FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Ciúmes e mais ciúmes


Fic: O que o futuro nos aguarda...


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Estavam todos tomando café da manhã quando um menino loiro se encaminhou para a mesa da grifinória.
- Oi Tom – disse Raissa olhando de esguelha para Sirius que ficara emburrado de repente. Corou sem saber o porquê.
- Eu queria saber se você estava a fim de sair hoje Raissa – disse Tom nem dando oi para o resto da mesa.
- Desculpe Tom, hoje não vai dar. Eu vou ter que adiantar meus deveres.
- Ah, claro. Desculpe-me.
- Sem problemas – disse Raissa querendo acabar com a conversa o mais rápido possível.
O garoto se afastou da mesa e Sirius não perdeu tempo para comentar:
- Muito bonito o fora que você deu nele. Ele não servia para você mesmo.
- Mas eu não dei fora nenhum, eu apenas não posso sair hoje. Isso não quer dizer que eu não possa sair amanhã.
- Você não desiste desse garoto não? – perguntou Sirius emburrado de novo fazendo James e Remo se entreolharem. Era possível que Sirius Black estivesse com ciúme?
- Por que eu desistiria de um garoto que gosta de mim?! – perguntou Raissa exasperada.
- Porque ele não serve para você, e mais cedo ou mais tarde você vai ter que voltar para o seu tempo!
- O que ainda não aconteceu então senhor Black eu faço o que eu bem entendo.
- Faça então! Problema é o seu. Só estou te avisando que aquele garoto é furada.
- AH! – gritou Raissa – Vai catar coquinho Sirius! – saiu da mesa e foi para o jardim sendo seguida por Lílian.
- Raissa espera!
- O que foi? Também não gostou do Tom?!
- Não! Não é isso! Você não percebe o que o Sirius está sentindo?
- Não! Ele é um idiota!
- Ele está com ciúme! Você mesma perguntou se ele estava com ciúme ontem – disse Lílian rindo enquanto Raissa corava.
- Lílian, isso é impossível – disse meio constrangida.
- O que é impossível?
- O Sirius gostar de mim.
- Por quê?
- Porque ele nunca, jamais gostou de alguém ou deu a entender que gosta de mim, e agora do nada vem com essa crise de ciúme! Poupe-me!
- Isso é mentira! O Sirius já teve muitas outras crises de ciúme se você não se lembra. Eu lembro muito bem que ele odiava ver você saindo com outros garotos, só que nunca quis demonstrar.
- E por que demonstrar isso agora?
- Porque ele já está ficando mais velho, está difícil esconder os sentimentos! Pare de tentar ver uma explicação lógica! De repente, e eu aposto que é isso, o Sirius ainda nem se tocou que gosta de você. Do jeito que ele é burro.
- Lílian isso não pode estar acontecendo. Eu não quero sofrer de novo.
- De novo?
- Você sabe muito bem o quanto eu gostei do Sirius no terceiro e quarto ano. Só que ele nem me dava bola e agora fica aí com crises de ciúmes! Eu não quero sofrer de novo, ter outra decepção.
- Entendo... Agora hipoteticamente falando, se ele estivesse gostando de verdade de você, você daria uma chance para ele?
- Eu não sei.
- Fala a verdade.
Raissa pensou um pouco antes de responder – Daria todas as chances.
- Ótimo, então já temos um plano!
- Já? Nossa! Nós somos rápidas! – disse Raissa brincando.
- Eu sei o que você vai fazer para ver se isso que ele sente é só um ciuminho besta ou se ele gosta de você! E isso vai até abrir os olhos para o que ele está sentindo.
- O que eu vou fazer? – perguntou Raissa curiosa.
- Você vai continuar saindo com o Tom...
- Não estou entendendo nada agora, não era com o Sirius que eu deveria ficar?
- Presta atenção no gênio aqui! Você fica com o Tom, vai ficando, fingindo que está tendo um bom relacionamento...
- Estou ouvindo.
- Aí se o Sirius realmente gosta de você, ele não vai agüentar te ver nos braços de outro...
- Estou ouvindo e gostando.
- E então ele vai acabar admitindo o que sente ou vai ter um ataque e perder a cabeça. Temos que ver como ele reage vendo você com outro.
- Nossa! Você bolou tudo isso agora? – perguntou Raissa espantada.
- Sim.
- Eu acho que sua convivência com o James não está te fazendo bem.
- Ao contrário, está me fazendo muitoooo bem! – disse Lílian rindo fazendo Raissa sorrir – Você vai ter que encontrar com o Tom toda hora, todo minuto, todo segundo, leve ele em todos os lugares que você vai. Beije-o na frente do Sirius.
- Não acha isso exagero não?
- Não. Na guerra e no amor vale tudo.
- Que bonitinho, agora além de saber bolar planos perfeitos, também virou uma especialista no amor! Oh! O James realmente está te fazendo muito bem.
- Em falar em James, ele anda cada vez mais fofo.
- Mais fofo do que já era? Cruzes! Ele deve estar um grude agora.
- Hahahá! Muito engraçada você! Não poxa! Ele fala até de casamento agora!
- Lílian sua tosca! Anta! Bestinha!
- Valeu! Também te amo!
- Ele sempre falava dessas coisas de casamento, filho e blábláblá! Só que você estava sempre ocupada gritando então não prestava nem atenção direito!
- Obrigada por jogar na cara que eu sempre fui grossa com o James.
- A disposição!
- Boba! O que me preocupa é uma coisa, ele ainda não me pediu em namoro!
- E precisa? Lílian, minha cara do jeito que ele te ama vai te pedir logo em casamento.
- Poxa, mas eu sou um pouco fresca sabe. Eu gosto quando me pedem em namoro.
- Não sei se o James é de fazer isso não. Mas por que você não pergunta para ele? Essa é a sua chance!
- O que?
- James a vista! – disse Raissa fazendo Lílian se virar a tempo de ver James correndo ao seu encontro.
- Oi meninas.
- Oi James – disse Raissa – Gente, eu vou indo. Não vou inventar nenhuma desculpa não! Vou indo porque eu realmente não quero ficar aqui no momento “Love” de vocês! Até – disse Raissa saindo de perto dos amigos.
- Como minha amiga é direta! – disse Lílian rindo.
- Que bom que ela saca as coisas rapidinho – disse James rindo e puxando Lílian para mais junto de si – Estava com saudades de você!
- James! Você me viu no café da manhã! Como você é exagerado!
- Obrigado! Tento ser romântico, mas não! Minha ruivinha sempre corta meu barato! – disse fazendo biquinho. Lílian riu do namorado.
- Você é tão fofinho.
- Eu sei.
- Idiota!
- Eu sei.
- Você admitiu que é idiota?!
- É para você parar de falar mais rápido e me beijar logo – disse roubando um beijo de Lílian.
Ficaram um bom tempo se beijando e agora os dois estavam sentados à beira do lago observando o céu.
- James – chamou Lílian.
- Fala.
Lílian olhou para o maroto que a encarou antes dela falar.
- Nós estamos firmes?
- Como assim?
- Você sabe – disse corando – Nós estamos namorando?
James sorriu para a garota. Deu AQUELE sorriso que faz qualquer uma enlouquecer! Aquele que a gente olha e fala “Meu senhor! Me segura para eu não voar em cima desse garoto”, mesmo que algumas meninas falem isso só para os atores da TV xD! Lílian sentiu que estava agora da cor de seus cabelos de tão envergonhada. “Eu não devia ter feito essa pergunta! Droga! Vou matar Raissa” pensou consigo mesma.
- Lílian, você é muito apressadinha. Sempre estraga tudo! Cortou outra vez meu barato.
- Nossa! Ofendeu-me! Mas por que eu cortei de novo seu barato? – perguntou curiosa e feliz.
- Porque como eu sabia que você era o tipo de garota que gosta desses pedidos...
- Continua!
- Eu comprei um presente e pretendia fazer o pedido agora! Só que como sempre você cortou meu barato!
- Oh não! – disse Lílian completamente radiante – Finge que eu não falei nada! Olha! Eu não estou nem aqui com você! Estou chegando agora – disse Lílian se levantando e se afastando, depois voltou e fez uma cara surpresa – James! Você por aqui?! – disse sentando – Como vai a vida?
- Bem – disse James rindo e entrando na onda de Lílian – Eu queria te fazer uma pergunta Lílian.
- Então faça.
- Você quer namorar comigo?
- Oh! Mais que surpresa! Quem poderia prever isso?! – perguntou Lílian divertida enquanto James ria, mas não pode deixar de se sentir emocionada – É claro que eu aceito.
- Ótimo. – disse James se levantando.
- Ei! – Lílian levantou também – E o presente?
- Não sei se você merece – disse James rindo.
- Não me obrigue a pegá-lo de você! – disse Lílian sorrindo sapeca.
- E se eu obrigar?
- Não dou por mim mesma! Posso te machucar! – disse falando maliciosamente.
- Eu gosto do perigo! Gosto de brincar com fogo.
- James – disse Lílian rindo e batendo no ombro do menino.
- Não bate que eu gamo!
- E se gamar? Você me dá o presente?
- Eu penso no seu caso. Mas vai ter que fazer por merecer.
Lílian se aproximou de James com um sorriso no rosto – Eu vou te ensinar como persuadir uma pessoa e conseguir o que quer.
- Vai em frente professora.
Lílian abraçou o namorado e lhe tascou um beijo na boca. Depois de um tempo começou a beijar o rosto inteiro do maroto, foi deslizando com os lábios até a orelha de James onde deu uma pequena mordida, foi descendo da orelha para o pescoço de James ainda brincando com o lábio na pele do garoto. Chegando ao pescoço beijou de leve e deu um leve chupão. Rindo deu um chupão ainda maior que com certeza ficaria a marca. James ria apreciando muito o que Lílian estava fazendo, foi quando ela lhe beijou de novo nos lábios e puxou com força os cabelos dele que não sentiu dor nenhuma. Enquanto beijava o maroto Lílian descia suas mãos pelas costas do mesmo até chegar à bunda onde deu apertou com força. James agora ria com gosto. Lílian afastou um pouco o seu rosto do rosto de James e falou num sussurro:
- Agora eu mereço o presente?
- Merece – disse James tirando do bolso que ficava na frente da calça uma caixinha. Lílian a pegou deu mais um sorriso sapeca e se afastando de James começou a pular.
- EU CONSEGUI!! EU CONSEGUI!! – gritava feliz.
- Você quase me fez perder a cabeça, na verdade eu perdi a cabeça e tive que me segurar para não fazer nada aqui – disse James e Lílian parou de pular corando, mas se recompôs.
- Se quiser eu posso fazer isso todos os dias para você no seu dormitório – disse mordendo o lábio inferior.
- Quem é você e o que você fez com a Lílian? – perguntou James divertido.
- Qual foi James! Você acha que só você pode se divertir? Também sei falar coisas indecentes! Agora com licença que eu vou abrir o meu presente. – disse abrindo a caixinha. Dentro tinha um lindo anel de ouro com uma pedra verde no meio e por dentro estava escrito “Lílian e James para sempre”. Depois de alguns minutos em silêncio no qual Lílian não falara nada ainda, James começou a ficar preocupado. A menina estava com a cabeça baixa olhando para o anel.
- Achei que fosse combinar com seus olhos. Se você não gostou a gente pode trocar – disse fazendo Lílian erguer a cabeça. James constatou que Lílian estava chorando. A menina tinha seus olhos transbordando de lágrimas e seu rosto manchado pelas mesmas.
- Eu amei – disse com a voz embargada. James sorriu para a namorada – Foi a coisa mais linda que alguém já me deu – disse chegando perto de James – Como você consegue ser tão bobo e ao mesmo tempo tão lindo e romântico? – perguntou sorrindo.
- Sou um maroto. – disse James passando as mãos no cabelo.
- Bobo – disse Lílian rindo.
- Esqueceu do lindo e romântico.
- Eu nunca me esquecerei disso, apenas resolvi não falar nada para encurtar o tempo em que eu ficaria sem te beijar – disse Lílian puxando James e o beijando com paixão. James podia sentir o gosto salgado das lágrimas de Lílian e foi aprofundando o beijo cada vez mais.
Já se passara algum tempo e os dois estavam já em uma situação um tanto constrangedora para quem os visse. James já tinha as mãos por dentro da camisa de Lílian enquanto essa já desabotoara toda a camisa de James e acariciava o namorado. Quando se deu conta Lílian se afastou.
- Eu acho melhor voltarmos.
- Claro – disse James – Já vai escurecer. Vamos então amor – disse James enquanto Lílian pegava a caixinha e colocava o anel no dedo. James sorriu para ela e pegando na sua mão os dois voltaram para o castelo.



Assim que James e Lílian chegaram à sala comunal Lílian correu até as meninas gritando. Todas levaram um susto e os marotos olharam curiosos, Harry e Rony também.
- Estou vendo que a ruivinha aceitou – disse Sirius piscando para James que se sentou entre os amigos no sofá.
- Na hora.
- Opa! Isso quer dizer que eu já tenho chances de nascer – disse Harry brincando.
Todos os marotos riram e viraram para as meninas.
Todas estavam em volta de Lílian que contava os detalhes parecendo emocionada.
- Eu não sei o que a Raissa vê no Tom – disse Sirius olhando para a garota enquanto James e Remo trocavam olhares divertidos.
- Sirius, pode nos contando – disse James para o amigo – O que você sente pela Raissa?
Sirius olhou intrigado para os amigos:
- Ora! Eu não sinto nada! Nunca senti nada especial por nenhuma garota!
- Sirius, você não conhece os seus próprios sentimentos – disse Remo olhando para o amigo que corou.
- Claro que eu conheço. Por exemplo: Eu te odeio Remo.
- Para de brincadeira, Sirius, é verdade o que o Remo disse. Você realmente ainda não se tocou que gosta da Raissa?! Quanto tempo você vai demorar a descobrir isso? – perguntou James. Sirius pareceu pensar um pouco, mas foi para responder outra idiotice:
- Todo o tempo do mundo porque eu não sinto nada! Ouviram? NADA! – berrou Sirius saindo da sala sem nem olhar para trás.
- Eu hein! – disse Raissa sentando no sofá – O que deu nele?
- Ele não consegue enxergar o que está a um palmo do nariz dele! – disse Remo revirando os olhos – Em lance de amor seu amigo é um babaca, James.
- Eu sei disso Remo. Não precisa lembrar – disse James e viu que ao seu lado Raissa corara.
- Quando você vai por em prática o seu plano? – perguntou Remo e James o olhou confuso – O do Harry!
- Ah sim! O mais rápido possível, na verdade começando agora! Vocês podem me deixar sozinho com ele e Lílian? A outra ruiva pode ficar, mas dá um jeito de tirar os outros de cena.

Remo e Raissa saíram da sala levando Hermione, Ron e por incrível que pareça conseguiram despistar a ruiva também.
Harry foi até o sofá onde estavam os pais e sentou.
- Harry, nós podemos conversar com você? – começou Lílian.
- Claro – disse Harry com um tom de incerteza.
- Harry você promete não mentir? – perguntou James.
- Sim, mas não prometo responder tudo.
James e Lílian se entreolharam e continuaram:
- Harry, o que está acontecendo? – perguntou Lílian.
- Como assim?
- Você sabe! Você parece ser tão triste e distante às vezes, a gente observa como você aparenta ser infeliz.
Harry apenas suspirou.
- É algum problema com a gente?
- Como assim?! – perguntou Harry espantado – É claro que não! Vocês são ótimas pessoas.
Lílian e James esboçaram um sorriso.
- E pais? Nós somos bons pais? – perguntou Lílian.
- Vocês são os pais que toda criança já quis ter. São aqueles pais que a gente sabe que fariam qualquer coisa pela gente, são pais que morreriam lutando para nos salvar, que mesmo morrendo ainda teriam grande importância na nossa vida e que criariam com o filho um grande vínculo de amor.
Lílian e James se entreolharam sorrindo, porém assustados com o que o garoto dissera. Lílian deu a mão a James. Tinha lágrimas nos olhos.
- E por que você parece ser tão infeliz? – perguntou James.
Harry olhou para seus pais que estavam na sua frente esperando uma resposta. Poderia contar tudo! Mas aí não seria fiel a Dumbledore que lhe ajudou tanto. Não queria que os pais voltassem para o passado sem saber de nada do que se passara na sua vida. Queria berrar! Gritar com todas as forças que os queria sempre ao seu lado. Os queria ao seu lado quando entrou em Hogwarts, quando fez novas amizades, em todos os natais, nas férias queria ter tido uma casa certa para ir, um lar onde pudesse ouvir seus pais mesmo que brigando, um lar onde pudesse levar os amigos, talvez tivesse tido um cachorro, quem sabe um irmão ou uma irmã? Os queria nas horas mais difíceis, quando teve que tomar decisões sozinho, quando beijou pela primeira vez, quando se apaixonou pela primeira vez, os queria em momentos tolos, mas que fizeram grandes diferenças em sua vida. Queria aprontar e receber broncas que nunca recebeu, talvez um berrador de Lílian? Queria pais que pudessem se orgulhar dele, pais que o consolassem, que o alegrassem que o tivessem ensinado o que é certo e o que é errado, o que é bom o que é ruim. Queria ter aproveitado uma infância que jamais tivera uma infância que lhe foi tirada ao ir para a casa dos tios. Queria a sensação de ser abraçado por sua mãe sempre que estivesse perto dela, de abraçar o pai. Quem sabe se nada disso tivesse acontecido Sirius ainda estaria vivo e tivesse se casado, tido filhos? De repente o filho de Sirius teria a mesma idade de Harry e formassem um novo grupo de marotos com Rony. Todos esses pensamentos passaram pela cabeça de Harry e ele não pode contar lágrimas que teimavam em sair de seus olhos.
- É difícil explicar. Vocês não entenderiam e eu nem posso ao menos explicar.
- Harry – Lílian correu para o filho e o abraçou – Meu Merlin Harry! Não nos faça sofrer com esse seu desespero. Pelo amor de Merlin nos conte o que está havendo.
- Eu não posso – disse Harry saindo do abraço – Eu simplesmente não posso – saiu da sala e subiu para o dormitório.
James e Lílian se entreolharam.
- Ele não vai falar – disse Lílian soluçando.
- Calma ruiva. – disse James abraçando Lílian – Se ele não vai falar então eu descubro. Não se preocupe que até o final da semana nós saberemos de tudo.
- Eu te amo James.
- Eu também ruivinha, eu também...



Hermione estava lendo na biblioteca enquanto Ron fazia seu dever. Foi quando uma coruja entrou voando pela janela e pousou no ombro de Hermione. A garota muito confusa pegou a carta e Rony olhou para a amiga.
- De quem é? – pergunto curioso.
Hermione corou ao ver de quem era e Rony teve uma pequena idéia de quem se tratava. Deixou Hermione ler a carta e esperou que ela terminasse para lhe dar alguma satisfação, porém quando terminou de ler a carta Hermione apenas voltou a ler o livro que lia. Rony olhou para ela incrédulo.
- Não vai me dizer de quem era?
- Não te interessa.
Rony pegou o envelope que estava na mão da garota que armou um escândalo.
- Devolva isso Ronald Weasley.
- Não, quero ver de quem é.
- DEVOLVA!
- Pare de gritar, estamos em uma biblioteca.
Hermione suspirou e voltou a falar:
- Rony devolva.
- Então me fala de quem é.
Hermione corou.
- É dele não é? – falou Rony mais acusando do que perguntando. Hermione corou mais e Rony teve que se segurar para não ter um ataque – Eu não acredito que você continua se comunicando com ele! O idiota do Krum!
- E se continuo? Algum problema? – Hermione agora estava nervosa.
- Tem sim! Ele é um babaca!
- Babaca ou não ele é meu amigo.
- Amigo sei! Ele quer ser mais do que um amigo! ELE NÃO TE MERECE! – não se conteve e acabou gritando.
Hermione olhou assustada para Rony – E quem é você para saber quem me merece ou quem pode ficar comigo?
Rony olhou para a menina alguns instantes – Só não acho que ele é a pessoa certa para você.
Hermione olhou para Rony, um pouco mais calma e quando deu por si estava chorando – Eu cansei de esperar a pessoa certa, cansei de dar sinais e não ser correspondida Ronald Weasley. Você não sabe como eu sofro por não fazer o garoto que eu gosto gostar de mim.
- É impossível alguém não gostar de você.
Hermione corou e do nada chorou mais ainda – Você é um idiota Rony!
- O que eu fiz agora?
- Será que você é tão burro quanto aparenta ser? Será que você não enxerga o que está diante da sua cara?!
- E o que está diante da minha cara?
- EU! – berrou Hermione sem se conter, Rony levou um susto.
- C-co-como assim? – gaguejou Rony.
- Está vendo?! É por isso que eu cansei de esperar a pessoa certa!
- E aí você vai atrás da pessoa errada? – perguntou Rony irritado.
- PELO MENOS A PESSOA ERRADA TOMA INICIATIVA! – gritou Hermione e Rony corou.
- AH! É isso! Você gosta de iniciativa é?
- De vez em quando é bom! – disse Hermione já vermelha.
- Ótimo então! Eu te mostro o que é iniciativa – disse Rony e não esperando nem uma resposta de Hermione a agarrou no meio da biblioteca. A garota ficou confusa, mas não tentou nem se afastar. Não se importava se estava em uma biblioteca ou não.


* * * * *

PRONTO! Mais um capítulo! Desculpa a demora aí gente! Espero que vocês gostem, mas eu juro que o próximo vai ser melhor! Porque eu não tive muito tempo para fazer esse! Sorry! Aí está, a última cena é para dar um gostinho de quero mais! Só quero ver se agora vão comentar sobre o que vai acontecer! uhauhauha autora malvada eu né?! uahhauuha

Agradecimentos:

Alexandra Zabini - Eu também acho a Lily e o Jay mto fofos juntos! E o Black e a Raissa fofos?! Eu sei! uhauahuhaa

¥ Anna Weasley ¥ - Ah! Parece que todo mundo gostou da cena do Jay e da lily! Que bom... O Sirius? É! Ele não parece aquele tipo que gosta de compromisso... mais quem sabe?! E eu sei... ele e a Raissa juntos são fofos mesmo! Eu também adoro quando o James e o Sirius ficam se "elogiando"! huauahua Não fica triste que tá acabando não! Ainda tem muito mais pra vir e eu tenho tantas outras fanfics em mente!

Sany Evans - Que bom que você gostou! Ah! Vai ter muito mais momento Rony e Hermione! Aguarde! auhahuahu

maluh aluada evans potter - Que bom que você gostou! E eu também curti muito as suas!

lilica86 - O que seria de mim sem seu apoio desde o começo? NADA! Eu que te agradeço por tudo!

Gente! Beijos e até o próximo! Leiam também minhas outras fics.... desculpa aí a demora!


Beijões,

Cecília Potter ;****

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.