FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Capitulo Cinco


Fic: Alugando Hermione Granger III - Epílogo ON- Dramione


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hey gente, sei que devo explicações, então vamos lá! Nos ultimos 15 dias eu fiquei MUITO doente! Sinusite, Rinite, Gripe, Dor de Dente... e qualquer outra coisa que eu tenha esquecido de me lembrar! Passei realmente mal... e não tinha condições de postar. 
E não, eu ainda não sei o que eu tenho no braço... =/ Não tive tempo para marcar  exame e pans... então, vou ter que me limitar novamente ao tamanho do texto e tals. Mas bem, temos uma evolução, consegui responder todos os reviews! ;) 

Espero que voces gostem do capitulo!! *--*

Agora vamos aos reviews!!  


jacqueline barbosa pinho: Que bom que voce gostou!! *--* 3 dias? Ow... a fic é grande, mas não sabia que estava tão grande assim! hehehe. Espero que goste do novo capitulo. Beijos.


Natália Jane: Ah, sabe como é neh? Somos profissionais nesse tipo de coisa! rsss. Então, sim, os capitulos continuam sendo poostados na 6 feira, o problema é que eu estive absurdamente doente durante 15 dias! =/ Então, nem consegui postar! Sorry. Beijos.


Isabella helena: Aqui está! Divirta-se!! *--* Beijs.


nana-moraes Malfoy: Espero que o capitulo cure sua crise de ansiedade! hehehe! Beijos.


Jaque Granger Malfoy: Voltei a responder, porém tenho que me limitar apenas algumas frases, porque depois náo consigo levantar, sequer meu notebook... e sim, ainda não sei o que eu tenho. =/ Com o trampo novo nem tenho tido tempo de me cuidar. rss. Mas, espero que logo logo eu consiga fazer os malditos exames e pam! Descobrir o que eu tenho!! Muito obrigada pelo carinho, sério mesmo!! E tenho que admitir que o seu review é um dos que eu sempre espero para ler!! =D Espero que goste do cap!! Beijs.


nataaalia: Infelizmente voce precisou esperar um pouco mais do que 15 dias... mas prometo compensar vces!! Espero que goste do cap!! Beijos


sonimai: Nossa, voce acha que nós somos assim tão más? O.o hehehe. Beijos.


Barbara Rosier Malfoy: Espero que voce goste do capitulo, e mate um pouco da curiosidade!! Beijs.


Belikac: Ok, eu também não iria querer! rss. Espero que goste do novo capitulo! Beijos.


carolzocas: Seja muito bem vinda!! Espero que acompanhe a fic até o final!! Beijos.


Kési Ridle Krum: Eu vou postar De Repente pai o mais rapido possivel. Desculpe pela demora!! =/ Espero que goste do novo cpaitulo!! Beijos.


annalimaa_: Que bom que voce gostou d capitulo!! E me perdoe pela demora!! Beijos.


Landa MS: Gente, voce quer me ver uma brava? Alguém levantar a voz pra mim (com exceção dos meus pais)... homem nenhum fala alto comigo! rss. Bem, mas vamos deixar minha personalidade de lado, certo?! Espero que goste do novo cap!! Beijs.


Carool Black: Que bom que voce gostou!! Gosto quando as coisas ficam reais! hehehe. Beijos.


Hermione Black Malfoy Riddle: Bem, eu não posso prometer nada, neh?! Beijos.


Gabriela G. Potter: Se a Gina se casa com o Harry? Pode ser que sim, pode ser que não! rss. Bem, voce vai ter que ler para descobrir! hehehe. Sou má, neh? hihi. Beijos.


the: Que bom que voce gosta!! Ahhh, os capitulos já estão concluidos... entãoo, fica complicado aumenta-los... =/ Espero que goste do mesmo jeito. Beijos.


MaisQuePleura: O que aconteceu com o seu nick?! O.o Vou olhar sim, fiquei curiosa!! Espero que goste do capitulo!! Beijos.


Natália Jane: Relaxa, ainda vai ter muito o que acontecer... com a duquesa no meio, obviamente! =D Ta, melhor eu ficar quietinha! hehehe. Beijos.

Beijos
Angel_S

---***--- 

 


Annelise adentrou em seu quarto já se desfazendo do casaco e da echarpe que usara para sair com Hermione, o tempo em Londres parecia cada vez mais instável e não se podia prever quando finalmente começaria a esquentar, ou se o calor duraria. Parecia que não.


Fechou a porta atrás de si sem fazer barulho e jogou seus pertences sobre a poltrona mais próxima, com um suspiro pensou em como estava bem vivendo ali com seu irmão, passava as manhãs e tardes no internato, no fim da tarde um dos motoristas de Draco ia buscá-la e a levava de volta a instituição na manhã seguinte, isso era o que mais a agradava, essa liberdade de poder ir e vir, não ter de ficar presa naquele lugar onde estivera durante a maior parte de sua vida. Durante as manhãs tinha aulas normais, como em um colégio comum, e pela tarde eram as aulas especificas da nobreza, como ela mesma gostava de debochar, bons modos, etiqueta, inclusive moda lhes era ensinado, tudo para que no futuro que as aguardava, jamais passassem vergonha.


Presa em seus próprios devaneios demorou a se dar conta da outra presença em seu quarto, quando seus olhos encontraram o corpo magro e visivelmente abalado de Harry, seus olhos se arregalaram e sua boca se abriu em um grito mudo.


 


- O que você faz aqui? – perguntou de forma ríspida.


- Anne... – ele sussurrou seu nome com aquele carinho tão característico que fazia seu corpo inteiro estremecer, respirando fundo Annelise manteve seu olhar firme, não iria ceder. Não iria ceder. Não podia ceder.


- Já lhe disse que não quero suas desculpas – disse ela rapidamente ainda ríspida. Harry suspirou com um leve manear de cabeça.


- Vim aqui porque quero conversar com você – disse ele de forma calma.


- Eu queria conversar ontem, e anteontem, e antes disso... Onde você esteve? Porque no baile fiquei feito uma idiota esperando você aparecer! – descontou sua raiva nas palavras que cuspia na cara de Harry. – Então agora quem não quer sou eu, eu tentei Harry, diversas vezes tentei conversar com você. Agora fui eu quem cansou.


- Estou arrependido – disse ele tentando se aproximar, mas Annelise rapidamente se esquivou.


- Isso não muda o que você não fez – retrucou ferina. – Agora, por favor – disse ao se aproximar da porta – nós não temos nada para conversar.


- Temos sim – disse com a voz firme, o que a fez arregalar os olhos.


 


Por mais instável que fosse o humor de Harry, jamais havia lhe falado de forma tão dura e decidida.


 


- Quem você pensa que é para vir a casa da minha família e ainda achar que pode falar comigo do jeito que quiser?! – esbravejou ela com as costas rente a porta, que permanecia fechada.


- Estou tentando consertar as coisas, Anne – disse de forma decidida e se aproximou, ficando com seu corpo quase colado ao dela. Apoiou as mãos sobre a porta não dando chance para ela escapar. – Preciso de você, mais do que nunca.


- Do que você está falando? – vacilou ela.


 


Odiava olhá-lo nos olhos justamente por isso, pensou Annelise.


Estava furiosa pela falta de resposta, pela ausência, por ter sido ignorada por ele... Estava furiosa e queria fazê-lo sentir na pele o que ela sentira ao ser deixada de lado. Mas então Harry a olhava daquela forma, o cabelo ruivo levemente comprido caia sobre sua testa, seus olhos azuis brilhando para ela – apenas para ela e com ela, pois Annelise mesmo já havia percebido o quão opaco eles pareciam em qualquer outro momento.


E não havia como resistir.


 


- Quero ser um bom marido para você – começou ele com a voz rouca. – Sei que não estou fazendo nada certo nas últimas semanas, e não tens ideia do quanto me arrependo, mas tem sido mais forte que eu...  Pensei inclusive em terminar de uma vez com você, não quero vê-la sofrendo, mas eu amo tanto você... tanto, tanto, tanto – disse passando uma mão sobre a bochecha de Annelise, quem o encarava de forma estática, os olhos azuis fixos nele, seus lábios levemente separados. – Você sabe do meu problema com drogas e bebidas, você sempre soube e nunca me julgou por isso, e a isso eu sou grato... Você tentou me fazer ver o que estava bem na minha frente....


- Eu só queria o melhor para você – sussurrou ela.


- Eu sei, sei disso agora – confessou ele. – Vim aqui falar com o seu irmão, afinal quando mais novo Draco não era assim tão diferente de mim – suspirou. – Vim aqui pronto para dizer tudo a ele e sair, eu disse a ele que deixaria você em paz, mas seu irmão sabe o que é melhor para você, mais do que eu pelo menos...


- O que você fez? – perguntou ela com a voz presa, parecia ter um nó em sua garganta.


- Vou ficar fora por algumas semanas, resolvi me internar em uma clínica de recuperação, eu venho tentando lutar contra a bebida e as drogas, mas sozinho eu não consigo, por isso amanhã eu parto...


 


Por um instante encararam-se sem nada dizer, não sabiam como prosseguir.


 


- E onde eu fico nessa decisão? – ela tomou forças para questionar. – Onde nós ficamos?


- Eu estava pronto para sumir sem que você soubesse, mas Draco me fez enxergar que só seria pior, assim eu só machucaria você ainda mais. Não é isso que eu quero, de maneira alguma, eu nunca quis machucar você...


- Então? – questionou ela piscando diversas vezes, as lágrimas ameaçavam irromper em seus olhos.


- Espero que você esteja comigo nessa, que você possa me apoiar – desabafou. – Sei que tenho sido péssimo para você, mas prometo, querida, prometo que vou melhorar, nunca mais irei destratar você dessa maneira – disse acariciando seu rosto. – A verdade é que eu a amo tanto que não sabia mais como agir nem reagir.


- Diga exatamente o que você quer de mim – pediu ela.


 


Harry já havia pedido antes para ficarem juntos, e dera nisso. Com o coração apertado Annelise cravou os olhos nos dele e esperou ansiosa por uma resposta.


Queria ouvir dos lábios de Harry que ele a queria lá. Não só o seu apoio, mas sim a sua presença, o seu carinho e o seu amor.


 


- Preciso de você comigo – pediu ele. – Sei que você tem aulas, tem seus compromissos, não estou pedindo para você se mudar para mais perto nem nada disso, principalmente porque por alguns dias vou ficar incomunicável, isso faz parte do processo... Mas preciso de você lá, há alguns dias destinados a visitas, é isso que eu quero de você. Quero que você vá me encontrar quando for permitido, preciso de você lá. O seu carinho, o seu amor, isso é o que está me dando força e coragem para ir até lá enfrentar o vício, mas sozinho sei que não vou conseguir.


- Harry...


- Sei que estou pedindo muito de você, você viu como Draco ficou abalado pelas drogas, eu mesmo já a distratei tantas vezes e sei que, no momento, não mereço nada disso. Mas, por favor, preciso de você – os olhos azuis de Harry estavam cristalinos pelas lágrimas, isso apertou ainda mais o coração de Annelise, jamais o vira tão frágil antes.


- Eu não poderia estar em outro lugar – sussurrou ela. – Por mais que eu quisesse lhe maltratar, descontar toda a minha frustração dos últimos dias em cima de você, não posso fazer isso... Amo você demais, Harry. Estarei lá quando você precisar, sempre, sempre, sempre.


 


Com ganas Harry a pegou no colo e colou seus lábios aos dela, explorando sua boca com a língua, prensava-a contra seu corpo e se pudesse nunca mais a soltaria.


 


- Quando eu estiver melhor, poderemos começar a ver as coisas para o casamento – provocou ele e Annelise riu maneando a cabeça.


- Não tão cedo, querido.


 


Rindo ele a pôs de volta ao chão e a abraçou, era essa certeza que compartilhavam que lhe dava forças, sabiam que eram um do outro, por isso não tinham pressa, havia muita coisa a ser feita antes de pensarem em se casar, isso não significava que se amavam pouco, mas sim que se amavam tanto que não havia dúvidas, eles ficariam juntos.


 


 


 


Já era tarde da noite quando Draco voltou para casa, exausto e visivelmente abatido.


 


- Alguma notícia da senhora Hermione? – Draco perguntou com a voz arrastada pelo cansaço.


 


Por horas estivera vagando pela cidade atrás dela, percorrera todas as possíveis ruas em que Hermione poderia ter se metido, inclusive ficara na frente da casa dos pais dela por um bom tempo, tinha certa esperança de que motivada por seu discurso – que havia ido além dos limites, ele agora reconhecia – ela tivesse ido até os pais. Mas se enganara.


 


- Ela acaba de retornar – informou a serviçal. – Íamos ligar para o senhor nesse exato momento, mas então o porteiro avisou que o senhor entrara com o carro – informou sem olhá-lo nos olhos.


 


Draco não perdeu tempo com respostas a uma simples serviçal, subindo os degraus de dois em dois correu até seu quarto e soltou o ar – que nem se dera conta de estar prendendo – quando viu Hermione deitada sobre a cama, ainda vestia a mesma roupa e tinha o cabelo solto caindo sobre os ombros.


Ao ouvir a porta abrir, Hermione rapidamente se virou para ver quem entrava, e ao deparar-se com Draco, ficaram ambos sem saber o que dizer.


Ele fechou a porta com calma e se aproximou da cama, ela se retraiu com a sua presença e isso foi como um soco no estômago para Draco. Passou a mão pelo cabelo loiro penteando-o para trás, um gesto típico de quando estava nervoso. Sentou-se na beirada da cama e esticou uma mão para ela, que não segurada.


 


- Desculpe, Herms – suplicou ele. – Sei que passei dos limites essa tarde...


- Você foi além disso, Draco – retrucou ela magoada.


- Desculpe, Herms – repetiu ele aproximando-se um pouco mais. – Assim que gritei com você, no mesmo instante gostaria de ter retirado o que lhe disse, mas você saiu correndo... Onde esteve o dia todo? Quase me matou de preocupação, rodei essa cidade inteira atrás de você.


- Você não poderia ter retirado o que disse, e mesmo que pudesse, não magoaria menos – respondeu ela. – Nós já tivemos essa conversa tantas e tantas vezes, Draco. Concordamos que respeitaríamos nossas opiniões sobre nossas famílias, você tem uma família horrível, Draco, eu também, concordamos em aceitar e superar isso...


- Sua família não é horrível – ele a interrompeu. – Seu pai fez algumas escolhas ruins, fez, mas dificilmente isso enquadraria toda a sua família como horrível.


- Draco – murmurou ela num pedido. Não queria mais uma vez discutir sobre isso.


- Só queria que você entendesse que eu não estava pedindo nem forçando você a fazer as pazes com eles, não estava dizendo que temos de frequentar a casa deles ou sequer vê-los com alguma frequência... Só gostaria que eles soubessem do neto – disse Draco de forma sincera.


- O que você fez foi comparar todos os estragos da sua família com o que deu errado para você, sei que não quer que nada dê errado para o nosso bebê, mas dificilmente a falta de convívio com os meus pais causaria isso... Pelo contrário, acredito que só ajudaria.


- Não vejo só por esse ponto de vista – admitiu Draco. – Por mais que eu gostaria de dizer que concordo com você, porque acredite, dias atrás eu assinaria embaixo no que você está dizendo, mas os últimos acontecimentos, minha mãe, a doença do meu pai, descobrirmos o sexo do bebê, até o problema do William com a Catherine, me fizeram repensar algumas coisas... Sei o quanto você já foi apegada aos seus pais, e sei que, se um dia você voltar a falar com eles, vai se arrepender de tê-los privado do conhecimento de terem um neto.


 


Com um suspiro Hermione moveu a cabeça, ouvindo calada.


 


- Tentei fazer você entender da forma errada, já entendi isso, mas só fiz porque me preocupo com você... Você pode não tê-los perdoado, mas isso não significa que você não os ama – concluiu ele.


- Meses atrás eu diria que você era incapaz de pronunciar tais palavras – murmurou ela, não querendo lhe dizer que concordava com o que ele tinha dito, não queria lhe dar razão.


- Eu também – sorriu. – Mas fiquei pensando que se fossemos nós nessa situação, uma filha que não nos leva em consideração nem para contar que vai ter um filho, eu não me sentiria bem...


- Nem eu – resmungou. – Mas eu também não faria o que eles fizeram...


- Nós não vamos, lembra? Aprendemos com os melhores o que não devemos fazer! – riram juntos.


 


Hermione não lhe disse mais nada, apenas estendeu uma mão para Draco, que a segurou sem pestanejar, ela puxou suavemente e ele sorriu, ergueu-se um instante para retirar o pesado casaco que ainda usava e chutou os sapatos para longe, para logo deitar-se ao lado dela na cama. Abriu os braços puxando-a para seu abraço, que ela aceitou de bom grado.


 


- Tudo que você falou – começou Hermione com cautela. – Você gostaria que os seus pais houvessem dito antes sobre a doença do Lucius? – questionou ela.


- Não – respondeu ele rapidamente. – A doença dele é a notícia exatamente oposta a que vamos dar aos seus pais, enquanto nós vamos alegrá-los, saber qual a doença que consumia meu pai só abalaria a família. Ou não – suspirou – digo, era bem óbvio que ele não estava bem, principalmente depois que ele disse que me passaria o cargo no parlamento... Oficialmente só terei o título quando ele falecer, mas o cargo, não é sempre que acontece isso, a maioria deles prefere ficar até seu último dia naquele parlamento.


- Seu pai não teria forças...


- Além do mais, nunca houve um vinculo mais forte entre nós que fosse me comover tanto assim, claro, ele é meu pai e vou chorar sua morte quando o dia chegar, mas sinto que não ficarei tão abalado quanto deveria. E a verdade é que isso foi ele quem pediu – deu de ombros.


- E sua irmã, ela disse alguma coisa? – perguntou Hermione. – Passamos a tarde passeando, conversamos sobre uma coisa ou outra, mas quando se trata da sua família, Annelise não quer falar nada.


- Acho que ela imaginou que seria diferente sua saída de casa – confessou Draco. – Digo, minha mãe não se mostrou abalada, nem meu pai, por ela estar saindo de lá, pelo contrário; mas em uma coisa serviu – deu um risinho – minha mãe começou a repensar sobre casar Annelise e Harry.


- Como assim? – questionou Hermione com o cenho franzido.


- A princípio para ela era o ideal, quando os dois ficaram conformados com a ideia, passaram a se ver, segundo a mente distorcida de minha mãe isso estragaria a união, pois para ela casamentos são um negócio, nada que envolva sentimentos... Mas agora a sociedade londrina sabe que Annelise está morando aqui, conosco, e que Harry vem visitá-la, naturalmente comentários surgiram...


- Do jeito que você fala parece que estamos de volta ao século XVIII, quando uma garota jamais poderia receber a visita de um homem e tudo mais – disse Hermione com o riso preso. – Algumas vezes penso que por mais que eu tente entender essa realeza, não dá. É irônico que a Inglaterra queira se aparecer na União Europeia mostrando suas conquistas e desenvolvimento, mas quando se trata das pessoas que vão governar esse país, tenha um discurso tão ultrapassado.


- Enquanto Elizabeth estiver no trono, e se Charles chegar a assumir depois dela, teremos esse pensamento por um longo tempo – disse Draco compartilhando do mesmo pensamento dela.


- Isso me fez pensar em algo – disse Hermione um minuto depois com um sorriso nos lábios que fez Draco franzir o cenho. – Com quem sua mãe planejava seu casamento? Pansy Parkinson tem a idade de Annelise, aposto que isso é recente... Quando você era mais novo, quem era a noiva ideal? – questionou ela.


- Acredito que você não chegou a conhecê-la ainda, e hoje ela já é casada – Draco disse dando de ombros. – Era a neta da rainha Zara Anne, ela é filha da Princesa Real – completou ele.


- E por que vocês não se casaram? – questionou ela sem se deixar abalar.


- Por que essa curiosidade agora? – questionou ele com o cenho franzido.


- Só curiosidade – deu de ombros. – E se ela já é casada, não preciso ter ciúmes, lidar com Catherine e Pansy já é o suficiente, queria saber logo se mais alguém seria adicionada a lista... Além, é claro, de todas as suas parentes recalcadas que se arrastam para cima de você – completou ela revirando os olhos.


- A família de Zara teve muitos problemas, ela tem uma meia irmã que é filha de uma das amantes do pai, sua mãe resolveu que o marido não iria receber nenhum título, assim, por consequência Zara também não tem, mesmo sendo a décima quarta na linha de sucessão, os problemas não compensariam... Além do mais, segundo as contas de minha mãe, ela só iria dificultar a minha ascensão ao trono – disse com ironia e Hermione gargalhou.


- Sua mãe realmente acredita que um Malfoy chegará ao trono? – questionou Hermione com a boca entreaberta.


- Acredita – suspirou. – E com a dificuldade de Catherine para engravidar, só me ocorre que minha mãe passou a concordar novamente com Annelise ficar com Harry por fantasiar que sua filha chegará ao trono...


- Isso é possível mesmo? – Hermione franziu o cenho. – Pelo tempo que a Rainha Elizabeth está no comando, Annelise e Harry terão de ter uma longa, muito longa, vida – riu baixinho.


- Se a saúde da rainha for de família, não será problema – riu Draco.


 


Rindo Hermione se acomodou nos braços dele.


 


- Você já quis ser rei? – ela perguntou depois de um instante em silêncio.


- Nunca – ele deu de ombros. – Tudo por causa de William – confessou. – Quando éramos garotos, nós combinamos que ele seria o rei e eu seu Primeiro Ministro, foi o cargo mais ambicioso que eu já desejei – ele riu. – Mas na época era muito mais brincadeira e ilusão de dois garotos.


- Se William o chamasse, você iria? – perguntou Hermione ficando séria de repente.


- Iria – respondeu sem pestanejar. – Aceitaria em consideração a ele, aceitaria porque tem realmente muita coisa a ser mudada nesse parlamento e só os cargos mais altos podem fazer isso... Mas não é algo que me chame tanto a atenção nem me tire o sono pensando nisso, estou bem no cargo que tenho, tenho tempo para você e para o bebê, cargos maiores trazem mais responsabilidade... Além do mais, todo o estresse de eleições – maneou a cabeça – estou bem assim.


- Mas ter o apoio do Rei – disse ela – hipoteticamente, já garantiria uma boa vantagem a você, até porque o povo parece simpatizar com William, muito mais que com o pai dele.


- Como se pode simpatizar com Charles? – questionou Draco movendo a cabeça. – O homem é uma parede inabalável, nem quando Diana morreu ele sofreu – murmurou. – Eu era pequeno na época, mas me lembro bem, William e eu ficávamos ao redor de Charles o tempo todo, mesmo antes do que aconteceu, ele era como o exemplo que deveríamos seguir... Quando as discussões começaram porque Diana queria se divorciar, foi o caos no Palácio, mas continuamos por perto de Charles. Quando Diana morreu, ele fez a cena que deveria fazer para o povo, mas dentro do Palácio, tanto ele quanto Elizabeth, o próprio Tony Blair inclusive, eram todos insensíveis, luto para eles foi só uma fachada.


- Onde você quer chegar? – questionou ela com o cenho franzido.


- O poder sobe a mente das pessoas, Elizabeth se faz passar por uma senhorinha simpática, mas a mulher tem pulso firme e uma mente e tanto, acredito que só não superou a própria dama de ferro, a Margaret... Ela criou o filho da mesma maneira, e acredito que William e Harry só são pessoas melhores pela breve influência que tiveram de Diana nos primeiros anos, mas que foram decisivos.


- E ousam comparar Catherine a ela – resmungou Hermione e Draco gargalhou.


- Algumas vezes penso que bem fez meu tio ao abdicar de todos os títulos, aceitou parte de sua herança e foi tocar sua vida longe dessa sujeirada.


- O pai de Vincent?


- Ele mesmo – disse Draco.


- Você teria gostado de conhecer a Lady Di – Draco disse minutos mais tarde, quando estavam abraçados na cama debaixo das cobertas, prontos para dormir.


- É? – ela perguntou com um sorrisinho.


- Não me lembro tanto dela quanto eu gostaria, mas ela era bela e boa... De verdade. Ela cuidava dos filhos com um carinho único – contou Draco. – E a forma como você vem agindo na gravidez, todo seu zelo e o amor incondicional por esse bebê antes mesmo dele nascer – disse tocando carinhosamente sobre o ventre que já salientava – você sim deveria ser comparada a ela...


- Por mais honroso que seria isso, não almejo ser comparada a ninguém – ela disse pondo a mão junto a de Draco sobre seu ventre. – Quis cursar direito por isso, para fazer o meu nome, para mostrar que por conta própria eu posso fazer as coisas – suspirou. – De qualquer forma, isso ficou para trás.


- Você vai terminar sua faculdade – Draco interrompeu-a.


- Mas nunca mais serei conhecida por quem eu sou, mas sim por assimilação a você, a nobreza, aos Malfoy’s... Acredite, já me conformei nem me incomodo com isso, fiz essa escolha... Foi só um comentário que me veio a mente agora – deu de ombros.


- Sinto que as coisas tenham de ser assim, mas realmente – suspirou. – Enquanto ser associada a mim pode abrir muitas portas, também pode lhe causar muito problema ou ofuscar seu brilho...


- Posso me conformar em brilhar nessa casa – disse ela com um risinho. – Nunca pensei que seria assim um dia, mas, no momento, me importo muito mais em fazer nossa relação dar certo, em cuidar bem do bebê, que ser uma advogada de renome... É a primeira vez que realmente acredito que isso pode esperar.


- Mas vai acontecer – Draco lhe garantiu. – Ainda vou ouvir falar muito de você – ele sorriu e ela riu.


- Você está é querendo me agradar – ela disse dando-lhe um leve tapa, que fez os dois rirem.


- Sei do que estou falando – respondeu ele fazendo charme e lhe deu uma piscadinha.


- Veremos – disse dando de ombros.


 


Pela primeira vez sentiu seu coração leve ao tocar nesse assunto, semanas antes sentir-se-ia doída ainda por não poder concluir seu grande sonho, Cambridge, chegara tão perto para morrer na praia, mas agora via e aceitava que assim era melhor.


E como Draco uma vez lhe dissera, ele estaria no parlamento e, ainda que fosse por debaixo dos panos, ela poderia fazer muita diferença no sistema.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 13

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 26/06/2013

Amando!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por SweetAngel33 em 01/04/2013

Fico feliz que Mione e Draco tenham se acertado. Não gosto de vê - los brigados. É... triste.
E pelo Harry e Anne também! Eles formam um casal perfeito, fala sério. Só não batem o casal Dramione, claro! (kkk')
E que história, hein? Essa nobreza... Vai entender!
Arrasou no cap! Perfeito!
Beijinhos! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por annalimaa_ em 08/03/2013

Me desculpe você, o terceiro ano está me matando, nem no computador entro mais. Eu acho a relação deles muito bonita, fico feliz por Harry ter pedido a ajuda dela e ela ajudar, ela faria qualquer coisa por ele e sei que ele faria o mesmo por ela. Eu sei que ele não deveria ter gritado com ela, mas ela está adiando uma coisa inevitável e sabe disso. Narcisa é mesmo um carrasco. Draco seria o primeiro ministro mais lindo de todo o Reino unido. Beijos, Ana.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Carool Black em 27/02/2013

Essa Hermione só da susto mesmo! Pelamor! u-u Mas adoro quando eles se acertam, é muito fofo! Mas ainda concordo com Draco, ela tem que contar logo, não pode privar os avós do neto, por mais errados que eles foram no passado.

Coisa fofa a Anne e o Harry! Estou tão feliz por eles que nem da pra comentar! Espero que ele melhore logo!

E onde estão Ginny e Potter?! Deram uma sumidinha, mas isso é super compreensível!

Aaah, melhoras pra ti amigs, não espra piorar, vai no médico logo e fique bem boa pra postar um monte de capítulos e sair pulando por aí de alegria com os coments! kkkkkk

Ansiosa pelo próximo! *-* Beijos e até!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Natália Jane em 25/02/2013

Já tava aflita pensando que vocês tinham desistido da fic!
Me tira uma dúvida, aqui no  F e B só vc posta? Porquê no Nyah postavam vcs duas e aqui eu só vejo vc postando, se fossem vcs duas revezando seria melhor até por conta da sua saúde né.Meu conselho: nemhum trabalho justifica não procurar ajuda médica, vá procurar pra que o problema não se agrave e eu falo com conhecimento na causa pois minha mãe já passou por isso.

Puchões de orelha a parte, o Draco é muio lindo mesmo né, ele é muito fofo e quer que o filho tenha pelo menos os avós maternos, já que com seus pais não pode contar.Mesmo que os pais da hermione tenham cometido erros e que ela até hoje não os tenha perdoado realmente, ele sabe que ela os ama e não quer tirar a presença deles da vida do neto.

E o Harry  e Anne espero que permaneçam unidos nessa nova fase da vida dele, pois ela foi e é  o motivo por ele ter procuarado se tratar.Espero que eles tenham um final feliz como a Mione e o Draco.

Agora por último e não menos importante, o que vem por aí em, por favor que a Kate não venha aprontar e nem ficar grávida, ela merece isso por tudo que ja fez! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Suzana G. Potter em 25/02/2013

oun *-* que dois caras mais maravilhosos?? Só tem na Inglaterra mesmo??

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Anna Malfoy em 24/02/2013

por um momento ive medo que eles sofressem algum acidente, mas que bom quet tudo passo e está bem =)

Nem preciso comenta o quant amo essa fic

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por the em 23/02/2013

ownt.... adorei as reconciliações .... 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por sonimai em 22/02/2013

sinto muito por seus problemas de saude,mas como minha mãe diz....se esta doendo é sinal que esta viva,hehehe.........quanto ao cap,ameiiii que o Draco e a Hermione se entenderam,e ameiiii o Harry todo humilde pedindo apoio a Anne,e espero que a Kate não engravide,hehehe

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Barbara Rosier Malfoy em 22/02/2013

Ooi 
A Kate vai conseguir engravidar??? O que ela vai afzer quando souber que a Mione está grávida ??
Bj 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por MaisQuePleura em 22/02/2013

kkkkkkkkk Só coloquei igual ao do twitter, rs. Muita gente estranhou, mas é uma palavra tão comum pra mim...
Gostei muito do capítulo, ainda bem que Draco e Hermione se entenderam. Não gosto deles brigados.
Harry pedindo apoio pra Anelise foi demais. Ela vai com ele?
Quando Draco/Hermione vão assumir ao outro que se amam? Tá que ele "falou" quando ela estava praticamente dormindo, mas não foi a mesma coisa.
Ansiosa por mais capítulos e o desenrolar dos acontecimentos.
Beijos 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tha em 21/02/2013

Achei excelente essa capítulo! Gosto das conversas inteligentes dos dois! E você melhoras, hein, mocinha? Beijo!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Gabriela G. Potter em 21/02/2013

Estou adorando. Eu nem vou comentar muita coisa porque não 
sei o que dizer, então estou só dando um alô.
Meu quero saber se essa é a última temporada ou se vão haver outras. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.