FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Made in Brazil •


Fic: Lily Muggles Diary UA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

<Photobucket




 Maria Bethania - Sabado em Copacabana




- Ai Ti, olha que lindo! - Eu disse apontando para um ursinho super fofo *-*.

- Ah Lil, chega! Já é o milésimo ursinho que você vai comprar, e eu só quero chegar ao meu avião. Será que é pedir muito? - Ui, desculpa ai grosso.

Eu apenas larguei o ursinho na bancada, e o segui até o portão do nosso avião. E sim, eu estava emburrada. Poxa, o quê custava comprar um ursinho á mais?

- Lily, você não 'tá brava tá amor? - O Ti perguntou passando a mão nos meus cabelos, enquanto esperavamos sentamos pela chamada do vôo.

- Não. - Respondi seca. E sim, eu menti. Eu queria muito aquele ursinho, foi tipo, amor á primeira vista.

- Ah Lil, relaxa. Eu prometo que vamos comprar quantos ursinhos você quiser lá, ok? - Ain meu deus, ele fez aquela carinha denovo, e quem resiste á carinha de cachorrinho-sem-dono-de-Tiago-Potter ? Nem mesmo eu que já estou casada com ele.

- Atenção passageiros, essa é a chamada para o vôo JJ8085 com destino á Brasil, favor comparecer ao portão 05. - Disse a voz misteriosa (?) que fica por trás das paredes do aeroporto.

- Vamos Lil, é o nosso vôo. - O Ti disse se levantando, e lá fui eu segui-lô

Chegamos ao tal portão 05, e lá já se formava uma fila imensa, e a maioria eram brasileiros. Entramos na fila e esperamos até eles abrirem o portão e checarem os nossos passaportes - o meu é azul, porque é Europeu 'tá? (h) -.

- Façam uma boa viagem. - Disse a aeromoça. E sabe de uma coisa? Eu estava viajando por uma companhia brasileira, uma tal de Tam.

Passamos por aquele corredorzinho que me dá calafrios em qualquer aeroporto, e chegamos ao avião. Lá tinha o piloto e as aeromoças, ajudando-nos á achar os nossos asssentos - uii, que culta, por que não lugares? -.

- 26 e 27 C. - O Ti disse, e então a aeromoça apontou para o corredor que estavamos. Seguimos em frente e começamos a olhar os numerinhos em cima das poltronas, 23, 24, 25 e... - 26 aqui e 27 ali Lil.

Droga, nós estamos separados. Na verdade as duas poltronas eram na mesma fileira, porém o corredor nos separa :/

- Eu vou na 27! - Gritei. Afinal, ele sabe que eu odeio número par :p.

- Ok. - O Ti disse todo carinhoso, antes de pegar nossas bagagens de mão, colocar no porta-bagagem-de-mãos e me dar um beijinho para se sentar.

- Vai ser díficil ficar longe de você. - Eu disse estendendo a minha mão, e então ele a pegou. Porém já tinha gente querendo passar no corredor, e eu tive que soltar a mão dele.

Eu bufei, coloquei os meus foninhos de ouvido e procurei algum filme bom naquela televisãozinha idiota. Droga, nada legal. Opa, achei um show da Beyoncé aqui, e vai ser esse mesmo.
Eu mandei um beijinho para o Ti e assim serão, longas doze horas de viagem.
Brasil, ai vou eu!

***


Eu morri? Estou no céu? Não, eu não estou no céu, até porque se eu estivesse as minhas costas não estariam doendo tanto assim. Merda de poltrona.
Eu olhei para o lado, e o Ti estava dormindo. Ai, mas que anjinho *-*.

- Café da manhã senhora? - A aeromoça perguntou-me passando com o carrinho do meu lado.

- Sim, por favor. - Eu disse e logo ela me deu uma bandejinha, com um pequeno croissantt, manteiga e um sanduiche de queijo. - Pode acordá-lo, por favor?

- Sim senhora. - A aeromoça disse educadamente - notamental: eu amo aeromoças, elas são tão educadas *-* - Café da manhã senhor? - Ela disse cutucando o Ti, que acordou devagaramente.

- Err, sim por favor. - Ele disse e logo deu um bocejo. A aeromoça também entregou uma bandejinha para ele com as mesmas coisas que continha na minha e nós começamos a comer.

- Será que falta muito? - Eu perguntei, e o Ti terminou de mastigar até que virou-se para mim e fez um 'nãosei' com os ombros.

Eu liguei a minha televisãozinha que ficava na poltrona e coloquei no canal da tal 'rota'.
Ai que bom, só 45 minutos para aterrisarmos. É o tempo de eu terminar o meu café.

Comi na minha normal velocidade, e assim que as aeromoças passaram recolhendo as bandeijas, o comandante avisou:

- Atenção passageiros, aterrisagem autorizada. Por favor, coloquem seus cintos.

Aeaeaeae *-* Brasil, Brasil, Brasil \o



Sentimos as rodinhas do avião tocar o asfalto da pista, e logo estavam todos de pé, pegando suas bagagens de mão e descendo do avião.
Eu e o Ti seguimos para a maldita Alfandêga, que eu morro de medo, e logo fomos pegar nossas malas.

Uau, que aeroporto mais chique. E uau, que calor, alguém ai tem água de cocô para vender? (h)

***


Ok, depois de deicharmos as nossas malas em um hotel hiper-mega-ultra luxuoso em copacabana, nós resolvemos ir á praia.

- Lil, já faz meia hora que você 'tá ai. Dá pra sair logo desse banheiro? Eu ainda quero aproveitar o sol. - O Ti gritava do lado de fora do banheiro do nosso quarto.

Credo, nunca vi alguém pra reclamar tanto.
Bom, mas venhamos e convenhamos (?) eu estava fazendo uma surpresa pra ele (6).

- Lilian, se você-ê-ê-ê.. err..

- Quê foi Ti? Algum problema? - Eu disse encostada sexiemente (?) na porta do banheiro, com o meu biquine vermelho e meus óculos escuros (h).

- Nenhum... mas Lil, uau, com você assim eu nem vou querer ir pra praia, sabe? - Ele disse me agarrando pela cintura e beijando o meu pescoço. Droga, meu ponto fraco çp.

- Ok, chega já. Estamos aqui para aproveitar... - Ele me olhou tipo 'hibabyi'mdevil'. - aproveitar a praia. - Conclui.

- Qual é Lil? Nós estamos na nossa lua-de-mel.

- Eu sei, mas podemos fazer o que fazem na lua-de-mel mais tarde. Agora vamos.

Eu o puxei até a porta do quarto, e então seguimos para o elevador. Entramos lá e tinham algumas velinhas que até pareciam simpáticas, mas eu não entendi porra nenhuma de que elas falavam. Por que português é tão díficil hein? O.o Oxi.

Descemos do elevador, passamos pela recepção do hotel. O carinha acenou com a mão, e o Ti o comprimentou com a cabeça. - credo, vamos pular os detalhes idiotas. -

E então, finalmente chegamos á praia.

Eu estou em coooopacabana babe, e você nã-ão. (888) ok, parei ;x.

- Óguadecocô, Óguadecocô.. - Um homem meio velho com uma pança enorme e sem camisa, passava pela gente gritando as tais palavras, mas eu não entendi porra nenhuma [2], até que eu vi um monte de cocô's no carrinho dele.

- Ali Ti, será que ele 'tá vendendo água de cocô? - Perguntei apontando para a pança do homem que cobria o resto da praia o carrinho.

- Pode ser, vamos lá pedir.

Caminhamos por aquela areia queimante (?) que estava tostando o meu pé - notamental: comprar havaianas. - e chegamos até o tiozinho da pança do cocô.

- Eo querer dôz água de cocô. - Ui, diz que fala português não é? Ti metido -.-'

- É pra já.. - O velinho da pança disse e em uma velocidade inacreditavél - acredite, foi realmente inacreditavél - ele cortou os dois cocôs e enfiou um canudinho dentro de cada um. - Aqui, são R$ 2.

O Ti entregou o dinheiro, e o homem deu o troco.

- Obrrrigado. - Ahá, isso eu sei oque é: Thank you *-*

O tiozinho do cocô saiu com o seu carrinho, e nós estavamos procurando algum lugar para sentarmos. Será que tinhamos que trazer guarda-sol? Quero dizer, todo mundo aqui tem guarda-sol, menos eu :(.

- Estão no copacabana palace? - Um homem perguntou.

O Ti não deve ter entendido, então o homem repetiu. É, ele continua sem entender. Até que o homem apontou para o nosso hotel, e finjiu que estava dormindo.

- AHHHH, sim. - Respondi. Bom, agora eu tinha me tocado não é? Quero dizer, ele perguntou se nós estavamos dormindo lá. eu acho.

- Então podem se sentar aqui. - Ele disse apontando para as cadeiras que tinham escrito 'Reservadas' e nós entendemos que era para nos sentarmos ali. Bom, pelo menos se não fosse o homem ia ter que nos tirar dali á força. huahuahuahua.

Ai, como é bom sentir esse sol brasileiro tocando a minha pele. Caraca, está realmente quente por aqui.

- Lil, você não vai passar protetor-solar? - O Ti perguntou-me enquanto ele espalhava no próprio rosto.

- Protetor-solar? Pra quê? Sol é sol... não é porque estamos no Brasil que vai ser diferente do de lá. - Eu afirmei, e o Ti me olhou com uma cara de 'okvocêquemsabemasdepoiseunãovoudormircomninguémreclamandodedor'.

Eu coloquei uma esteira na areia e deitei lá. Aiai, vamos aproveitar (h).

***


Arrrrrgh, eu acho que eu acabei dormindo nessa esteira deliciosa e nesse sol quentissimo, e quanto eu abri os olhos, o Ti estava me olhando com uma latinha escrita 'skol'.

- É refri? - Perguntei me levantando e indo para debaixo do guarda-sol com ele.

- Não, é cerveja. Qué experimentar? - Ele disse me entregando a latinha.

- Não, valeu. Acho que eu vou entrar na água, vem comigo Ti? - *-*

- Tudo bem, mas só se...

- Só se ? - Eu perguntei fazendo gestos com a mão que ele continuasse.

- Só se nós apostarmos uma corrida. - Ele disse e saiu correndo em direção ao mar.

- ASSIM NÃO VALE, POTTER! VOLTA AQUI AGORA. - Eu gritei. Mas sem chances, eu sabia que ele não ia voltar. E como uma Evan nunca perde nada, eu tive que sair correndo para alcançá-lo.

Mas aquele vagabundo estava bem mais rápido do que eu, mas eu fui alcançando-o, e quando eu estava quase chegando perto dele, o Ti parou abruptamente no comecinho da praia, e eu não consegui freiar tão rapidamente, e aconteceu que eu cai em cima dele. E o pior: ele estava se afogando no rasinho. uaheuehuaehuaehueaheuaheau :x (n:b/gheueheueheuhahahahah ,CAAAAXOTE :D )

- UHAUEHEUAHUEAHUEA, quer ajuda? - Eu disse estendendo a minha mão.

- Só se for pra tirar esse monte de areia da minha sunga. - O Ti disse e logo nós começamos a rir.

Ele foi me abraçar, mas as minhas costas arderam demais, e eu comecei a gritar.

- Quê foi Lil? Te machuquei? - O Ti disse me soltando rapidamente.

- Auuch, não amor. Acho que eu acabei tomando sol demais. E bom, eu me queimei um pouquinho. - Eu disse não querendo dizer (?) pois eu já sabia o que vinha:

- EU AVISEI!

- Eu sei, eu sei. Mas não é nada mais doque uma dorzinha que depois de um creme não vá melhorar. - Eu disse dando um tapa na bunda dele. deu vontade oras. O.o'

- Então vamos dar um mergulho. - O Ti disse me puxando para dentro d'água.

Nós estavamos indo cada vez mais para o fundo, apesar que a água ainda batia na minha cintura, mas eu senti algo passando entre as minhas pernas, eu olhei e vi que era UM PEIXE!

- AHHHHHHHH, UM PEIXE, UM PEIXE, UM PEIXE! - Ok, eu nem preciso descrever a cena né? Eu comecei a gritar quenem uma louca, todos olharam para mim, e eu pulei no colo do Ti, que não aguentou o meu peso, e eu tive que sair correndo do mar.

Eu cheguei na areia, toda descabelada, com o meu biquine saindo, e quase aparecendo as minhas partes intimas, e logo o Ti vinha atrás.

- Lil, o quê foi? - Ele perguntou chegando todo descabelado e molhado também.

- Eu vi um peixe passando entre as minhas pernas. - Eu disse colocando a tanga em volta de mim.

- Ah Lil, era um peixe inofencivo, o quê ele poderia fazer?

- O que ele poderia fazer eu não sei. Mas eu tenho pavor de peixes. - Eu desabafei ;x.

- Ah, não vá me dizer que você tem medo de peixes? - Ok, ele estava zombando comigo ¬¬'

- Não é medo Ti, é nojo, pavor... sei lá entende? Eu não gosto de peixes. Ainda mais peixes maritimos. Sabemos lá daonde eles vêm. - Eu disse e depois fiz uma cara de nojo.

O Ti bufou e sentou-se na cadeira. Eu sentei no colo dele, e comecei a beijá-lo, mas quando ele foi passar suas mãos pelas minhas costas veio aquela ardência (?) novamente.

- AHHHHHHHHH! merda. - Eu gritei pulando do colo dele e fui sentar-me na outra cadeira.

- Hunf, estou vendo que isso vai ser uma looooonga lua-de-mel. - O Ti disse colocando seus óculos escuros e relaxando na cadeira.

- Nem me fale. - Eu disse arrastando a esteira para baixo do guarda-sol. Poxa, eu acho que eu me queimei ;x.

***


 Mamonas Assasinas - Mundo Animal



Ok, eu admito que eu estava praticamente sonhando, quando eu ouvi a vóz daquele garçom falar com o Ti.

- Os senhores desejam alguma coisa? - O homem perguntou com um tipo 'cardapio' na mão.

- Err, dôs caipirrrinhas, i una porrrção di camarrrão, porrr favorrr. - O Ti pediu.

Hummm, caipirinha? Já ouvi falar. E falaram bem hein :9

O homem acenou com a cabeça e foi até o bar.
Tudo bem que o nosso português não é perfeito, mas só não é perfeito pelo nosso sôtaque, porque nós conhecemos a maioria das palavras, e até algumas girias (h). Tudo bem que as vezes o Ti embola português com espanhol, mas isso é normal :x.

Em pouco tempo, o homem já estava voltando com uma porção de camarões na mão e dois copos com algo que parecia água com açucar e limão.

- Obrrrigada. - Eu agradeci, sim eu sou educada até em outra língua (h).

- De nada! A conta fica na conta do hotel, ok? - O homem falou educadamente.

- Ok. - O Ti respondeu com a boca cheia de camarões.

O homem se retirou - notamental: parar de falar bonitamente. - e então eu fui experimentar a tal caipirinha.
Dei um golão e...

- AUCH! - Eu fiz uma careta e o Ti começou a rir da minha cara.

- É bom? - Ele perguntou entre os risos.

- Queima! - Eu disse mostrando a língua. - Mas é bom. - E dei outro gole.

O Ti deu um gole e também fez careta, e eu ri da cara dele. hihihi :9

- Garrrçon, vê mas dôas, porr favorr? - O Ti pediu quando acabaram-se as nossas.

O homem agora foi e voltou em menos de minutos.

- Vamos ver quem vira primeiro? - O Ti falou desafiante. E como nenhuma Evans perde um desafio [2], eu acenei com a cabeça. - No três... 1, 2, 3 e.. já!

Eu virei, virei, virei.

- GANHEI! \o - Gritei colocando o copo em cima da mesa.

- Assim não vale! - O Ti disse fazendo uma carinha de cachorrinho molhado. - Quero uma revanche. Garrçon, más três.. não, cuuuuuatrro.

O homem foi e voltou com uma bandeija com mais quatro caipirinhas.

- Pronta? - O Ti perguntou segurando o copo.

- Para ganhar novamente? Claro. - UEAHUEAHUEAHUE, eu sou maquiavélica (6)

- Você que pensa Evans... no três. 1 e 3..

Droga, assim não vale! Eu ainda estava fazendo o meu preparamento.

- Na-na-ni-na-não. - Eu disse fazendo um negativo com o dedo. - Outra! Não se pode roubar, Ti.

Ele me deu um beijo e então começamos novamente...
E assim se foi.. 3, 4, 7, 9.. não, peraí. Depois do 7 é o 2 não é? O.o'

***


O dia já tinha virado tarde, e a tarde estava virando noite. E os copos de caipirinha continuavam na mesinha e na areia da praia.

- Desculpem-me senhores, mas teremos que fexar o quiosquê e vocês não podem mais ficar aqui. - O garçom disse cutucando o braço do Ti.

- Massssss quê ôras, hic, são? Porrrquê, hic, eô aindddda acho quêé, hic, muitô cêdo! - O Ti disse, e eu concordo.

- Nos desculpe senhor, mas já são 23:00h, e temos que fexar. - O garçom pegou o guarda-sol da nossa mesa e foi guardar.

- Toôdo bein Ti, vamos sair daqui e, hic, prôcurar otro lugar, hic, que ainda esteja aberto e, hic, venda, hic, caipirinhassssss. - Eu disse pegando o Ti e ele passou o braço em volta da minha cintura para se levantar.

Caminhamos até o calçadão. Eu estava meio que cambaleando, mas eu não estava alta. Aliás, eu estou sobre.

O Ti foi me abraçar, mas aquele lazarento acabou passando o braço pela minha queimadura e eu gritei.

- Mãs quê, hic, PORRA! 'Tá mê, hic, machucando! - Eu gritei e todos pararam para nos olharam. - Quê quê, foi? Hic, tão olhando oquë ein?

- Já sei Lil, hic, vamos pegar umtaxiiii i, hic, ele nos leva num bar que tiver aberto agora, hic.

- Boa idéia Ti! - Eu estendi o braço e comecei a gritar - TAXIIII, taaaaaa-hic-xiiii.

Um carro que parecia um doblô ou algo assim, pois eu não tive tempo para destinguir, parou na nossa frente e nós entramos.

- Estão indo para onde? - O homem que dirigia falou, o tal do piloto. Não, piloto é de trem não é? Como que é quem dirige carro mesmo? Ah.. aquele lá. Você sabe.

- Algum bar aberrto, hic, que venda caipirrrinha, conhecce? - O Ti falou fexando a porta do carro.

- Conheço, mas fica meio longe daqui. Pode ser ? - O homem perguntou.

- Opaaaa, sem prressa tiu! - O Ti disse e então nós encostamos no banco de trás do carro, e tiramos um cochilo.

***



- Hey, hey, acordem muleques! - O Tio do carro já estava gritando com nós, e dizendo que tinhamo chego ao tal bar.

- Ah sim, quanto quii é? - O Ti perguntou.

- Ficou em R$ 75,00. - O homem desconhecido por nós (?) disse.

- Ah ta, toma, pode ficarr com o trroco. - O Ti disse isso dando uma nota de R$ 100,00.

- Poxa, obrigada gringos. hehehe. - Risadinha maléfica do tio não caiu bem -.-

Bom, que seja. Nós estavamos atrás de caipirinha (Y), qualquer lugar que vendesse, seria bem-vindo.
Descemos do carro, e demos de cara com uma placa que dizia: Avenida Sernambetiba .*

- Não deve ser muito, hic, longe do nosso hotel, hic, deve? - O Ti perguntou olhando para a carteira, e só tinhamos R$ 20,00. Nós poderiamos voltar a pé, já que vamos gastar isso em caipirinha não é mesmo? O.o Saca só como eu sou inteligente.

- Acho, hic, que não amor. - Eu afirmei, e depois dei uma olhada pelo local. - Hey, olha, hic, tem um bar ali.

- Então, hic, vamos lá!

Eu e o Ti nos apoiamos um no outro e fomos cambaleando até o bar.

- Desculpem senhores, vocês não podem entrar com roupas de banho. - O Segurança que estava na porta disse enquanto empurrava-nos para fora.

- Mass, nós estavamos na, hic, praia! - Eu falei encarando-o.

- Então por que não voltam para o seu hotel e trocam de roupa, hã?

Iiiih, está querendo dizer o quê eu posso vestir ou não? Mas que cara abusadinho hein. Afinal, nem ele está na moda! Fala sério, em um país quente como esse, quem seria o idiota usando paletó preto á noite, enquanto todo mundo está de chinelão?

- EO VOU, hic, ENTRAR NESSE BAGUIO AE SIM! - O Ti começou a gritar, chamando a atenção de quem estava dentro do bar.

- Por favor, voltem para a casa e parem de fazer escandalo na frente do meu bar. - O homem grandão nos empurrou de novo.

- I VOCÊ, hic, PARE DE ME EMPURRAR, SEU, hic, ELEFANTE!!! - Ai meu Deus, acho melhor irmos embora mesmo. 'Tô vendo que isso não vai dar nada certo.

- Eu avisei. - O homem nos empurrou, e caimos na guia da calçada. Droga, eu acho que eu machuquei o meu braço e o pé do Ti está sangrando, porque ele 'tá descalço. :/

- Merda de cara idiota. - O Ti disse segurando o pé que sangrava.

Estavamos sentados na guia da calçada, quando pararam duas meninas e se agacharam.

- Vocês estão bem? - Perguntou uma delas.

- Não. - Eu respondi :/.

- Podemos ajudar? - A mesma menina perguntou novamente.

- Não vamos ajudar eles, deixa eles ai Livia. Eles estão bêbados! - A outra menina falou puxando a amiga.

E eu apenas abaixei a cabeça. Droga, a única coisa que eu queria agora era voltar para o hotel. (N)

- Não Man, vamos ajudar eles sim. Olha só, o homem 'tá machucado. - A tal de Livia falou.

- Ah, mas que saco! Nós ajudamos depois, eles podem esperar até o resto da noite, não podem?

- Não. Vamos ajudá-los agora! - Livia disse me ajudando a se levantar. - Vem, eu te levo de carro de volta para o seu hotel.

- Obrrigada. - Eu falei sorrindo.

Ela realmente não sabia como estava salvando a minha vida.

- Huunnff. Você a sua mania de ajudar os outros. - Man reclamava, enquanto ajudava o Ti a se levantar. E ele sorriu para ela, e ela sorriu de volta. Não estou gostando disso ein :@.

Caminhamos até o carro de Livia que estava parado do outro lado da rua, e ela nos ajudou á entrar no carro também.

- Em que hotel vocês estão? - Livia perguntou enquanto ligava o carro.

- Copacabana Palace. - Eu falei enquanto colocava a cabeça do Ti no meu colo.

- Meu Deus, garota isso é longe, tu sabe o quanto? - Ela arregalou os olhos.

- Não.. nem sabemos onde estamos. - Eu disse colocando a mão na cabeça, porra, minha cabeça 'tá doendo demais.

- E como vocês vieram parar aqui na Barra da Tijuca ? - Man perguntou se virando e nos olhando no banco de trás, enquanto Livia dirigia.

- Pegamos um taxi, estavamos prrrocurrrando algum bar que vendesse caipirrrinha essas horrrras. - Eu disse encostando a cabeça no vidro da janela, para poder ver melhor aquela cidade á noite *_*.

- Humm, esses motoristas de taxi não mudam nunca. - Ela balançou a cabeça e apontou para o Ti. - Seu namorado?

- Marrrido. - Respondi com um sorriso fraco.

- Humm.. garota sortuda! - Ela sorriu de volta.

E depois eu não me lembro de nada, apenas que eu adormeci.


***


- Hey, moça.. ow! Acorde, já chegamos ao seu hotel. - Sim, eu fui acordada pela tal de... er, como que era o nome dela mesmo? Cara, eu não me lembro de nada! Apenas que a minha cabeça está doendo paracai!

- Auch! - Eu disse segurando a minha cabeça enquanto saia do carro, e a amiga dela ajudava o Ti. - Muito, muito, obrrrigada. Se tiverrr alguma maneirrra de recompensá-la, é só avisarr, podemos te pagarrr i..

- Não, não. Quê isso, não tem por onde. - Bom, acho que isso é um 'you're welcome' isn't it?

Eu fui tentar atravesar a rua, mas, Goshhhh! Eu quase fui morta pela 14786565200147879851488 vez hoje - auhauhauehuaehuehuiehaisheuasheadjoaskdpoakdokd4544sd5421d012ççç - não me pergunte porquê, mas me deu vontade de rir *-*.
Ok, as nossas amigas nos ajudaram á subir e chegarmos ao nosso quarto. Eu levei o Ti para o banheiro e ele estava tomando um banho lá, e logo depois eu que ia.

- Obrrigada mais uma vez. - Eu disse enquanto me despedia das duas da porta do nosso quarto.

- Eu já disse que não precisa agradecer. - Livia repetia. - Mas se quiserem dar uma saída por ai, ficarei grata em ser sua 'guia-turistica'.

- Ahh, obrrigada, mas já estamos indo amanhã. Perrdemos todo o dinheirrro hoje. - Eu disse forçando um sorrizinho amarelo.

- Meu Deus. Bom, então, boa viajem, e foi um prazer. - Nós nos abraçamos ;simasminhascostasaindaardiam; e eu fechei a porta.

Esperei o Ti sair e fui tomar um banho. Droga, além de ter que cuidar de mim, ainda vou ter que tomar conta dele, que deve estar pior doque eu. Já que ele misturou caipirinha e cerveja ¬¬ Ê beleza de marido viu!



Depois de tomar um banho quentinho - ok, não foi tão bom, pelo fato das minhas costas estarem queimadas, e a cada pingo de água que escorria pelo meu corpo, eu sentia uma facada no meu coração - eu exagerei, mas doeu mesmo. HAEUHAEUAE.
Então eu fui me deitar, e o Ti já tinha capotado. Agora só nos resta esperar até amanhã, já que teremos que voltar. Luademeldocúéarola (y).

***


Ai que dor de cabeça jenti. Por que beber é tão bom e a ressaca é dos inferno tão ruim? Ok, tudo que começa bom termina ruim. - UAHUAHUAHUA, não me pergunte daonde eu tirei isso, é a ressaca. - Eu olhei para o relógio e eram 10:30 a.m
Que bom, na hora certa. O nosso vôo sai 12:00, então pelo menos dá tempo de tomar um banho, já que o aeroporto é aqui perto do hotel.

E na verdade o que eu queria era relaxar. Liguei a banheira do nosso quarto d'hotel e deixei enchendo enquanto arrumava as nossas malas. Deixei o Ti dormindo, assim quando ele acordasse era só tomar um remédinho que melhorava a dor de cabeça.
Entrei no banheiro e comecei a tirar a minha camisola. Quando coloquei um dos meus pés na banheira, eu ouvi batidas na porta.

- Desculpa amor, eu não queria acordar você. - Eu disse abrindo a porta, e o Ti entrou.

- Quê isso. Acordei para melhor. - Ele disse antes de me abraçar e começar a me beijar.

E não, eu não sentia mais as minhas costas arderem graças á Merlin ao creme que eu passei ontem. E olha que eu já estava pronta para outra (666..

- Ai, Ti.. eu.. eu acho que é melhor não. - Eu disse empurrando ele. Mas quando eu vi, nós dois já estavamos sem roupas. OMG, talvez pelo fato que ele dormiu só de cueca. ¬¬'

- Por que não, huh? - Ele disse beijando o meu pescoço. Ah droga, ele sabe que eu amo isso.

- Porque parece que as coisas não estão dando muito certo por aqui. - Eu disse tentando me afastar dele, mas não deu. :x

- Para Lil, vamos aproveitar. Só para não dizer que nunca fizemos em outro país. - IAUHESIAUHEAUISEHUIAS, ok, na hora eu queria rir, mas eu me segurei. Até porque a minha salvação veio.

TRIIM TRIIM

- É O TELEFONE DE EMERGÊNCIA. - Eu gritei, e me enrrolando em uma toalha eu sai correndo do banheiro.

O Ti colocou a cueca de volta, e foi bufando para o quarto, enquanto eu atendia o telefone.

- ALÔ? - Diz diz, qual é a emergência?

- Lil? Oi é o Six.

- Aham, e qual é a emergência? - Falei desesperada. Algum gatinho preso na árvore? Marlene enrroscou o cabelo no secador? A bolsa da Lice estourou? A Dora voltou com o Remo?

- Emergência, como assim? - Perguntou o jumento do outro lado da linha.

- Hunf, Sirius, eu não disse que esse telefone era só para emergências? - Eu falei calma.

- Uhum, disse sim.

- ENTÃO POR QUE LIGOU SE NÃO TEM NENHUMA EMERGÊNCIA, CARALHO? - Sim, eu explodi :@ burrice me irrita.

- Hey Lil, relaxa. Isso é falta de sexo?- Eu bufei -Eu só liguei para perguntar como está a lua-de-mel dos meus melhores amigos. E aí, se dirvertindo muito?

- É, pena que a diversão acaba hoje. - Eu falei desapontada.

- O quê? Como assim?

- Nós estamos voltando hoje, Six.

- Mas.. por que?

- É uma looonga história. Explicamos quando chegarmos ai, ok? Até mais tarde. - E desliguei o telefone.

Ok, eu não queria mais ouvir bobagens dele - sendo que em 12 horas eu já ia ter que ouvir ao vivo -.

- Humm, então agora temos um tempinho á sós, não é? - O Ti disse me puxando por trás, e eu cai na cama, em cima dele.

- TIAGO POTTER, SÃO 11:25. O NOSSO VÔO SAI 12:00. ENTÃO SE VOCÊ NÃO QUISER PASSAR MAIS ALGUMAS NOITES NA RUA, É MELHOR QUE VOCÊ VÁ SE ARRUMAR, PORQUE ESTAMOS INDO PARA O AEROPORTO, EXATAMENTE JÁ! - Hunf, eu já disse que odeio gente burra? ¬¬'


Photobucket

N/a: ook, ficou melhor doque o outro não?
auhauhahauhua, e também achei que ficou maior \o
aeaeaee. eu amo capitulos grandes *-*
auhauhauhauhaua.
jenti, então, essa foi a participação das meninas.
Eu disse que ia ser beeeem curtinha, e foi =x
bom, obrigada Beta e meninas(os) que participaram da promo.

até o próximo *-*
bjs gats.

p.s: siim gatz, eu mudei a música que a Livia tinha escolhido, mas não deixa de ser M.A :)


N:b\ HEUEHEUHSUHAHAHAHAHA.
chorei LITROS de rir.meu Deus isso foi uma lua de mel ?._.
Lily e James bebados,adorei G_G eheuehushahahaha.
dá-lhe caipirinha e skol, santo remédio ._.
heueheuehsuahahaha.
AMEI Le ;)
é isso pessoal,até o proximos,bgs :*

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.