FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. O que não se faz por amor


Fic: Amores Verdadeiros


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Depois de uma semana...
Um certo dia depois do jantar os três estavam na sala comunal conversando.
- Harry, você não acha muito estranho essa calmaria em Hogwarts? - perguntou Hermione.
- Como assim Hermione?
- Você-sabe-quem não deu as caras! Está tudo normal por aqui, nada de estranho aconteceu!
- É verdade Harry - intrometeu-se Rony - a Mione tem razão.
Neste momento uma coruja negra bate na janela.
- Uma coruja? - exclamou Harry - há essa hora?
- De quem será? - disse Hermione indo a direção á janela. Ela abriu e pegou o bilhete - é pra mim!
- Pra você? - exclamaram os dois juntos.
- Quem mandaria uma coruja pra você há essa hora? - perguntou Rony.
- Não sei. Que horas são?
- Nove e meia.
- Nossa! - ela abriu o envelope que dizia:
“Hermione
encontre-me na escadaria do castelo à 22:00!
Te amo
Draco"

- De quem é Hermione? - perguntou Rony.
- Do Draco.
- O que ele quer?
- Pare de ser curioso Rony! - interferiu Harry.
- Mas...
- Eu vou subir - disse Hermione saindo - Boa noite!
- Boa noite - responderam os dois juntos.
*********************************************************************
Hermione sentou-se na cama sem fazer muito barulho pois já tinha algumas dormindo. Esperou até 21:45, desceu e chegou no local combinado às 22:00. Olhou e não viu ninguém, sentou em um degrau da escada e esperou por uns 15 minutos até que ela ouviu uma voz dizendo:
- Boa noite! - ela se virou rapidamente e viu ali parado à sua frente ninguém nada mais nada menos que Lucius Malfoy - vamos dá um passeio sangue-ruim? - e antes que ela falasse alguma coisa ele a estuporou.
*********************************************************************
Draco acordou assustado. Tivera um pesadelo com Hermione. Estava preocupado mais queria acreditar que ela estava dormindo no dormitório feminino da Grifinória, mal sabia o que estava acontecendo...
*********************************************************************
Pela manhã a notícia já havia se espalhado: Hermione sumiu! Draco entrou no salão principal para tomar café junto com Crabbe e Goyle e ouviu os comentários.
Harry e Rony olhavam com um olhar de desespero e um tanto estranho. Draco começou a ficar desesperado ao ver que Hermione não estava na mesa da Grifinória e não queria acreditar no que ouvia, resolveu ir até Harry e Rony.
- Onde está Hermione? - Malfoy perguntou
- Você deve saber Malfoy! - disse Rony.
- Por que eu tenho que saber?
Harry se levantou e disse: - NÓS queremos saber onde está Hermione e VOCÊ tem que saber! Não finja Malfoy!
Malfoy pegou Harry pela gola das vestes e disse: - Conte o que você sabe Potter!
Harry se soltou com violência de Malfoy.
- Não posso falar aqui.
- Vamos sair!
- Você não manda aqui Malfoy! - disse Rony.
- Cala boca Weasley! É melhor pra você!
Eles saíram, ao chegar lá Malfoy foi o primeiro a se manifestar:
- Contem o que vocês sabem!
- VOCÊ mandou uma coruja para Hermione ontem à noite e nós deduzimos que era marcando um encontro naquela noite. Ela, pelos nossos cálculos, foi e não voltou - Harry fez uma pausa - o que você fez com ela Malfoy?
- Eu não fiz nada! Hermione é a minha vida! Não faria mal algum a ela!
- Como eu não percebi isso antes! Você usou a Hermione! - disse Rony.
- Não eu não usei!
- Você a levou a Voldemort não foi? - perguntou Harry.
- Não! Eu não sei onde ela está! Perguntem a Crabbe e Goyle! Eu estava no dormitório dormindo e acordei assustado com um pesadelo que tive com ela!
- Quem você pensa que engana? - perguntou Rony se alterando.
- Eu não estou enganando ninguém! - ele pôs as mãos na cabeça, tirou-as rapidamente e disse - eu vou atrás dela!
- Ah não vai não! - disse Harry.
- Você não entende Potter?! É a vida de Hermione que está em jogo! Não vou deixar o amor da minha vida ir embora! - dizendo isso saiu.
*********************************************************************

Harry e Rony ficaram olhando Malfoy ir embora.
- Nós temos que fazer alguma coisa! - disse Rony.
- Eu sei...
- E vai ficar aí parado? E se Você-sabe-quem estiver com ela?
- Eu vou com o Malfoy!
- Eu vou também.
- Não! Rony e se ela voltar, sei lá você tem que ficar!
- Eu vou Harry! Com vocês ou não!
- Tudo bem - Harry fora vencido - vamos atrás do Malfoy e depois eu vou me despedir da Cho.
- Vamos.
*********************************************************************

Eles procuraram Malfoy e o encontraram na porta de uma sala.
- Malfoy - disse Harry - vamos com você.
- Resolveram acreditar em mim?
- Vamos hoje à 00:00.
- Você quer dá uma de herói Potter! Não tenho tempo pra sua fama! Eu decido a hora que vamos!
- Está decidido Malfoy! Nos encontramos na escadaria do castelo!
- Você quer aparecer não Potter?! Quer que todo mundo babe em cima de você?
- Cala boca Malfoy! - disse Rony.
- Não se mete Weasley!
- Você quer apanhar?
- Eu vou quebrar a sua cara!
- Já chega! Está decidido Malfoy nos encontramos 00:00 na escadaria de acesso ao Salão Principal - dizendo isso Harry saiu com Rony.
*********************************************************************
Na hora do almoço Harry foi atrás de Cho e a encontrou em um corredor.
- Cho!
- Harry! - ela foi até ele - oi meu amor - se beijaram.
- Eu preciso falar com você.
- Sou toda ouvidos!
- Aqui não - eles foram para um canto mais sossegado e Harry contou o que se passava, ao final concluiu dizendo - eu vou atrás de Hermione!
- O que?
- Foi o que você ouviu.
- Eu não acredito! Por que você tem sempre que ser o herói?
- Cho ela é minha amiga!
- E eu? Sou o que pra você?!
- Não grita Cho!
- Você vai atrás dela e me deixar sozinha?
- Você não vai está só! Fazemos parte um do outro e ninguém no mundo é mais importante pra mim do que você!
- E por que você tem que ir?
- Essa é minha chance de acabar com Voldemort.
- Eu não vou mais discutir com você! Você quer ir, você vai!
- Meu bem, não fique assim. Me desculpe.
- Tudo bem.
Eles se olharam, ela o abraçou e sussurrou em seu ouvido - eu te amo muito.
- Eu também te amo muito!
*********************************************************************
Rony havia decidido que não iria falar com Ágatha a respeito da “fuga” que ele, Harry e Malfoy iriam fazer. Ele pensava muito nela e não havia entendido o porque dela não ficar com ele, na verdade, ele entendia. No mínimo ela achava que ele queria usá-la pra esquecer Hermione ou que ele estava querendo apenas se divertir com ela; Ágatha gostava de Rony mas estava confusa em seus sentimentos, por mais que Rony tenha dito mil vezes que a amava ela não acreditava, na verdade ela acreditava mais estava com medo de sofrer.
Rony vinha andando em um corredor, estava indo almoçar, quando dobrou deu de cara alguém; era Ágatha.
- Desculpe, você está bem? - perguntou ele.
- Estou e você?
- Bem - fez-se um silêncio enquanto eles se encararam - eu... eu vou almoçar... e você?
- Estava indo ao banheiro.
- Ah... tudo bem então... é melhor eu ir...
- Ta... tchau... - ela ia saindo.
- Espera Ágatha!
- O que foi?
- Não sofra por minha causa!
- O que você quer dizer com isso?
- Vamos parar com isso, sei que você gosta de mim e eu te amo muito não tem motivos para nós ficarmos separados.
- Nós já conversamos sobre isso!
- Mas não resolvemos! Ágatha isso é criancice!
- É mesmo?! Se fosse a Granger você não iria dizer isso!
Ele a olhou e se aproximou dela pegando em seus ombros.
- Se fosse a Hermione eu diria coisa pior pois vivemos brigando! O que interessa agora não é ela e sim você!
- Olha Rony... - ele a calou com um beijo.
Depois de um tempo eles se largaram e se olharam por alguns segundos até ele dizer: - Eu te amo.
- Eu também te amo e é por isso que não podemos ficar juntos - começaram a cair lágrimas dos olhos dela que não parava de encarar Rony nos olhos então sem mais nem menos ela saiu correndo deixando ele agora com lágrimas escorrendo pelo rosto. Ele de dor gritou: - ÁGATHA!!!!!!!!!!
Ela que não estava longe ouviu e chorou mais, desesperadamente. Sentia uma vontade de voltar para os braços dele mas algo impedia, por que ela achava que ele gostava de Hermione? Ele não gostava! E porque não ficar com ele? Talvez por orgulho ou outra besteira qualquer; ela não sabia, ou sabia e não queria admitir, ou não sabia que sabia. Ela estava confusa.
Rony que estava sentado encostado em uma parede chorava muito, sentia uma dor enorme e uma vontade enorme de ter aquela garota nos braços. Não era uma garota qualquer era Ágatha! A sua Ágatha! Foi pensando nela e que teria que deixar o castelo àquela noite que ele teve uma idéia e a poria em prática naquela noite.
*********************************************************************
Rony foi à direção ao salão principal almoçar e sentou ao lado de Harry que conversava com Neville.
- Oi Rony - disse Neville.
- Oi.
- Rony você está bem? - perguntou Harry - você está com os olhos vermelhos!
- Eu tô legal - disse passando a mão no rosto - Harry eu tenho que falar com você.
- Tudo bem. Você quer falar agora?
- Eu vou comer e depois a gente vai lá pra fora.
- Beleza!
Quando Rony terminou de comer saiu para conversar com Harry, contou o que havia acontecido no corredor com Ágatha e a idéia que teve.
- E aí o que você achou? - perguntou Rony sobre a idéia.
- É boa! Se eu fosse você já teria feito a um tempão!
- Vai ser hoje.
- Não se esqueça que vamos atrás da Mione.
- Não esqueci.
- Tudo bem era só isso?
- Era. Valeu cara!
- Não foi nada. agora deixa eu ir atrás da Cho, vou aproveitar essa tarde com ela.
- E eu vou aproveitar pra arrumar minha surpresa.
*********************************************************************
Quando chegou a hora do jantar Rony estava nervoso, Harry vendo a tensão do amigo procurou dizer algo pra acalmá-lo, sem sucesso.
- Calma Rony! Assim ela vai sacar! Pára de olhar pra ela se não ela percebe!
- Não consigo! Nunca fiz algo do tipo antes!
- Vai dar certo pô!
Depois do jantar todos estava se encaminhando pra suas salas comunais, Rony se despediu de Harry e foi até Ágatha.
- Eu posso falar com você? - disse ele nervoso.
Eles se afastaram dos outros e foram para um canto sossegado.
- O que você quer Rony?
- Eu tenho uma surpresa pra você.
- Que tipo de surpresa?
- Eu não vou dizer né! Você precisa vir comigo.
- Promete que não vamos demorar!
- Vamos!
(20:00hs) Eles foram até o Salão de Inverno. Lá tinha um sofá grande; uma mesinha com um vaso em cima; uma poltrona; uma lareira grande que estava acesa. Em cima da mesinha também tinha um buquê muito grande de rosas vermelhas e amarelas.
Ela ficou em pé ao lado da mesinha e ele foi até ela, pegou o buquê e disse: - Foi eu quem as colhi. Espero que goste.
- Claro que gostei! Está perfeito!
- Não é grandes coisas mais é de coração.
- Jamais pensei que alguém pudesse fazer isso por mim - silêncio.
- Ágatha, eu queria lhe dizer que eu errei feio com você mas depois eu percebi o quanto eu estava apaixonado por você. A Hermione é uma amiga, nada mais. Agora ela namora o Malfoy e está um tanto longe de mim e do Harry, se eu sentisse algo por ela eu estaria fazendo alguma coisa pra acabar com esse namoro mais não! Não estou querendo você pra fazer ciúmes nela por que se fosse eu poderia pegar qualquer uma. Eu não sou do tipo de pessoa que engana os outros muito menos a pessoa que eu amo. Quero o seu amor, não só hoje mais todos os dias! - ele fez uma pausa e pôs as mãos no ombro dela - Eu te amo Ágatha! - ele a soltou e andou para longe um pouco dela.
- Eu também te amo Rony. Desde o dia em que eu te vi no terceiro ano quando você machucou a perna, nunca tive coragem de chegar perto de você.
Ele se virou para ela onde estava e olhou para ela dizendo: - Por que Ágatha? Por que você quer que o nosso amor se perca? Por que você está fazendo com que a gente sofra?
- Rony - ela pôs o buquê de volta na mesinha e se sentou na poltrona - eu me sinto culpada. Não devia fazer você sofrer. O que aconteceu foi que eu sempre achei que você gostava da Hermione e não queria me envolver com você por que achava que ia sofrer mas por um lado eu sabia que você sempre me disse à verdade!
- Agatha, eu não me preocupo com o passado, o que aconteceu passou e não interessa mais. Quero viver uma vida com você sem precisar lembrar das coisas que aconteceram.
- Depois de tudo o que eu fiz você ainda me quer?
- Eu sempre te quis. Não é agora que eu vou deixar de querer.
Ela foi até ele e o abraçou dizendo: - Eu te amo Rony! Me perdoa por favor!
- Meu coração já te perdoou há muito tempo - eles se olharam, ela estava chorando - Eu também te amo muito Ágatha!
Eles se beijaram, foi um beijo quente, intenso, cheio de saudade. Era como se estivesse querendo se libertar de uma prisão; eles estavam começando a se queimarem com o fogo de paixão, foi ficando intenso até que Rony pegou Ágatha no colo e levou-a até o sofá. Com muito carinho e amor ele começou a desabotoar a blusa dela enquanto ela começava a tirar a dele, ele se pôs a tirar a calça dela que já tirava a dele e quando ele estava tirando a calça dela ela pôs as mãos nas dele e disse: - Estou com medo Rony.
- Se você não quiser eu respeito a sua decisão.
- É o que eu mais quero e com você mas tenho medo.
- Você é quem sabe.
Eles se abraçaram por um tempo e ela disse olhando bem no fundo dos olhos dele: - Faça de mim uma mulher. A sua mulher - sorriram um para o outro e se beijaram.
Com todo o seu amor Rony a beijou e a deitou no sofá tirando de vez a calça dela, passou-se um tempo e estavam de roupas íntimas, mas um tempo e estavam completamente nus. Rony se pôs entre as pernas dela e quando sentiu que ela estava pronta para recebê-lo ele sussurrou em seu ouvido: - Qualquer coisa me diz.
Ele penetrou nela com todo cuidado e carinho mas foi inevitável a dor que Ágatha sentiu, ela gritou e Rony abafou seu grito com um beijo. Logo a dor foi se transformando em prazer e eles já não se importavam mais com nada a não ser com o amor que os envolvia.
Depois de um tempo Rony deitou ao lado dela suado e cansado pensando em como seria ruim deixá-la sozinha. Ele começou a acariciar a pele macia dela e disse: - Eu te amo.
- Eu também.
- Ágatha - eles se olharam - você quer namorar comigo?
- Não precisa nem pedir, já sou sua - eles se beijaram e logo ela adormeceu nos braços dele.
(10:30)Rony ficou observando Ágatha dormir. “Ela é tão linda!” pensou ele. Ágatha tinha um belo corpo e à luz da lareira ficava mais bonito. Rony ficou pensando e observando Ágatha um bom tempo quando deu por si já eram 11:00hs! Ele se levantou com cuidado para não acordá-la, se vestiu e deixou uma surpresa para ela. Beijou-a e saiu.
*********************************************************************
(11:15hs)Ao chegar na sala comunal Rony subiu para o dormitório e encontrou Harry pegando algumas coisas pra levar.
- E aí Rony? Como foi o encontro com a Ágatha?
- Foi ótimo! - ele se jogou na cama - ela é maravilhosa!
- E aí rolou?
- Claro! Ela é minha primeira garota!
- Espero ter logo esse momento com a Cho!
- Cara, não sei nem o que dizer! Deixei uma surpresa pra ela, quando acordar ela vai ver!
- Você é um atormentado mesmo! Como você tem coragem de deixar ela sozinha? E se alguém vê-la? O que vão pensar?
- Relaxa! Eu arrumei tudo! Ela vai entender! E aí que horas vamos sair?
- Umas 11:30 a gente sai!
Eles se arrumaram e logo deu 11:30, vestiram-se e desceram, ao chegarem na sala comunal Rony indagou: - Harry, como vamos achar Hermione se não sabemos onde ela está?
- Eu sei onde ela está! - disse uma voz vinda do fundo do salão comunal.
- Gina? - exclamaram os dois quando ela apareceu na claridade da lareira.
- Como você sabe? - perguntou Rony.
- Eu ouvi uma conversa da Cho Chang com o Justino.
- Que história é essa Gina? Não temos tempo pra brincadeiras!
- Eu não estou brincando! Hermione está na floresta proibida, em um local muito afastado!
- E o que a Cho tem a ver com isso? - perguntou Harry.
- Ela está te traindo Harry!
- Gina isso é um absurdo! Nós temos que ir, não temos tempo pra besteiras! - disse Harry.
- EU NÃO MENTINDO!
- Você quer acordar a Grifinória inteira? Volta pra cama! - disse Rony.
- Eu vou com vocês!
- Ah não vai não! - Rony estava se aborrecendo.
- Eu vou e vocês não vão me impedir! Só eu sei o local onde ela está!
- Acho melhor ela ir Rony.
- Ta bom vamos!
Eles desceram e ao chegar no local combinado Malfoy já os esperava impacientemente.
- Até que enfim! Onde vocês estavam?
- Sem reclamações Malfoy! - disse Harry.
Malfoy notou a presença de Gina e disse com seu famoso (e maravilhoso) ar de desdém: - Esse troço vai com a gente?
- E daí? Eu sei onde Hermione está!
Malfoy a olhou surpresa e sem deixar a pose disse: - Sabe é? Até que você presta pra alguma coisa!
- Cala boca Malfoy! - disse Rony.
- Chega de brigas! - disse Harry - Vamos!
Eles foram, no caminho não falaram nada mas ao chegar na orla da floresta proibida Gina disse:
- Eu não sei que direção tomar pra chegar lá mas sei como é.
- Nós vamos entrar por aqui mesmo quando você vê o local você avisa - ela balançou a cabeça afirmativamente.
Eles entraram e andaram por uma hora mais ou menos, por vezes Malfoy discutia com os Weasleys e Harry tentava parar com a briga mais acabava entrando na briga. Ao chegarem perto do centro da floresta (eles não sabiam onde estavam. Mas eu sei! Hehehehehe!) eles ouviram passos e vozes e as pessoas vinham na direção deles. Harry puxou Gina para trás de uma pedra grande, Rony e Draco se esconderam cada um atrás de uma árvore.
Quando as pessoas passaram eles puderam ver que era Cho e Justino abraçados. Harry ficou estático, parecia que a qualquer momento ia desligar, Gina segurou o braço dele com força e sussurrou:
- Calma Harry. Não faça nada. - ele apenas olhou para ela com os olhos marejados e o rosto vermelho de raiva. Gina até teve medo.
Quando os dois se afastaram e não se pôde mais ouvir o som dos passos e da conversa, todos saíram do esconderijo menos Harry que continuou onde estava com uma cara que agora estava de fúria. Gina foi a primeira que teve coragem de se manifestar:
- Harry, sabemos quê o que você viu não foi nada bom mais temos que continuar. Hermione precisa de nós.
- Gina você estava certa. Ela nunca me amou e me enganou! Eu não posso acreditar no que está acontecendo!
- Pára com isso Potter! Desilusões amorosas agora não!
- Mesmo em um momento como esse você consegue ser desprezível Malfoy! - disse Rony.
- Cala boca Weasley!
- Chega vocês dois! - intrometeu-se Gina - Harry, temos que ir. Não podemos ficar aqui parados Hermione corre perigo!
- Pára de frescura Potter!
Harry de repente se levanta, pega Malfoy pela gola das vestes, o encara com um olhar de fúria e diz: - É melhor você ficar calado Malfoy ou eu não respondo pelos meus atos - e o soltou.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.