FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Decisões e confusões.


Fic: Um mal entendido muda toda uma vida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Querida Minerva MacGonaggal,

É com grande prazer que aceito preencher o cargo de Professor de Defesa Contra Arte das Trevas.
Sinto-me lisonjeando pela indicação e confiança. Asseguro-lhe que darei o melhor de mim e que farei o possível para exceder suas expectativas.
Espero sinceramente que o cargo de Professor desta matéria não esteja, como nós um dia pensamos, amaldiçoado. (risos). Quero sobreviver um pouco mais do que meus 29 anos.

Aguardo ansiosamente o dia em que poderei retornar a este local que um dia foi meu lar.

Agradecido
Harry Tiago Potter
Chefe da Sessão de Aurors
Ministério da Magia
Londres

_Enfim acabei de escre....
_HARRY – Gritou Rony entrando em minha sala, ele me deu um baita susto quase derrubei tudo, juro que se eu tivesse derramado tinta na carta faria ele escrever com a língua. Isso é jeito de entrar na sala de um chefe.
_Rony, isso são modos? – Falei.
_Credo Harry, você esta igualzinho a minha mãe... – Ele me falou fazendo careta, às vezes acho que o cérebro de Rony não acompanhou seu crescimento.

Fiz outra careta para ele. Acho que o meu cérebro também não acompanhou meu crescimento.

_O que esta acontecendo de tão urgente que faz você entrar na sala do seu chefe aos tropeços e aos berros?. – Perguntei me lembrando do Estado em que ele estava. Ele corou.
_Desculpe Harry... – ele disse e eu sorri – mas o Ministro quer os relatórios das últimas missões para hoje... – ele falava desesperadamente.
_E? – perguntei novamente.
_E que não vai dar tempo... – Ele agora corria de um lado para o outro, e eu estava o observando calmamente, ele notou – você vai ficar assim?
_E você queria que eu fizesse o que? Esses relatórios já deveriam estar prontos Ronald, peça para Caius te ajudar, ele não faz nada mesmo... – eu falei.
_Mas e você cara? Você tem que me ajudar.... O Ministro vai me matar...
_Eu é quem vou te matar se você não entregar esses relatórios hoje e o Ministro vier me cobrar, então você pode escolher, o Ministro te matar, correr e fazer isso logo e se virar para entregar, ou eu te matar, se eu fosse você ficaria com a opção número dois. – Falei.
Ele ficou me olhando com cara de bobo. Merlin sabe o quanto eu me segurei par não rir. Sabe ás vezes é bom ser chefe.

Ele ainda me olhava.

_Ronald Wesley, você já perdeu 15 segundos do seus precioso tempo que você não tem parado aí me olhando. Sou lindo e gostoso mas já vou logo te dizendo, você não faz meu tipo, não insista que não dá. – Minha voz era zombeteira e vi Rony quase explodir.

Quando suas orelhas já estavam vermelhas o suficiente eu desatei a rir.

_Qual é a graça? – Ele me perguntou emburrado.
_Nenhuma... – Eu respondi rindo.

Levantei-me de minha cadeira peguei a carta de MacGonagall dobrei e coloquei no bolso de minha capa. Fui em direção a porta.

_Ei, onde você vai? Você não vai me ajudar mesmo? – Rony perguntou, ele ainda tinha esperanças?
_Claro que não...
_E o que vai fazer de tão importante que não podes ajudar um amigo? – Fez sua pior cara de cachorro abandonado.

Eu fiz a minha de melhor pervertido.

_Comemorar meus nove anos de casado. –Respondi e fechei a porta. Dava tudo para ver a cara de Rony quando ele sacasse o que provavelmente eu faria com sua “irmãzinha”.

Narrado por Ginevra Wesley Potter

È! Mais um ano, agora já são nove anos de casada. O sonho de qualquer mulher, estar casada tanto tempo com o amor de sua vida. Imagina como deve ser para mim, nove anos casada com Harry Potter, praticamente um conto de fadas da vida real.

Sim eu sou a Senhora Potter, em carne, osso, pele branca, cabelos ruivos, olhos azuis e corpo perfeito.

Sou Medi Bruxa e trabalho no Saint. Mungus. Isso toma grande parte do meu tempo, mas Harry também vive sempre muito ocupado e nós dois conseguimos conciliar isso muito bem. Ele nunca reclamou então não sou eu quem vai.

No geral eu sei que sou uma ótima esposa e nós somos muito felizes, obrigada.

Bom... não vou enrolar mais, tenho que me preparar para a comemoração de hoje a noite. Nove anos... haaaaa.

Uma noite só minha e de Harry, sem Wesleys e agregados. A noite será perfeita.


Narração de Harry Potter

_Prontinho Edwiges, pode ir, boa viagem minha amiga. – Eu disse a minha coruja fiel. Ela piou alto e feliz.

Eu espero que ela não se canse muito com essa viagem a Hogwarts, coitada dela, já esta ficando um pouco velha, mas vai dizer isso a ela; uma vez eu tentei e ela me encheu de bicadas que doeram por uma semana inteira. O coruja cabeça dura.

Olha que dia perfeito; resposta para MacGonagall enviada, nove anos de casado, minha ruivinha só para mim e ainda de quebra consegui me livrar de Rony pelas próximas seis horas, no mínimo. Quem sabe hoje eu convenço a ruiva de fazermos um herdeiro. Há anos que eu sonho com um potterzinho e uma potterzinha correndo pela sala. Gina estremece só de pensar.

Depois que cheguei do Ministério pedi para Dobby que arrumasse toada casa de uma forma bem especial e disse que quando terminasse ele podia sair, nem preciso dizer que ele não gostou não é mesmo? Para Dobby é um pecado não poder servir Harry Potter. (risos)

A comida já estava marcada para as oito horas da noite e virá do melhor restaurante de Paris.

Depois de tudo pronto estava na hora de arrumar a coisa mais importante da noite; eu mesmo.

Subi para o meu quarto e olhei meu guarda-roupa, escolhi meu melhor social, uma calça preta e uma blusa verde de botão, e foi na hora em que eu fui escolher a gravata que a lembrança dela conseguiu partir a barreira que eu havia colocado em minha memória neste dia.
Da bendita caixa de gravatas, caiu Merlin sabe como, um pergaminho, que eu nem sei como foi parar ali. Reconheci de longe a caligrafia perfeita de Hermione.

Abri e li o seu conteúdo. Era uma brincadeira que nós fizemos no sétimo ano, de como nossa vida estaria quando completássemos 30 anos de idade. Neste dia estávamos em uma floresta atrás das Horcruxes, então pensamos nisso como uma forma de tentar escapar daquele pesadelo. Vou reportar o que estava escrito para vocês.

Oi eu sou Hermione Granger e este do meu lado é Harry Potter estamos em uma floresta terrivelmente escura e fria, Ronald nosso amigo esta do lado de fora fazendo a guarda. Nós não sabemos se estaremos vivos até o dia em que abriremos novamente isto, mas de alguma forma nós vamos tentar. Harry quer parar de me beijar... Rony esta lá fora.

Quando Harry e eu completarmos trinta anos de idade nós vamos estar fazendo 12 anos de casados. Sim nós pretendemos nos casar com 18 anos. Eu o amo ele me ama, para que então adiar? Há sim claro, eu não esqueci Harry, nós vamos ter dois filhos, um menino e uma menina, o Harry pensa que é assim, que ele escolhe o sexo dos garotos. Homens tem cada uma...

È verdade Harry não adianta discutir...Vê ele ainda quer discutir comigo.... Aff.

Os nomes dos nossos filhos serão Sophie Granger Potter e Tiago Granger Potter. Harry escolheu o da menina e eu o do menino.

Harry será Auror e eu estarei trabalhando na área de pesquisas do Saint Mungus. Seremos uma família unida e feliz.

São votos de dois apaixonados adolescentes de 17 anos para seus futuros que eles nem sabem se chegará.

Hoje, eu Hermione, digo que sem Harry eu não saberei viver.


Nessa hora a letra mudou, passou a ser a minha mesmo, e eu havia escrito.

Eu Harry Potter, digo que sem Hermione minha vida não tem sentido, eu não saberei viver sem ela, prometo-lhe meu amor,e minha lealdade eterna serei seu somente seu e de mais ninguém.

Assinado

Harry Potter & Hermione Granger

Fechei o pergaminho novamente e sentei na beirada de minha cama. Afundei minhas mãos em meus cabelos e os arrepiei de frustração. Depois disso eu sabia que nunca mais iria conseguir coloca-los no lugar. Cois que já não era possivel.

É que só de pensar que a traí da pior forma possível me dói bem lá no fundo do coração.

Sou o pior dos monstros, magoei aquela a quem prometi amor e cuidados eternos. O que poderia fazer então com as pessoas de quem não gosto? Nem quero imaginar.

Mas hoje é um dia feliz e eu tenho que estar bem. Joguei a carta de volta na caixa e dei um jeito de esconde-la bem, entrei no banheiro e tomei um banho de príncipe. Não sei calcular bem quanto tempo fiquei lá.

Só sei que saí bem a tempo de escutar minha esposa abrir a porta da frente de casa. Era tudo um questão de segundos agora.
Narrado por Hermione Granger

_Você já deu parabéns para seu amiguinho cicatriz? – Perguntou Draco com deboche. Vocês acreditam que todo mundo resolveu me perguntar isso hoje.... ?
_Claro, mandei uma coruja para ele de manhã. – Fiz minha cara mais feliz, não dá para acreditar que o Draco me convidou para sair, me levou a um pub para me perguntar se já dei parabéns pelos nove anos de casados de Harry Potter com Gina Wsley. Que inferno. – E você já mandou seus parabéns? – Alfinetei. Ele fez uma cara muito engraçada.
_Haa claro... eu estou doido para todos os Aurors do Ministério baterem na minha porta hoje me perguntando o que o malvado Malfoy quer com o precioso, o melhor, o mais importante e o mais tudo Harry Perfeito Potter. – Ele disse com cara de nojo. Eu tive que rir com o comentário.
_Quanto ciúme Draco... isso faz mal para a pele... – Ele brincou agora agüenta. Estou impossível hoje.
_Eu ciúmes do cicatriz...? Que Merlin me livre... Só não sei porque todo mundo idolatra ele... isso é tão... idiota. – Draco disse, tenho certeza que é ciúme – e você, porque não idolatram você? Você estava lá... – Ui ele me pegou de surpresa.
_Digamos que eu tenha fugido um pouco....- Sorri sem graça – Mas ainda acho que é ciúme... – Sorri.
_Nem vem Hermione, nosso gênio nunca bateu você sabe disso ... Ele é perfeito demais para mim... – eu tive que gargalhar – não ria Hermione é sério.
_Tudo bem, tudo bem... – eu falei tentando me recompor.
_Mas uma coisa eu tenho que admitir – ele falou e baixou os olhos. Draco constrangido? Essa é nova, a coisa deve ser séria.
_E o que é? – Perguntei.
_Eu só tenho ciúmes do Potter em uma coisa.... – agora eu fiquei preocupada, para Draco admitir isso coisa boa não vinha por aí – ciúme da capacidade dele de ter um espaço tão grande no seu coração.

Preciso realmente dizer que fiquei sem ar com esse comentário? Juro que se pudesse ver minha cara até eu iria rir. Se concentra Hermione a bomba agora está nas suas mãos.
_É Draco... você sabe... o Harry é meu amigo desde os tempos de Hogwarts, ele esteve comigo quando ninguém mais quis estar... inclusive você. – Céus, vou começar dar aulas de como se livrar de situações criticas. Será que peguei pesado? Ele está com uma carinha...

Ele não disse nada, mas instantes depois sorriu. Eu suspirei aliviada. Querendo ou não é ele quem vem me fazendo companhia nos últimos tempos. Não quero ficar sem sua amizade.

_Eu jurava que era você quem ia casar com ele, e não a Wesley... - Draco disse e eu já estou quase ficando sem pena dele. O pior é que também pensava nisso.
_Não não... – Falei tentando colocar um pingo de verdade em minhas palavras – eu e Harry sempre fomos amigos, nada mais que isso – um nó subiu em minha garganta e foi difícil fazer ele descer.
Draco apenas me observou. Eu detesto que as pessoas fiquem me observando.

_O que foi Draco? – Eu perguntei depois de um tempo em que minha paciência chegou ao limite.
_Se eu te fizer uma pergunta você não ficará chateada, ficará? – Ele me perguntou, fui pega de surpresa, o que será que ele quer? Não sei porque mas olhando assim em seus olhos cinzas tão profundos, um frio percorreu toda minha espinha. Merlin o que é esse frio? – Hermione...? Tudo bem para você? – ele tornou a me perguntar, acho que viajei.
_Hã... claro, fique a vontade... – Alguém tem que ficar a vontade nesse lugar né, porque eu não estou nem um pouco. Me sinto naqueles Realyts Shows “Tudo sobre sua vida”, é assustador.
_De quem Lílian e Tiago são filhos? – Ele me perguntou, minha respiração parou, senti meu rosto gelar, e sei que ele percebeu – olha não precisa responder se você não quiser ok. Eu não tenho nada a ver com sua vida...
_Não Draco... me escuta... – falei depois que me recuperei do choque, vou ter que inventar uma bela de uma desculpa, mas o que? – tudo bem, bom... Lílian e Tiago são frutos de aventura que vivi depois de terminar o sétimo ano, me apaixonei por um trouxa – literalmente pensei – e nós tivemos um caso – corei na hora que falei isso, o porque eu nem sei – achei que fosse aquelas coisas de para sempre, mas foi só ilusão, contei a ele que eu era bruxa e ele quase que fez voltar a “Santa Inquisição”, me perseguiu e tudo, minha sorte foi que eu estava com Harry Potter quando ele derrotou Voldemort – Draco riu – e ele conseguiu que o Ministério apagasse a memória dele, mas mesmo esquecendo que sou bruxa ele simplesmente me abandonou, dois meses depois eu me descobri grávida. Harry já cuidava das coisas dele, Rony também, então mudei-me para Paris, larguei o Profeta Diário e fui criar meus filhos sozinha. – Realmente é impressionante essa minha capacidade de inventar histórias.
Draco me olhava de boca aberta. Ele soltou o ar pelo nariz. Depois sorriu.

_Você é uma mulher de fibra Hermione. – Ele me disse com aquele tom de pai orgulhoso do filho que ganhou uma medalha na competição de natação da escolinha.

Eu apenas ri.

_É sério... – ele disse, e então um brilho passou por seus olhos – espera aí.... – eu levantei a sobrancelha curiosa – pelo que eu entendi, nem o Wesley nem o Potter sabem dos seus filhos.... – Sua voz era de alguém que acabara de descobrir a roda.
_É... – eu respondi tentando imaginar onde ele queria chegar com isso.
_Eu sei uma coisa sobre você que o Potter não sabe.... – Era isso? Eu tive que rir.

De repente Draco levantou da cadeira e começou uma dança muito esquisita, aí eu não agüentei eu caí na gargalhada. Quem passava e olhava; ou achava que ele era doido, ou que estava possuído. E eu somente ria.

Draco sentou novamente e colocou as mãos dele sobre as minhas, fingi não me importar com isso.

_Mione... – ele disse, céus ele me chamou de Mione – tem uma coisa sobre você que eu sei q que o cicatriz não sabe, isso é.... estupendo. – Ele me disse e eu não sabia se ria, ou se ficava chocada.

Optei por rir, pelo menos assim não teria que dar explicações.

Ele também sorriu.

_Isso me deixa muito feliz Hermione. – Ele disse com um tom sério de novo – Eu sei que não sou o modelo de bom homem, e que já fiz muita coisa ruim para você, mas estou procurando me redimir, e vou fazer de tudo para provar que eu mudei...
_Draco... – eu falei tentando puxar minha mão da dele sem sucesso – eu acredito que você tenha mudado....
_Não o suficiente para fazer você ao menos se apaixonar por mim...

Eu hesitei.

_Porque eu já estou apaixonado por você.
Narrado por HP

Gina chegou em casa deslumbrante, o vestido vermelho colado em seu corpo destacava suas curvas o que me deixou sem ar.

O meu relacionamento com minha esposa eu posso descrever como algo sobrenatural, o prazer do contato dos corpos chega ser indecente.

Nós tivemos uma comemoração realmente boa, não vou negar, mas aquela sensação de algo faltando, algo maior que contato físico, vem ano, vai ano, e não sai da minha cabeça.

E agora eu estou aqui deitado em minha cama enquanto Gina termina o banho.

Devo ter recebido umas quatro corujas de Rony me pedindo ajuda com os relatórios, não respondi nenhuma, se ele parasse de perder tempo me escrevendo cartas ele já teria terminado seu trabalho.

Não pensem que sou ruim, é que tenho outras coisas com que me preocupar agora; como por exemplo explicar para minha mulher que agora vou passar menos tempo com ela, isso porque o tempo que eu já passava era bem curto.

Então deixa eu me preparar porque o furacão ruivo vem aí.

_Nossa Harry! Você ainda esta esparramado nessa cama. – Gina disse sorrindo enquanto secava seus cabelos.
_Claro NE- eu disse dando um pulo e ficando de pé -... se eu fosse esperar por você de pé, provavelmente eu criaria raízes. – Ela gargalhou com meu comentário e me mandou língua como se fosse uma criança de cinco anos, eu estava indo bem na missão amansar a fera.
_Eu nem demoro tanto assim ... – Disse ela cinicamente.
Eu sorri.

Então veio o silencio.

Gina me olhou intrigada.

_Aconteceu alguma coisa amor? – Ela me perguntou agora com os cabelos totalmente secos. Estava na hora de contar.
_Gina... eu queria te falar uma coisa – eu falei meio inseguro – é que eu fiz uma coisa sem falar com você.... – ela continuou a me olhar.
_Harry fala logo, o que pode ser assim tão ruim... – ela riu, mas eu sabia que esse sorriso sairia rapidinho daquele rosto.
_Eu aceitei a proposta de Minerva para dar aulas em Hogwarts. – Seus olhos não mostravam nenhuma expressão acho que ela esta digerindo a informação.

Gina continuou alguns segundos imóvel antes de falar.

_Por que isso agora Harry? – Ela me perguntou sentando na cama. Pelo menos me bater ela não iria. (Rindo em pensamento).
_Não sei Gi... – disse sentando ao seu lado – recebo propostas dela todos os anos e dessa vez eu resolvi aceitar, mas não sei o porquê. – Respondi, e isso é a mais pura das verdades.
_Desculpe Harry, mas é que nós já conversamos tanto sobre isso, e você dizia que professor você nunca iria ser... só acho meio estranho. – Ela me disse sinceramente.
_Eu também fiquei meio surpreso comigo mesmo, mas algo me diz que essa experiência vai ser muito boa para mim. – Eu disse e ela pareceu avaliar a situação. Gina ficou em silencio mais algum tempo, o que estava me deixando extremamente curioso. Não queria terminar meu dia de comemoração de nove anos de casado brigado com minha esposa, pois se ela não quiser que eu vá para Hogwarts, que Merlin me perdoe, mas ela vai ficar querendo.

Gina olhou para mim como se estivesse buscando algum fundamento para o que iria dizer.


_Harry você não esta fazendo isso por dinheiro, está? – Essa foi a pergunta mais horrivelmente horrível que já ouvi. Céus será que minha esposa, a mulher com quem durmo todos os santos dias pensa que eu faço as coisas por dinheiro? Olhei Gina atentamente nos olhos e pude perceber que nem ela acreditava no que tinha dito. Ainda assim fiquei chateado.
_Você sabe muito bem que não faço as coisas por dinheiro Gina, tenho montes dele em Gringots, e se estivesse interessado em mais teria aceito o cargo de Ministro da Magia ... – Falei com a voz mais áspera do que desejava. Me levantei da cama e me apoiei na soleira da janela.
Gina veio e me abraçou por trás. Eu não me movi.

_Não foi isso que eu quis dizer Harry. – Ela me falou.
_Foi isso o que disse.
_Me desculpa OK! Eu não tive a intenção. – Ela falou me soltando. Eu não me virei.
_Eu já tomei minha decisão, eu vou dar aulas.
_Eu só estou com um pressentimento ruim Harry... – Ela me disse, e eu me virei.
_Pressentimento ruim? – Eu perguntei intrigado – Não há mais perigos no castelo Gina, pelo menos não tanto quanto existia há alguns anos atrás. – Fui obrigado a sorrir.
_Não é esse tipo de pressentimento Harry, eu sinto como se eu fosse te perder, é esquisito, só isso. – Ela me falou e eu me aproximei dela.
_É fato que vou ficar mais tempo fora Gina, mas eu vou estar sempre aqui também de Hogsmead a Londres é muito rápido, lembre-se que somos bruxos, e outra você pode ir lá também. – Falando isso eu a abracei.
_Tudo bem Harry, tudo bem... – Eu suspirei aliviado.
E então um chacoalhar de assas interrompeu o silencio de nosso abraço. Uma coruja parda entrou em meu quarto com um envelope no bico. Era um berrador. Peguei-o e abri.

HARRY POR MERLIN ME AJUDA!!!!!!!!!

A voz de Rony ecoou por todo meu quarto. Gina ria agora contra meu peito. Eu suspirei.

_Eu estou louco para matar um ruivo. – Eu disse.
_Desde que não seja a minha pessoa... – Gina me respondeu – eu te dou todo apoio.

Coloquei uma roupa apresentável para ir ao Ministério e entrei em minha lareira. Aquela sensação de aparatar só ia fazer ficar com mais vontade de matar Ronald Wesley.

Narrado por Hermione Granger

No encontro com Draco no Pub ele jogou em minhas mãos uma bomba. Fiquei chocada! Mas também quem não ficaria? Atire a primeira pedra quem um dia cogitou a possibilidade de Draco Malfoy se quer falar com Hermione Granger, imagine agora ele estar apaixonado por ela.

Não posso negar que essa fala de Draco me fez refletir um pouco sobre minha vida até então, me prendi tanto a Harry sem perceber, que quase esqueci de viver. Todos que um dia tentaram chegar a mim, eu comparei a ele e é obvio que nenhum serviu.

Todos vivem me dizendo que eu devo seguir em frente (meus pais e Minerva), e então eu resolvi seguir, eu to tentando... tanto que nos encontramos novamente no Beco Diagonal onde deixei claro para Draco que somos amigos, mas por que não tentar algo mais? Nem preciso dizer que ele quase enfartou.

Lógico que eu não cheguei dizendo: Ei Draco, acho que também estou apaixonada por você ...! Porque eu não estou, mas posso ficar.

Então com seus 29 anos Hermione Granger está oficialmente saindo com Draco Malfoy.

[...]

Hoje é primeiro de setembro, dia do Expresso de Hogwarts, ainda não tive oportunidade de contar as crianças, mas devo fazer antes de ir porque lá eles verão Draco e provavelmente ele deixará escapar... Eis que surge minha oportunidade... Dá para acreditar que as crianças já estão prontas e sentadas no sofá? Pois acreditem, elas estão, e ainda são nove e meia.

Esse é o momento para contar, eu acreditava que estava preparada para qualquer reação deles, acreditava ... até aquele momento.

Cheguei na sala e eles estavam olhando a T.V, ver mesmo, eu duvido que estavam vendo.

_E aí crianças já estão prontos? – Cheguei perguntando, que pergunta idiota, pensei.
_Sim...- falou Tiago.
_Penso que sim ... – respondeu Lílian sem me olhar.
_Tem certeza que vocês não ... – eu iria perguntar se Lílian não tivesse me lançado um olhar cortante que me fez arrepiar até os cabelos que não existem no dedão do meu pé.
_Por que você não vai direto ao ponto? – Minha filha falou friamente, onde ela quer chegar? Será que ela desconfia de algo?
_Do que você esta falando? – Perguntei insegura tentando ser natural. Ela já sabia, eu estava convicta disso.
_Do que você devia ter contado a três dias e até hoje não contou... – eu gelei – não adianta esconder, eu vi você chegando em casa ... – Ela estava me espionando. Danadinha. Seu nariz contorceu de nojo. Ela viu quem estava comigo. Céus como vou sair dessa? Lílian me olhava com um profundo desgosto e aquilo me atingiu como se eu tivesse tomado várias agulhadas ao mesmo tempo. Meu olhos marejaram.

_Helloooo!! Alguém por favor me enxerga aqui!! Posso saber o que está acontecendo, do que vocês estão falando? – escutei Tiago falar enquanto estava concentrada nos olhos de Lilian. Eles me acusavam friamente.
_Claro que pode irmãozinho... – ela disse sarcástica sem desviar o olhar – você sabia que Hermione esta n.a.m.o.r.a.n.d.o? – Não sei se fico mais chocada por ela ter falado pausadamente namorando ou se por ela ter me chamado de Hermione. Tentei focar minha atenção em Tiago.
_Sério? – Ele perguntou surpreso.

Por um momento eu só consegui escutar as respirações de nós três na sala.

_É sério! – eu finalmente falei. Tiago continuou surpreso e Lilian fez cara de deboche. Isso me magoou.

E o maldito silencio novamente. A expressão de Tiago foi mudando lentamente. Provavelmente ele entendeu o X da questão, o motivo de toda a briga.

_Mãe a senhora está...? – Ele nem precisou terminar de falar para mim saber o que ele queria perguntar. Eu não quis responder namorar porque é uma palavra muito forte então...
_Eu estou saindo com o Draco! – Lilian voltou focar a TV e Tiago ficou parado – eu resolvi dar uma chance a ele, somos amigos e ele adora vocês, será uma ótima companhia para todos nós...
_Nós não precisamos de um pai! – Lilian gritou, céus será que dei a entender isso? – muito menos que ele seja o Malfoy – ignorei o fato dela ter mencionado a palavra pai.
_Por que Lilian toda essa implicância com ele? – Minha voz se tornara mais alta também.
_Eu só não gosto dele. – Ela estava púrpura.
_Tiago o que você tem a dizer? – perguntei ao meu filho. Ele ficou assustado, provavelmente ele pensou que ficaria fora dessa briga, olhava de Lilian para mim sem saber o que responder.
_Se a senhora está feliz mãe... – ele disse e eu sorri.
_Traidor! – Lilian disse a ele – \mas já que vocês escolheram a ele, o que eu posso fazer? Me faça o favor de fingir que não me conhece – ela falou para Tiago e depois olhou para mim – pode deixar que com você eu mesma me encarrego disso. – senti meu estomago colar no chão. Nunca vi minha filha desse jeito. As palavras não saiam de minha boca tão chocada que estava.
_Lilian! – Tiago falou – e se ele for um cara legal? Você não pode tratar a mamãe assim...
_Não diga o que eu não posso ou o que eu posso fazer porque você não é meu pai. Aliás eu não sei nem se eu tenho pai, não é mesmo mãe? A única coisa que sei são histórias e mais histórias... – ela me falava, mas eu não conseguia ouvir direito, minha cabeça rodava. Quando que Lilian sentiu tanta falta do pai e eu não tinha percebido?

Ela pegou a mala dela e estava saído pela porta.

_Eu vou de metrô! – Falando isso ela saiu batendo a porta atrás de si. Eu estava sem reação. A única coisa que eu conseguia fazer era chorar.
_Mãe... – Tiago me abraçou e eu o apertei contra mim – não fica assim... ela só está nervosa porque não gosta do Malfoy, e bom ela sente falta de um pai... – aquilo caiu como uma pedra em meu estomago. Será que tinha feito tudo errado?
_Meu filho eu fui uma mãe tão ruim assim? – eu perguntei a Tiago.
_Nunca repita isso mãe – ele me disse – você sempre foi A melhor do mundo, ela só está chateada, ela sempre imaginou quem seria nosso pai, altas fantasias... mas daqui a pouco ela esquece...

Abracei Tiago mais forte. Ficamos uns segundos assim.

_Vamos que se não chegaremos atrasados. – Eu e Tiago fomos para a estação em silencio, eu só fui ver Lilian quando o trem estava partindo, reconheci seus cabelos negros no corredor, ela passou por mim e cumpriu sua parte na promessa, nem se quer olhou para minha direção, tentei falar com ela mas como tinha muita gente ela conseguiu escapar. Durante toda a viajem me concentrei nas palavras de Tiago dizendo que ela esqueceria logo. Eu me agarrei fortemente a isso.

Quando me sentei em um vagão que estava vazio no final do trem foi como se um filme passasse em minha mente, até de Lilian me esqueci naquele momento, e uma menininha baixinha de cabelos castanhos e crespos eu vi entrando naquela cabine onde haviam dois meninos um ruivo e um moreno perguntando se tinham visto um sapo que um menino gordinho havia perdido, essa lembrança me fez sorrir, foi a primeira vez que vi Harry Potter.

Adormeci com aquele pensamento e isso fez eu melhorar um pouco. Reviver os melhores momentos de minha vida sempre me faz bem. E por mais que eu tentasse pensar em Draco, que é quem eu estou saindo no momento, aquela cabeça cheia de cabelos pretos e com uma cicatriz não quer sair de meus pensamentos.

Bom pensando bem tenho Draco ao vivo e a cores, então porque não só em sonhos ter Harry Potter?



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.