FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

22. Caindo em tentação novamente


Fic: Nós... Irmãos ?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 22
Caindo em tentação novamente


Lily olhou para James, então olhou para o bolso dele, ela tinha duas opções, uma era ir com ele por vontade própria, e a outra era usar a desculpa de que estava indo apenas porque ele tinha ganho o desafio da chave, mas qual escolher?Pensou ela com um sorriso maroto.
 
-Você tem uma hora Senhor Potter, somente uma hora. – E dizendo isso ela sorriu e pegou na mão que ele estendia.
 
James abriu lentamente a porta do quarto escuro, e entrou, Lily fez o mesmo, porem não enxergou nada, estava um breu o lugar, então deu mais dois passos e uma luz acendeu, e a sobrancelha da ruiva subiu quando ela deu uma olhada mais profunda no quarto.
 
Ele era grande, maior que o dela talvez, era espaçoso e não tinha coisas amontoadas, ele tinha uma cama com dossel e um guarda-roupa embutido enorme, porém ela não viu sinais de ter um banheiro, ele tinha uma escrivaninha e tinha um sofá enorme dentro na parede direita, e quem sentasse ali, teria uma visão completa do quarto.
 
Mas o que mais impressionou a ruiva não foi a organização ou o porte imponente que o quarto tinha, e sim a cor escolhida para o quarto.
 
-Vermelho é? – perguntou ela irônica, no que ele apenas sorriu.
 
O quarto era todo em mogno e vermelho, a mobília era mogno e a colcha da cama era vermelha, as cortinas eram vermelhas, o tapete era vermelho, tudo, exatamente tudo era vermelho, mas não era um vermelho berrante, era um vermelho escuro, o que deixava o quarto bastante acolhedor.
 
Ele, sem dizer nada, segurou a mão da ruiva e a levou em direção ao guarda-roupas, ela estranhou a atitude.
 
-Vai me trancar ai é? – perguntou ela, no que ele só riu e continuou seu caminho.
 
-Achei que tinha coisas mais interessantes pra fazer, não que iria me trancar realmente no guarda-roupas. – brincou ela mais uma vez, e ele riu e disse “Só você mesmo!”, no que ela tentou ver isso como um elogio.
 
Ele parou em frente a uma das portas e a abriu, entrou e deixou que a curiosidade da ruiva fizesse o mesmo.
 
___
 
Lily viu James entrar pela porta e sem nem pensar ela entrou atrás, e sorriu com o que viu.
 
Era um banheiro branco, todo azulejado em um branco que brilhava, e, para sorriso da ruiva, as toalhas eram vermelhas e o tapete também, assim como o cesto de roupas sujas que ficava escondidinho em um canto.
 
-Seu banheiro é maior que o meu sabia? – perguntou ela.
 
-Não entrei lá, mais pretendo.
 
-Ora, e quem disse que lhe convidei?
 
-Assim como você, eu não preciso de convite. – sorriu ele.
 
-Ora, então quer dizer que eu não preciso de convite? – Mas ela nem esperou ele responder para completar – Bom saber!
 
-E ai, o que achou das minhas instalações?
 
-Vermelhas. – brincou ela.
 
-Viu, eu disse que adorava vermelho.
 
-Por um acaso é por algum time de futebol ou coisa assim? – perguntou ela interessada.
 
-Mais ou menos, já entrou no quarto do Sirius?
 
-Não. – respondeu ela não sabendo onde ele queria chegar, mas percebeu que ele aparentemente tinha sufocado um suspiro aliviado.
 
-É todo vermelho e dourado, e vermelho berrante, fora os posters que tem grudado na parede, sabe, ele gosta mais de vermelho  que eu, eu acho.
 
-Mais que você eu duvido. – disse ela enrolando uma mecha de cabelo nos dedos, e ele riu ao ver aquilo.
 
Ele se aproximou e disse:
 
-Viu, eu acertei, o cinza o ursinho e verde a calça, e se me permite dizer, não é uma combinação muito.. moderna.. – brincou ele.
 
-Eu sei que está brega, mais eu gosto assim, e outra, eu ia dormir com essa roupa, não ia para um encontro as escuras em uma biblioteca mal assombrada. – ironizou ela.
 
-Ora ora ora, mal assombrada é?
 
-Aham, coloquei pra dar ênfase sabe, fica um cenário mais elegante para um encontro. – sorriu ela.
 
-Bom, mas para agora, você esta com os trajes perfeitos.
 
-Ah, então você vai me levar pra cama? – perguntou ela com as sobrancelhas arqueadas.
 
-Em qual sentido?       
 
-Não me pergunte. – disse ela por fim.
 
-Bem, já que eu escolho...
 
-Olha lá o que vai fazer heim..
 
-Confia em mim?
 
-Já disse que sim.. mas você não parece muito digno de confiança..
 
-Ora, e por quê? – perguntou ele com falsa indignação.
 
-Porque você roubou a minha inocência. – disse ela dramática.
 
-Roubei a sua inocência? Quando?
 
-Ah, na hora que você me pegou assim e me prensou na parede.- disse ela fazendo o que dizia, deixando o sorriso do maroto meio surpreso.
 
-Oh, me desculpe. – disse ele com a voz falsa e a beijando.
 
-Você beija bem sabia. – disse ela enquanto eles se beijavam, fazendo ele sorrir.
 
-Primeira vez que eu beijo falando. – disse ele sorrindo entre o beijo.
 
-É esquisito. – completou ela, para calar a boca de vez e fechar os olhos, sentiu que ele a tirava dali.
 
Ela soltou-se dele e disse:
 
-Quantas portas secretas têm aqui?
 
-Varias... tem a do paraíso, a da perdição, a da inocência , a da minha cama e a da saída, qual você escolhe?
 
-A da sua cama. – disse ela marota.
 
-Ótima escolha, e eu que cheguei a pensar que você preferiria a da saída. 
 
-Em meu juízo perfeito era essa a que eu escolheria, pode apostar.
 
-Ah, então você não está em seu juízo perfeito?
 
-Nem um pouco, e muito menos você, foi espancado por maníacos e já esta no maior love com uma menina no seu quarto.
 
-Ah, eu não irei fazer nada demais, eu estou fraco...
 
-Fraco?
 
-É, muito fraquinho... – disse ele dramático, e a ruiva pensou no que aconteceria se ele estivesse forte.. preferiu nem perguntar.
 
Então eles saíram do armário e Lily tentou não rir com a idéia, mas foi impossível.
 
-Ué, ta rindo de que? – perguntou ele sorrindo.
 
-Percebeu que a gente acabou de sair do armário?
 
-E daí? Aaaah, entendi.. – disse ele acompanhando ela nas risada.
 
-Que horror! – disse ela baixinho no ouvido dele, antes de começarem a se beijar mais uma vez.
 
Ele mais uma vez segurou-a forte contra si e ela sorriu entre o beijo.
 
-Eu não vou fugir.
 
E ele só sorriu de volta, mas a apertou mais ainda.
 
-Hoje você é minha.
 
....
 
-Responde uma pergunta? – perguntou ela olhando nos olhos dele, mas sem sair do abraço.
 
-Só mais uma. – disse ele divertido.
 
-Porque vocês gostam de dizer “você é minha” ou coisas do tipo?
 
-Eu, particularmente digo isso quando a outra pessoa me faz sentir completo, mais shiii! É segredo, não conta pra ninguém. – disse ele de olhos fechados, com vergonha do que tinha falado.
 
Ela riu, “Seu bobo” sussurrou ela no ouvido dele, voltando a beijá-lo.
 
Ele se sentiu aliviado quando ela fez a brincadeira, então voltou a beijá-la.
 
Ele já estava a levando em direção a cama quando ela abriu os olhos entre um beijo e outro, e foi ai que ela viu:
 
-Meu Deus, James, olha isso daqui! – E dizendo isso ela foi em direção a janela de vidro, que na verdade era uma parede/porta de vidro que dava direção a sacada, mas não era isso que ela tinha visto, e sim a lua enorme no céu, não era lua cheia, mas ela estava enorme, e branca, tão branca, contrastando com o azul anil do céu.
 
Ela foi em direção a parede e ficou parada olhando admirada a paisagem, ela via a montanha que ele tinha a achado no primeiro dia em que se viram e sentiu um aperto no peito ao vê-la, e relacionou com o fato do Rafael tê-la usado, mas sentiu o beijo de James em seu pescoço e ficou mais tranqüila, ele conseguia varrer Rafael da sua cabeça.
 
Ele então, deu uma chupada no pescoço dela, que protestou, mas acabou caindo na risada, deixando-o desconcertado.
 
-Eu não quero lembrar disso mais tarde, porque pode saber, se ficar vermelho, eu vou te matar! – disse ela divertida, no que ele sorriu, se ela visse as outras que ele já tinha deixado, ela provavelmente ficaria louca da vida.
 
-Minha vez. – disse ela, beijando o pescoço dele, ali não ficaria vermelho, ficaria roxo, provavelmente, e ela não tinha idéia de como ele esconderia aquilo,já que era bem visível e os cabelos do moreno não tampariam.
 
-Ai! – fingiu ele dizendo que tinha doído.
 
-Dói? – perguntou ela marota.
 
-Aham.
 
-Não senti nada! – E saiu correndo pelo quarto com ele atrás dela, quando ele a pegasse, ela estaria ferrada.
 
Ela pulou em cima da cama e ficou de pé lá, estava enrascada, ele tinha subido também e não tinha pra onde ir, ela tentou arriscar e pular para o lado, mas ele tinha sido mais rápido e a tinha capturado, os dois caíram na cama, ele, obviamente, por cima dela. 
 
-Minha vez! – disse ele maroto, abaixando levemente o blusão dela e deixando um chupão enorme em seu colo.
 
-POTTER! –berrou ele em falso protesto.
 
-Chamou? – disse ele subindo para o pescoço.
 
-Besta! – disse ela dando um tapa nos braços dele.
 
E ele continuou ali até deixar bem marcado.
 
-Isso não vai poder existir amanhã! – disse ela em alerta, no que ele riu alto, imaginando o quanto iria apanhar dela.
 
Ela então, percebendo que ele só estava roxo no pescoço, tirou a camisa dele e ficou por cima, no que ele arqueou a sobrancelha como se a desafiasse a fazer algo, então, sem deixar de olhar nos olhos dele, ela foi beijando o peito dele e descendo para a barriga, ele a olhava meio perplexo, meio divertido, então ela deixou um vermelho enorme na barriga dele que protestou novamente:
 
-Eu já te disse que isso dói!
 
-E eu já disse que não estou sentindo nada! – E então ela subiu os beijos, porém colocou as mãos no peito dele e enquanto se beijavam, ela foi desviando as mãos para as costas e puxando ele junto com ela, de modo que ficassem sentados, então ela disse:
 
-Isso sim vai doer! – E olhando sádica para ele, cravou as unhas nas costas dele e desceu, ele gemeu de dor.
 
-Aaaai! Ai ai ai ai ai! Isso dói!
 
-Não senti nadica de nada! – riu ela.
 
-Não sentiu até agora, mas vai sentir! – disse ele olhando maroto par ela, que fez cara de desdém como se não houvesse como machucá-la.
 
-Vai fazer o que?
 
-Espere e verá, mais fique tranqüila, não vai doer.. não em mim! – E dizendo isso, ele tirou o blusão da ruiva, que se sentiu exposta demais apenas de sutiã.
 
- O que vai fazer? – Ele não disse nada, ele a abraçou, de modo com que se peito ficasse em contato com o dela e tampando a visão dele, deixando-a mais relaxada, então ele mordeu de leve o pescoço dela.
 
-Não ta doendo se quer saber! – disse ela fazendo birra.
 
Ele riu, e deitou-a na cama, já que ela queria fazer birra, ela a deixaria corada por um momento, e deitando-a na cama ele lançou um olhar faminto para os seios dela, que corou tanto, mais tanto que ele quis rir, mais não o fez, então ele a beijou, enquanto suas mãos escorregavam em direção a coxa dela e apertavam, fazendo ela gemer entre um beijo, ela levantou a perna dela e se enfiou ali, entre as pernas da ruiva, e apertou mais uma vez a coxa dela.
 
-Isso dói seu besta! – disse ela um pouco brava.
 
-Não senti nada! – E ele apertou mais uma vez olhando-a nos olhos vendo ela o olhar brava, mas ele não deu tempo pra ela ficar mais irritada e a beijou, então ele desviou os beijos para a bochecha dela e mordeu ali, ele ia deixar um chupão, mais seria maldade demais com a ruiva, sem deixar de se enfiar mais entre as pernas da ruiva, fazendo-a morder o lábio ao sentir ele.
 
Então ele foi descendo as mordidas, e a cada nova ela dava um tapa nele e dizia “Ai!” enquanto ele a mordia mais forte, então ele mordeu a barriga dela, só que ela não sentiu nada.
 
-Não vai doer agora, mais amanhã você vai se lembrar de mim! – disse ele baixinho, deixando um chupão na barriga dela, que cansada daquele joguinho o puxou de volta e beijou a boca dele, era mais confortável assim, então, enquanto se beijavam, ela sentiu ele recolocar o blusão nela, que sorriu agradecida, não se sentia bem assim.
 
-Conhece meu sofá? – disse ele divertido.
 
-Não. – Então ele a pegou no colo e a levou pro sofá, e a sentou nele, meteu-se mais uma vez entre as pernas dela e foi a prensando, quando se beijavam, aumentando o ritmo ele sentiu ela apertar os braços dele, então ele sentou no sofá e a colocou em seu colo, segurou forte na sua cintura e meio que fez pressão para baixo, como se quisesse fazê-la dele ali mesmo, então ele a pegou no colo, levantou e a deitou bruscamente na cama, abrindo as pernas dela e se prensando novamente ali, com mais força, fazendo-a gemer e dizer “Você é um indecente sabia?”.
 
  Eles continuaram se beijando mais um pouco, e com a boca levemente adormecida eles pararam e ele deitou ao lado dela.
 
-Que horas são? – perguntou ela.
 
-Temos ainda mais vinte minutos.
 
-E amanhã? – perguntou ela, no que ele entendeu exatamente o que ela dizia.
 
-O que você acha? –rebateu ele dividido em saber ou não resposta.
 
-Sei lá, acho que amanhã a minha responsabilidade vai voltar e eu vou morrer de ódio de mim mesma e de você! – disse ela olhando pra ele.
 
-Eu também acho, então que tal quando você sair daqui a gente fazer de conta que foi só um sonho e tentar não sentir raiva de mim?
 
-Pode ser.. vai contar pro Sirius não é? – disse ela divertida.
 
-Ele me mataria se eu não contasse.
 
-Ok, eu confio nele, mas não quero nem pensar nos comentários tarados dele.
 
-Ele faz comentários tarados com você? – perguntou James bravo.
 
-Esquece.
 
-Me fala!
 
-Já falei que é pra esquecer, eu não quero passar meus últimos minutos de irresponsável brigando com você, deixa isso pra amanhã. – E dizendo isso eles voltaram a se beijar, James não queria que ela fosse embora, mas sabia que ela teria que ir e que amanhã as coisas seriam diferentes, então ele decidiu aproveitar esses últimos minutos.
 
Lily percebeu que ele tinha a abraçado mais forte, então ela enlaçou as pernas em volta dele e deu uma mordidinha de leve no em seu lábio, no que ele sorriu.
 
-Primeira vez que alguém faz isso e eu não me sinto mal. – disse ele com a testa encostada na dela, e com os olhos fechados, ele sabia que ela o olhava.
 
-Primeira vez que faço isso. – confessou ela, então eles ouviram o apito discreto do relógio dele e ela sorriu derrotada e levantou-se.
 
-Não tem como parar o tempo? – perguntou ele esperançoso.
 
-Ainda não conheço nenhuma técnica pra isso.. você me acompanha até a porta? – pediu ela, e ele balançou a cabeça em afirmação, então deu uma última olhada na cama bagunçada e abraçou-a pelos ombros, fechou a porta do quarto, e então olhou para frente e viu a porta do dela fechada.
 
-Tchau! – disse ela ficando na ponta dos pés e dando um selinho nele, só que ele a empurrou forte na parede e segurou as mãos dela, beijando-a fervorosamente, então ela enlaçou pela milésima vez na noite, as pernas em volta dele, aquilo já estava virando um vício, então ele a prensou mais forte na parede e ela o abraçou forte em volta do pescoço.
 
-Você só pode estar louco em fazer isso aqui, qualquer um pode ver!  - Em resposta ele a prensou mais forte ainda na parede, fazendo-a quase gemer, ela o apertou mais forte.
 
Ele, pela última vez na noite, passou as mãos pelas costas dela e foi descendo até chegar na cintura, ela ficou novamente de pé e ele voltou a beijá-la, não queria desperdiçar um segundo sequer.
 
-Eu preciso ir! – disse ela baixinho no ouvido dele.
 
-Eu sei! – disse ele dando um último beijo e se afastando.
 
Ela então, abriu a porta e acenou em tchau, ele entrou no quarto dele e eles fecharam a porta juntos.
 
__________
 
James fechou a porta e deu um soco na parede.
 
-Mais que grande merda eu fui fazer! Parabéns James, Parabéns! – gritou ele consigo mesmo, dando mais um soco na parede e escorregando cansado pelo chão.
 
-Eu sou um idiota meu deus! Um retardado, como eu pude fazer isso? A ONDE TÁ O MEU JUÍZO? – gritou ele pensando que se o fizesse alguém lhe traria ele de volta.
 
-Que ótimo, amanhã ela vai estar puta da vida com você e com muita razão, realmente perfeito, porque foi exatamente isso que meu pai me mandou fazer, ele disse claramente para eu conquistar a minha irmãzinha e fazê-la sofrer, ou pior ainda, ME APAIXONAR POR ELA! AI QUE ÓDIO! – disse ele batendo os punhos na porta, a raiva o corroendo pro dentro, ele não deveria ter perdido o controle.
 
Se sentindo o pior idiota do mundo, ele deitou na cama e ficou olhando pro teto, o perfume dela impregnado em todas as coisas, ele começou a lembrar das ultimas horas e sentiu seu estomago pular, fechou os olhos, ele não conseguiria dormir ali.
 
-Meu deus, eu dei uns pega na minha irmã! Eu só posso ir pro inferno mesmo. – disse ele rindo desesperado, dando tapas na própria testa ao lembrar do sutiã dela.
 
-Ela deveria estar bêbada, só pode, vai me acusar de assédio sexual amanhã e com razão, meu deus, eu tirei a roupa dela, eu prensei ela contra parede e a levei pro fundo de casa, ela sentou no meu colo e eu a deixei marcada, Jesus, eu mordi ela, e eu apartei a coxa dela e eu me esfreguei nela, eu não vou pro inferno, o diabo não vai me aceitar.... Meu Deus.. eu quase.. eu quase... quase.. fiz com ela.. eu sentei no sofá e... ai meu deus, eu a trouxe pro meu quarto e  a deitei na cama, subi em cima dela, eu só posso estar ficando doido.. e eu.. eu.. eu não me arrependo nenhum pouco de nada do que fiz... o que torna as coisas piores ainda.
 
Ele sentia o estomago gelar quando se lembrava dele abraçado nela, dele abrindo as pernas dela com as dele, e uma vergonha incrível do que tinha feito, como ele conseguira? Amanhã ele não poderia olhar para a cara dela.
 
E ela? Como reagiria? Poderia ser de duas formas, a primeira é suspirando apaixonada, e a segunda, a mais provável, diga-se de passagem, é soltando fogo pelas ventas, querendo socar cada mínimo pedacinho que não tinha beijado na noite anterior.
 
Suspirou cansado, ela não iria querer uma trégua, não mais, e quem conseguira estragar tudo fora ele, será que não poderia se controlar e apenas responder que qualquer cor ficaria bem nela? Ou quem sabe nem opinar, deixar que elas resolvessem? Porque cargas d’água ele foi dizer o que provavelmente a deixaria mais irritada? Bem... Sobre isso... Nem mesmo ele sabia... Ninguém pode explicar o porquê dele ter um gosto sádico de irritá-la, talvez fosse porque ela responderia da melhor forma possível, nem sempre a mais racional, mais a melhor.
 
Virou-se na cama, sentiu o perfume dela e o travesseiro levemente úmido pelo fato de seu cabelo estar molhado, sentiu o cheiro dos fios vermelhos e levantou resignado, ali ele não conseguiria dormir.
 
Pegou um travesseiro limpo no armário, umas cobertas e um colchonete embaixo da cama, e colocou de forma desajeitada em um quanto qualquer do quarto, deitou-se, a noite seria mais longa do que se ele estivesse apenas remoendo os acontecimentos frescos do ataque que sofrera, e não soube o que era pior, ser espancado por no mínimo uns dez homens (ele não parou para contar na hora), ou o arrependimento não muito arrependido de ter feito o que fez.
 
-Deus, Merlin, Alá, Buda, Kami-sama, Deusa, Zeus, Tupã, quem quer que esteja me ouvindo agora, por favor, faça com que pelo menos hoje eu possa dormir! – pediu ele desesperado depois da quinta vez que se virou no colchonete desconfortável, mas era melhor do que sentir o cheiro dela, era menos doloroso.
 
____________
 
Após sentir a porta fechar-se atrás de si, Lily jogou-se na cama, Que noite meu Deus, que noite!, pensou ela dividida entre a felicidade e aflição, desejo e culpa, vontade de gritar e ir lá gritar com ele, voltar para àquele quarto e não sair do seu nunca mais ... E o que era pior ainda.. entre  James e Rafael, agora o porquê seria difícil dizer, talvez  a disputa fosse entre o que a mais fizesse passar raiva ou o que a fez suspirar mais em uma noite, quem sabe?
 
Continuou com seus devaneios até sentir-se ir automaticamente para o banheiro, não se lembrando como fora parar lá, não que fosse a primeira vez que isso tinha-lhe acontecido na noite, pois, ela também não sabia como tinha ido parar no colo dele, ou como foi que ele a levou, com simplórios beijos, á loucura. E... Estar ali.. No banheiro, sem saber como tinha o feito, era a menor das coisas comparado a tudo o que tinha.. digamos que.. aprontado em uma noite.
 
Tirou a roupa tentando não pensar que poderia ser as mãos (ou enormes mãos, se preferir) dele que o faziam, suspirou enfadada, até quando seus hormônios a deixariam desse jeito? Quando foi que o “espírito-pedreiro”* de ser tinha baixado nela? Até quando essa história continuaria?
 
Ligou a banheira e virou todos os potes de sais dentro, talvez assim uma fazia efeito, ou quem sabe, ela pegasse uma alergia horrível e sua pele inteira descascasse e ela não pudesse sair do quarto por uns tempos, de preferência, no mínimo dois meses, que era o tempo que teria que conviver na companhia dele, e pensando que talvez ela fosse dramática demais e que isso não passava de um pesadelo horrível (ou maravilhoso, porém um pesadelo) que ela estava vivendo e que amanhã acordaria na sua antiga casa, porém todos os pensamentos foram embora quando ela sentiu uma mão em seu ombro, ia berrar de susto quando viu quem era, não soube se suspirava aliviada ou não.
 
-Lily do céu... – começou a morena.
 
-Não.. é Marlene do céu.. menina.. como você faz uma coisa dessas? Eu poderia morrer do coração sabia? – disse Lily tentando fazer a amiga sorrir, mas ela estava branca, muito branca, e tinha um olhar esquisito, Lily ficou preocupada.
 
-Quê que houve pra você ficar branca desse jeito? – perguntou a ruiva, achando que a qualquer momento a menina fosse desmaiar, ou pior, vomitar.
 
-Que que houve? Houve que eu tive a melhor noite da minha vida e não estou acreditando ainda! – disse a menina com a voz um pouco animada, mais se estirando no meio do banheiro, morta de cansaço.
 
-Vocês.... – começou Lily já sabendo a resposta, mais queria ter a confirmação da amiga.
 
-Aham, e não foi pouco! – disse a morena rindo.
 
-LENE!
 
-Que foi? To respondendo a verdade! – disse a menina um pouco indignada.
 
-E como foi?
 
-Doeu.. muito, mais daí passou.. aaah.. daí depois.. nossa.. não posso nem lembrar... – disse a menina viajando com um sorriso bobo no rosto.
 
-Quero detalhes... – disse a ruiva impaciente, todo o sono que talvez nem fosse sono, tinha passado rapidamente.
 
-Ah, foi assim.. eu cheguei lá né.. daí a gente começou a conversar e tals, ai a gente foi se beijando, se beijando.. a coisa foi esquentando.. mais tipo, a gente nem tinha tocado no assunto, eu preferi começar com uma conversa light , ai eu fui enrolando ele né, ele.. tadinho.. achou que eu só estava dando um ”Boa Noite” á lá Marlene, mas daí.. quando eu tirei a camisa dele.. ele percebeu as minhas milésimas intenções.
 
-Você tirou a camisa dele? – perguntou Lily abismada.
 
-Ué Lily, você queria que eu tirasse o que? A calça dele? Não.. primeiro é a camisa.. daí dá pra dar uns beijos no peito dele sabe. – Nessa hora, tudo o que Lily mais quis foi dizer: ‘Não, não sei” mais preferiu não comentar.
 
-Sei.. mais continua!
 
-Daí ele parou né, ficou olhando pra minha cara e eu disse o que disse pra você agora pouco: “Quer que eu comece pela calça?” e ele ficou meio vermelho, na verdade, ele ficou muito vermelho, daí ele entendeu realmente o que eu queria, e quis conversar, daí lá vai nós conversar né, já que ele queria.. fazer o que.. daí ele falou um monte de porcaria.. e blá blá blá blá, e mais um pouco de blá blá blá, disse que eu era muito nova pressas coisas, e quando ele viu que eu ia socar ele pelo comentário, ele pediu desculpas e disse que eu não era tão nova assim, mas o princípio ativo foi o mesmo e eu fui ficando irritada, até que eu disse “Tudo bem Sirius, se você não quer tudo bem, tem caras que adorariam passar uma noite comigo!” e ele ficou brabinho porque eu disse isso e eu disse que não era nenhuma maluca irresponsável, não muito, daí ele riu e disse que era pra mim pensar melhor e depois a gente voltava a falar nisso, daí eu disse “Ahaaaam” , daí ele me tocou pra fora do quarto dele, eu contei até dez e voltei pra lá dizendo “Pronto, já pensei!”  e ele suspirou rindo algo que me lembrou “Ela é doida!” mas não era só porque ele estava me elogiando que eu ia desistir, daí ele começou a falar mais um pouquinho e eu disse “Posso falar agora?” e ele balançou a cabeça dizendo que sim, daí né, eu falei pra ele que sábia o que queria,  e que era a primeira vez que eu tinha decidido isso com um namorado e que era pra ele ficar sossegado que eu não inventava de dar pra todos os meus namorados, nessa parte ele ficou bravo, e eu fiquei mais que ele, daí continuei dizendo que sabia o que queira, mais que o que eu queria saber agora era, porque ele não queria, daí ele ficou meio desconcertado sabe.. e eu fiquei olhando pra cara dele esperando, daí ele disse que já tinha levado muitas meninas pra cama e não queria que eu fosse mais uma, daí nisso eu fiquei meio doida e comecei a chorar, abri o maior berreiro...
 
-Mas por que?
 
-Pera ai! Já chego lá! Daí ele me abraçou e eu, que não sou boba nem nada, comecei a beijar ele né, daí quando ele foi perceber eu já tava só de sutiã, huahuahuahuahua! – disse a menina rindo muito, feliz com a sua astucia.
 
-Ué.. você aprontou o maior berreiro só pra enrolar ele e dar o bote? – perguntou Lily perplexa.
 
-Não, tipo, eu chorei de verdade, fiquei meio emocionada com o que ele tinha dito e com a decisão que eu tava tomando, mais voltando, ele viu que eu já tava sem sutiã e fez uma cara de bravo, porque eu tinha enrolado ele, daí eu disse que eu tinha chorado porque eu tinha ficado emocionada e tals, daí ele disse que.. ai.. não consigo nem pensar nisso.. – disse a menina de olhos fechados, fazendo cara de medo.
 
-NÃO ACREDITO QUE ELE DISSE AQUILO?
 
-Isso mesmo... ele disse aquilo.. ai dá até arrepio de lembrar – disse Lene fazendo cara de tristeza.
 
-E você?
 
-Ai amiga, eu fiz pior ainda.. eu disse “Eu também”, ai.. que horror.. não acredito que eu disse pra ele que amava ele, na verdade, eu nem acredito que ele disse que me amava, mas parece que isso foi as palavrinhas mágicas sabe? Daí ele ficou beeeeeeem animadinho...
 
-Mas você não fez nenhum comentário sobre o “Eu te amo”?
 
-Não consegui Lily, eu ia dizer pra ele não forçar, mas foi verdadeiro, foi a primeira vez que eu ouço isso da boca de alguém e não soa falso, daí eu não pude dizer nada, daí a gente foi se beijando né, se beijando, te contei a onde a gente tava?
 
-Não.. mas era na cama né?
 
-Não, aí, nessa parte.. a gente tava num sofá que tem no quarto dele.. daí ele me pegou no colo e me levou pra cama... – Lily tentou não ver outra pessoa fazendo a mesma coisa com ela, mas foi impossível não lembrar – E daí ele me deitou lá e a coisa foi esquentando.. daí ele tirou a minha calça.. e eu tirei a dele, mais não vou entrar em detalhes nessa parte, é muito vergonhoso.. então.. continuando.. ai ele tirou meu sutiã e por um momento eu pensei que aquilo era realmente o certo a se fazer, porque eu sabia que eu queria.. mas daí.. com o que ele fez depois.. ai eu tive certeza absoluta que era a mais certa pra se fazer..
 
-O que ele fez depois? – perguntou Lily curiosa.
 
-Não vou dizer.. – disse a menina escondendo o rosto em uma toalha.
 
-Ah.. fala Lene.. por favor... ué.. cadê a Lene despudorada que eu conheço? – apelou Lily, querendo saber o que o maroto tinha feito.
 
-Ai Lily.. que horror.. pressão psicológica não vale!
 
-Faaala.. por favor..
 
-Nhaain.. que vergonha.. não acredito que eu to falando isso..
 
-Na hora de fazer você não ficou com vergonha.. repetir em voz alta não vai ser diferente..
 
-Ai Lily.. eu não vou contar..
 
-Escreve num papel então.. eu preciso saber. – disse a ruiva curiosa e a morena, incrédula, pegou um papel higiênico e com o batom escreveu algumas palavras.
 
Entregou o papel pra Lily que abismada disse:
 
-NÃO.. ele NÃO fez isso!
 
-Pior.. ele fez.. e menina.. eu me derreti toda..
 
-Ah.. eu imagino o porque! – disse Lily sarcástica.
 
-LILY... sua vaca.. não é pra me zoar.. eu respondi a sua pergunta.. mas deixa eu continuar.. então... depois dele fazer você-sabe-o-que.. ele tirou a minha calcinha.. te juro.. essa foi a pior parte.. eu quis morrer de vergonha.. e ele ficou lá.. rindo da minha cara.. e sussurrou no meu ouvido “Agora não tem mais volta”, daí eu disse que não ia parar ali né.. depois que ele já tinha visto tudo né.. – disse a morena quase roxa de vergonha.
 
-Ai gente.. que horror... ele viu a sua periquita vei! – disse Lily tão vermelha quanto a amiga.
 
-LÍLIAN EVANS, não torne as coisas piores.. e outra... quando chegar a sua hora, eu também vou fazer exatamente o que você está fazendo..  
 
-Ok oks.. desculpa..
 
-Ta perdoada, mas deixa eu continuar... vou resumir daí em diante.. por que depois que ele tirou a calcinha foi só amasso, até eu tirar a cueca dela.. ai sim amiga.. ai sim foi a pior parte... eu não tive coragem de olhar, mas também não podia não olhar né.. daí eu olhei..
 
-Pára Lene, pára! Essa conversa ta ficando imprópria pra seres inocentes como eu! – disse Lily tão vermelha quanto a amiga.
 
-Não, agora deixa eu continuar.. vai ser bom pra você ouvir o que eu disser..
 
-Ué.. e porquê?
 
-Pra quando você for dormir com o James.. não cometer os mesmos erros.
 
-Háháhá... sem graça.. mais que erros foram esses?
 
-Bem, nunca olha pro Junior e feche os olhos depois.. o cara pode ficar envergonhado.
 
-Hãn?
 
-Tcho traduzir! Bem.. depois que eu olhei por Juninho, que de inho nem o nome... eu olhei para cara dele e fechei os olhos, ai foi um desastre, eu faltei morrer de vergonha.. mas tipo.. não era de vergonha ,vergonha.. era sem vergonha sabe?
 
-Aham.. entendi o principio ativo.
 
-Então.. daí foi..
 
-Foi o que? – perguntou Lily.
 
-Ai meu Jesus Cristinho.. foi Lily.. ele enfiou o dito cujo lá!
 
-QUE HORROR LENE! Precisa dizer assim?
 
-Você só entende assim..
 
-Tá ta... continua!
 
-Então.. daí eu achei que tentavam me dividir no meio, foi uma dor tão.. mais tão doida.. que por um momento eu pedi pra ele parar.
 
-Sério?
 
-Aham, mais daí quando eu pedi, a coisa foi ficando tão boa, mais tão boa que se ele parasse eu morria ali mesmo..
 
-Hãn?
 
-Tipo assim.. doeu bastante sabe? Mais daí acostumou.. ai minha filha.. foi só alegria!
 
-E depois?
 
-Depois o que?
 
-Quê que aconteceu?
 
-Aah.. daí aconteceu a palavrinha que você sabe e que eu não vou dizer porque não suporto.. daí tipo, ele meio que voltou ao normal.. não no sentido de.. aah.. se sabe.. apagar.. ele voltou ao normal mentalmente.. e meio que percebeu o que tinha feito.
 
-E daí?
 
-Ah, daí ele disse que ia pro inferno.. e eu disse que era pra ele ficar calmo.. ele não tinha feito nada sozinho.. daí ele ficou calmo.. chegou ate a me pedir desculpas e a gente começou a conversar.. daí foi dando um sono.. mais um sono.. daí a gente dormiu.. daí eu acordei primeiro que ele, coloquei a roupa.. dei um beijo nele e sai.. ai eu to aqui.. contando tudo pra você.
 
-Sei... e como é?
 
-Como é o que?
 
-Larga de ser besta Lene.. ‘cê sabe do que to falando..
 
-Aaah seei.. é igual de filme pornô.
 
-Não besta.. eu não quero saber como é o órgão sexual dele.. isso eu já sei como é duh! Eu quero saber como é se sentir assim.. sabe.. desse jeito...
 
-Sem virgindade? 
 
-É..
 
-Ah..sei lá.. to me sentindo bem.. quero ver se isso continua até o dia da minha menstruação...
 
-Não vai me dizer que você NÃO usou camisinha Marlene! – disse Lily irritada.
 
-Não, fica calma... ele colocou sim, eu não vi exatamente como, mas ele tava de camisinha sim.
 
-Graças a Deus!
 
-E tipo, eu to tomando pílula sabe.. faz uns três meses...
 
-Ué.. faz três meses que você tava planejando isso?
 
-Não.. é que tipo.. a minha ginecologista disse que eu já poderia tomar se quisesse e que iria ajudar a regular a menstruação e melhorar a pele, por isso aquelas espinhas horrorosas sumiram.
 
-Então tomar anticoncepcional ajuda nas espinhas?
 
-Depende de mulher pra mulher, alem de que tem uma dosagem certa pra cada uma... só que se você quiser.. te levo nela mês que vem, eu tenho uma consulta marcada, daí ela te passa uns exames pra qual é o melhor pra você.
 
-Posso até te acompanhar se você quiser.. mas não pretendo tomar esses remédios por enquanto.
 
-E porque não?
 
-Tenho que conversar com a Dra. Ângela primeiro e eu não quero que ela pense que eu estou sabe... com a vida sexual ativa.. além de que.. se isso estivesse acontecendo.. eu deveria ter contado pra ela..
 
-Ah.. sei.. bem.. se você for comigo eu vou gostar.. não quero que minha mãe vá.. sabe.. não vou contar pra ela que eu e o Sirius transamos.. mas eu quero falar sobre isso com a Dra. Carla.. sabe... eu tinha falado com ela semana passada e tinha dito que estava pensando em dormir com o Sirius, ai ela me disse que se algo acontecesse era pra mim falar pra ela que ela ia me dar umas dicas depois, tipo.. sobre como eu terei que me cuidar de agora pra frente.. aai.. to me sentindo tão importante... uma mulher.
 
-Hehehehehe...
 
-Apesar que esse discurso é muito machista.. .eu sempre fui mulher.. não é porque transei que isso me eleva a condição de mulher..
 
-É, mulher ou não.. continua a Lene defensora dos fracos e oprimidos, de sempre. – pensou Lily em voz alta, e Lene sorriu para a amiga.
 
-Ai ai.. posso tomar um banho? – pediu a menina.
 
-Não Lene.. duh! Claro que pode.. tem uma toalha limpa ali no armário e pega uma pra mim também? Vou sair da banheira, já to parecendo maracujá de gaveta. Toda enrugada de ficar na água!
 
-Podexá!
 
-Hãn?
 
-É a abreviação de “pode deixar”, entende?
 
-É, faço o que posso.
 
E Lene riu, entregou a toalha pra amiga e começou a tirar a roupa, então ligou o chuveiro e entrou, enquanto Lily se secava.
 
A ruiva olhou para a roupa que estava antes e sentiu seu estomago gelar, e pensou se contava ou não para a amiga, mas decidiu que se contasse, seria depois, não queria que a amiga desviasse as suas atenções da noite dela com Sirius.
 
-Ah Lily, a Amanda me disse que o peito e a bunda crescem mais depois que a gente perde a virgindade, será que é verdade? – berrou Lene do chuveiro.
 
-Amanda?
 
-Uma amiga minha, mora em Paris, eu conheci ela quando passei aquele fim de semana prolongado lá com meu pai.
 
-Ah, sei, você me falou dela.. olha Lene.. não sei não.. nunca li nada sobre isso.
 
-Bem.. tomar anticoncepcionais dizem que também deixa comuns peitões e uma bundona, mas não notei nenhuma diferença, a não ser que.... Bem... eles parecem maiores..
 
-Não é por causa dos remédios não.. foi o Sirius que apertou demais daí ficou inchado  - caçoou Lily.
 
-Será? – E percebendo a brincadeira da amiga, Lene completou –LILY! SUA BESTA EU ACREDITEI EM VOCÊ!
 
-Huahuahuahuahua! – Lene só escutava Lily rindo do outro lado.
 
A ruiva então, decidiu por um camisetão de pijama e um shortinho, e percebeu que seu cabelo ainda estava molhado e cheirava a Potter, era incrível como ele tinha se impregnado em tudo, mas achando que era só impressão sua, ela deixou pra lá.
 
Lene saiu do chuveiro, pegou a toalha de disse de repente:
 
-Ta sentindo esse cheiro de homem?
 
-Cheiro de homem? Aonde? Ta ficando doida Lene, Sirius Black demais faz mal a saúde sabia? – brincou a ruiva nervosa, chutando a sua roupa pro cantinho do banheiro disfarçadamente, no que Lene não percebeu.
 
-Bem, falando nisso.. sei que pode ser pedir demais.. mas o que acha de uma lanchinho? Eu to morrendo de fome.
 
-Eu também, percebi agora.. vamos descer lá embaixo?
 
-Ué.. e o que você estava fazendo pra ficar com tanta fome?
 
-Tava em um encontro escondido com o Potter, dentro do quarto dele, a gente tava no maior amasso.
 
-Haháháhá.. besta.! – disse Lene achando que a amiga estava brincando, e Lily deu de ombros, a amiga não acreditou porque não quis.
 
Elas então, foram para o quarto e colocaram umas pantufas, Lene ainda estava com a cabeçona do Shrek nos pés, Lily porém, estava com as suas, também esquisitas, pantufas de Mike, o monstrinho verde do Montros S.A
 
-Lily, impressão minha ou a gente comprou essas pantufas juntas?
 
-Não, a que a gente comprou juntas foi a da Miney e do Mikey, que cada uma ficou com uma cabeça de cada, essa daqui a gente se deu no Natal lembra, no Natal do ano retrasado.
 
-Ah.. verdade.. junto com aquela toquinha horrorosa né?
 
-Isso mesmo, aah, e porque a gente não troca e fica uma com a cabeça do Mike e outra com a do Shrek? Os dois são verdes mesmo.
 
-Verdade Lil’s, toma, pega essa aqui! – disse a menina rindo e trocando as pantufas,cada uma com a cabeça de um monstrengo.
 
-Vamos descer então, não sei o que tem pra comer, mas deve ter algo na geladeira. – disse Lily para a amiga, então, ainda no escuro, elas desceram e Lily começou a se lembrar do que tinha feito naquele breu, seu estomago não parava quieto, parecia que ele estava querendo trocar de lugar com o coração, porque os dois estavam acelerados faltavam sair pra fora ao lembrar-se de certas coisas.
 
Elas desceram as escadas, mais uma luz crepitava na cozinha e Lily chegou a pensar que tinha alguém lá, mas era só uma vela, então elas começaram a preparar um lanche, até Lily perguntar outra coisa:
 
-Lene, é grande?
 
-Não vou falar...
 
-Ah.. fala.. – disse a menina pegando um salame, então olhou para Lene e as duas caíram na risada.
 
-Quer saber mesmo?
 
-Claro!
 
-Bem.. na verdade é pequeno...
 
-Sério? – perguntou Lily desanimada, ela achou que Sirius Black tinha pinta de ser bem dotado.
 
-NÃO! Háháháhá, na verdade é ENORME!
 
-LENE!
 
-Ué, verdade.. é mais ou menos desse tamanho! – disse Lene se preparando para mostrar com as mãos para a amiga, mais Lily fechou os olhos.
 
-Não quero saber em tamanho sua besta, se você me mostrasse eu nunca mais olharia na cara do Sirius de novo.
 
-Ué..  e porque não?
 
-Porque eu ficaria imaginando...
 
-Huahuahuaua.. e eu? Eu vi ao vivo e a cores..
 
-Azar o seu...
 
-Ou sorte né! – disse a morena marota.
 
-Ai Lene, você é tão safada as vezes..
 
-Filha, não tenho culpa se meu “espírito-pedreiro” é maior que o seu.
 
-Verdade... você poderia trabalhar em uma construção certamente, porque ninguém tem mais alma de pedreiro tarado do que você.
 
-Sabe.. não entendo o porque de “pedreiro”.
 
-Porque você parece aqueles pedreiros tarados de construção que não podem ver um rabo de saia entende?
 
-É.. no meu caso é um rabo de calça..
 
-Exatamente... – disse Lily prensando o seu sanduíche na grelha, e pegando um suco para ela e a amiga.
 
Então, com os lanches prontos, elas começaram a comer e conversar, e Lily percebeu algo, porem decidiu não comentar, até que Lene começou a ficar sonolenta e elas viram que já era  três e meia da manhã, então Lily mandou a amiga subir, com a desculpa de que ficaria para arrumar a bagunça, e cansada demais pra raciocinar, Lene subiu sem nem reclamar.
 
-Ela já foi Sirius, pode sair daí! – disse Lily guardando a maionese e catchup na geladeira.
 
-Quando percebeu que era eu? – perguntou ele.
 
-Quando vi essa vela acesa aqui em cima da mesa.
 
-É, tem lógica, mais poderia ter sido deixada por qualquer um. – disse o maroto jogando verde, e colhendo maduro realmente.
 
-É, mais eu vim aqui antes e não tinha vela nenhuma acesa.
 
-Oh, então quer dizer que você e o James fizeram uma vistinha na cozinha?
 
-Como? De onde ti... – Mas antes que a ruiva completasse, Sirius apontou para o pescoço dela e ela percebeu o enorme roxo de uma chupada dele.
 
-Ah, isso.. não é nada do que você ta pensando.. – disse ela tentando desconversar..
 
-Lily Lily, amanhã eu vou fazer ele me contar tudo também.. então não precisa dizer que não.. – disse ele sorrindo e sentando na mesa.
 
-É.. hehehehehe.. ai meu Deus.. cada coisa.. mais  o que faz aqui? – perguntou ela, e viu que Sirius fico repentinamente desanimado.
 
-Fome.. você sabe.. depois..
 
-Sei.. e porque todo esse desanimo?
 
-Depressão pós-orgasmo.. é sempre assim.. – disse ele mais desanimado ainda.
 
-Não parece só isso Sirius.
 
-Bem.. é que.. ah... você sabe.. ela deve ter te falado que eu não concordava muito com isso..
 
-É, ela disse.. mais porque? Não consigo entender..
 
-Sabe... é que eu não queria que fosse assim sabe, queria que fosse especial, num lugar especial.. não no meu quarto...
 
-Pode ter certeza que foi muito especial.. mais não parece só isso..
 
-É que..você sabe.. eu vou embora daqui dois meses, ela só vai me ver daqui um ano.. eu não queria que a gente evoluísse nosso relacionamento pra esse nível pra depois acabar em nada sabe?
 
-Você disse a verdade quando falou que amava ela?
 
-Receio que sim! – disse ele metendo as mãos na cabeça.
 
-... – Lily não sabia o que dizer, mas percebia que ele precisava falar.
 
-Sabe... é a primeira vez que isso acontece.. eu não queria levar ela pra cama e depois acabar como uma outra qualquer.. e eu.. bem.. não sei se consegui a satisfazer sabe...
 
-Bem Sirius, sobre essa sua última duvida.. mais satisfeita que ela impossível..
 
-Pior de tudo é que eu estou me sentindo um gato.
 
-Um gato? Não seria um cachorro?
 
-Não, cachorro eu já sou, por isso me sinto um gato.. entende.. nojento, feio.. com o pelo fedido.. ah, você entende.. igual um gato.
 
-Heheehehe.. entendi Sirius.. entendi!
 
-Eu não queria ser o primeiro! – desabafou ele com a voz rouca.
 
-E porque não?
 
-Porque não quero ser motivo dela olhar pra trás e dizer que poderia ter feito uma escolha melhor.
 
-Sirius, você é a escolha melhor pra qualquer garota.
 
-Não creio que seja assim.
 
-Mas é verdade... você é amigo, carinhoso, cheiroso, compreensivo.. você é tudo de bom.. e olha que a gente nem ficou e eu já posso enumerar mil qualidades pra te escolher...
 
-A sua primeira escolha seria o James.. foi ele que deixou essa bela chupada ai no seu pescoço. – disse o maroto sorrindo maldoso.
 
-Ora Sirius, não me faça sentir pior do que já estou.
 
-Pior porque? Ele te forçou a alguma coisa? – disse o moreno repentinamente sério.
 
-Esse é o problema.. eu tenho a leve impressão de que ele não me forçou a nada...
 
-Bem.. é bom saber que você ouviu meus conselhos...
 
-Sobre dar uns amassos nele.. bem.. a gente não..
 
-Ele não te deixaria marcada se vocês só tivessem se beijado Lily, eu conheço meu amigo...
 
-Sirius, você lê pensamentos por um acaso?
 
-Na maioria das vezes não – disse ele sorrindo.
 
-Bobo!
 
-Mais em conta... como foi?
 
-Sei lá.. foi tanta coisa..
 
-Sério? – indagou ele pervertido.
 
-Não nesse sentido.. seu bobão!
 
-Aham.. seei..
 
-Verdade.. mais bem.. ele irá te contar melhor que eu.. sabe.. não estou conseguindo organizar as idéias.
 
-É, também estou morrendo de sono, vamos subir?
 
-Vamos! – disse ela cansada, então eles levantaram e Sirius passou o braço em volta dos ombros da menina e deu um croque carinhoso na cabeça dela, desarrumando seus cabelos molhados.
 
-Lavar a cabeça a noite é perigoso ruivinha, apesar que parece que ele está cheirando a James. – riu o moreno divertido.
 
-Sério? Até você acha isso? Ai meu deus! – disse ela desesperada.
 
-Hehehehehehehe, calma ruivinha...
 
-Bem, vou ir dormir, boa noite – disse ela de frente para a porta do quarto, no que Sirius deu-lhe um beijo na testa e disse:
 
-Boa noite mana!
 
E ela entrou em seu quarto, e ele fez o mesmo no dele, para logo serem acordados  poucas horas depois.
 
_____________________
 
Oh que merda! Que GRANDE merda! Minha cabeça parece que vai explodir e eu não sei porquê a merda do meu despertador está berrando desse jeito, meu deus... será que eu bebi ontem? Não é possível que essa dor não seja ressaca!, Pensou Lily deitada na cama antes de bater com o despertador na mesinha de cabeceira e fazê-lo, graças a Deus, parar de tocar.
 
Ela então, resignada de sua deliciosa cama, decidiu levantar, deu dois passos até perceber que sua calça estava geladinha, olhou para baixo e viu o motivo.
 
Sangue pra tudo quanto é lado, deu uma olhadinha na cama, estava TODA ensangüentada.
 
Ela não tinha menstruado, ela tinha tido uma hemorragia e todo o seu sangue tinha vazado, não era possível aquilo ser uma menstruação, então.. rapidamente.. ela veio.
 
Sentiu seus olhos encherem de lágrimas, e sentindo-se o pior coco da terra, ela foi tomar banho, não era possível que tinha menstruado, era horrível demais ser mulher, e porque o retardado do chuveiro não esquentava logo? Será que o besta não percebia que ela estava com frio?
 
-Que grande bosta essa! Caralho! – disse ela entrando no chuveiro revoltada, então, com um flash, ela lembrou do que, por uns pequenos momentos, ela tinha esquecido... a noite anterior.
 
Um ódio a corroeu por dentro, e uma vergonha sem limites a fez querer abrir um buraco no chão e não sair mais de lá.
 
Lavou-se com nojo e rapidamente, tinha uma porcaria de aula para assistir numa merda de escola, então, secou-se rapidamente, afinal, não queria ficar sangrando, e olhou-s no espelho, e foi ai que viu.
 
Ela não tinha só tido uma hemorragia, algum bicho sanguessuga provavelmente, a tinha chupado inteira, pois havia roxos em seu pescoço, colo ombro, barriga... seio. Praticamente em tudo, da barriga pra cima.
 
E por um instante  ela lembrou-se qual fora o sanguessuga responsável por aquilo tudo. Ora, o que ele tinha feito? De onde vieram todos esses roxos? E o pior.. como ela ESCONDERIA todos esses roxos?
 
-Potter seu filho da égua! Você me PAGA! Desgraçado, eu falei pra não me deixar marcada, mas você vai ver, a se vai! – disse ela brava em voz alta.
 
Que ótimo, pensou ela, minha mãe vai adorar ver essas chupadas, principalmente quando eu tiver que contar, sob tortura, quem foi o responsável por isso tudo.
 
Agora como, me diz COMO eu tiro isso daqui?Pensou ela olhando para o roxo do pescoço, e vendo a resposta sobre seus olhos, ela pegou o vidrinho e base na mão e dále base no pescoço.
 
Ela passou até mais do que necessário, como se aquilo apagasse as lembranças, e ficando com a pele vermelha de tanto esfregar.
 
Olhou para as do ombro, aquelas não apareceriam, decidiu deixá-las assim, apenas uma no colo teria que ser escondida, então, delicadamente, como se aquilo fosse o castigo por tanta perdição, ela começou a passar base também, e já estava com a camisa da escola quando entra alguém desesperado pelo banheiro. 
 
-Lily, você ta viva? Oh meu Deus, eu vi todo aquele sangue e pensei que você estivesse morta, meu deus, o que houve?
 
-Menstruação!
 
-MAS TUDO AQUILO?
 
-Exatamente! Exatamente toda aquela merda de sujeira, porcaria viu, como se eu já não tivesse coisa suficiente pra fazer, bosta!
 
-Oh Lily, você está de TPM! – disse Lene consolando a amiga, que estava á beira de um ataque de nervos.
 
-Verdade? – disse a menina se sentindo mal.
 
-Aham, mais toma aquele chá que eu sempre faço e daí você melhora, vou descer pra preparar.
 
-Não não, espera ai, toma um banho, troca de roupa, daí a gente vê isso! – disse Lily pegando suas coisas e saindo do banheiro.
 
Viu a cama toda vermelha, Oh Deus, até aqui ele irá me perseguir? Vermelho, porque vermelho? Será que essa cor a perseguia?
 
Então, dividida entre o nojo, o remorso, a raiva, e o frio no estomago (adivinhem o por quê?), ela começou a tirar os lençóis da cama, e então, depois de tirar tudo o que estava sujo, ela colocou no cantinho do quarto onde a empregada pegaria, e não achou justo ela ter que lavar toda aquela nojeira, mas fazer o que?
 
Começou a arrumar seus matérias, vendo as odiosas matérias que teriam, então, percebeu que já era sexta-feira, Aleluia, a última semana de aula seria a próxima, ou seja, ela não teria mais aula por breves, porém lindos, três meses, e isso até aliviava!
 
Arrumou a cama da amiga enquanto essa ainda tomava banho, e lembrou-se dela e de Sirius, Remo e Dorcas e seu irmão (eca) e Anna, bem, a noite tinha sido boa para todos, sem exceção, incluindo ela, não tinha como negar que fora ruim, e outra, só ela saberia disso.
 
Marlene saiu do banheiro e agradeceu a amiga por ter arrumado suas coisas.
 
Então, sentindo que estava levemente irritada com TUDO, Lily desceu as escadas acompanhada de Lene que ficou em silêncio, sábia que a amiga ficava praticamente insuportável nessa época, porém, felizmente, o chá milagroso da avó da morena era infalível, era só Lily tomar que o humor dela melhorava drasticamente e ela ficava até mais animada do que quando estava normal, apesar que, estranhamente, a ruiva ficava super sentimental também e fazia tudo por todos, só que Lene sempre estava ali para ajudar a controlar o espírito “Madre-Teresa-de-Calcutá” da amiga.
 
Chegaram lá embaixo e Lily viu a mesa do café da manhã arrumada, e percebeu que não tinha pão de água, sentiu o sangue ferver, ela QUERIA pão de água. Que ódio, ninguém faz merda nenhuma por mim nessa casa, que bosta, agora o pãozinho preferido do filho da puta do James tem, o meu que é bom nada, pensou a ruiva irritada sem nem cumprimentar a mãe, só que essa percebeu que a filha estava naqueles dias e nada disse, apenas pegou do armário o pão de água da ruiva e colocou na frente da filha, no que não melhorou em nada o humor dela, não era mais que a obrigação de sua mãe por o seu pão ali.
 
Lene vendo que a amiga estava vermelha e provavelmente com pensamentos psicopatas, foi logo fazer o chá, e em cinco minutos depois já estava prontinho, colocou na frente da amiga e essa bebeu ainda brava, elas tinham quarenta minutos antes de irem para a escola, então começaram a tomar café lentamente, não tinha motivo para pressa uma vez que a escola era a um quarteirão dali.
 
Porém a paz e tranqüilidade (Lily já tinha melhorado) da mesa foram interrompidas quando James e Sirius desceram as escadas, os dois igualmente sonolentos e bocejando, pelo visto estavam falando sobre algo quando perceberam que já haviam quatro pessoas á mesa, James sentiu o estomago pular os cinco últimos degraus que faltavam da escada e Sirius pensou seriamente em voltar para a cama e não sair de lá nunca mais.
 
-Bom dia meus queridos! – disse Sarah alegremente, enquanto eles desciam as escadas lentamente.
 
-Pula pra outra cadeira Lene. – disse Lily entre dentes para a amiga, pois tinha uma cadeira bem a sua frente, onde ela sabia exatamente quem ia sentar.
 
-Hãn? Ta doida? – sussurrou a outra de volta, enquanto James sentava-se exatamente onde a ruiva não queria que ele o fizesse.
 
Lily dirigiu um olhar mordaz a amiga enquanto olhava para o prato apenas e concentrava-se em comer.
 
-Vieram tomar café cedo, o que houve? – perguntou Alex como quem não queria nada.
 
-Nada, é só que eu estava sem sono e não dormi direito a noite. – disse James apreensivo.
 
-Ah, então por um acaso você passou a noite inteira acordado, fazendo o que? – perguntou Alex novamente ainda olhando para o Jornal como se a pergunta fosse banal.
 
Todos os quatro jovens que estavam na mesa coraram, mais nada se comparou a Lily e James, esses dois pareciam que iam explodir.
 
-Nada, eu fiquei deitado na cama. – disse ele e o pai, por fim, acreditou e nada disse, na verdade, ele pareceu esquecer das perguntas que antes tinham sido feitas e voltou a conversar normalmente, até Sarah, com seu olhar analítico, perceber algo.
 
-James, o que é essa mancha roxa enorme no seu pescoço? – perguntou ela abismada.
 
O maroto sentiu o sangue sumir e ficou branco como cera. Puts que mancada! Pensou ele.
 
-Ah, deve ter sido no ataque de ontem. – disse ele colocando a mão em cima para que ninguém visse muito da mancha.
 
-James James, eu diria muito bem que isso é uma chupada! – afirmou o pai dele divertido, James, assim como Lily engasgaram e começaram a tossir freneticamente.
 
Lily agradeceu que tivesse se lembrado de passar uma base na mancha, seria desastroso se alguém sequer imaginasse o que aconteceu ontem.
 
-Nossa, engasguei com o chá, ta quente em Lene! – disse Lily após conseguir se recuperar, mais Lene olhava pra ela com os olhos arregalados e com uma expressão incrédula no rosto.
 
-Bem James, não precisa ficar vermelho, pode-se considerar normal um cara da sua idade com uma chupada no pescoço, só que tenha o bom senso de escondê-las da próxima vez. – disse Alex divertido, fazendo James ficar mais vermelho ainda e mexer desconfortavelmente na cadeira fazendo com que Sarah desse mais um berro.
 
-James, tem um roxo maior ainda no seu peito, querido! – disse ela mostrando um hematoma enorme e via-se nitidamente ali, as marcas de dentes. Dos meus dentes, pensou a ruiva quase desmaiando de medo.
 
Ai Jesus!Só falta a minha mãe querer saber de quem são esses dentes, pensou a ruiva desesperada.
 
-James, arrumou uma namorada canibal foi? Huahuahua, ou quem sabe uma masoquista? – alfinetou Sirius para receber olhares mortais de James e Lily.
 
-No mínimo Sirius, no mínimo! – sisse Alex olhando para a mancha de James e dirigindo seu olhar a Lily, e com espanto, quase cuspindo todo seu café, ele viu um roxo de igual proporção no ombro da ruiva e ficou mais branco ainda, e todos, ao perceberem onde ele olhava, voltaram-se para olhar também, e até a ruiva, que estremeceu ao pensar no que seriam deles agora.
 
-Lilian Evans, o que significa esse roxo no seu umbro? – perguntou Sarah autoritária, olhando incrédula para a filha, Alex olhava para James como se pudesse esganá-lo a qualquer momento.
 
-Hei gente, pera ai, vocês não estão pensando que eu e a Lily nos agarramos na biblioteca a noite no escuro e cada um fez isso um no outro não é? – perguntou James incrédulo de que sua voz tinha saído indignada o bastante.
 
-Então foi na biblioteca é? Por isso ouvi barulhos lá! – disse Alex inquisidor, olhando para James cada vez mais bravo.
 
-CLARO QUE NÃO! – disseram os dois em uníssono, esperando que com isso eles acreditassem neles.
 
-E porque não? Os dois são crescidinhos o suficiente para dar uns amassos na biblioteca. – disse Sirius colocando lenha na fogueira e recebendo um cutucão enorme de Lene e um chute na canela de Lily, sem contar o olhar que James lhe mandou.
 
-Mãe, por um acaso eu consegui isso aqui ontem enquanto dançava, eu passei rápido pela porta e bati e por isso ficou roxo, e não estava me agarrando com o Potter por ai, oras, faça-me o favor!  - disse ela indignada, seu estômago agora dançava macarena.
 
-E eu tenho certeza que isso daqui foi conseguido ontem enquanto a gente lutava porque, por um acaso, dói e que eu saiba chupões não costumam doer né. – disse James sem paciência e todos ali pareceram acreditar finalmente neles.
 
-Verdade, ora desculpem-nos meus amores, é só que nos empolgamos com a idéia e deixamos de raciocinar não é Alex? Onde já se viu, vocês dois se pegando em bibliotecas escuras, nem em nossos maiores pesadelos isso poderia acontecer. – disse Sarah suspirando tranqüila e Lily cruzou seu olhar com James para baixar rapidamente.
 
-É mãe, onde já se viu?! – concordou a ruiva olhando para o relógio e vendo que tinham dez minutos para chegarem na escola.
 
-Já terminou Lene? A gente tem dez minutos pra ir pra escola! – perguntou a ruiva.
 
-Terminei sim! – disse a morena com um pedaço de pão ainda na metade, mas Lily entendeu que a amiga não tinha engolido a historia e que teria que responder a um interrogatório.
 
Saíram de casa e na primeira esquina que viraram Lene berrou:
 
-LÍLIAN EVANS, VOCÊ CHUPOU JAMES POTTER E NÃO ME CONTOU? – Lily sentiu seu estomago afundar, e agora?

__________________

Geeentem.. desculpem a demora.. é que eu deletei o cap. sem querer e tive que pedir pra Lethy me mandar ele de novo. .se naum fosse isso ele ja estaria postado a um bom tempo!
beeeijos;*

N/b-Aiehh meu santinhoooo...
POR JESUS...que sufoco a Lily passou em???
Kara eu tava vendo a hora ela e o James confessarem o que aconteceu...o.O...
Aii meu deus...acho que essas observações do Alex e da Sarah ainda vão prejudicar MUITO o “relacionamento” do nosso lindo casal....
Aiiii bem ...PLIXXX comentem vcs tem que confessar que esse foi um senhos cap em????rsrsrsrsrsrssrsrsrsrsr...
BEM EU AMEI VANESSA...PARABÉNS!!!!
Bem...eu acho que eh soh..
Beijãooo!!!
Lethicya Black

Resposta dos comentários!

Vanessa Sueroz:Oooi!, brigadão pelo elooogio vioo!! Hehehehehee.. bem.. acho que fica melhor qdo a gente num sabe o final né? ;p mais se você gosta de fics grandes, essa daqui pode te agradar ;D hehehee. E que bom que vc gostou da pegação deles Oo, eu achei que fosse ficar vulgar ;p e sobre o tempo.. bem. Demoro uma semana e meia, por ai, tem gente que diz que eu posto rápido :p, mais é difícil pq não tenho muitos capitulos prontos né ;D e brigadão pro comentar, beeeijos; e continue lendo ;*

nathy: Hehehehehe! Jay é muitodumaaal! Principalmente com a ruivinha deele ;D e que bom que você curtiu o capitulo... :D e bem, espero que tenha gostado desse.. hehehehe.. brigadão pro ler vioo? Beeijos e continue lendoo! ;*

Mandy Jonas: Hehehehehehehe.. jura que o cap. Num ficou vulgar? E cára.. adoorei seu coment.. muiitolindoo! E eu Tb acho eles fofos juntos ;D, hehehehheehe.. e a Lene e o Six.. bem ..se naum me engano. Oo nesse capitulo já dá pra ter uma idéia do que rola né =D? hehehehehe.. e desculpa não responder seu coment direito.. to sem cabeça pra nada.. e graças a deus eu tenho outros capítulos prontos, pq o máximo que eu conseguiria fazer nesse estado é um drama muito ruim, por sinal.. e é isso.. continue lendo vioo? E espero que o cap. Tenha agradado! ;*

• cααh ♥: Que bom que curtiiiu! Brigadão pelo coemnt vioo.. espero que goste desse e continue lendoo ;D ;*
Carolzinha Gregol: EIUHEIUHEIHEIEHIEHUIEHIUHEIEHE! Eles ficam lindos untos néé´? ;D e que bom que você AMOU o capitulo =D.. eu achei que ele ia ficar vulgar ;p hehehehehe.. e espero que goste desse vioo? Beeejos;*

Lily..:. Euquerotrocardelugartambéééém! Hehehehehehe.. e tipo.. ela já deve estar apaixonada.. acho que ela naum daria uns catos tão catados [?] assim nele se pelo menos não tivesse uma paixãozinha assim, bem La no fundo do fundo do fundo do fundinhoo! Aah;; e eu vou procrar ela pra ler sim ;D goostei do nome =D e espero que curta esse capitulo vio? E O JAME É MEEEO E DE MAIS NINGUEEEM! ;*

Jessy Evans Potter: JESSY DO CÉO! Des de já já vou pedir desculpas.. cara.. tenho certeza que a minha resposta será bem bronxante.. no mínimo.. te juro que to sem animo pra N-A-D-A! =[ e pioor.. mais esse ficou um pokin mais pervoo né?? Beem.. eu achoo! Hehehehehehe e a Lily é espertinha fii.. já fou com um blusa que fica caindo pra num precisar nem tira.. hehehehe.. e ara.. eu estou ao desiludida qie poderia ver um James na mnha frente que eu o confundiria com um “Rafael” da vida.. e adooorei o seu coment.. eu naum respondi NEM METADE dele ¬¬ e isso ta me deixando mais irritada.. só que eu to mto sei lá.. e hoje ainda é quarta feira e eu tive ONZE aulas e to alem de cansada.. deprimida.. beeijos;*

Nathália Krein: Me pegou postando agoora? =D heheheheheehheehe.. obrigado pro comentar vioo? E CARA.., foi tão pervo assim? ;D esse foi mais num foi? Oo.. sei lá.. akspaoksopaspa e verdade.. a Lily é mto safada.. o Jay é meo e ninguém me tira.. nem ela.. ;D e cara.. a Lene sou eu em uma versão Lenistica.. pq até a Amandinha Weasley que só conversa com eu pelo messiene disse que a Lene era eu.. Oo.. hehehe.. beeijos e continue lendoo ;*

Larissa : CARA..QUE INVEJA DA LILY! Ai ai.. eu sinto TANTA vontade de morder um Jay sabia? [?] *isso não tem nada a ver com o seu coment Oo* hehehehe e adooorei ele, por sinal ;D e verdade. .a cosia ta quentee.. e que bom que vc gostou das indiretas ;D.. e eu achei que ninguém ia entender.. hehehehe. Ficou meio confuso né? E bem.. é isso.. continue lendo viu? ;*

Isaa Padfoot : Ele AINDA não viu NADA!. Ainda.. hehehehe.. pretendo fazer o Jay se ferrar um pouquinho.. ;D hehehehe continue lendooo ;*
Srtá Alanáh Pontas Potter: MUITO PERVOO! *-* mais esse ta pior né?? E eu Tb fiquei confusa agora Oo... e EU DISSE que tava mais pra NC.. quase ninguem acreditou. Askpaosaopsapksoap e beem.. vc teve a resposta né? Mais foi nesse sentido que vc pensoou?? Hehe.. continue lendo viio;*

Ana Carolina :Hehehe.. verdade. .agora eles se acertam mais.. só que não vou alimentar muitas esperanças.. a Lily não estava com seu juízo mto perfeitoo aoskapos mais Tb? Quem ficaria? Com um homi lindo daqueles? Hehehe espero que curta o capitulo vio? E beeijos;* e eu vou ver sobre o vídeo.. se eu acho algo parecido ;D




- Bebel: Hehehehe.. que bom que goostou ;D e o cap. tá ai! thaanks beeijos;*

Inaclara Evans Potter : Ta aii.. espero que curta. beeijos e desculpe a demoora!.

Isaa Padfoot : Pooostadooo! espero que curta e continue lendo vioo? ;*





















~

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.