FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. irmandade.


Fic: New Age


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Roma.


Com dez anos de idade, Harry Potter, um bruxo-Esper, estava deitado em uma cama na capital da Itália. Próximo a ele identicamente nu uma mulher que parecia ter vinte e sete anos com cabelos ruivos dormindo profundamente. A mulher era Lilian Lirius, irmã mais velha de Harry. Enquanto ela dormia Harry gentilmente acariciava seus cabelos com uma mão e acariciava sua barriga e seios com a outra.


Alguém poderia pensar que Harry se sentia culpado por suas ações,ou vergonha, do que ele estava fazendo com sua própria irmã. Mas o fato era que ele não era, e ele sabia que Lilian iria querer que ele faça isso, e muito mais, para ela, mesmo se ela estava dormindo e não poderia apreciá-lo plenamente ela mesma. Contanto que isso o fez feliz, ele poderia transar com ela enquanto ela dormia e ela não se importaria. Foi exatamente como ela era, ele poderia fazer qualquer coisa para ela, e ela iria adorar.


Para uma pessoa normal isso teria sido estranho, o nível absoluto de devoção para a felicidade de Harry poderia ser comparada a um pequeno e demente elfo doméstico, de vez em quando, mas uma coisa sobre Lilian era que ela não era normal. De fato, até cerca de nove horas atrás, ela não iria se submeter a ninguém e orgulhosamente pisar em quem tentasse. Afinal ela era uma súcubos, uma das filhas de Lilith.


Harry suspirou ao lembra-se de sua reunião há alguns dias atrás.


{flashback}


Harry soltou um longo suspirou entediado. Já se fazia quase uma hora desde que ele havia chegado à casa de sua irmã na Itália, desde que chegou uma das empregadas o havia levado a uma sala onde ele esperaria por uma reunião com sua irmã.


A sala onde estava era simplesmente luxuosa, vasos caríssimos, belas tapeçarias, quadros de belas mulheres nuas em posições sensuais ao redor com belas molduras douradas, vários belos sofás de couro negro, um belo e grande lustre de diamantes no teto, pequenas mesas de madeira polida, espalhadas pela sala, paredes lisas pintadas em tons leves de vermelho, tudo isso em uma enorme sala com piso de mármore branco. A sala assim como a casa esbanjava riqueza e luxo, bom oque era de se esperar de uma súcubos ainda mais sua irmã.


Harry se perguntou se ele havia tomado à decisão certa de vim atrás de sua irmã súcubos primeiro, com certeza seus sobrinhos lycans ou vampiros foram muito mais fáceis de lidar. Mais e sua irmã? . Ele havia viajado ate a parte mais rica de Roma atrás da casa de sua irmã, é claro que foi fácil de encontrar afinal era difícil não ver uma mansão gigante mesmo que em um bairro rico.


Quando ele havia batido uma bela morena o havia atendido perguntando quem ele era e oque queria, explicando rapidamente quem era e o motivo da visita ela o guiou ate essa sala onde ele deveria esperar sua irmã trocar de roupa e então ter sua reunião. Mais como diabos alguém demora uma hora apenas para trocar de roupa ele nunca iria saber.


Harry foi tirando de seus pensamentos ao ouvir o som da porta a lado abrir. Dela saiu uma bela mulher morena. Ela usava apenas uma saia de empregada curta o suficiente para dar uma boa visão da calcinha branca por baixo, um top cobrindo apenas os seios e uma coleira feminina no pescoço.


– Mestre Harry, a Mestra Lilian esta pronta para a reunião. Disse educadamente, com a cabeça baixa. - Por favor, me siga. Disse saindo pela porta.


Harry suspirou novamente, enquanto seguia a mulher pelo corredor da mansão, ele sabia que súcubos eram bem mais desinibidas que a maioria dos seres mais fazer uma empregada andar praticamente nua era realmente necessário? . Não que ele estivesse reclamando ou algo parecido na verdade ele faria o mesmo, mais ainda assim, ver e não tocar é uma puta duma merda.


– Nós chegamos. Por favor, siga em frente a mestra o aguarda. Disse abrindo uma porta de madeira.


Assim que entrou Harry se deparou com uma bela sala quadricular, a sala tinha varias pinturas de uma única mulher de cabelos ruivos e olhos dourados. A sala era decorada com poucas almofadões vermelhos espalhados, uma cama queen-size no lado direito da sala com lençóis vermelhos.


– Vejo que gostou da decoração do meu quarto irmãozinho. Disse uma voz feminina o fazendo olhar na direção dela. No canto esquerdo perto de uma sacada sentada confortavelmente em uma cadeira em uma mesa de madeira, era uma linda mulher ruiva. Seus cabelos eram longos caindo em cascata ate abaixo dos ombros, os olhos eram castanhos claros quase dourados, ela estava nua com apenas suas quatro asas cobrindo suas partes, em seu pescoço usava um cordão simples de couro com uma rubi, com brincos iguais, e ela usava uma sandália estilo gladiadora. – Pelo seu olhar o quarto não foi à única coisa que prendeu sua atenção. Comentou sorrindo sensualmente.


– É realmente difícil não admirar tal beleza, minha querida irmã. Disse sorrindo se sentando em uma cadeira a frente dela. – Afinal apenas um cego não poderia ver tal beleza.


– Meu, meu, parece que meu querido irmãozinho é um cavalheiro britânico. Brincou sorrindo. - Mas tanto quanto eu amo elogios de homens ou mulheres eu tenho certeza que a um motivo por trás de sua visita. Estou certa?


– Na verdade esta completamente errada irmã. Disse sorrindo fazendo a súcubos estreitar os olhos. – Eu realmente vim aqui apenas para conhecer você.


– Então você veio ate Roma apenas para me conhecer? Perguntou levantando uma sobrancelha. – Sem favores, pedidos, ou segundas intenções? Apenas me conhecer?


– É tão difícil assim de acreditar? Perguntou sorrindo de canto.


– Bem digamos que nunca nenhum de nossos irmãos e irmãs visitam os outros sem um bom motivo. Disse antes de tocar um sininho fazendo uma empregada aparecer na porta. – Emmily traga um pouco de chá para min e meu irmão. Ordenou.


– Sim mestra. Disse saindo pela porta.


– Então, qual é a das empregadas? Quer dizer quem elas são? O moreno perguntou curioso.


– Bem querido irmãozinho, elas são algumas súcubos que me servem ao longo dos anos. E a proposito meu nome é Lilian, Lilian Lirius. Apresentou-se casualmente.


– Perdoe minha indelicadeza irmã. Mas meu nome é Hadrian, Hadrian Griffith Potter, mas me chame de Harry. Se apresentou um tanto constrangido pela sua falta de maneiras, algo que ele decidiu que iria mudar futuramente.


– Bem Harry já que você veio apenas para me visitar que tal passar a noite aqui. Perguntou sorrindo perversamente. – Afinal assim podemos nos conhecer muito melhor. Disse dando ênfase nas ultimas palavras.


– Bem eu estava pensando em ficar três dias mais aqui de qualquer jeito, então por min tudo bem. Disse espelhando o sorriso conhecendo as intenções de sua irmã.


Ambos foram interrompidos por uma empregada que trazia uma bandeja com duas xicaras e um bule. Ela botou a bandeja em cima da mesa e despejou o chá nas xicaras e deixou na frente dos dois irmãos e saiu sem dizer uma única palavra.


– Suas empregadas são um tanto quanto quietas não? .


– Bem, sendo a rainha súcubos elas me tratam com reverencia, e me servem ou me fazem companhia nas noites frias se você me entende. Disse tomando um gole de chá. – Mas que tal falarmos um pouco de você irmãozinho? Perguntou sorrindo.


– Por mim tudo bem, oque você quer saber? . Perguntou bebendo o chá de sua xicara


– Eu não sei gostos, como foi à vida, oque anda fazendo e oque planeja para o futuro.


– Bem eu tenho poucos gostos, dentre eles são mulheres bonitas e viajar pelo mundo, minha vida foi por falta de palavras melhores um inferno ate os seis anos onde eu decidi tomar as rédeas da minha vida sozinho, o que eu ando fazendo... Bem eu andei viajando o mundo todo atrás de pessoas com talentos acima da media, para o futuro, matar os dois responsáveis por bagunçar a minha vida e ter meu próprio país.


– Uau, não são sonhos muito grandes para alguém tão jovem? . Perguntou curiosa sobre os objetivos de seu irmão.


– Bem talvez sejam grandes objetivos mais eu tenho os vários milênios que viram para isso então eu não tenho pressa. Quanto a minha idade isso é relevante já que eu não sou humano. Respondeu antes de dar outro gole no chá na xicara.


– Oque você quer dizer com não é humano? Perguntou estreitando os olhos antes de cheirar o ar e arregalar seus olhos. – Seu cheiro é praticamente igual ao de...


– De Lucian e Vladimir? Sim eu absorvi a essência de nossos irmãos. Disse recebendo um rosnar ameaçador de Lilian. – Agora não precisa ficar nervosa irmã. Foi nossa própria mãe que me deu elas eu não roubei ou violei seus túmulos se é oque esta pensando.


Ao ouvir as palavras do moreno a súcubos se acalmou e começou a beber o chá novamente, e se concentrando no vários pensamentos que vinham em sua cabeça naquele momento.


Se ele dizia a verdade rainha ou não mais velha ou não, ia ser um inferno de uma luta até bota o menino para baixo. Lilian assim como seus dois irmãos restantes foram alguns do poucos que viram o poder real de lucian e Vladimir. Ambos não foram considerados os mais fortes de sua espécie por nada.


Tendo apenas a essência de um deles já seria uma luta difícil e desequilibrada mesmo que o moreno a sua frente não soubesse lutar ou usar as habilidades únicas de qualquer um dos dois. Mais lutar com um irmão filho de Lilith não importa o quão jovem e ainda por cima com a essência de dois dos mais fortes de seus irmãos perdendo apenas para o próprio Baphomet seu mais antigo e mais forte irmão.


Seria necessário usar todas suas habilidades e toda a ajuda possível de suas servas para lutar em pé de igualdade. Claro que ela não estava contando com as habilidades próprias do moreno.


Foi nesse momento que ela amaldiçoou ter ficado de fora de tantas lutas que ocorreram no decorrer dos anos. Com experiência de luta e treinamento constante ela poderia pelo menos bater de igual com ele. Mais depois de anos de relaxamento e curtição ela duvidava que pudesse ganhar.


O próprio menino já mostrava ser um lutado pelo menos de nível razoável e deveria treinar constantemente pelos músculos sobre a camisa apertada preta e sua postura relaxada mais ao mesmo tempo em guarda.


Por hora ela teria que jogar bonito com ele. Sem conhecer a força real dele, fazer um inimigo com ele seria suicídio mesmo que ela fosse sua irmã. E provavelmente ele já havia tido contato com algum de seus sobrinhos se não os dois. E as súcubos não tinham números suficientes para lutar com vampiros e lycans ao mesmo tempo.


– Ei, ei Lilian ainda tá ai? Harry perguntou estalando o dedos perto do rosto da súcubos fazendo ela sair de seu transe. – você tá bem?


– É claro que estou eu apenas me distrai com alguns pensamentos só isso. Disse olhando fixamente para o jovem moreno. – Então irmãozinho você tem mais seguidores que os lycans e vampiros?


– Eu posso perguntar o porquê você quer saber isso? . Perguntou desconfiado.


– Nada de mais na verdade, eu só queria saber quem meu irmãozinho esta convivendo. Disse naturalmente.


– Bem sim eu tenho outros seguidores, aqui e ali. Disse sem revelar muito.


– Bem, e quanto às garotas? . A súcubos perguntou sorrindo marotamente.


– Bom eu não tenho uma namorada se é isso que esta perguntando. Disse olhando nos olhas dela. – Mas porque a pergunta? Interessada? Perguntou levantando uma sobrancelha.


– Talvez, quem sabe. Disse provocativamente.


– Ora, ora quem diria que a rainha súcubos é uma Cougar. Provocou de volta.


– Você sabe eu posso ser uma puma em mais de um significado. Disse se levantando da cadeira e começar a rodear ele parando em suas costas e começar a fazer uma massagem suave nos ombros. – a questão agora é você quer experimentar? Perguntou rouca nos ouvidos do moreno. - Já esta escurecendo irmãozinho. Acho que nos devemos ir para a cama não?


– Claro irmã, afinal você é minha anfitriã. Seguiu sua irmã até a cama sorrindo de canto.


A súcubos guiou o moreno até o outro lado da sala em direção a sua cama. Ao chegarem à ruiva começou a tirar a camisa de Harry revelando um peito tonificado com poucas cicatrizes aqui e ali e tatuagens maoris em ambos os braços que ela não deu muita atenção.


Lilian deitou Harry na cama e começou a distribuir beijos pelo peito e pescoço fazendo o moreno suspirar em apreciação. Enquanto beijava o moreno a ruiva começou a tirar a calça dele o deixando apenas com os boxers cinzas que usava.


A rainha súcubos lambeu os lábios ao ver o tamanho do pau do moreno pela cueca, sem esperar ela tirou a boxer e jogou fora fazendo o membro duro do moreno saltar. Lilian sorriu ao ver ao ver o membro ereto e pulsante na frente de seu rosto, parece que seu irmãozinho era muito mais dotado que muitos homens.


A ruiva levou o pau duro de Harry ate a boca e começou a lamber e mordiscar a cabeça fazendo o moreno soltar leves gemidos. A súcubos começou chupar a cabeça antes de enfiar todo o membro na boca e começar o movimento de vai e vem com a cabeça.


Harry soltava leves gemidos de prazer enquanto sua irmã o chupava. A boca macia de sua irmã chupando seu pau a língua se movendo por todo ele aumentando o prazer à mão macia brincando com suas bolas. Era uma sensação deliciosa.


A ruiva sorriu mentalmente com a reação do moreno, se ela conseguisse ela teria um ótimo brinquedo para si e fato dele ser forte o tornava ainda mais irresistível. A súcubos tirou o pau de sua boca e começou a lamber o saco de Harry fazendo os gemidos de prazer aumentarem.


– Lilian eu vou goza. Disse roucamente fazendo sua irmã começar a masturbar o pau dele enquanto alternava em chupar o eixo e a cabeça. Os gemidos do moreno foram substituídos por um urro de prazer antes de despejar seu liquido na boca da ruiva. – Você é muito boa nisso.


– Obrigado irmãozinho, mais nós estamos longe de terminar. Disse antes de guiar o membro de Harry até a entrada de sua boceta e senta em cima fazendo ambos gemerem levemente. Lilian ficou parada aproveitando a sensação do pau de seu irmão dentro de si, antes de começar devagar o movimento de quadris.


Já acostumada com o tamanho do pau do irmão, Lilian começou a aumentar a velocidade dos quadris, fazendo ambos gemerem mais alto. A rainha súcubos começou a contrair os músculos internos espremendo o pau de Harry o fazendo goza dentro de si.


– Isso foi ótimo. Disse luxuriosamente sentindo o liquido quente dentro de si.


– Realmente foi, mas ainda esta longe de terminar. Disse sorrindo maldosamente para sua irmã. Antes que ela tivesse tempo para falar algo Harry a virou na cama a deixando em baixo de si e começou a meter com força fazendo a súcubos gemer.


Vendo os lindos seios da ruiva saltarem sem atenção o moreno começou a alternar chupar e mordiscar eles, fazendo sua irmã gemer mais alto e ofegar, Enquanto arranhava as costas dele.


– Mais... Mais... Rápido. A súcubos pediu por entre os gemidos fazendo o moreno aumentar o ritmo e força da penetração. Harry começou a sentir uma maravilhosa sensação familiar e aumentou ainda mais o ritmo antes de urrar de prazer enquanto gozava dentro de Lilian.


– Isso foi delicioso...mestre. Lilian disse sussurrando a ultima parte com um sorriso, enquanto uma tatuagem de um lírio com correntes negras apareceu em sua clavícula.


– Mestre? O moreno perguntou sorrindo marotamente. - Eu não sabia que você gostava de ser dominada.


– Bem mestre á muitas coisas que você não sabe sobre uma súcubos. Disse sorrindo enquanto alisava o peito de Harry. – Por exemplo, quando alguém consegue dominar uma súcubos na cama e fizer ela gozar a súcubos se torna ligada a essa pessoa a tornando seu mestre.


– Bem... isso é inesperado. Disse meio atordoado.


– Bem, inesperado ou não parece que seu pequeno amigo quer um pouco mais de atenção. Disse ao sentir o pau de Harry endurecer dentro de si. – Que tal um segundo round?


– Ohh, bem talvez alguns rounds a mais podem ajudar a passar esses três dias. Disse sorrindo antes de começar a beijar os peitos da súcubos.


{fim do flashback}


Definitivamente as coisas foram bem diferentes do planejado. Levantando lentamente da cama para não acordar Lilian, Harry parou em frente a um espelho admirando as mudanças em seu corpo.


Onde antes era um menino franzino e desnutrido, agora era um jovem musculoso e saudável. Seus músculos poderiam ser comparados á fisiculturista jovem, seus cabelos negros caiam abaixo do ombro e tinham as pontas pintadas de roxo, seus olhos brilhantes esmeraldas.


Em seu lado esquerdo era uma tatuagem maori magica, cobrindo o peito e a maioria do braço (link: clique aqui), no lado direito era a tatuagem magica de uma cobra negra que deslizava por todo seu braço.


Depois de finalmente conseguir, estudar tudo sobre runas ele e Abigail haviam unidos elas com tatuagens magicas buscando um método de aumentar sua magia e usar ela sem precisar das pulseiras ou uma varinha já que ambas poderiam serem tiradas deles em varias ocasiões.


Juntos eles haviam mesclado as runas as antigas tatuagens maori que também abrigavam poderes míticos antigos, e criaram vários tipos de efeitos diferentes para cada tatuagem.


Harry parou de olhar para o espelho ao ouvir um bocejo atrás de si. – Vejo que acordou. Disse voltando a olhar para o espelho. – Você demorou tanto que eu pensei que entrou em coma.


– Só se for coma induzido por sexo. Brincou enquanto esfregava os olhos tentando espantar o sono. – Então Harry porque não volta para a cama e nos podemos tomar um belo café da manha antes de continuar nossa pequena maratona? Perguntou sensualmente sorrindo na direção do moreno.


O moreno suspirou ao ouvir proposta da irmã apesar de ser tentadora ele teria que recusar. - Sinto muito Lilian, mais eu tenho que voltar para a Inglaterra hoje à tarde. Á vários assuntos que eu tenho que tratar pessoalmente o mais rápido possível.


– Será que eles não podem serem adiados por mais um dia? Perguntou amuando. – As paredes aqui podem ser bem frias, quando não á companhia masculina.


Harry soltou um longo suspiro, antes de começar a botar a calça. – Sim eu preciso ir, lils. Alguns problemas antigos então sendo revistos hoje. E mesmo assim falta apenas duas semanas para minha ida a Hogwarts de qualquer maneira. Disse enquanto acabava de botar a camisa e se preparar para sair.


– Sim, sim eu sei. A súcubos disse amargamente. – Mais eu ainda não gosto disso. E afinal oque você vai fazer mesmo, em?


– Alguns negócios no gringotes e pegar alguns materiais para a WISE, os materiais para Hogwarts e dar uma passada em Azkaban. Disse colocando um, sobretudo negro antes de desaparecer no ar.


XXXXXXX


Inglaterra. Gringotes- Sala do diretor.


O Warchief do gringotes festejou mentalmente. De todas as suas decisões, definitivamente essa foi a melhor e mais interessante. Desde que havia aceitado uma aliança com o jovem lorde à quantidade de ouro que ele e a nação duende ganharam foram exorbitantes.


Mesmo com os vários descontos aqui e ali que eles fizeram para se redimir do roubo a um de seus clientes, o jovem senhor havia feito tantas compras e trocas comerciais que mesmo vendendo seus produtos por um terço do preço o gringotes ainda estaria no lucro.


E o melhor de tudo, o jovem senhor mostrava grande respeito pela nação duende e seus costumes diferente de muitos bruxos por ai. E ainda mais impressionante foi o convite que ele fez aos jovens de sua espécie para estudar na escola que ele havia construído.


Definitivamente diferente e interessante afinal nunca uma proposta como essa havia sido feita antes. Mesmo nas escolas que se diziam as mais abertas e tolerantes.


Em conclusão foi uma ótima decisão. O Warchief suspirou enquanto olhava os papeis a sua frente, mesmo após anos os negócios envolvendo o jovem ainda eram tão interessantes que ele mesmo decidiu que iria cuidar deles.


Agora depois de alguns anos parecia que o jovem, havia decidido finalmente cobrar todas as dividas que possuia. É claro que infelizmente nesse processo algumas casas seriam desmanteladas e alguns escravos feitos, mas não era como se algo ruim estivesse acontecendo certo?


– Algo de novo nas minhas contas Warchief? . uma figura perguntou se materializando atrás do duende.


– Bem senhor Potter, devo dizer que cada vez que olho suas contas mais e mais eu tenho fortes dores de cabeça. Disse calmamente sem tirar os olhos do documento a sua frente, o duende já havia se acostumado com a mania do jovem senhor de aparecer e desaparecer a todo o momento. – Eu sinceramente não sei como você faz isso e nem tenho vontade de saber. Mas parece que você pode assumir mais duas casas antigas e nobres.


– Serio? Quais? O moreno perguntou curioso.


– Bem a casa dos Parkinson e Grifinória. A Casa dos Parkinson devido às varias dividas para com a casa dos Black e Griffith não pagas e a falta de um herdeiro masculino e a casa da Grifinória por... bem sinceramente eu não sei, mas quem se importa. Disse colocando o pergaminho na mesa e vendo a expressão pensativa no rosto do jovem.


– Bem, por mais que a família Parkinson tenha dividas á pagar tenho certeza que todos esses papeis na sua mesa sejam dividas. Ponderou ao olhar tantos papeis na mesa do diretor.


– Você esta certo senhor Potter. Mas todos os papeis aqui são sobre o senhor. Disse ajeitando os óculos que usava. – Alguns dos papeis aqui foram achados enquanto investigávamos melhor as suas contas atrás de qualquer irregularidade.


– Nos achamos varias contas em pendente com o ministério pela utilização de Azkaban sem pagar pela utilização. Também vamos dar uma multa a Dumbledore por todas as ações contra você e por fim achamos alguns contratos de casamentos que achei que você gostaria de ver. Disse ainda lendo alguns dos vários papeis na mesa.


– Ótimo. Quanto conseguimos tirar do velho senil e do ministro idiota? Perguntou


– Bem senhor Potter pela utilização de propriedade privada e estalagem continua, a multa do ministério foi de 15,5 milhões de galeões 25 mil sicles e 12 nuques. E de Albus bla bla bla Dumbledore por uso indevido de seu status como guardião, roubo e desvio de dinheiro de uma casa nobre e possível roubo de linhagem, a multa ficou em 97,5 milhões de galeões 96,7 milhões de sicles e 100 mil nuques, infelizmente dado ao seu poder politico atual nos só conseguimos tirar essa ninharia. Disse em tom lamentativo.


– Só essa ninharia? Perguntou descrente, se essa quantia era apenas uma ninharia quanto eles achavam que era um valor absurdo?


– Sim, sim senhor Potter, mais olhe pelo lado bom pelo menos você ganhou uma nova propriedade na Escócia. Disse como se estivesse tentando animar ele. – E quanto aos contratos de casamentos? O senhor desejar ver eles?


– Bem, acho que não pode machucar. Então Warchief quais são os contratos?


– Bem entre Harry Potter e Susan Bones da casa nobre dos Bones, entre Harry Potter e Daphne Greengrass da casa antiga e nobre Greengrass, entre Harry Potter e Luna Lovegood da casa antiga e nobre dos Lovegood, entre Harry Potter e Katie Bell da antiga casa dos Bell e por fim entre Harry Potter e Ginevra Molly Weasley do clã mui pobre Weasley. Zombou. – Desnecessário dizer que esse ultimo foi feito por Dumbledore.


Harry Acenou com a cabeça enquanto coçava o queixo pensativamente. – Aceite todas menos o do Weasley esse você pode enviar de volta com a mensagem para eles enfiarem na bunda. Disse rindo no final.


– Com prazer senhor Potter e por favor compareça daqui a uma semana para a cobrança das dividas para com sua casa. Haverá uma reunião a qual eu estarei presente.


– Bem senhor Potter com isso resolvido, podemos entrar em outros assuntos agora. Eu tenho lido um pequeno relato sobre alguém querendo comprar dez ovos de dragão que estão na posse do gringotes, você saberia me dizer algo sobre isso?


– Bem Warchief, se esse alguém puder pagar por silencio e para eu não sei, talvez alguns guardas fazerem vista grossa sobre a ausência de alguns ovos. Talvez seja um negocio lucrativo não concorda?


– De fato senhor Potter de fato... Então quando esse alguém vem pegar os ovos?


– Hoje à noite Warchief. E tenha um bom dia Warchief. Disse desaparecendo.


– Definitivamente um ótimo dia senhor Potter. Disse para ninguém em particular.


XXXXXXXX


Prisão De Azkaban.


Azkaban a mais temida e cruel prisão de segurança máxima bruxa. Lugar reservado para todos aqueles que cometeram graves crimes. Um lugar tão temido que todo o mundo mandava seus mais temidos bruxos para esse lugar.


Porem o único que era mais temido que a prisão era seu dono. 970 anos atrás quando a prisão foi construída o diretor e dono dispensou o uso de aurores ou qualquer bruxo dentro das paredes. Em seu lugar ele botou algo diferente... Algo maligno, ele foi o único louco o suficiente para usar dementadores.


Dementadores uma das mais escuras e vis criaturas ao redor do mundo. Demônios tão cruéis que apenas sua presença gelava os mais quentes ambientes. Criaturas sádicas que faziam suas vitimas reviverem suas memorias mais sombrias até que ele se tornasse frágil e sem forças. Então eles comiam sua alma deixando apenas uma casca vazia para trás.


Isso o fez temido. Apenas o fato dele poder controlar e usar essas criaturas a sua vontade o deu uma posição de respeito e temor. Fez seus mais ínfimos inimigos o temerem mais e mais. Seus aliados ganharam temor e respeito apenas por estarem a seu lado.


Seu poder e respeito eram tamanhos que ele poderia andar por cima da palavra do ministério sem nenhuma repercussão. Porem mesmo os mais poderosos bruxos se ajoelham ao passar do tempo e caem ao beijo da morte. Felizmente ele não precisava se preocupar com isso.


– Definitivamente um dos benefícios de ser um demônio. Harry pensou enquanto caminhava pelos corredores da prisão.


Enquanto andava ele não pode deixar de notar o estado do lugar. As paredes eram encardidas e sem cor, a temperatura do local era apenas alta o suficiente para as poças de agua espalhadas pelo chão não congelarem.


Diferente de outras prisões, às celas de Azkaban ficavam abertas, dando a falsa sensação de chance de fuga apenas para serem pegos e arrastados de volta a suas celas tornando sua força de vontade fraca a cada tentativa de fuga.


Os corredores também estavam cheios de lamentos, choros, pedidos de desculpas, berros de medo e risos insanos. Dentre todos que estavam aqui apenas algumas dezenas ainda mantinham sua sanidade. E era por essas pessoas que ele estava aqui.


Depois de andar pelos corredores labirínticos da prisão, Harry chegou a uma porta de madeira negra, sem detalhes ou ornamentos. Abrindo a porta ele entrou em uma sala quase escura que estava iluminada pela luz fraca de vela.


Dentro da sala havia uma mesa retangular com dez cadeiras, cada uma ocupada por pessoas usando capuzes deixando apenas suas bocas a mostra. Na extremidade da mesa era uma cadeira de madeira acolchoada e com a crista da família Azkaban.


Ao entrar na sala todos se levantara e levantaram o punho fechado na altura do peito e gritaram. – Salve o lorde Azkaban, vida longa a casa de Azkaban. Gritaram em uníssono.


– Senhores podem se sentar. Disse enquanto tomava seu lugar à mesa. – Como vocês sabem, eu sou o novo senhor da casa de Azkaban. Nessa varias vozes animadas subiram ao redor da mesa. – E como tal estou tomando o controle da prisão e afins. Agora quero que vocês se apresentem e me deem um breve relatório do funcionamento interno e qualquer coisa que precise de atenção imediata, agora por gentileza podem ser apresentar e me dizer suas funções.


Rapidamente uma figura corpulenta se levantou. – Meu nome e Gregor Gregory, eu só atualmente o responsável pela segurança da prisão. Se apresentou com um forte sotaque.


– Meu nome é Vicent Vinis, sou responsável por caçar os prisioneiros em caso de fuga. Outro se apresentou.


– Meu nome é Julian Martin, sou responsável pela tesouraria. Uma figura ao meio da mesa se apresentou.


– Meu nome é Rodric Alburn, sou responsável pelas relações internas.


– Meu nome é Maximilian Zephir, sou responsável pelas comunicações com o ministério inglês.


– Meu nome é Adam Zephir, responsável pela comunicação com os ministérios de outros países.


– Meu nome é Erik Manson responsável por manter os dementadores fora do controle direto do ministério.


– Meu nome é Wallace Valentim responsável pelo transporte e cárcere dos presos de outros países.


– Meu nome é Ulrika Alvina, sou responsável pela classificação e designação dos presos. A única mulher do grupo disse praticamente ronronando seu nome.


– Bem senhores e senhorita, meu nome é Hadrian Griffith Potter, mas podem me chamar de Harry. Agora por favor, um relatório curto dos últimos anos e quaisquer assuntos que necessitem de atenção imediata.


– Bem meu lorde, desde que o ministério esteve no controle de Azkaban, vários problemas surgiram. Primeiro foi a alta lotação de pessoas que cometeram crimes leves, e algumas entraram sem nenhum julgamento. Erik disse.


– Exato, o ministério vem usando Azkaban para prender todos aqueles que eles achem contra eles e aceita os presos de outros países apenas para tirarem uma quantia de ouro que eles sequer usam na prisão. Wallace grunhiu com raiva.


– Sim e muitos criminosos de nível moderada estão lá fora por comprarem suas saídas da cadeia. Fora que o ministério tem vindo a interferir muito nos assuntos internos como se ele tivesse alguma autoridade. Rodric exclamou irado.


– Sim e eles tem interferido com qualquer chance de condicional ou liberdade já que apenas o ministro pode tomar essa decisão na ausência do diretor. Ulrika disse com desgosto na voz.


– Entendo. Harry disse cruzando as mãos em frente à boca e adotando uma postura pensativa com os olhos fechados (estilo gendou ikari). – Maximilian envie a uma carta ao ministério dizendo que Azkaban tem um novo diretor. Não revele minha identidade mais fale que a partir de agora o ministério não tem voz ativa aqui. Adam envie a palavra que Azkaban só aceitara criminosos julgados e de nível moderado para cima.


– Erik a partir de agora os dementadores só vão ouvir minhas ordens então eu quero que você se infiltre no ministério e ache qualquer coisa relevante que possamos usar. Gregor aumente a segurança e não deixe nenhum bruxo do ministério entrar mesmo o próprio ministro. Julian eu quero que você reveja a tesouraria e me de o relatório em uma semana a partir de hoje e Ulrika eu quero a relação dos presos que podem ser postos em condicional e todos aqueles que ainda mantem um mínimo de sanidade e os demais continuem suas funções.


– Sim meu lorde. Exclamaram em conjunto antes de saírem para cumprir suas ordens.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por rosana franco em 21/11/2012

Que irmã!!Parece que ele ganhou mais uma aliada muito importante.O Ministro não vai gostar nadinha das mudanças feitas em Azkabam.E o Sirius qual vai ser a relação entre eles?Estou super curiosa para ver como ele vai chegar na escola e qual vai ser a reação do diretor.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.