FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Minha morena. PDV: SB


Fic: Marotos e Garotas.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Minha morena.
PDV Sirius.


-O que ela tá fazendo aqui? – Ouvi Luke perguntando pra alguém. Me virei e Marlene me encarava ao lado de Remo. Meu Merlin, como essa garota mexe comigo. Aqueles olhos terrivelmente azuis, os cabelos bagunçados, a boca entreaberta e a testa franzida. Que vontade de tomá-la nos meus braços e beijar aquela boca perfeita até o mundo acabar... Sacudi minha cabeça antes que eu surtasse. Não posso fazer isso, ela está saindo com o Johnson... Antes que Aluado pudesse responder ela fez isso por ele:


-Se ficarem só vocês quatro, vão ficar em desvantagem. Eu vou ficar. – Ela cruzou os braços aparentemente esperando que nós disséssemos não. Eu queria mandar ela de volta pro castelo, pra que ela ficasse segura. Que droga Black! Que malditos pensamentos são esses? Você se apaixonou pela garota? NÃO. Sirius Black não se apaixona. Não mesmo. Ela sacou a varinha depois de algum tempo e ficamos esperando.


Alguns segundos depois ouvimos um farfalhar de folhas e nos viramos na direção do som com as varinhas erguidas. Cinco feitiços diferentes voaram em nossa direção e gritamos juntos:


-Protego!


Começamos um duelo furioso. Pontas e Malfoy, Aluado e Lestrange 1, Rabicho e Lestrange 2, Lene e Ranhoso, eu e Dolohov. Nossas varinhas eram apenas borrões, eu e James lutávamos lado a lado, rugindo a cada feitiço lançado. Os Lestrange recuavam cada vez mais, Luke e Remo lutando com ferocidade. Ranhoso e Lene se atacavam mutuamente. Eu gritava meus feitiços e rugia cada vez que Dolohov se defendia. James lutava com tanta ferocidade que o fracote do Malfoy tinha os olhos arregalados de terror. Gargalhei ao perceber que Dolohov estava ficando cansado. Ouvi Ranhoso dizer:


-É só isso que sabe fazer McKinnon? SECTUMSEMPRA!


Um segundo terrivelmente longo se passou até que ela gritasse:


-Protego!


Droga. Olhei pra ela. Três cortes fundos apareceram em sua barriga, ela deu um suspiro de surpresa. Ranhoso e o resto nojento dos sonserinos saíram correndo, aproveitando que nós tínhamos a atenção voltada pra Lene. Ela colocou as mãos delicadamente nos cortes, a testa franzida. Olhou pras mãos ensanguentadas e olhou pra mim. Ela parecia confusa, eu estava desesperado. Olhou pras mãos de novo, a testa franzida e levantou os olhos, cruzando o olhar com o meu. Murmurou:


-Sirius.


Ela parecia cair em câmera lenta. Quando finalmente tocou o chão, eu já estava do seu lado.


 -Por favor, fica comigo Len. – As lágrimas escorriam pelo meu rosto, não pude evitar.


Ergui seu corpo frágil, tão leve. A aconcheguei em meus braços e me levantei. Ela sangrava profusamente.


Eu saí correndo, não me importava que talvez não conseguisse chegar, que talvez fosse mais sensato chamar um professor e esperar. Eu só queria que aquela garota que estava em meus braços ficasse bem. Ouvi James gritando, mas o ignorei.


As lágrimas escorriam pelo meu rosto, o sol começava a brilhar, estava um dia bonito até, mas eu não me importava. Murmurava sem parar:


-Lene, fica bem, não vai, por favor... Lene...


Minha camisa estava ensopada de sangue, ela ficava mais pálida a cada minuto.


-Lene, não me deixa... Lene...


Algumas pessoas tentavam me parar no caminho, mas eu ignorava ou desviava.


-Não me deixa morena, por favor...


Cheguei derrapando no castelo. Minhas pernas latejavam, mas eu continuei correndo.  Pegadas sujas de sangue e lama ficavam pra trás enquanto eu corria. Amaldiçoei todos os fundadores que resolveram colocar um jardim tão grande naquela porcaria de castelo.


Subi os degraus de entrada correndo, e deslizei pelo piso de mármore.  Parei alguns segundos arfando.


-Por favor, morena. Só mais um pouquinho...


Recomecei minha corrida, pulando degraus e pegando atalhos, em 5 minutos cheguei a Ala Hospitalar. Chutei a porta e entrei gritando e chorando ainda:


-MADAME POMFREY!  MADAME POMFREY PELO AMOR DE MERLIN! MADAME POMFREY!


Ela apareceu correndo e bufando.


-Mas o que... – Ela me viu parado, chorando descontroladamente, ensanguentado, e com uma menina toda coberta de sangue também no meu colo e arregalou os olhos. – Merlin! Coloque-a aqui, rápido.


Eu coloquei Lene delicadamente em uma cama que Madame Pomfrey apontou. Ela começou a limpar os cortes e resmungava coisas incompreensíveis.


-Ela vai ficar bem?


Eu havia sentado numa cadeira ao lado da cabeceira da cama.


-Talvez. Se você for buscar a professora McGonagall agora, as chances dela aumentariam significativamente.


Ela não havia tirado os olhos do que estava fazendo. Não esperei que ela dissesse duas vezes e saí correndo. Pulava os degraus e desviava de alunos assustados. Encontrei alguns conhecidos (na maioria garoas lindas) (ou não), mas eu desviava deles também.


Cheguei ao andar da McGonagall, era hora do almoço já. Havia uma chance bem pequena de ela estar lá, mas eu não pretendia entrar no Salão Principal tão cedo. Parei em frente à porta da sala dela e bati.


-Professora McGonagall! – Eu batia insistentemente na porta. – Professora!


Ela abriu a porta e assim que me viu disse com os olhos arregalados:


-Meu Merlin Black! O que houve?


-É a Lene professora, por favor. Madame Pomfrey pediu que você fosse até enfermaria... – Eu respondi tentando segurar as lágrimas. Malditas lágrimas. Provavelmente hoje eu chorei mais do que na minha vida todinha, culpa da minha morena. Minha morena? AAAAH! EU TO FICANDO LOUCO! SEU CÃO SARNENTO (bom, eu estou me xingando) ELA. NÃO. É. SUA. MORENA.


Ela começou a andar rapidamente e eu fui atrás. Em cinco looooongos minutos que eu fiquei longe da morena (viu? Um progresso, não disse minha.) nós chegamos. McGonagall abriu as portas e foi direto pra cama em que Madame Pomfrey estava. Ela não nos viu porque estava de costas pra porta, curvada sobre o corpo da Len.


Eu corri pra mesma cadeira de antes enquanto McGonagall falava dividida entre surpresa e assustada:


-Merlin do céu Black! O que houve com ela?


Eu baixei os olhos e contei o que havia acontecido, desde o bilhete que recebemos, até o segundo que chegamos ali. Não contei sobre o que Dolohov havia feito, não era uma boa ideia.


-Ai eu fui chamar a senhora, - Viu? Eu posso ser educado quando eu quero. – E nós viemos pra cá.


Ela suspirou e resmungou alguma coisa que parecia com “Vou ter uma conversinha com Horácio...”


-Pomona, acho que já fez o bastante por hoje. Deixe que eu assuma por aqui. Senhor Black, pode voltar pro seu dormitório agora, o senhor precisa de um banho.


- Não vou deixar ela sozinha. – Eu a encarei, desafiando a com os olhos, minha mão pousada nos cabelos da McKinnon.


-Senhor Black...


Antes que ela pudesse terminar, Madame Pomfrey interrompeu:


-Minerva, eu acho realmente que o garoto deveria ficar...


-Pomona, Black está emocionalmente abalado, ele passou por muita coisa hoje.


-Ei! Eu não estou emocionalmente abalado!


Elas me ignoraram e continuaram:


-Eu acho que o garoto deveria ficar. Ele ficaria melhor em saber que a menina está bem.


-Eu não vou sair daqui. – Falei alto, e cruzei os braços me apoiando no encosto da cadeira.


Elas me encararam.


-Tudo bem Black. Fique então. Mas por favor, vá tomar um banho antes.


Eu saí correndo dali. Voei pelas escadas e cheguei no quadro da Mulher Gorda.


-Fortuna Major.


-Meu querido, o que houve? – Ah, que ótimo! Vou conversar com um quadro!


-Fortuna. Major.


-Mas...


-FORTUNA. MAJOR.


Ela finalmente abriu, e eu entrei correndo. Pontas, Rabicho e Aluado me esperavam sentados.


-Como ela tá?


-Ela vai ficar bem?


-A gente pode ir vê-la?


-Oi. Eu não sei se ela ta bem agora veado. – James resmungou entre dentes “Cervo!”- Ela vai ficar bem, eu sei que vai, Aluado. A McGonagall tá cuidando dela. Não sei Luk... Não acho que vocês vão poder ir tão cedo...


-Vocês?


-É... McGonagall me deixou ficar lá, só disse pra eu tomar um banho antes.


Eles sorriram. Eu bati na minha testa e disse:


-As meninas! Elas vão ter um treco quando souberem...


-Relaxa Almofadinhas... A gente resolve, vai tomar seu banho e vai logo ficar com a Len.


Eu sorri e subi correndo. Fui tirando a camisa no caminho. Cheguei no dormitório e corri pro chuveiro. Entrei, e comecei a tomar meu banho. Não havia percebido o quanto estava tenso, meus músculos relaxaram imediatamente de baixo da água quente. Terminei meu banho rápido, e saí com a toalha enrolada na cintura (quase caindo, nunca consigo deixar ela bem presa...), outra secando meu cabelo. Peguei uma calça de moletom cinza no malão e a joguei em cima da cama. Coloquei a primeira cueca limpa que eu achei, e vesti a calça. Era bonitinha até... O cós era branco e tinha aquelas cordinhas pra apertar (Que gay ficou isso, por Merlin... To andando demais com o Aluado...). Coloquei uma regata branca, bem larga e puxei do malão um blusão verde escuro. Calcei uns tênis que eu achei em baixo da cama e desci correndo.


Eu corri pelos corredores de novo, derrapando nas curvas e pulando degraus. Cheguei à enfermaria ofegando, abri a porta e Madame Pomfrey estava lavando uma tigela cheia de uma coisa roxa em uma piazinha que tinha por ali. Ela me viu entrando e apontou com a cabeça pra uma cama cercada com aquelas cortininhas. Eu entre ali e vi a minha pequena.


Ela estava com os olhos fechados serenamente, parecia dormir. As mãos pousadas em cima do cobertor que a cobria, os cabelos forrando o travesseiro. O rosto calmo, tranquilo. Não tinha nenhum vestígio de sangue, eu lugar nenhum.


Passeei meus dedos levemente eu seu rosto, sorrindo. Era tão bom vê-la daquele jeito... Levei meus dedos até seus lábios e fiquei os acariciando bem de leve por um tempo. Eram tão perfeitos... Acompanhei o formato deles ainda sorrindo. Aproximei meu rosto do seu devagar e rocei meus lábios nos dela o mais sutilmente que pude. Me afastei e voltei a acariciar seu rosto. Quer saber? Que se dane essa coisa de Sirius Black não se apaixona! (Não que eu esteja apaixonado, eu só estou... Mexido, é só isso.) Eu vou lutar pela minha pequena. Vou ter ela pra mim. Só pra mim.


- Vai ficar tudo bem morena, eu vou cuidar de você. Prometo.
 
 
 (N:A/ OOOOI LOVES! Own, eu amei esse capítulo... Lembrando: Amanhã Não tem post, porque é terça. QUEM QUASE MORREU COM O SIX SAINDO DO CHUUVEIROOOO? O/ hah' Nao creio que só tive um comentário... Vocês me abandonaram é isso? Tá bom então... ~snif. Obrigada a minha leitora fiel que eu amo demais. MÓNIKA BLACK. Acho que o próximo cap é do Sirius também, quem gostou dele narrando?? Mais comentários nesse cap porque ficou muito lindo né? Por favor... PS: Tá Six, a gente acredita que você num tá apaixonado pela Lene ok? Ok.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Morgana Pontas Potter em 27/04/2014

OMG!! Você escreve muitíssimo bem!
Ótima fic, estou adorando.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 09/07/2012

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
Nossa, ameiiiii esse narração pelo Sirius *---------------*
foi perfeiiiitia mesmoooo
Que divo tudo que ele fez por ela, ainda acha que não está apaixonado...kkk
beijoos! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Naylla em 08/11/2011

AAAAHHHHHHHHHHHH!!!!!

QUE LINDO ESSE CAP!!!!!

O SIRIUS E TAO PERFEITO!!!!!!

SORTE DA LENE!¬¬!

Posta logo!!!

bjbjbjPANDA!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Richélita Souza em 08/11/2011

Júh! perdão por não ter comentado o cap. anterior! Mas essa semana por enquanto tô super sem tempo! Consegui uma brechinha pra ler os dois cap. de uma vez!!
Esse cap. tá PERFEITOO! Six tá um fofo(eu quero ele pra mim tbm)!! Tô esperandoo pelos proximos post's ok! Não demoree...
E mais uma vez desculpa!!
                                                                      Beijoos.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Mónika Black em 08/11/2011

O sirius sabe que esta apaixonado pela lene só não quer admitir, ele foi muito querido  com ela, ai que fofo ( QUERO UM SIRIUS PARA MIM TAMBÈM!! ).

Amanhã não tem post??? Que pena :(

Ai esse Ranhoso é mesmo idiota, lançar um feitiço daqueles, ainda por cima a lene não lhe fez mal nenhum, que raiva!!!!!!!!!!!!

Como smpre adorei o cap, fico á espera do proximo, não demores a postar tá???

Beijinhos :)
MónikaBlack

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.