FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Capitulo Seis


Fic: Alugando Hermione Granger III - Epílogo ON- Dramione


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hey gente, sei que tinha prometido na 6 feira, mas nao deu para postar. Minha vida continua um caos... e as coisas vão ficar ainda mais corridas pq eu vou mudar de casa. Mas depois eu explico tudo isso melhor! ;) 

Espero que voces gostem!!! *--*

E claro, deixem reviews.

--**--


Dias depois Draco trabalhava tranquilamente no escritório da Mansão Malfoy. Odiava ter de resolver assuntos do parlamento quando estava em casa, afinal eram poucos os momentos que possuía para curtir sua esposa grávida, mas alguns eram imprescindíveis e necessitavam uma atenção mais detalhada, o que era impossível de ocorrer em um parlamento onde o barulho não para nem sequer por um minuto, mesmo em seu gabinete havia sempre alguém pronto para importuná-lo.


Já estava acabando quando um toque na porta chamou sua atenção.


 


- Draco? – disse Annelise abrindo a porta e colocando o rosto para dentro. – Posso falar com você?


- Claro, Anne. Entre.


- Não vou te atrapalhar?


- Obviamente que não. Estou aproveitando para rever algumas coisas, enquanto Hermione descansa.


 


Annelise sentou-se na frente do irmão, com a postura rígida. Mesmo que não houvesse mais aquela pressão, ou formalidade, velhos hábitos não morriam assim tão cedo ou tão facilmente. Jamais havia imaginado ter uma liberdade como aquela que Draco estava lhe proporcionando, podia ir e vir a qualquer momento e tomar suas próprias decisões. Entre tanto, no meio que vivia, precisava de Draco para colocar suas decisões em prática.


 


- Draco, há alguns dias Harry conversou comigo...


- Você tem o meu apoio. – disse Draco cruzando as mãos em cima da mesa. – O meu total apoio.


- Obrigada, meu irmão! – Annelise abriu um sorriso cativante ao irmão. – Mês que vem eu poderei visitá-lo pela primeira vez.


- Fique tranquila, o avião estará a sua disposição, Anne.


- Sério? Você não irá conversar com a Dona Narcisa? – questionou Annelise receosa. – Ela não vai gostar de saber que estou indo encontrar com Harry em uma clinica de recuperação, ainda por cima, usando o avião da família.


- Com ela, eu me resolvo. Além do mais, você está, oficialmente, sobre minha tutela. Já fiz todo o necessário para que você não dependa mais deles. Só será necessária a minha autorização para que você possa ir viajar. Nenhuma assinatura além da minha.


- Isso é sério, Draco? – disse a garota com os olhos arregalados.


- É sério. – Draco sorriu para a irmã. – Só peço que você tome muito cuidado, a exposição será grande. A mídia não lhe deixará em paz.


- Sei disso, Draco, mas não se preocupe. – disse a loira com um sorriso nos lábios. - Ficará tudo sob controle. Acho que eu posso me cuidar sozinha.


- Eu tenho quase certeza que sim. – ambos sorriram.


- Posso entrar? – perguntou Hermione abrindo a porta


- Claro – disse Draco levantando-se, seguido por Annelise. – Já estava subindo para te acordar.


- Eu vou para o meu quarto. – disse Annelise sorrindo para a cunhada. - Irei estudar um pouco. Estou precisando.


 


Annelise saiu do escritório do irmão rapidamente, deixando o casal sozinho, era quase insuportável o nível de cumplicidade que existia entre seu irmão e sua cunhada. Qualquer um, que ficasse ao lado deles, em momentos como aqueles, iria sentir-se um intruso.


Hermione aproximou-se do marido e o beijou ternamente. Draco levou a castanha até o sofá.


 


- Conseguiu descansar?


- Você deveria ter me acordado! – reclamou a castanha, sorrindo. – Olha a hora! Quase perdi o almoço!


- Não iria deixa-la perder o almoço, mas você ainda não me respondeu: Conseguiu descansar?


- Consegui descansar, mas parece que nunca é o suficiente. Estou sempre com sono, mas pelo que eu tenho lido, esse sono todo é normal, no começo da gravidez. – a castanha suspirou. - Hoje temos um baile para ir, lembra-se?


- Sim, recepção na casa Chamberlin. Só temos um problema: Não há mais como esconder a gravidez, querida.


- Sei disso. – disse alisando o ventre sobre a camiseta simples que estava usando - Semana que vem, entro no 5º mês de gestação, e minha barriga está crescendo rapidamente. Não tenho mais como escondê-la.


- Precisamos fazer um anuncio, após a noite de hoje. Será necessário, não há outra alternativa. Amanhã, nossa porta estará cheia de jornalistas e paparazzi.


- Não podemos mais adiar – admitiu Hermione a contragosto. – Não tem nem mais como.


- Posso enviar uma nota oficial informando?


- Claro, é o melhor a ser feito. Só não queria ficar dando entrevistas, Draco.


- Fique tranquila com relação a isso. Vamos manter nossa privacidade longe dos holofotes.


- Se houver como, gostaria de manter o sexo do bebê em segredo. O alvoroço será ainda maior se falarmos que estamos esperando um menino.


- Sem problemas, querida. – Draco beijou os lábios de Hermione ternamente - Mantemos isso em segredo. 


- E... no final de semana que vem, podemos ir visitar os meus pais.


- Você tem certeza? – perguntou Draco levantando uma de suas sobrancelhas.


- Sim, pensei muito sobre isso. Tenho certeza – Hermione afirmou com a cabeça. – Irei ligar para eles ainda hoje, e marcarei para o próximo sábado.


- Fico feliz que você tenha reconsiderado...


- O anúncio oficial eles já vão ter visto, certamente – deu de ombros – então não teremos muito trabalho – com um leve sorriso Hermione se ajeitou mais próxima ao marido, que logo começou a passar a mão sobre sua barriga. – Agora vamos, tenho de me arrumar ainda – resmungou. – Preciso achar um vestido que caiba em mim.


- Temos tempo para um banho juntos? – perguntou Draco sussurrando em seu ouvido com um sorriso malicioso, logo deu uma mordidinha naquela região, o que fez Hermione estremecer.


- Podemos arranjar tempo – ela murmurou em resposta.


 


Com um sorriso satisfeito, Draco a acompanhou até o quarto e juntos foram para o banheiro, enquanto a água aquecia, ajudou Hermione a se desfazer de suas roupas e logo livrou-se das suas próprias, entrando os dois juntos no banho. A água morna foi uma benção sobre suas costas que começavam a doer, sempre havia sido magra e o peso da barriga que crescia cada vez mais começava a ter suas consequências.


Draco massageou suas costas distribuindo beijos por seus ombros, e foi descendo lentamente, enquanto a água morna caia sobre ambos. Hermione suspirou de deleite com a massagem, mas seus suspiros logo se tornaram de excitação com as caricias mais intensas de Draco, ele sugava seus seios com tamanha destreza que pensou que chegaria ao ápice somente com as preliminares, a verdade é que sentia seu corpo cada vez mais sensível e não duvidava de mais nada.


Enquanto seus lábios ocupavam-se dos seios de Hermione, seus dedos deslizaram o corpo curvilíneo até chegar ao centro dele, seu sorriso se expandiu ao ouvir o murmúrio de satisfação de Hermione assim que introduziu dois dedos nela, sua esposa estava excitada e pronta para recebê-lo.


Com a vida agitada que vinha levando, gostaria de ter mais momentos assim com Hermione, mas com todos os acontecimentos mais recentes, só lhes restava aproveitar os momentos que possuíam.


Sem esforço ergueu-a do chão e a penetrou, sentindo como ela agarrava seu cabelo com uma mão e arranhava suas costas com a outra, duas coisas que o enlouqueciam.


 


- Estava com saudade desses momentos com você – Draco disse minutos depois, quando já estavam em seu closet, Hermione lhe sorriu e assentiu concordando, mas sua atenção logo voltou para os vestidos em que mexia e um suspiro frustrado saiu de seus lábios. – Sinto muito por não ter estado muito presente nos últimos dias.


- Você não tem culpa, Draco. Além do mais, nós sabíamos que você não iria parar em casa. – Hermione voltou a atenção para o marido, que analisava as roupas para o evento daquela noite. Ela sorriu e voltou-se para os vários vestidos que tinha a sua frente - Nenhum fica bom – resmungou ela chorosa.


- Herms – Draco teve de sorrir, Hermione nunca fora o tipo de mulher que se importava com o que falariam de sua imagem, não podia negar que ela estava sempre impecável, mas nem sequer se esforçava para isso. Só que com a gravidez essa perspectiva dela havia mudado completamente, e sabia que enquanto não dissessem com todas as letras que “sim, ela está grávida”, Hermione não ficaria bem. Não consigo mesma. – Quer que eu chame a Anne para ajudá-la? Não me ofereço para dar palpite, pois não sou muito bom nessas coisas.


- Não precisa chamá-la. – suspirou ela com uma mão sobre o ventre. – Só queria algo que não chamasse tanto a atenção – suspirou novamente, quase desolada.


- Aposto que você vai ficar linda com qualquer um desses – apontou Draco abraçando-a por trás, acariciou seu ventre descoberto e viu com o canto do olho como ela sorria, já mais mansa.


 


Carência também era uma nova característica de Hermione nessa nova fase.


E fogosa também, pensou com um sorrisinho malicioso. Não que fosse reclamar. Pelo contrário. Era bom tê-la todas as noites em seus braços, depois que chegava exausto e estressado do trabalho. Somente naqueles momentos de intimidade, podia esquecer quem era e o peso que havia sobre seus ombros.


 


- Não lhe disse? – Draco se aproximou quase meia hora mais tarde, impecavelmente vestido em seu terno italiano cinza escuro, a gravata perfeitamente posta combinando com o vestido da esposa e o cabelo penteado para trás com gel, o tipo de homem que arrancava suspiros de qualquer mulher sem nenhum esforço.


 


Hermione sorriu quando ele lhe falou, sentia-se bela, de fato. O vestido em tom verde escuro caia de forma solta sobre seu corpo, sem marcar nem destacar a barriga, mas também não disfarçava a saliência de seu ventre – que era o único fato a incomodá-la. Não que sentisse vergonha, apenas sentia-se mal por não terem exposto ainda sua gestação quando já se tornava tão evidente. Se soubesse que seu ventre começaria a dilatar tão rapidamente, tê-lo-ia feito muito tempo atrás.


 


- Vamos? – chamou Draco ao vê-la terminar de colocar o par de brincos.


- Anne vai conosco? – perguntou Hermione segurando a mão que Draco lhe estendia.


- Sim – ele respondeu enquanto caminhavam pelo corredor. – Ela está ansiosa. Só poderá ver Harry daqui há alguns dias – deu de ombros – achei que seria bom tirá-la um pouco de casa, quem sabe assim ela não se distrai um pouco.


 


Hermione assentiu com um leve sorriso, Annelise era sempre uma boa companhia. Preocupava-se com a cunhada, que nos últimos tempos, depois da partida de Harry, ficava cada vez mais amuada. Ao descerem as escadas, encontraram a única Malfoy solteira esperando, pacientemente, na ante-sala. Por um momento, Hermione não acreditou que aquela fosse a Annelise alegre que conhecerá.


 


- Não vou deixar você ir assim! – disse Hermione aproximando-se da cunhada e analisando o pesado vestido preto que a loira estava usando. – Você não está de luto! Deveria estar feliz por Harry estar se tratando.


                - Eu estou feliz. – murmurou sem muita vontade. – Me deixe ficar em casa, Draco.


                - Isso está fora de cogitação, Anne. Faça o que a Hermione te falou, suba e troque de roupa.


 


                Contrariada, Annelise subiu as escadas rapidamente. A palavra de Draco era sempre uma ordem, e jamais deveria ser contrariada. Independente do século que estivesse à palavra de um homem da família Malfoy era ordem, e deveria ser acatada imediatamente. Hermione revirou os olhos para o marido, não gostava daquele tipo de demonstração de autoridade.


 


                - Não precisava ter falado assim com ela, Draco. – murmurou Hermione sentando-se em uma das enormes poltronas que havia na antessala.


                - Eu não gosto de falar assim com ela, mas sei como Annelise é.


 


                Annelise desceu instantes depois, com um vestido mais claro e com a feição do rosto mais leve. Parecia que a maneira como Draco havia falado com ela surtira algum efeito inesperado.


 


Ao chegarem a Chamberlin Hall, antes de passar pelo grande portão de ferro que separava a rua da enorme casa onde seria o evento. Era possível ver, mesmo de longe, os vários fotógrafos que se apinhavam no portão em busca de uma foto que valesse as primeiras paginas de algum jornal sensacionalista. Com desanimo, Hermione notou que o Chamberlin Hall já estava lotado, mesmo sendo aquela uma reunião apenas para os parlamentares e suas importantes famílias.


 


- Qual o motivo dessa “reunião”? – frisou Hermione.


- As pessoas não precisam ter um motivo para fazer uma reunião. – comentou Draco indiferente. – Só querem um motivo para passar a noite bebendo champagne e comendo caviar. Talvez, no final da noite, quando a maioria estar bêbada demais, alguém vá querer discutir sobre o futuro econômico da Inglaterra ou quem sabe, sobre o Jubileu de Diamantes da Rainha.


- Oh sim, é daqui há 2 mês. – comentou Annelise. – Tinha me esquecido deste detalhe. Vou tentar arrumar o cronograma dos eventos que irá acontecer.


 


Foram mais longos minutos para vencerem os fotógrafos e entrarem no Chamberlin Hall. Ao sair do carro, Hermione ajeitou o vestido, de maneira a ficar o mais largo possível.


 


- Você está maravilhosa. – Draco ofereceu o braço a esposa. – Pare de se preocupar.


 


Entrou de braços dados a Draco, Annelise veio logo atrás com um sorriso incrustrado no rosto, algo que Hermione sabia ser totalmente falso. Independente de todo e qualquer problema, era necessário manter as aparências como o decoro mandava. Hermione teve que reconhecer, Annelise era muito boa nisso.


O senhor e a senhora Chamberlin eram um casal interessante. A senhora Chamberlin deveria ser apenas um pouco mais velha que Hermione, enquanto o marido era um homem que beirava os 70 anos de idade. Aquela situação estava longe de ser normal, no meio da aristrocacia britânica. Ainda mais, quando todos sabiam que a atual senhora Chamberlim fora amante do marido por longos anos. 


 


- Vai ser uma longa noite – sussurrou Hermione no ouvido de Draco, que apenas a abraçou tentando passar-lhe algum conforto.


 


Hermione tentava sorrir em meio ás rodas sociais, quando comentavam sobre o casamento dela com Draco. – algo que Hermione já considerava conversa velha – Todos gostavam de ressaltar que a recepção havia sido impecável, que a cerimonia havia sido emocionante, que ela estava divina. Enquanto tentava se concentrar na conversa, sentia os olhares furtivos em sua direção, todos encarando sua barriga. Podia ouvir cochichos e comentários. A noite estava sendo muito mais longa do que poderia imaginar.


Nunca havia se sentido tão exposta no meio de toda aquela gente. Sentia-se um bicho exposto no zoológico.


Um filho deveria ser um motivo de alegria e sorrisos, não de murmúrios, pensou Hermione. Mas respirou fundo pensando que logo tudo seria esclarecido.


 


- Eu não aguento mais ser a atração do zoológico. – comentou Hermione com Annelise assim que ficaram sozinhas.


- Tente não pensar nisso.


- Cadê o seu irmão? Não aguento mais ficar aqui, Anne. – lamentou Hermione. – Uma certeza eu tenho: Se Catherine estivesse aqui, seria ainda pior.


- Estão comentando que ela está com problemas para engravidar. – murmurou Annelise, quase em um sussurro.


- Escutei o mesmo boato. – comentou a castanha sem emoção.


 


Hermione nunca se sentiu tão aliviada em deixar um lugar. Draco apareceu horas depois, parecendo exausto e mal humorado. De fato, haviam tido uma reunião longa para discutir algo, que não conseguiram durante as intermináveis sessões do parlamento.


No dia seguinte, Hermione acordou com uma amarga surpresa, seu nome estava em todos os tabloides e revistas, fotos suas com Draco no jantar da noite anterior estampavam diversas matérias, uma revista que uma das empregadas lhe entregou havia inclusive usado photoshop em uma das fotos, para destacar ainda mais seu ventre.


Voltou para cama logo após o café da manhã e suspirou, não queria nem imaginar o movimento que deveria estar em frente à propriedade Malfoy.


 


“Herdeiro Malfoy a caminho” dizia uma das revista que Hermione pegou.


“Desde o casamento repentino do herdeiro Malfoy com a, agora, Senhora Hermione Malfoy, uma plebeia que conheceu em Cambridge no ano passado, muito se especulava sobre o motivo por trás da união tão rápida, a questão a respeito de uma gravidez logo veio a tona, mas o casal se negou a comentar qualquer coisa sobre os questionamentos. Eis que na noite de ontem, em um jantar íntimo em Chamberlin Hall, confirmou-se o que todos já imaginavam, a atual senhora Malfoy parece estar mesmo carregando o futuro herdeiro da família, o que fica claro em algumas das fotos tiradas com exclusividade.


Até o encerramento desta reportagem, não houve nenhuma nota publicada pela família Malfoy sobre a suposta gravidez.”


 


Sem dúvida alguma haviam aumentado sua barriga por algum photoshop barato, pensou Hermione irritada. O único objetivo daqueles redatores era chamar mais atenção e vender mais revistas. E no fim todas acabavam falando a mesma coisa, apenas com palavras diferentes.


Suspirou recostando a cabeça sobre o travesseiro, teve mais certeza que nunca se acostumaria com toda essa exposição gerada por ser esposa de Draco Malfoy.


 


- Definitivamente não tem mais como negar – suspirou passando a mão pelo ventre. – Não posso mais te proteger de toda essa confusão, meu amor.


 


                Levantou-se a contragosto, apesar do aquecimento interno, ainda sentia frio.   Entrou de baixo do chuveiro e deixou a água cair, os próximos dias seriam desgastantes.  A gestação, apesar de estar no começo, exigia muito de seu corpo. Podia perceber o quanto o seu humor oscilava, quão cansada ficava após um pouco de exercício, quanto sono sentia, apesar de não fazer nada que exigisse um esforço grande para alguém normal.


                Colocou uma camiseta velha de Draco, que havia encontrando enquanto arrumava a parte do closet que pertencia a ele. Estava enterrada em uma das gavetas e parecia não ser usada a muito tempo. Era grande o suficiente para chegar a suas coxas, e bastante confortável. Com o passar dos dias, suas camisolas tornaram-se todas incomodas.


                Jogou-se na cama, ficaria ali mais alguns minutos e desceria para procurar por Annelise e com alguma sorte acharia Draco em casa.


                Hermione assustou-se ao perceber que havia cochilado. Espreguiçou-se e sorriu, sentindo-se muito melhor do que na hora em que deitara. Apesar do banho, seu corpo ainda reclamada da noite anterior. Não havia conseguido dormir a noite por uma maldita sensação de mal estar, tinha de reconhecer que talvez houvesse se excedido um pouco ao aceitar a sobremesa, mas na hora lhe parecera tão apetitosa que não pudera resistir. Em consequência havia se sentido mal a noite toda. E sentia mais pena por Draco do que por si, ele havia acordado diversas vezes durante a madrugada com o movimento constante dela na cama em busca de uma posição mais confortável, havia inclusive lhe massageado um pouco as costas e os pés que estavam levemente inchados.


Sorrindo pensou em quão bom marido Draco vinha sendo, muito melhor do que poderia imaginar, de fato. E lhe confortava a certeza de saber que ele seria um pai ainda melhor. Apesar da ausência dos últimos dias, ele ligava constantemente. Sempre que podia, estava em casa, nem que fosse por poucos minutos.


 


- Não quis sair da cama hoje? – a voz de Annelise chamou sua atenção, arrancando-lhe um riso.


- E enfrentar a tormenta que com certeza espera a nossa porta? – tentou descontrair. – Estou muito bem aqui, obrigada – sorriu, escondendo um bocejo.


- Já vi que você está a par das revistas. – Annelise apontou para as revistas jogadas no criado-mudo.


Annelise se aproximou de forma acanhada e sentou na poltrona que havia próxima a cama, de frente para a lareira do quarto do casal.


 


- Tenho que admitir que eu queria saber o que seria dito.


 


Hermione sentou-se na cama, trazendo um dos pés para baixo de seu corpo. Não havia mais nenhum tipo de formalidade entre Hermione e Annelise. Conversavam diariamente no quarto do casal. Hermione bateu na cama, chamando a cunhada, mas além dela, Toy entrou correndo e pulou em cima da castanha.


 


- Hey menino, bom dia! – Hermione acariciou a cabeça do cachorro, que tinha a cabeça em cima de sua perna, e o corpo estendido no resto da cama.


- Não sobra muito espaço para mim. – reclamou Anne sentando-se na ponta da cama. – Só poderia ser cachorro do Draco.


 


Annelise enrolava uma mexa de cabelo insistentemente, enquanto, com a outra mão acariciava o pelo macio de Toy.


 


- Tudo isso é ansiedade? – perguntou Hermione com um sorrisinho, que só aumentou ao ver como as bochechas de sua cunhada coravam. Toy resmungou quando sua dona parou de acariciar sua cabeça.


- Você deve me achar uma boba – suspirou Annelise. – Toda essa coisa de adolescente.


- Pelo contrário – se apressou em dizer. – Acho muito bonito esse sentimento que vocês dois dividem, todo esse amor incondicional principalmente em um momento como este. Além do mais, não sou tão mais velha que você.


- Parece que faz anos que não o vejo – confessou Annelise. – Não tenho nem sequer dormido direito, contando os dias para embarcar naquele avião, mesmo que seja para passar só um final de semana com ele...


- O caminho é longo, mas valerá apena! A viagem será longa, não? – sorriu.


- A clinica é no interior da Suécia. Além do avião, serão 3 horas de carro.


- Seu irmão não queria que eu lhe dissesse isso – confessou Hermione em voz baixa, como se estivesse lhe contando um segredo. – Mas Harry já tentou diversas vezes entrar em contato com você. – Annelise arregalou os olhos, desde que Harry fora internado, não havia trocado uma mensagem sequer com ele, apenas sabia do dia para visitas porque havia se informado no dia em que ele se internara. – Ninguém permitiu, não faz parte do processo, mas parece que isso deu um gás a mais para o seu príncipe – sorriu. – Ele está indo muito bem.


- Tenho certeza que sim. – sorriu mais abertamente. – Pareço uma menininha apaixonada – zombou e Hermione foi obrigada a rir.


- Parece porque você é exatamente isso: uma menininha apaixonada! – disse segurando a  mão com mais firmeza. – Sua família é um tanto conturbada, já sei bem disso. – riram, cumplices – Sei que todas essas regras que todo mundo impõe fazem você crescer mais cedo e mais rápido, mas não se engane, Anne. Você só tem dezoito anos e está apaixonada. Você é uma menininha apaixonada, e deve desfrutar bem desse momento – disse com certo tom de nostalgia. – Você será muito feliz, cunhada! Tenho certeza disso!


- Que Deus te ouça, Hermione. E sei que só tenho 18 anos – suspirou. – Mas ás vezes parece que já vi tanta coisa, já ouvi principalmente, já fui ensinada e regrada tantas e tantas vezes que sinto como se já tivesse vivido várias vidas...


- Quando a sua própria mal começou – riu Hermione. – E morar conosco vai lhe ajudar! Tenho certeza disso, você tem todo o meu apoio, e o de seu irmão também!


- Com o meu irmão foi assim? – perguntou Annelise com seus belos olhos azuis piscando.


- Como?


- Você e o meu irmão – ela riu baixinho. – Foi assim quando você se apaixonou por ele?


 


Por um minuto Hermione não soube o que responder, só sentia seu coração acelerado, mas não havia motivos para isso. Há quanto tempo havia descoberto que se apaixonara por Draco Malfoy? Mas até onde sabia, aquele era um sentimento de uma única via. Não tinha direito de estragar os sonhos de Annelise contando que o casamento com Draco havia sido arranjado, mas também não achava certo mentir.


 


- A relação entre o seu irmão e eu é totalmente diferente – se limitou a dizer. Hermione sentiu o coração apertar-se.


- Não totalmente – apontou Annelise. – Já vi como você olha para ele, e como ele olha para você. Não há como negar.


 


No andar de baixo, Draco tentava se concentrar em alguns documentos importantes referentes a empresa Malfoy. Havia muito que ser arrumado, e vários patrimônios que deveriam ser passados para o seu nome e consequentemente para o de Hermione antes que o pior acontecesse: Lucius Malfoy morresse.


A porta do escritório de Draco abriu violentamente, e Narcisa Malfoy entrou a passos rápidos e firme, o olhar duro cravando rapidamente em Draco, que revirou os olhos ante a entrada sempre teatral de sua mãe. Não havia conseguido sair de casa naquela manhã, fotógrafos e jornalistas lotavam o portão de entrada, e tentar atravessá-los certamente geraria um estresse muito maior que o necessário.


Havia entrado em contato com William e desmarcado a reunião que iriam ter, mais tarde, naquele mesmo dia. Não iria haver nenhuma sessão importante, no Parlamento, que exigisse sua presença ou sua assinatura. Uma grande parte de seu trabalho, Draco havia conseguido trazer para casa.


 


Pelo modo como a  Duquesa Narcisa Malfoy adentrou dentro do escritório, Draco soube, logo de cara que sua mãe não parecia disposta a ouvir escusas, assim como o bando de jornalistas certamente não fora páreo para ela. Estava bem vestida em seu look clássico total em tons claros e em uma das mãos carregava um jornal, enquanto na outra, um envelope negro.


 


- Bom dia, mãe. – saudou Draco, automático. – Em que devo a honra de sua visita?


 


O olhar normalmente frio de Narcisa, naquele dia parecia congelante. Sem meias palavras ergueu o jornal que Draco já sabia do que se tratava: era uma foto de Annelise despedindo-se de Harry alguns dias atrás, momentos antes do príncipe partir rumo a Suécia, onde ficaria internado por alguns meses. A notícia havia vazado rapidamente, por isso Draco suspeitava que a ida de Annelise a clínica seria tumultuada. 


 


- Onde está sua irmã? – Narcisa jogou o jornal em cima da mesa enquanto erguia a voz ao falar. – Lembro-me, perfeitamente bem, de tê-la proibido de encontrar esse... moleque.


 


Draco abriu uma das gavetas de sua mesa, rapidamente pegou um envelope semelhante ao que Narcisa Malfoy ainda carregava. O brasão dos Malfoy enfeitava o envelope imponentemente. Com os dedos ágeis, Draco retirou as folhas de dentro do envelope e os ofereceu a mãe.


 


- O que é isso? – Narcisa pegou os papéis com o cenho franzido.


- Isso irá nos poupar de futuros desentendimentos.


 


Com os olhos em brasa Narcisa encarava os papéis, ódio brotava de cada um de seus poros. Ódio esse que só se ampliou ao ver sua filha parada na porta, ao lado da mulher que seu filho havia escolhido por esposa – que por sinal estava cada vez maior, pensou com desgosto ao mirar o ventre dilatado dela. A gravidez ainda era recente, ela sabia, mas não importava, não conseguia imaginar-se aceitando um neto vindo de uma mulher que não possuía o mesmo sangue nobre que o seu. Não estava em seus planos aceitar um neto... bastardo.


 


- Quem irá me explicar o que é isso? – bradou. – Estou esperando!


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 13

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 26/06/2013

Poker Face Narcisa! kkkkkkkkkkkkkkk

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por SweetAngel33 em 01/04/2013

o.O... A Megera apareceu, hehe.
No que será que vai dar, hein? Ihhhh.
Vou correndo ler o próximo cap, haha!
Perfeito, arrasou, girl!
Beijos. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por ana claudia vieira em 24/03/2013

super viciada, posta logo!! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isabella Grindelwald Malfoy em 23/03/2013

Continua!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Nikki W. Malfoy em 22/03/2013

Eu voltei!!!!!!!!!!!!!
E tbm estou esperando!
ja até perdi as semanas da postagem, é hrrivel ficar sem o pc!
Mas estou de volta e tenho que dizer que... QUERO QUE ESSE BEBÊ NASÇA LOGO!   

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Jamie Darrow em 22/03/2013

Adorei e espero que você melhore logo,e deixa eu te falar como vai ficar essa historia da catherine não poder ter filhos por que não sei se você sabe de verdade ela já ta gravida,e outra coisa se você quiser alguma ideia de nome pro bebê da hermione com o draco estou as ordens tenho um monte de ideias.Bjus

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por sonimai em 17/03/2013

espero que vc esteja melhor msm.....quanto ao cap,cada vez me apaixono mais pelo Draco,e espero que não aconteça nada de mal com o bebe.......realmente espero que a Kate nunca engravide,hehehe

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por M. Weasley em 14/03/2013

Eu estou viciada! 
Sinceramente, quem suporta essa Narcisa? kk- Estou meeeeega ansiosa pelo próximo capítulo!

P.S: Virei fã em um fds, nn consigo mais desgrudar c: 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Carool Black em 13/03/2013

GENTEM QUE BABADO! D:

Essa Narcisa horrorosa, só falta ela querer sabotar os próprios filhos! ¬¬ Estou ansiosa pela conversa da Mione com os pais, essa será emocionante! *-* Um menino, que fofo! Ele vai chamar Scorpius? :D Sou curiosa master! -q

Poste looog amigs, estou curiosa e ansiosa!

Beijoos

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por the em 13/03/2013

uuuuuuuuuuuuuuiii. o bagulho ficou louco.. mega ansiosa.. *--*

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Barbara Rosier Malfoy em 09/03/2013

Ooi 
Nossa eu to imaginando o que a Narcisa vai fazer para impedir que o bebe naça!!!!!!
Bj. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por annalimaa_ em 08/03/2013

Não creio que algum dia Draco diria que Anne está o atrapalhando. Ele mostra que está mudando quando ele tem esses pequenos gestos, por aqueles que ama ele faria tudo. Não tem nada melhor do que dormir por um bom tempo, sinto falta disso. Ela chamaria atenção mesmo se não estivesse grávida. As vezes as pessoas precisam de serem acordadas para a vida, assim como Draco está fazendo com Anne. Não aguentaria um dia com toda essa atenção. Mas a Narcisa é muito inconveniente, ela ta puta porque perdeu o controle de tudo que ela pensou controlar, Draco e Anne. Beijos, Ana.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Gabriela G. Potter em 06/03/2013

#MorteÁNarcisa. Se eu tivesse uma mãe dessa já teria me afogado numa tampinha de xarope...
Sim, mãe é coisa divina e temos que amar, mas a Narcisa não é minha mãe então eu posso xingá-la a vontade. 
To gostando muito, mesmo! Vou até votar!
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.