FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. O jantar do Slugue


Fic: Transformações


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________







"Eu te queria tanto


Estava tão certa disso


Porque honestamente, você acabou por ser a melhor coisa que eu nunca tive"


('Best Thing I Never Had', Beyoncé)


 


Nenhum dos dois soube dizer quanto tempo durou aquele beijo; na verdade, nenhum dos dois se lembravam do tempo. Hermione nunca havia se entregado daquela forma a um beijo, e nunca desejou tanto um carinho que fizesse despertar a mais adormecida das sensações de seu corpo.



      Draco a puxou mais pra si, como que com receio de que ela fugisse dele pra sempre. Ele queria eternizar aquele instante a todo custo, e com aquele beijo, onde a entrega foi mútua, só o fez ter certeza de uma única coisa: de que iria lutar por ela. Não sabia o que sentia, só sabia que era muito bom e o fazia se sentir uma pessoa boa, e viva. O loiro intensificou o beijo, e Hermione afundou os dedos nos cabelos finos, na base da nuca, puxando-o mais pra perto do seu rosto. Queria sentí-lo de todas as formas, em cada pedaço do corpo, que pedia o toque urgente dele mais e mais.



_ Como é bom te sentir, Hermione... _ sussurrou ele em seu ouvido, a deixando extasiada, e fazendo-a esboçar um sorriso de encontro ao ouvido dele. _ Eu quero tanta coisa... ah, me deixa te sentir mais, não vá embora... _ ele pediu, aquelas palavras doendo no peito, como se precisassem ser gritadas ao mundo.



_ Eu... _ ela começou, tentando resgatar algum resquício de sanidade que não possuía _ eu não vou embora agora, Draco _ ele sorriu contra a sua boca ao ouvir o seu nome sendo pronunciado pela primeira vez e tão carinhosamente _ eu não queria isso, mas... mas preciso disso, agora.



     E foi a vez dela puxá-lo pra mais um beijo profundo, as línguas se misturando como em uma dança perfeita, que nunca haviam experimentado antes. As mãos de Draco desceram para a cintura da grifinória, que ao toque soltou um gemido baixo, completamente excitada com um toque tão simples. Ele a pegou no colo e levou para o sofá onde minutos antes estavam conversando. Parou.



_ Posso? _ ele pediu permissão, se surpreendendo. Era uma coisa que não fazia com as garotas.



     Ela o olhou aturdida. Não sabia o que ia acontecer, mas acabara de se deixar levar por sentimentos que sequer sabiam dizer quais. Mas não relutou; sabia que precisava daquilo, mas sem saber o porquê. Também não fez maiores esforços pra entender.



_ Pode _ ela respondeu, esboçando um sorriso que o deixou encantado. Como ela, logo ela, podia mexer tanto com ele?



      Ele a sentou no sofá e se reclinou sobre ela, uma das mãos em sua cintura e outra na base da nuca, e ela entreabriu as pernas para que ele pudesse acomodar melhor o corpo sobre ela. A beijou mais uma vez. E então decidiu ousar: migrou dos lábios para a bochecha, e indo em direção à orelha, mordiscando levemente. Não demorou a perceber que tinha descoberto o primeiro ponto fraco dela, e sorriu ao ouvir o gemido mais uma vez. Se demorou nos carinhos naquela região, e em seguida desceu para o pescoço dela, o que a fez gemer um pouco mais alto e entrelaçar as pernas nas dele, deixando-o ainda mais excitado.



     Não podia se segurar tanto: desceu uma das mãos para a perna de Hermione, deslizando perigosamente para cima, levantando um pouco da saia dela, tal ato que a fez puxar os cabelos dele com força e o conduzindo para o colo, em direção ao primeiro botão da camisa. Ele desabotoou o botão com a boca, e ela suspirou. Draco olhou para ela, estava com as bochechas muito vermelhas e arfava de desejo. Nunca tinha visto algo mais sexy e ingênuo ao mesmo tempo, Hermione Granger ali, querendo a ele. Teve medo, e parou.



_ Não posso fazer o que queremos aqui, Hermione _ disse Draco, buscando ar e um pouco de sanidade. Ela o encarava, ainda ofegante. _ Não é assim que... que imagino...



     Ela se desvencilhou dele e se levantou. Ajeitou a roupa e o encarou mais uma vez. Não dava pra ignorar o que aconteceu ali, não só a intimidade, mas toda a conversa que tiveram antes do ocorrido. Ela não entendia o porquê daquilo tudo acontecer, mas sabia bem que Rony não a fazia sentir um terço do que Draco a fizera sentir. Era mais que tesão, era entrega pura. Um se doando ao outro. E não podia deixar passar batido.



_ Eu sei, eu me deixei levar, eu... _ ele a silenciou com o polegar encostado em seus lábios, e ela sentiu um arrepio percorrer a espinha.



_ Tudo bem, não precisa se explicar, eu também tô confuso _ ela o olhou atônita e ele percebeu que ela entedera errado _ não nesse sentido, sei o que quero, você me fez ter essa certeza. Não posso dizer que é amor, mas...


     Hermione balançou a cabeça negativamente. Se eles não faziam ideia do que sentiam um pelo outro, o que fazia ali?



_ Ok, eu tô indo, e depois resolvemos isso _ ela disse, pegando o sobretudo do chão e a varinha e saindo porta afora, deixando um Draco aturdido.



&*&*&*&*&



     Ela chegou ao dormitório e deu graças a Deus pelos amigos não a terem esperado, mas se deparou com Gina acordada à sua espera.



_ Porque demorou a voltar da ronda, Mione? _ perguntou a ruiva, deixando a amiga sem uma resposta rápida. Gina era rápida.



_ Eu acho que fiz a maior besteira da minha vida _ foi tudo o que ela conseguiu responder. Com roupa e tudo, afundou na sua cama. Era tudo o que precisava, mas talvez um banho frio a fizesse se recompor.



_ O que você fez pra ficar assim? _ Gina insistiu.



_ Eu... _ começou Hermione, se decidindo se contava ou não. Gina era sua melhor amiga, mas era a irmã do seu namorado, como dizer o que acabara de acontecer? Decidiu-se pela verdade, talvez não doesse tanto do que omitir pra sim mesma. _ Eu tive uma conversa com Malfoy e... bem... nós... nós...



_ Tá, vocês se beijaram, certo? _ perguntou a ruiva displicente.



_ É. _ foi tudo o que a morena conseguiu dizer.



     Gina suspirou. Sabia que aquilo ia acontecer mais cedo ou mais tarde.



_ Eu percebi o que rolou na aula de Poções, Mione, não sou tonta _ comentou Gina, por fim.



_ Co-como assim? _ gaguejou a amiga.



_ Os cheiros... a poção alternando as cores... ao que eu saiba, lilás é sua cor favorita e dourado, a cor favorita do Malfoy. Algumas coisas não ficaram claras pra mim, mas uma coisa eu percebi: não tinha nada a ver com o Rony. Sei que você não tem culpa disso, imagino a sua confusão, mas qualquer atitude que você pretenda tomar inclua o Rony, sempre.


_ Mas eu sequer sei o que fazer... _lamentou Hermione.



_ Sabe sim, aí no fundo você bem sabe. Mas se prepara, porque vocês vão sofrer preconceitos, e não faço ideia de como Harry e Rony vão digerir essa 'relação' de vocês dois _ aconselhou Gina.



     Hermione se sentiu intimamente grata pelas palavras da amiga. Não esperava que ela fosse tão compreensiva e arisca, mas buscou força no que ela havia dito. Se ajeitou nas cobertas, quando Gina se aproximou e lhe entregou um envelope verde-esmeralda.



_ Toma, o profº Slughorn pediu pra te entregar _ disse ela, indo se deitar.



    Ela abriu o envelope; era um convite para um jantar, 'mais um daqueles jantares', pensou ela, amarga. Não tinha boas recordações do último do qual participara. Resolveu ir, afinal, o que lhe reservaria aquela noite?



&*&*&*&*&



     Amanheceu chuvoso, e ainda era madrugada quando Hermione se levantou. Foi até ao seu armário procurar algum vestido decente para deixar separado para o jantar do professor. Escolheu por algo elegante, e simples, como gostava: um vestido preto, de mangas longas com renda, e vinha em corte reto até dois palmos acima dos joelhos, além de um bonito decote em V profundo nas costas. Sorriu. Era um vestido que a mãe lhe dera de presente, antes de voltar para Hogwarts.



     Desceu para o Salão Comunal, e ficou à espera dos amigos. Não demorou muito e Harry desceu com Rony e Neville, o ruivo com sinais evidentes de sono e Harry já bem desperto.



_ Ei, bom dia _ cumprimentou ela sorrindo.



_ Bom dia, Mione _ desejou Harry, e Rony veio ao seu encontro e lhe deu um beijo. Ela correspondeu, e percebeu, para seu desespero, que o beijo não causara nenhum efeito como antes.



_ Oi Rony _ disse ela suspirando. Agradeceu em pensamento por não terem perguntado sobre sua longa ausência de ontem à noite. _ Vamos para o café?


     O dia transcorrera sem maiores novidades, exceto na aula de Aritmancia, que foi conjunta com a Sonserina: ela percebeu que Draco não parava de olhar pra ela, e ela não sabia se gostava ou se receava. Até que tomou coragem para olhá-lo. Ele sorriu, e ela lhe devolveu um breve sorriso.


      A noite enfim chegara e ela avisou aos amigos que não jantaria com eles por conta do convite do professor Slughorn.


_ Quem mais foi convidado? _ perguntou Rony, enquanto caminhava com Hermione e Harry pelo Salão Principal.


_ Eu não sei... só recebi o convite _ respondeu a namorada, indiferente.


_ Não quer que eu vá com você? _ o ruivo insistiu.


_ O convite não falava de pares, Rony _ ela disse, e percebeu o quão fria tinha sido naquela resposta. Tentou corrigir. _ Fique tranquilo, eu volto logo _ ela terminou, piscando pra ele, e ele lhe sorriu.


     Saiu correndo escadaria acima, devia estar quase atrasada. Tomou um banho rápido, foi para o quarto e se vestiu. Escolheu um par de brincos verde-esmeralda, que combinava bem com seu tom de pele e dava um toque de cor ao vestido, e um bracelete com brilhantes, presente de Harry. Olhou o batom vermelho em suas mãos e pensou se não ficaria exagerado demais.


_ Ah, quer saber? Vou usá-lo sim _ ela disse pra si mesma, e em seguida passou uma camada generosa nos lábios. Reparou neles, e gostou. Percebeu que tinha a boca bonita, bem desenhada e um pouco grossa. Pensou que agora poderia ter mais tempo pra reparar em si mesma.


     Olhou para o espelho e gostou do que viu. Estava sóbria, elegante, como se sentia naquele momento. Calçou sandálias de salto médio pretas, e prendeu os cachos em um coque alto, valorizando os brincos e o decote nas costas. Pegou o envelope com o convite e saiu rapidamente do dormitório.


      Chegou na sala do professor e logo na entrada tinha um elfo recebendo os convites de quem entrava. Hermione revirou os olhos, não gostava de ver elfos fazendo tal coisa. Ela sorriu para o elfo que lhe fez uma reverência com a cabeça. Entrou no recinto, ricamente decorado com as cores da Sonserina.


_ Ora se não é a melhor aluna de Hogwarts, srta. Granger, que prazer tê-la conosco! _ exclamou Slughorn, sorridente. Hermione lhe estendeu a mão e ele a cumprimentou.


_ Obrigada pelo convite, profº Slughorn _ ela disse em um sorriso.


_ Vamos, beba algo, daqui a pouco será servido o jantar _ ele ofereceu, galante.


     Hermione olhou ao redor. Viu Luna conversando com Max em uma das poltronas que estavam espalhadas pelo local, e reparou que várias meninas a olhavam, curiosas. 'Devo estar muito apresentável', pensou ela com ironia, reprimindo um riso. Viu outros conhecidos de outras casas, e também viu Cho Chang, que lhe deu um breve aceno, o qual ela retribuiu.


    Qual não foi a sua surpresa ao ver, próximo a uma cortina prateada, Pansy Parkinson conversando animadamente com Draco Malfoy. Sentiu raiva, e reparou na roupa que ela usava: um vestido curto vermelho-sangue, combinado com salto alto também vermelho e os agora longos cabelos negros caindo sobre os ombros e costas. Viu Pansy cochichar algo com Draco, e virou de costas pra eles.


_ Ora, se não é a Granger _ comentou Pansy, em um sussurro, para Draco.


    Ele se virou para olhá-la. Estava distraída, olhando tudo ao redor, e ele não conseguiu não ficar de queixo caído: ela estava linda, ainda mais linda do que como costumava vê-la. Era uma mulher feita, e estava tão elegante! Seu olhar se perdeu naquele decote profundo das costas, cuja ponta do 'V' terminava sugestivamente próximo ao cóccix. Suspirou. Quando ela se virou e os olhares se encontraram, ele quase perdeu a razão: ela usava brincos verde-esmeralda e o tal batom vermelho que o enlouquecia. Era algo sexy demais pra que ele conseguisse ficar perto sem sentir tesão.


_ Qual o seu problema? _ perguntou Pansy, tirando Draco de seus devaneios.


_ O que? Tá maluca? Problema algum _ respondeu ele, não se importando com a garota. Pansy era gostosa, mas não se dava um pingo de valor. Prova disso era as roupas que usava ali. Hermione não: ela tinha senso do que realmente ficava bom nela, sabia o que valorizava seu corpo sem se expor. E aquilo o perturbava imensamente.


    Pansy saiu de perto do loiro para conversar algo com Blaise, que também estava ali. Draco aproveitou pra se aproximar da morena rapidamente.


_ Você não faz ideia do que eu quero fazer com você agora _ sussurrou ele em seu ouvido, e saiu. Ela sentiu o corpo inteiro arrepiar e deu graças a Merlin por estar usando mangas compridas, que ajudariam a não denunciar a reação do seu corpo diante das palavras de Draco. Imaginou o que ele faria, e pensamentos obscenos logo invadiram a mente. Ela procurou afastá-los logo.


_ Acho que podemos sentar para jantar, não é? _ anunciou Slughorn, sempre sorridente.


   Todos se sentaram numa grande mesa redonda, repleta de iguarias. Hermione sentiu água na boca e percebeu, enfim, que estava com muita fome.


     Draco não perdeu a chance de se sentar ao lado de Hermione, e ficou aliviado por ninguém perceber o ato. Ela não conseguiu se expressar.


      O professor começou a falar dos atributos que cada aluno ali presente, e Luna sorriu ao ouvir alguém lhe elogiar tanto. Hermione se sentiu feliz pela amiga. Em seguida Slugue cumprimentou Draco, por ter se tornado membro da Ordem e ter passado informações valiosas que contribuíram para a exterminação dos Comensais.


_ A srta. Granger é alguém de futuro _ começou Slughorn, e ela se sentiu corar. Não curtia muito elogios assim, em público. _ Junto do sr. Potter e do sr. Weasley ela ajudou a enfrentar o Lord das Trevas e encerrou essa guerra maldita. Um brinde a ela e ao Trio de Ouro!


      Todos ergueram as taças em direção a Hermione, que fez um breve aceno com a cabeça e um gesto delicado com a taça em mãos. Draco levantou sua taça para ela.


_ Já sabe o que pretende fazer após terminar seu curso em Hogwarts, srta. Granger? _ perguntou o professor, animado.


_ Ahn... bom, um curso de aurores, talvez. Ainda não pensei em algo concreto, professor _ respondeu ela, com sinceridade. Tudo que queria era que aquele jantar acabasse logo, e o inquérito também.


_ Daria uma excelente auror, Granger _ disse Cho, que até então estava calada, absorta.


_ Obrigada, Chang _ agradeceu a grifinória, com um sorriso.


    A conversa se estendia e de repente ela sentiu os dedos de Draco encostarem nos seus. 'Como ele ousa?', ela se perguntou. Gostou do toque. Se sentiu transformar em outra, e resolveu entrar naquele jogo de provocação. Passou os dedos por entre os dele com vontade, e ele sentiu-se excitado de imediato. O polegar dele acariciava as costas da mão dela, e quando o jantar foi servido pararam com a brincadeira. Eles se entreolharam, cúmplices.


   Após o jantar, os alunos começaram a se despedir, e Hermione saiu à francesa, acenando para Slughorn. Saiu pelos corredores afora, buscando ar fresco. Precisava sair dali, a mistura de nervoso e excitação não colaboravam pra sua sobriedade.


    Deu um grito que nunca a abandonara; Draco a puxou para detrás de um armário de vassouras, colocando a mão na boca dela para que não gritasse. Ela estava colada a ele, de costas.


_ Não deveria ficar andando sozinha por aí, e vestida desse jeito _ ele sussurrou em seu ouvido, fazendo-a estremecer. Ele percebeu a reação do corpo dela de imediato, e ficou ainda mais excitado.


_ Eu estava indo pra minha Casa quando você me puxou do nada! _ ela reclamou, mas sabia que estava gostando daquilo tudo. A sensação de perigo era algo indescritível e totalmente sensual.


    Draco a puxou pela cintura pra mais perto, e começou a beijar o seu pescoço, a deixando extasiada. Queria mais que aquilo, então a pegou pela mão e a levou para a sala dos monitores. Trancou a porta, e olhou pra ela.


_ Quero que entenda uma coisa de uma vez por todas _ começou ele, se aproximando perigosamente. _ que não dá pra gente se olhar sem que o meu corpo ou o seu não reaja na hora.


_ Eu não tô tentando negar isso, Draco _ ela disse, suspirando.


_ Ótimo _ ele venceu a pouca distância entre eles e a puxou para um abraço.


     O loiro fez o que mais queria desde quando a viu no jantar: passar as mãos nas costas desnudas pelo generoso decote, e em um gesto rápido soltou os cachos do coque, que caíram como cascata pelas costas. Ele ficou maravilhado ao ver aquilo. A levou para o sofá, e dessa vez fora menos piedoso. Levantou o vestido dela até os quadris e sentiu sua ereção pulsar ao ver a calcinha delicada que ela usava. Ela lhe tirou o paletó e a camisa, e adorou ver o peito e barriga definidos do sonserino. Draco sabia que não era o momento de transar com ela, nem o lugar. Mas achou justo ambos liberarem a tensão.


     Ela deixou que ele se encaixasse entre suas pernas, e pela primeira vez sentiu a intimidade dele contra a sua, despudoradamente. Ele a puxou para um beijo, sôfrego. O beijo fora se intensificando ainda mais, e nenhum dos dois respondiam por eles mesmos. Draco começou a fazer movimentos, pressionando sua ereção contra a intimidade de Hermione, não ousando se despir e consumar o ato, queria apenas sentí-la. Ela desejou o mesmo, estava adorando aquele contato.


     Os dois começaram a se movimentar, e de repente, Draco sentou e a puxou para o seu colo. Ousou abrir o zíper da calça. Ela olhou o movimento. Sorriu.


_ Por mim tudo bem _ ela o encorajou, curiosa.


     Ele abriu o zíper e a olhou. Ela se sentou, voltando àquele contato tão íntimo. 'Agora é minha vez', pensou ela, provocativa. Draco a puxou pelo cabelo e lhe devorou em mais um beijo longo, e ritmadamente, ela começou a mover os quadris em cima dele. Arqueou-se para trás, enquanto ele lhe beijava o pescoço. Não sabia quanto tempo aguentaria aquilo. Ele a observava fechar os olhos, e via os quadris moverem-se com mais rapidez. As bochechas muito vermelhas, os cabelos acompanhavam os movimentos, e ele a segurou pela cintura com as duas mãos. Ela gemia deliciosamente.


_ Você sabe ser muito sexy quando quer, Granger _ ele disse ao pé do ouvido dela. Naquela altura do campeonato, ouvir seu sobrenome era uma injeção de adrenalina, que a fazia fantasiar aquele momento com o cara proibido, mas irresistivelmente gostoso.


     Ela cravava as unhas nas costas do loiro, que se entregava ao prazer e a dor que aquilo causava. Gemeu mais, até chegar ao ápice. Era o primeiro orgasmo da sua vida, sem ao menos precisar de penetração. Ela apoiou a cabeça no ombro dele, movendo o quadril lentamente, querendo sentir mais dele. Ele a sentou do seu lado e se levantou, correndo para o lado oposto da sala.


_ O que está fazendo? _ perguntou ela, ainda tonta, e sem entender.


_ Vou me aliviar, lógico _ e ele adentrou o banheiro.


    Hermione riu; sabia que Draco tinha sido um gentleman com ela em não forçar a barra, e deixá-la se deliciar com ele. Alguns minutos depois ela viu sair do banheiro um Draco muito suado, e com respiração ofegante.


_ Seja... seja lá o... que você... tenha... nossa _ ele falava com a voz entrecortada.


_ Tá tudo bem? _ ela perguntou, preocupada.


_ Tá... tudo... ótimo... _ e ele a agarrou mais uma vez. Ela se afastou.


_ Preciso ir dormir, já é tarde _ ela disse, mas com vontade de ficar ali pra sempre.


_ E eu preciso de um banho bem gelado _ ele disse, rindo. Ela riu também. _ A propósito _ ele começou _ você realmente acredita que vai conseguir dormir?


    Ela lhe lançou um olhar sacana. Pegou os sapatos e se encaminhou para a porta. Sabia que não iria dormir naquela noite, e tinha plena certeza de que ele também não.


_ Bons sonhos, Malfoy _ ela disse, sensual, e saiu, a porta fechando atrás de si.


_ Ela só pode estar brincando, né? _ ele disse pra si abismado, catando as suas roupas do chão.


 


>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>


N/A: It's hot, baby! haha Quem gostou aí levanta a mãããão! o/


      Pois é, nesse capítulo resolvi ser muy boazinha com vocês e postei um capítulo quase todo NC, uhul! Mas vão se preparando, porque rosa também tem espinhos, viu?


        Posso adiantar uma coisa: a mudança de Hermione começa a partir do próximo capítulo. Corações serão partidos, brigas vão rolar, ou seja, ainda tem MUITO que rolar nessa fic, meu povo! Agora preciso dum favor: comentem, comentem muito, comentem mesmo! Isso dá mó força pra eu continuar postando, e é bom saber a opinião de vocês pra que a fic vá ficando cada vez melhor! ;)


      No próximo cap respondo aos coments! Beijo beijo!


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Rafaela Gama em 20/12/2011

Estou gostando bastante, sou doida por Dramiones e enfim, você por acaso tem tumblr? Se tiver, me manda na ask da drugsandtequila|tumblr ? Obrigada ;)

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Rafaela Chaves em 16/12/2011

Estou amando a história, por favor, poste logo o próximo capítulo. (:

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.