FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Through The Rain


Fic: Through The Rain


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Rony deixou o diário sob o travesseiro e desceu para o salão comunal. Diante de sua falta de sono, rolar na cama até amanhecer era uma perda de tempo.
A lareira ainda estava acesa, e um vulto bruxuleante se distinguia entre a sombra do fogo. Rony chegou mais perto, tentando reconhecer quem, àquela hora, sofria de insônia como ele.
-Harry?- Rony aproximou-se, vendo o amigo encolhido no sofá, com o rosto entre as mãos. Harry sequer se mexeu da posição em que estava- Harry, você...
Então ele olhou para Rony, com os olhos marejados e seu rosto inchado. Seus óculos estavam esquecidos no chão, sobre o tapete, quebrados em duas partes e com as lentes rachadas. Além de estar completamente molhado.
-Você está...chorando...- Rony sentou-se ao lado do amigo- Oculos Reparo!- ele consertou os óculos de Harry e entregou-os a ele- Novinhos.- e sorriu. Harry limitou-se a um suspiro.
Rony olhou de Harry para a escada do dormitório feminino e a entrada do salão comunal e para Harry novamente.
-Debaixo das escadas do dormitório feminino tem um painel escondido sob um dos degraus- Harry começou, sem tentar limpar as lágrimas em seu rosto- fale a senha ‘Homem subindo no dormitório das garotas’ quinze vezes. A escada vai liberar seu acesso até o quarto da Mione, se é isso o que você quer.- Rony olhou surpreso para o amigo- Lupin me falou sobre isso quando eu comecei a namorar com a Gi. Mas acho que não vou precisar mais. E parece que no momento você precisa subir lá mais do que eu.
-Há alguns minutos eu até estava pensando em como subir até o quarto da Mione e acordá-la, mas agora, vendo você nesse estado...- Harry deu um sorriso amarelo.
-Ela estava brava hoje.- Harry se virou para a lareira, retirou os óculos e secou uma lágrima- e eu estava preocupado porque eu nunca a vi tão brava. Eu fui até o lago, onde nos encontramos todos os dias de noite. Fiquei um pouco no castelo ainda, esperando para ver se a chuva diminuía, porque estava realmente muito forte. Mas ela não diminuiu, ao contrário, aumentou mais... e eu fiquei preocupado porque a Gi não aparecia e já estava muito tarde. Eu voltei pro salão e subi até o quarto dela, a cama estava vazia...- Harry deixou que as lágrimas escorressem livremente pelo seu rosto.
Rony ainda tentava absorver tudo o que o amigo lhe contava. Instantes antes ele notara que aquela era a primeira vez que via Harry chorar. O menino-que-sobreviveu, naquele momento, na visão de Rony, parecia frágil e muito triste, muito diferente do corajoso Harry Potter que o mundo todo conhecia.
-Eu voltei para a porta do castelo e corri para o lago... e ela estava lá, debaixo da chuva, sentada na grama... eu cheguei perto e quando fui falar com ela, ela gritou comigo... e eu tentei me aproximar, e tentei entender porque ela estava agindo daquela forma... e ela me lançou um ‘Expelliarmus’ e depois gritou mais porque eu queria me aproximar... ela me pediu pra ir embora... e eu disse que só iria embora com ela, que não ia deixá-la na chuva, de noite... estava frio... e ela podia adoecer, do mesmo modo como adoeceu lá na Toca... ou pior...
Harry amassou os óculos na mão, quebrando-os em pedacinhos que, com certeza, não tinham reparo.
-E ela gritou mais... disse que me odiava e que nunca mais queria me ver e me mandou embora dali... e eu perguntei porque... ela não respondeu... ela estava tão diferente... eu tentei chegar perto de novo, não podia deixá-la ali... estava muito frio e eu estava preocupado... ela me bateu e começou a chorar e me bateu de novo, mais forte, me pedindo para ir embora para não piorar as coisas... já estava ruim demais e ela disse que se eu ficasse seria pior... eu pedi pra ela vir comigo e- Harry soltou os óculos em pedacinhos sobre o tapete, notando que a lente cortara sua mão, mas ele não se abalou com isso- e ela disse que não... ela disse que tudo seria pior se viesse comigo... e eu não entendia nada... eu perguntei se eu tinha feito alguma coisa de errado para deixá-la naquele estado... e ela disse que não, que o problema era com ela... ela disse que eu era perfeito demais para ela...- Harry sorriu ligeiramente, sem muito emoção- eu, perfeito demais... eu disse que ela que era perfeita, e não eu... mas ela só fez me bater de novo, com mais força... e depois ela correu, e eu corri atrás dela... só que aí ela disse que não era para eu seguí-la e que ela não iria ficar na chuva, ela me prometeu que não ira ficar na chuva... e eu acreditei e parei de correr... depois eu voltei pro salão, subi no quarto dela e ela não estava lá... olhei no mapa e vi que ela cumprira a promessa, ela não estava na chuva... ela estava na Sala Precisa...
Rony estava sem reação. Então era por isso que ele não conseguira dormir? Algo o estava preocupando, e ele sabia que era com a Gina. Ele sempre sabia quando a irmã não estava bem. Mas naquele momento, Rony parecia estranhamente calmo. Ele ouviu atentamente o que Harry lhe dissera, cada detalhe, assimilando cada cena com tudo o que sentira durante a noite não dormida. Porém, parado ali, olhando para o desespero do amigo, ele soube o quanto Harry amava Gina, e também soube que a irmã estava bem. Estava brava e triste, mas bem.
-Eu estou com medo, Rony...- Harry sussurrou- ela tomou muita chuva...
-Ela está bem, Harry.- foi o que ele disse- Gina está bem.
-Você não pode saber disso, Rony!- Harry gritou, exaltado. Levantou-se do sofá, pegando o primeiro vaso que vira e atirando-o na lareira- VOCÊ NÃO ESTAVA LÁ!
-Acredite, Harry, eu sei. Gina está bem e amanhã vocês podem conversar. Eu não sei o que ela tem, e eu não sei o que a levou a terminar contigo, mas ela estará melhor pela manhã, você vai ver.
-Eu espero realmente isso, Rony.- Harry sentou-se novamente e acrescentou- Porque eu amo demais a sua irmã...- e este foi o momento em que Rony se arrependeu de ter batido em Harry quando soube do namoro dele com a irmã caçula. Ele sorriu diante desse pensamento de culpa- eu a amo demais, Rony, e não quero perdê-la...
-Ela também te ama muito, Harry. Eu não gosto muito de admitir que a minha irmãzinha está se tornando uma mulher e que logo não precisará mais dos irmãos dela, se é que um dia ela já precisou de algum de nós... e que está gostando de um cara, ou melhor, está amando um cara, amando você, Harry... mas essa é a ordem das coisas, não é? Ela acharia alguém algum dia, e eu fico feliz que esse alguém seja o meu melhor amigo. Acredite, cara, se tem uma pessoa que Gina ama mais do que a ela mesma, mais do que tudo, esse alguém é você, Harry.- Rony suspirou divertido- E não tente compreender um Weasley com raiva, porque o máximo que você vai conseguir é ouvir gritos e levar tapas, e será tudo pior.- Harry sorriu, passando a mão nos cabelos, ainda molhados, e depois atentando-se aos seus óculos quebrados no chão.
-Parece que meus óculos finalmente não têm mais conserto.- ele pegou restos mortais da lente e atirou-os ao fogo da lareira. A armação estava totalmente perdida.
-Você não vai precisar deles por enquanto, meu amigo.- Rony apontou a varinha para os olhos de Harry- Accendo Arguo!- dois raios transparentes cobriram os olhos dele e, num instante, tudo ficou claro para ele.- Feitiço corretor. Não me pergunte como eu sei disso...- Harry sorriu e depois apontou para o alto da escada do dormitório feminino.
-Eu vou tentar dormir, acho que será melhor. Amanhã eu converso com a Gina.- Harry acenou para Hermione e depois subiu para o seu quarto.
-Oi.- ela disse, sentando-se ao lado do namorado.
-Sem sono?
-Ahan. Você?
-Ídem.
-Acho que então podemos não dormir juntos, o que acha?
-Acho perfeito.- ele sorriu, antes de dar um beijo nela. Logo depois, assim que separaram os lábios, ambos bocejaram. Olharam-se e sorriram- Parece que precisávamos disso para podermos dormir.
-Não que eu queira voltar lá para cima...- Hermione aconchegou-se ao peito de Rony, que mexia carinhosamente em seus cabelos.
-Harry e Gina brigaram.- ele falou- e parece que foi bem feio.- ela ia falar alguma coisa, mas ele foi mais rápido- Mas, se quer saber, acho que amanhã mesmo eles voltam às boas. Acho que aqueles dois nasceram um para o outro. São dois teimosos, e se parecem muito em algumas coisas. E sabe em que eu também acredito?
-Em quê?
-Em nós. Acredito piamente que Rony Weasley e Hermione Granger nasceram um para o outro.- ele levantou o rosto dela até que fitasse seus olhos- Mi, sabia que eu te amo?
-Sabia, mas adorarei saber sempre. E você? Sabia que eu te amo mais?
-Não, Mi, eu te amo muito mais. Meu amor é de um tantão assim...- Rony fez um movimento com a varinha e o desenho do céu apareceu na frente deles- ...do tamanho do infinito...- ele sussurrou ao ouvido dela.

"É engraçado como o amor deixa todo mundo bobo. Nada mais é tão patético, o céu é azul, os passarinhos voam, gatinhos correm atrás de ratinhos, corujinhas entregam cartas, eu jogo quadribol e Hermione é LINDA e PERFEITA. Nada menos óbvio do que isso.
Quase uma hora depois, Hermione e eu nos despedimos, já estava amanhecendo.
Eu achei incrível o jeito da Mione acordar. Me levantei já passava da hora do almoço, e imaginei que ela já estivesse acordada. Mas não. Pela primeira vez na vida Hermione Granger faltou aula porque não acordou pela manhã. E então eu tenho orgulho do meu feito: Hermione Granger faltou aula por causa de um cara! Eu preciso dizer que o cara sou eu? OK! O cara sou EU, Rony Weasley!
Depois que eu disse a senha trinta e cinco vezes debaixo da escada eu consegui subir para o dormitório feminino. Harry errou feio ao me dizer que eu precisava falar a senha apenas quinze vezes...
Mione parece um anjo quando dorme. Tão calma e serena, e com um sorriso tão lindo... caramba, como eu estou bobo...
Eu sentei na cama dela e passei minha mão levemente no seu cabelo, tirando-o da frente do rosto. E depois eu não resisti e a beijei. Ela sequer abriu os olhos. Senti a mão dela no meu pescoço e a sua boca entreabrir-se. Era um momento perfeito... como qualquer outro que eu tenha passado com ela...
Harry e Gina fizeram as pazes. Eu não entendi até agora qual fora o motivo de Gina ter ficado tão brava. Aliás, nem quero entender. Acho que seria bem pior se eu entendesse o relacionamento daqueles dois. Já me basta aceitar que minha irmãzinha é linda e que namora a mais tempo que eu, bem mais tempo, então, tentar entender o relacionamento dela está fora de cogitação...
Agora aqueles dois parecem bem mais unidos. E eu pensando que o elo entre eles já era forte demais, eu não vi nada ainda. Espero que um dia Mione e eu sejamos assim. Não, nós somos assim.
Não é por nada não, mas Mione e eu somos perfeitos, pelo menos um para o outro.
Então tudo voltou ao normal. Até Mione e eu voltamos ao normal. Harry e Gina voltaram a ser patéticos. Só que, mais patéticos que eles, apenas eu e a minha amada. E digo: isso soou realmente patético.
Mione voltou a me encher com os NIEM’s, e voltou a tricotar gorros para os elfos, e voltou a trancar o salão comunal para que alunos não entrem ou saiam dele de forma desorganizada.
Eu voltei a dormir. E isso é muito bom. E eu voltei com os passeios com a Mione. Voltamos a voar de vassoura, e a ir à torre de astronomia, e a perambular pelo castelo de forma clandestina. Passamos a fazer isso como namorados.
Só que, mais do que namorados, somos amigos. E esse mundo é fascinante. Porquê? Simplesmente porque eu estou apaixonado.
Ah! As chuvas ainda não acabaram. Da última vez choveu seis dias sem parar. Seis dias! Acho que nunca choveu tanto assim. Bom, talvez muitas pessoas ainda precisem de um ‘Through the Rain’ para se livrarem de todos os seus problemas, e talvez por isso chova tanto."


Rony jogou o diário dentro do malão e desceu para o salão comunal, onde Hermione já o esperava para estudarem para os exames finais que definiriam suas futuras profissões.
-E então, eu consegui botar alguma coisa nessa sua cabecinha dura?- ela perguntou com um sorriso, recebendo o namorado ao pé da escada.
-Conseguiu botar um monte de pensamentos impróprios nela, isso sim...- ele agarrou-a por trás, dando um beijo na nuca dela, fazendo-a se arrepiar.
-Eu não estou falando disso, Ronald!- ele franziu o cenho.
-Ronald? Faz tempo que você não me chama de Ronald...- ela sorriu.
-Seu bobo... prefere amorzinho? Ou quem sabe Roniquito, ou Meu tchutchuco- ele olhou-a escandalizado.
-Por favor, Mione... nada de Roniquito ou Meu tchutchuco...- ela riu, achando graça da expressão de Rony.
-Estou falando sobre o que você vai fazer na vida, ou o que vamos fazer dela, amorzinho.- ele sorriu, levou sua boca até próxima ao ouvido dela e sussurrou:
-Já pensou em se casar?- o sorriso dela desapareceu e, de repente, não havia chão debaixo dela para ela se segurar. Suas pernas bambearam e Rony teve que segurá-la para que não caísse- Comigo, claro...- ele acrescentou. Os olhos dela marejaram e ela voltou a sorrir. Então, ela o beijou, dando sua resposta.
-Irmãozinho...- Gina bateu no ombro dele, enquanto ele ainda beijava Hermione. Rony sequer parou de beijá-la, apenas apontou o polegar para a escada do dormitório masculino, atrás de si- Obrigada, irmãozinho...- segundos depois ele separou um pouco os lábios dos de Hermione e falou, num sorriso divertido:
-Às vezes eu acho que a minha irmã não sabe mais o meu nome...- ela sorriu e levou a cabeça para cima do ombro de Rony, de modo a ver Gina subindo as escadas.
-Hei, Gina.- a garota parou, já no último degrau- qual o nome do seu irmão?
-Qual deles?
-Este.- Gina pôs a mão no queixo, parecendo pensar.
-Não é Tony?- Rony olhou de Gina para Hermione, que começaram a sorrir.
-De que que ela me chamou?- e virou-se para Gina novamente, que já quase desaparecera no corredor do dormitório masculino- Hei, mocinha, volte aqui! De que você me chamou?- Hermione o fez virar-se para ela.
-Então, Meu tchutchuco, esqueça a sua irmã por um instante...o que você estava falando ainda agora mesmo?
-Meu tchutchuco não, Mione...- ela olhou-o dengosa- OK! OK! Qual será o próximo? Vamos evoluir para Salamandra Ardente? Ou Hipogrifo Apimentado...- ela não se segurou e riu.
-Definitivamente, Rony, você não é muito bom para apelidos... Salamandra Ardente? Hipogrifo Apimentado? Parecem pratos de restaurante...
-Então, Hermione Granger...- ele segurou-a pela cintura, trazendo-a para perto, e sentindo as mãos dela se apoiarem em seu peito- se você prefere Minha tchutchuca...- ela abriu e fechou a boca várias vezes e, quando aparentemente tinha uma resposta à altura para Rony, ele a beijou.

"-Uhm... oi?
-Harry, o diário não vai te responder, se é isso o que você está pensando.
-Ah, Gina, eu achei que fosse igual ao outro.
-Vocês podem parar de ler o diário do Rony?
-Não era Tony?
-Ah, Mione, larga de ser chata. É só uma espiadinha.
-É, meu irmão não deve escrever muita coisa interessante aqui mesmo...
-E se ele nos pegar aqui?
-Fica tranqüila, garota.
-OK, mas só uma olhadinha de nada... Ah! Merlin, o que eu estou fazendo? Rony, me desculpa por isso...
-Você é hilária, Mione.
-A questão não é ser engraçada, Harry.
-Então o que é?
-A questão é... espera aí... acho que achei alguma coisa interessante aqui... será que tem algum problema se eu ler?
-Lê logo, Mione!

‘E sabe o que foi que eu percebi? Que a partir de agora eu não precisarei ver nada através da chuva. E muito menos da neve ou do sol ou do fogo ou de qualquer outra coisa. Eu sempre enxergarei através de tudo desde que eu esteja com a Mione ao meu lado. Com ela tudo parece estar tão certo, e parece tudo tão mais fácil... e é nesse momento que eu percebo o quanto eu fui idiota por não ter ficado com ela antes. Ela é simplesmente PERFEITA, com todas as oito letras em maiúsculo!
E é para ela, minha querida Hermione, que eu dedico este diário. Porque, mesmo sem saber, foi por ela que eu o escrevi. Foi por ela que eu fiquei noites sem dormir, inclusive esta noite, e é por ela que eu vivo.
Pessoas falam. Pessoas sorriem e amam. Mas nenhuma delas encontrou o amor do mesmo modo que eu. Ou ama do mesmo modo que eu. Ele sempre esteve à minha frente, desde que eu tinha onze anos. E ele simplesmente adquiriu a forma de um ser de cabelos cheios, olhos cor de mel, e de uma inteligência extraordinária.
Durante anos eu a amei, e me fiz acreditar que não, que não era amor. Mas era. E foi tudo tão maravilhoso...
Um dia, alguns meses atrás, em época de Natal, uma mulher me disse: ‘Through The Rain’... e pensar que eu nem sabia o que era isso...
Ronald Bilius Granger Weasley
Ficou bom, não? Resta saber se ela vai aceitar...
Com amor, para Hermione Jane Granger Weasley”


FIM!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.