FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Combatentes do inferno


Fic: O L Í M P I A


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

4.Combatentes do inferno

Com uma enorme dor de cabeça, graças a semana que passara com a cara nos livros e varinha na mão, resolveu ignorar a incansável disposição dos amigos para as inacabáveis e extraordinariamente cansativas revisões e ir se deitar - não acreditava na eficácia de outra noite em claro. Lhes disse isso - com muita sutileza, já que os dois pareciam fanáticos – e logo que descansou a cabeça no travesseiro macio, dormiu.
E sonhou com uma grande sala, que ficava nas nuvens, e uma mulher, que tinha olhos penetrantes, e com eles o analisava, mas ele não desviava ao olhar e fazia o mesmo com ela, até que – Como vai Harry?
- Como sabe o meu nome? Quem é você?
- Eu sou Atena. Sua nova protetora e conselheira; “ajudante”.
Sei seu nome porque seria uma péssima guardiã se não soubesse.
- Uau! Eu não achei que isso realmente existisse! Você não é deusa?
- Sim, da guerra justa e da sabedoria.
- Você disse que é minha guardiã – ela confirma – Porque?
- Por causa da guerra. Nós do Olimpo resolvemos ajudá-lo para que possa enfrentar o inimigo de igual para igual.
- Então tudo isso, toda essa história de treinamento...?
- Mais ou menos. O plano é de Dumbledore.
- ...
- O importante Harry, é que se empenhe para entrar nesse grupo especial. E depois, se esforce ao máximo para aprender e ser o melhor. Entendeu?
- Sim
- Ótimo.Nós ainda vamos voltar a se falar, agora, dedique-se ao que te disse. Ah, e desculpe pela cabeça.
- Foi você?!

A viu soltando um risinho antes de acordar, sem a dor e com o sonho muito nítido na memória, levantou e foi se juntar aos amigos na revisão, imaginando-se mais uma vez privilegiado pela sorte.

--------------------------------------------------------------------------------------------

O final de semana finalmente chegou, com um clima pesado de competição e uma enxurrada de testes teóricos, que duraram todo o sábado. Fim dos teóricos, o domingo foi dedicado aos práticos.
Hogwarts nunca teve testes tão difíceis. Tampouco alunos tão empenhados em dar seu máximo. Dumbledore estava presente em todos os práticos, e o critério de escolha era, além de ótimas notas nos teóricos, nenhum feitiço ou azaração errado.
Os “ganhadores” seriam anunciados no jantar e todos estavam ansiosos pelos resultados, mas os sextanistas, que deveriam ser os mais interessados, quase não foram vistos fora dos dormitórios até minutos antes da refeição decisiva; os que tiveram coragem de sair da cama logo voltaram, cansados demais, ansiosos demais ou tristes demais.
Na hora marcada o salão principal era pura expectativa. Cada aluno esperando pelo anuncio dos “escolhidos”, que nem sabiam, mas já tinham recebido vários títulos. Coisas como: A Armada Branca, Escudeiros da Paz, Campeões da Salvação e outros ainda mais esdrúxulos e ridículos.

Dumbledore, percebendo a agitação dos estudantes encerrou logo o jantar. - Hoje faremos o anuncio dos alunos escolhidos para receber o treinamento de defesa.
“Gostaria de ressaltar o quão orgulhoso estou de todos vocês. Mesmo sabendo da grande responsabilidade que teriam, todos decidiram prestar o teste e isso mostra que são maduros e sabem a importância da segurança da nossa escola.”
“De todos os trinta alunos que prestaram os testes, apenas oito foram aprovados - um ‘Noooossaaa’ coletivo percorreu o salão – E esses oito alunos são: Hermione Granger, grifinória; Draco Malfoy, sonserina; Renée Campbell, corvinal; Ronald Weasley, grifinória; Susana Bones, lufa-lufa; Harry Potter, grifinória; Blás Zabini, sonserina e Padma Patil, corvinal.”
O salão caiu no mais profundo silencio, algo difícil de se conseguir, já que era preciso calar mais de uma centena de adolescentes, mas foi o que aconteceu. Ninguém comemorava ou reclamava, apenas esperavam que o diretor continuasse - Levantem-se por favor e dirijam-se para aquela porta – aponta a mesma porta pela qual dois anos antes passaram os campeões do Torneio Tribruxo.
A surpresa que teve o salão quando os oito obedeceram e se levantaram ao mesmo tempo foi imensa. Todos emanavam luz, Renée, Padma, Zabini e Susana eram envoltos por luz alaranjada; Hermione emanava azul celeste e Rony, roxo; Harry estava pouco nítido dentro de um envoltório cinza, mas o que atraia mais atenção era a vermelho sangue que vinha de Draco, a luz mais forte, que chegava a ofuscar os olhos. Mas tão rápido quanto apareceram, as luzes sumiram e os “escolhidos” se dirigiram para o lugar indicado. Alguns tão surpresos quanto todos os colegas, outros nem tanto.

------------------------------------------------------------

Ao chegar na sala, Hermione sentou em uma poltrona perto da lareira, e Rony no braço da mesma, enquanto Harry se apoiou no encosto dela. Malfoy e Zabini pararam ao lado da lareira, as garotas corvinais sentaram no sofá e Susana ocupou outra poltrona. Ficaram em silencio até que Dumbledore entrou, seguido pelos treinadores.

- Parabéns a todos – fala Dumbledore amistoso, porem não recebe resposta – todos estavam muito cansados e rabugentos por tanto estudo – Passar por todos testes já foi uma grande proeza.
- Quando vamos começar? – Malfoy faz a pergunta que não quer calar.
- Não sei senhor Malfoy, mas creio que poderão ter alguns dias de descanso.
- Não mesmo – fala Anna chamando as atenções.
- Nós já passamos a semana inteira aqui morgando – completa Catherine.
- Não vamos esperar nem mais um dia – continua Helena.
- E quando pretendem começar então? – pergunta Dumbledore.
- Amanhã. Já temos os horários, mandaremos via coruja – avisa Donn e sai, sendo seguido pelos outros que levantam e saem um a um sem dizer uma palavra aos alunos.

O diretor deseja aos garotos boa sorte e sai, os deixando sozinhos outra vez. Grupo por grupo eles deixam a sala e vão para suas casas.

-----------------------------------------------------------------------------------------------

Na grifinória os amigos conversavam sobre o significado das luzes, omitindo que já faziam idéia do que significavam até que Harry resolve se manifestar – As luzes correspondem ao deus que nos protege – fala como se contasse uma novidade difícil de entender – Esses dias eu sonhei...- hesita pensando em quão idiota pareceria ao dizer aquilo - ... com Atena – Rony e Hermione se mexem desconfortáveis por manter segredos para o amigo – Ela disse que era minha guardiã, que estava nisso pela guerra. Todos nós fomos iluminados, isso deve significar que todos estamos sendo protegidos já que a cor de Atena é o cinza e foi a que me rodeou.

- Pode ser Harry – concorda Hermione hesitante – Mas e porque os outros tinham a mesma cor? E o Malfoy – pergunta mesmo já imaginando as respostas.
- É mesmo, a luz do Malfoy era muito forte – concorda Rony – sem falar que ele nem parecia surpreso – concordam mas não dizem mais nada, indo dormir, já que com exceção de Harry os outros tinham a consciência pesada por não contar o que sabiam, ou deduziam, ao amigo.
Na sonserina, Zabini repetiu para Draco a pergunta de Hermione.
- É porque eu sou bom demais Zabini – fala sarcástico.
- Eu não sou a Pansy, Draco. Nem Crabbe e Goyle. Essa sua cara não cola comigo.
- Então sabe que eu não vou dizer nada – o outro tem uma cara nada amigável – Quem sabe na hora certa você não descubra...Até lá, não me faça perguntas – termina deixando o amigo sozinho na sala comunal.

-----------------------------------------------------------------------------------

Entrou no dormitório, colocou a varinha em cima da cabeceira da cama e quando se virou outra vez, deparou com o homem, mas não se assustou, já sabia que ele estaria ali devido ao cessar dos roncos de Crabbe.
Não costumava temer a ninguém e com ele não foi diferente, apesar de saber que devia obedecê-lo. Da primeira vez em que se viram ficou um tanto surpreso, mas logo percebeu que tinham coisas em comum e baixou suas defesas que agora sabia, de nada adiantariam.

Flash-back

Entrou no dormitório ainda vazio. Tinha resolvido se deitar mais cedo porque estava com a cabeça cheia. Pensava no anuncio de Dumbledore e nas atitudes de Granger. Tomou banho e quando saiu do banheiro ainda de toalhas se deparou com um homem muito alto encostado em sua cômoda. Moreno, de penetrantes olhos verdes e cabelos caindo displicentemente sobre eles, para completara pose, trazia os braços cruzados sobre o peito e  um ar despreocupado.
De primeiro ficou sem ação, mas logo se recuperou da surpresa de ter um estranho em seu quarto e perguntou firme – Quem é você?
- Ares – franziu a testa ao reconhecer o nome.
- E o que quer aqui?
- Te escolhi para ser meu protegido...- informa como se falasse do tempo, o garoto o olha confuso então resolve explicar; o que não era algo que costumava fazer – Eu como deus da guerra, gosto delas sangrentas e caóticas, porem meus irmãos decidiram que a de vocês não pode acontecer assim antes que o inútil Potter esteja preparado.- presta atenção a cada palavra – Acontece que eu não gosto do Potter, e juntando isso ao fato de que todos os outros ‘pontos principais’ já estão sendo cuidados, porque não ajudar alguém inteligente afinal?
- Faz sentido.
- Exatamente. Por isso eu te escolhi. Mas como pode imaginar, você não pode prejudicar o Potter, não seriamente pelo menos.
- E o que eu ganho com isso?
Ares ri divertido com a coragem e prepotência do garoto – o meu apoio.
- Ta, mas e em quê isso se resume?
- Proteção, ajuda nas decisões da guerra e se você se comportar bem quem sabe até mesmo algo mais.
- Se é assim... eu não teria escolha mesmo teria?
- Não. Mas agora escute bem o que eu vou dizer.
“Não se atreva a não entrar para o grupo de elite do velho. Meu irmão mandou os melhores treinadores, e ele só vai aceitar os que não cometerem erros nas provas. Por isso, faça o necessário para passar.”

Desencosta da cômoda e anda em direção da porta, mas antes de alcançá-la pára e da um ultimo aviso – Você é meu peão nesse jogo. E eu não entro pra perder. Então não estrague tudo se não quiser conhecer a minha ira – volta a andar mas ao invés de sair pela porta como esperava desaparece a caminho dela.

Fim do flash-back

Fora assim o seu primeiro encontro e sabia que voltaria a vê-lo, mas não esperava que fosse tão cedo.

- Já fiz o que queria, o que foi agora? - Pergunta insolente.
- Sabia que os nomes foram anunciados em ordem de desempenho? – pergunta sério, mas com a intenção de provocar o garoto.
- E eu achando que tinha vindo me dar os parabéns. – fala sarcástico entendendo a indireta.
Ares ri – Parabéns?! Não fez mais que a obrigação. – pára de brincar e fica sério; não que estivesse sorridente antes – Um dos treinadores é meu inimigo. Tome cuidado e acima de tudo, não perca a cabeça, independente do que aconteça.
- Essas são as vantagens que você vai me proporcionar? – fala irônico – Alias, caprichou a iluminação hoje hein...forte – vai tirando a gravata e arrumando as coisas pra se deitar enquanto fala.
- Já disse que não jogo pra perder.
- É eu percebi...E quanto aos outros? Porque Granger e Weasley também tinham outras cores? – pergunta para confirmar suas suspeitas.
- O que você acha? – provoca Ares, sabendo dos pensamentos do menino.
- ...
Ares ri e vai embora como da ultima vez, deixando o som dos roncos de Crabbe e um Draco pensativo.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Segunda-feira normalmente não era o melhor dia da semana, mas aquela estava superando qualquer outra. Acordar cedo, aula de poções com o professor e a casa mais odiados, saudades do fim de semana. Ruim o suficiente sem ter que agüentar a cara de infelicidade dos seus amigos e controlar a ansiedade de que algo que você quer muito chegue logo. Essa era a segunda de Harry, Rony e Hermione.
Levantaram cedo se encontraram na sala comunal e foram tomar café, comeram conversando sobre coisas fúteis, tentando se distrair mas a verdade era que nunca tinham esperado tanto pelo correio. Quando finalmente chegou todos repararam nas oito corujas negras que entregaram cartas aparentemente idênticas aos “escolhidos”. Bom, aparentemente . Porque as cartas não eram iguais.

- Duas aulas seguidas com aquela Catherine hoje depois da ultima aula vespertina e mais duas depois do jantar...
- Como assim Mione? – Rony que também checava seu horário pergunta não achando as aulas das quais a amiga falava – Hoje de tarde eu tenho aula com o tal Donn.
- Eu também – concorda Harry.
- Deixa eu ver – ela pega o horário do amigo e compara com o seu.

Realmente, eram diferentes. Ficou desapontada, queria estar com os amigos. Porque fora a única a ficar separada? Pensamentos infantis invadiram sua mente, mas ela de pronto os expulsou. O importante era que estaria recebendo treinamento e Ártemis ficaria feliz. Hey! Desde quando corresponder as expectativas dela é importante? Como não conseguiu pensar em nada que prestasse voltou a analisar os horários.
Teriam pouco tempo livre. Pouquíssimo na verdade. Aulas matutinas das oito ao meio-dia, almoço, aulas vespertinas e só meia-hora antes do primeiro treino. Então teria essa meia-hora para deixar os materiais no quarto e trocar de roupa antes de ir para a sala indicada, sem falar nas duas depois do jantar. O duro era que as salas eram longe.
Meu Deus. Quando vou estudar? E os deveres? E aula aos sábados também o que deixa livre apenas o domingo, pelo jeito começou a maratona.

- Caraca! Nós vamos ter vinte aulas extras – se admira Rony – Quando a gente vai treinar? – se desespera.
- Vai ter que ser na sexta, que a gente tem os dois últimos tempos livres – responde Harry pegando seu horário de volta.
- Putz cara...até de sábado..
- É, e de sábado e domingo também, de manhã – continua o outro, ainda falando de quadribol.
- Vocês deviam estar menos preocupados em quando vão treinar quadribol e mais preocupado com quando vão fazer os deveres.
- Ah Mione! Os deveres a gente faz em qualquer tempo livre – explica Rony como se falasse com uma criança – Agora, quadribol não tem como se treinar em uma hora – Harry concorda.
- Bom então aproveitem o “qualquer tempo livre” que vocês tem agora e vão adiantando os deveres da semana passada. Porque senão vão ter de usar o precioso tempo do treino de quadribol pra fazer lição acumulada – vai se levantando e pegando suas coisas – To indo, vejo vocês depois.
- Indo aonde? – grita
- Pra aula de Runas, Rony – responde já quase na porta e em seguida desaparece por ela.

E pela segunda semana consecutiva eles aceitaram o conselho da amiga e foram para a biblioteca fazer os deveres que tinham deixado da outra semana. Quando faltavam dez minutos para a aula de poções começaram a arrumar os pergaminhos de lições já feitas, orgulhosos de si mesmos, já tinham terminado quase tudo, só faltando um trabalho de transfiguração.
Ao chegarem as masmorras se juntaram a outros alunos que também esperavam para a aula e Hermione logo se juntou a eles.

- A professora Vector passou um metro de pergaminho pra próxima semana e eu aposto como Snape vai ser ainda pior. Ai Merlin! O que eu vou fazer!?
- Aff Mione, até parece que você não vai fazer tudo e terminar ainda antes que a gente. Você não pode evitar, ta dentro de você. – brinca Rony antes que Snape abra a porta.

Como previu a garota o professor passou uma tonelada de deveres - lista de ingredientes e todas as poções possíveis com eles -, e o dia foi assim, todos agindo como se não houvesse nada importante a caminho. E as horas se arrastando, sem nunca passar, 9 horas, 10 horas, 10:30, 11:15, 11:20, meio-dia...

- Meu Deus Harry! Pára de olhar esse relógio, por favor! Não vai fazer o tempo andar mais rápido.
- Desculpa, mas é que parece que não passa nunca – volta a comer.
- Eu sei, mas da agonia você fazendo isso.
- Nossa, quanto stress
- Oi Gina. – fala mal-humorada.
- E ai, muito ansiosos? – Rony que até então não tinha desviado os olhos do prato a fuzila com o olhar – Foi mal! Não ta mais aqui quem falou. – levanta as mãos como se se rendesse – Harry, quando vai fazer os testes pro time de quadribol?
- Ainda não sei...Domingo talvez – responde cabisbaixo – Porque?
- Porque vieram me perguntar, daí...
- Não sei ainda mas quando marcar eu ponho um aviso no mural.
- OK! Boa sorte... – levanta.
- Você não vai comer? – estranha Hermione.
- Não. To de dieta.

---------------------------------------------------------------------------------------------------

Foram para a aula de Herbologia, Feitiços e então como haviam planejado deixaram as malas nos dormitórios e foram para suas salas. No segundo andar os garotos se despediram da amiga que seguiu para o terceiro.
A cada passo que dava a ansiedade crescia, logo no começo do corredor pôde ver que havia alguém na porta da sala. Estava dez minutos adiantada e achava que seria a primeira a chegar porem ver que alguém devia estar tão nervoso quanto ela lhe deixou aliviada.
Quando chegou mais perto viu que era uma garota encostada na parede, e que ao vê-la pareceu acordar de um devaneio, e abrir então um grande sorriso.

- Oi – cumprimenta tímida.
- Oi, você é Hermione não é?
- Sou sim, você deve ser Renée Campbell né? - deduz pelas vestes com as cores da corvinal da garota. Já que Padma era gêmea de sua colega Parvati e ela definitivamente não parecia nada com ela.
- Eu mesma! - A menina tinha quase a mesma altura que a sua e grandes olhos azuis. Cabelos escuros e ondulados, que lhe emolduravam o rosto fino e alvo. Parecia muito simpática apesar de certo ar arrogante - Pelo jeito eu não fui a única que passou o dia contando os minutos – aponta para a manga arregaçada de Hermione e o relógio a mostra.
Ri do comentário da garota – Você sabe quem mais vem?
- Não...Só sei que a Padma ta no outro grupo. Essa Catherine parece ser legal. Extrovertida pelo menos.
- É... O que você acha que a gente vai aprender?
- Não sei...magia antiga talvez. E você?
- Aham, andei pensando em animagia também.
- Nossa, seria legal...no que você acha que se transformaria?
- Ah sei lá...algum pássaro talvez...- se empolga falando e não vê os dois garotos que seguem na direção delas, alem de estar de costas para eles. Termina de falar e Renée que também não tinha reparado nos dois responde – Seria realmente legal – antes que eles parem na frente das duas.
- Olá Draco.
- Renée...- cumprimenta o loiro
- Zabini
- Campbell
- Pelo jeito eram eles que tavam faltando – fala animada para Hermione.
- Sentindo minha falta Granger?
- Nem imagina o quanto Malfoy.

Iam começar uma discussão mas a porta se escancara e Catherine aparece com um grande sorriso – Entrem
Obedecem e param enfileirados diante de uma Catherine tão empolgada quanto eles - a sala era enorme, muito maior do que uma normal, estava decorada em vários tons de azul - apesar da decoração se resumir às cortinas e a uma espécie de chão artificial que cobria toda a sala - Se distraem analisando a sala até que ela os chama – Meu nome é Catherine e sou sua – faz uma careta – “professora” de feitiços avançados. Não gosto desse titulo então pra todos os efeitos, sou sua treinadora, mas me chamem pelo nome e ficaremos bem.
“Como o nome já diz, vocês vão aprender uma centena de feitiços complexos e difíceis de fazer. Começaremos com o Patrono – faz um movimento com a varinha e quatro baús aparecem encostados na parede da sala em distancias exatas um do outro – Quem já conseguiu um Patrono corpóreo? – Hermione levanta a mão – E com o que praticou?
- Nada realmente. Só nos concentramos em conseguir produzir um.
- Ok! O feitiço que convoca o patrono é Expecto Patronum, mas o que o cria são bons pensamentos, boas memórias e acima de tudo, segurança. Posicionem-se e quando eu abrir os baús tentem produzir um Patrono. – acenou a varinha e os quatro baús se abriram, de dentro deles saíram quatro dementadores que avançaram nos alunos que gritaram o feitiço.
Todos produziram uma fumaça branca mas ela apenas parava o dementador e não o fazia recuar. Produziu um jaguar que espantou todos de volta para os baús e desapareceu. – Ótimo, todos conseguiram fumaça, mas ela, perto de um verdadeiro dementador vai agüentar por pouco tempo. Granger, qual era a forma do seu patrono?
- Lontra.
- Os patronos podem mudar de forma se a pessoa passar por emoções muito fortes. Outra vez. – a cena se repetiu mas desta vez ela deixou que eles trancassem os dementadores sozinhos. – Uma das maneiras de se tornar menos vulnerável a ele é enfrentar as lembrança ruins, que causam dor, assim quando eles as trouxerem de volta não será tão difícil lidar com elas e lembrar de coisas boas que vieram graças, ou depois dela. De novo – a mesma cena se repete – Não se apeguem sempre as mesmas lembranças ou pessoas. Com o tempo elas vão ficar cansativas assim como as pessoas podem já ter te decepcionado. De novo – não produzem nenhum progresso e mostram sinal de cansaço, o que começa a irritá-la – Vocês estão cansados? Bom, então ficarão surpresos em saber que um verdadeiro dementador é 10 vezes mais difícil. De novo. – mais uma vez os bichos saem da caixa, mas algo mais que fumaça acontece. Uma enorme serpente sai da varinha de Draco e acerta o dementador, o trancando no baú. – Muito bem Malfoy, vamos ver quanto mais você agüenta...prenda os outros. – Malfoy obedece e a serpente desliza até cada um dos outros três dementadores prendendo-os outra vez. – Ótimo Draco, você conseguiu um patrono corpóreo e forte o suficiente para enfrentar não só o seu adversário como o dos outros também. Mais uma vez e pode descansar, quanto aos outros é bom avisar que eu não vou passar mais que uma aula em cada feitiço e se não conseguirem vão ter aulas extras no domingo. – abre as caixas outra vez mas o único a conseguir é Draco. Sem outra palavra ela fecha as tampas novamente enquanto ele vai se sentar em um sofá azul conjurado por ela em um dos cantos da sala e os outros se recompõem. Faz o baú de Draco desaparecer e abre os outros.
Os falsos dementadores voam pela sala e quando Hermione grita o feitiço a lontra o encurrala e logo em seguida um grande gavião real voa direto para o peito do dementador de Renée o empurrando de volta para o baú aos capotes. Assim falta apenas Zabini para conseguir o Patrono. Como Draco, elas fazem o feitiço mais uma vez e Catherine as manda descansar. Na segunda tentativa sozinho Zabini consegue, seu patrono era um gato. Repete o feitiço e:

- Ótimo – exclama – Quem aqui sabe mais alguma utilidade para o patrono?
- Mandar mensagens – responde Renée ainda um pouco ofegante.
Catherine levanta a varinha e o jaguar corre pela sala antes de parar diante deles – Exato.
- O segredo é pensar na mensagem e em seguida em algo bom. O feitiço é o mesmo, só que não verbal. Tentem.
- Que mensagem devemos passar? – pergunta Zabini rabugento de cansaço.
- Qualquer uma. Me mostrem algo divertido.
O gavião de Renée voa outra vez pousando no ombro de Catherine e imitando a mulher – Ótimo! – as garotas riem e Hermione também faz o feitiço, a lontra irrompe da varinha – Bela blusa. – se refere ao vestido da mulher antes de desaparecer. Riem outra vez antes que o gato de Zabini pergunte do mesmo jeito rabugento do dono – Que horas são? – quem responde é a serpente de Draco – Quatro e vinte, segundo o relógio da Granger.
Abaixam as varinhas e Catherine volta a falar. – Vêem, as mensagens são bem fáceis de mandar quando já se sabe fazer o patrono. Alem de que eles não podem ser copiados, o que da certeza da autenticidade delas. Todas as minhas aulas vão ser assim, algumas mais pesadas, outras nem tanto, mas todas vão exigir a concentração e o esforço de vocês. Por hoje é suficiente. Vejo vocês na sexta.

Saíram da sala e seguiram lentamente pelo corredor, os garotos logo sumiram de vista e Renée e Hermione foram juntas até o ponto em que seguiriam caminhos opostos. Quando chegou na sala comunal Hermione não encontrou os amigos e foi para o dormitório, onde se jogou na cama e não se mexeu por um bom tempo.

Estava exausta, já conhecia o feitiço do patrono, mas mesmo assim aquilo havia exigido muito dela. Não foi jantar e só pouco antes das sete tomou banho e foi para a próxima aula. O próximo professor era Jordan e ao chegar no corredor do terceiro andar viu os amigos parados algumas portas antes de sua sala.
- Você não foi jantar? – repreendeu Harry.
- Não, tava cansada.
- Justamente por isso devia comer.
- Que comovente. Potter e a Sangue-Ruim. – Malfoy pára atrás de Hermione. Renée também chega e cumprimenta a todos.
- Harry, Rony, essa é Renée Campbell, ta no mesmo grupo que eu.
- Prazer – da um tchauzinho para os meninos.
- Não devia se meter com esse tipo de gente Campbell. Sangues-ruins e traidores do sangue... – os quatro se encaram e Renée se toca do clima
- Vamo Draco – puxa o garoto – Já são sete horas Hermione, você devia vir...
- É... tchau. Vejo vocês depois.
- Acho que não Mione, a gente tem aula até as nove e você parece cansada – se preocupa Harry – Vai dormir.
- Ta...

Renée segue puxando Draco e Hermione vai do seu outro lado. – Ele tem razão Granger, você ta acabada.

- Cala a boca Malfoy.
- É mesmo, fica quieto Draco.

Ao chegarem na porta indicada ela se abre e eles entram. Encontram uma sala tão grande quanto a outra, porem dividida em uma parte onde haviam quatro caldeirões e duas bancadas e outra onde parecia haver um campo de força amarelo.

- Boa noite
- Boa noite – respondem em uníssono.
Zabini chega e se posiciona ao lado de Draco – Esta atrasado. Da próxima vez não entra.
- Sim, treinador.
- Escolham suas bancadas – as garotas vão para uma e os garotos para a outra – Vocês farão uma poção de alto grau de complexidade que pode causar sérios danos se não estiver perfeita quando ingerida – acena a varinha e quatro receitas aparecem para cada um, assim como 4 caixas de ingredientes - Comecem.
Começam a aquecer o caldeirão e ler a receita. – Mas isso... – Hermione levanta a mão.
- Sim, srta.Granger.
- Essa é uma poção reveladora de animagia?
- Exatamente, srta.Granger, muito bem observado. Quem sabe os efeitos da poção?
- Ajuda na revelação do animal de cada um, definindo na primeira ingestão o meio a que ele pertence, se expressando através dos olhos, que mudam de cor dois dias após tomá-la. Azul - ar, verde - água e marrom - terra. A partir da segunda dose auxilia na transformação do corpo. Sem falar dos efeitos colaterais.
- Bravo Malfoy. Ela vai ajudar, mas para se tornar animago é preciso muito mais que isso. – da as costas a eles e anda até uma mesa que fica de frente para as bancadas. – A poção leva um mês para ficar pronta e lamento informá-los que durante esse tempo irão se dedicar a prepará-la e aprender alguns conceitos sobre animagia. – senta e começa a analisar seus papeis – Comecem e não errem, ou ficarão atrasados.
Voltam a atenção para os caldeirões e receitas e enquanto espera o caldeirão esquentar Hermione conversa com Renée – Você é amiga do Malfoy? – finge indiferença.
A menina a olha surpresa – Não...eu não diria amiga. Ele é meu conhecido – continua ao ver a expressão confusa da outra – Meu pai trabalha com o pai dele as vezes. Sabe, famílias de puro-sangue costumam conviver já que são poucas. Por isso a gente se conhece desde pequeno.
- Seu pai é comensal? – deixa escapar.
- Não – ri a outra.
- Desculpa...
- Não faz mal. As pessoas costumam pensar isso quando digo que somos puro-sangue. – Hermione assente e voltam a fazer a poção. Escutava-se ainda alguns sussurros dos garotos mas esses também pararam logo e todos se dedicaram exclusivamente ao preparo da poção – que era realmente complexa - durante aquele resto de hora. Nem viram o tempo passar até que
- Quem já chegou no tom amarelo pode identificar o caldeirão e ir.

Hermione checa mais uma vez a receita, desliga o fogo, se despede de Renée, do professor e vai direto para a cama.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

No outro dia contava para os amigos sobre suas aulas durante o caminho para o salão principal, assim como eles.
- Como foi o primeiro dia dos campeões da salvação? – pergunta Gina na mesa da Grifinória.
- Foi legal. – responde Hermione se servindo.
- A gente ta mais pra combatentes do inferno, isso sim – Rony continua com as reclamações que fazia antes de ser interrompido pela irmã, Harry e Hermione se engasgam com o comentário do amigo – Nããão! E você não sabe do melhor. Ela fez a gente dançar! – Hermione ri do amigo e Harry fecha a cara como se fosse uma lembrança muito ruim – Dançar, Mione! Sinceramente, não quero nem ver o quanto pode piorar...
Assim o mais novo nome dos oito jovens foi dado. E esse prevaleceria marcado na memória de todos.










Oi gente.
O capitulo ta aih, eu sei lá, não ta do jeito que eu queria sabe, mas como eu prometi, e já atrasei, esta postado. Outra coisa muuuuito importante é, eu não vou mais postar enquanto as pessoas não comentarem. Eu não queria ficar fazendo isso mas realmente é necessário para a minha auto estima ...


Assim, o próximo capitulo só vem quando tiverem 40 comentarios, e tenho dito. Vamo La gente, não custa nada escrever alguma coisinha de vez em quando para a autora, certo?
Outra coisita é que quero pedir desculpas pros leitores autores, que eu não comentei nada nas outras fics ainda mas é porque quero deixar comentários produtivos e completos. Então é isso, 40 coments ou nada feito.



Respostas:
Danny Evans - Ahh Danny, odeia nada, quem em sã consciência odiaria uma coisa linda e maravilhosa dessas? Haha. Ahh se amam mesmo, não faz idéia. E olha só, a sua ansiedade já pode ser saciada, Ares e Draco já estão em vezes de se casa, de taaao íntimos. Almas gêmeas mesmo. Profeta você hein, realmente, Hogwarts esta prestes a sucumbir a taaanta bagunça :D tomara que tenha gostado desse. Beeijo e comeeente.

isabella rodrigues - Capitulo postado. :D E a primeira vez da senhorita por aqui hein. Comente seempre, eu adoro gente nova, haha. Espero que goste. Beeijo
Ju Fernandes - Que ótimo que gostou da idéia e que ótimo que favoritou! Siim já vi a sua fic, sim sim sim, ta entre as mais lidas neh, cooom erteza eu passo lah, mas olha só, as vezes eu sou lerda sabe, mas não pense que eu esqueci. Tomara que goste do cap, e comente, sempre. Beeijo
°Moony XD° - Que bom que você favoritou, assim é mais fácil mesmo, porque o pessoal não da um desconto menina, e a fic some das lista das atualizadas rapidinho, nosss agora, vou te contar hein, nem comentou de novo o terceiro cap, faz assim naao, me deixe feliz e comente vioo. Han. Beeijo, espero que goste desse :D
Isabel McCoy - Ahhh, mas se não dá vontade de parar, não pare :D ta, tudo bem, eu demorei, me desculpe, mas agora vou tentar ser mais rápida, pra você não precisar parar =] Sabe eu também acho que Artemis e Mione combinam, você pode esperar grandes coisas das duas. Comente ok. Beeijo
Claudiomir José Canan - Aiiin, sorry, mas infelizmente não é o Hades não, mas o Ares é tão bom, ou mal, quanto ele e também vai ter seus momentos com Artemis, só não sei se vai acabar na cama... 8D O cap esta ai e espero que voce goste. Alias, meu progresso em Apollyon realmente esta acontecendo, mas eu me recuso a comentar sem terminar, essa semana me espere por lá, e também em Renascido. :D beeijo
B. Black – Muuuito, muuito forte :D Olha só, a sua pergunta já foi respondida em partes, por agora aquele pessoalzinho meio mal-humorado vai treinar eles, e depois... ah, o futuro a deus pertence, como dizem, e nesse caso, literalmente o.O . Apolo é?! É ele também é gato, estou trabalhando nisso garota, te peço mais um pouquinho de paciência, tudo bem? É isso, não esqueça de comentar! Beeijo
Kikawicca – Olá! Meldeus, você não achou encheção de lingüiça. Pelo menos uma de nós então, haha, realmente, a Mione não perde uma, coloquei essa mania nela porque o que é bom DEVE ser apreciado. Concorda?! Hehe ^^ e o Draco é muuuuito bom :D , em todos os aspectos... Quanto ao meu Rony, eu estou decidida a faze-lo melhor, então vamos ver...Os escolhidos: eles vão ser importantes sabe, mas não sei não, vão ter algumas coisas meio obscuras também... Você tem razão, Artemis vai ser essencial pra Hermione (eu amo ela), mas você me deixou com medo de novoo, eita menininha com o dom hein... Uhull esse cap veio com o que você queria, o Harryzito viu a mentora sabe-tudo dele e também o Drakition reencontrou Ares, que anda destilando seu veneno por aih... Comente muuuuito vio, e me conte tudo o que achou :D. beeijo

COMENTEM!
Desde já,
Love yá.
*Marjo*

30/08/2008


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.