FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. O gosto da geleia


Fic: O preço do amor- Capítulos revisados-AGORA COM CAPA!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- Então – Gina disse ao voltar ao quarto e deixar uma pilha de roupas na cama, perto de Hermione – você e Rony finalmente... viram a luz?


 


- Esse é um jeito suave de perguntar se nós... – Hermione deixou a frase inacabada falar por si própria enquanto pegava uma blusa verde e a analisava. Não era exatamente algo que ela escolheria. O fino material de que as mangas eram feitas eram femininos demais para seu gosto.


 


- Vocês fizeram? – Gina perguntou com um riso.


 


- Claro que não – Hermione respondeu ao sentir seu rosto esquentar – Nós só nos beijamos um pouco, só isso.


 


- Parecia um pouco mais do que isso para mim – Gina provocou – Ou você esqueceu que estava sem blusa quando eu entrei?


 


Hermione mordeu seu lábio inferior e ergueu a cabeça para um lado como se estivesse pensando em como responder. Ela sabia que ia ser mais fácil contar para Gina. Não era aquilo que a estava retraindo. Ela sabia que Gina entenderia e que certamente seria capaz de ajuda-la com a reação de Rony. O problema era que Hermione sabia que se isso funcionasse, Gina iria querer fazer também. Isso criava uma série de problemas inteiramente diferentes. As tendências de Rony em defender sua irmã era uma delas. ‘E Harry?’. Harry faria o possível para não deixar Gina fazer algo tão drástico. Claro que Hermione não queria que Gina se envolvesse também. Mas, ao mesmo tempo, ela percebera que não havia jeito de mantê-la fora disso. Gostasse ou não, Gina garantiria que se envolveria. ‘Mas ainda não’, Hermione falou para si mesma.


 


- Eu ia ensinar a ele alguma coisa e depois mudei de ideia – Hermione finalmente respondeu. ‘Na verdade, eu vou ensinar a você também’, ela pensou ao espalhar a pilha de roupa, esperando encontrar sua própria camiseta entre as de Gina trazidas para ela escolher. ‘Você só não sabe ainda. ’


 


- Eu nem quero saber – Gina zombou ao ver Hermione procurar por entre as blusas – Mamãe jogou todas suas roupas no baú – Gina disse quando percebeu o que Hermione estava procurando – Você pensaria que elas foram todas contaminadas ou alguma coisa assim. Ela não deixou nem papai toca-las.


 


- Tudo? – Hermione questionou.


 


- Exceto suas armas – Gina informou – E aquele dinheiro trouxa que você tinha nos bolsos.


 


- Ah, bem – Hermione disse, deslizando a blusa verde pela cabeça – Isso é um pouco apertado, Gin – ela continuou, segurando a frente da blusa e puxando-a numa tentativa de estica-la.


 


- Mamãe pode aumenta-la para você quando descermos – Gina respondeu – Provavelmente seja melhor ela fazer isso antes de Rony ver você, ou ele vai correr e tomar mais um banho.


 


- Você não deveria provoca-lo.


 


- Eu? Você foi a única que ‘provocou’ a ida dele para o banho – Gina riu – Além disso, é melhor você se acostumar porque Fred e Jorge vão ser cruéis.


 


- Eu vou mostrar àqueles dois cruéis – Hermione resmungou para si mesma, ao vestir uma bermuda branca de algodão. Hermione fitou o lugar por alguns momentos, obviamente contemplando alguma coisa. Quando olhou de volta para Gina, ela percebeu que sua amiga ruiva estava muito distraída – Ouça Gina, eu tenho que te pedir um favor.


 


- Tudo bem... er... espere um minuto – Gina respondeu – Isso não vai terminar com o Rony se enfiando no meu quarto no meio da noite, vai?


 


- Não – Hermione disse – Francamente, eu acho que podemos nos controlar.


 


- Você conhece meu irmão, Rony, certo? – Gina perguntou sarcasticamente – Sujeito alto. Ruivo. Nunca para para pensar antes de falar ou agir. Ah sim, eu tenho certeza que ele pode se controlar. Por volta de 5 segundos – ela riu – Enfim, e quanto ao favor?


 


- Por favor, não conte ao Harry que Ron e eu estamos... sabe... juntos.


 


- Por que não? – Gina perguntou claramente surpresa com o pedido – Ele tem esperado por tanto tempo que vocês dois compreendessem.


 


- É só que não é a melhor hora agora. Ele está passando por tempos difíceis e está sozinho, e bem... Ron acha que seria melhor se esperássemos até ele estar um pouco mais feliz... sabe? Logo que ele estiver longe daqueles trouxas horríveis e tudo mais. Eu só prefiro ser a primeira a contar a ele, se você não se importar.


 


Gina considerou o que Hermione disse por alguns momentos antes de responder.


 


- Tudo bem. Eu acho que faz sentido. Ele não vai ouvir de mim.


 


- Obrigada, Gina – Hermione respondeu ao pegar o roupão da cadeira e deixa-lo em cima de suas roupas – Isso não significa que você não possa escrever e falar com ele sobre... outras coisas – Hermione acrescentou com um sorriso conhecido.


 


- Eu não saberia o que dizer.


 


- Bem, você poderia começar contando-lhe que eu realmente estou bem, porque ele vai acreditar vindo de você, ao contrário de mim ou do Ron – Hermione sugeriu – Você poderia contar a ele como seu verão tem sido até agora. Poderia simplesmente dizer que estava pensando nele e quis escrever para dizer oi. Ou... você pode dizer como eu diminuí para vestir suas roupas que são tão verdes quanto sapinhos cozidos – Hermione deu uma risada.


 


- AH, CALA A BOCA! – Gina disse na defensiva – Eu não gosto mais do Harry.


 


- Se é o que você diz, Gina – Hermione respondeu enquanto andava para o corredor. Ela não conseguia deixar de se divertir com o quão similar Rony e Gina realmente eram, às vezes.


 


- Não gosto! – Gina protestou ao seguir Hermione na direção das escadas.


 


Quando as garotas entraram na cozinha, foram surpreendidas ao descobrir que Rony já tinha descido as escadas. Ele não estava brincando quando disse que o banho seria rápido. Ele, obviamente, tomara um porque seu cabelo ainda estava molhado. Mas como ele tinha conseguido tomar banho, se vestido e descido antes delas irem para a cozinha, Gina não conseguia entender. Rony era vergonhosamente devagar de manhã. De fato, sua mãe normalmente tinha que gritar com ele duas ou três vezes antes de ele aparecer para o café. Apesar de tudo, aqui estava ele sentado, os braços cruzados em frente ao peito, encarando Fred e Jorge.


 


‘Aww’, Gina pensou ao notar as expressões de regozijo dos gêmeos. De repente tudo fazia sentido. Gina rolou os olhos quando viu Fred dar uma cotovelada em Jorge e depois dar um sorriso maldoso ao observar Hermione lentamente cruzar a cozinha e relaxar em uma cadeira vazia próxima de Rony.


 


- ‘Dia, querida – a Sra. Weasley disse ocupada demais com a cozinha para olhar – Eu espero que tenha dormido bem – ela acrescentou. Gina observava Fred e Jorge sorrir afetadamente um para o outro quando ela pegou seu lugar à mesa – Você deve estar faminta. Tem torrada na mesa – a Sra. Weasley continuou.


 


- Um pouco melhor esta manhã, não é? – Jorge perguntou a Hermione antes que ela pudesse ter chance de responder à sua mãe. Ele não estava disposto a deixar as duas conversarem. Isso arruinaria completamente o plano.


 


- De qualquer forma, era de se esperar – seu irmão gêmeo segurou o riso – É normal se sentir assim depois de... AI! – Fred choramingou quando o pé de Rony colidiu com sua perna embaixo da mesa – Caraca. Isso machuca.


 


A Sra. Weasley se virou do fogão e lançou um olhar de aviso aos filhos e depois retornou.


 


- Desculpe – Rony resmungou. Mas, mesmo se desculpando, ele encarou Fred com um olhar que não era de modo algum de desculpas.


 


‘Eu disse para deixa-la em paz’, Rony pensou quando pegou um pedaço de torrada do prato no centro da mesa. Ele se aventurou a dar uma rápida olhada para Hermione e julgar sua reação, depois encarou os olhos dos irmãos de novo. ‘Isso não é bom’, ele disse a si mesmo depois de notar o rosto sem expressão de Hermione. Rony a conhecia bem o bastante para saber que ela lidava com provocações de dois jeitos. Ocasionalmente, ela ficava aturdida e tentava fugir, mas, com mais frequência, ela simplesmente se colocava de um jeito corajoso e fingia que isso não a incomodava. Ela assumia que se não reagisse, as pessoas ficariam entediadas e arrumariam outra pessoa para importunar. ‘Isso funciona com a maioria das pessoas’, Rony disse a si mesmo. ‘Mas Fred e Jorge NUNCA desistem. Se ela não reagir, eles simplesmente vão chutar o balde e ir atrás dela até verem-na explodir.’


 


- Como você gosta de seus ovos, querida? – a Sra. Weasley perguntou a Hermione.


 


- Mexidos – ela respondeu – Se não se importar.


 


- De modo algum – a Sra. Weasley disse, pegando uma cesta de ovos na bancada.


 


- Um pouco mal humorados esta manhã, não estamos? – Jorge perguntou a Rony – Qual é o problema? Não conseguiu dormir?


 


- Você tinha achado que ele estava um pouco mais relaxado – Fred riu, puxando sua cadeira para longe da mesa para se assegurar que estivesse fora do alcance dos pés de Rony – Considerando o que você viu esta manhã – ele continuou, arqueando as sobrancelhas sugestivamente para Jorge.


 


Os olhos de Jorge se lançaram para Hermione numa tentativa de avaliar sua reação. Ele ficou decepcionado quando percebeu que ela parecia entediada. Rony, por outro lado, estava claramente enraivecido. Jorge não podia evitar sorrir ao ver seu irmão mais novo lutando para manter a raiva sob controle enquanto enfiava a faca na jarra de geleia e deixava cair uma gigantesca massa em sua torrada.


 


- Aqui está, querida – a Sra. Weasley disse, colocando uma grande pilha de bacon no prato de Hermione. Quando teve certeza de que Hermione já tinha o bastante, ela dividiu o resto entre Rony e Gina, depois se virou para terminar com os ovos.


 


Rony levou a torrada à boca, os olhos ainda nos irmãos, e deu uma mordida. Ao fazer isso, uma grande parte da geleia caiu do pão e foi descansar em seu pulso. Deixou cair a torrada no prato e estava indo apanhar o guardanapo para limpar quando sentiu Hermione agarrar sua mão e vira-la em sua direção. Rony se virou para questiona-la, mas se achou incapaz de falar quando ela se inclinou para frente, lançou a língua para fora e, sedutoramente, lambeu a geleia de seu pulso.


 


Jorge observava como um idiota, em absoluta descrença.


 


Fred que, infelizmente, tinha escolhido exatamente este momento para tomar um gole de suco de abóbora, foi forçado a cuspi-lo na mesa para evitar que se engasgasse.


 


- O que está havendo com você? – a Sra. Weasley perguntou irritada ao se virar e olhar furiosamente para Fred – Francamente. Qualquer um pensaria que você foi criado por uma matilha de lobos do jeito que se comporta à mesa.


 


- D… desculpe… mamãe – Fred tossiu ainda olhando assustado para Hermione que agora estava comendo seu bacon como se nada tivesse acontecido – Eu acho que só desceu pelo lado errado.


 


- Francamente – a Sra. Weasley disse, sacudindo a cabeça ao distribuir os ovos entre Rony, Gina e Hermione.


 


Olhando do outro lado da mesa para as expressões de surpresa emplastradas no rosto dos gêmeos, Gina começou a rir. Quando olhou para Rony e percebeu que ele estava simplesmente tão chocado quanto eles, ela riu mais ainda.


 


- Jorge – a Sra. Weasley disse – Faça-me um favor e limpe essa bagunça agora que você terminou seu café – ela disse, apontando para a frigideira na pia – E, pelo amor de Merlin, limpe essa mesa – ela acrescentou para Fred.


 


- O que nós parecemos? – Jorge choramingou.


 


- Malditos elfos domésticos? – Fred terminou.


 


- Não vai doer se vocês dois fizerem um pouco de trabalhos domésticos de vez em quando. Não é como se eu pedisse para limpar o quarto de vocês.


 


- Não, você nos pediu para limpar o do Rony – Jorge resmungou baixinho.


 


- Eu vou estar fora a maior parte da manhã – a Sra. Weasley os informou enquanto tirava sua capa do gancho da lareira – Se vocês precisarem de alguma coisa – ela disse, ignorando os gêmeos e olhando para os outros três – vocês podem pedir ao seu pai. Ele tirou o dia de folga – dito isso, ela sumiu da cozinha com um estouro.


 


No instante em que ela se foi, Fred e Jorge começaram a rir como dois idênticos Gatos Risonhos.


 


- Ah não – Gina disse, rolando os olhos – Aqui vamos nós.


 


- ENTÃO... – Fred disse, parecendo que o Natal tinha chegado mais cedo.


 


- Vocês dois… dormiram bem? – Jorge perguntou com um sorrisinho.


 


Rony deu uma espiada para Hermione e a viu rolar os olhos. ‘Tudo bem, talvez isso realmente não a esteja incomodando’, ele refletiu.


 


- Vocês parecem muito confortáveis esta manhã – Jorge riu.


 


- Eu achei que vocês fossem espertos o bastante para fechar a porta – Fred acrescentou.


- Diabos, eu teria trancado e enfeitiçado a porta – Jorge continuou – Mas depois... vocês dois não são velhos o suficiente para fazer AQUILO ainda, são?


 


- Cala a boca! – Gina disse, quando viu o olhar de Rony brilhar de modo assassino para os irmãos.


 


- Talvez eles façam uma exceção agora que o Roniquinho aqui é um homem – Fred disse e os gêmeos irromperam num acesso de risos.


 


- CHEGA! – Rony gritou, empurrando a cadeira para longe da mesa e ficando de pé, obviamente preparado para se lançar sobre a mesa e pegar seus irmãos se eles abrissem a boca de novo.


 


Hermione se levantou, pegou a mão dele e depois sacudiu a cabeça quando ele a olhou.


 


Rony caiu de volta na cadeira, irado, cruzou os braços e fixou os olhos em seus irmãos ameaçadoramente.


 


Fred e Jorge trocaram olhares. Até agora eles tinham concentrado a maior parte das implicâncias em Rony, sabendo que mesmo as insinuações mais sutis, especialmente quando feitas na presença de sua mãe, penetrariam em sua pele. Eles supunham que Hermione ficaria igualmente afetada. Eles não esperavam que ela ficasse inabalável com as insinuações. Ainda mais inesperado, ela pagou o blefe e virou a mesa com a performance do que só poderia ser interpretado como um acordo sexual com o irmão deles bem debaixo do nariz da mãe. Com um olhar silencioso, eles concordaram que ela tinha que pagar. Eles foram muito bonzinhos com ela. Tinham que recuperar o controle da situação. Mas eles tinham que fazer isso delicadamente ou Rony viria defendê-la, querendo ou não.


 


- Então é assim agora, né? – Fred perguntou.


 


- Você tem o Roniquinho na sua mão?


 


- Você o provoca e ele reage como um bom menino - Fred riu.


 


- Não é melhor dar um trato nele? – Jorge disse, empurrando a jarra de geleia na direção de Hermione – Ou ele vai começar a rosnar de novo.


 


- Vocês se acham muito inteligentes, não é? – Hermione perguntou de modo arrogante.


 


- Nem em meus sonhos mais extravagantes – Fred declarou – eu teria esperado ver a delicada e certinha Hermione Granger...


 


- Extraordinária traça... – Jorge acrescentou.


 


-... fazer algo tão insolente.


 


- Você tem claramente resistido a nós – Jorge abafou o riso.


 


- São sempre as quietinhas, não são? – Fred zombou.


 


Hermione bufou e sacudiu a cabeça para eles, enquanto ela continuava a tomar seu café.


 


- Diga-nos, Hermione... – Jorge começou.


 


- Ron ensinou a você aquele truquezinho na noite passada ou você aprendeu... em algum outro lugar? – Fred terminou.


 


- CUIDADO COM ISSO! – Rony gritou com raiva.


 


- Isso não vai funcionar – Hermione disse calmamente – Vocês não vão me embaraçar.


 


Fred e Jorge deram um olhar de relance um ao outro e silenciosamente concordaram que tinham que tentar outra brecha.


 


- Eu não tenho vergonha disso – Hermione disse fitando os gêmeos sentados em frente a ela, audaciosamente – E nem admitiria isso para vocês.


 


- Admita então – Jorge disse mesmo não tendo certeza do que ela estava fazendo.


 


- Eu gosto do Rony – Hermione respondeu, encarando-o completamente. Ela se esforçou muito para esconder o fato de que estava agitada e irritada, mas ela conseguiu.


 


Por um momento nem os gêmeos estavam certos de como reagir. Eles simplesmente sentaram lá olhando para ela. Depois o lado da boca de Fred se crispou num sorriso malandro.


 


- Então, beije-o – Fred mandou.


 


- O quê? – Hermione respondeu num tom de voz escandalizado.


 


Os gêmeos se olharam de relance, sentindo a vitória próxima. Eles a tinham pego.


 


- Você me ouviu – Fred respondeu – BEIJE-O!


 


- Bem aqui na mesa da cozinha – Jorge acrescentou.


 


- Na frente de todos nós – Fred continuou.


 


- Eu já vi isso, obrigada – Gina resmungou, ao golpear seus ovos com o garfo e trazer um grande pedaço para a boca.


 


O comentário de Gina pegara Fred e Jorge de surpresa, mas eles conseguiram esconder isso rapidamente.


 


- Vocês dois são loucos – Hermione declarou, causando nos dois uma onda de risos – Irracionalmente loucos – ela esclareceu.


 


Os gêmeos se viraram para encara-la com sorrisos idênticos.


 


Rony instantaneamente viu o erro deles e mordeu os lábios ao lutar para segurar um riso. ‘Vocês quase a pegaram e se sentiram muito orgulhosos com isso’, Rony pensou consigo. ‘Uma pena vocês não a conhecerem como eu, ou vocês saberiam que não há nada que irrite mais Hermione do que caras arrogantes que pensam que ganharam dela. ’


 


- Tanta coisa para quem não estava embaraçada – Jorge riu.


 


- Eu não estou embaraçada – Hermione mentiu descaradamente.


 


- Então, beije-o – Fred riu.


 


- Não – Hermione disse de um jeito digno – Seria inapropriado.


 


- Inapropriado? – Fred gritou e caiu em outro acesso de riso.


 


- Me deixa ver se entendi – Jorge segurou o riso – Você não vai beija-lo na mesa da cozinha porque isso seria... Inapropriado?


 


- Mas você vai lambê-lo? – Fred acrescentou – O quão apropriado foi aquilo?


 


- Acho que vocês estão certos – Hermione admitiu com um suspiro ao se virar para olhar para Rony.


 


‘CARACA!’, sua mente gritou. ‘Ela vai fazer. Espere um minuto... ’ Rony pensou, tentando não sorrir. ‘Ela vai fazer. ’


 


- Então admite que estamos certos? – Fred perguntou.


 


A única resposta de Hermione foi encolher os ombros um instante antes de se inclinar e beijar Rony suavemente nos lábios. Ela demorou alguns segundos e depois se afastou.


 


- Isso não é exatamente um beijo – Jorge riu.


 


- É – Fred acrescentou – O beijo que mamãe deu nele quando se tornou monitor era melhor que esse.


 


- SE MANDA! – Ron gritou enquanto seu rosto ficava corado. Ele teria dado qualquer coisa para não ter Harry e Hermione como testemunhas daquele incidente humilhante. A deixa para Fred trazer à tona quando ele menos suspeitasse.


 


- Ah, era para ser exatamente um beijo, é? – Hermione disse – Bem, nesse caso... – ela rapidamente ficou de pé e, para surpresa de Rony, ela se sentou em seu colo – Isso é o que vocês têm em mente? – Hermione perguntou ao mergulhar dois dedos na jarra de geleia que Jorge tinha empurrado para ela pouco antes, depois os trouxe de volta e correu com eles pelos lábios de Rony.


Sem pensar, Rony passou a língua instintivamente para lamber a geleia em seu lábio superior, depois percebeu o que ela estava fazendo e se forçou a deixa-la lá.


 


Fred e Jorge observavam Hermione com olhos arregalados enquanto ela lambia os dedos e os empurrava para dentro da boca.


 


Gina resmungou e deixou sua cabeça cair na mesa de modo que não tivesse que assistir Hermione chupar os dedos para limpa-los enquanto puxava-os de volta.


 


Terminado com os dedos, Hermione olhou para Rony e lambeu os lábios.


 


‘Caraca’, Rony pensou, os olhos quase tão arregalados quanto os de seus irmãos. Novamente ele estava lutando contra o desejo de lamber os próprios lábios, dessa vez de antecipação.


 


- Rony? – o Sr. Weasley perguntou ao empurrar a porta aberta e colocar sua cabeça na cozinha – Posso dar uma palavrinha com você na sala quando terminar com... – o resto da frase morrera em seus lábios quando percebera onde exatamente Hermione estava sentada. Seus olhos se arregalaram um pouco e ele observou seu filho e Hermione pularem de pé. Rony instantaneamente levou sua mão à boca e os dois coraram violentamente.


 


As gargalhadas de Fred e Jorge instantaneamente preencheram o silêncio incômodo na cozinha.


 


- Quem teria imaginado que papai seria o único que a pegaria? – Jorge abafou o riso.


 


- CALEM A BOCA! – Rony gritou para os irmãos.


 


- Rony? Posso vê-lo na sala? – O Sr. Weasley perguntou, decidindo que não seria sábio deixa-lo terminar o café porque ele provavelmente tentaria desaparecer depois.


 


Ron olhou para Hermione nervosamente e depois para os irmãos, que ainda estavam rindo como uma dupla de idiotas.


 


- Agora? – ele perguntou ao pai, relutante em deixa-la sozinha com eles.


 


- Ah, entendo – o Sr. Weasley riu – Eles estão dando a ela um momento difícil, não estão? – ele perguntou – Vocês dois – o Sr. Weasley disse com severidade para os gêmeos, causando neles mais risadas – O que quer que vocês estejam fazendo, chega – ele ordenou enquanto dava a Hermione um sorriso encorajador – Ou eu vou contar à mãe de vocês.


 


Foi a ameaça de contar à mãe que sossegou os gêmeos. Eles sabiam que ela estouraria.


 


- Obrigada, Sr. Weasley – Hermione disse, enquanto levava o prato vazio para a pia – Mas não vai ser necessário. Eu estou acostumada a lidar com eles.


 


O Sr. Weasley deu de ombros e olhou para seu filho mais novo mais uma vez.


 


- Rony?


 


- Tá – Rony disse, levando alguns ovos para a boca antes de colocar o resto de bacon em um pedaço de torrada, dobrada pela metade, e se levantar da cadeira. Ele parou na porta tempo o bastante para olhar furiosamente para os irmãos mais uma vez e depois seguiu seu pai para a sala.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.