FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Pequeno Grande Amor


Fic: Eu sei que vou te amar H&Hr


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo Quatro – Pequeno Grande Amor





Copa Mundial de Quadribol


Bulgária versus Irlanda


1994




As veelas começaram a dançar e a cabeça de Harry ficou completa e bem-aventuradamente vazia. Tudo que importava no mundo era continuar a assistir às veela, porque se elas parassem de dançar coisas terríveis iriam acontecer...


E enquanto as veelas dançavam cada vez mais rapidamente, pensamentos incompletos e delirantes começaram a se formar na mente atordoada de Harry. Ele queria fazer uma coisa bem impressionante naquele momento. Atirar-se do camarote para o estádio lhe pareceu uma boa idéia... mas seria suficiente?


Harry, que é que você está fazendo? ele ouviu lá longe a voz de Hermione.


A música parou. Harry piscou os olhos. Ele estava em pé, e tinha uma das pernas passada por cima da borda do camarote. Ao lado dele, Rony estava paralisado numa posição que dava a impressão de que ia saltar de um trampolim.


Hermione deu um muxoxo alto. Esticou o braço e puxou Harry de volta à cadeira dele.


Francamente! exclamou.


 


 


Outubro – 2017


Residencia dos Weasley


Presente


 


Alguém bateu com força na sua porta. Hermione ergueu os olhos, que, devido a idade, já necessitavam de um óculos de grau. Descansou a pena – que, por sinal, era um presente de Harry – e ergueu-se da mesa. Havia relatórios espalhados, mil papéis misturados fora de ordem, que ela deveria organizar antes da próxima reunião sobre o F.A.L.E.


Dirigiu-se até a porta, perguntando-se quem poderia ser naquela tarde tão chuvosa. Ron estava trabalhando, assim como Gina e Harry.


Assim que abriu a porta, uma onda de surpresa a invadiu.


– James?


Não importava quantas vezes visse o garoto, Hermione sempre iria se exaltar com a incrível semelhança com Harry. Os mesmos cabelos rebeldes, o mesmo nariz fino e alongado, a mesma boca quase desprovida de lábios... Exceto pelos olhos. Os olhos eram de James – sim, do avô, porque Hermione simplesmente recusava-se a acreditar que o menino herdara-os de Gina.


– Entre.


A mulher abriu mais a porta, permitindo a passagem do menor. Ele parecia desolado, ela percebeu.


– Não deveria estar em Hogwarts?


– McGonagall me deu permissão – ele respondeu.


– Vieste sozinho? – Perguntou, já praguejando e duvidando da sanidade mental da diretora de Hogwarts.


– Não, Hagrid me acompanhou até aqui em sua moto – sua expressão se iluminou por um segundo. – Olhe – ele ergueu a mão, mostrando um Sapo de Chocolate. – Peguei a figurinha do papai.


– Estou certa de Lily tem uma coleção das figurinhas repetidas do seu pai.


Sim – ele riu. – Ela é simplesmente apaixonada por ele.


– Por que não se senta, querido? – Hermione falou com muito carinho, apontando o sofá espaçoso na sala de estar. – Seus pais sabem que está aqui?


– Não – ele adimitiu, sem pudores. – Falsifiquei a assinatura de mamãe para poder sair do Castelo.


James Sirius – ralhou Hermione, insatisfeita pelo gosto de burlar as regras de seu afilhado. – Você não pode fazer isso, em hipótese alguma! Sabe o perigo que corre? Além disso, se Minerva descobrir...


– Ela não irá – interrompeu James. Por algum motivo, não conseguia mentir para a mulher à sua frente, além de confiar cegamente nela. – Eu só precisava falar com alguém.


– Acontece algo, pequeno?


James corou muito, fazendo Hermione lembrar-se ainda mais de Harry.


Madrinha – gemeu ele, cheio de censura. – Não me chame assim.


– Oh – exclamou Hermione, penalizada. – Pensei que estava proibida de chamá-lo assim apenas na presença de outros! – Fez uma expressão triste. – Achei que apreciava o apelido.


– Eu gosto – disse, custando a admitir. – Mas não sou mais pequeno.


Hermione riu com gosto.


– Perdoe-me, Sr. Grande. Pode me dizer o que lhe aflinge?


James fitou seus próprios pés.


– Sabia que Alvo não foi para a Grifinória?


– Não? – Hermione ergueu o cenho, surpresa.


– O nerd foi escolhido pra Corvinal, a senhora pode acreditar?


Hermione se aproximou do garoto.


– Posso contar um segredo? – Perguntou, em tom de confidência. James fez que sim com a cabeça. – No meu primeiro ano, o Chapéu queria me colocar na Corvinal... Eu pedi que ele me selecionasse para a Grifinória, porque seu pai e Ron estavam lá.


– Não sabia que poderíamos escolher – James pareceu surpreso.


– Podem, e Alvo sabia disso. Então, acho que estará bem na Corvinal. Além disso, quase todos os Ministros da Magia pertenceram a essa Casa, sabia?


– Sua inteligência me impressiona, madrinha.


Hermione fez um carinho na cabeça do menino, bagunçando seus cabelos e fazendo-o corar mais uma vez. Desejou profundamente que James fosse seu.


– E o pior de tudo – ele falou, agora com agressividade. – É que a cobra chamada Scorpius Malfoy está na Grifinória!


Que?


– Isso mesmo! Disse-me que está na Grifinória porque seu pai falou que ele fosse corajoso e ousado! Madrinha, tem que convencer McGonagall que o Chapéu Seletor não está no seu juízo certo!


Hermione riu.


– Oh, querido, pare com isso – pediu, sentindo ganas de abraçá-lo. – Seu pai e Malfoy já encerraram as rixas há anos.


– Não confio nos Malfoy – falou James, com eloquência. – Eram Comensais da Morte!


– Sim. Mas são conhecidos por terem dados às costas para Voldemort... Não se esqueça disso.


James soltou um muxoxo, cruzando os braços.


– Estou certa de que não veio me procurar apenas para me deixar a par das novidades de Hogwarts. O que aconteceu, meu pequeno?


Ele desviou os olhos castanhos mais uma vez, a expressão no rosto mudando totalmente.


– Mamãe e papai... Vivem brigando, agora. Escutei certa vez até a palavra divórcio.


– Oh.


Hermione não conseguiu mais falar nada, recostando-se no sofá, em choque. Nunca em toda a sua vida tinha se imaginado em tal situação. Quantas decisões erradas a tinham levado até ali? Ela não conseguia nem contabilizar...


– O que devo fazer, Madrinha?


Os olhos da mulher focalizaram no do menino, castanhos e brilhosos como os seus.


– Você pode achar que não, mas é só uma criança – respondeu, com doçura. – Sei que pode não parecer, mas os problemas dos seus pais não refletem em nada o relacionamento deles com você ou seus irmãos.


– O que está querendo dizer?


– Que não há nada que você possa fazer, querido. Tenho certeza de que essas brigas são passageiras e que Harry e Gina querem o melhor para vocês.


– Como eles podem querer o melhor pra gente se separando?


Hermione notou que o brilho nas orbes do menino estavam se intensificando e transformando-se em lágrimas. Isso a acertou como uma dor física.


Brigas são comuns entre casais, meu amor.


– Duvido que você e tio Ron briguem tanto.


– Oh, você não faz ideia... – Ela cutucou a barriga do menino, numa tentativa de animá-lo. – Seu tio me tira do sério.


– Vez por outra escuto papai resmungando que vocês dois são capazes de deixar qualquer um subindo pelas paredes e que não entende como conseguem viver sob o mesmo teto.


Hermione ergueu o cenho.


– Ele diz isso, é? - Perguntou, muito interessada. Aparentemente, James não tinha ideia do tipo de informação que estava dando a sua madrinha. – Bom saber.


– Madrinha?


– Sim, pequeno?


– Você acha que meus pais vão se separar?


Hermione não se aguentou, lançando-se sobre o menino e tomando-o nos braços. Ele parecia tão pequeno e frágil, como nunca antes. Afagou-lhe os cabelos, num gesto amável.


– Eles não irão – Hermione afirmou, para ele, mas também para si própria. – Vou falar com seu pai, e tentar colocar algum juízo em sua cabeça cheia de titica.


– Obrigado, Madrinha – ele lhe ofereceu um beijo na bochecha. – Sabia que podia contar com a senhora.


Os dois ainda conversar sobre amenidades alguns minutos, antes de Hagrid chegar para levar James de volta para Hogwarts. Antes de deixá-lo ir, Hermione deu um abraço apertado no afilhado, despedindo-se saudosamente.


Assim que a moto de Hagrid sumiu de suas vistas, Hermione dirigiu-se a sua mesa. Pegou um pedaço de pergaminho e escreveu:


 


“No local de sempre.


20 horas.


HJG”.




Amarrou na pata de sua coruja, acariciando sua cabeça por um momento.


– Não deixe que ninguém além de Harry receba esse bilhete, certo, Klaus?


A coruja soltou um pio de entendimento, antes de abrir as enormes asas e levantar voo, sumindo pelo céu enegrecido.




 


Agosto – 1995


 Largo Grimmauld




– Você... Você recebeu...?


Ela mirou a insígnia na mão de Harry e deixou escapar um gritinho.


– Eu sabia! – disse ela excitada, mostrando sua carta. – Eu também, Harry, eu também!


– Não – disse Harry rapidamente, entregando a insígnia para Rony. – Foi Rony, não eu.


– Foi... O quê?


– Rony é o monitor, não eu.


– Rony? – disse Hermione, seu queixo caindo. – Mas... Tem certeza? Digo...


Ela ficou vermelha quando Rony a olhou com uma expressão desafiadora.


– É meu nome na carta – disse.


– Eu... – disse Hermione, parecendo muito confusa. – Eu... Bem... Uau! Muito bem, Rony! É realmente...


– Inesperado – disse Jorge, concordando.


– Não - disse Hermione, ficando ainda mais vermelha que nunca. Não é não... Rony fez muitas... Ele realmente é...


– Muito bem, Hermione – disse Harry, tão baixo que não pareceu sua voz realmente e, ainda não olhando para ela. – Brilhante. Monitor. Grande


Ele não queria olhá-la, permanecendo de costas para a menina. Não queria que ela visse em seus olhos a amargura, raiva, frustração e decepção que sentia por ter perdido a Monitoria para Rony, por tê-la decepcionado.


Imaginou os dois fazendo rondas notunas, sozinhos, e o pensamento embrulhou seu estômago.


 


 


Setembro – 1995


Salão Comunal da Grifinória


 


Só Harry e Hermione estavam perto do fogo.


– Eu sei que está chateado – ela murmurou, no seu ouvido. A respiração dela fez cócegas na sua pele. – Tem todo direito de estar.


– Na verdade, não tenho não – Harry soltou um suspiro. – Está tudo bem, Hermione... Está mesmo.


Ron não faz muita coisa, você sabe – ela disse, com uma compaixão na voz que o irritou. – Eu resolvo todos os problemas sozinha.


Não sei se seria tão diferente assim se fosse eu o Monitor.


Os dois riram um pouco. Embora estivesse sozinhos no Salão Comunal da Grifinória, Hermione falava numa voz baixa, num tom mais suave do que o seu natural.


– Dumbledore sabe o que faz – Harry falou, com os olhos brilhando. – Isso não quer dizer, entretanto, que eu não irei perguntar o porque de não ter sido escolhido, assim que tiver a chance.


– Creio que ele julga que já tem muitas responsabilidades.


As orbes verdes viraram-se para as castanhas, de um modo tão incisivo que deixou Hermione desconcertada.


– Estou certo que fazer rondas noturnas com você não é algo que me pesaria nos ombros.


Hermione ficou tão vermelha como um pimentão. Sentiu uma súbita vontade de beijá-lo; fazia tanto tempo que não sentia seus lábios, que a abstinência quase a arrastava à locura.


Então, antes que pudesse cometer qualquer loucura, Ron entra pelo buraco do retrato.


Quando ele viu Harry e Hermione, parou inerte em seus rastros.


Hermione ergueu-se num salto, prevendo uma crise de ciúmes por parte do ruivo. A garota sabia muito bem que Ron começava a desconfiar dos dois... E entrar e vê-los ali, sozinhos, numa conversa tão íntima, era exatamente o que alimentava as desconfianças do ruivo.


Ron não falou nada, apenas estreitou os olhos, e dirigiu-se silenciosamente para o dormitório masculino.


– Ele está pensando que é um fracasso no Quadribol – comentou Harry, pesaroso. – Mas isso é apenas devido ao seu nervosismo. Se conseguisse controlar seus nervos...


Hermione sentou-se, mas limitou-se a ficar calada; obviamente, Harry não conseguia ver o que ela via. Resolveu mudar de assunto rapidamente.


– Harry?


– Sim?


De repente, ao se lembrar da última visita à Hogsmead, Hermione sentiu uma onda quente de ciúme espalhar-se pelo seu peito. Estivera esperando pelo momento de jogar verde com o garoto, mas quase nunca estava sozinha com ele. Aquela era a oportunidade perfeita.


– Como andam as coisas entre você e Cho? – Especulou.


– O que você quer dizer? – Perguntou Harry, supreso.


Ela riu do embaraço dele.


Bem, é que ela apenas não tira os olhos de você.


– É? – Ele pareceu interessado. – Não reparei.


Hermione não gostou nem um pouco da resposta.


 


*


 


N/A:


Atenção: partes em itálico são exatamente como constam nos livros! 


E ai, gente, tudo bem? Estão gostando dos flashbacks e do presente na fic?


Sei que esse capítulo não foi muito emocionante, mas... O que vocês acham que vai acontecer agora, no encontro de Harry e Hermione?


Contarei um segredo... Não tenho ideia dos rumos que a fic tomará, então, se vocês tiverem ideias, compartilhem comigo! :)


PS: Acho que um NC vem por ai, no próximo capítulo... HAHAH




COMENTEM!


Momento Propaganda!


Leiam minha outra fic:




Maldita Maldição!


http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=45408


 


Melissa Hashimoto: muito obrigada pelos comentários (nessa e nas outras fics), além dos elogios! Estou honrada. Leitores fiéis como você são raros, menina! Ainda bem que tenho! :))


Line Silva: Ai, muito obrigada! Fica imaginando horrores mesmo, que daqui a pouco vai tudo acontecer, hihi. E não se preocupe, tenho pretensões de concluir sim a fic.


Elisa Carvalho: Olá, fiquei muito feliz e honrada com teu comentário! É bom saber que algo que eu escrevo é especial para alguém! Como eu disse acima, eu tenho pretensões de concluir a fic sim, embora muitas vezes me faltem as ideias... Se eu sumir, pode me xingar aqui, ou em qualquer uma das minhas outras fics, porque eu to sempre pelo site! Continue sempre com comentários lindos assim, viu? *-* E espero que eu não te decepcione na fic.


Lay Potter: (suspira) haha, primeiro, obrigadão por estar presentes em todas as minhas fics e não desistir delas. Segundo, li seu comentário e concordo com o que você disse. A ideia que tive para essa história, foi criar algo que não foi contado nos livros e que poderia ter acontecido. Esclareço que Hermione não tem uma vida dupla. Ela era dividida entre os dois amigos, e mais tarde saberemos o porquê de ter ficado com Ron. Porém, esse “caso” que ela tem com Harry não é algo contínuo, nem permanente. Eles se amam, mas não ficam juntos como amantes... Porém, às vezes, eles não conseguem controlar os próprios sentimentos, e dai já viu, né! Que eles tentam se manter afastados, eles tentam... Só não conseguem! E com certeza ninguém consegue viver uma mentira pra sempre, até porque ela tem pernas curtissimas! Ah, e eu não achei que você é idiota de maneira nenhuma, ehioeiouhe! Gosto de comentários assim, que me fazem pensar e mostram que o leitor está atento a fic. Espero que tenha me explicado bem (acho que não), mas pode reclamar e interagir comigo quando quiser! Obrigada pelos elogios e na minha capacidade (visto que nem eu sei como vou desenrolar essa fic ainda! Huehoeiueho) Beijão e até a próxima!


Carolzinha Gregol: Ai que linda você! :) obrigada por estar acompanhando a fic e por não ter desistido mesmo com a minha demora, pelo comentário fofo e pela paciência! Quanto ao final de Hermione, eu não sei ainda qual será, porém também tenho lá meus medos com relação a ele... é muita coisa em jogo, muito além de um marido. Espero que goste desse capítulo tanto quanto os outros!


Nina Granger Potter: Olá, muito obrigada pelo comentário! Não sei quando Harry e Hermione vão resolver essa pendência entre eles, mas tenho a impressão que isso vai ser totalmente doloroso... Espero que goste desse capítulo, sei que ficou pequeno e sem muita emoção, mas no próximo tentarei recompensar!


Gabriela G. Potter: Oi gatinha, muito obrigada pelo comentário! Mas e aí, depois desse capítulo, o que você acha que vai acontecer? Hermione marcou de se encontrar com Harry... rs! Será que ela vai largar o Rony? Espero que goste desse capítulo! :)


 


Obrigada pelos comentários! Boa páscoa :)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 9

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 02/10/2013

Posta maaaaaaaaaaaais!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tito Shacklebolt Finnigan em 06/05/2013

Então a senhorita não atualiza desde a Páscoa? Que chata você é!! Hehehehe.... É uma pena que vc esteja cuidando de três fics, Jéssica... Não é nada fácil! Eu tenho lido duas e ainda não sei qual é sua obra prima, a verdade é que a cada capítulo você se supera em ambas... =]
Quando tiver tempo, atualiza essa, ela também é tão perfeita quanto a Do Nosso Jeito.
FIco aqui me perguntando qual o motivo da prosa entre o Harry e a Hermione...
E outra coisa que me intriga é o final dessa fic!! hehehe...
Se cuida ae, dona Josino! beijo! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Brunizinha em 12/04/2013

O___O Para tudo! TUDO! COMO PODE CONTER TANTO TALENTO ASSIM EM UMA PESSOA SÓ?

Estou quase tacando crucios em mim mesma poque nao sei escrever assim!

Você não sabe qunatas vezes me levantei da cadeira por causa o passado desses dois na sua fic, bate muito a relação deles com os livros!

MALDITO Rony weasley que teve que gostar da herms nessa fic. VAIII POTTER! SEPARA!

harry é mais corajoso que a hermione e eu espero que eles chegue até o fim!

Nesse encontro vai rolar uns pega. Tem que rolar.

James querido, sua mae é uma chata, tia Herms, cuidara do seu pai para você.

Era só ela ter dito isso. Cade a coragem dela ? T.T POSTAAA POSTAAA!

PS: perdoe-me por não ter deixado comentário para você nos outros capítulos, mas de agora endiante eu deixarei ;)

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lay Potter em 08/04/2013

*Ultimo pensamento* Talvez a explicação pra ela ter casado com o Rony foram as crianças, talvez ela descobriu que estava grávida, algo assim, vamos ver... Muitos mistérios possíveis...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lay Potter em 08/04/2013

É, compreendo, eu só fiquei em dúvida quanto a isso pq acho que gosto de pensar q a Hermione sempre tomaria as decisões mais corretas, sabe a Hermione é meu modelo de vida, kkkkkk... Enfim, já tá mais do que na hora deles se divociarem mesmo, porque não vão conseguir levar isso por muito mais tempo, mas quando acontecer pelo menos todo mundo vai começar a viver de verdade, mas a reação do Rony não vai ser nada divertida...

Eu prevejo que a Mione vá até lá e tente convencer o Harry a não fazer nada e ele vai usar o bom e velho charme pra cima dela, e é claro que ela não vai resitir, kkkkk.

Obrigado, e parabéns. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Gabriela G. Potter em 07/04/2013

Não sei porque mas de vez em quando fico pensando que algum dos filhos da Mione é do Harry (mais precisamente a Rose), pelo menos eu fiquei com essa pulga atrás da orelha no capítulo passado. Mas sei lá né, como ela ficaria ruiva depois?? 
A Mione ama o Rony ou algo do tipo? Por ela da a entender que ele é um estorvo e que que se não fosse por causa dos filhos já teria mandado ele passear. 
E Harry e Gina se divorciando?? Que sonho! Mas coitadinha das crianças, né. Essa sempre é a parte mais delicada de um divórcio. 
Os dois merecem ser felizes então que foda-se todo mundo. Pena que não pode ser assim né, já que existe uma longa amizade dos três (posso dizer dos quatro, né) entre esse amor deles. Romione me dá nauseas. Harry e Gina, então nem se fala! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por line silva em 04/04/2013

aah anciosa por estes momentos rsrsrsrsrsrs...


fiko tão feliz ke vc tenha dito isto... E sou viciada em fics e ai muitas vezes as pessoas simplesmente abandonam... E bem eu sou o tipo loka ke fika com akilo ke leu na cabeça uma eternidade...


'' Mas então vamos ao ke eteressa''

capitulo bem legal msm, puxa realmente vai ser algoh bem dificil e muito doloroso quando os dois se acertarem né!

   a senssação da Gina e do Rony de terem sido enganados o tempo todo e de ter vivido uma mentira e tem as crianças no meu de tudo isso...

  mas eu confio no seu talento e creio ke td isso sera respondido com imenssa perfeição...

ah e so para concluir o ke eu mas gosto na fic é justamente esses    flashbacks 

 

 

 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Nina Granger Potter em 30/03/2013

Aaahhh, eu gostei desse capítulo. Apesar de não ter tido grandes reviravoltas, teve o  James e foi muito legal ver que ele e a Mione têm um relacionamento próximo. Só que ele tinha que pedir pra ela ajudar a manter o casamento do Harry e da Gina? 
Bom, já imaginava que o acerto do Harry e da Mione seria algo doloroso e cheio de problemas. Mas eles se gostam tanto, né? Merecem - e muito - ficar juntos.

O capítulo foi ótimo - não se menospreze - e estou super ansiosa para saber a conversa que a Mione terá com o Harry. Não demore a postar, por favor.

beijos 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tha_Granger em 30/03/2013

Oi. Faz um tempo que acompanho as suas fics e elas são incriveis, amei o capitulo esta perfeito. 
Estou ansiosa para o proximo capitulo. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.