FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. •Capítulo 04 (13/09/2008)


Fic: Calculadora JL


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




•Capítulo 4 ou A Chance?


[Narrado por Lily no céu Evans]
 vanilla sky - umbrella

“Jurei que estaria aqui para sempre
Disse que sempre serei sua amiga
E vou manter minha promessa até o fim”


Um beijo aconteceu. Algo que desejava há anos, ele se aproximou de uma maneira em que eu não podia me afastar dele, eu sabia o quanto esperei por esse momento, o toque de seus lábios, pelo qual tocou delicadamente nos meus, como quem pedia “Posso Continuar?”, e assim ele foi aprofundando o beijo, tornando cada minuto mais inesquecível, o beijo dele era delicado e ávido. Ele me desejava, eu podia perceber. Após longos minutos nos separamos, totalmente sem fôlego e nos olhávamos envergonhados, provavelmente eu parecia um tomate laranja (?) [N/A: Ela é um tomate laranja e eu um tomate azul e tu Polie? N/B: Eu queria ser um tomate laranja! =’( Então vou ser lilás! *-*].
- Sabia que você fica linda corada? – ele me disse.
Eu tenho certeza que corei, fiquei ruborizada, resumindo eu estou mais vermelha, mas eu ainda me sentia totalmente livre, leve e solta! [N/A: Livre, leve e solto... às vezes sente sofre ♪ N/B: lálálá (8)(?)] Foi quando ouvi a pior voz na minha vida, a da Inspetora:
- Senão me engano vocês dois tem aula. Senhorita Evans jamais esperei isso de você! – disse a Inspetora.
Nós dois subíamos as escadas lentamente, nos dirigíamos para a sala de aula no terceiro andar, nossas mãos estavam atraídas, como um imã no alumínio, era o único gesto que demonstrava existir algo entre nós. Ele era o menino errado pra menina perfeita. A professora nos olhou quando entramos, foi quando separamos nossas mãos deixamos apenas o sorriso em nosso rosto. Ela nos olhava com um olhar reprovador [N/A: Olhava com um olhar...ainda bem que não era de outra maneira!] .
- Os dois se sentem. Agora! Vou falar os nomes de quem rodou na prova e entrega-las. Dos que precisavam de notas, apenas um passou. – ela disse.
Eu fiquei ansiosa, será que Isabela passará ou James... ou aquele guri com quem nunca falei. Six, Mandy, Remo, Polie, Lene e eu nos olhávamos, estávamos preocupados com James, pois ele acabou se tornando importante pra nós. Se ele partisse ou qualquer coisa acontecesse com ele, eu jamais superaria. Ela começou a entregar as provas. A Isabela reprovou, então é James ou o do Espírito Santo, mas como o Espírito Santo é abençoado por Deus... [N/A: foi tosco mas eu não resisti N/B: UHSUHSAUHSAU :x]. Ela já havia entregue as provas de quase todos, do nosso grupo só faltava saber a nota do James. Ela chamou James e Espírito Santo.
Entregou as provas deles.
James fez uma cara de decepcionado. Será que ele rodou?
- EU PASSEI!!!
Quando ouvi isso saímos pro abraço, ele havia conseguido! Meu esforço não foi em vão. Eu não acredito agora sou obrigada a perdoá-lo! Obrigada não era o que eu mais queria a tempo! Foi quando ela me entregou a prova... sabe uma coisa que odeio é quando tem questão errada e eu tiro uma nota baixa... minha escola usa o sistema de nota e conceito... como assim? Na prova diz quanto eu tiraria em número e em conceito... E eu tirei um S errei 1 questão e tirei S! Que ruim! :S
- Professora, eu errei uma questão e tirei nove? De 20 questões? Eu merecia um B! – eu dizia.
Foi quando a vacaoxigenadaqueusalente Isabela disse:
- A CDF se escancara... Agora ela é safada...sempre disse as santinhas são as piores! - ela disse
- Olha aqui sua loira oxigenada o que eu te fiz? Eu não te ferrei nunca nem te humilhei como você me humilhou e você vem brigar comigo? Vai te cata! Você é uma pessoa egoísta pelo qual ninguém gosta de conviver... Você nunca percebeu que é tão sozinha. – eu disse vem pro fight loira!
- Olha, como você é capaz de falar isso pra mim? Eu SOU Isabela... – ela começou a dizer quando cortei
- E daí que tu tem um sobrenome de Dom Pedro sei lá das quantas... Eu tenho um nome e um sobrenome e isso não me faz diferente... Meu nome é Lílian Evans, moradora de uma zona classe média, que não tem carro, que amanhã completa 17 anos e que é vizinha dos melhores amigos, que tem uma irmã casada, um irmão que é um cachorro, uma irmã passarinho, e que tem o AMOR em volta dela e quer saber, é isso que falta pra ti! – eu disse. Todos me olhavam assustados, eu sou Rebelde.
- Você ganhou uma batalha senhorita eu sei ser eu mesma Evans, mas você me paga. – ela disse saindo
Foi quando bateu o sinal... a aula tinha acabado ou melhor eu pensava assim, sai correndo pro banheiro enquanto Lene, Mandy e Polie me seguiam. James, Six e Remo foram comprar suas droguinhas básicas. To brincando eles foram comprar o almoço, ou estavam nos esperando. A Polie tem New Beetle vermelho ele é tão fofo e redondo [N/A: Alguém já viu um New Beetle quadrado. OBS: Nem Beetle = o novo Fusca. N/B: Só na fic mesmo que eu sou rica! :x UHSAUHSA] E James é pra estar em seu Mustang.
- Lily o que aconteceu com você? – perguntou Lene.
- Ela só beijou o Jaymezito! – disse Mandy...
Putz como ela sabia, as gurias olharam pra ela assustada foi quando ela começou a Dizer:
- Eu tava com o Six no Grêmio colocando música e daí eu coloquei a música e vi vocês se beijando... Foi tão lindo *___* - ela disse.
Eu comecei a conversar com elas... sim banheiro é lugar de gurias conversarem! Eu e as gurias após retocar maquiagens e conversamos e rirmos saímos do banheiro. Estávamos cruzando o corredor quando eu vi a pior cena que já vi na minha vida. Lene conversava do meu lado, uma lágrima começou a escorrer
- OMG! O que aconteceu com eles? Estavam se comendo na frente da supervisora! – Marlene me falava.
- Lene tu não viu quem era? – eu disse.
Mandy e Polie notaram o tom de desespero em minha voz... eu me assustei... Foi quando voltamos à cena e lá estava, eles ainda se beijavam, era o James com a Isabela. Lene chocou-se, enquanto eu sai correndo pro carro da Polie com ela e Mandy atrás. Lene ficou.

[Narrado por James, no inferno... já que to aqui vou abraçar o capeta!]
 Sum 41 - Pieces

“Eu não acredito que isso me realiza.
Eu pensei que seria fácil
Mas ninguém acredita em mim.”


A Isabela se aproveitou enquanto esperava Lily e me agarrou, agora eu perdi minha ruivinha e disso tenho certeza pois Lene está aqui do meu lado.
- JAMES COMO TU FOI CAPAZ? – Lene gritou.
- Eu disse que ela ia me pagar. - falou a nojenta da Isabela.
- Olha aqui a conversa não chegou no galinheiro! – Lene disse.
- Claro que não pois não sou porca. – disse Isabela. Como ela pode ser tão burra? Chiqueiro = porco. Galinheiro = Galinha.
- CALA BOCA SUA LOIRA RIDICULA! Eu estou falando com o James e não com você! Vai ver no banheiro se a tua cadelinha não se afogou na privada! – Lene disse e no mesmo instante, Isabela saiu correndo e gritando:
- Belinha não se afoga!
Eu a fiquei encarando, seu rosto mostrava um pouco de raiva com ilusão, mas ela havia tomado às dores de Lily. Porque tudo tem que acabar? E o pior era que amanhã era o níver da Lily, eu iria à festa certo, mas como poderia vê-la tristemente. Porque DEUS me odeia?
- JAMES COMO TU FOI CAPAZ?[2] – Lene me perguntava.
- Eu não queria. A Isabela me agarrou! Eu amo a Lily, e mesmo assim não é pra nós ficarmos juntos! – eu disse.
- Porque não dá pra vocês ficarem juntos? – Lene perguntou
- Porque eu sou um vampiro e tenho 17 anos a quase 300 anos! – eu disse ironicamente.
- EDWARD CULLEN! *__* - Lene me disse.
- Lene, deixa de paixonite e vamos ao presente. Eu beijei a Lily logo depois Lily me viu beijando Isabela, ela deve estar chorando, e eu to aqui com uma lágrima quase saindo do meu olho e você poderia dizer algo pra ajudar? – eu disse.
- Vai com fé meu irmão! – Lene disse!
Porque ela sempre faz isso, quando ela não tem resposta ela muda de assunto. Peguei e deixei ela falando sozinha, como se ela nem fosse importante. Quer dizer ela não era tão importante quanto Lily. Peguei e me dirigi até onde estava meu Mustang, o Leopoldo, ele é o único que eu não decepciono! Pelo menos eu acredito nisso. : ) E lá chegando, eu encontrei o New Beetle da Polie, com a Mandy dentro, a Lily não estava ali, pelo menos onde eu pudesse ver.
- Polie, pelo amor de Deus me ajuda, eu tenho que falar com a Lily, dizer que era mentira, que Isabela havia me agarrado. Poxa, eu gosto muito dela, ela não é qualquer uma pra mim. – eu disse.
- James, vá pra casa e relaxa, acalma, e amanhã conversa com ela, pois amanhã é o aniversário dela. E Mandy, vai com James pra casa, com os guris, e pede pro Six vir com nós. – disse ela ao terminar de falar.
- Ok mamãe! - eu a disse, com uma lágrima escorrendo em minha face. Mas antes de eu ir Polie ainda me disse:
- James deixa essa lágrima escorrer, pois as próximas lágrimas serão de alegria! – ela me disse. [N/A: Eu vou virar filósofa (ý) N/B: Vire! (y)].
Eu sai dali, com uma certeza, eu iria ficar namorarcasatransarterfilhos com a Lily, porque ela era minha metade do tomate, principalmente com aqueles cabelos aranjafosforecente ruivos.Ao chegar em meu carro, Six e Mandy estavam se agarrando beijando, enquanto Remo olhava com um olhar irritado para os dois.
- Six, a Polie pediu pra você ir com ela pra casa, pois ela tem que falar contigo. Acho que tem haver com a Lily. – eu disse.
Ele saiu de lá, enquanto Remo xingava a Mandy por estar se agarrando. Eu sai com meu carro cantando pneu, quando estávamos no meio do caminho eu atingia 150 km/h. Mandy me olhava assustada, enquanto Remo se divertia.
- James não adianta correr, a Lily tava no carro com a Lene. – Mandy me disse
- Como? Ela ouviu tudo que eu disse dela? – eu perguntei.
- Sim James, ela ouviu, ela estava escondida. – Mandy me disse.
Logo, cheguei em casa, e comecei a arquitetar o que faria para o aniversário da Lily. Eu ia fazer daquela festa o melhor momento da vida dela. E eu ia provar que eu amava gostava dela. Pois pra mim ela não é só mais uma!

[Narrado por Lily Evans.. Eu odeio o mundo e é por isso que vou virar emo!]
 Avril Lavigne - I Don't Give A Damn

“Então porque você me beijou na boca?
Você pensou que o seu gosto
Ia me levar as alturas”


Eu chorava compulsivamente, fiquei arrasada com o que havia acontecido comigo, sem noção, ele me beija, e logo depois está se agarrando com a Isabela. Que ódio, enquanto me dirigia ao carro da Polie, peguei uma pedra e arranhei todo o carro pink da Isabela. E quando finalmente havia me acomodado no carro, Mandy me abraçava, foi quando percebemos um deus grego moreno se aproximando. Eu sabia que era James, Lene não conseguia conversar com alguém sem mudar de assunto.
Peguei e me escondi atrás da poltrona, sorte que tinha vidros escurecidos.
Eu escutei toda a conversa, mal conseguia acreditar no que ele dizia, ele dizia que Isabela havia agarrado que ele gostava de mim, mas eu não tinha a coragem de ir falar com ele, principalmente depois que Polie disse que ele chorava. Algo não queria me deixar perto dele, era assim que eu me sentia.
Então porque ele beijou a minha boca, se não é pra me levar as alturas que nem tirasse os meus pés do chão. Porque tem que ser assim?
- Polie, porque tinha que ser assim? – eu perguntei a ela.
- Porque se não houvesse sofrimento ao menos uma vez não teria graça. – chegou Six entrando no carro. – A pessoa só cresce se sofrer my little e sweet Lily.
Sirius Black lança seu novo livro: “Conselhos de um cachorro profissional filosofando”.
-Six, como tu sabe... Você nunca sofreu por amor! – eu disse.
- Amor não é só a forma de mulher e homem, e amor familiar, entre amigos, eu achei que isso você sabia Lily. – ele me disse.
- Eu sabia, mas nunca pude acreditar que isso mudasse em algo. Eu mudei por raiva e ódio de todos aqueles que me humilharam e hoje eu estou igual a quem me humilhou, idiota, panaca! – eu disse
- Lily, quem sabe essa mudança era pra te ver evoluir, pra você mostrar quem você é! Metades dessas meninas que puxam saco da Isabela hoje te admiram por tu não baixar a cabeça pra ela. Imagina você pode mudar, mas ela nunca saberá reconhecer o amor que existe no mundo.
- Se tu se acha mais forte que uma galinha bote um ovo! – Lene disse chegando ao carro. [N/A: Créditos da frase à Daniela Moony]
- Cuma? – todos disseram.
- Ah esquece! Eu tava falando pra Isabela, que esta tendo um chilique no carro, parece que arranharam ele. Quem seria capaz disso? Essa escola está precisando de um segu... – foi quando ela me olhou rindo. – Lílian Evans não foi você quem fez isso? – ela me perguntou.
- Fui eu, a Polie deixou! – eu disse.
- Polie como você foi capaz de deixá-la fazes essa loucura? – Lene perguntou.
- Eu ajudei! – Polie disse.
Após a entrada de Lene no carro saímos em direção ao shopping, à última coisa que queria era chegar logo em casa, pois sabia que lá estava ele. Pegamos e nos dirigíamos ao shopping para comprar roupas. Polie ia deixar eu a Lene lá para irmos comprando artigos pra decoração, enquanto Polie levaria Six pra casa e distrairia James pra ele não correr atrás da Lily, e Mandy viria pra então escolhermos a roupa mais legal para eu usar. Eu vou ser a rainha da festa porque ela será a minha festa de aniversário. Lene e eu começamos a ver o que precisávamos, a decoração seria temática, com luau, então saímos a catar coisas que tivesse haver com um luau. Ela ia ser tri. Passeávamos pelo shopping bem lindonas, quando vejo um moreno conversar com a Lene, ele era bem lindo, olhos castanhos, cabelos pretos, e uma pele bronzeada, tinha cara de surfista.
- Hey meninas, vocês estão comprando errado. – ele disse.
- Como? – eu perguntei.
- As tochas que vocês compraram são pra luau, e como aqui as praias mais próximas ficam uns três kilometros, achei que vocês não necessitariam. AH desculpa, meu nome é Matthew, mas me chamem de Matt. – ele disse.
- AH prazer, eu sou Marlene, mas me chame apenas de Lene, e essa é Lílian, mas chame-a de Lily. – Lene disse.
Ele tinha um sorriso bem lindo, e um corpo de Deus.
- E que nós vamos fazer um luau e daí precisamos comprar tochas desse tipo. – eu disse.
- Que legal um luau só cuide que amanhã é pra chover e tipo, coloquem uma lona tipo aquela. – Matt falou apontando.
- Como tu entende tanto de luau? – Lene perguntou. Cada vez mais ficávamos admiradas com o que ele falava.
- Eu já fiz um monte. – Matt disse piscando.
- Genteeem! - chegou a Mandy gritando e a Polie com cabeça baixa atrás dela.
- Oi Mandy, ssse é o Matt, ele ta nos dando dicas de compras para luau. E aquela ali é a cunhada de Mandy, a Polie. - Lene disse.
- Ah prazer, Matt. – ele disse.
- Você poderia nos ajudar durante a tarde né? Precisamos comprar um monte de coisas. Pois não temos muitas noções sobre decoração de Luau. –Lene disse, acho que Lene esta flertando [N/A: Do fundinho...mas bem do fundinho do baú N/B> UHUASHSAUHSAUH <- essa beta só ri! :S] com ele.
- Aceito, vocês paressem estar bastante interessadas em fazer uma festa perfeita. – ele disse.
Nós saímos a dar voltas no shopping com Matt, ele era bonito e querido, e nós ajudou em todos os detalhes da decoração, acho que a Lene ia gostar se ele fosse na festa.
- Gurias, onde vocês vão? – ele nos perguntou ao ver que não estávamos nos dirigindo à saída.
- Nós vamos comprar roupas pra amanhã. – Lene disse.
- Posso acompanhá-las, pois terão uma opinião masculina. – ele disse.
Ele era o menino que eu sempre procurei, nele eu podia ver tudo o que não via no James, mas ele iria com Lene, pois ela merecia ele.
- Claro que pode. – Lene falou rindo.
Saímos pelo shopping a procurar um vestido que combinasse com Lily, ela queria usar um vestido, que por baixo teria um biquíni que ela ia comprar. Mandy iria comprar uma blusa, pois há poucos dias ela tinha comprado uma saia e um biquíni, Lene iria comprar algo, que mudasse do seu habitual azul e preto, ela queria mudar e Polie já havia comprado, ou melhor, ganhado de seus pais. Eu estava decidida Verde eu não compraria, apesar de ser minha cor favorita. Eu estava cansada de usar sempre as mesmas cores, dessa vez eu iria mudar. Paramos na Biquíninéssimo, uma loja de biquínis perfeita. *__* Nós olhávamos os biquínis de maneira que dizia “EU QUERO O BIQUINI PERFEITO PRA MIM” que caiba como uma luva, que chame atenção masculina, e que minha presença não seja esquecida, era esse o meu nosso objetivo. Eu admirava cada biquíni cada um com meus olhos brilhando, mas eu acharia um perfeito, um que demonstrasse o quanto de contrastes que uma pessoa pode ter, algo que mudasse o meu habitual, algo verdadeiro, algo como um amor, que eu me apaixonasse por ele, como eu sentia pelo James. Uma lágrima rolou com a conclusão do meu pensamento, mas nada me abalaria, eu seria a melhor na festa. Lene me chamou, eu acho que meus olhos estão vermelhos, ou então perdera seu brilho habitual.
- Hey Lily, você ta com olhos diferentes. – Matt me disse.
As meninas imediatamente me olharam, elas sabiam sobra a mudança dos meus olhos e isso as preocupava.
- Não foi nada, caiu um cisco no meu olho – eu disse. Que desculpa mais esfarrapada, ta pior que a Guerra dos Farrapos. [N/A: Guerra dos Farrapos = tentativa de proclamação de uma republica gaúcha. N/B: Nath tbm é cultura! ;)]
- Gentem, olha que mara esse biquíni, ele é azul – Lene disse.
Eu fui olhar, apesar de ela não poder usar azul porque eu havia proibido, ela logo achou um azul.
- Que lindo Lene - e disse, ele era de um azul lindo e perfeito, algo me lembrava, mas não sabia exatamente o que era, e nele havia detalhes com cristais verdes claros. Eu havia amado aquele biquíni, era o que eu procurava. – Lene me perdoa, mas esse é meu - eu disse pegando o biquíni e levando-o para o provador enquanto Lene me olhava com inveja. Todas foram pro provador, ver como ficava o biquíni em mim. Foi quando o coloquei, na parte de baixo ele tinha detalhes de flor, e na parte de cima não havia bojo, como eu sempre usava, ele era cortininha e ressaltava os meus seios, se fosse com a Lene ela ia fica com o peito caído! Askosksaokas. Saí do provador, e todos me olhavam boquiabertos
- Lílian você está demais. – Polie me disse.
- Demais é pouco- disse Mandy
- Você ficou perfeita! – me disse Lene.
- Você está simplesmente fabulosa, o azul do biquíni deixou ser corpo mais moreno. – Matt me disse.
- Obrigado – eu disse corada - agora podemos escolher o biquíni da Lene? Pois meu vestidinho vai ser uma camisetona masculina do meu pai, estilo social.
E saímos a procurar o biquíni, foi quando encontramos um laranja com pequenos detalhes azuis em forma de pássaros. Foi quando percebemos o quão tarde estava era passadas das 21:30, tínhamos que ir pra casa.
- Tchau Matt. – diziam as gurias, mas eu resolvi convida-lo pois Lene merecia.
- Hey Matt amanhã às 19:00 lá me casa, vai de sunga ou bermudão! – eu disse.
Fomos caminhando até o estacionamento, estávamos cansadas e sem vontade pra falar. Só sabíamos de uma coisa, amanhã ia bombar!

[Narrado por Isabela... Como é bom ser ruim (6)] [N/B: vaca.

Meu telefone tocava:
I WANNA PIECE OF ME
Britney é Pop, e perfeita então é meu toque. =p
- Hey Bela, aqui é o Matt. Seu plano está dando certo. Eu fui convidado pra festa – ele disse.
- Que bom Matt, espero que continue assim. Amanhã tu vai provar que Lílian Evans de santa não é nada, e que James, tem um futuro comigo! – eu disse.
- OK Bela, boa noite princesa, amanhã eu vou fazer o seu plano dar certo... – Matt disse.
- Boa Noite Matt. – eu disse.
Eu sabia do quanto Matt era capaz, e agora era o melhor momento de provar, que eu vou sair à vencedora. MUAHAHAHAHA.

[Narrado por James... ♫hoje eu preciso de você ♫]
 Paramore - That's What You Get

“Eu afoguei todos os meus sentidos
Com o som dessa batida
E é isso que você ganha quando deixa seu coração mandar”


Eu acordei ao ouvir o som da voz Lene cantando Paramore... como ela canta bem, nem eu imaginava que cantasse também. Me levantei e ouvi o parabéns pra você de todos, que estavam na casa da Lily, era só eu que não estava. Resolvi sair de casa, era algo que me acalmaria. Aquela música penetrava em minha mente. Eu deixei meu coração ganhar e agora estava sem a pessoa que mais amava. Oh céus o vida! Desci correndo as escadas e me lembrava de Lily com medo de descer, ou então rindo de mim, tudo agora me lembrava dela e realmente isso não era legal. Tomei meu café da manhã, pouco importando o que comi, percebia os olhos atentos de minha mãe sobre mim, ela estava preocupada comigo.
- James você está bem? – ela me perguntou após meu longo silêncio.
- Eu estou! – eu disse, não estava muito a fim de falar.
- E então tu e a Lily, rola algo? Vai ir à festa hoje à noite? – mamãe perguntou. Eu senti que uma lágrima estava começando a escorrer.
- Rola amor, mas aconteceram uns troços não legais e nós não ficamos juntos, e eu vou ir hoje à noite, pois eu gosto dela mãe, pode ser que seja a última vez que tu ouça isso mãe, mas eu sinto com a Lily algo que eu nunca senti. – eu disse com lágrimas em meus olhos.
- James, acalme-se. Vá ao shopping e compra um presente que diga tudo o que tu sente pra ela, seu cartão ta liberado. – minha mãe me disse. [N/A:Senhor do Céu me dê uma mãe que deixe um cartão liberado pra mim! *__* N/B: Duaas!]
Como ela é demais, eu amo a minha mãe. Agora estou em meu Mustang correndo pro shopping, eu quero dar a ela o melhor presente, mas pelo que tudo indica essa noite irá chover, e bom eu amo CHUVA! Acho que vai ser meu dia de sorte. Apesar de não ter convidado nem Sirius nem Remo para vir comigo, eu os encontrei na frente do shopping.
- Hey James! – Six me disse.
- Olá pequeninos da minha vida! – eu disse.
- Cara isso foi muito gay! – Sirius me disse me abraçando como amigo, apenas amigo, o Sirius não é gay como o Chace Crawford.
- O que vocês, meus pequenos estão fazendo aqui? – eu disse
- Viemos comprar maconhaaa! – Sirius me disse. O Quê? Sirius e Remo comprando erva? Será que eles não aprendem nada do mundo?
- Pequeninos vocês sabem que a ervinha faz mal pra saúde né? Então se comprarem me ofereçam! – eu disse.
Nós caímos na gargalhada, pois era muito irônico (?).
- O que ta fazendo aqui James? – Remo me perguntou.
- Comprando o presente da Lily, pois eu vou me reconciliar com ela! – eu disse.
- Ai James, não apronta nada hoje à noite, pois pra ela é especial, é o aniversário dela, e os pais delas não estão em casa. – Sirius me disse.
- Calma gente, eu não vou aprontar, mas tenho que comprar um presente que lembre ela de mim. – eu disse.
- Quem sabe um anel? Um buquê de Lírios? Algo verde? – Remo em disse.
- Cara como isso é clichê! Em que século tu ta? No século medieval? – eu disse.
- Calma aí James, só disse algo que provavelmente ela ia gostar! – Remo disse.
Tudo bem, que eu fiquei bravo estressado, mas porque ele me deu só idéias clichês, coisas que todos iriam dar pra ela, livros, lírios, anéis, coisas verdes, ela vai muito, além disso! Ela é uma princesa, ela é perfeita, ela tem o dom da beleza e da felicidade nela. Eu teria que achar algo especial para ela, pois era o que ela merecia.
- Vocês viram a nova loja que abriu? – Sirius me perguntou.
- Não, o que ela vende? – eu perguntei.
-Tipo coisa místicas e mágicas, as gurias me comentaram que ela é linda. - Remo falou isso soou tão gay (ý), é hoje que esses dois vão se revelar.
- Vamos lá pode ser que eu encontre algo pra Lily. – eu disse.
Saímos a caminhar pelo shopping feito patricinhas fúteis que não tem o que fazer (?)
- É aqui! –Remo disse.
A loja demonstrava ser meio louca(?). Tipo com um monte de artigos místicos e pirados, se pendurava cordas com tipo aqueles apanhadores de sonho(?), mas tinha uns murais com fadas e unicórnios que pareciam se movimentar, batas e túnicas indianas, que deixariam ela com um ar de hippie, colares com espelhos e pedras, era decididamente uma loja diferente.
- Olá o que você gostaria James? - disse uma atendente atônita que prolongava o ê. Ela era muito estranha (ý). Como ela sabia meu nome?
- Olá, como você sabia que meu nome é James? - eu perguntei assustado. -Eu queria um presente pra dar pra uma menina do sexo feminino que está de aniversário. – eu disse [N/A:Menina do sexo feminino? N/B: (?)].
- Sim, temos várias opções femininas, mas eu preciso saber da personalidade da menina. Eu sou uma adivinha, meu nome é Sibila Trelawney. – ela me disse. Gente eu to com meda!
- Bom, ela é ruiva, teimosa, irritada, bipolar, pirada da cabeça, mas no fundo o James gosta dela – disse Remo.
- Cala boca seu Aluado – eu disse.
- Ela é doce, querida, calma, personalidade forte e com uma boa cabeça, mas no fundo o James gosta dela [2] – disse Sirius.
- Cala boca seu Almofadinha metido! – eu disse.
- Prefiro isso a dormir com um cervo, Pontas- Sirius me disse.
- Não espalha isso, que eu ainda durmo com o meu cervinho de pelúcia chamado Fofo, Almofadinha. – eu disse. Almofadinha desgraçado espalhou meu segredo. O que há de errado em ter 18 anos e dormir com um cervinho que algumas pessoas insistem em chamar de veado de pelúcia, poxa ele é meu companheiro desde o início da minha vida!
- OK! Mas afinal como é a personalidade dessa guria? – disse a atendente atônita.
- Ela é ruiva, teimosa, irritada, bipolar, pirada da cabeça, doce, querida, calma, com uma personalidade forte e com uma boa cabeça, que no fundo o James ama [3] – eu disse.
- Vocês me deixaram confusa. – ela disse, começando a girar os olhos de uma maneira assustadora demais. Mamãe vem me proteger da tia que vira os olhos! Ta muito assustador, agora além de atônita ela esta afônica! – Querido James, não ande de carro essa noite, é a única coisa que os espíritos transilvanos da Jamaica estão lhe mandado avisar. – Ah eu to com medo! O.o
- Ok tia Siliba. – eu disse assustado.
- É Sibila. – ela me disse. – Olha a personalidade dela é tão diferente de todas que eu já ouvi falar. Acho que o que combinaria com ela seria esse espelho, onde cada dono toda vez que precisar, verá uma luz sair dele, como um refletor da imagem da pessoa, da maneira que ela está no estado do momento, [N/A: No estado do momento (?)] caso você esteja doente, ela vai ver tua imagem abalada, mas seus olhos brilharam como o de costume, o trará uma esperança pra ela.
Cara eu gostei disso, mas eu quero comprar mais um presente pra ela.
- E também podemos gravar o nome dela na corrente. – Sibila, a mulher estranha que girava os olhos, disse.
- Cara que demais. – disse Sirius, a partir de hoje Almofadinhas.
- Cara que demais [2] – disse Remo, a partir de hoje Aluado.
- Vocês dois viraram papagaios de imitação? – eu perguntei. – Cara que demais [3] – eu disse.
- Pontas imitão. – disse Sirius.
Agora meu apelido, a partir de hoje é Pontas. Só porque eu durmo com um cervo? Que raiva, pelo menos não sou metido que nem o Almofadinha, nem aluado como o ALUADO (?).
- Eu vou comprar, por favor, grave Lily, pois é o nome da menina. – eu disse.
Saímos da loja enquanto ela preparava o colar, empacotava e tals, enquanto nós íamos dar mais umas voltas no shopping.
- Vamos comer Big Mac? – Sirius falou, aquele lá de alimentação saudável não sabe nem o que é.
- Não vamos comer Habibs! – disse Remo
- Não eu quero ir ao Amendobobo. Bobo bobo eu sou um Amendobobo! – eu comecei.
Foi quando ouvi outra pessoa cantando a mesma música, era ela, a minha ruivinha, Lily Evans.
- Oi meninas! – gritou Remo. Tudo o que eu não precisava era ver a Lily agora.
- Oi Remo, oi guris. – elas disseram. Lily parecia meio, ta muito abalada.
- Gente eu vou indo porque minha mãe pediu pra comprar um elefante com calcinha. – eu disse, não consegui achar uma desculpa mais esfarrapada. A outra era que eu tinha que comprar um unicórnio xadrez com o leprechaun da rua de trás, será que nessa eles acreditariam e não ficariam me olhando com essa cara?
- Hey, James pode ficar! – Lily disse.
- Não eu tenho que sair, pois minha mãe pediu pra eu almoçar em casa, até porque ela vai fazer sorvete com frutas. – eu disse, apesar de ser mentira.
- Eu quero ir junto. – disse Lily, acho que ela pensou alto, pois todos a olharam e ela começou a corar. –Ops, pensei alto.
Eu abri um pequeno sorriso enquanto abanava dando tchau, ela ficou com uma maneira indescritível, como se tivesse com vontade de ir junto, mas algo impedia, sei lá, me parecia indescritível então é indescritível, pois eu quero que seja indescritível. [N/B: What? O_o]
Eu fui até a loja buscar o presente, sem perceber o que acontecia. A mulher estranha que girava os olhos Sibila Trelawney.
- Menino, cuide bem do presente, você iria usá-lo sempre. Coloque-o agora, para já ir se acostumando, pois nem tudo são flores. E nem sempre chuva é bom. – ela disse.
Foram meio estranhas as palavras dela, sai da loja um pouco assustado, mas nada de mal iria acontecer, pois eu sou demais. Após isso saí do shopping e me dirigi lentamente ao estacionamento.

[Narrado por Lily fugindo do pessoal indo atrás de James]
 Paramore - Hallelujah


“De alguma maneira tudo vai se ajeitando
Exatamente em seu lugar”


Eu saí correndo atrás dele, eu necessitava tirar uma dúvida. Foi quando esbarrei numa mulher atônita, que apenas deixou cair um papel, parecia que estava atrás de alguém. Peguei o papel, foi quando eu vi meu nome nele:
Lily Evans:
Cuide bem de seus amigos, por favor, os espíritos transilvanos estão lhe pedindo, pois poderá perder alguém especial.


Eu estava assustada com aquele bilhete, mas mesmo assim, saí atrás de James, ele estava saindo com seu Mustang. Eu não consegui chegar a tempo de conversar com ele, agora só a noite poderia por sorte a previsão marcava chuva e as lonas já estavam montadas. Resolvi voltar pro shopping, foi quando esbarrei em alguém.
- Hey Lily, tudo bem? – era Matt, ele sempre sabia onde me encontrar, eu achava aquilo meio estranho mais abafa. Eu tenho impressão que todos estão me seguindo.
- Olá Matt. To indo e com você? – eu perguntei, sabe às vezes eu tenho que ser educada.
- Também indo. Pra onde você vai? – Matt perguntou.
- Pra casa, pois tenho que me arrumar. Eu quero pensar um pouco, sabe eu to sempre acompanhada e às vezes preciso ficar sozinha. – eu disse.
- Eu ia oferecer minha companhia, mas como disse que quer ir sozinha, tudo bem. Vá bem e se cuide Lily, a Lene ta aí? – ele me perguntou.
Sabe eu não entendo os guris, uma hora eles estão dando em cima de ti, depois eles estão querendo saber da tua melhor amiga.
Eu sai a pé, caminhando, bem devagar, para que pudesse realmente acontecer em minha vida, não adiantava nada colocar em minha mente, James era só brincadeira, pois isso jamais colou, o que eu sentia por ele era intenso, e putz a galinha loira estragou tudo, como sempre ela estraga tudo que está tão bem, foi quando passei em frente a uma floricultura. Eu reconheci aquele Mustang, era o do James. Fiquei olhando distraidamente pro carro, e me esqueci do mundo ao redor, foi quando tropecei em algo e cai ao chão. Com toda certeza teria um engraçadinho fazendo a piada, de tão laranja apodreceu, sim eu ouço isso direto, por isso muitas vezes tenho raiva dos meus cabelos.
- Deixa eu te ajudar. – a voz me disse aquela nunca seria desconhecida pra mim, era James.
- Muito Obrigado James. – eu disse.
- O desculpe Lily, eu não conseguia ver com as orquídeas em minha frente. – ele disse.
Orquídeas? São as minhas flores favoritas, eu amo orquídeas, ao invés do que todos pensam que eu ame Lírios, lírios é tão clichê e clichê não é comigo ok? (ý)
- Orquídeas? São minhas flores favoritas. – eu disse sem pensar.
-Eu sei disso, teu perfume cheira a orquídeas. – ele disse /momento silêncio de constrangimento on/ agora /off/. – Tava indo pra onde antes de te atropelar?
- Pra casa, precisava espairecer longe daqueles malucos maníacos do Lupin, da Poliemaníaca e do Black Mckinnon que bateram cabeça quando bebês sem contar que o Six é meio louco e a Lene têm peito caído. – eu disse rindo.
- Como tu consegue andar com tantas pessoas maníacas, e não consegue conviver comigo que sou normal? – ele me perguntou.
- Já me habituei com eles. Agora eu vou pra casa, se não o lobo mal vai te pegar. – eu disse.
- Quer carona? – ele perguntou.
- Claro que sim. – eu disse.
- Lily, só uma coisa, tu sabe de tudo que aconteceu ontem né? A Mandy disse que você estava no carro da Polie. – ele me disse.
- Eu sei James, mas deixa a noite acontecer pra depois nós nos resolvermos. – eu disse.
- Mas tu aceitaria sair comigo? – ele disse.
- Não sei! – eu respondi.
- Lílian, aceitasaircomigo?- James me pedia
- Sempre há mais uma chance! – Lily dizia.
Após isso ele abriu o sorriso e chegamos longo em casa, era algo inacreditável a velocidade que ele andava, ele era tão seguro em seu volante, ele me contava história dos guris, os apelidos, eu amo animais tipo veados e o apelido dele é cervo? Tão ligado que são super parecido. (ý)
- Tchau James, até hoje à noite. – eu disse, saindo do carro.
- Espera ruivinha, os teus presentes. – ele me disse.
- As flores são pra mim? – eu disse, achei que seriam pra mãe dele.
- Sim, é tuas, mais esse aqui. - ele me alcançou um pequeno embrulho.
- Obrigado! É demais, eu amei as flores. – eu disse enquanto abria o pacotinho. Nele havia uma pequena corrente em prata, com um espelho em forma de coração e o meu nome gravado. – Obrigado James, é demais, eu amei. – eu disse abraçando-o.
- A tua corrente tem um par, é essa no meu pescoço, espero que sempre que precisar olhe bem fundo pra corrente. – ele disse.
- Eu prometo olhar quando eu precisar. – eu disse, enquanto saí correndo pra minha casa.

ALGUMAS HORAS DEPOIS!



- Lily você está linda. – me dizia as gurias, minha festa já havia começado e elas tinham me dito que estava demais, a chuva caia de maneira fraca, mas ótima, pois a chuva é sinal bom.
- Obrigado meninas, agora vamos descer? – eu disse.
Eu descia lentamente as escadas, pois todos já sabiam o que havia acontecido e o meu medo de escada.
Porque todos estão me olhando? Eu só estou usando a camisetona azul do meu pai e o biquíni sem bojo que ressalta meus seios e as curvas ficam a mostras azuis e meu cabelo estava liso com uma coroinha de orquídeas.
-Você esta divina, fabulosa – disse Matt, ele está dando em cima de mim.
- Lily, você está demais! – disseram Remo e Six juntos.
- Com licença senhorita Evans, poderia dançar? – chegou James, vestido com um bermudão verde-brilhante da cor dos meus olhos.
Foi quando olhei os olhos deles, brilhando tão intensamente, era deles a cor do meu biquíni, era dele que eu me lembrava os olhos deles me fizeram comprar esse biquíni.
-Sei que já te disseram, mas você está maravilhosa. – ele me disse enquanto dançávamos. Aquela noite prometia ser inesquecível.
Após terminar de tocar a música começou uma música agitada, eu não conseguia dançar e respirar com ele.
- James busque bebidas pra nós, ou se não sua parceira morrerá de falta de ar. – eu disse, não podia me enganar eu sempre o amaria.
- Eu jamais vou deixar nada de mal acontecer com você minha pequena ruivinha. Por mais longe que eu esteja eu jamais vou te esquecer. Eu te amo. – ele me disse.
Não conseguíamos pensar em mais nada, só sentíamos o calor de nossas bocas juntas. Nós nos beijamos novamente, a sensação de aconchego e amor estava em nossos lábios e era algo que eu não queria deixar passar.

 Pink - Who Knew


“Lembra-se quando nós éramos tao bobos
E tão convencidos e tão, tão legais
Oh não
Não não
Eu queria poder te tocar de novo
Eu queria poder ainda te chamar de amigo
Eu daria qualquer coisa


Após o beijo ele saiu, foi buscar as bebidas, uma música começou a tocar, era calma, mas ao invés dele aparecer Matt apareceu, e me beijou, eu tentava me desvencilhar, mas só ouvi o barulho de copos se partindo, e James me olhando com uma cara de desespero. O destino insistia em nós separar. Eu o via correndo em direção de seu carro, eu tentava chamá-lo mas ele não me escutava, era algo que me irritava, todos agora me olhavam e eu estava nem aí, eu só queria poder recuperar o amor dele, algo que eu ganhava e perdia, que ia e vinha como io-io.
- JAMES, por favor, me escuta! –eu gritava desesperada, enquanto ouvia o motor do carro dele roncar mais alto, enquanto ouvia os pingos de chuva tornarem-se mais fortes.
-JAMES, POR FAVOR, ME ESCUTE. – Era o último grito que eu dei.
No telão passava uma fita feita por Isabela, ela conseguiu me estragar mais uma vez:
- A vingança é PLENA, mata a alma e envenena. Aprendeu agora que não dá pra mexer com Isabela. Matt obrigado por me ajudar. – ela dizia.
Como eu a odiava. Matt me olhava com cara de idiota, enquanto Lene chorava, ela estava afim dele, Six tentava me acalmar, enquanto Polie, Remo e Mandy, organizavam tudo.
- Six me solta, eu preciso ajudá-lo, eu preciso conversar com ele, pode ser a última vez na vida que eu faça uma loucura. – eu disse enquanto ele lentamente me soltava.
Saí correndo dos braços de Sirius, peguei minha super e potente bicicleta amarela cor de canário e saí atrás do Mustang dele, maldita hora que resolvi não tirar a carteira de motorista. Em cada curva eu escorregava, em cada minuto, a gargantilha em meu peito apertava aquela que ele havia lhe dado. Foi quando ouvi o barulho de freiada brusca, meio aterrorizante, algo que me trazia insegurança e medo, e seguindo o barulho, eu vi o que não queria: o Mustang capotado, com James sangrando de maneira forte, ele estava entre a vida e a morte, eu podia sentir. Eu só conseguia uma reação, ligar pra ambulância enquanto chorava meu medo ainda se espalhava, ele estava gravemente ferido e o barulho da ambulância não passava.
- James, James- eu o chamava.
- Lily eu te amo! – James falou fracamente.
- Não James, mantenha-se forte. – eu dizia desesperada.
Uma certeza eu tinha a mulher do shopping estava certa quanto perder alguém, cada minuto os batimentos mais fracos, e era algo que me desesperava.

[Narrado por Autora]

Como em tão poucos momentos a vida de Lily havia mudado, como uma Calculadora mudará tanto em sua vida. Como queria ter se distanciado dele só pra não vê-lo sofrer o acidente. Era o que ela mais desejava, e era algo que agora ela não poderia realizar, pois agora tudo estava ficando pra história, e como ela mesma aprendeu, a coisas que o destino não quer unir.

[Narrado por James,pouco antes do acidente]
 Vanilla Sky - A Thousand Miles


“E eu, eu não quero que você saiba
Eu, eu me afogo em sua lembrança
Eu, eu não quero que isto acabe
Eu, eu não...

Percorrendo meu caminho para o centro da cidade
Andando rápido”


Eu dirigia mais rápido que o habitual, era algo assustador, ver todos os rostos passando muito rápido. Eu só queria fugir do mundo por mais uma vez, deixar transparecer, que era forte, mas ela não saia do meu pensamento, e o maldito CD que eu havia gravado pra ela, continuava no som do meu carro. A chuva caía cada minuto mais rápido. E eu continuava a acelerar, foi quando me distrai, foi o momento da música que eu perdi o controle do carro, tentei frear bruscamente mais de nada adiantou, senti o carro capotando, e todos os metais indo pra cima de mim, eu me sentia machucado e o carro permanecia capotado. Estava sentindo dores, sentia meu coração desacelerando, mas a música continuava tocar, não sei da onde, mas em minha cabeça ela tocava, e a cena do beijo me vinha em todos os momentos a minha cabeça, sentia o sangue escorrer em meu rosto. Era algo que não me conformava, era vê-la me traindo após o que havia lhe dito. Sentia cada vez mais meu coração parando, foi quando ouvi uma voz celestial me chamando. Era Lily.
- Lily eu te amo – eu disse.
- Não James, mantenha-se forte. – ela me disse desesperada.
Ouvia os pingos da chuva na rua, e sentia que estava desacordando pro mundo, quem sabe amanhã eu não iniciaria num lugar novo, eu ainda podia ouvir de longe uma ambulância e aquela música que não saía da minha cabeça. A única causa do meu acidente? Ter amado alguém, que o destino não queria, e agora morrendo, percebo que amei demais ela e que todos em minha vida foram especiais.
Eu comecei a ouvir o choro dela em meio que ficava desacordado, é as últimas palavras que ouvi foram:
- Eu também te amo James. – em um tom choroso.
Mas de nada adiantava o destino não queria nós juntos e disso eu tinha certeza.


N/A: OMG! Eu fiz um final dramático! No próximo capítulo, que infelizmente é o último é depois tem o bônus, vocês ficaram sabendo o que aconteceu com o James! Como sou má né? (6) Agora falando sério! Eu quase chorei escrevendo as partes finais ficaram triste mesmo, e as músicas não ajudam! :/ Mas espero que no fundo vocês gostem hein!  Beijos pra vocês! E comentem. A vou pedir pra que entrem na fic da Bia_Black Pirulito, que é inspirada em Calculadora. Ó o link ai: fanfic.potterish.com/menufic.php?id=30180

Juliiie Padfoot onde está vocêêê?

Obs:a beta riu um monte! TE AMO BETA!
Munique, Bia,Dani, Nessa e Juliiie e a todos que comentaram muiiito obrigado *___*


N/B: OMG!!!!!
Surtei legal aqui! :O
Nath como você faz uma coisa dessas? =’(
Que triste!!! \morre\
Caraca essa fic é demais né?? [fatão] Então(?), eu quero logo o próx e infelizmente o último capítulo! :~
Ta tarde agora e eu finalmente consegui terminar de betar!! AEEEEE! UHASUHSUSAUH
Em fim, AMEEEEEEEi demais tudoo!!!
Amo ser a beta! *---------------*

Beijos a todos

Amote Autora

E COMENTEM!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.