FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. A poção


Fic: Transformações


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________





"Seus olhos sussurraram "Já nos conhecemos?"


Do outro lado da sala sua silhueta começa a fazer sentido pra mim


A conversa brincalhona começa


Contra todas as suas observações rápidas como passar bilhetinhos


E foi encantador conhecê-lo


Tudo que posso dizer é que eu estava encantada em conhecê-lo"



 ('Enchanted', Taylor Swift)



 



     Ninguém havia percebido que Hermione tinha se esgueirado pelos corredores afora, assim como ela não contou a ninguém sobre o encontro por acaso e amistoso com Draco. Depois daquela breve troca de palavras, ela preferiu percorrer os corredores da escola, se sentindo como uma primeiranista encantada com o lugar. Ao mesmo tempo, pensava no que havia mudado em sua vida ao longo dos anos e o que pretendia fazer de verdade. Se lembrou de duas semanas atrás, quando trouxe os pais de volta da Austrália com a ajuda da Ordem, e com uma mãozinha do sr. Weasley e de Quim Shacklebolt, conseguiram executar o contra-feitiço de memória com perfeição que ela lançara neles, o que a deixou incrivelmente aliviada.



      Ela não tivera coragem para contar aos pais sobre a saga à procura das Horcruxes, 'eles não entenderiam lhufas', disse ela a si mesmo, sorrindo. Preferiu se manter calada, e explicou apenas que o mundo bruxo estava em guerra e que sentiu necessidade de protegê-los. Meia verdade, claro, mas pra quê preocupá-los? Agora tudo estava bem e, bom, se não estivesse eles seriam felizes distante dali e seguros o bastante.



     Não se sabe quanto tempo ela levou percorrendo a escola, mas depois desse tempo ela se dirigiu para o Salão Comunal e encontrou Rony à sua espera.



_ Onde a minha namorada estava que ninguém a achou, hein? _ perguntou o ruivo carinhoso, indo em direção a ela e depositando um selinho breve na boca dela. Ela não o respondeu; segurou a nuca do rapaz e o beijou com fervor. Por fim, ela lhe deu a resposta:



_ Tava por aí, pensando nas coisas, e revisitando o castelo. _ ela se sentou, afundando em uma poltrona fofa.



_ Harry foi conversar com a Gina na Torre de Astronomia, já tem quase duas horas. Isso significa que se acertaram, do contrário ele não teria levado dez minutos pra choramingar lá no dormitório _ comentou Rony divertido, e desviando de uma almofada que Hermione lançara em sua direção.



_ Provavelmente não vão voltar tão cedo, já que se acertaram. Bem, então temos algum tempo livre sozinhos _ ela disse a última frase com um sussurro, chegando perto do namorado.



_ O Salão é só nosso, Mione _ concordou ele, a abraçando e caminhando com ela até a parede mais próxima. Ambos estavam com as pernas bambas, era o efeito que acontecia sempre quando se aproximavam dessa forma.



    Rony encostou Hermione delicadamente contra a parede e apoiou as mãos dos lados do corpo dela, e a beijou. Primeiro, lentamente, aprofundando o beijo aos poucos. A grifinória sentia um calor intenso subindo do pescoço pra cima, e tinha a sensação de que o coração iria pular da boca a qualquer instante. O ruivo a enlaçou pela cintura e comprimiu seu corpo contra o dela, ficando automaticamente excitado. Ele desceu os beijos para o pescoço dela, alternando com leves mordidas, fazendo com que ela gemesse baixinho em seu ouvido.



     Ele foi levantando a camisa dela lentamente, sentindo a pele lisa da barriga, e fez com que ela sentisse um calafrio que não tinha fim.



_ Rony, não faça isso... não agora... _ pediu Hermione em seu ouvido, quase que em tom de súplica.



_ Você me tira o controle, não consigo parar _ respondeu ele, aumentando os carinhos no pescoço da moça, e trilhando um caminho curto até o vale entre os seios dela. A morena deu um suspiro longo e o puxou pra mais perto de si, e virou a cabeça para o lado. Quando abriu os olhos, se assustou. Harry e Gina iam em direção aos dormitórios na ponta dos pés, e aos cochichos.



_ Eeeeei, vocês dois _ chamou ela, se desvencilhando de Rony, toda descabelada.



     Harry e Gina se entreolharam, cúmplices.



_ Então não éramos os únicos a fazerem coisas boas que infringem pelo menos umas quatro regras de Hogwarts, não é, srta. Granger? _ brincou Gina, às gargalhadas. Rony se sentiu confuso: uma hora beijava a namorada, no outro instante sua irmã e futuro cunhado zoavam a situação embaraçosa deles. Muito confuso.



_ É, eu acho que não _ respondeu Hermione, embaraçada, mas em tom de divertimento.



_ Então vocês se acertaram mesmo? _ perguntou o ruivo, meneando a cabeça pro lado e pro outro, ainda visivelmente confuso.



_ Claro que não _ ironizou Harry, às risadas. _ Eu e Gina ficamos jogando xadrez bruxo até agora, nos cansamos e viemos dormir.



      Rony deu um soco de leve no braço do amigo, e sem falar nada, subiu para o dormitório. Hermione olhou o casal de amigos, sorrindo.



_ Que bom que vocês dois se acertaram, fico feliz por isso _ parabenizou ela, abraçando os dois.



_ É, tinha que ser, não? Harry é lerdo, mas nem tanto _ concluiu Gina séria.



_ Gina! _ repreendeu Harry, se divertindo.



_ Vamos dormir, porque amanhã temos aula do Slugue, não é? _ informou Hermione já se encaminhando para as escadas que davam para o dormitório.



_ Pois é, Slugue + poções + aula conjunta com Sonserina: eu aprovo _ disse Harry, irônico. Os três amigos caíram na risada e foram dormir.



      Na manhã seguinte Harry, Gina, Rony e Hermione encontraram Neville no Salão Comunal e desceram juntos para o Salão Principal para o café. O dia prometia e todos estavam muito empolgados com a nova era que felizmente já havia começado pra todos os alunos. Depois de se sentarem à mesa com os outros colegas, a profª Minerva McGonagall deu três leves batidas em seu cálice de prata com o talher, pedindo silêncio, e se levantou.



_ Bom dia, alunos! _ seguiu-se um coro de 'bom dia, professora McGonagall' _ Gostaria de informá-los que estamos oficialzando o nosso calendário letivo a partir de hoje, e desejo as boas vindas aos alunos do sexto ano que voltaram para cumprir o seu último ano em Hogwarts.



    Os alunos da Grifinória puxaram uma salva de palmas, seguido de alguns assovios e gritinhos das meninas de outras Casas.



_ Continuando _ disse ela, fazendo o gesto com as mãos indicando que se silenciassem _ teremos em breve algumas comemorações durante o ano letivo, e os passeios a Hogsmeade serão liberados para os alunos do segundo ano, devidamente acompanhados dos monitores de suas respectivas Casas, que farão um tour com todos pelo bairro. Para os terceiranistas e quartanistas, o passeio continua precisando de autorização permissiva, e a novidade é que, do quinto ano em diante, essa permissão não será necessária, mas os pais serão avisados da data do passeio e, se algum deles se opor, o aluno não será liberado.



     Mal ela terminou a frase, deu-se início aos burburinhos nas mesas, comentando sobre as novidades recém-informadas por Minerva.



_ Os NIEM's serão aplicados ao final do primeiro semestre, e quem precisar de maiores notas irá refazer as provas ao final do segundo semestre. Sobre os bailes comemorativos, os monitores serão informados em breve, e em consequência avisarão a todos. Obrigada e tenham uma boa semana! _ finalizou a professora, voltando a se sentar e degustar seu suco de abóbora.



_ Caramba, sério que os NIEM's serão adiantados? _ questionou Rony, abismado.



_ É, e quem passar adiantado vai ser liberado antes, eu acho... _ disse Hermione, pensativa. _ A profª Minerva deve nos chamar para falar sobre isso, assim que eu estiver autorizada pra falar eu conto a vocês.



     Terminaram de tomar o café e foram correndo para a sala de Slughorn terem sua primeira aula do dia: poções. Rony e Harry se sentaram juntos, e Hermione fez par com Neville, que sorriu para ela.



_ Como você está, Mione? _ perguntou ele. _ Quase não nos falamos depois que... bem, depois que tudo acabou, você demoraram pra voltar pra cá.



_ Pois é, Neville, mas vamos poder conversar muitíssimo depois, temos muitas novidades pra trocar, não é? _ disse ela, simpática.



    Neville abriu a boca pra responder mas foi interrompido pela chegada do professor à classe.



_ Bom dia, septuanistas! _ exclamou Slughorn, de excelente humor. _ Hoje, como é nossa primeira aula oficial, resolvi fazer algo diferente: trocar as duplas de vocês, e colocá-los entre as casas, vamos lá... por favor, sr. Potter com o sr. Zabine...



_ Sério isso, professor? _ reclamou Harry e Zabine em uníssono.



_ Sim, meninos, vamos, vamos... sem relamar... sr. Weasley com o sr. Petersburg... _ seguiu-se um muxoxo da parte de Rony _ vamos lá, pessoal...



    Slughorn continuou distribuindo as duplas, enquanto as que estavam formadas pegavam seus pertences pra trocar de carteira. Hermione ficou em dupla com Pansy Parkinson, 'logo ela', pensou. As duas trocaram olhares secos e sentaram-se ao lado da outra.



_ Bom, agora que todos estão com suas devidas duplas, vamos à nossa diversão: preparar a Amortentia*, que, creio eu, é muito cobiçada pelas quartanistas em busca do namorado perfeito _ ele disse isso e deu uma risadinha. _ Claro que não vou liberar nenhum frasco dessa ilusória poção do Amor, mas posso lhes conferir algo muito mais precioso, quem sabe: a famigerada Veritasserum _ ele fez um gesto teatral, revelando o pequeno frasco reluzente que segurava com o polegar e o indicador, sob os olhos atentos de todos os alunos. _ Vamos lá, acho que alguém pode me dizer que ingredientes usar no preparo desta poção...



   Hermione levantou a mão prontamente.



_ Srta. Granger, claro, pode responder _ permitiu o professor, sorrindo.



_ Ovos congelados de Cinzácaro, perfume, torta de melaço, madeira de cabo de vassoura, algo floral, grama recém-cortada, pergaminho novo e um fio de cabelo _ respondeu ela, eficiente.



_ Quinze pontos para a Grifinória, srta. Granger _ disse ele, e os amigos sorriram pra ela. _ Sim, é perigoso, mas tenho certeza de que muitos de vocês irão se esforçar o bastante pra conseguir ganhar essa belezinha aqui _ concluiu, balançando ligeiramente o frasco em suas mãos. _ Um, dois, três e já!



     Apesar do estranhamento inicial, grifinórios e sonserinos começaram a se entender e partir para a preparação da poção. Harry sabia que perderia aquela, não tinha mais o livro do Príncipe Mestiço pois este havia se consumido no fogo da Sala Precisa com tudo o que havia lá dentro, mas torcia para que Hermione realizasse com perfeição, afinal, já o havia feito no sexto ano.


     Na verdade, nem todos estavam se dando bem; ouviu-se uma discussão na segunda fileira:


_ Não é isso tudo, é só um pouquinho!


_ Dá licença, você pode ser sabe-tudo mas eu não cheguei ao 7º ano sem saber preparar uma poção ridícula do amor!


_ Você está errando, para A-GO-RA _ gritou uma das meninas silabicamente.


       O professor olhou as duas garotas bastante irritado.


_ Srta. Parkinson e srta. Granger, parem de discutir! Agora! _ gritou ele, fazendo a sala mergulhar em um profundo silêncio. _ O que é que está acontecendo aqui?


_ A Parkinson quer colocar uma quantidade exagerada de perfume na poção, professor _ reclamou Hermione com resignação.


_ Ah, mas eu também quero me defender, e... _ começou Pansy, mas se calou ao gesto de silêncio que Slughorn fez.


_ Chega, vamos trocar as duplas. Sr. Creevey, fique com a srta. Parkinson e sr. Malfoy, faça dupla com a srta. Granger, por favor _ pediu o professor, enquanto observava a mudança dos quatro alunos.


   Draco deu um suspiro um tanto inconformado e se sentou ao lado de Hermione, e Pansy mostrou a língua pra ela, que lhe devolveu com uma careta de desprezo. Olhou para a Hermione e alguns ingredientes ali já cortados.


_ O que fizeram até agora? _ perguntou ele, sério.


_ Ah, oi... bom, falta acrescentar os ovos, um pouco de folha de pergaminho e essas flores, que precisam retirar os cabinhos _ disse Hermione, apontando para os ingredientes.


_ Ok, farei isso então.


     O loiro pegou o canivete dentro de uma caixa-estojo e começou a cortar os cabos das flores, afobadamente.


_ Ei, não, não! Não é assim, aqui _ advertiu Hermione, pegando uma flor e mostrando como deveria ser o corte _ tem que ser na base da flor, e com delicadeza, ou você fará com que elas se despetalem... assim, olha _ ela pegou os pulsos dele, o guiando no corte.


       Pra isso ela tinha se aproximado bastante dele, e foi guiando as mãos dele no corte dos cabos. Ele a olhava de perfil, e desviou a atenção para o que estavam fazendo. Sentiu que ela mantinha as mãos sobre seus pulsos firmemente, mas sem deixar de ser delicada. Gostou daquele primeiro toque, sentia como se pequenos choques elétricos nascessem das mãos e percorressem todo o corpo. Os movimentos foram ficando mais lentos e os olhares se cruzaram.


       Azuis nos castanhos, quase que como em um mergulho. Era quase uma hipnose; ambos não conseguiam sair daquele torpor. Hermione sentiu o coração disparar e um solavanco no estômago, a ansiedade percorrendo o corpo de forma estranha, que ela não conseguia entender. Em um momento de sanidade, Draco quebrou o contato visual com ela, fazendo com que largasse seus pulsos. Ela corou.


_ Me desculpe, Malfoy, acho que me distraí, deve ser cansaço _ ela disse, evitando olhar nos olhos dele. Ele deu de ombros.


_ Tá, Granger, a gente se distraiu, sabe Merlin porquê, mas vamos terminar logo isso? _ disse ele, irritado.


_ Claro que sim, oras _ ela respondeu com displicência.


     Meia hora depois foram os primeiros a terminarem a poção, e Hermione levantou a mão, chamando o professor.


_ Então já o aprontaram? _ perguntou ele, surpreso. _ Ora, vejamos _ ele inalou levemente o aroma da poção, e conferiu a cor, que curiosamente se alternava entre um lilás e dourado. _ Por favor, srta. Granger, poderia me dizer que cheiros sente ao inalar?


     A moça se aproximou do caldeirão e ficou com receio do que poderia sentir. Respirou fundo, chegou mais perto e inalou o perfume. Era estranhamente agradável, e levou alguns momentos pra identificar quais cheiros sentia ao mesmo tempo.


_ Eh... sinto um cheiro amadeirado, bem marcante, e também de flores de laranjeira, terra recém-molhada pela chuva, páginas de livros antigos e... espera... bala de coco... _ disse baixinho, sem entender porque sentia outros aromas que não os mesmos do sexto ano. A poção ficou dourada na mesma hora.


_Ok, ótimo, srta., agora, por favor, o sr. Malfoy _ pediu Slughorn.


       Tudo o que Draco queria era sair daquela aula e conseguir raciocinar, mas fez o que o professor pediu. Ficou próximo ao caldeirão, cheirou a poção desconfiado e se surpreendeu que sentia cheiros semelhantes que Hermione, mas com outras características a mais.


_ Sinto cheiro de flor de laranjeira, um pouco de perfume de rosas, terra recém-molhada pela chuva... ah, e também cheiro de torta de framboesa... e... e... xampu de camomila... _ ele falou esse último baixo, um tanto envergonhado, mas procurou não demonstrar e continuou mantendo a pose.


     Hermione arregalou os olhos, se familiarizou demais com os cheiros que Draco sentira. Ambos olharam para a poção e viram que estava lilás, borbulhando lentamente. Não entendia nada de nada.


_ Bom, muito bom, meninos, parabéns, o preparo foi executado com maestria, devo dizer. Vinte pontos para a Grifinória e para a Sonserina, e, além disso... _ disse Slughorn pausando a frase para pegar dois frascos mínimos em formato de gota invertida que continha um líquido cristalino e estendendo aos dois _ merecem os frascos. Só aconselho a usar quando realmente for necessário, não me causem problemas, por favor _ advertiu ele, sorrindo para os dois.


    Rony se sentiu duplamente enciumado, primeiro por Hermione estar ao lado de Malfoy, e segundo por ele não ter ganho o frasco, afinal, não conseguira sequer terminar o preparo da poção.


    Draco olhou para o frasco em sua mão com os olhos brilhando. Olhou para Hermione. O sinal tocou em seguida e o professor liberou a turma para a próxima aula. Ela já tinha colocado tudo na mochila e estava saindo quando ele a chamou:


_ Ei, Granger, valeu pela paciência. Nos garantiu esse frasquinho poderoso _ agradeceu ele, estendendo o frasco, como que saudando a garota. E sumiu pelos corredores.


_ Mione, vamos? _ chamou Harry, segurando um dos ombros dela por trás.


_ Sim, vamos _ disse ela, em seguida tendo sua mochila carregada por Rony, e os dois entrelaçaram os dedos, se encaminhando para a próxima aula.


    Tanta confusão mental com aquela aula que tudo o que mais desejava, ela e Draco, era umas horas de sono pra relaxar. E mal sabia os dois o que ambos os frascos de Veritasserum poderiam impactar nas suas vidas.


>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>


N/A: eeeeeeeeeeeeee, segundo capítulo! Quem esperava que uma aula em dupla poderia ser um amistoso entre Mione e Malfoy, né? Mas ele não tá bonzinho assim como vocês pensam, melhorou um pouco, mas fiquem atentos aos capítulos pois eles revelam muito dos próximos, e até mesmo sobre o final ;)


Espero que vocês tenham gostado, eu tô curtindo muito escrever essa fic, e aguardo ansiosa pelos comentários, quero saber o que vocês estão achando, o que querem ver, pois as opiniões influenciam na continuidade da história, sabiam? haha


Beijos pra todos e até o próximo cap!


*Amortentia: essa parte da aula tem um pouco a ver com a cena do preparo da poção em 'O Enigma do Príncipe', mas não copiei nenhum trecho, apesar de semelhanças... só peguei a ideia pra servir de ganho pra continuidade da história :)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sarah-Malfoy em 08/12/2011

AAAH QUE FOFO!

Ameei o caap! Maais isso eu neem preciso dizer não é? Acheei supeer fofiis, os dois juntos e ainda maais eles sentireem quasee os mesmos cheiros na poção! E o Rony e a Mionee então? Nuncaa pensei que logoo a Mione faria algo tãoo caliente assim no SALÃO COMUNAL! Maas eu ameei, msm não gostando muiito do Rony sabee....kkk 
 Estou muiito curiosa para ler o resto! Não demora tá! Beeijinhoos!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.