“Ela não é mais a minha rainha. Não mais.”

Eu estava explodindo.

Uma líder de torcida, que estava na minha frente, parou e ficou me encarando.

- ‘Ta olhando o que, vadia? – perguntei, irritada.

Ela me encarou com ódio.

- Muita experiência você tem pra chamar alguém de vadia!

Entreguei a bolsa pra Lene, afim de dar um soco na cara dela.

- Se eu fosse você eu não fazia nada. – murmurou Lene, ao meu ouvido.

- ‘Ta com medinho? – perguntou a lambisgóia.

Vou te mostrar quem ‘ta com medo aqui, sua vaca.

- Não tanto quanto você, vaca. – ataquei.

Ela então partiu pra cima de mim com muito ódio. E eu também parti pra cima dela, pra matar. Foi puxão de cabelo aqui, soco na cara ali. Eu juro que detesto líderes de torcida.

A multidão olhava exasperada.
Lene olhava preocupada.
Preocupada com o quê? Quem estava levando uma surra era a líder de torcida ou não.

- Pare Beatrice. – falou uma voz doce.

A líder de torcida então parou de me bater e eu, que já tinha parado pra observar a voz, agora já estava de pé.

- Ora, ora, ora. Eu pensava que uma rainha tinha que ter classe. – falou Emmy para mim. – Opps, esqueci quem é a rainha aqui.

Ela deu uma risadinha histérica.

As pessoas me olhavam com um olhar de desaprovação.

Peguei a minha bolsa, chamei a Lene, e, ao passar por Emmy, falei:

- A guerra ainda não acabou. Não acabou.

Ela me encarou com um sorriso.

- Acaba quando a rainha diz que acaba.

- Então que bom que você ainda não disse.

Sai com Lene, em direção à sala de aula.

Primeira aula, física. A professora era a Mrs. Karla, uma mulher com um cabelo cacheado horroroso –de dar pena, um óculos fundo-de-garrafa que apenas realçava o quão grande o seu olho era, e um bigode GIGANTE acima da boca. Fashion victim, of course.

Fomos as primeiras a chegar na sala. Mas depois de dez minutos a sala estava lotada. E também entrou na sala a nossa odiada querida rainha, que me lançava um olhar de triunfo a cada cinco segundos.

Peguei um papel e escrevi para Lene.

Tenho que virar o jogo... URGENTE!

Entreguei. Logo recebi a resposta.

E como planeja fazer isso?

A professora entrou na sala. Com um sorriso triunfante, diga-se de passagem. Não entendi o por quê. Peguei a caneta rapidamente e escrevi para Lene.

Ela é a Rainha da Fofoca, sabe tudo de todos. Deve ter alguma coisa dela que ninguém sabe... que ninguém pode saber.

Ela me respondeu enquanto a professora guardava o seu material na mesinha.

Então você quer descobrir um podre da Emmy para espalhar pra todos e recuperar o trono? Sbae, eu gosto da Emmy, e eu estou totalmente fora desse plano.

Li incrédula. A Lene se recusava a me ajudar. Eu estava sozinha.

A professora começava a escrever um resumo sobre movimento circular.

- Eu quero todo mundo copiando. Quem não copiar vai pra coordenação.

Peguei um pedaço de papel e escrevi pra Lene:

Lene, eu insisto. Não posso fazer isso sozinha. Preciso de você!

Entreguei e recebi a resposta de imediato.

Lily, você é louca. Não está feliz assim? Deixa a Emmy em paz. Ela era a nossa melhor amiga e...

- Lílian Evans! – a professora gritou. Tremi.

Nossa, essa mulher tem uma marcação comigo... desde o nosso primeiro dia de aula que ela não gosta de mim. Ela sempre fica brigando e brigando e brigando comigo. Isso é muito ruim. Só porque eu só consegui tirar 1 nota acima da média em física, não quer dizer que eu seja um desastre total, quer?

Quer. x.x’

- É o seguinte, Srta. Evans. Você não está copiando o resumo. Ou você copia, agora, ou você sai.

- Tudo bem, tudo bem. – exclamei para a vaca velha.

Comecei a copiar o chato resumo.

Ouvi um erguer de mãos [?].

- Hem, hem. Mrs. Karla?

- Sim querida?

Era a Emmy.

- Eu... estou sentindo uma dor no braço. Não estou conseguindo copiar.

- Sem problemas docinho. LÍLIAN EVANS! – berrou a mulher. Poxa, eu ‘tô aqui quietinha no meu canto e essa monstra vem aqui só me torturar. Muito besta isso. – A Srta. Vance precisa que alguém copie o resumo pra ela.

Olhei com cara de ‘e eu com isso?’.

- Você vai copiar pra ela.

- Mas... mass... porque eu?!

- Porque, Srta. Evans? Por que se não você vai sair de sala!

Ouch.

Photobucket


Bendito seja Deus. Finalmente eu acabei esse castigo dia tão horrível na escola. Falta apenas uma aula – uma das minhas aulas favoritas – educação física. Antes da aula, tem um intervalo de 15 minutinhos para fazer o que quiser, depois você tem que ir pra quadra treinar alguma coisa que o professor passar.

Como eu ainda tenho quinze minutos, só há uma coisa a fazer.
Procurar o Tiago.

Ele estava no refeitório comprando um lanche. Sozinho.

Me aproximei.

- Hmm... oi. – falei, timidamente.

Ele fingiu que não me viu e então seguiu direto.

Fui atrás dele.

- Então... vai fingir que não me vê?

- Depois dessa – começou ele. – eu não agüento nem mais olhar na tua cara.

- Isso foi tudo armação! – berrei. Mentira. Quer dizer, eu traí sim, mas era uma armação devido ao fato de ele descobrir. A Emmy me paga. Só não sei como.

- Ah, tudo sempre é armação. – falou ele, conformado. – Mas sabe, eu já estou até superando esse fato.

- Quer dizer então... – suspirei. – quer dizer então que você já tem outra?

- Não... mas já estou apaixonado por outra. – falou ele.

- QUEM? – berrei furiosa. – QUEM?

Ele pensou um pouco. A resposta foi exatamente quem eu menos queria ouvir.

- Emmeline Vance. Agora, se me dá licença...

Ele se foi.

Caí no chão, cheia de lágrimas. Eu precisava dele. Eu... eu o amava.

Ouvi palmas atrás de mim.

- Surprise! – gritou alguém feliz atrás de mim.

- Sua maldita! @:

- HOHO³. Você roubou o meu reinado. Eu roubei sua popularidade, seu namorado, seus amigos. Acho justo. – comentou ela, com desdém.

Eu to com vontade de almoçar uma vadia assada hoje. [6]’

- Você é só uma pobre coitada Lily. Se aproveitou dos outros pra subir. Agora, vai cair mais rápido e mais dolorosamente do que antes. Boa sorte.

Ela se virou e começou a rir.

Meu ódio foi mais forte que eu. Eu realmente não o que o aconteceu, era como se algo dentro do meu sangue estivesse flamejando, incendiando e eu fosse obrigada a fazer isso. Peguei rapidamente o tamanco e, com toda a minha força – que eu não sabia que tinha, joguei bem no meio da nuca da risonha Emmy.

Ela não ria mais.

Agora eu podia ver o ódio nos seus olhos. Ela estava fumegante.

- Você não fez isso. – falou ela, incrédula.

- Fiz. – assenti, ainda não me reconhecendo. – E posso fazer muito pior.

Ela pareceu me fitar por um segundo, estudando-me minuciosamente. Mas ela pôs um sorriso no rosto e apenas sussurrou numa voz fina, mas totalmente escutável:

- Quem ri por último, ri melhor.

Ela então riu.

- Então eu vou rir por ultimo. – garanti, séria.

Photobucket


- Ai... – exclamei eu, saindo do vestiário, com Lene do meu lado. – hoje foi, realmente, um dos dias mais cansativos de educação física que eu já estive.

- É... foi muito cansativo. – concordou Lene.

- Mas valeu a pena, sabe. – suspirei. – Só por ter tacado a raquete de tênis na cara da Emmy, ah valeu!

Lene parou.

- Eu já disse pra você parar de fazer isso com ela. Ela é nossa amiga.

- Era. – enfatizei. – Era.

- Mas ela continua sendo minha amiga. – disse Lene. – Eu gosto dela. Ela nunca fez nada de mal.

- Ah, fez sim. Aposto que ela quer roubar o seu namorado também.

- O Sirius? – exclamou ela. – Ela nunca faria isso.

- Tenho certeza que faria. Mas não quero discutir.

- Tudo bem, então. – falou ela.

Ela procurou na bolsa o seu celular. Tentou fazer uma ligação mas não deu.

- Lily... me empresta o seu celular? É que o meu não está conseguindo ligar e eu tenho que pedir pro Gerard vir pegar a gente. – falou ela. Gerard é o motorista dela, oi.

- Tudo bem. – falei eu.

Abri a pequena bolsa que tinha em mãos. Revirei os itens que tinha ali, mas não encontrei o celular.

- Não está aqui. – falei. – Acho que esqueci lá no vestiário.

- Ah... Eu vou pegar então. – ofereceu Lene.

- Não, não. Deixa que eu vou. O celular é meu, ora.

Então me virei e segui para o vestiário.

Não tinha mais ninguém no vestiário. Eu só precisava encontrar o meu celular rapidamente e então seguir para onde a Lene estava.

Ouvi um gemido.

Que estranho :x será que é a murta-que-geme Q

Fui procurar a curiosa voz que havia gemido há pouco tempo atrás e acabei levando um prêmio em dobro.

Emmeline estava lá, só de calcinha e sutiã, beijando alguém. Virei-me um pouco pra ver e era... Sirius Black o: Ele estava sem camisa, e de costas. E o meu celular se encontrava num banquinho perto de onde eles estavam.

O celular começou a tocar.

Emmy se assustou.

- OMFG! – exclamei abismada.

Uma vez, Gossip Girl disse: ‘the shining stars burn out the fastest.’ Pessoalmente, nunca acreditei muito. Mas agora, está mais que provado; as estrelas mais brilhantes, desaparecem mais rápido.

Bom saber.

Acho que uma certa estrela loira que usa All Star está prestes a cair. Ou melhor, despencar.

Photobucket
n/a: oi gente ;D
esse capt foi dumal né [6]'
mas eu ainda tenho muitas reviravoltas na manga [?]
q
mas então, obrigado mesmo pelos coments e continuem -q
bjs

math e. gomez -

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.