FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Hoggy Warty, Hogwarts


Fic: Teenage WASTELAND - AVISO ON!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Teenage WASTELAND! - "They're all wasted..." Copyright 2008 by Nat W. Todos os direitos reservados. Trama, personagens originais e enredo. Proibida reprodução através de quaisquer meios. Harry Potter é propriedade de J.K. Rowling, Warner, Bloomsbury, Scholastic e Rocco.


__________________________________________




Capitulo II
Hoggy Warty, Hogwarts


 A manhã na casa dos Potter não podia ser mais confusa. Era assim todo ano, e naquela data. Se bem que, todo dia naquela casa tinha um pouco de confusão acontecendo. Era de se esperar que os netos de Pontas fossem tão encrenqueiros e espertos quanto o avô e os seus amigos marotos. Harry e Gina moravam com os três filhos numa casa afastada da metrópole agitada que era Londres. Quando a guerra havia acabado, Harry tinha decidido reformar a casa de Godric’s Hollow, mas depois de um bom tempo pensando, achou melhor não, já que a casa trazia tantas lembranças e nenhuma delas boas. Sendo assim, ele e Gina resolveram comprar uma casa em Oxfordshire.


- Mãe, viu minha varinha? Perguntou James que descia correndo as escadas.


- James, você perdeu sua varinha? Perguntou Gina ao filho, já ao ponto de arrancar os cabelos.


- Não! Não, eu não perdi a minha varinha... eu não perdi! Disse ele, tentando inventar alguma coisa assim que viu a reação da mãe. – Eu só queria saber se você tinha visto! Completou ele com rapidez e subindo as escadas novamente, praguejando sozinho sobre sua varinha desaparecida.


 De lá de cima, Gina ouvia os gritos de Albus e Lily discutindo. Ela não entendia o porquê daquelas brigas, eram todas sem propósito algum. Os dois irmãos só não conseguiam ser mais briguentos do que Ron e Hermione. Ela tinha certeza de que se os dois fossem iguais aos tios, ela já estaria internada na ala psiquiátrica do Saints. Mungus. Ela virou-se com calma e respirou fundo, pronta pra subir as escadas, mas acabou dando de cara com o marido olhando pra ela.


- Você ta bem, amor? Perguntou ele envolvendo-a num abraço enquanto passava os dedos pelos cabelos cheirosos e ruivos da esposa.


- Eu estou bem, pode ficar tranqüilo. Disse ela descontraída, e já esquecendo de subir e apartar os dois filhos.


 Era sempre assim. Quando estava nos braços de Harry ela conseguia esquecer de tudo e de todos, desde que os dois tinham começado a namorar há muito tempo atrás, até agora, com três filhos adolescentes. Gina nem ficava surpresa quando ele percebia alguma coisa em sua expressão e já perguntava se ela estava bem. Harry era assim, para ele a família tinha que estar perfeitamente bem, se não já era motivo pra preocupações. Eles dois sabiam que isso era por causa da guerra, e que seria uma coisa que infelizmente nunca ia mudar. Mas, de qualquer jeito era verdade que Harry já tinha um senso-protetor natural, e digamos que exagerado. Gina que o diga; mas isso tudo era passado, Graças a Merlin.


 Os dois foram logo interrompidos pelos três adolescentes que desciam as escadas. James exibia um sorriso exultante, feliz porque estaria voltando para Hogwarts, só que provavelmente 70% dessa felicidade toda era porque esse seria o seu ultimo ano. Já Albus e Lily estavam com as piores caras, e toda vez que se encaravam dava pra ver faíscas no ar.


- Prontos pra ir? Se a gente demorar vai acabar pegando trânsito em Londres! Disse ela enérgica e já se soltando do abraço do marido.


- Ai, ta vendo? Ela ta parecendo a tia Mione! Sussurrou Al pra o irmão mais velho que riu. – Eu disse que isso pega, coitado do Hugo... só o tio Ron salva!


 Assim saiu de casa a família Potter. Harry e Gina tinham feito o teste de direção bem antes de terem comprado a casa, e os dois já sabiam dirigir. James já estava querendo tirar a carteira de motorista, mas os pais estavam temerosos quanto a isso, ainda era cedo, e a razão maior era que um volante na mão daquele garoto era perigo na certa.


- James, colocou seu traje a rigor no malão? Perguntou Gina, quando os cinco já estavam dentro do carro e a caminho da capital.


- Coloquei... Respondeu ele cansado.


- Ainda não acredito que você vai se formar esse ano... Disse Gina entre animada, emocionada e ressentida.


- Mãe, por favor! Nem começa... Resmungou James começando a ficar irritado. Nas ultimas semanas sua mãe estava num estado emocional instável.


- Qual é, James! Deixa ela, afinal... papai e mamãe não vão poder te afofar mais, né? Disse Albus em tom de troça. O irmão lhe lançou um olhar nada feliz e então ele se calou, ainda rindo baixinho.


- Cala a boca, Al! Você que ainda “é” uma criança... Disse Lily, que limpava com cuidado a lente de sua câmera Polaroid.


- Ih, olha quem fala... você que é a guria aqui Lily! Rebateu ele.


 Albus discutia com a irmã, que testava o flash da maquina tirando fotos do irmão, cada uma mais engraçada do que a outra. E isso só o irritava mais. Gina e Harry tentavam fazer com que os dois parassem, e James já estava dormindo com o rosto colado no vidro do carro. As viagens eram sempre assim, mas apesar da confusão, eram divertidas. Afinal, eles tinham que arranjar alguma coisa pra fazer na uma hora e meia até a cidade, mesmo que essa tal distração fosse discutir um com o outro.


 Logo, a família já estava estacionando do lado de fora da estação de King Cross. Saltaram do carro e foram pegando os malões que foram acomodados espaçosamente no porta-malas, que tivera que ser ampliado para que coubessem todas as bagagens, e seguiram até a plataforma como faziam todos os anos. Alguns conhecidos passavam apressados pelos lados, empurrando os carrinhos com os malões de Hogwarts e levando suas corujas. Eram poucos os trouxas que estranhavam, até.


- James, você primeiro! Depois Al e Lily... Disse Gina quando os cinco chegaram na frente da plataforma 9 e 10.


 James apressou-se em atravessar a parede, logo atrás dele foi Albus, por ultimo Lily, e Harry e Gina. Assim que chegaram ao outro lado uma fina fumaça se formou em frente aos olhos de cada um. O trem grande e imponente estava parado nos trilhos, com alunos já acomodados nas cabines, alguns subindo nos vagões e outros descendo. James e Al foram colocar as suas bagagens e as da irmã no trem enquanto, ela e os pais procuravam Ron e Hermione, e Rose e Hugo.


 Demorou poucos minutos para que eles avistassem o topo da cabeleira ruiva de Ron ao lado dos cabelos ondulados e castanhos de Hugo; pai e filho já competiam no quesito altura. Os três, juntos com Albus e James que já tinham voltado, foram em direção à eles.


- Hey, Rosie! Gritou Al animado para a prima.


- AL! Gritou ela em resposta, enquanto ia correndo em direção ao primo e lhe dava um forte abraço.


 Albus e Rose sempre foram muito unidos. Talvez porque tinham a mesma idade e sempre conviveram juntos. Eram inseparáveis agora. Era com Rose que ele desabafava e podia falar coisas das quais tinha vergonha de compartilhar com os amigos, ou talvez com os pais, pedia dicas de como melhorar a relação com Emily sem mesmo ela saber, já que sua namorada era amiga de Rose. Eles dois mantinham os segredos do outro com todo o cuidado. Toda a semana tinha àquela hora sagrada em que eles sentavam e conversavam.


- Nossa, tava com tantas saudades! Disse ela, enquanto se soltava do abraço. Parecia que não se viam há décadas, e não no dia anterior.


- Eu também... Disse ele passando o braço em volta dos ombros dela, depois que Albus foi falar com os tios.


- Então? O que fez nesses últimos dias? Tirando ontem, que a gente se viu... Perguntou ela animada, assim que James, Lily e Hugo juntaram-se à eles dois.


- Nada...


- Mesmo? Nada? E quanto às trezentas e noventa e nove cartas que saíram o verão todo e ocuparam a minha coruja dia e noite? Disse Lily marota, delatando o irmão mais velho.


- Lily, qual é a sua, hein? Perguntou Albus irritado.


- E... que estresse... Resmungou ela.


- Crianças, eu vou procurar meus pobres companheiros e minha dama, fiquem com Merlin... Disse James, enquanto saía se embrenhando pela multidão que só fazia aumentar.


 Os quatro continuaram conversando sobre a volta à escola e a colocar as coisas em dia. Aos poucos alguns alunos foram entrando no trem e os pais foram embora. Antes que eles se despedissem dos pais, James voltava com a namorada Louise e um dos melhores amigos, Matt. E logo atrás deles três, apareceu Dominique, Lucy e Jill, a ultima, tremia que nem vara verde e cochichava algo com Lucy, que ouvia tudo segurando o riso.


- Iai meu povo, quais são as boas novas? Exclamou James animado e num tom alto demais. Louise riu com a palhaçada do namorado e Matt apenas balançou a cabeça inconformado com o amigo.


- James, você saiu daqui não faz 15 minutos... Disse Hugo olhando no relógio. – Estava esperando o que acontecer?


- Nada, sua pinha... Resmungou ele abraçando a namorada pela cintura.


- Pinha? Eu diria cabeçudo... Comentou Dominique, puxando um dos cachos do cabelo do primo.


- Querem parar de me esculhambar, por favor? Exclamou ele, indignado.


- Nossa... eu nunca percebi que você tinha uma cabeça tão grande... Comentou Lily, displicente.


- Não é possível... Resmungou ele, esfregando as mãos no rosto.


- Sua cabeça da... DUAS GOLES! Exclamou James, fingindo estar concentrado e fazendo uma soma.


- O Hugo tem uma anomalia... Albus cantava, desafinado.


- Deixem o Hugo em paz... coitado... Disse Rose. – Não interprete isso como um sinal de afeto, ta bem? Completou ela, virando-se para o irmão, que apenas revirou os olhos.


 Não muito longe do grupo, Harry, Gina, Ron e Hermione conversavam e botavam as coisas em dia. Nos velhos tempos, conversar e contar o que havia de novo era criar e discutir novas teorias, passar a noite sobre pilhas de livros de magia e tentar descobrir o que Voldemort queria. Agora era simplesmente conversar e botar as coisas em dia.


- Ron, iai? Conseguiu aqueles ingressos? Perguntou Harry em expectativa, referindo-se aos ingressos do primeiro jogo da temporada de quadribol. Chuddley Cannons Vs. Ballycastle Bats.


- Consegui! Foi só puxar o saco um pouco do chefe, e pronto... e tem mais uma coisa... você já pensou em distribuir fotos autografadas? Perguntou ele.


- O que... por quê? RON! Por Merlin, não me diga que você trocou os ingressos por uma suposta foto autografada minha?


- Troquei sim, mas só depois que você assinar isso aqui... Disse ele com os olhos cerrados de receio, estendendo uma foto em que Harry posava ao lado de Olívio Wood, o antigo capitão de quadribol da Grifinoria e atual goleiro do Puddlemore United.


- Claro que não! Exclamou ele.


- Ron, o que você fez agora? Perguntou Gina por trás dele.


- Nada... o seu marido que é um fresco! Disse ele rindo, recebendo um gesto bem inapropriado de Harry.


- Vocês são dois frescos. Disse Hermione.


 O trem apitou três vezes como um último sinal para que aqueles que estivessem fora embarcassem logo. Ron, Hermione, Harry e Gina, começaram a se despedir da prole, a qual entre feliz e nostálgica, os abraçava e faziam “sim” com a cabeça, quando um dos quatro recomendava que não arranjassem confusão, ficassem longe de pegarem detenções e não arranjassem confusão... Ah! E claro, não arranjar confusão. O grupo subiu correndo no trem apinhado de alunos, e juntaram-se nas janelas pra dar um ultimo adeus. O trem finalmente se afastou por completo da plataforma e o aglomerado foi se desfazendo.


- Finalmente livres! Obrigado, Senhor! Exclamou Albus levantando as mãos para o céu.


- Faça das minhas palavras as suas, baixinho… Disse alguém por trás dele, dando uns tapinhas amigáveis nas suas costas.


- Jayden, iai cara?! Exclamou Albus, cumprimentando o amigo com aquele meio abraço-meio aperto de mão que os garotos fazem.


- Na paz... as damas? Onde é que estão?


- Por ai... mas espera, o Hugo tá aqui! Disse ele apontando para o primo, que fez um gesto inapropriado pra ele.


 O pessoal riu. Albus era o piadista da turma, e junto com o irmão mais velho, fazia uma dupla imbatível.


- James, cadê o Peter? Perguntou Jayden, mais do que animado.


 Peter Dawnson era o galã de toda a Hogwarts. O batedor garanhão da Corvinal, o gostosão. Nunca que a casa dos sábios tivera um garoto tão lindo quanto ele. Qual garota nunca quis ficar com ele? Ou... já havia ficado com ele?! Peter servia de inspiração para os garotos mais novos que queriam se dar bem com as meninas. E apesar de ser galinha, tinha uma lábia com as mulheres que nenhuma resistia aos seus olhos cinza-azulados. Era impossível não gostar dele. Jayden era o seu pequeno aprendiz, e vivia ao lado do “mestre”.


- Por ai, fazendo vocês sabem o que... Disse ele, obviamente.


- O que eu estava fazendo, Jamesito?


 Peter chegou por trás dele, com Helena logo ao seu lado. Todos desconfiavam que eles dois tivessem uma relação que ia além da amizade, mas Helena, assim como Peter, relutava dizendo que era a maior asneira, e estúpida demais pra ficarem perguntando tantas vezes. Ela era uma garota muito bonita, e assim como Peter, vivia sendo secada (?). Porém, ela não era bem um exemplo de aluna a se seguir. Descumpria as regras com todo o prazer, mas como ela mesma dizia, “É pra isso que as regras são feitas, para não serem cumpridas!”. Era uma garota baladeira, mas apesar disso, tirava as melhores notas, e por incrível que pareça Peter também. Outra coisa em que comum que eles tinham era o modo como a fila andava, ou melhor, corria.


- Bom... já que nos estamos na presença de menores de idade, eu prefiro não comentar... Respondeu ele bem-humorado.


- Você não tem jeito, né Potter? Disse Helena cínica, mas rindo do amigo.


- Anda, vamos entrar logo! Exclamou Louise, notando que só havia eles ali no corredor. – Lena, anda! Disse ela, puxando a amiga pela manga do suéter.




~




- Nada como uma boa garrafa de cerveja pra relaxar... Disse Al em voz alta, só depois se tocando como parecia um bêbado falando.


 Já fazia duas horas que eles tinham saído da estação, mas parecia que tinha sido semanas, e ainda faltavam 4 horas de viagem. A jornada até Hogwarts era cansativa, e se não fosse pelas revistas que eles traziam, ou bebidas contrabandeadas, ou namoradas... bem, ninguém agüentaria. Mas não era todo mundo por ali que tinha namorada; e por falar em namorada...


- Al! Tava te procurando pelo trem todo! Exclamou Emily exausta, assim que abriu a porta do vagão surpreendendo a todos, que esconderam as cervejas que estavam segurando.


- Hey Emmy! Exclamou ele levantando do assento e abraçando a namorada, lhe dando um beijo nada comportado.


- Ei, ei, ei! Dêem um tempo! Reclamou Rose. – Será que não pra fazerem isso em outro lugar, não?


- Oi pra você também, Rosie! Disse Emily para a melhor amiga, antes de sair arrastando o namorado.


- Eles são tão grudentos... Brincou Lucy.


- Tá, como se vocês não quisessem algo assim... Disse Jayden, abrindo mais uma cerveja e deitando-se no assento que estava vazio.


- E quem é você pra falar alguma coisa? Seus namoros, se é que pode se chamar disso, não duram mais que uma bala de menta... Disse Rose revirando os olhos do mesmo jeito que a mãe.


- Eu gosto de me divertir desse jeito... qual o problema? PSI, eu não sou o único! Disse ele, todo maroto.


- Jay, cai na real, um dia desses Peter vai acabar gostando de alguém e você que vai ganhar a fama de “Rei do Galinheiro”... Disse Lucy rindo.


- É disso que eu to falando, baby... Disse ele, sorrindo e fechando os olhos, confortável do jeito que estava.


- Merlin... Disse Rose, rindo junto com a prima.


 Os começos de ano letivo eram sempre assim. Quer dizer, assim para os garotos que não eram comprometidos. Peter procurava pela escola por alguma garota que ele não havia ficado ainda, o que era meio nojento... e estranho. Jayden e os meninos só queriam farra, e na maioria das vezes eram alvo de piada nos momentos particulares em que as garotas se reuniam e botavam as fofocas em dia. Ou apenas conversavam. Os anos letivos nunca foram muito agitados. Tirando as pequenas “confraternizações” depois de jogos de quadribol, e algumas que aconteciam mesmo quando não havia jogo, era só estudo e bem... curtir a segunda família. Um dia aquilo ia acabar, não é mesmo?


- Então, o que as duas senhoritas fizeram no verão? Perguntou ele, sentando direito no assento assim que Albus e Emily, de mãos dadas, entraram novamente no vagão.


- Nada de especial... Resmungou Rose, terminando de folhear um livro e fechando a capa com força.


- E com “nada de especial” você quer dizer que matou alguém? Perguntou Emily, olhando assustada para a amiga.


- Pra que o mal humor... Disse Al sentando ao lado do amigo.


- Nada, esqueçam isso... Disse ela, cruzando as pernas no banco e abrindo uma caixa de feijõezinhos de todos os sabores.


- Como quiser. Disse Lucy, esquecendo o assunto.


- Hey, Al... e então, o prego do seu irmão ainda é capitão do time? Perguntou Emily, brincando. James vivia provocando ela também.


- É... eu acho. As vezes é um porre, ele vive pegando no meu pé! Reclamou ele, passando o braço pelos ombros da namorada.


- Huh, vem cá Al... já que você é do time, você sabe se Carlson vai continuar esse ano? Perguntou Lucy, fingindo pouco interesse.


- Eu sei lá... aquele cara é um porre!


 Emily e Rose olharam de queixo caído para a quieta e tímida Lucy. Lucy, que era sempre um bom exemplo para o resto das meninas e sempre vivia botando elas na linha.


- Lucy Weasley, você andou passando a mão em veteranos? Perguntou Jayden empolgado, e de um jeito muito, mas muito esquisito.


- Meu Deus, credo! Qual o seu problema Smith?! Exclamou Lucy, chutando a canela do amigo.


- Ei, olha a violência... quer matar o seu amigo J? Exclamou ele, esfregando o lugar onde tinha levado o chute.


- “Amigo J”? Perguntou Emily sem entender, inclinando a cabeça pro lado.


- E eu achando que ele não poderia ficar mais estranho do que já era... Comentou Rose, rindo.


- De volta ao assunto, então! Rolou alguma coisa nos vestiários depois do treino? Perguntou Jayden animado, acompanhado de Emily que já estava mais do que interessada no assunto.


 Os dois olhavam sem piscar para a menina que estava se matando por ter falado aquilo com aqueles dois ali dentro. Emily não perdia uma novidade, e Jayden... bem, ele era o Jayden. Graças a Deus, Helena não estava ali, senão já era. A escola toda iria saber que ela tinha ficado com o veterano do time.


- Qual é... dá um tempo! Vocês dois só podem ser doentes... a gente ficou e...


- Eca! Não me diga que vocês dois fizeram bem no meio do vestiário? Perguntou Albus, com uma cara de nojo.


- Albus, essa menina não é uma boa influencia pra você... Disse Rose seriamente, apontando pra namorada do primo. – E nem esse tarado ai do seu lado.


- HEY! Eu não sou tarado! Exclamou Jayden, se sentindo ofendido.


- Não? Qual é! Esse é o lema do clube de vocês! Fazem vocês colocarem a mão para cima e depois falar isso, enquanto a outra mão já ta dentro da calça! Disse Emily, fazendo uma explosão de risos eclodir na cabine.


- Muito engraçado, Stevens! Mas você também é uma pervertida.


- E você ainda é um tarado. Disse ela, dando língua pro garoto.


- De volta ao assunto de verdade agora... o que houve MESMO? Perguntou Jay novamente.


- Vocês tão parecendo urubu em cima de carniça... que horror! Exclamou Rosie, sem conter um riso.


- Tá, como se você não estivesse morrendo de curiosidade... Disse Lucy olhando para a amiga com cinismo.


- É, eu não posso negar... Disse ela começando a se animar e olhando atentamente para Lucy que nem os outros três. – Cospe tudo.


- A gente tava ficando por uns meses, mas ninguém sabia, obviamente... só que eu parei com ele porque, da ultima vez que a nos vimos ele tentou... bem, ele tentou...


- ... e conseguiu? Perguntou Jayden, maroto.


- O que você acha? Perguntou ela com firmeza.


- E porque, exatamente, você quer saber dele agora? Perguntou Rose.


- Eu sei lá... apesar de tudo isso ele era um cara legal... e eu nunca tinha ficado com um cara tão legal antes, ele era super gentil... eu sei que nem parece, mas...


- Cara legal e gentil se apresentando! Disse Jayden, interrompendo a amiga, levantando e batendo continência.


 Lucy riu com a inútil tentativa do amigo de animá-la. Mas, ela não estava tão triste assim por causa disso, era só a falta da companhia que Carlson fazia, e também da sua barriga malhada e os braços fortes e tonificados. “Tudo bem, já chega...” Pensou Lucy.


- Jayden, ela não vai afogar as mágoas com nenhum garoto, e se for... com você é que não vai ser! Emily disse, enquanto fazia carinhos nos cabelos de Albus.


- Não custa tentar...  só Deus sabe como as minhas férias foram solitárias... sem nenhuma fêmea ao meu lado... Disse ele, começando a reclamar da vida.


- Porco. Disse Rose, revirando os olhos.


 No mesmo instante a porta do vagão foi aberta com brutalidade e sem aviso, revelando um garoto alto e sério já vestido com as vestes da escola, que convenientemente, eram preta e verde. Seus cabelos eram platinados e ele possuía feições belas e clássicas. Seus olhos pareciam anunciar uma tempestade; eram cinza e frios, mas ao mesmo tempo pareciam queimar a quem olhasse.


- Weasley, reunião de monitores. Disse Scorpius olhando para Rose, que fechou a cara e levantou do assento.


- Eu já volto. Disse ela, e parou o olhar em Albus que encarava Malfoy como se ele fosse multicolorido e tivesse cinco cabeças.


 Rose fechou a porta da cabine atrás de si e não fez questão de esperar nem um segundo para ouvir Jayden e Albus começarem a chamar Scorpius de todos os nomes mais horrorosos que existiam na língua inglesa, ou até em latim, se Lucy resolvesse clamar que o garoto fedia mais do que um trasgo morto. Ela apressou um pouco o passo para que pudesse alcançar o loiro que andava com pressa para o fundo do trem, onde ficava a cabine dos monitores chefe.


- Você é mesmo um ser sem educação, não? Resmungou ela, quando conseguiu alcançá-lo.


- O que? Perguntou ele, sem olhar pra ela.


- Custava bater na porta antes de entrar... parecia que estava procurando um fugitivo da cadeia pelo trem... talvez o nojento do seu pai!


- CALA A BOCA! Você não sabe nada sobre o meu pai! Exclamou ele. – Eu não me importo com o que você pensa de mim, Weasley... e também não devo educação a gente como você e aqueles seus amigos adoráveis... Disse ele ironicamente.


- Bem, você é mesmo um poço de simpatia, não? Disse ela, sentindo a raiva subir.


- Será que da pra calar a boca até chegarmos na merda da cabine? Sua voz é mais irritante do que todos os seus amigos juntos! Scorpius disse alto demais, finalmente olhando a ruiva nos olhos.


 Seus olhos cinza encontraram o par de olhos castanhos que estava em fúria no momento. Ele observou como as suas sardas eram espalhadas pelo rosto nos lugares certos, sua pele era rosada e os lábios vermelhos de tanto que ela mordia de nervoso. De repente, lá dentro, sua raiva pareceu amenizar. Os fios de cabelo mais longos caiam perfeitamente no rosto inocente de menina, que no momento estava fechado. Ele só desviou a atenção quando percebeu um garoto de óculos, bem mais alto do que ele, sair da cabine da frente com as feições fechadas. Atrás dele tinha outro garoto, com olhos tão azuis quanto o mar. Scorpius reconheceu os dois, eram Potter e Dawnson, respectivamente. Sua raiva reapareceu instantaneamente.


- Algum problema? Perguntou James, dando um passo na frente de Rose.


- James... Começou ela, mas foi interrompida.


- Entra na cabine, Rose. James ordenou à prima.


- James! Pare com essa besteira, isso não vale a pena! Dessa vez foi Louise que disse, abrindo a porta da cabine junto com Helena e Matt. O ultimo saiu da cabine e se postou ao lado de Peter no corredor.


 Foi em vão, pois James pegou o loiro pelo colarinho da camisa branca, o pressionou contra a parede e levantou ele tão alto, que a cabeça do loiro quase encostou no teto no trem, que movia em alta velocidade. Por incrível que pareça, a confusão ainda não tinha chamado a atenção de ninguém. Eram só eles no corredor.


- Eu vou repetir, e você vai responder! Algum problema, Malfoy? Hein? Perguntou ele, com raiva e amassando a roupa do garoto.


- Me largue, Potter. Disse ele. Mesmo sendo forte, não conseguia se soltar da força de James.


- Muito bem, como quiser... Disse ele, largando Scorpius que começou a ajeitar a camisa. – Mas antes, talvez isso aqui faça você se lembrar...


 Sem aviso algum, James enfiou o punho com toda a força que tinha na cara do loiro, que não reagiu, mas caiu no chão reclamando e segurando a boca, de onde escapava sangue. Rose ficou nervosa e só faltou pular em cima do primo mais velho, que segurava a mão pra tentar passar a dor. Scorpius foi levantando do chão com dificuldade, se apoiando na janela aberta do trem.


- ... de nunca mais chegar perto da minha prima.


- Você é louco?! Perguntou ele, sem se preocupar com o sangue que escorria da boca. – Parece um trouxa, que sai levando tudo na porrada! Vai ter volta, Potter... pode esperar! Scorpius disse, o ódio fervendo dentro de si.


 O loiro saiu desembestado para um compartimento do lado oposto do trem. Deu pra ouvir quando ele fechou a porta com um estrondo. Ninguém lembrava-se da reunião de monitores mais. James respirava com rapidez e ainda segurava o pulso que doía. Matt e Peter olhavam do amigo para Rose, e Helena e Louise ainda não conseguiam processar a cena.


- Nunca mais, James… NUNCA mais faça isso! Exclamou Rose, com raiva do primo. – Ouviu?


- Rose, eu estava apenas te protegendo! Que orgulho ferido você tem… Reclamou ele. – E o que diabos você tava fazendo com aquele verme?


- O que eu estava fazendo com aquele verme não é da sua conta, e o que VOCÊ fez com a besta do Malfoy só faz você ser tão ruim quanto ele!


- Rosie, se acalme… você ta nervosa. Disse Helena preocupada.


- Não, eu não to nervosa! E pela ultima vez, NUNCA MAIS faça isso! Exclamou Rose, antes de sair enfurecida.


 Ela não lembrava da última vez que explodira desse jeito. Isso não era o jeito dela. “Eu só posso ser ingênua demais ou então meus neurônios estão diminuindo...” Pensou ela. “Nenhuma das duas opções são ótimas. Por quê? Porque eu perdi meu tempo perguntando algo pra aquele aguado? Droga, agora James vai ter que ser ver novamente com ele. E eu... bem, eu nem sei onde eu fico por aqui...”. Rose entrou na cabine e fechou a porta com força, assustando os amigos.


- Reunião rápida? Aposto que tudo correu muito bem... Comentou Jayden, irônico.


- Albus, sabia que o seu irmão é um imbecil?! Perguntou ela olhando para o primo, mais como uma afirmação.


- Conte uma novidade. Disse ele, rindo.


- Um imbecil, que nem o Malfoy! Exclamou ela, sentando-se.


- Sério, conte uma novidade! Insistiu Al.


- Rosie, o que aconteceu? Perguntou Emily assustada.


- Quer saber o que aconteceu? Malfoy aconteceu! E o idiota do seu irmão, Albus, já arranjou confusão...


- O que foi que a cria da doninha fez? Perguntou Albus começando a se irritar.


- Nada... ele é um covarde... mas chamou vocês de tudo quanto é nome...


- Rose, qual é! Você não pode ficar se preocupando com o que ele diz! Só ignore, ai ele para com essas idiotices e percebe o quão retardado ele é... porque, acredite, já passou da hora. Disse Lucy, fazendo a prima se sentar e se acalmar.


- Lucy ta certa... Disse Jayden. – Esse cara é uma merda…


- Grandes acontecimentos na sua primeira reunião como monitora, não? Albus disse.


 Antes que mais alguém pudesse falar alguma coisa, o carrinho de doces passou na frente da cabine e a senhora que há anos trabalhava no expresso perguntou se eles queriam algo. Albus pegou seis sapos de chocolate para comer com Emily, Jayden pegou uma tortinha de abóbora e Lucy as varinhas de alcaçuz. Já Rose, não achou o que queria no carrinho.


~




- James, eu não vou mentir... o que você fez foi ridículo! Disse Lena.


- Ridículo?! Aquela coisa tava insultando a minha prima e a mim também, com certeza... ele não perde a chance de chamar qualquer um de nós de merda, Lena...


- Rose ta puta da vida com você... Disse Louise, que estava sentada no colo do namorado.


- Sim... mas se eu não tivesse feito nada, aquele pivete teria sofrido de qualquer jeito... do jeito que aquela ruiva é brava... teria enchido ele de pancada.


- As pequenas são as mais raivosas! Disse Helena, apontando pra si mesma.


 O pessoal riu. Realmente, nunca que ninguém chegasse perto da morena quando ela estivesse com mau-humor, ou de TPM. Os meninos brincavam, e diziam que a TPM dela era permanente.


 As horas começaram a passar com mais rapidez na medida em que os assuntos fluíram com mais normalidade. Uma ótima maneira de começar o ano era apostar com quem os meninos iam se meter em confusão, ou então se Peter, depois de ter ficado com todas as alunas do colégio, ia recomeçar o ciclo desde a primeira garota. Não demorou muito para que o último resquício de luz do sol fosse embora, e o céu fosse tomado por uma escuridão cheia de pontinhos brilhantes, chamados casualmente de estrelas. James, Louise, Matt, Pete e Lena já haviam vestido o uniforme. Enquanto Lena se arrumava num espelhinho portátil junto com Louise, os meninos conversavam.


- James, fala sério... não precisava aquele escândalo todo... Disse Peter, sentando ao lado dos dois amigos.


- Nem você? Nem você vai me apoiar nessa? Qual é, Pete! Disse ele, irritado.


- Olha cara, você só fez arranjar problema com aquela loirinha oxigenada, e pior ainda, a sua prima. E pelo que eu ouvi da Lily falando, ela é bem nervosinha...


- Rosie não faria nada comigo... é só uma garota... Disse ele, pela primeira vez sendo machista.


- Talvez ela não faça nada com você... mas vai que ela conta pro seu pai? Disse Matt, alertando o amigo.


- Ela não faria isso... James disse, mas sabendo que tinha chances disso acontecer.


- Você é quem sabe... mas acho que devia falar com ela, de qualquer jeito! Disse Louise abraçando o namorado e enlaçando os braços no seu pescoço.


- Se você diz. Disse ele, sorrindo e beijando a ponta do nariz da loira.


- Ok Romeu, porque não se apressa ai! Disse Peter gozando dos dois amigos.


 O grupo sentiu o trem diminuir a velocidade e começar a parar. Já dava pra ouvir o barulho das conversas dos alunos nos corredores e alguns gritos histéricos de meninas que não se viam há tempos, e estavam animadíssimas com o começo das aulas. Os cinco saíram da cabine e desligaram a luz, e ficaram no corredor já cheio esperando encontrar o resto do pessoal. Ao olharem pela janela, eles finalmente avistaram a estação de Hogsmeade com facilidade, com o seu grande galpão pintando de verde musgo. Algumas das telhas estavam quebradas e quase tombando. Essa era a única coisa que passava a impressão de sujo e mal cuidado, pois o resto era mágico. Os postes iluminavam a pequena estação com os lampiões acesos, fazendo sombras na calçada.


- Primeiranistas... Resmungou Pete, olhando irritado para um grupinho de alunos novos na frente deles que guinchavam sem parar. – Estão ficando cada vez menores de tamanho... e mais serelepes.


- Espera só eles começarem a receber os trabalhos enormes... vão desejar voltar pra casa, com certeza. Disse Helena rindo.


- Nossa. Vocês são malvados, hein? Disse Louise rindo, olhando para os dois.


- É assim que a banda toca por aqui, meu bem... Disse Helena, piscando pra amiga.


- Ei, seu irmão não ta entrando esse ano? Perguntou Matt a ela.


- Ta... mas como eu disse, é assim que a banda tocar por aqui. Disse ela rindo. – O único problema é que eu vou ter que ficar de olho no Chris o ano todo.


 Na medida em que o trem parava completamente, o corredor começava a esvaziar e ficava mais fácil poder sair e pegar uma boa carruagem. Era melhor que eles saíssem logo e tentassem encontrar Albus e o resto do pessoal quando estivessem no banquete do começo de ano.


- Anda, cambada! Exclamou James, assustando um bando de meninas que saíram correndo.


- James! Disse Louise, repreendendo o namorado.


- O que? Disse ele fingindo e rindo.


 Na mesma hora, eles sentiram um vulto ruivo passando pelo corredor com pressa, e esbarrando propositalmente em James com força, fazendo com que ele batesse a cabeça na parede do trem. Logo atrás deles, estavam Albus, Emily, Jayden e Lucy, sem saber o que dizer. Pra falar a verdade, não havia muito o quê se dizer naquela situação. Apesar de terem entendido o porquê de Rose ficar chateada com o primo, ninguém ali sentia afeição por Scorpius Malfoy, e era unânime que todos também ansiavam pelo momento em que veriam o loiro todo “amassado” no chão.


- Ótimo. Resmungou James, amargurado, esfregando o lugar aonde tinha batido.


- Relaxa, cara... depois ela vai perceber que você fez o certo... Disse Albus, quando o pessoal já estava saindo do trem.


- Al! Emily disse, olhando chateada para ele e indo na mesma direção em que Rose saíra correndo, com Lucy logo ao seu lado.


 Assim que perderam as meninas de vista, eles continuaram a andar pela multidão que agora se acumulava fora do trem. De longe, e sem nenhuma dificuldade, eles avistaram Hagrid, tentando juntar os alunos do primeiro ano e os encaminhar para os barcos que estavam atracados no lago. O gigante acenou para eles e depois continuou a fazer o seu trabalho. James, Louise, Peter, Helena e Matt entraram numa das últimas carruagens que estavam vagas e enquanto isso, Albus e Jayden seguiam em frente para a carruagem em que eles sabiam que estariam as meninas.


- Não acha que foi sacanagem o que você fez com ela? Perguntou Jayden, no caminho.


- Ela quem? Perguntou Albus.


- Rose... você sabe. Na hora você deu razão a ela e depois foi lá e deu a facada.


- Qual é... você mesmo sabe que o James tinha toda a razão em transformar aquela loira em pó, só não falei isso pra Rose porque eu é que não queria virar pó.


- É, só não deixe ela ouvir você falando isso, a não ser que queira ser enterrado ao lado de Scorpius Malfoy. Disse Jayden, rindo junto com o amigo e entrando na carruagem.


 Rose estava sentando entre Lucy e Emily e parecia estar com o humor um pouco melhorado. Os meninos entraram descontraindo o ambiente um pouco mais, e alegando que tinham vindo em missão de paz. As meninas riram e na mesma hora a carruagem começou a andar. Por mais que eles brigassem entre si, não havia uma só vez em que eles não se reconciliassem. Com um tempo, Rose e James iam se acertar.


 Não demorou muito e eles sentiram o solavanco da carruagem parando na frente do grande portão do castelo. Os cinco saíram e deram de encontrão com todos os outros estudantes que saiam das outras carruagens. O vento frio da noite era refrescante, e por mais que estivesse congelando os ossos alheios, dava uma sensação boa. A felicidade era palpável ali. Nada havia mudado, então.


- É bom estar de volta... Disse Lucy, sorrindo pros amigos que andavam num só ritmo.


- É... não vejo a hora de voltar a dormir nas aulas de História da Magia. Disse Albus com um sorriso nostálgico.


 Assim que terminaram de subir a escadaria de mármore, eles adentraram no saguão. Tudo do jeito como sempre fora; as velas iluminando os recém chegados rostos animados e o ruído das escadas que se movimentavam acima de suas cabeças.


- Que fome. Disse uma voz conhecida, que apareceu de repente ao lado deles.


- Hugo, você poderia parecer menos com o nosso pai? Perguntou Rose rindo.


- O que é? Um cara precisa comer! E além do mais, é um dos jeitos de honrar o nome da família. Um bom Weasley sempre come bem!


- Você come bem? Perguntou Albus, fingindo estar impressionado.


- Ô engraçadinho, me poupe dos seus pensamentos dúbios. Disse Hugo, sem alterar a sua expressão.


 Logo, o pessoal todo já estava reunido; Dominique, Lily, Fred, Louis, Hugo, Jill e Roxanne. Apenas James e os amigos estavam do lado oposto ao deles, conversando com o time da Grifinoria; era possível ouvir os gritos de protestos de Pete, defendo o seu time da Corvinal. O que mais iria agitar esse ano era a Copa das Casas. As águias sonhavam e maquinavam uma grande virada contra os leões.


- Anda, vamos pegar um lugar que preste na mesa... Disse Fred, conduzindo o pessoal.


- De preferência na frente! Adoro ver os pestinhas do primeiro ano tremendo na hora da seleção! Disse Albus.


-Você e seu irmão estão demais hoje, viu! Disse Lucy, balançado a cabeça negativamente para o amigo.


- E qual é o dia em que eles não ultrapassam os limites? Perguntou Rose a si mesma, fazendo os outros rirem.


 O Salão Principal estava todo iluminado pelas velas que sempre flutuavam à noite.  As mesas das casas brilhavam enceradas e com os pratos e talheres dourados repousados em cima da madeira, e já acomodavam milhares de estudantes. Os alunos que já estavam sentados permaneciam num estado inalterável de animação, mas nada que uma aula no dia seguinte não conseguisse mudar. Alguns levantavam e iam para outras mesas, outros ainda permaneciam em pé. O zumbido das conversas reinava sobre tudo. Enquanto o resto do pessoal seguia para a mesa da Grifinoria, Jill, Louis e Dominique seguiam para a mesa da Corvinal e sentavam-se perto do pessoal do time, junto com Pete.


 De longe, Rose conseguiu avistar James, Louise, Matt e Helena sentados no final da mesa, rindo de alguma coisa. Talvez ela tivesse exagerado na bronca? Gritado mais do que o de costume? Talvez. Rose odiava brigar com os amigos, principalmente com os primos, mas James tinha pedido aquilo, fora exagero ter dado um murro em Scorpius, mas ela tinha que admitir que fora um murro bem dado. Absorta em seus pensamentos, ela nem percebeu quando a Diretora McGonagall entrou no salão. O barulho do garfo estalando na taça de cristal chamou sua atenção. Não foi preciso ela falar nada, pois as grandes portas do salão abriram-se e a fila de alunos do primeiro ano entrou; todos maravilhados com tudo o que viam.


 A seleção era divertida às vezes, mas era demorada, e só fazia com que os alunos ficassem inquietos e loucos de fome. Leiam, os jovens do clã dos Weasley ficavam inquietos e mortos de fome. Não demorou muito e todos os alunos novos já estavam em suas respectivas casas. Fora uma festa na mesa da Grifinoria quando Chris Harring sentou-se junto com eles. Os garotos, que adoravam perturbar o irmão mais novo de Lena, assobiaram e fizeram de tudo. Helena apenas piscou pro irmão, animada.


 Depois das formalidades da direção e do corpo docente, das boas vindas aos novos alunos, dos avisos e regras de sempre, a comida apareceu nos pratos, causando o espanto que sempre causava nos novatos. Era um banquete impecável e irresistível.


- Nossa, como eu senti falta dessa comida... Disse Jayden, atacando tudo o que via pela frente.


- Se controle! A comida não vai acabar. Disse Lucy, fingindo autoridade e depois rindo com o pessoal.


- E então, como será a grade de aulas esse ano? Perguntou Emily, enquanto bebia o suco de abóbora.


- Pra falar a verdade, eu nem quero saber... ainda to em clima de férias! Disse Al se espreguiçando.


- Al, a gente já ta na escola. Não acha que ta na hora de entrar no ritmo das aulas não? Perguntou Rose.


- Já lhe disseram que você fica mais parecida com sua mãe a cada dia? Perguntou Lily, rindo.


- Se eu ganhasse um galeão por cada vez que me dizem isso... estaria podre de rica. Disse ela rindo. – E com um gato do meu lado, é claro.


- Rose, você é uma menina de família, portanto... só vai começar a namorar quando completar 40 anos, entendeu? Disse Albus, gozando da cara dela.


- Há-há. Rose fingiu uma risada com sarcasmo. – Como você é engraçado Al-bino.


- Bino... Disse Jayden rindo. – Vou chamar você de Bino agora! Bino Potter, senhoras e senhores! O pior artilheiro da temporada de quadribol, eleito antes mesmo dos jogos terem começado! Disse ele, imitando uma voz à la Lino Jordan, o narador.


- Não enche, seu lerdo. Disse Albus emburrado, depois de engolir um pedaço da tortinha de abóbora.


- Não ligue meu amor, você é o meu Bino! Disse Emily melosa, beijando a mão do namorado.


- Só falta você dizer que vai abandonar a escola e virar caminhoneiro. Disse Roxanne rindo, e provocando a risada no pessoal.


- Bino, isso é uma cilada! Exclamou Fred, antes do ataque de risos.


- Será que a gente pode voltar a falar sobre os jogos? Perguntou Albus, irritado.


- Ta, relaxe... Bino. Disse Lily, repetindo o mais novo apelido baixo o bastante para que o irmão não ouvisse.


- Quero saber quando vai começar os testes... Disse Albus. – É um verdadeiro show de comédia, vocês deviam vir ver! Exclamou ele divertido.


- Você só fala isso porque sabe que James não vai tirar você da sua posição, você é o melhor artilheiro do time Al... Resmungou Jayden. – Enquanto eu e o Matt passamos pela seleção todos os anos.


- Eu ainda acho isso totalmente horrível da parte do James. Disse Rose, examinando a sua torta de morango. Mesmo? Ou será que é o seu ódio mortal por ele no momento?


- Infelizmente, eu tenho que concordar. Disse Emily, abraçando o namorado.


- E isso apenas porque vocês são irmãos... Disse Lily, obviamente.


- Apenas, Lil’? Eu tenho sorte, isso sim, nós temos as nossas brigas no campo, e ele pelo menos me levou em consideração. Disse Albus.


- É... mas, esqueçamos isso, é besteira ficar discutindo algo que o James nem vai se preocupar em ouvir. Disse Lucy.


- Bem, eu vou me levantar, tenho que conduzir o meu rebanho de bezerros até a Sala Comunal antes que o povo comece a sair também... Resmungou Rose, levantando-se.


- A gente se encontra lá em cima! Disse Lucy, antes que a prima saísse andando.


- Boa noite monitora! Disse Albus, beijando a bochecha rosada de Rose.


- Boa noite Bino! Disse ela bem-humorada, saindo de vez antes que Al pudesse dizer alguma coisa.


 Por incrível que pareça, Rose tinha esquecido rápido do incidente mais cedo no trem. Sua raiva pelo primo tinha amenizado mais isso não apagava o fato dela ainda estar chateada com ele. James tinha uma mania terrível de se intrometer aonde não era chamado. Todos os Potter’s na verdade. Apenas Lily respeitava sua privacidade, mas isso era por ela ser uma garota também.


- Muito bem crianças, por aqui! Exclamou Rose, enquanto o pequeno grupo de calouros a seguia.


 Assim que Rose começou a subir as escadas com os anõezinhos¹, os alunos mais velhos já começavam a se levantar das mesas e o salão começava a esvaziar. De longe, ela conseguiu ver Malfoy andar pela multidão junto com dois garotos, que ela reconhecera sendo do time da Sonserina. Rose desviou o olhar assim que sentiu o par de olhos cinzentos lhe encarando de volta, e voltou sua atenção aos degraus de mármore da escada, enquanto subia até a Sala Comunal, perguntando a si mesma porque estava ela encarando o loiro.


 E porque ele estava olhando pra ela também? De todas na multidão, Scorpius olhou exatamente para ela. Não conseguindo encontrar uma explicação que fizesse sentindo pra ela, Rose deduziu que fora por causa de seus cabelos cor de fogo. Nada difícil de ser avistada numa multidão, não é? “O que mais seria...”.


 Depois de passar todas as regras e recomendações para os primeiranistas, Rose viu-se livre da tarefa de monitora e deitou-se no sofá de veludo vermelho, fechando os olhos por apenas um segundo, antes que abrisse e desse de cara com um moreno de óculos, com um sorriso esperançoso estampado no rosto.


- James. Ela disse, sem animação. – Se importa em manter uma distância?


- Por quê? Você não vai me bater... vai? Perguntou ele, alarmado.


- Não, seu lerdo... mas isso não significa que eu não queira te bater, então, se afaste por esse motivo também. Disse Rose, sentando no sofá. – O que foi?


- Eu só queria saber se você ta bem...


- Eu to bem, relaxe. Só não gosto quando se intrometem na minha vida, James... é só isso.


- Infelizmente, esse é o meu passatempo preferido, priminha! Disse ele, brincando e se sentando ao lado dela.


- Eu bem sei... mas, você não precisava bater no Malfoy, isso só vai causar problema pro seu lado.


- É, e sobre isso... Ele começou, mas Rose o interrompeu.


- Você quer saber se eu vou contar pro seu pai? Perguntou ela, fechando a cara. – Não, eu não vou... se foi por isso que você veio aqui, pode seguir o seu caminho. Disse ela, começando a se irritar.


- Não, de jeito nenhum! De verdade, eu vim saber se você tava bem, eu não gosto de brigar com ninguém! James disse. – Mas, de qualquer jeito, obrigado... eu não sei o que faria se meu pai soubesse que eu bati no Malfoy!


- O meu pai ficaria orgulhoso, eu tenho certeza! Disse Rose, rindo.


- Sem dúvidas. Ele disse, obviamente. – Então, estamos bem? Perguntou ele, sorrindo.


- É, estamos bem sim. Rose disse, sorrindo de volta, e deixando que ele a abraçasse. – Agora, vá direto pro seu quarto, e NADA de sair escondido com a Louise... ordens de monitora, Potter! Completou ela, fingindo autoridade.


- Sim, senhora! – Ele concordou, rindo. – Boa noite! James disse, antes de subir as escadas do dormitório masculino.


 Não demorou muito tempo, e logo que James tinha subido, Lucy e Emily apareceram na entrada da Sala Comunal, ambas cansadas e bêbadas de sono, e jogaram-se em cima das pernas da ruiva, que descansava esparramada no sofá. Rose gritou de susto e depois começou a rir histericamente, assustando alguns alunos que ainda estavam se recolhendo.


- AI! Meu Deus, vocês não são bem da cabeça. Rose disse, esfregando os joelhos e dando espaço para que a prima e a amiga se sentassem.


- Se fizer alguma diferença, não estamos nada bem também! Já não basta me encher de comida até não agüentar mais, depois ainda tenho que subir todas essas escadas! Isso cansa! Exclamou Lucy, recostando a cabeça no encosto do sofá.


- Pense pelo lado positivo, queimamos todas as calorias subindo essas escadas! Disse Emily.


- Realmente. Disse Lucy, concordando de olhos fechados.


- É mesmo, nunca tinha me tocado! Disse Rose, rindo.


- Eu sou um gênio, muito obrigada! Disse Emily, se gabando.


- Ta bem gênia, não sei quanto a vocês, mas eu vou subir! Disse Rose, levantando e seguindo pras escadas do dormitório feminino.


- Espera ai! Exclamou Lucy, indo atrás da ruiva junto com Emily.


- Cadê o Al e o Jayden? Perguntou Rose, curiosa, enquanto as três subiam as escadas em espiral.


- O que você acha? Perguntou Emily, revirando os olhos.


- Pegando o resto da sobremesa. Disse Lucy obviamente. – Sinceramente, esses meninos me matam de vergonha, sabia?


- Então somos duas.


- Três! Exclamou Emily, rindo.


 Enquanto Lucy e Emily entravam no dormitório e iam direto pras suas respectivas camas, Rose foi até a janela. Ficar olhando pra escuridão da noite era um de seus passatempos preferidos, e era mais bonito ainda, quando o céu estava sem nuvens, possibilitando uma vista perfeita das estrelas. Era o caso daquela especifica noite. Observar as estrelas era algo que lhe acalmava, que fazia com que ela sentisse um calor familiar por dentro, fazia com que ela se reconhecesse em casa quando estava em Hogwarts.


 Um meio sorriso abriu-se no seu rosto cheio de sardas quando Emily apareceu ao seu lado.


- Não vai dormir? Perguntou a amiga, descansando o queixo no ombro de Rose.


- Vou. Disse Rose sorrindo abertamente.


 É, ela definitivamente estava em casa.




N/A: Hello people! E então, eu fiz minha promessa e cumpri: 15 comentários = capitulo novo! ;) Gostaram? Espero que sim. O primeiro capítulo foi mais como uma introdução do que era a família Weasley depois da guerra. Tentei o máximo mostrar um pouco de cada integrante da família; sei que me esqueci de alguns, mas já contornei tudo, e os erros serão corrigidos sutilmente nos capítulos que estão por vir! Ah gente, to muito feliz que estejam comentando... aqueles que escrevem sabem como um simples comentário consegue nos motivar e até dar inspiração! Muito obrigada, mesmo! Já to amando vocês, não disse! :D Pois bem, se preparem para o que vem pela frente, tá tudo azul/paz e amor/dramático/romântico (?) Pulem essa minha tentativa de lhes motivar a continuar a ler, oks? '-- Okay everyone, espero que tenha gostado mesmo! Tá ai.


anõezinhos¹: lembram quando o Ron disse isso? Eu rachei de ri na hora :P


Meus agradecimentos à;


* • Cαr̲oL Bl̲αcK² • (Valeu mesmo pelo apoio, que bom que gostou ;])
L.R.Lolliwer's (Brigada pelo coment na prévia e no capítulo! Ah, e apesar de eu amar "Wasted" do Cartel, não é não... é uma parte da música do The Who, "Baba O'Riley")
Alexandra Zabini (Que bom que gostou, pode ter certeza que vou dar uma passada na tua fic, oks? [:) Ann Malfoy (Uau, obrigada :D)
Mania do Potter (Acredite se quiser, tem gente que pede 100 comentários pra um capitulo novo... iai, fui generosa ou não? :P Obrigada pelo comentário! [;)
Breeh Lííílian (: (Gostei de você, você é uma pessoa empolgada, me lembra muito uma amiga minha que é toda saltitante :P Obrigada pelo apoio e pelos - muitos - comentários! Prêmio de consolação? Huh, acho que não, eu sou muito má! Muahaha :D Oks, mas brigada mais uma vez, e espero que tenha gostado do capítulo novo!)
isabella rodrigues (Que bom que gostou, a capa realmente ficou perfeita! a luxúria arrasa! Se prepare pra o que vem por ai, porque também vai ser um escândalo ;])
Hannah Lú (Ah, brigadão! Tentei colocar bastante humor naquele capítulo mesmo, que bom que deu certo (8 Os dois são uma coisa mesmo!]


AVISO DESAGRADAVEL: Bem people, minhas provas estão meio que muito coladas umas nas outras, então tá ficando difícil de entrar todo o dia no PC, muito mais parar pra escrever o 3º capítulo... :/ Mas só pra lhes animar, posso garantir 30% dele já escrito, oks? (: Espero que compreendam, amo vocês.




xoxo Nat W.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.