FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Capítulo Dois


Fic: Stay, Malfoy


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

And it takes me all the way
(Isso me leva do começo ao fim)
I want you to stay
(Quero que você fique)

Involuntariamente Hermione levou sua mão até a nuca de Draco, um toque doce e ao mesmo tempo tão poderoso a ponto de fazer o homem se arrepiar inteiro e ficar sem reação. Era assim que o loiro se sentia naquele momento: um bobo, um menino inexperiente. Ele sabia que as coisas com Hermione não eram aquilo o que ele queria aparentar, mas nunca podia dar o braço a torcer. Não era tão difícil. Não era, até ela ceder ao seu primeiro toque e ele se render por causa daquela mão macia em sua nuca. Era se sentir sendo empurrado abismo abaixo apenas com o leve soprar do vento. E ele sabia, não havia mais auto controle. Não quando Hermione Granger era alguém muito mais que uma adversária profissional. Quando ela era apenas... Hermione Granger.

Hermione deslizou seus dedos por entre os cabelos de Draco, e num certo ponto deu um puxão leve, agradável e, ela não sabia, incendiador. Ele descolou sua boca da dela e a olhou profundamente. A morena percebeu o quanto as íris cinza estavam nubladas, mas mal sabia interpretá-las. O encarou também. O peito subindo e descendo ritmadamente, a respiração difícil de ser controlada. Tirou a mão da nuca dele e deslizou a mão para o ombro forte. Por um instante Draco fechou os olhos. Ela não pôde conter um gemido baixo escapando pelos lábios entreabertos. Os olhos cor de âmbar ganharam uma tonalidade dourada, que muito se assemelhava a fogo. Linda. 

Foi quando de repente ela se viu erguida e levada pra perto da porta, se sentindo em seguida prensada contra ela por um Draco Malfoy cheio de desejo e decidido. Ela suspirou e correspondeu ao beijo, dessa vez as duas mãos indo pra cabeça dele, puxando-o pra si. Inclinou a cabeça levemente pro lado e o loiro entendeu o sinal. Beijou-lhe a bochecha, o lóbulo da orelha e desceu seus beijos por uma trilha que chegava ao pescoço, arrancando mais alguns suspiros dela. Uma de suas mãos voltou para os cabelos dele e a outra acariciava seu tórax, passeando por eles sem destino e sem hora pra acabar. Draco a elevou pelos quadris, passando suas pernas por entre os seus quadris, num encaixe tão perfeito que ninguém jamais acreditaria se contassem. Foi o suficiente pros corpos de ambos começarem a incendiar num caminho sem volta.

- Podemos subir? - sussurrou o loiro no ouvido de Hermione, que estava inebriada com o cheiro e a voz dele ali, soando tão deliciosamente perigoso. 
- Sim, podemos - ela conseguiu dizer, entrelaçando as pernas nos quadris dele enquanto subiam, inevitavelmente, para o quarto dela.
- Você quer continuar? - ele sussurrou outra vez, e ela não entendeu como ele podia estar sendo tão gentil quando ele próprio havia causado aquela situação, praticamente a deixando sem escapatória. E de repente ele lhe dava a opção de liberá-la?

O encarou mais uma vez, fazendo-o parar, já no topo da escada.

- Tá me dando a opção de pararmos aqui? - ela devolveu a pergunta, o pegando de surpresa.
- Não, eu... bom... - ele titubeou um pouco, pensativo - na verdade não quero te obrigar a isso... - Draco a pôs no chão, e segurou sua cintura com as mãos nas laterais, a mantendo perto. - Eu fui um idiota te induzindo a isso dessa forma, e... se não quiser eu vou entender, de verdade.
- Draco Malfoy - ela usou um pouco de sarcasmo ao pronunciar seu nome - por acaso ofereci algum tipo de resistência? 
- Só no começo... - ele riu baixinho.
- Você começou, e nós terminaremos. Mas não agora, Malfoy. Agora eu quero que você fique. - ela lhe disse, séria.

It's not much of a life you're living
(Não é uma vida e tanto a que você está vivendo)
It's not just something you take, it's given
(Não é apenas algo que você toma, é algo dado)
Round and around and around and around we go
(Por aí, por aí, por aí nós vamos)
Ohhh now tell me now tell me now tell me now you know
(Oh, diga-me agora, diga-me agora, diga-me agora, você sabe)

- Como deveríamos ter feito depois daquele beijo? - ele perguntou mais uma vez, roçando seu nariz contra o dela.
- Sim, como deveria ter sido daquela vez. Me perdoe, mas eu não podia. Me perdoe, mesmo - ela disse, sentida.
- Podemos corrigir isso - ele disse, a erguendo no colo e conduzindo-a para o quarto.

Ela sorriu, e se beijaram mais uma vez, tirando o fôlego de ambos. Ela era tão linda, por Merlin. Ele se sentia capaz de ter o mundo nas mãos com Hermione tão ali, tão sua. Draco a olhou, e escorregando uma de suas mãos pela extensão do braço dela encontrou sua mão, levemente suada na palma, e então entrelaçou seus dedos com os dela. Ela sentiu o coração bombear tão rápido que achou ser capaz de infartar. Recuou, mas encontrou a parede a suas costas. Espalmou as mãos nela, numa tentativa de se escorar ali, as pernas bambas, os pensamentos descontrolados, ela de lingerie e Draco perfeitamente vestido. Fechou os olhos. Ele se aproximou.

Nada precisava ser dito. Draco a queria, Hermione o queria, era o suficiente naquele momento. Cada parte de seu corpo doía em resposta ao pensamento que imaginava o que aconteceria dali em diante. Ele a segurou e não a soltou mais, e ela se sentiu amparada, se sentiu abraçando o mundo, se sentiu poderosa. De repente ele precisou falar, como se ela pudesse não o entender.

- Hermione - sua voz era grave, potente e desarmadora - eu preciso de você - a beijou no vale entre os seios - eu desejo você mais do que tudo - deu-lhe outro beijo, dessa vez em um dos seios por cima do sutiã - eu realmente quero ficar com você essa noite - a olhou.
- Eu também quero que você fique essa noite, Draco - ela pediu, o tom era confiante mas tão cheio de desejo. 

O tempo parou por eles. Ninguém queria sair dali. Era um caminho sem volta, sem direito a arrependimentos. Draco caminhou com ela até a penteadeira e a pôs sentada ali, as pernas dela abertas, convidativas, o chamando mudamente pra se encaixar a ela. Mais outro beijo ardente, sem pudores, quase desrespeitoso. Ali perderam o ponto entre a razão e o desejo, e bem, estava bem daquela forma. O loiro levou as mãos até o fecho do sutiã de Hermione, e desabotoou tão devagar que ela achou que perderia as forças ali em seus braços. Ela permitiu que as alças delicadas caíssem pelos ombros, e ele soltou um gemido em resposta. Juntou os braços pra que a peça escorregasse por eles, e então olhou brevemente para o momento em que o sutiã se chocava com o tapete macio do chão do quarto. Draco perdeu o ar ao vê-la tão vulnerável, e tão incrível. Agora, mais do que nunca, ele compreendeu: a queria, sem volta. 

Ela sentiu o desejo dele por ela pulsar de encontro a ela, um combustível que levaria inevitavelmente a explosão. Draco beijou cada pedacinho de pele exposta, acariciou cada parte do seu corpo apreciando-o como uma joia rara, que lhe roubava o ar e o deixava sem chão. Ela puxou sua camisa por cima da cabeça dele e ele a ajudou a se livrar da peça. Queria contato direto, pele contra pele, pele em brasa queimando e formando feridas invisíveis que nunca teriam cura. O corpo de Hermione tremeu. Desabotoou o fecho da calça que ele usava, e foi ousada o bastante pra descer o zíper e deixar que seu olhar cruzasse com o dele. Ele sorriu com o canto dos lábios, apreciando a ousadia e habilidade das mãos da mulher. Que mulher.

As mãos dele passavam perigosamente pela parte interna das coxas dela, alisando, apertando, arranhando de leve. Ela sentia cada célula vibrar e se desesperar com cada toque ávido dele. Não conseguiria resistir por tanto tempo. Era tão errado, mas era tão certo. Mais certo do que respirar.

Not really sure how to feel about it
(Não tenho muita certeza de como me sentir sobre isso)
Something in the way you move
(Algo no seu jeito de se mexer)
Makes me feel like I can't live without you
(Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você)

Ela pediu mudamente pra descer da penteadeira, e o fez se despir da calça. Agora sim eles estavam no mesmo nível, e ela o guiou pela mão até a cama. Draco a girou e deitou por cima dela, acariciando cada parte do seu corpo que podia alcançar. Tomou os seios nas mãos, cabiam tão perfeitamente nelas que ele se sentiu em êxtase. era tão perfeita. Beijou-os, sugou-os, deleitou-se até fazâ-la implorar por mais. Não precisava, ela estava entregue, era dele. Desceu os beijos pela barriga firme, e com um olhar pediu permissão para o que ansiava fazer. Recebendo um olhar cheio de fogo, Draco tirou a peça que faltava. Com a boca. Ela perdeu o ar e sentiu o coração falhar muitas batidas. Amoleceu enquanto ele se permitia provar dela. 

Ela não pôde conter os gemidos que saíam involuntariamente da sua boca. Fincou as unhas bem feitas nos lençóis, levou a mão livre de encontro a nuca de Draco, puxou os fios loiros sem dó. Adrenalina. Ele não queria parar, enquanto não desse todo o prazer que ela merecia. Os quadris dela moviam-se num ritmo perfeito de encontro a ele. Passos não decorados. Não ensaiados. Apenas ela, ele e o instinto. 

Hermione chegou ao céu e tocou as nuvens. Amoleceu nos braços dele, mas ela sabia, era só o começo. E ela pensou que morreria, de tão fraco que sentia seu coração bater contra o peito. Ela quis chorar de alegria. Ofegante. Ele queria muito mais dela, e ela daria. Ela o desejava desesperadamente, e ele estava disposto a lhe dar tudo. Naquela noite o céu estava muito longe de ser o limite.

continua

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por MaisQuePleura em 03/03/2013

Uau! Arrebentou com esse capítulo!
Quero mais!!!!!!
Beijos 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.