FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

15. Décimo Quarto Capítulo.


Fic: Marotos - Nem Tudo é o que parece ser...Primeira Temporada


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

~~> Décimo Quarto Capítulo.
“É morrendo que se vive...”

Liu estava em sua casa junto com Mary Kate se arrumando para sair, quando a campainha tocou.
- Já vai... – Gritou Liu descendo as escadas correndo, provavelmente era Sirius dizendo que era para ela se arrumar logo para eles irem jantar fora com os amigos.
- Abre a porta logo mulher! – Brincou Sirius gritando do lado de fora.
- Não me apresse Sirius Black! – Gritou Liu já chegando na porta, em sua mão estavam seus brincos que ela ainda estava colocando.
- Surpresa!! – Gritaram todos que estavam do lado de fora.
- Merlim! – Exclamou Liu ao ver todos os amigos, inclusive Douglas. – Aqui não tem pão não... – Brincou quase fechando a porta.
- Assim que eu gosto de ver... – Começou Sirius abrindo a porta que estava quase fechada. – De bom humor... – Completou pegando Liu pela cintura.
- Cachorros ficam do lado de fora, o meu gato não pode correr perigo... – Brincou Liu novamente, dando língua para Sirius.
- Merlim! – Exclamou Sirius. – Uma onda de alegria contagiou a minha pequena... – Disse sorrindo marotamente enquanto todos entravam na casa de Liu e se sentavam.
- Eu vou subir para terminar de me arrumar... – Pontuou Liu. – Sintam – se em casa... – Disse sorrindo enquanto piscava para Douglas que apenas abaixou a cabeça. – Até depois Si... – Completou dando um beijo que tinha um certo sentimento de despedida nos lábios do maroto.
- Até daqui a pouco... – Murmurou Sirius acompanhando Liu com os olhos.
- “É agora...” – Pensou Liu enquanto subia as escadas. – Quanto tempo será que eu tenho?! – Murmurou Liu sentada em sua penteadeira com um pergaminho, uma pena e um frasquinho em sua frente.
- Sirius... – Começou Douglas. – Você não quer subir para falar com a Liu para não demorar não?! – Perguntou na esperança que Sirius fosse parar algo.
- Deixa ela ficar bem linda... – Pontuou Sirius tirando uma caixinha do bolso. – Ela vai ficar tão feliz quando eu pôr isso no dedo dela... – Completou olhando para um anel de diamantes que estava dentro da caixinha.
- Bom... – Recomeçou Liu pegando o frasquinho que estava em cima da mesa e abrindo – o. – Espero que dê tempo... – Murmurou encarando o vidrinho por algum tempo. – A sorte está lançada... – Disse pouco antes de beber todo o líquido que estava no vidrinho. – Uii...esse treco deve funcionar mesmo... – Pontuou ao sentir – se tonta. – Tenho que ser rápida... – Completou pegando a pena e começando à escrever algo.

“Queridos amigos,
Sinto muito pelo sofrimento que causei a vocês, mas eu acho que o Sirius tinha razão, eu acabei me prendendo demais ao passado.
Quando alguém de vocês estiver lendo isso eu provavelmente não vou ter como explicar mais nada, provavelmente o meu coração já terá parado de bater. Peço – lhes que não façam que nem eu, não se prendam ao passado, as vezes ele acaba por te matar. Sirius, siga adiante, esqueça de mim...por favor. Douglas, cuide do Eduzinho. Mary Kate, tome conta da casa que um dia fora de meus pais. Lele, cuide bem do Remus. Remus, ponha juízo na cabeça da Lele. James e Lily, espero que vocês continuem tão felizes como estão. Bel, nunca é tarde para um reencontro com o Amor. Peter, tente procurar um novo Amor...
Está se tornando difícil para mim continuar escrevendo, eu já estou começando a sentir o ar se tornar raro em meus pulmões, brevemente cumprirei o meu destino...
Sirius...eu só queria te dizer uma última coisa...Eu...”


- “Eu te Amo”... – Essas teriam sido as últimas palavras da carta, caso a garota de cabelos castanhos não tivesse caído sobre a penteadeira, fria como um dia de inverno.
- A Liu está demorando... – Pontuou Sirius preocupado, já faziam mais de dez minutos que Liu havia subido para terminar de se arrumar, até a Mary Kate já havia descido, e nada da Liu.
- Talvez fosse melhor alguém ir apressar ela... – Disse Lele sorrindo. Douglas permanecia de cabeça baixa.
- Eu vou... – Pontuou Sirius se levantando e indo em direção as escadas, estava com um aperto em seu coração, mas não sabia o porque.
- Eu vou com o Almofadas... – Murmurou James indo logo depois de Sirius.
Ao subir as escadas Sirius notou que Eduzinho estava miando muito alto dentro do quarto, como se quisesse avisar algo. Ao chegar na porta daquele belo quarto Sirius viu Liu debruçada sobre a penteadeira, abriu um sorriso e se aproximou dela.
- Vamos Liu?! – Perguntou com um sorriso maroto. Mas a garota nada respondeu, foi então que notou que ela não estava dormindo sobre a penteadeira.

“How can I just let you walk away?
just let you leave without a trace
When I stand here taking every breath with you, ooh
You're the only one who really knew me at all…
(Como posso eu simplesmente deixar você ir embora
simplesmente deixar você partir sem deixar traço?
quando eu fico aqui a cada respiração com você
oooh você é a única que realmente me conheceu por inteiro)”


- Liu?! – Perguntou novamente posicionando o seu dedo no pulso de Liu para ver se ela ainda tinha batimentos cardíacos. Foi então que notou que o coração dela não mais batia, notando isso ele pôde perceber um pequeno vidrinho vazio em cima da penteadeira.

“How can you just walk away from me,
when all I can do is watch you leave
'Cause we've shared the laughter and the pain
and even shared the tears
You're the only one who really knew me at all…
(Como você pôde se afastar de mim
quando tudo o que posso fazer é vê-la partir?
porque nós compartilhamos o riso e dor
compartilhamos até mesmo as lágrimas
você é a única que já me conheceu por inteiro)”


Deixando o seu corpo cair no chão, Sirius começou a se lembrar de todos os momentos que havia compartilhado com Liu, dos de felicidade suprema, tristeza, enfim, tudo o que passaram juntos.
- Como você pôde fazer isso comigo?! – Murmurou Sirius sentado no chão ao lado de sua Amada. – Eu não tive nem como impedir... – Pontuou com as mãos na cabeça em sinal de desespero. O gato miava sem parar, e não saía do lado de Liu.
- Almofadas?! – Perguntou James ao entrar no quarto e dar de cara com Sirius sentado no chão e Liu debruçada sobre a penteadeira.

“So take a look at me now, who has just an empty space
And there's nothing left here to remind me,
just the memory of your face
Well take a look at me now, who has just an empty space
And you coming back to me is against the odds
and that's what I've got to face…
(Por isso dê uma olhada em mim agora
bem, há apenas um vazio em mim
e não restou nada para me recordar
apenas a lembrança do seu rosto
bem, dê uma olhada em mim agora
porque há apenas um espaço vazio
e você voltar para mim está contra todas as previsões
e é isso que tenho de encarar...)”


Sirius permaneceu em silêncio, foi então que James entendeu a cena.
- Douglas!! – Gritou James correndo até as escadas, deixando Sirius sozinho no vazio de sua mente.
- “E agora?!” – Se perguntava Sirius. – “O que vai ser de mim sem ela?! Eu estava tão acostumado a ter ela, que não posso me imaginar um dia sem puder ver o rosto dela...” – Pensou. – “Mas não tem mais jeito...a morte é a única coisa imutável...” – Concluiu em pensamento.

“I wish I could just make you turn around,
turn around to see me cry
There's so much I need to say to you,
so many reasons why
You're the only one who really knew me at all…
(Eu gostaria que desse meia-volta
E pudesse me ver chorando
Há tantas coisas que preciso lhe dizer
tantas razões pelas quais
você é a única que realmente me conheceu por inteiro...)”


- Você não podia ter feito isso...porque justo quando eu tomei uma decisão você faz isso?! – Murmurava Sirius por entre as lágrimas como se ele acreditasse que Liu podia o ouvir. – Eu ia te pedir em noivado poxa! – Exclamou com lágrimas finas, constantes e prateadas escorrendo pela sua bela face.

“So take a look at me now, who has just an empty space
And there's nothing left here to remind me,
just the memory of your face
Now take a look at me now,
'cause there's just an empty space…
(Por isso dê uma olhada em mim agora
bem, há apenas um vazio em mim
e não restou nada para me recordar
apenas a lembrança do seu rosto
bem, dê uma olhada em mim agora
porque há apenas um espaço vazio...)”


- O que houve?! – Perguntaram Lele e Lily ao mesmo tempo ao ouvir o grito de James do alto da escada.
Douglas nem sequer quis ouvir o que era, apenas subiu as escadas correndo, quase se esbarrando em James no topo das escadas.
Lá estava Sirius, sentado no chão em meio à uma cachoeira de lágrimas, agora ele tinha um papel em sua mão, papel esse que estava encharcado de lágrimas minuciosamente sentidas.

“But to wait for you, is all I can do
and that's what I've gotta face
Take a good look at me now, 'cause I'll still be standing here
And you coming back to me is against all odds
It's the chance I've gotta take…
(Mas esperar por você é tudo o que eu posso fazer
e é isso que eu tenho que enfrentar
dê uma boa olhada em mim agora
porque ainda estarei parado por aqui
e você voltar para mim está contra todas as previsões
e é a chance que eu tenho que arriscar ...)”


- Ela não vai voltar Sirius... – Murmurou Douglas agachando – se em frente à Sirius.
- Você não entende... – Começou Sirius. – Ela tem que voltar para mim Douglas...eu sei que não tem mais jeito, mas, eu ainda tenho esperanças de que isso tudo não passe de um pesadelo, e que eu acordarei na minha cama com o sol entrando pelas frestas da cortina, e os pássaros me alertando que o dia amanheceu... – Pontuou tentando respirar fundo para que as suas lágrimas então cessassem.
- Sirius deixe – me ver essa carta... – Pediu Douglas começando a ler a carta de Liu. – Errr...bom...eu vou organizar o enterro, amanhã mesmo ela deve estar sendo enterrada... – Pontuou cabisbaixo.
- Certo... – Concordou Sirius com dificuldade de falar por causa do choro incessante.

“Take a look at me now…
(Dê uma olhada em mim agora...)”


Sirius permaneceu sentado ali durante todo o tempo. Logo todos já sabiam do acontecido, e lágrimas inundaram aquela casa. Porém, em pouco tempo, na verdade em menos tempo do que o usual, providenciaram tirar o corpo da garota de apenas dezoito anos de lá, só então Sirius se levantou e foi tomar um banho frio, onde suas lágrimas salgadas se misturavam com a água doce do chuveiro.
De todos ali, o que reagiu melhor à notícia fora, sem dúvidas, Douglas. Um fato estranho ocorreu enquanto tentavam retirar o corpo de Liu da casa. O seu gato, Eduzinho, arranhava quem quer que fosse que se aproximasse do corpo da garota para levar ele para longe de lá, era como se ele quisesse dizer algo, na impaciência da raça humana, sedaram o gato e o levaram para a casa de Douglas.
Todos acabaram dormindo na casa de James, estavam todos abalados demais, e não deixariam Mary Kate, que estava muito abalada também, sozinha em uma casa onde um suicídio havia acabado de acontecer.
Dormiram, ou pelo menos tentaram...
Estavam todos lá, era um final de tarde ensolarado, as poucas nuvens no céu formavam desenhos indefinidos. Todos estavam de preto em sinal de luto por uma pessoa querida.
- Eu ainda não acredito que ela foi capaz de chegar a esse extremo... – Disse um rapaz de cabelos negros que lhe caiam pela face de uma maneira bastante charmosa.
- Almofadas...estamos todos tão surpresos quanto você... – Pontuou James buscando consolar o amigo que não parava de olhar para o caixão.
- Pontas... – Começou Sirius, lágrimas finas lhe escorriam pelo rosto. – Eu nunca mais poderei ver ela, tocar em seu rosto, beijar ela... – Murmurou entristecido. – Acho que no final das contas ela nunca me Amou de verdade, se me Amasse não teria feito isso comigo... – Disse abaixando a cabeça.
- Ela te Amava sim, Sirius! – Pontuou Bel. – Mais do que tudo... – Completou abraçando o amigo.
- Eu tinha planos para o nosso futuro... – Confessou Sirius recebendo o abraço de Bel.
- Você vai ter que seguir adiante sem ela Sirius... – Disse Bel agora olhando nos olhos do maroto.
- Impossível Bel... – Retrucou Sirius.
- O caixão já vai ser enterrado... – Avisou Douglas que havia sido o responsável por comprar um caixão trouxa, e organizar tudo em um período de menos de 24 horas.
- Fique em paz, minha pequena... – Despediu – se Sirius “jogando” uma rosa vermelha em cima do caixão de madeira, que agora descia lentamente para dentro do buraco cavado para ele.
À medida que o caixão descia, o “padre” falava algumas palavras.
- Estamos aqui hoje em homenagem à Elisa Weiss, uma jovem garota, que suicidou – se por não agüentar o peso de sua missão... – Começou o “padre”.
- Não foi exatamente isso... – Murmurou Sirius.
- Ela se foi, deixando...os amigos, e o namorado apenas... – Continuou o “padre”.
- “Apenas?!” – Se perguntou Sirius mentalmente. – “Isso já é ruim o suficiente...” – Pensou.
- Antes de prosseguirmos com a cerimônia, eu gostaria de ler uma parte de algo que ela escreveu em seu diário no dia anterior a sua morte... – Disse o “padre” enquanto pegava um pequeno diário que estava na mão de Douglas.

“Querido diário,
Hoje discuti com o Sirius, acho que ele ficou chateado comigo...
Ele tem que aprender a controlar o que ele diz, por um momento achei que ele ia acabar o nosso namoro, na verdade, por um momento achei que eu ia fazer isso.
Ele saiu daqui e eu não fui capaz de dizer “Eu te Amo Si”, talvez o meu Amor por ele tenha diminuído...talvez fosse melhor a gente não ficar mais juntos.
Bom...amanhã eu embarco em uma nova fase da minha vida, deixarei muita coisa para trás, mas sei que não vou me arrepender do que irei fazer.

Até nunca mais, Liu”


- Ela ia terminar o nosso namoro... – Murmurou Sirius com o olhar distante e triste. – Enquanto eu pensava em pedir ela em noivado... – Pontuou, e ao botar sua mão em seu bolso encontrou uma caixinha de veludo preto.
- Porque vocês brigaram?! – Perguntou Lele que estava bem perto dos amigos.
- Mesmo motivo de todas as brigas recentes... – Respondeu Sirius. – Eu sou um idiota... – Completou olhando para cima com um olhar triste. – Como eu fui incapaz de perceber que ela estava com pensamentos ruins?! – Perguntou mais para si mesmo do que para os seus amigos.
- Sirius... – Murmurou Douglas. – A Liu sempre foi boa em esconder as coisas... – Pontuou, o caixão ainda não havia sido coberto pela terra.
- O que é aquilo?! – Perguntou James ao ver um flash branco ir em direção ao buraco aonde o caixão de Liu estava descendo ainda e se jogando buraco abaixo.
- Eduzinho?! – Indagou Sirius surpreso, então o gato havia seguido Douglas até o local?!
O gato estava em cima do caixão, arranhando – o como se quisesse abrir ele, enquanto soltava fortes miados.
- O gato pirou... – Pontuou Lele. Estavam todos preocupados, afinal, quem iria tirar o gato dali?!
- Eduzinho, saia daí... – Começou Douglas na beirada do buraco.
- É inútil... – Murmurou Sirius. – Ele só obedece uma pessoa, e essa pessoa está morta... – Pontuou cabisbaixo.
Após muito esforço, conseguiram tirar o gato de cima do caixão, porém ele continuava inquieto, algo não estava certo ali...e fosse lá o que fosse, o gato sabia.
Após o enterro todos voltaram para as suas respectivas casas. Em sua cama Sirius pensava sobre o que seria de sua vida agora, tinha decidido nunca mais se apaixonar por ninguém, já que a única pessoa por quem ele realmente se apaixonou resolveu por um fim em sua própria vida, levando consigo o coração do maroto.
- “Assim como meu pai deu para minha mãe para mostrar que o coração dele estaria sempre com ela, eu estou te dando para você saber que o meu coração vai sempre estar com você...” – Lembrou – se Sirius enquanto mexia na corrente que havia ganhado como presente de Natal de Liu. – Você vai sempre estar no meu coração... – Murmurou pouco antes do remédio, que era próprio para insônia fizesse efeito.
- Você demorou... – Pontuou uma voz em um lugar sombrio.
- Tive certas dificuldades com certos trouxas... – Pontuou uma outra voz extremamente galanteadora. – Só não entendo porque você fez isso...você tinha outras maneiras de fazer o que queria... – Completou.
- A vida é feita de escolhas... e eu fiz a minha... – Respondeu a primeira voz.
- Miauu... – Miou calmamente um gato branco que estava no local aonde as duas pessoas conversavam.

Porque nem tudo é o que parece ser...
Fim?!
Não, apenas o começo de uma longa e exaustiva aventura.

~~> Fim da Primeira temporada!

*****************************************************
É isso aí pessoal, a primeira temporada acaba aí .
Se vocês quiserem que eu poste a segunda temporada comentem avisando, oks?!
Bjus queijus e biscoitos :)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.