FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. O primeiro dia de aula


Fic: Ruivinha meu amor Segunda temporada:


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Acordaram atrasados, como sempre. Tomaram um banho de gato cada um e desceram a escola inteira correndo. Chegaram no salão principal, as meninas riam e comiam alegremente.
-Mione, você podia ter subido acordar a gente!- reclamou Rony. – Aí nos não iríamos tomar apenas um copo de suco!
-Ah pare de reclamar, saco sem fundo! – implicou Daniel. – Ah, lá vem a Minnie com os horários!
-Horários!- exclamou Mione. – tomara que esse ano os meus não estejam completos.
-Claro! – exclamou Harry enfiando uma torrada com pressa a boca. – No terceiro ano você não quis dar atenção ao que a gente falava, quase ficou louca com o vira-tempo!
Hermione deu de ombros. Quando Minerva acabou de entregar os horários, Rony ficou feliz.
-Depois do primeiro tempo, temos tempo livre, dá para gente passar na cozinha.
-Tá, tá bem, Rony. Agora vamos!- exclamou Mione enérgica.
-Mas Mione! – reclamaram os meninos juntos. – o primeiro tempo é história da magia! Eu mato Dumbie, ele colocou justo a pior aula no primeiro tempo, quando a gente acaba de acordar! – os meninos tinham acabado de sentar na frente das meninas. Harry fez questão de sentar em frente Gina.
-Não interessa. Vamos! – puxou Hermione e eles foram para aula reclamando.
Passando por um corredor, ouviram uma menina dizer.
-Olha lá, Anne. Dois morenos, um loiro e um ruivo. A disposição sempre que quiser mudar e trocar um pouco de cor.
As meninas que andavam perto dos meninos reviraram os olhos. Os meninos abriram um sorriso “olha meus dentes perfeitos e morra de inveja”.
-Olha só, vocês viraram bonequinhos de esposição. Até as meninas feias pensam em trocar vocês uns pelos outros de vez em quando! – brincou Lucy.
Os meninos nem ligaram e fingiram que estavam andando em passarela.
Como sempre, a aula do professor Binns é ótima. Ótima para quem sofre de insônia. Você dorme que é uma beleza. Os meninos não queriam dormir, pois ele roncavam. E quatro meninos roncando alto e grosso, contra um fantasma da voz arrastada e baixa não ia dar certo. Começaram a passar bilhetes.

D.B: Ou, que vocês estão fazendo?
Os Outros: Lutando contra o sono.
D.B: querem conversar?
H.P: ¬¬’
T.L: ¬¬’ ²
R.W: Aff odeio história da magia. Ainda mais com esse professor.
D.B: Ele não é professor. É um fantasma. Deer.
H.P: sabe que essas siglas do nome me deram uma idéia. A do Daniel é D.B, significa: Dentuço Boiolão.
Daniel: Ah pare, significa Desejado e Bonitão.
Teddy: Eu acho que é Diva Barriguda
Rony:Doida Bichola.

Daniel: Ah quer saber? Vou separar um pergaminho para isso.


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Siglas
O que significa D.B - Quem inventou o apelido
Desejado e Bonitão – Daniel
Dentuço Boiolão - Harry
Diva Barriguda – Teddy
Doida Bichola – Rony
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
-Ah, vocês vão se ferrar no de vocês também, vocês vão ver! – retrucou Daniel, baixinho.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
H.P
Homem Popozudo – Harry. (escrevi Popozudo para não escrever Pint*do)
Homossexual Prostituto – Daniel (ah cala essa boca, Harry.)
Horripilante Piorzão – Teddy.
Horrível Pedófilo. (O.O)

T.L
Totozo e Lindo – Teddy
Trasgo Louco – Harry
Tente se Limpar – Rony
Tremenda Lola – Daniel

R.W (ah pô, w num dá – Daniel. É verdade, vamos por A de Abílio – Harry)

R.A (esse r.a me lembra ranhoso.=P – Harry)
Rico Astucioso – Rony
(¬¬’) Ridículo Anta – Harry.
Renegado, Ameba – Teddy
Rainha shuashuashua Antipática. Se Fosse S.F seria saco sem fundo! – Daniel.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Os meninos leram a ultima frase de Daniel e com muito custo seguraram a gargalhada.
-Hey! –exclamou Harry, mas lembrou-se que tinha que escrever no papel.

Tem com w sim: Won-Won!
Ahsuhsuahuahsuahsuhaushashauhsashu- Daniel, Harry e Teddy.

(a tradução de Won-Won é Uon-Uon. Eu prefiro a do Inglês, Won-Won.)

Releram o pergaminho e não agüentaram. Começaram a dar risadinhas muito bem seguradas. O professor viu.
-O que tem de engraçado na minha aula, héin, rapazes? – perguntou o professor um pouco enfezado.
-Nada não, teacher, é que eu me lembrei de uma história, acho que você sabe, pois já deve ter visto toda a história da magia, já que nunca descansou em paz… - retrucou Daniel.
-O que o faz pensar que pode falar assim com um professor, Black? É tão parecido com seu pai! – meio que explodiu, o professor, sua voz só alterou um pouco.
O professor voltou a dar aula, e os meninos voltaram a dar apelido as siglas dos nomes, que agora eram o das meninas.


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
G.W (ah, vai ter que ser M de Molly, porque W não dá. Ô merda de letra! – Daniel)

G.M
Gostosa Menina – Harry.
Gorda Macabra – Dan.
Gentil e Meiga – Teddy.
Garota Mimada – Rony.

L.M
Linda e Majestosa – Daniel.
Louca Megera – Harry.
Sem comentários – Teddy.
Sem comentários ² - Rony.

A.C
Amorosa e Carinhosa – Teddy.
Ameba e Corninho – Dan. (corninho é você viu Teddy!)
Amiga e Companheira – Harry
Alegre e sem Comentários – Rony.

Você está sem comentários porque não sabe pensar, Rony! – Daniel.
Quando eu tô com fome, não tenho idéias, fora que eu não quero chingá-las. – Rony.


H.G
Hermione Gata – Rony
H= (?) Gentil – Harry.
H= (?) ² Gorda – Daniel.
Honesta e Gente boa. – Teddy.


Aff, você é muito sentimental, Teddy!- Daniel
E você é muito boiola! – Teddy.
Eu não insultei sua masculinidade, Lupin. Quer que eu abaixe as calças para ver quem cai de boca e vira boiola? – Daniel.
Vai abaixar as calças sendo que não tem nada para mostrar? – Harry.
Você já viu para saber, né Harry? Gamou né? – Dan.
Ah tá, gamei sim. Quando meu pai quiser pescar, eu falo para ele pegar sua minhoquinha. – Harry.
Auhsuahsuahsuahsuahsuahsuahsauhsauhsauhsaushasauh- Harry, Teddy e Rony.
Olha que eu sou sobrinho da Inês! – Dan.
Que Inês? – Harry, Teddy e Rony.
Inesquecível cabeça do meu p*u ahá, peguei vocês! – Dan.
¬¬’ – Harry Teddy e Rony.


Mas o sinal da aula bateu e eles saíram da sala correndo direto para cozinha, percebendo o quanto estavam com fome.

Depois de darem muito trabalho aos elfos domésticos da escola, eles rumaram para a aula de transfigurações. Eles passaram o tempo livre inteiro na cozinha, por causa do Rony. Amigos também servem para esperar o outro saciar suas necessidade, e talvez por isso que os marotos, ou essa tradição ou sangue de família é tão querida por todos: sua lealdade e amizade.

Chegaram na sala, Minerva tinha acabado de abrir a porta para os alunos entrarem.
-Booom diiiiia querida professora Minnie!!! – disseram os marotos energicamente.
A professora os ignorou.
-Nossa professora, nem um oi pros seus queridos e preferidos aluninhos dos NOM’s? – Daniel alfinetou. Seus pais haviam falado que até Dumbledore falava menos sobre os NOM’s do que Minerva McGonagall.
-Bom dia a todos os alunos! – ela começou, frisando o “todos”. – Bem, como eu teria falado mais antes sobre os NOM’s se Black e seus amigos não tivessem chegado com suas graçinhas, os NOM’s são provas aplicadas apenas para o 5º ano, afim de estabelecer… - e começou o blá blá blá dela. Os meninos estavam quase caindo no sono quando o sinal bateu. – Esperem, classe, quero um pergaminho de no mínimo 30 centímetros sobre animagia humana. Serve também metamorfomagia. Quero para semana que vem, mais precisamente segunda.
Saindo da sala, Daniel começa seus ataques de raiva aos professores.
-Ah ô loko viu... trinta centímetros? Onde a gente vai achar tudo isso? Nossos pais vão apenas nos dar o resumo do resumo e olha lá. E eu que não vou perder tempo com livro! – completou ele ao ver a cara de óbvio da Hermione.
Rumaram para a aula de DCAT.
Entraram na sala e como sempre:
-Oi pai/Reminho! – os meninos cumprimentaram o professor.
-Oi meninos, e acho que pedirei mais uma vez: Não me chamem de Reminho na escola! Por favor! – alguns alunos que já estavam na sala deram risinhos.
-Ih, - Daniel colocou a mão na cabeça em forma de esquecimento. – esqueci quq n escola eu não posso chamar você como a tia Tonks te chama em casa! Desculpa professor! – os alunos que já estavam, caíram em gargalhada.
-Dessa vez passa, Daniel, dá próxima é detenção! – Remo tornou-se mais sério de repente.
-Sim professor. – Daniel também parou de brincar.
Na aula de Remo, os meninos sentiam-se a vontade. Faziam tudo direitinho e sempre conseguiam bastante pontos para a Grifinória. O problema é que o que eles ganharam nessa aula, eles seriam todos retirados na próxima, que seria poções.
Nas masmorras eles nunca se sentiriam a vontade. Ainda por cima, os Sonserinos tinham aulas conjuntas com eles todas as vezes que iam assistir poções.
-Abram o livro na página 247. Poção Veritasserum.
Todos abriram na pagina e permaneceram em silêncio. O que nas outras aulas, por exemplo, Feitiços do ano passado, eles viviam fazendo pares com Sonserinos só para azará-los. E ainda por cima debochava dos que não faziam direito. Eram queridinhos de Flitwick, mas souberam que esse ano o antigo professor aposentou. Esse ano ia entrar algum corpo docente novo, mas essa pessoa não participou do jantar do primeiro dia. Voltando a aula de Snape...

-Essa poção é a poção da verdade. Alguém sabe me dizer o que ela faz?
A mão de Hermione foi ao ar. O professor não se abalou e continuou a olhar a sala toda. Harry sabia a resposta, pois ouviu uma vez seu pai conversar com sua mãe falando que usavam a mesma no ministério, sob quem estava sob a maldição do controle.
Harry levantou o braço. O professor exibiu uma certa curiosidade, pois o menino mal se manifestava nas aulas dele.
-Solte sua descarga, Potter, vamos ver o que o Todo-Gostosão-Potter vai descarregar de bosta nossos ouvidos.
-Obrigado, professor, sei que sou gostoso, mas eu irei responder sobre a poção. – ele agradeceu e continuou não deixando o professor o ofender. – Veritasserum, como você disse, é a poção da Verdade, ela faz com que você fale a verdade mesmo que não queira, e três gotas apenas o fazem dizer o seu mais fundo segredo. Também é valida a quem está sobre a maldição Impérius. – e ficou quieto. O professor ficou sem fala por alguns segundo, digerindo tudo o que o menino acabara de falar. Não pelo que ele tinha acabado de falar, mas sim QUEM tinha acabado de responder. Talvez, pensou ele, ele seja bom em poções como Lily, ou a mãe lhe deu umas aulas este verão. Balanço a cabeça espantando esse pensamento.
-Pois bem, veritasserum é uma poção complicada de se fazer, pois… - e começou a falar. Os sonserinos olharam espantados para Harry e para o professor, pois não teve reação ao menino mais odiado por ele responder a uma pergunta sua. Mas Harry não estava nem aí, no ano passado o professor falou que o garoto era medíocre, esse ano ele ia tratar de retirar o que o outro disse. Prestou atenção em tudo o que o professor falou e decidiu mostrar ao Ranhoso do que Harry Potter, filho de Tiago era capaz. Ia quebrar aquele nariz anormalmente grande de uma vez por todas.
-Pois bem, comecem a fazer logo. – ordenou o professor.
Depois de um tempo, a melhor poção da sala era a de Harry. O professor estava ficando impressionado, mas não ia dar o braço a torcer, fez questão de passar longe do caldeirão do menino.
-Hey! – gritou Daniel. Iria começar o showzinho de implicância de Daniel. –-Seboso! Quanto de sebo vai nessa poção?– o professor olhou-o com misto de ódio, repulsa e surpresa.
-Não aceito ofensas, Black – praticamente jogou veneno da boca, na ultima palavra. – Quero você na minha sala às oito da noite. Detenção.
O resto da aula foi passada em silêncio. Os sonserinos com raiva de Daniel e Harry. Daniel por ter insultado o mestre deles e de Harry, por agora ser o melhor da turma. Saíram das masmorras. Daniel vinha gargalhando pelo caminho.
-Essa foi boa. Como eu tenho uma mente brilhante! Espere até papai ficar sabendo. Vou mandar uma carta para ele hoje mesmo. Ele vai se orgulhar! – dizia ele.

A outra aula seria de Feitiços. Todos os alunos estavam ansiosos para saber que lecionaria feitiços agora. Almoçaram e caminharam, rumo à sala de aula.
O professor ainda não estava na sala de aula. Todos se acomodaram e esperaram tal pessoa chegar.
-Boa tarde, alunos! – respondeu uma mulher bonita de olhos verdes.
-Mãe? – perguntou Harry.
-Tia Lily? – perguntou Teddy, Rony e Daniel.
-Ora, ora, que surpresa agradável! Minha primeira turma de hoje é o meu bebê, meu sobrinho e meu afilhado! – eles fizeram uma careta. Principalmente Harry. “Meu bebê? Cruz credo! Onde ela inventou isso?” pensou o garoto com cara de horror.
-Olá pessoal, meu nome é Lilian Potter, e vou dar aula de feitiços daqui em diante, pois o professor Fólios Flitwick se aposentou. Não tenho muito o que me apresentar, pois já devem estar pondo apelido em mim como A mãe de Harry, ou coisas mais. Vamos abrir na página 23, onde fala sobre os feitiços de arrumação. Bem, os feitiços de arrumação, como se percebo ao som do nome, serve para arrumar os objetos a sua volta. Por exemplo: quando trombar com alguém no corredor, você o usa para voltá-los exatamente como estavam em seus braços. Ele é um feitiço não-verbal, mas primeiro nós iremos praticá-lo verbalmente.
Harry se sentiu um pouco desconfortável. Mas logo se acostumou com sua mãe como professora e começou a ter uma das melhores aulas daquele dia. Depois de perceber que os alunos já estavam indo bem com o feitiço verbalmente, ela decidiu.
-Bom, já que vocês já dominaram o feitiço verbalmente, vamos praticar não-verbal. Apenas se concentrem no nome do feitiço e pensem forte. Isso é questão de raciocínio.

A aula complicou com uma simples frase. Apenas Hermione conseguiu, o que deixou Lily muito feliz.
-Mãe! Eu não entendi!
Lily respirou fundo. Não estava acostumada a dar aula. Mas iria conseguir. A aula passou e mais uma vez eles tiveram transfigurações.

-Boa tarde, Minnie… a quanto tempo que não a vejo! Senti saudades sabia? – brincou Daniel. A professora o ignorou.
-Continuando a aula em que paramos, a animagia… - mas Daniel e Rony começaram a conversar enquanto ela explicava. Ela fez questão de não chamar a atenção deles aquela hora.
-Ainda estou com raiva dela. Trinta centímetros? Ela ficou louca de vez. Influencia de Dumbledore. – Daniel ainda reclamava muito.
-Não estou entendendo nada… -cochichou Rony. Foi o que bastou para Daniel poder interromper a aula.
-Minnie, Rony disse que não entendeu! – gritou ele lá do fundo da sala. Todos os alunos viraram para trás, para olhar.
-Dá para as maricotinhas calarem-se um instante? –perguntou Minerva ignorando o que Daniel tinha falado sobre Rony. – Talvez se calassem-se entenderiam o que eu digo.

Harry pegou um pergaminho e enviou aos meninos.

H: PONTO PRA MINNIE!
D:Fica de boa, se Homossexual Prostituto.
H: Black Boiola!
T: Ow, a Minnie vai perceber essa passação de bilhete para lá e para cá e vai pegar o papel.
H: Ok eu faço um feitiço anti-Accio.
D: Onde você aprendeu?
H: Esqueceu que meu pai é um maroto? Ele me ensina!
D: Mas o meu também e ele não me ensinou! Cuzão!

-Black, Potter, Lupin e Weasley, eu quero vocês na minha mesa depois da aula. Sem contestações. – ela completou ao ver a cara indignada de Rony, pois ele não tinha entrado nesse bilhetinho. Ainda =D.
Acabou a aula, todos saíram, menos os meninos. Os quatro se dirigiram a mesa da professora. Daniel, como sempre o mais atrevido, chegou perto da mesa, estava vazia, sem nenhum papel em cima, ele se sentou, fez uma pose sexy, pôs o dedo mindinho na boca e cruzou as pernas.
-Porque nos mandou vir até sua mesa, Minnie, querida? – perguntou ele com uma voz afeminada.
A professora revirou os olhos e respirou fundo. Lidar com aqueles meninos não era fácil.
-Daniel, respeito muito seus pais, não quero ter que tomar medidas drásticas, mas tenho que dizer: você é pior do que seu pai. Achei que, quando ele, Tiago e Remo saíram da escola, eu nunca mais encontraria alunos tão abusados como eles. Remo sempre levava xingo junto, apesar de sempre ser inocente. Mas me enganei. Vocês são piores. Até porque Remo era quieto, você não é, Teddy. Você é idêntico a seu pai até nas falas, Harry. Rony, você não s parece com seus pais. Eles eram muito responsáveis. Você lembra muito os gêmeos, que estão cursando os NIEMs. Mas eu quero que vocês parem de brincar na minha aula. Tentem enxergar que depois dos NOMs vocês só tem dois anos para decidirem o que vão ser na vida. E… - mas os quatro a cortou.
-Auror.
Ela respirou fundo novamente.
-Tudo bem, certo. Auror. Mas pensem quantas matérias terão que se dar bem. E se não forem bem em todas, não poderão seguir a carreira que querem. Pensem bem.
-Mas professora, estamos no primeiro dia… relaxa, nós vamos dar duro sim, mas pense comigo você também… o primeiro dia ou a primeira semana é hora de matar a saudade de zuar, de matar a saudade de ver a tia Minnie nervosa! – brincou Daniel.
A professora esboçou um sorriso sincero e disse:
-Vocês não tem jeito mesmo, tentei concertar, mas o estrago já está feito! São filhos dos marotos, então… - respirou fundo. – estão dispensados, podem curtir o resto da tarde.
-Como você sabe que é nosso tempo livre? – perguntou Daniel.
-Fui eu que lhe entreguei o horário, se lembra? – ela perguntou divertida.
-Ah sim, então… - e um olhou pro outro. – o trabalho será entregue segunda? – ela assentiu. – é... então... – olhou novamente para os meninos, que sorriram.
-Um beijo na bunda e até segunda tia Minnie! – eles disseram em coro.
A professora maneou a cabeça negativamente e assim eles foram curtir o resto do dia.





*Obrigado pelos coments Jackeline Prongs.e Loy Evans.!!* valew msm....incentivou pakas.!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.