FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Capítulo II.


Fic: thegossipqueen. - CAPÍTULO TREZE. coments?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Math E. Gomez. ® 2OO8.
Todos os direitos reservados, proibida a reprodução por todo ou quaisquer meios.
Photobucket

Capítulo II
O Retorno da Rainha
O3.1O.O8 - 35%
O9.1O.O8 - 1OO%

Photobucket


MusicPlaylistRingtones
MySpace Playlist at MixPod.com



Narrado por: Lílian Evans.


Emmeline Vance estava radiante. Ela continuava vestindo sua combinação básica: vestido e All Star. Mas ela tinha um sorriso brilhante no rosto.

Não era um sorriso do bem; era um sorriso do mal. Não era um sorriso de saudade; aliás, ela nunca teve saudade. Não era um sorriso de amigo; ela estava me roubando tudo. Não era um sorriso; era uma ameaça.

Ela segurava um envelope na mão esquerda.

Caminhou até mim e me entregou.

- Feliz aniversário, afinal de contas. sussurrou ela, e então saiu cantarolando algo, inocentemente feliz.

E esse era o começo do meu declínio.

Eu comecei a abrir o envelope... mas ai...

Acordei.

Olhei para o relógio e corri.

Photobucket


- OMG, NÃO PODE! – gritei, revoltada. – AZUL NÃO COMBINA COM VERMELHO, ENTENDEU? E EU PEDI VIOLETA E BRANCO!

- Srta. Evans. – falou, calma, a mulher da companhia de festas. – Se você pudesse se acalmar, a gente poderia...

- EU ‘TÔ CALMA! – berrei, tentando relaxar.

Inspira, expira, inspira, expira. [?]

Ding, dong.

- AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! – ok, agora estou desesperada.

Ok, o fato é que faltam quinze pras sete e a minha festa está um total desastre. Primeiro, a empresa horrível que a minha mãe contratou pra fazer a festa simplesmente chegou com duas horas de atraso, e ainda trouxe as cores da decoração erradas. Não tem comida aqui em casa, porque o Buffet ainda não chegou. Além do mais, eu estou vestindo esses trapos horríveis para tentar concertar esse desastre.

E agora um convidado chegou. O que fazer?

Abri a porta, escondendo a minha roupa de doméstica MST [pra quem não sabe, MST é a sigla pra Movimento dos Sem-Teto, obg] de quem quer que seja que esteja na porta. Me deparei com uma Lene totalmente arrumada, vestida pra uma super festa, coisa que era muito difícil de acontecer.

- Lily! Ai, que estava louca pra chegar e... o que houve com a festa?

- LEEENE! – berrei, desesperada. – Está acontecendo um desastre.

- Percebi. – sussurrou ela, entrando na casa, ainda totalmente desarrumada para a festa.

- Eu preciso que você me ajude a melhorar o visual. – implorei. – E você, sua idiota, - acrescentei para a mulher da companhia de festas. – Se você não arrumar essa festa em 15 minutos, eu faço os donos da companhia te despedirem, sua incompetente!

Subi.

Photobucket


Desci a escada, de cabeça erguida. Vestia um vestido vermelho, recém comprado em uma das lojas mais caras de Londres, e o meu cabelo, a Lene deu um jeito, uma vez que eu não tive tempo de ir para um salão. Mas deu tudo certo.

Ao chegar na sala, tive uma agradável surpresa: uma bela festa estava formada, exatamente do jeito que eu queria; DJ, comida (o Buffet chegou), a decoração, apesar de vermelha e azul, muito bem-feita e que, afinal de contas, acabou dando um toque mais dezessete anos para a festa. E é claro, a iluminação, impecável.

Já tinham chegado algumas pessoas; algumas sentavam nas mesas, logo sendo servidos pelas garçonetes, e outros já iam pra pista de dança, que ficava no jardim, e já iam dançando e se beijando.

- É... – comentou Lene, do meu lado, com um sorriso. – Parece que deu tudo certo.

- É. *-*

E as poucas pessoas que se localizavam na festa, foram aumentando, e dali a pouco já estávamos com umas cem pessoas. Comiam, bebiam, dançavam, beijavam, curtiam... Foi exatamente assim que eu quis passar o meu aniversário.

- É, foi muito fácil organizar esse aniversário, sabe... – comentava eu, para Louise Carlz, uma das líderes de torcida, que conversava comigo e com a Lene. – eu mal me estressei dessa vez, foi tudo tão tranqüilo, sabe... organização é a chave e...

Senti umas mãos me envolvendo no ritmo da música.

Claro que era o Tiago.

- Ihh, é melhor deixar o casal em paz... – comentou Louise, sorrindo.

- É mesmo, Lou. – concordou Lene. – Tiago, viu o Sirius?

Ele pareceu pensativo.

- Amn... não. Mas ele já chegou, eu vi o carro dele lá fora.

- Ah, sim ^^ Obrigada.

Então ela saiu. E eu fiquei a sós com o Tiago. Literalmente a sós, porque um montão de pessoas passavam do nosso lado. Mas eu nem liguei... apenas lasquei um om beijo nele. Daqueles bem demorados.

Depois, ele olhou pra mim, sorrindo e disse:

- E pra minha rainha... – falou ele, tirando uma caixinha do bolso. – Um presente.

Fiz uma carinha curiosa, daquelas que se faz quando não tem mais nenhuma cara pra fazer. Mas depois que eu abri a caixinha, fiquei muito feliz: dentro da caixa tinha um anel. Mas não era um anel qualquer; era um anel de compromisso.

- E o meu já está no dedo. – falou ele, mostrando a mão esquerda.

- Oun, que fofo *-* - falei e então coloquei o anel no dedo. – Eu não sabia que você me amava tanto assim pra me dar um anel de compromisso.

Ele deu um sorriso maroto.

- Então pelo visto você não me conhece nada!

Então a gente se beijou mais uma vez. Senti até um calafrio.
Mas foi maravilhoso.

- Te amo. – sussurrei, no ouvido dele.

- Não, eu te amo mais. – insistiu ele.

Eu não ia discutir, ia?

Photobucket


Confesso que senti um arrepio; mas subi na mesa e bati de leve com a colher na taça de vidro.

- Atenção, por favor. – gritei, daí todos pararam o que faziam e olhavam para mim.

Senti um calafrio, mas continuei. Era como se algo de muito ruim estivesse entrando na casa. Mas continuei.

- Então... eu primeiro gostaria de agradecer a todos os convidados que vieram e...

- AHH GENTE, FALA SÉRIO! – berrou Sirius, do cantinho. – ELA MERECE, VAI!

Daí, todo mundo começou a gritar:

- Ela merece!

- Ela merece!

- Ela merece!

Confesso que fico tímida nessas horas. Mas tudo bem, sou a Rainha e tenho que fazer o meu discurso né.

- Continuando gente... Eu gostei muito por vocês virem aqui e...

Parei.

Eu não estava mais sorrindo, mesmo que timidamente, como antes. Agora uma áurea de seriedade invadia a mim por completo, trazendo lembranças da qual eu fazia questão de não lembrar.

No meio da multidão eu vi alguém que eu não queria ver; alguém da qual eu já tinha esquecido. Alguém da qual eu não queria lembrar. Não queria lembrar sobre hipótese nenhuma.

Ela sorria. Mas eu não. Para ela era bom estar aqui de volta, me ver de novo, pelo menos parecia. Mas pra mim não.

Emmeline Vance chegava na sala;

Os meus dias de Rainha pareciam estar contados.

Fui interrompida nos meus devaneios pela idiota da mulher que organizou a festa. Ok, ela fez um trabalho incrível, quase impossível, mas ela continua sendo uma idiota por me interromper no meio do meu discurso e no clímax do capítulo. IDIOTA.

- Srta. Evans, eu...

- Que é estúpida? – perguntei eu, sem paciência. Eu estava realmente louca, uma vez que a Emmy começava a andar na minha direção.

- Err... aconteceu um pequeno acidente na cozinha. A tomada papocou [?] e a comida queimou um pouco. Mas não se preocupe – acrescentou ela, fazendo uma cara estranha ao ver que a minha cara começava a ficar... mortífera, se é que me entendem. – A garçonete já ligou todas as tomadas na tomada geral da despensa.

Ah ‘ta. Tudo certo.
A não ser pelo pequeno detalhe que a tomada geral da despensa também papocou ontem.

Hoje realmente não pode ser o meu dia.

Mas tudo bem, nóis supera.
Quer dizer, não está tããããããão mal. está sim. Sabe, podia ser pior; só tem uma empregada jumenta tentando resolver problemas festivos de maneiras extravagantes e a minha melhor inimiga amiga vindo na minha direção, depois de anos sem vê-la e sem sentir a sua falta –sinceridade online. Realmente não podia ficar pior.

BUM.

Acabou de ficar.

Photobucket



- Calma, gente, calma. – exclamei, acendendo umas velas. O blackout foi geral. – Vai dar tudo certo. Eu peço encarecidamente que cada pessoa pegue uma vela e...

- ESSA É A PIOR FESTA QUE EU JÁ ESTIVE EM TODA A MINHA VIDA! – berrou alguém.

- OMG, eu vou te matar, sua vadia! – sussurrei para a mulher da companhia de festas, que agora me ajudava a acender as velas.

- Calma, Srta. Evans. Vai dar tudo certo.

- É bom. – comentei, de mau-humor. – Se não eu...

- Lily, esta festa está um desastre. – comentou Lene, preocupada, que acabava de sentar e ajudava-me a acender as velas. – As pessoas estão começando a querer ir embora! Sem musicas e...

- Você trouxe o seu iPod? – perguntei, aflita, distribuindo velas acesas. – Trouxe... Mas onde você planeja tocá-lo?

- No som de pilhas. É o único jeito!

- E onde está esse som? – indagou Lene, curiosa.

- No meu quarto, claro.

Sorri.

Que decadente; numa festa da rainha ser tocado músicas from iPod to som de pilhas. Mas fazer o quê né? Nós supera õ/

Subi as escadas com pressa. Aliás, eu não tinha tempo a perder. Cada segundo que se passa, um convidado meu vai embora /drama offline. Cheguei ao quarto, mas uma dúvida invadia minha cabeça completamente: onde está o som? O.o’ Sem falar que vai ser uma DE-LÍ-CIA procurar com esse blackout.

Não encontrava. Numa ação desesperada, comecei a revirar o guarda-roupa.

- Er... Quer ajuda?

Gelei.

A voz que falava isso era familiar. Extremamente familiar. E eu começo a ficar preocupada. Muito preocupada.

Virei.

Não dava pra ver nada, tava tudo escuro, duh. Então eu aproximei a vela e vi um All Star. Péssimo sinal.

Fiquei paralisada. Realmente não sabia o que dizer. Acho que vou ter um BPC: Bi-ataque pelo centro. Não me pergunte, foi a Lene que inventou; é algo próximo a um faniquito, mas serve mais como código.

Mas enfim;

Acho que vou ter um BCP. [2]

- Hmmm... Quer ajuda, Lil’? – perguntou novamente a voz. Que era da Emmy. Então eu vou chamar logo de Emmy, pra não ficar dizendo ‘falou a voz’, ‘disse a voz’. Desculpa, ‘tô nervosa.

- Errr.. Emmy? – arrisquei, mesmo sabendo da resposta.

Silêncio.

- OMG, Lily! – exclamou ela, rindo, sentando na cama. – Finalmente me reconheceu hein!

Eu continuava séria. Sinceramente, não vi motivo para risos.

- Não vai dizer nada? – indagou ela, deitando na cama. – Quer dizer, você não vai dizer nada de novo?

Olhei para ela, confusa.

- Meus telefonemas, minha mensagem, meus e-mails, minhas cartas... Você não respondeu uma sequer! Não pense que eu esqueci.

Procurei algo para revidar. Ou melhor, me desculpar.

- Er... Mas você não me falou onde você foi. – comentei, fria. – Você saiu, assim, sem mais, nem menos.

Ela olhou pro teto escuro, pensativa. Mas depois colocou um sorriso no rosto e disse:

- É, faz sentido... Olha esse presente que eu trouxe pra você.

Ela colocou a mão no bolso e tirou uma caixinha. Ela me entregou, mas eu não conseguia demonstrar emoção.

- Vamos, abre! – insistiu ela.

- Tudo bem. – falei.

E então abri.

Dentro da caixa tinha um papel-manteiga. Dentro do papel-manteiga tinha uma caixinha menor ainda. Dentro da caixinha menor ainda tinha um papel-manteiga pequeno. E dentro do papel-manteiga tinha outra caixinha [6’ um anel.

No anel tinha: Emmy&Lil – Friend’s 4ever.

Olhei para ela, esperando uma explicação.

- Comprei em Nova York. – explicou ela. – Pedi para gravarem então...

- ENTÃO VOCÊ ESTAVA EM NOVA YORK? – explodi. Minha raiva saiu e eu não consegui me controlar.

Ok, eu não estava querendo muito que ela voltasse. Mas, pô, ela saiu sem me dar explicações, ora essa. Ela devia ter me dado. Eu era a melhor amiga dela, e ela some do nada, me deixa aqui plantada igual a um abacate. Não é justo.

Ela se levantou.

- Então é assim que você me trata? – alfinetou ela. – Depois de tudo que nós vivemos juntas?

- Depois de você ter me abandonado... – comentei.

- Ah, nem vem! – ela sentou na cama outra vez. – Nem vem dar uma de ‘Blair, eu fui abandonada pela Serena’. Lá pode ter funcionado, mas aqui não vai.

- ENTÃO VOCÊ NÃO DEVIA TER VOLTADO! – berrei.

Silêncio.

Uma lágrima caiu do meu rosto.

Ela me encarou, com uma lágrima caída também.

- Então depois de tudo... tudo que nós passamos juntas... – ela se virou, enchugou as lágrimas, voltou e então berrou: - EU TE CONSIDERAVA UMA IRMÃ!

Não sabia o que dizer, como me desculpar. Eu só estava sendo sincera, poxa. Será que uma vez na vida eu não posso ser sincera? Mas se bem que... eu ainda gosto dela. Eu ainda a considero uma... irmã. A irmã que eu nunca tive /novela mexicana off. Mas ela ia estragar tudo. Toda a minha popularidade, toda a minha fama, eu ia ser a segunda mais bonita, eu ia ser a segunda mais legal, eu ia ser a segunda mais popular... Eu não queria isso.

- Eu... – disse, me aproximando. – eu também te amo como irmã.

- AHHH! PERCEBI! – falou ela, com um olhar de maníaca da machadinha –medo. – VOCÊ ESTAVA FELIZ AQUI, A MAIS POPULAR! MAS SE EU VOLTAR, EU VOLTO A SER A RAINHA. MUITO SIMPLES...

- Como somar dois mais dois. – murmurei.

- Sua invejosa! Patética! Você sempre teve inveja de mim. Sempre!

Eu não ia mentir. A verdade é que eu sempre quis a vida que ela tinha. E com a saída dela, eu pude ter toda a sua popularidade. Eu me tornei a rainha. E eu não queria abrir mão disso.

- Olha eu... – comentei, tentando me aproximar dela.

- Tira essa mão imunda de mim! - berrou ela, se distanciando. – Eu pensava que você era a minha melhor amiga...

Ela então deu uns passos, pensativa.

- Mas já que você não é... que você me traiu... eu vou acabar com você, Lilian Evans.

Como é? A minha ex-melhor amiga quer acabar comigo? Como fas?

- Emmy... olha eu... – tentei me explicar, mas não deu tempo.

Ela me olhou com um olhar frio e perguntou:

- Você... se... lembra...

Ela então deu um sorriso maquiavélico e repetiu:

- Você se lembra do Seth?

Era o meu fim.

As luzes acenderam.

Photobucket



Ahhh, não há nada melhor do que um sábado de manhã.

É um dia especial. É um dia que você olha pela janela e vê um lindo sol; é um dia que você vai ao jardim e vê que as flores estão cada vez mais bonitas; é um dia que você se olha no espelho e vê uma rainha em declínio.

Bem, talvez você não veja exatamente o que eu vejo. Mas eu posso ver que esse vai ser o primeiro dia do resto da minha vida de ex-rainha.

Coloquei uma roupa decente e tratei de ir ao caminho da escola. A pé, é claro, porque minha mãe acha que carros poluem demais a atmosfera

Mas você deve estar se perguntando: o que a Lily vai fazer na escola num sábado de manhã, enquanto ela podia estar fazendo uma máscara facial, conversando com os amigos no MSN ou simplesmente dormindo?

Muito simples.

Há uma semana eu estou preparando panfletos para a nossa campanha: QUEREMOS UM SUSHI-BAR NA ESCOLA JÁ. É fui eu que criei o slogan /tepassa [?]. Mas o que vale é que ficou brilhante e hoje vai ser a ultima... digamos assim, ‘passeata’ [?] para exprimir as idéias do manifesto.

- Olhai quem ‘ta vindo! – exclamou Sirius, que conversava com a Lene, na entrada da escola.

- Olha, eu sei que a minha festa foi um desastre então... eu não quero falar dela. – falei, entre dentes.

- ‘Ta, ‘ta. Mas todo mundo ‘ta falando da tua festa. E os comentários não foram nada agradáveis.

- Mas tem uma notícia boa. – comentou Lene, mudando de assunto. – Alguém viu a Emmy saindo da sua festa! Ela está de volta *-*’

Gelei.

- Ah sério? – eu nunca fui muito boa em mentir. Brincadeira, eu sou muito boa sim [6]’.

- Aham. *-* Não é demais?

Amn... não.

- Hmrm. – comentei.

Entrei na escola e fui aos armários pegar os folhetos para começar a distribuição. O corredor dos armários estava tão... vazio. Não tinha ninguém. Fui em direção ao meu e, quando estava prestes a abri-lo, ouvi passos vindo na minha direção.

Eram passos de... All Star

- Oiiiii Lil’. – comentou Emmy, que, com seus loiros cabelos cintilantes, abria um sorriso enorme no rosto.

Nem parece que discutiu ontem. Estranho ;x

- Oi. – falei.

- Que fazes aqui esta hora, meninë?

- Ah... eu vim pegar uns folhetos aqui e...

- Uhhh. – fez ela, sarcásticamente. – Folhetos?

- É. – murmurei.

- Bem, eu também vim distribuir folhetos. Mas, desculpa, não sobrou nenhum pra você. – ela fez uma cara de ‘que peninha’ e depois deu de ombros. – Até mais... rainha?

Então, ela saiu pulando e cantarolando uma música bem... feliz.

Eu simplesmente ignorei. Então, abri o meu armário e ouvi passos novamente.

- OH MY FUCKING GOD, LILY! – berrou Lene, entrando no corredor. – Como… descobriram?

Descobriram o quê?

- Veja com os seus próprios olhos.

Ela me passou um folheto que estava na mão dela.

OMFG!

Photobucket

Acho que vou ter um BPC de novo.

E quando você acha que as coisas já estão ruins, elas dão sempre um jeitinho de piorar ainda mais.

Tiago apareceu no fim do corredor, com um folheto em mãos, com cara de poucos amigos.

Acho que vou ter outro BPC.

E era exatamente assim que ele estava se sentindo: bravo pra caramba!

Photobucket


n/a: oi amicos! :D
aqui chega um fim mais um capítulo *-*
beem, eu espero que vocês tenham curtido como eu, e agora as coisas vão esquentar [6]' MUHUHAHAHAHAHA -q.
mas enfim;
espero que você goste.
ee comentem por favor *-*³
e votem tbm -q.
bjão :D

math e. gomez -

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.