FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Vésperas da Grande Noite, Pt I


Fic: Forças do Destino I - Romeu e Julieta


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hermione continuou correndo sem direção. Não importava para onde estava indo. Só queria ir para longe de Draco. Enquanto corria, pensava em todo seu passado com Draco e tentava esquecer tudo que havia acontecido entre os dois, a começar pelo dia em que eles se beijaram.
Ela estava tão chateada, que corria sem rumo olhando para o chão. Por sorte não bateu a cabeça em nenhum lugar e só parou de correr quando esbarrou em alguém.
A ruiva ergueu o rosto, assustada, e se deparou com Aquiles que sorriu ao vê-la.
-AQUILES! – ela gritou, secando os olhos com as mãos – O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO FORA DO SEU DORMITÓRIO? Você sabe muito bem que não pode estar aqui numa hora dessas. Se algum professor te pega fora da cama...
-Pra mim não importa. – ele falou, calmamente – Eu precisava te ver.
A garota olhou para Aquiles confusa. “Eu não estou te entendendo”, ela falou.
-Você logo vai entender tudo o que está acontecendo.
Compreendendo o que Aquiles havia dito, Mione ficou mais confusa ainda e o garoto riu ao ver a cara de confusão dela. Uma cara do tipo: “Oh, não... Estão fazendo nós no meu cérebro!”
-Vamos... Eu te acompanho até o sétimo andar! – ele disse, depois de um tempo rindo, segurando no braço da ruiva.
-Não! Eu não posso... Eu tenho que terminar de monitorar. – Mione falou, tentando se afastar dele.
-Não... Você precisa é de uma boa noite de sono. – insistiu Aquiles, puxando a amiga. – Depois de amanhã é a grande noite. Se você não dormir, não vai conseguir atuar.
-Está bem...




Na manhã seguinte, Mione acordou cansada, com bastantes olheiras e o cabelo todo bagunçado, arrepiado e embaraçado. Os olhos estavam inchados de tanto chorar durante a noite. O corpo mal obedecia: ela não conseguia se movimentar direito.
Foi dessa forma que Hermione desceu para tomar banho. Só nas escadas, acabou gastando uns dez minutos. No banheiro, ela entrou no terceiro Box, o único vazio. Lá ficou tomando banho por quinze minutos. Estava sonolenta e aérea. Estava praticamente dormindo debaixo do chuveiro e, quando deu por si, percebeu que estava um pouco atrasada.
Rapidamente, mas, meio sonolentamente, a garota desligou o chuveiro se secou, foi para o outro Box e lá se trocou. Ela mandou a toalha pra lavanderia e se conjugou sua escova de cabelo. Lá no Box mesmo penteou e depois mandou a escova de volta para o quarto. Prendeu o cabelo e depois saiu do Box.
Meio sonolenta, ela foi para o salão comunal, onde esperava encontrar Harry, Rony, ou, talvez, Gina. Mas nenhum dos três estava lá. Então, a garota desceu as escadas e foi para o Salão Principal. Lá, depois de encontrar Harry e Rony sentados, a ruiva sentou-se perto dos amigos e ficou lá, olhando para o nada.
O nada da garota parecia ter um valor para ela, pois ela olhava para o nada e sorria, meio abobalhada. O nada da garota, era ninguém menos que Draco Malfoy.
-Hermione... – chamou Harry, docemente, percebendo que a amiga estava aérea. – Hermione... Hermione... – ele continuou, mas ela parecia que não o ouvia. – Hermione... Hermione... – Harry continuou chamando a amiga, mas, acabou perdendo a paciência – HERMIONE! – ele gritou, batendo a mão na mesa. A maioria dos alunos virou-se para Harry para ver o que estava acontecendo mas, Harry ficou feliz, porque, pelo menos, teve resultado.
-Ai... Que foi Harry? – perguntou Mione, voltando a si e assustando-se. – Por que você está tão estressado?
-Eu? Estressado? Você é que está distraída. Eu te chamei umas cinco vezes, ou mais. O que aconteceu?
-Nada...
-Mione, não minta para mim... O que aconteceu?
-Nada, Harry! Eu estou falando a verdade.
-Mesmo?
-Mesmo! – depois de terminar de falar, a garota começou a comer, dispensando e ignorando o olhar preocupado dos dois amigos.




Naquele dia, Hermione e todos os alunos do curso de teatro haviam sido dispensados das aulas para terem total preparo para a apresentação do dia seguinte.
Durante todo o dia eles repassaram as falas e as coreografias. Quando as roupas finalmente chegaram já era noite e foi quando eles começaram a perceber que a apresentação estava mais próxima do nunca.
Enquanto eles pegavam suas roupas, a professora avisou que eles iriam fazer apenas uma apresentação: para todos os alunos e professores. Trelawney também avisou que o Ministério da Magia todo havia sido convidado, tal qual os pais de todos os alunos de Hogwarts, até mesmo os pais não bruxos.
Todos os alunos arregalaram os olhos: eles teriam que fazer a apresentação para um público muito grande e isso pode deixar qualquer um nervoso. Percebendo o nervosismo dos alunos, Sibila tentou os acalmar dizendo que confiava completamente em todos e que tinha certeza que todos iriam fazer um espetáculo perfeito. Após acalma-los, ela pediu aos meninos que fossem para a sala ao lado para se trocarem enquanto as garotas se trocariam na sala de teatro.
Vendo que todos os garotos haviam saído e a porta estava fechada, as alunas começaram a se trocar.
Depois de um tempo, quando todas estavam prontas, Sibila chamou os garotos de volta e pediu que todos subissem ao palco, para que pudessem começar o ensaio geral.
A cortina foi fechada por um dos alunos e dois dos três toques também.
Como planejado, Trelawney lançou em si mesma o feitiço para que pudesse falar o prólogo.

[Trelawney]
Duas casas, duas famílias com a mesma dignidade na aprazível Verona, onde se desenrola esta história, que parte de antigas rixas e chega a um novo motim, quando sangue civil mancha mãos civis. Pois, da prole dessas duas casas, inimigas fatais, um casal de amantes traídos pelo destino toma sua própria vida: seus desventurados gestos, dignos de nossa pena, resultam em que, com sua morte, enterra-se também a luta de seus pais. A terrível história de seu amor, marcado pela morte, e a permanência do ódio de seus pais, que tão-somente teve um basta com o trágico fim de seus filhos, constituem o que se passa a narrar agora neste palco, por duas horas. Esta peça, se ouvida com paciência, tentará, com nosso esforço, prover-lhes todos os detalhes.

Após a professora terminar de falar, o terceiro toque foi tocado a cortina se abriu. Um local público, vazio. Entram, então, John e Alex, armados.

[John]
Digo e repito, Gregório, não podemos levar desaforo para casa.

[Alex]
Concordo contigo. Caso contrário, teríamos sangue de barata.

[John]
Quero dizer, se a raiva nos acomete, puxamos a espada.

[Alex]
Mas, enquanto viveres, afasta-te da raiva.




[Robert]
Ah, irmão Montéquio, dê-me sua mão. Este é o legado de minha filha, e nada mais tenho a oferecer.

[Jason]
Mas eu posso oferecer-lhe mais: mandarei construir uma estátua de Julieta em ouro maciço. Enquanto Verona for o nome de nossa cidade, nenhuma imagem terá tanto valor quanto a de Julieta, digna e fiel.

[Robert]
Pois a estátua de Romeu, também em ouro, estará ao lado da de sua esposa. Pobres vítimas de nossa inimizade!

[Aaron]
Melancólica paz nos traz esta manhã. O sol, de luto, não se mostrará. Embora daqui, vão e conversem mais sobre esses tristes fatos. Alguns serão perdoados, e outros, punidos, pois jamais houve história mais dolorosa que esta de Romeu e Julieta.

-Eu já disse uma vez. E, se preciso, digo outra vez. Está esplêndido. Essa peça será o assunto do ano. Eu garanto a vocês! Bom, já está tarde. Acho melhor vocês irem. A propósito, vocês serão dispensados das aulas de amanhã. Podem ir.
Os alunos começaram a arrumar suas coisas e aos poucos, eles foram deixando a sala e indo para o banheiro se trocar e depois, para seus salões comunais. Poucos alunos ficaram por último. Eram os que tinham mais roupas que os outros. Entre eles estavam Draco e Mione.
Sibila se aproximou de Mione e ao lado da ruiva, falou:
-A única coisa que eu acho que podemos melhorar é a valsa. Quero você no Salão Principal amanhã, depois do almoço.
-Está bem. Eu estarei lá. – disse a garota, sem parar de arrumar suas coisas.
Trelawney sorriu e sem que Mione percebesse se afastou e foi falar com Draco.
Mione acabou ficando mais uns três minutos na sala depois que a professora havia falado com ela, arrumando as roupas para que estivessem em ordem para o dia seguinte.
Com tudo arrumado, ela saiu da sala de teatro e foi para o banheiro, onde trocou de roupa e depois mandou as roupas da peça para o seu dormitório.
Ela respirou olhando para baixo e depois saiu do Box em que estava. Parou em frente ao espelho e virou seu reflexo, triste. Sem fazer qualquer ruído, Mione andou até a porta. Lá ficou parada por um tempo, pensando no que viria pela frente. Várias vezes, ela mexeu a mão em direção da maçaneta, mas sempre voltada. Mas, então, criou coragem e abriu a porta.
-AAAAAAAH! – gritou ela ao ver um vulto na frente da porta. Com a respiração ofegante e a mão no peito, a garota percebeu que era somente Draco. Enquanto se acalmava, ela ficou quieta, mas depois – Ah! É só você. O que você quer?
-Apesar de estar te odiando, eu vim te esperar pra ir monitorar e também pra te falar uma coisa.
-Ah... Que pena... Eu acho que não tenho mais nada pra falar com você. Não tenho e não quero. Agora, se você me dá licença, eu tenho um castelo inteiro para monitorar. – a garota empurrou Draco e saiu andando.
Jogado no chão, Draco disse para si mesmo: “Sangue-ruins”.




Mione acordou tarde no dia seguinte . Quando acordou só havia ela no salão. Até mesmo Parvatil e Lilá, que também haviam sido dispensadas das aulas naquele dia, já haviam saído.
Cansada, Mione sentou-se na cama com os pés para fora da cama. Ela colocou as mãos sobre suas coxas e ficou olhando para baixo. Triste, ela se levantou e, andando pelo quarto, começou a cantar, improvisando.

A veces pienso que te miento
Às vezes penso que estou mentindo
Cuando te digo que te quier
Quando te digo que te quero
Porque esto ya no es querer
Porque isto já não é querer.

A garota andou em direção de seu armário e encostou-se nele. Com a cabeça também encostada no armário, ela olhou para o teto e continuou cantando.

A veces creo que he muerto
Às vezes creio que estou morta
Cuando no estás y yo despierto
Quando não está e eu desperto
Porque sé que esto ya no es querer
Porque sei que isto já não é querer

A garota andou até seu criado mudo, onde estavam alguns de seus livros. Ela os tirou de lá e os colocou em cima de sua cama. Depois voltou o olhar para o criado-mudo, onde estava o que ela queria achar. O que ela queria achar era algo que ela devia sempre escondido. O que Mione estava procurando era uma foto de Draco que tinha. Ela pegou a foto em sua mão e ficou olhando.

Es algo más, algo que me llena
É algo mais, algo que me completa
Algo que no mata ni envenena
Algo que não mata nem envenena
Es algo más, algo más que amar.
É algo mais, algo mais que amar.

Lágrimas escorreram dos olhos da garota e caíram na foto que ela segurava. Ela ficou com raiva e rasgou a foto em vários pedaços e depois jogou no chão e continuou andando pelo quarto enquanto, triste, ela secava suas lágrimas. Mas, seca-las foi inútil, porque, quanto mais secava as lágrimas, mais ela chorava. Mesmo soluçando, ela continuava cantando.

Es algo más que la distancia
É algo mais do que a distância
Que el dolor y la nostalgia
Que a dor e a nostalgia
Sabemos que eso no nos va a separar
Sabemos que isso não vai nos separar

Mione andou em direção ao seu espelho de corpo e olhou seu reflexo. Devagar, ela encostou a mão direita no espelho, enquanto cantava e lágrimas rolavam pelo seu rosto todo.

Es darte un beso cada noche
É te dar um beijo a cada noite
Que tus manos me enamoren
Que suas mãos me namorem
Y que lo nuestro crezca cada día más
E que nosso amor cresça cada dia mais

A garota encostou a outra mão em seu próprio rosto, do lado esquerdo.

Porque somos algo más...
Porque somos algo mais...

A garota se virou para sua cama e pegou o diário que Rony havia dado e começou a folha-lo. As páginas, todas em branco, sem nada escrito. Exceto por duas: uma no começo e outra no fim. A garota olhou para o que estava escrito lá e depois, tristemente, jogou o presente do amigo no chão.

A veces creo que he vivido
Às vezes creio que tenho vivido
Más de mil años contigo
Mais de mil anos contigo
Porque sé que esto ya no es querer
Porque sei que isto já não é querer

A garota encostou-se em seu espelho e foi escorrendo até sentar-se no chão. E lá ficou, sentada, chorando e cantando.

A veces pienso que es mentira
Às vezes penso que é mentira
Por cómo entraste en mi vida
Por como entrou em minha vida
Porque sé que esto ya no es querer
Porque sei que isto já não é querer

A garota se levantou devagar e, novamente se virou para o seu espelho de corpo. Ela ficou se mirando como se esperasse alguma resposta para seu dilema de seu reflexo.

Es algo más, algo que me llena
É algo mais, algo que me completa
Algo que no mata ni envenena
Algo que não mata nem envenena
Es algo más, algo más que amar
É algo mais, algo mais que amar

Ela abaixou a cabeça e começou a chorar mais. Mas, mesmo assim, não parou de cantar. Como se só cantando ela poderia tirar a tristeza de seu coração.

Es algo más que la distancia
É algo mais do que a distância
Que el dolor y la nostalgia
Que a dor e a nostalgia
Sabemos que eso no nos va a separar
Sabemos que isso não vai nos separar

Mione secou seu rosto, olhou para o espelho e se assustou com o que viu. No lugar do seu reflexo, estava o de Draco. Ela olhou para trás, mas não o viu. Olhou novamente para o espelho. A imagem ainda continuava ali.

Es darte un beso cada noche
É te dar um beijo a cada noite
Que tus manos me enamoren
Que suas mãos me namorem
Y que lo nuestro crezca cada día más
E que nosso amor cresça cada dia mais

A ruiva balançou a cabeça e depois olhou para o espelho. Mas, a imagem de Draco ainda esta lá, no lugar do reflexo que deveria ser o seu.

Porque somos algo más...
Porque somos algo mais...

Irritada, Mione empurrou o espelho, que girou, fazendo com que a parte que reflete ficasse virada para a parede. A garota pegou seus livros e jogou todos nos chão. Jogou também sua escova de cabelos e sua escova de dente. Por fim, só restava para em cima do criado mudo, para serem jogados no chão, seu despertador e o roteiro da peça. Ela pegou o roteiro e o jogou no chão. Quando o roteiro, uma foto voou em direção da garota. A ruiva a pegou e ficou olhando para ela.

Y yo sé que no es querer
E eu sei que não é querer
Porque en tú ojos yo me puedo perder
Porque em seus olhos eu posso me perder
Contigo olvido lo que es temer
Contigo esqueço o que é temer
Acaso no sabes que tú eres para mí?
Acaso não sabe o que é para mim?

Ela jogou a foto no chão, olhou para a parede em sua frente e começou a ver tudo girando. Aos poucos não via mais nada, além da imagem de Draco se aproximando dela. A garota virou-se para trás e viu o quarto voltando ao normal.

La noche, el día en mi vivir
A noite, o dia em meu viver
La sangre en mis venas
O sangue em minhas veias
Lo doy todo por ti
Dou tudo por você
Contigo el mundo no tiene final
Contigo o mundo não tem final
Y el tiempo no se nos va a acabar
E o tempo não vai acabar...

A garota olhou para baixo e viu a foto que havia rasgado e a outra, que só havia jogado no chão, lado a lado.
Ela se abaixou, pegou as duas fotos e colocou em cima do seu criado-mudo.

Es algo más que la distancia
É algo mais do que a distância
Que el dolor y la nostalgia
Que a dor e a nostalgia
Sabemos que eso no nos va a separar
Sabemos que isso não vai nos separar

Aos poucos, devagar, a garota, foi pegando as coisas que havia jogado no chão e jogando tudo em cima de sua cama.

Es darte un beso cada noche
É te dar um beijo a cada noite
Que tus manos me enamoren
Que suas mãos me namorem
Y que lo nuestro crezca cada día más
E que nosso amor cresça cada dia mais

Com tudo em cima da cama, a garota sentou-se num dos poucos lugares que haviam sobrado vazios. Sentada, com as mãos sobres as coxas e olhando para o chão, com lágrimas nos olhos, ela cantou a última parte do seu improviso.

Porque somos algo más...
Porque somos algo mais...
Porque somos algo más...
Porque somos algo mais...

A garota secou suas lágrimas e se levantou da cama. Devagar ela saiu do dormitório e desceu para tomar banho. Logo, era o horário do almoço.
No banheiro, a garota se despiu dentro do Box e ligou o chuveiro. Aos poucos, foi sentindo a água acaricia-la e levar toda a tristeza e toda a angústia que marcavam seu corpo.
Depois de um tempo, de banho tomado, a garota desligou o chuveiro, se secou, foi para outro Box, onde colocou o seu uniforme, mandou a toalha para a lavanderia, conjugou sua escova de dentes, escovou os dentes, subiu para seu dormitório, deixou a escova de dentes em cima do criado-mudo e pegou a de cabelo em cima da cama. Ela penteou rapidamente o cabelo, colocou a escova no seu devido lugar e depois o prendeu, como na maioria das vezes fazia.
A ruiva olhou para o relógio e viu que ainda dava tempo. Então, pegou o diário que Rony havia lhe dado, pegou uma pena e um tinteiro, sentou-se em sua cama, molhou a pena no tinteiro e escreveu o que queria rapidamente.
Quando terminou de escrever o que queria, tampou o tinteiro e deixou-o junto da pena e do diário em cima da cama. Ela se levantou correndo e também correndo, abriu a porta do dormitório e saiu dele. Ainda correndo, desceu a escada, tomando cuidado para não tropeçar e cair. E também correndo, foi até o retrato da Mulher Gorda, que se abriu e deu passagem para a garota.
Ela passou e foi para a escadaria, onde desceu até o térreo e de lá, foi para o Salão Principal. Dentro do salão, ela procurou por Harry e Rony e quando os achou, andou em direção deles e sentou-se junto a eles.
-Boa tarde, dorminhoca. – falou Harry, quando a amiga se sentou ao seu lado. Ele olhou para os olhos de Hermione e perguntou se ela havia estado chorando.
-Não.
-Hermione... Pode falar a verdade. Você não consegue mentir pra mim.
-Ai, Harry... Não me enche, ok?
-Alguém acordou com o pé esquerdo. – disse Rony, se intrometendo na conversa.
-E você fica quieto, tá bom, Rony? – falou Mione, irritada. Depois de terminar de falar, a garota pegou o garfo e começou a comer o almoço.
-O que aconteceu, Mione? É a pressão da apresentação de hoje à noite?
-Rony, eu não mandei você ficar quieto.
-Mandou, mas, eu to preocupado com você.
-Eu também estou Mione. – disse Harry, olhando para os olhos de Mione.
-Que parte do fica quieto e não me enche vocês não entenderam? – perguntou Mione, cada vez mais irritada.
-Hermione, a gente só quer te ajudar.
-RONY, CALA TUA BOCA! – gritou Mione.
Após ouvir o grito da amiga, o garoto ficou na miúda e começou a comer, em silêncio, observado pelos alunos que haviam ouvido o grito da grifinoriana.
-Hermione! O que deu em você? Você nunca mandou o Rony calar a boca.
-Harry, você também QUER FAZER O FAVOR DE CALAR A BOCA? – a garota gritou novamente, muito mais irritada do que já estava.
-Mione, fica calma. – disse Harry.
-É, Mione, fica calma. – aprovou Rony, com medo da reação da amiga.
-Será que eu vou ter que ensinar às duas coisas aqui o significado da frase “CALA A BOCA” e da frase “NÃO ME ENCHE”? – depois de fazer a pergunta até um pouco arrogante, a garota voltou a comer e os dois amigos deixaram-na quieta e não fizeram mais nenhuma pergunta.
Depois que terminou o almoço, a professora Trelawney foi à direção da ruiva e avisou que era para que ela estivesse de volta ao Salão Principal em vinte e cinco minutos. A professora avisou também que ela iria se atrasar um pouco, afinal, ela dava aula de Adivinhação depois do almoço, mas, o mais rápido possível, estaria no salão para ensaia-la.
-Se eu demorar muito, Srta, você começa sem mim. Deixei por conta dos elfos deixar um rádio para que você possa ensaiar. O CD que tem todas as músicas da peça, incluindo a música da valsa, estará no rádio, portanto não terá que se preocupar com isso.
-Está bem, professora. Obrigada.
-Não se esqueça que, às cinco horas e meia você deverá estar aqui novamente para que possamos preparar tudo para a apresentação.
-Certo.
A professora se afastou e saiu do Salão. As únicas pessoas que ainda restavam no Salão Principal eram Mione, Draco, Aaron e Aquiles.
A ruiva olhou para os três garotos, que a observavam carinhosamente e irritada, se levantou do banco que estava sentada até então e saiu do Salão, completamente irritada.
Ela subiu as escadas do Hall e depois subiu a escadaria até o andar onde ficava a Ala Hospitalar. Foi exatamente na Ala Hospitalar que ela entrou e lá dentro procurou pelas camas sua irmã, Jenny. Não a encontrou. Portanto, caminhou pela Ala, olhando debaixo de cada cama, pensando que a irmã poderia estar em qualquer lugar.
-Quem você está procurando? – disse alguém atrás de Mione, depois que ela olhou debaixo da sétima cama da direita.
A garota virou-se e se deparou com sua irmã em pé, parecendo muito saudável. Mione diria que ela estava até mais saudável que ela própria.
-Jenny?! Você me assustou! Nunca mais faça isso. Quer matar sua irmã do coração?
-Irmã? Você disse que é minha irmã?
-Eu?! Eu não disse nada. Você é quem está ouvindo coisas.
-Você disse sim.
-Não! Eu não disse não.
-Disse sim..
-Não disse.
-Disse sim...
-NÃO DISSE NÃO E PONTO FINAL.
-Tá bom, tá bom... Mas, não precisa se irritar. Afinal, hoje é a grande noite. Você deve ficar calma. Se não, pode errar em alguma cena. Mas, afinal, o que cargas d’água você está fazendo aqui? Não está se sentindo bem?
-Eu? Eu estou ótima. Eu estava procurando por você. Fiquei preocupada. O que você tem?
-Nada.
-Nada!?
-Nada...
-NADA?!
-É, nada.
-Como nada? A Madame Pomfrey disse que você estava doente, que ela não estava conseguindo diagnostica-la e que por isso, você não iria poder estrelar a peça.
-Ah... Isso foi só um favor que eu pedi para a Madame Pomfrey fazer para mim. Quero dizer... Para você!
-Espera ai. Eu não to entendendo nada! Você está confundindo minha cabeça. Vamos sentar e conversar direito.
Seguindo o pedido de Mione, Jenny sentou-se junta a irmã em uma das camas.
-Pode começar a explicar TUDO.
-É uma coisa bem simples, Mione. Eu pedi para que a Madame Pomfrey fosse até a aula de teatro e dissesse que eu não poderia fazer mais a aula porque eu estava doente. E pedi para que ela fizesse um “atestado médico” para que eu não tivesse que ir as aulas.
-E ela fez isso? Eu vou denuncia-la ao Dumbledore.
-Posso explicar?
-Tá... Continua.
-A princípio, a Madame Pomfrey ficou desconfiada e me mandou para o Dumbledore. Eu expliquei a situação e acho que ele entendeu que era por uma causa nobre e deu permissão pra enfermeira fazer o que eu pedi.
-Mas, por que você fez isso?
-Por você!
-Por mim? Se tá louca? Isso não me ajudou em nada.
-Há, há e há. Mione, você pode querer enganar a todos, e você até consegue enganar, mas, a mim você não engana. Eu tenho seu sangue e mais: eu sou sua irmã gêmea. Tudo que você sente, infelizmente, eu também sinto. E eu sei que você gosta do Draco, por isso que eu pedi pro Dumbledore me deixar fazer isso.
-Olha aqui, Jenny... Pra começar, eu não quero enganar ninguém, até porque eu não engano ninguém, tá bom? E depois, eu não sinto nada por aquele verme do Malfoy.
-Olha, Mione, para de fingir, tá bom? Eu sei que você gosta dele e que ele gosta de você, até porque eu pa...
-Você o que?
-Nada... Nada...
-Pode começar a falar! Você começou então vai terminar.
-Não... Eu falei besteira. Não tem nada a ver com isso. Mas, então, você vai fazer a Julieta e o Draco, o Romeu. Quer coisa melhor?
-Não muda de assunto. FALA A VERDADE!
-Tá bom, tá bom... Eu falo, mas, promete que não vai ficar irritada?
Mione, surpresa com o pedido da irmã, olhou fundo nos olhos dela e depois de um tempo, sorriu, dizendo que prometia.
-Ok... Já que você promete...
-Fala logo! Eu não tenho a tarde toda.
-Tá... Eu sou apaixona pelo Draco.
-O QUÊ? VOCÊ NÃO PODE... NÃO PODE ESTAR APAIXONADA POR ELE! NÃO PODE!
-Mione, você prometeu.
-NÃO QUERO SABER O QUE EU PROMETI OU DEIXEI DE PROMETER. VOCÊ NÃO PODE GOSTAR DESSE VERME! NÃO PODE... EU NÃO VOU DEIXAR VOCÊ CHEGAR PERTO DELE. ELE É UM IDIOTA QUE NÃO LIGA POR PISAR NOS OUTROS PARA CONSEGUIR O QUE QUER E NÃO SE IMPORTA COM QUEM SE IMPORTA COM ELE, ou, no meu caso, COM QUE SE IMPORTOU. ELE NÃO TEM CORAÇÃO. ELE NÃO PODE AMAR NINGUÉM. ELE SÓ VAI TE FAZER SOFRER! VOCÊ NÃO PODE CHEGAR NEM MEIO METRO PERTO DELE. SE VOCÊ FIZER ISSO, EU JURO QUE MATO ELE! AH, MAS MATO MESMO! ELE É UM RETARDADO MENTAL... POR ISSO QUE VOCÊ NÃO PODE GOSTAR DELE... ELE NÃO TEM CORAÇÃO, ELE NÃO AMA! Pronto, falei.
-Ou será que você está interessado nele, mas quer disfarçar. Olha, Mione, se você estiver, fala agora, porque ai eu tento esquece-lo.
Mione olhou fundo nos olhos da irmã e, triste, olhou para o chão e passando a mão esquerda no braço direito, disse, triste, com lágrimas nos olhos:
-Não... Não. Eu não estou nem um pouco interessado no Draco. Se você realmente gosta dele, vá e lute por ele.
Jenny sorriu e abraçou a irmã.
-Ai... Obrigada, Mione, por ter sido sincera comigo.
-Nada, nada... – falou Mione, afastando Jenny de si.
-O que aconteceu?
-Nada... Mas, você vai encenar a Julieta?
-Eu? Não... A princípio, foi por sua causa que eu desisti do papel, mas, também, eu não queria mais fazer o papel da Julieta. É muito chato. Teatro é muito chato. É legal ver, mas é chato fazer.
-Mas, e as cenas dos beijos? – perguntou Mione, ainda olhando para o chão.
-Relaxa... Eu sei que vai ser só por causa da peça e nada mais. Portanto, não vou ficar com ciúmes.
-Ótimo. Bom, agora eu vou... Tenho que ir para o Salão Principal ensaiar a valsa.
-Ah! Ok. Eu vou ficar por aqui algum tempo ainda. Tenho que falar com a Madame Promfrey ainda. A propósito, depois que você sair, feche a porta, fazendo favor.
Mione se levantou da cama, ainda olhando para o chão e saiu da Ala Hospitalar. Após sair, fechou a porta e encostou-se nela. Aos poucos foi escorregando até estar sentada no chão. Sentada, percebeu lágrimas escorrer por seu rosto. Aos poucos, os pensamentos começaram a sumir, para que no lugar, uma música começasse a ser cantada em sua cabeça.

I didn't mean it when I said
Eu não quis dizer isso quando eu disse que
I didn't love you so
Eu não te amava tanto
I should have held on tight
Eu deveria ter te agarrado
I never should have let you go
Eu nunca deveria ter deixado você ir
I didn't know nothing,
Eu não sabia nada
I was stupid, I was foolish
Eu fui estúpida, eu fui tola
I was lying to myself
Eu estava mentindo pra mim mesma
I could not fathom that
Eu não poderia ter me convencido que
I would ever be without your love
Eu viveria sem o teu amor
Never imagined I'd be sitting
Nunca me imaginei sentada
Here beside myself
Aqui, sozinha
Guess I didn't know you
Achando que eu não te conhecia
You'd guess I didn't know me
Você deve achar que eu não me conheço
But I thought I knew everything
Mas eu pensava que sabia de tudo
I never felt
Eu nunca senti
The feeling that I'm feeling
O sentimento que eu estou sentindo
Now that I don't hear your voice
Agora que eu não ouço mais a sua voz
Or have your touch and kiss your lips
Nem sinto o seu toque, nem o beijo dos seus lábios
Cause I don't have a choice
Porque eu não tenho escolha
Oh what I wouldn't give
Oh o que eu não daria
To have you lying by my side
Pra te ter deitado ao meu lado
Right here cause baby
Exatamente aqui baby
When you left I lost a part of me
Quando você se foi eu perdi uma parte de mim
It's still so hard to believe
Ainda é tão difícil acreditar
Come back baby please cause
Volte, baby, por favor, porque
We belong together
Nós pertencemos um ao outro
Who else am I gonna lean on when times get rough
Em quem eu poderei me recostar quando os tempos se tornarem difíceis
Who's gonna talk to me on the phone
Quem vai conversar comigo ao telefone
Till the sun comes up
Até o sol aparecer
Who's gonna take your place
Quem vai tomar seu lugar
There ain't nobody better
Não há ninguém capaz
Oh baby baby
Oh baby baby
We belong together
Nós pertencemos um ao outro
I can't sleep at night
Eu não posso dormir a noite
When you are on my mind
Quando você está na minha cabeça
Bobby Womack's on the radio
Bobby Womack está tocando no rádio
Singing to me "If You Think You're Lonely Now"
Cantando pra mim: “Se você pensa que está sozinho agora”
Wait a minute this is too deep
Espere um minuto, isso é tão profundo
I gotta change the station
Eu preciso mudar de estação
So I turn the dial tryin' to catch a break
Então eu giro o dial, tentando dar uma dentro
And then I hear Babyface
E então ouço Babyface
I Only Think Of You and it's breakin' my heart
“Eu só penso em você” e está magoando meu coração
I'm tryin' to keep it together but I'm falling apart
Eu estou tentando manter tudo nos conformes, mas eu estou me despedaçando
I'm feeling all out of my element
Eu to me sentindo fora de mim
Throwing things, crying tryin'
Jogando coisas, chorando, tentando
To figure out where the hell I went wrong
Imaginar o que diabos eu fiz de errado
The pain reflected in this song
A dor está refletida nessa canção
Ain't even half of what I'm feeling inside
E não é nem metade do que eu estou sentindo por dentro
I need you, need you back in my life baby
Eu preciso de você, preciso de você de volta em minha vida baby
When you left I lost a part of me
Quando você se foi eu perdi uma parte de mim
It's still so hard to believe
Ainda é tão difícil acreditar
Come back baby please cause
Volte baby, por favor, porque
We belong together
Nós pertencemos um ao outro
Who else am I gonna lean on when times get rough
Em quem eu poderei me recostar quando os tempos se tornarem difíceis
Who's gonna talk to me on the phone
Quem vai conversar comigo ao telefone
Till the sun comes up
Até o sol aparecer
Who's gonna take your place
Quem vai tomar seu lugar
There ain't nobody better
Não há ninguém capaz
Oh baby baby
Oh baby baby
We belong together baby
Nós pertencemos um ao outro
When you left I lost a part of me
Quando você se foi eu perdi uma parte de mim
It's still so hard to believe
Ainda é tão difícil acreditar
Come back baby please cause
Volte baby, por favor, porque
We belong together
Nós pertencemos um ao outro
Who else am I gonna lean on when times get rough
Em quem eu poderei me recostar quando os tempos se tornarem difíceis
Who's gonna talk to me on the phone
Quem vai conversar comigo ao telefone
Till the sun comes up
Até o sol aparecer
Who's gonna take your place
Quem vai tomar seu lugar
There ain't nobody better
Não há ninguém capaz
Oh baby baby
Oh baby baby
We belong together baby
Nós pertencemos um ao outro

Hermione se levantou e secou as lágrimas. Olhou para seu relógio de pulso e viu que já estava na hora de ir para o Salão Principal. Mas, antes de ir para lá, subiu para o seu dormitório e pegou um CD próprio. Com o CD na mão, ela desceu a escadaria e foi para o Hall de Entrada, que estava vazio, afinal, era horário de aula e apenas os alunos do teatro haviam sido dispensados da aula daquele dia. Mione entrou no Salão Principal, que estava completamente diferente do que estava na hora do almoço: um palco bastante extenso havia sido montado na frente da onde ficava a mesa dos professores. As mesas compridas de casa haviam sido substituídas por mesas circulares para oito pessoas, como no dia do show que havia acontecido em Hogwarts.
Devagar, a garota caminhou em direção do palco. Enquanto andava, foi desviando das mesas e quando chegou em frente a palco, respirou fundo e depois subiu nele.
Conforme Trelawney havia prometido, o rádio estava lá no palco. Mione caminhou até o rádio e trocou o CD que a professora havia deixado pelo próprio CD. Ela colocou numa das suas músicas favoritas e deixou no Pause. Então, pegou o controle, foi para o meio do palco, de lá apertou o Play e começou a dançar.
O que Mione não percebeu foi que, antes dela apertar o play, quando ela ainda estava caminhando para o meio do palco, alguém entrou no Salão Principal em silêncio e se surpreendeu ao ver a garota no palco, dançando. Essa alguém era ninguém menos que Draco Malfoy.
Draco observava cada estalar de dedo que Hermione dava, cada passo que ela andava.

I've got sunshine
Eu tenho o brilho do Sol
On a cloudy day
Num dia dublado
When it's cold outside
Quando está frio lá fora
I've got the month of May
Para mim é como se fosse a primavera

Cada movimento feito por Hermione era observado atentamente por Draco, que se aproximava cada vez mais do palco.
Enquanto dançava, os longos cabelos lisos da ruiva balançavam para frente, ocultando o rosto da garota e depois para trás, deixando-os a mostra.

Well, I guess you'll say
Bem, você vai me perguntar:
What can make me feel this way?
O que me faz se sentir desse jeito?
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
Talking about my girl
Estou falando da minha garota
My girl
Minha garota

Draco olhava Mione de um jeito apaixonado e a garota nem sabia que ele estava lá, vendo-a, por isso dançava sem se importar com nada.
Enquanto dançava, o loiro tentava lembrar o porque deixara Mione escapar dele.

I've got so much honey
Eu tenho muito mel
The bees envy me
As abelhas me mandam
I've got a sweeter song
Eu tenho uma doce canção
Than the birds in the trees
Como os pássaros nas árvores

A ruiva girava de um lado para o outro, sem ver que Draco estava lá, vendo cada detalhe de cada um de seus giros. Ela prestava atenção na música para não errar o compasso. E ele, prestava atenção em Mione.
Aos poucos Draco foi entendendo o que dizia a melodia e seus olhos se encheram de lágrimas, percebendo que havia perdido uma coisa muito importante em sua vida. Havia perdido a única coisa boa que lhe havia acontecido em tanto tempo.

Well, I guess you'll say
Bem, você vai me perguntar:
What can make me feel this way?
O que me faz se sentir desse jeito?
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
Talking about my girl
Estou falando da minha garota
My girl
Minha garota

A letra da música também entrava na cabeça de Mione, que também tinha os olhos cheios de lágrimas por vários outros motivos, completamente diferentes dos motivos de Draco.

Oooooooooh
Oooooooooh
Hey, hey, hey
Hey, hey, hey
Hey, hey, hey
Hey, hey, hey
Oooooooooh yeah
Oooooooooh yeah
I don't need no money
Eu não preciso de dinheiro
Fortune or fame
Fortuna ou fama
I've got all the riches baby
Eu tenho todas as riquezas baby
One man can clime
Que um homem pode desejar

Draco, que estava muito próximo, quando compreendeu o verso, parou de se aproximar e ficou onde estava, observando a beleza de Hermione de longe, sem poder se aproximar sem sofrer.

I guess you'll say
Bem, você vai me perguntar:
What can make me feel this way?
O que me faz se sentir desse jeito?
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
My girl
Minha garota
Talking about my girl
Estou falando da minha garota
My girl
Minha garota

Com a respiração ofegante, Mione foi terminando aos poucos a coreografia inventada por ela para aquela música. Coreografia que chamou muita atenção de Draco.

Talking about my girl
Estou falando da minha garota
I've got sunshine on a cloudy day
Eu tenho o brilho do sol num dia nublado
With my girl
Com a minha garota
I've even got the month of May
Eu sempre estou na primavera
With my girl
Com a minha garota

Com o soar da última nota da melodia, Mione parou na posição que ela tanto havia ensaiado: sentada para o lado esquerdo, com a perna direita esticada, a esquerda dobrada, as mãos ao lado das pernas e a cabeça deitada sobre o joelho esquerdo. Com os olhos fechados, ela ouviu os aplausos em sua cabeça, mas, então, ouviu um som que não via de sua cabeça: era o som de um aplauso real.
A ruiva abriu os olhos e viu Draco, sorrindo para ela e aplaudindo-a.
-O que você está fazendo aqui? – perguntou Mione, levantando-se, irritada.

N/A: Ai, ai... Eu amo terminar assim os capítulinhos 8D... É tão legal fazer assim! Deixar um ar de suspense no ar...
Além de tudo, tem a melhor parte: matar vocês do coração 8D
Eu simplesmente AMO fazer isso... É muito legal 8D
Falando das músicas do capítulo: sim, eu sei, foram três, mas eu não tava a fim de escrever trocentos capítulos pequenos com o mesmo nome, cada um com uma música. Então, eu coloquei todas as músicas num capítulo só... E até que foi bom 8D. O capítulo ficou grande... 18 páginas...
Para os desinformados, os nomes das músicas: Algo Más, de La Quinta Estación; We Belong Together, de Mariah Carrey; My Girl, de The Temptations, se não me engano.
Bom, espero que vocês tenham gostado desse capítulo 8D
Eu demorei bastante para escreve-lo, mas eu gostei.
A propósito, tenho duas novidades para vocês. A primeira, é que A FIC ESTÁ CHEGANDO AO FIM 8D *gritos de felicidades e aplausos* Mas, vocês não se verão livres de mim tão fácil: primeiro porque eu tenho outras fics aqui no 3V e, em breve, no FeB, e depois porque, eu estou me programando para lançar, em breve, FDD 2! Só pra vocês 8D
A segunda novidade, não tão importante que a primeira, mas, mesmo assim, eu amei a idéia para essa novidade. Ok, vamos logo para ela: a partir de agora, o resumo do próximo capítulo será diferente.
Diferente como? Eu explico: a cada capítulo, eu tive a BRILHANTE IDÉIA de um dos personagens resumir. O que vocês acham? Por enquanto, é só em FDD, porque eu e vocês temos mais afinidade com os personagens, mas, em breve, BILHETES e A AGENDA SECRETA DO MEU NAMORADO, também estarão entrando nessa onda.
Agora, vamos para as views...

[3V]
Vitoria C. W. Malfoy: Vi... Pode me chamar de Luh sim 8D Na verdade, você nem devia ter perguntado 8P. Relaxa... Foi um prazer responder seu comentário. Mesmo ele sendo grande... Se fosse pequeno, também teria a mesma atenção. 8D Quero dizer, ia ter a quase que a mesma atenção, afinal, os grandes tem mais coisas para falar... Quero dizer... Aiii... Você entendeu o que eu to querendo dizer? Deleitos do Destino... Hm... Nome interessante. Mas, como não se pode julgar um livro pela capa, ou, no nosso caso, uma fic pelo título, estaria esperando ansiosamente até que você a publique aqui no 3V, oka? Ah! Estarei esperando seu PC ficar pronto, ai a gente vai poder conversar pelo MSN e pelo orkut! 8D *pulando de felicidade* Relaxa... Como já disse... Foi um prazer responder... Mas, fica tranqüila mesmo, até porque eu, às vezes, também me empolgo, principalmente quando eu to escrevendo 8P. Eu é que agradeço por você ler a minha fic. 8D Bom, beijinhos. E continua lendo, oka?
Pa: Oies... Que bom que você, como sempre gostou do capítulo 8D Isso quer dizer que a fic continua boa 8P *capota*. Eu também gosto muito do David. É, o Draco tá mal mesmo. Mas, na verdade, o Draco nunca foi bonzinho, né? Não vai ser agora que ele vai virar. Pode ser que nas próximas versões de FDD ele fique bonzinho, MAS, até lá... Ele continua malvado. Afinal, ele está aprendendo a ser bom com a Mione e a Mione tá aprendendo a ser má com ele 8P É... “Alaranjadas” e “avermelhadas”, unam-se 8P *se mata* Ah... Eu não conto não quem é a Princesa Herdeira. É segredinho secretinho... E segredinho, secretinho ou não, a gente não conta. Muáááá *apanha* Tá... Já parei com a minha risada maléfica... Muáááá *voa um tomate* JÁ PAREI 8P Mas é lógico que eu tenho que saber quem é a Princesa Herdeira. Que graça teria se ninguém soubesse quem é? 8P AH! Eu vi seu comentário no FeB... A resposta deve tá lá em baixo 8P Junto com os outros do FeB. 8D Você sabia que eu também to lendo pelo FeB? *capota* Ah! Atualiza sua fic, viu? Agora, também vo ficar comprando doce, viu? Beijoquinhas... AMO-TE!
Nat Lovegood: PARA TUDO! Você tem que parar de reclamar que eu invento muitas coisas 8P E se eu parar de inventar, a fic não anda mais... Ela fica largada... Hauhau... Fic fica... Hauhau... Fic fica... Hauhau *apanha, é apedrejada, capota, se taca e se mata* Tá... Tá... Já parei 8P Hauhau *rindo feito uma louca* Uuuh... Você acertou com seu palpite? Depois você me conta, tá? Beijocas...
Debi: Não era do tio Voldi? *capota* Então, de quem era que você tava falando? Depois você me conta, tá? *tapadamor* Hauhau... Você desistiu de suplicar, mas, eu não desisti de ser malvada... Muáááá *apanha* Tá bom, Debi... Também não precisa me bater, tá? É... A Jenny não vai mais poder cursar 8P Será que é? Bom, agora você sabe, né? *morre* Você quis dizer: “vamos ler, né?” Hauhau *louca* Quem que foi atrás da Mione? *tapadamor* AAH! Foi ele... 8P Eu já disse que eu sou tapada, né? Bom, não foi o Draco, como você viu no capítulo anterior... 8P Se você quer saber, eu nunca pensei no Draco indo atrás dela, sabia? É mesmo... Acho que é mais provável a Pansy estar lá atrás da Mione que o Draco... Mas, afinal, quem é que foi atrás da Mione? *apanha* Tá, já chega... Não vo mais fazer gracinhas... Uuuh... Você acertou com seus chutes masters? *boba* Trá, lá, lá... O Natal tá chegando... [na fic] Limite de caracteres? Isso existe? *morre* Eh povinho preguiçoso... É só ver algo muito grande e pula, né? Eu não... Eu sou a feliz que lê tudo que vê 8P O andamento? Tá andando... Devagarzinho, mas, tá indo... Afinal, a gente tem que aprender a andar antes de correr. Eu também tenho estado muito ocupada, por isso as fics tão demorando a serem atualizadas. Hauhau... Dever ser mesmo... 8P Mas, às vezes dá coisa na Pa e ela fala bastante... Quero dizer, ela já fala bastante e quando dá coisa, fala mais ainda 8P. É mesmo... E a cada atualização, eu tenho que responder mais e mais 8P. Enrolando... Enrolando... Hauhau. Acho que não tem limite mesmo. 8D Uh... Em relação ao Harry... Ainda muita coisa vai rolar. E eu estou tentando pensar em alguma coisa que faça ele se aproximar de outra garota. 8D E pode deixar... Ele não vai morrer virgem e sozinho. Ai... Coitado do Rony... Eu não vou fazer isso, mesmo, mesmo. Seu presente... É! Bom... Aqui ainda vai demorar, mas, na outra, rapidinho acontece 8D. É... Segredo secreto *capota*. Hauhau... Bom, então, beijoquinhas 8D. Ta, ta... Vou tentar atualizar rápido da próxima vez.
Debora Cristine: Nhaiii... Brigada pelos elogios. Ah... Pode deixar que vou escrever um livro 8D. Ai... Estou emocionada. Eu não sabia que a fic tava tão boa assim... Sobre esses outros casais: um dia, quem sabe, eu posso escreva fics com eles... No momento, estou me dedicando à D/Hr... Eu até tenho uma fic D/G... Mas, eu prefiro Draco e Mione. 8D Hauhau... Pode falar do que você gosta ou não... Eu acho até legal, porque ai, eu posso colocar mais do que você gosta na fic 8D. Brigada pelos elogios de novo 8D. Hauhau... Eu também to louca para terminar a fic... Mas, sabia que ela já ta no final? Beijinhos... E brigada por ler a minha fic 8D
bibi*¹: Valeu pelos elogios 8D. Vou continuar, com certeza... Com certeza mais para frente você vai entender 8D... Não agora, porque até eu não entendi essas coisas... *se mata* Vou tentar atualizar sempre, mas, não prometo nada. 8P Oka... Vou ver o que eu posso fazer. 8D... Beijocas...
bibi*²: Outro motivo? Aquelas perguntas... Bom, eu achei que vocês já sabiam as respostas. *capota* Já que vocês não sabem, vou tentar atualizar mais rápido... Beijos

[Floreios]
Deh_Di-Lua: Brigada pelo elogio... Eu vou passar lá 8D... Só eu me organizar melhor... Vou comentar e votar... 8D Beijoquinhas
Pa: Oies Pa... Olha só... Agora você tem dois lugares para ler e comentar... Isso quer dizer que eu vou ter mais comentários seus para responder... EBA! Perfeita? Como assim? Minha fic ta perfeita? *apedrejada* Só um pouquinho... Não vale... Você deveria estar MUITO curiosa 8D. Beijocas.
Rebeca_Potter: Que bom que você gostou da fic 8D... Fico muito feliz. Muito mesmo... Quando der, prometo que passo lá, certo? Brigada pelos elogios e por ler a fic... Beijinhos.
Aluadas # mine e any #: Ai... Estou emocionada... Que bom que vocês gostaram da fic... 8D Vou tentar postar o mais rápido possível. Quando der, eu passo... Prometo... 8D Beijocas... E espero ver você aqui de novo.
Draco & Mione _ Forever: Oiii... Obrigada pelo elogio... Vou guarda-lo com carinho no meu coração... 8D Continua lendo, ta? Beijos.
Dani Megih: Oiii Dani 8D. Sim, você já disse isso milhões de vezes 8D. Eu já publiquei Bilhetes... Mas, ninguém leu ainda. Beijinhos.

Ai, ai... Responder esses comentários cansou minha mão...
Gente do céu... Nem sei quantas foram as views...
Mas, isso não vem ao caso... Vamos direto para a parte de tortura preferida de vocês 8D.
Só avisando: eu não sei se vou sempre falar quem é que fala sobre o próximo capítulo. Mas, hoje, quem fala é a Mione 8D...

“Ai, ai, ai... Alguém armou pra mim... Mandaram o Draco para o Salão Principal para ensaiar a valsa comigo. Mas, quando disseram para mim que eu iria ensaiar a valsa, não me contaram que eu iria ensaiar com o Draco... E ele veio chegando perto de mim de um jeitinho tão meigo... O que eu fiz? Vocês irão descobrir no próximo capítulo de Forças do Destino 8D”.

Hauhau... Eu me baseei no final de SCC... 8D É isso.
Beijinhos...
Luh

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.