FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Sozinhos outra vez


Fic: O L Í M P I A


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

3.Sozinhos outra vez.

 1º de setembro, o largo Grimmauld amanheceu uma verdadeira loucura.
Pés subiam e desciam as escadas incessantemente, mãos insistiam em bater em portas fechadas e forçar maçanetas, mãos dobravam roupas, tateavam o chão, fechavam malas, cortinas, mãos, mãos, mãos. Uma loucura de mãos, pés, vozes, malas e pessoas. Loucura que só aumentou, quando os causadores dela chegaram a plataforma 9³/4, em cima da hora.
Despediram-se correndo e logo estavam dentro do expresso que já se movia.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Enquanto seguiam pelos corredores cheios, lembrou a eles de que deveriam ir para o vagão dos monitores, mas ninguém lhe deu ouvidos, estavam mais preocupados com a conversa sobre quadribol. Sinceramente, não entendia o que eles viam de tão interessante em um simples jogo, mas já tinha desistido de discutir sobre isso, então apenas continuou andando. Tão distraída observando todos aqueles alunos nos corredores que nem reparou quando Gina os deixou e foi para a cabine das amigas.
Olhava cabine por cabine, vendo se conhecia quem estava dentro delas e na verdade, até viu alguns conhecidos, mas não queria falar com nenhum deles. Se deu conta disso e se perguntou pelo quê, exatamente, estava procurando. Como não achou uma resposta, deixou a tarefa de lado e apenas seguiu no caminho para o ultimo vagão, o dos monitores. Porém quando abriu a penúltima porta parou. Pareceu criar raízes junto ao chão.
O instante em que abriu a porta era exatamente o mesmo em que um garoto saia de uma das cabines. Loiro, alto, cabelos platinados impecavelmente penteados e olhos cinzas. Malditos, olhos cinzas. Era Draco Malfoy.
Em Hogwarts conheceu a amizade, mas lá também conhecera o ódio. E todo o ódio que sentia era única e especialmente voltado para aquele garoto. Quando o viu não soube demonstrar o que sentia, pensar que na ultima vez em que se viram ele usava um distintivo da brigada inquisitorial. Tinha nojo dele, nojo, muito nojo.
Até mesmo se esquecera de Harry e Rony, que estavam atrás de si e agora também tinham parado e visto o garoto. Não queria falar com ele, ia dar as costas, mas é incrível como as pessoas sentem quando estão sendo observadas. Ele não era diferente, viu os três e é obvio que não perderia a chance de arrumar confusão.
Enquanto via Malfoy encurtando a distancia entre eles, sentiu a mão de Harry pousar sobre seu ombro. Sabia que aquilo era algo automático, e nem sequer deu atenção. Estava mais preocupada com o quadro que Malfoy e seus dois capangas formavam. Ele tinha um caminhar elegante, superior, o que junto dos traços finos do rosto, do corpo forte e do ar arrogante poderiam dar a um pintor a tela perfeita, de um homem perfeito, um príncipe em ascensão.

- Tentando proteger sua namorada Potter? – provocou Draco com sua voz arrastada.
- Cai fora, Malfoy.
- Ah, não, me desculpe, Weasley. Eu esqueci que a namorada é comunitária. Quanto é que você paga pra ela sair com você mesmo? Ah, desculpe de novo Weasley, você não tem dinheiro suficiente pra pagar nem por uma sangue-ruim não é...

Sabia que ele estava falando, mas não tinha certeza do que, não escutava um palavra sequer, ocupada demais analisando cada traço do rosto pálido. E aquilo era estranho, não responder os prováveis absurdos que ele estava dizendo, não haviam insultos, olhares fatais, nem feitiços lançados pelas costas, sequer tapas. Só o que fazia era continuar ali, encarando Malfoy, enquanto os amigos brigavam por ela. Mas se deu conta de sua falta a tempo de ouvir uma ultima frase dita pelo menino.

– Tanto faz Potter. Fique com a sua namoradinha sangue-ruim e não se meta no que não é da sua conta. – olhou para ela antes de dar as costas e os olhares se encontram por um instante, mas o que viu não foi a raiva ou o desprezo usuais, mas algo diferente. Algo que não soube identificar e lhe perturbou.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Tinha entrado em transe, um ridículo transe, e o pior era o fato de que ele tinha sido causado pelo maldito do seu pior e único inimigo. E ainda pior, era ficar pensando no transe e no causador dele quando deveria escutar as instruções que a monitora chefe lhe passava. -...troquem os uniformes...- graças a deus ele não estava ali. Não queria nem pensar em como se sentiria ridícula se estivesse.
Seu corpo estava no vagão, mas sua mente voava longe. Pensava na profecia e no quanto ela significava, e nas estranhas atitudes e perguntas de Rony.
Coisas para as quais fingiu não dar importância, mas vinha remoendo. Só que não importava o quão longe sua mente fosse, teimava em voltar para ele.
“O que foi aquilo? Meu Deus ele estava diferente! Mais alto, mais forte e parecia TÃO mais maduro. Merlim, aonde estava com a cabeça, perdi tanto tempo admirando Malfoy que nem sequer escutei a discussão.”
A richa com ele era velha e nunca seriam amigos, sequer se dariam bem. Por isso o que sentiu não era comum, falta de vontade de brigar, azarar e socar. Estranho, muito estranho.
“Chega, não vou mais perder tempo pensando”. Decidiu antes de ouvir as ultimas instruções.
Fez a ronda e foi para a cabine de Harry, mas ele não estava mais sozinho como o havia deixado. Luna, Neville, Gina e Dino estavam com ele. Entrou e se sentou em um dos lados do amigo que já tinha Gina ocupando o outro.

- E então Mione, muita bagunça nos corredores? – brinca Gina, mas ela nem nota.
- Não, até que não...
- Cadê o Rony – pergunta Harry
- Ainda deve tá fazendo a ronda, ele foi pro outro lado – responde sem prestar atenção nos amigos – Luna me empresta a revista? – aponta o Pasquim no colo da garota.
- Pode pegar – gentil, lhe entrega

Depois de checar o índice, abriu em uma pagina de Runas Antigas e ia começar a ler quando se distraiu com a conversa dos outros.
- ...e voltei faz uma semana. – escuta o final da história de Dino.
- Nossa Dino, eu nem te vi! Ta diferente. – cumprimenta o garoto
A olha dos pés a cabeça – Você também ta diferente Hermione. Parece que as férias fizeram bem pra você.
- Obrigada – fica rubra de vergonha.
- Então Dino, você vai ficar aqui? – pergunta Harry percebendo o embaraço da amiga.
- Não. Vo achar os meninos, só passei pra dar oi mesmo – se levanta pra ir embora – Vejo vocês no castelo.
- Tchau – respondem todos.
- Isso foi bastante mal-educado Harry – reprime Hermione
- Se ele ficasse, não ia ter lugar pro Rony – inventa a desculpa no exato momento em que Rony chega – Você demorou – disfarça.
- É que tinham uns terceiranistas zoando os pirralhos do primeiro ano em outro vagão.

Rony contou o acontecido com os terceiranistas, Neville falou sobre os NOM’S que conseguira e Luna, sobre como havia ajudado o pai na redação da revista. Os seis seguiram conversando até que Rony e Hermione tiveram de sair para outra ronda.

------------

Levou consigo a revista de Luna, e percebeu quando entrou em outra cabine para colocar as vestes do colégio. Dessa vez não comprou vestes de numero maior, mas sim menor, pedira para costureira diminuir dois dedos da saia e dois da blusa. Não que fizesse uma grande diferença, mas ficaria melhor assim. Gina enchera tanto sua cabeça repetindo o quanto era boba por usar vestes maiores e esconder seu corpo, que resolveu dar ouvidos à amiga e comprá-las menores, não sabia se mais alguém ia reparar mas Gina com certeza diria que era pouco. Fazer o que, não podia contentar a amiga, afinal, ainda era Hermione Granger e não fazia coisas como andar com saias que mais pareciam cintos. Alias, já se sentia diferente, tinha passado a deixar os cabelos soltos e arrumá-los de um jeito que gostava, até mesmo começara a passar alguma maquiagem.
Estava tão distraída pensando nas vestes que esqueceu a revista de Luna no banco da cabine, mas só se deu conta depois da ronda, quando estava voltando para junto dos amigos. Voltou para buscar, esperando encontrar a cabine como a deixara, vazia e por isso entrou sem bater na porta, mas se arrependeu profundamente.

---------------------------------------------------------------------------------------------------

Lembrava do momento em que virá Granger. Quase não a reconheceu. E antes que o fizesse tinha achado aquela menina tão... Bonita. ISSO o estava matando. Como pôde achar a Granger bonita? Nem que tivesse sido só por um instante. Era um ultraje, um insulto a si mesmo.
Quando a vira, de primeiro não soube quem era, e depois que reconheceu não sentiu vontade de insultá-la nem nada do tipo. Pelo menos não até ver Potter tocá-la. E ainda tinha o jeito como o olhara, analisara, admirara.
“Quem ela pensa que é pra fazer aquilo?”
O pior é que se sentiu incomodado, não por ela ser uma sangue-ruim e se atrever a admirá-lo, mas por medo de que não gostasse do que via.
“Isso é ridículo. Mais que isso. É uma grande palhaçada.”
Tinha acabado de chegar a essa conclusão, quando alguém escancarou a porta da cabine em que estava. E por uma grande infelicidade do destino, encontrou a pessoa que menos queria ver ao se virar para o intruso.

- Ta ocupada Granger – fala frio.
- É, eu to vendo, Malfoy – pega a revista no banco perto dele.
-Onde estão seus guarda-costas Granger? Se cansaram do seu cheiro podre de sangue-ruim e te largaram foi? – provoca, não resistindo.
- Não é da sua conta Malfoy. Mas e quanto aos SEUS capangas? Se perderam entre a cabine e o bagageiro?
- Ah não...Eles decidiram te largar e começaram a namorar! – finge uma cara de pena.
- Não Malfoy. Eles não são iguais a VOCÊ.
- Não se meta comigo Granger – aperta o braço dela.
- Ou o quê? Vai mandar seus amiguinhos comensais pra me pegar?
Solta o braço dela bruscamente – Pode ser que sim.
- Vai pro inferno Malfoy – sai da cabine lançando a ele um ultimo olhar assassino e o deixando sozinho com seus pensamentos outra vez.

--------------------------------------------------------------------------------------------

A ceninha com Malfoy a deixou ainda mais abalada. Nem sequer voltou pra junto dos amigos quando o saiu de perto dele, e não o faria tão cedo se pudesse. Infelizmente seu desejo não foi atendido e o trem logo chegou a estação. Sem outra saída, foi encontra-los esperando por ela e guardando um carruagem.

- Onde você tava Mione? A gente tava te esperando no trem faz um tempão. – pergunta Rony.
- Uns garotos do terceiro ano estavam arranjando confusão com uns sonserinos lá dentro – mente.
- Ahm. – sentam na carruagem e tira a capa, sem perceber que deixa a mostra uma marca vermelha no braço.
- Mione! O que é isso? – Gina pergunta puxando o braço da amiga para ver melhor.
Ela o puxa de volta e massageia o pulso marcado – Não acredito que marcou. Idiota. – fala pra si mesma, se odiando por ficar marcada tão facilmente.
- Quem fez isso Mione? – Harry a olha severo, não deixando espaço para mentiras.
Ela o olha assustada como se não soubesse como ele escutara o que havia dito mas diante da expressão do amigo vê que não adiantaria mentir – Malfoy – responde contrariada.
- Como é que é?! – Rony levanta na carruagem e bate a cabeça, sentando de novo – Quem aquele idiota pensa que é pra fazer isso? Eu vou acabar com ele!
- Não Rony, você não vai fazer nada – grita, perdendo todo o autocontrole que tinha juntado até ali. – Ta tudo bem, ta bom? – fala para todos, se dominando outra vez.
- Como assim ta tudo bem Mione? O que aconteceu? – se preocupa Gina.
- Nada! Ok? Esquece isso – decidida, encerra o assunto.

O resto do percurso na carruagem foi feito em silencio. Por causa da chuva, quando a carruagem parou, tiveram que correr para o castelo, mas as coisas realmente contribuíam para ela e ao chegar ao saguão de entrada encontrou ninguém menos que Draco Malfoy, limpando as vestes respingadas de chuva.
Ao vê-lo Harry e Rony avançaram alguns passos chamando a atenção do garoto, que não se intimidou e os encarou desafiador antes que Hermione se pusesse na frente dos dois e os detivesse.
Com cada mão no peito de um deles os olhou duramente – Se fizerem isso eu NUNCA vou perdoá-los.
Ambos a olharam com raiva, mas mesmo assim, recuaram, pois entenderam o recado de que não estava brincando. Tudo isso, é claro, assistido de camarote por Draco. Vermelho feito um tomate, Rony não agüenta muito tempo e explode logo que sentam na mesa da Grifinória.
- Porque você fez isso Hermione? O que foi agora? Alem dos elfos domésticos vai defender Sonserinos e comensais também?
- Eu não defendi o Malfoy, Rony! – grita indignada – Acontece que começar o ano arranjando briga um minuto depois de chegar no colégio não é muito inteligente! Alem de que podia atrapalhar os planos do professor Dumbledore.
- Claaro. E porque você não falou isso no saguão ao invés de “eu nunca vou perdoá-los”. Como se quebrar a cara do Malfoy fosse algum crime. Alem de que, porque você não quer contar o que aconteceu no trem?
- Porque não aconteceu nada no trem Ronald – grita de volta a menina

Rony ia responder, mas foi interrompido pela professora Minerva que já vinha trazendo o banquinho e o chapéu seletor. Chamou por todos os alunos novos, que foram selecionados um por um, até que o chapéu anunciou o ultimo e Dumbledore se levantou.

- Boa Noite, meus queridos alunos. Sejam bem vindos de volta a Hogwarts.
Os avisos são os mesmo. A Floresta Proibida tem esse nome justamente pelo fato de ser proibida para todo e qualquer aluno. O Sr. Filch pede para avisa-los que todos os produtos da Gemialidades Weasley são proibidos no castelo. E por ultimo gostaria de pedir para que ao final do jantar os alunos do sexto ano permaneçam no salão para um comunicado. É só e ...Bom apetite!

----------------------------------------------

O jantar correu tranqüilo. Os três não trocam uma palavra entre si, conversando somente com os outros colegas. Ao fim da janta Dumbledore pede que o alunos vão para as camas e quando ficam no salão apenas os professores e os sextanistas enfileirados diante deles, faz sumir as mesas e se posiciona frente os alunos.

- Esse ano vocês farão novos testes. A partir deles os melhores serão escolhidos e receberão um treinamento especial...- é interrompido pela entrada de uma mulher no salão.
Ela veste calça jeans escura, botas de salto alto, blusa e jaqueta de couro pretas. Tudo contrastando com a alvura da pele e com os olhos claros, o rosto emoldurado pelos cabelos escuros. Atravessa o salão com passos firmes e ar imponente, passa pelos alunos e pára na frente do diretor, estendendo a ele um bilhete - Dumbledore lê e ela espera em silencio.

“Boa sorte com seu plano, minhas lembranças.”
Hefestos

 Ao ler a pequena frase Dumbledore não contem um sorriso de alívio e agradecimento pelos deuses não terem-no esquecido.

- Seja bem vinda...
- Anna. – completa sem perder a seriedade.
A porta do salão se abre novamente e entra mais um homem.
Usa um longo sobretudo por cima da roupa escura e, como a mulher, atravessa o salão em silencio e entrega mais um bilhete a Dumbledore. Então, se apresenta como Jordan.
A moça, que ainda estava parada ao lado de Dumbledore revira os olhos, e ele a olha com um sorrisinho – Você por aqui Anna...Achei que já estivesse morta.
- Eu só morro uma vez. – retruca superior – Você sabe disso.
- Creio que já se conhecem? – pergunta o diretor.
- Infelizmente – corta Anna – Quando vamos começar?
- Vocês chegaram no exato momento em que eu ia explicar...
- Eu esperaria mais um pouco se fosse você. – fala alto um senhor de chapéu da porta do salão. Anda até Dumbledore e estende mais um bilhete para ele – Donn.
- Quantos mais virão afinal? – Anna pergunta ao recém-chegado.
- Helena e Catherine estão atrasadas. – responde normalmente diante do tom superior da garota.
- PERFEITO! – cospe cruzando os braços e dando as costas a todos.

Outra mulher entra, trazendo o mesmo bilhete que os outros. Blusa branca de gola, saia marrom e botas da mesma cor. Se apresenta como Helena e com a cabeça faz um aceno para os outros.
Todos ficam em silencio, esperando a ultima pessoa de quem o mais velho falou. Silencio que vem bem a calhar para todos, que não entendiam nada da situação, com exceção de Dumbledore e os cinco desconhecidos.
Finalmente a ultima desconhecida chega e fica empolgada ao ver os outros – Um reencontro de amigos! Que comovente, se soubesse teria vindo antes. – faz uma perfeita imitação de Dionísio, mesmo sem saber.
Todos a encaram enquanto segue o caminho até Dumbledore e lhe entrega o seu bilhete, se virando para analisar os outros antes mesmo do diretor poder lê-lo.

- Presumo que seja Catherine – fala Dumbledore já que ela não se apresenta
- Presume certo! – vira para ele como se tivesse terminado uma tarefa e estivesse ansiosa por outra – Quando começamos?
- Bem como ia dizendo.- se dirige aos alunos - Vocês farão testes práticos e teóricos sobre mágica em geral, e então, receberão treinamento desses senhores – indica os recém-chegados – Treinamento de guerra, os que o receberem estarão aceitando a tarefa de ajudar a nós professores na segurança da escola, caso haja invasões ou coisas do tipo.
“Para isso vocês tem quatro dias para se preparar e decidir se realmente querem participar dos exames, pois uma vez escolhidos não podem desistir e terão uma grande responsabilidade. Estão dispensados”

Todos saem do salão em silencio, digerindo as informações, e enquanto os alunos iam para suas casas. Os adultos seguem para o escritório do diretor.

- O que é isso Alvo? – se exalta a professora McGonagall. – Você pretende colocar os alunos para lutar?
- Sim Minerva, os que estiverem capacitados pra isso.
- Mas...
- Por favor, não discuta Minerva. Vocês prepararam as provas?
- Sim. – responde Snape.
- Ótimo, ajeitem tudo para o final de semana – os professores assentem – Agora, gostaria de saber o que exatamente vocês vão ensinar aos meus estudantes.
- Tudo – responde Jordan simplesmente. Dumbledore continua aguardando.
- Basicamente tudo. - responde Donn
- Vejo...E como farão isso? – desiste, vendo que não conseguiria melhor resposta.
- Precisaremos do horário de cada um deles. Quanto ao resto... – começa Helena.
- É da nossa conta. – corta Anna.
- Como queiram – concorda Dumbledore já entendendo o sistema daquelas pessoas. – Porque ao invés de eu fazer perguntas que vocês não vão responder, vocês não me dizem o que podem?
- Muito esperto – diz Catherine.
- Nós somos os treinadores que vocês estava esperando – Jordan
- Os melhores – completa Helena.
- Hefestos nos pediu para vir. Conhecemos alguns deles e com eles tivemos alguns ensinamentos. Já estamos a par da situação e temos ordens a seguir – continua Donn.
- Todos são humanos? – os seis trocam olhares.
- Sim... – responde Jordan, mas novamente Dumbledore continua esperando.
- Alguns de nós perdemos um pouco da “humanidade” mas tecnicamente, sim, todos de carne e osso. – fala Donn.
- Tecnicamente?! – exclama McGonagall – Por Merlim, Alvo!
- Eles foram mandados por alguém muito importante Minerva. Que confia neles, devemos cofiar também. – explica – Creio que ficarão no castelo?
- Sim! – fala Catherine – Onde ficam nossos quartos?
- Na Torre Norte. Snape ira leva-los até la.

Quando já estavam saindo, a professora McGonagall pergunta – Como entraram? – diante do olhar confuso de todos explica – Eu mesma chequei todos os feitiços de proteção.

- O bilhete. – responde Catherine com pena da mulher, antes de deixar a sala junto dos outros.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Basicamente, na grifinória o trio de ouro pensa na mesma coisa, assim como todos os alunos do sexto ano.
Ao chegar na sala comunal sentam em suas poltronas preferidas de frente para a lareira e ficam em silencio, por causa da discussão de mais cedo, porem o novo assunto é mais importante e resolvem deixar a briga de lado.

---------

- Isso é bom não é? – Hermione quebra o gelo – Assim nós vamos estar preparados para enfrentar Você-Sabe-Quem.
- Isso se nós passarmos... – Harry fala pessimista.
- Nós TEMOS que passar Harry. – repreende Rony – Isso é o que nós precisávamos, cara. Um treinamento de guerra, aprender com os melhores.
- Como você sabe que eles são os melhores?
- Dá pra ver só de olhar
- Ele ta certo, Harry. Nós temos que passar, e vamos começar a estudar amanha! Eu vou fazer um horário e um lista dos assuntos que temos que ver. Agora, é melhor nós irmos dormir, vamos ter que estar descansados amanha. Boa noite – se despede antes de ir para o dormitório feminino.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------

No outro dia, café da manha.

- O meu horário é maior que o de vocês – fala Rony calmamente
- É porque você não tem aula de poções como eu e o Harry, e nem de Runas e Aritimancia igual a mim. – explica Hermione.
- Ta – concorda deixando a amiga espantada.
- Meu Deus, Mione. Tem todos os livros do ano nessa lista, sem falar desses outros aqui – Harry reclama apontando.
- Você quer entrar pra esse grupo, não quer? – o garoto confirma – Então vai ter que ler todos eles e praticar tudo que eles ensinam – olha o relógio – Eu tenho aula de Runas agora, vocês podem começar por esse aqui – aponta um nome na lista – vejo vocês na biblioteca depois da aula...
- Mione eu já li esse – Rony confere o nome indicado pela amiga na lista – Já li quase todos.
- Quando?
- Nas férias...
- Você já sabia que a gente ia ter que fazer isso? – pergunta querendo que ele fale sobre o deus, mas não recebe resposta – Rony!?
- Eu sabia que iam ter testes. Assim como vocês, só isso. Já teria terminado essa lista se você não tivesse me feito parar – responde agressivo deixando a amiga boquiaberta
- Faça como quiser então... Eu tenho aula – sai do salão deixando os meninos decidindo sozinhos por onde começar.

----------------------------------------------

Depois de comer foram para a biblioteca, Harry começou a ler o livro indicado por Hermione, e Rony um dos que ainda não tinha lido. Passaram uma hora inteira assim até que a garota apareceu e foram juntos para a aula de Poções. Snape continuava o mesmo, e a aula foi normal, assim como todas as outras. Depois do almoço tinham um tempo livre e voltaram para a biblioteca - anormalmente cheia de sextanistas. Hermione também já tinha lido todos os livros do ano, o que deixava Harry atrasado com relação aos amigos, motivo pelo qual se dedicou o máximo aos livros e no final do dia já tinha terminado dois deles. Depois do resto das aulas e do jantar foram para a sala precisa praticar os feitiços. Se saíram bem e voltaram felizes para a sala comunal, mas cansados, logo se despediram, indo para seus dormitórios.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Chegou no dormitório e encontrou Parvati e Lilá já dormindo. Tomou banho e antes de deitar foi ate a janela admirar a lua e a luz que ela jogava nos jardins.
Abriu o vidro para enxergar melhor o espetáculo e fechou os olhos ao sentir o vento batendo no rosto e nos cabelos, quando os abriu de volta não estava mais no quarto. Se assustou e olhou em volta, afoita, sem nem notar a mulher sentada no ar, logo a sua frente.

- Boa noite Hermione – fala chamando a atenção da garota.
- Quem é você? – pergunta determinada apesar de assustada.
- Alguém que quer te ajudar... – se ajeita na cadeira invisível.
Ao analisar o lugar, vê que a mulher tem estrelas atrás de si, assim como todo o lugar em volta das duas, e a luz que as iluminava...era a Lua...e estava tão perto.
- Aonde eu to?
- Nossa, me disseram que você era esperta! Onde você acha que esta?
- No céu?
- Bravo! – exclama e a menina lhe lança um olhar assassino.
- Quem é você?
Se põe de pé e começa um pouco mais séria – Meu nome é Ártemis, mas alguns me chamam de Diana.
- A Deusa?
- É
- Mas...essas coisas não são reais, quer dizer...
- Ah! Olha só! Você é bruxa! Nãão, mas essas coisas não são reais! – torna, zombeteira e um pouco ofendida.
- Meu Deus... - fala super espantada mas logo se recupera – Então você é Ártemis, a deusa da caça, dos animais selvagens, da luz da lua, do nascimento...
- Da magia, rainha dos bosques, filha de Zeus... – enumera monótona.
- Irmã gêmea de Apolo e a mais casta do Olimpo. – completa Hermione
- Pois é, eu mesma!
- O que você quer comigo? – pergunta curiosa.
- Já disse! Quero ajudar.
- Em que?
- Na guerra é claro, não é obvio? – a menina ia responder mas ela não deixa – Você é um dos pontos principais na guerra. E eu tenho que te ajudar pra que você possa ajudar o seu amigo. Eu sei que já começaram a estudar para os testes e sei que vai passar, então, não tenho muito o que dizer por agora.
- Você esta nos vigiando?
- Vigiando?! – dessa vez realmente se ofende – Não! Estou cuidando de você. E vou continuar fazendo isso.
- Desculpa... – tenta tirar a má impressão – Porque?
- A partir de agora sou sua mentora. Vou cuidar de você, te ajudar, te aconselhar...
Hermione se lembra de Rony perguntando sobre Dionísio e resolve perguntar – Tem mais alguém, algum de vocês, fazendo o mesmo que você?

Ártemis entende aonde a menina quer chegar e dá um sorriso. Orgulhosa por tê-la escolhido como sua protegida – Talvez... você esta sobre meus cuidados agora. Esteja sempre pronta pra quando eu te chamar ou precisar falar com você.
“Ah, e isso fica entre nós ok? Ate a próxima Hermione – faz com que a garota volte para o dormitório e desaparece.”

Os planos de dormir foram por água abaixo, passou a noite inteira pensando no que a deusa disse.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

O resto da semana passou voando, com os alunos do sexto ano em um ritmo acelerado. Por todos os corredores do castelo podia-se encontrar um deles com livros ou praticando algum feitiço. E só o que se falava na escola era sobre os testes e os misteriosos treinadores, que ficaram apenas observando o comportamento de cada um de seus possíveis aprendizes. Estavam todos ansiosos para o começo das provas, para o resultado delas, mas ainda teriam que esperar, e esse tempo, gastariam tentando responder as perguntas que iam na cabeça de todos. Quem seriam os escolhidos, e pelo que teriam de passar?






Olá people!
Tuuudo bom? Ain gente deixa eu contar, to postando hoje, porque não sei voces mas eu estou simplesmente indignada com o 3x0, nãããão, pelo amor de jesus, ninguém merece...¬¬ Anyway, eu fiquei desolada, e daí pensei, será que o povo que lê a fic também ficou? Booom, se ficaram eu vou dar uma luz e postar o cap =DD
E ai estamos nós!
Pessoal, agora falando seriamente, esses primeiros capítulos tão meio encheção de linguiça, mas eu tenho que apresentar os personagens, então, não desistam da fic, como uma romântica incurável eu prometo fortes emoções mais pra frente. To feliz com os comentários, mas as pessoas com certeza poderiam colaborar mais. É bem triste quando ninguém comenta, eu fico total acabada, imaginando se ta tudo assim tão merda (com o perdão da palavra). Mas já que estamos falando neles, vamo lá:

Mione03
– Caaaaraca, você amou foi?! Ain que fofinhaa e eu amei você por amar a fic! O que posso dizer? Bem vinda ao meu mundinho ;DD jah é V.I.P. então, volte seeeempre e continue comentando também, é suuuper importante pra ieu :-) E olha só, sua espera nem foi tão grande assim foi? Prometo que não vou demorar muito com as postagens, também sou leitora e sei como isso é péssimo. Obrigada e beeijo.
°Moony XD° - Ohh menina, brigaada, originalidade com certeza é uma coisa boa neh ;D E sabe que agora que você falou eu fiquei curiosa, vou procurar, ver se tem alguma coisa parecida...o.O, se não tiver, já era, é minha autoria e o resto é plagio hahaha se não...bom foi com certeza boa idéia da outra pessoa neh... hahahaha. Bem vinda ao meu mundinho e vou ficar esperando você sempre. Muito feliz que tenha gostado das minha piraçoes :DD Beeijo.
Kikawicca – Você é ótima, fez meu dia feliz! Já tava deprê com a falta de coments quando olho meu e-mail e... tan tan tan tan... vejo o seu recado. Ain meu coração pulou de alegria, haha, ta ta, repara o drama não, normal. Fiquei um tempão pensando no que você disse do nome, mas o dura é que isso é figurinha repetida, antes de postar eu já me bati um moonte com isso e não achei nada melhor. To preocupada, mas não tenho outra idéia, então se tiver alguma, por favor, me avise! Amei o apelido carinhoso que você deu pro Harry, mas touperinha é pouco pro que ele faz as vezes neh, bom por enquanto vai ficar nessa, mas ele vai se redimir, espero... o Rony é o Rony neh, mas ele é um fofo também, agora o Dionísio, booom, sem palavras, ele é um pedaço de mal caminho e eu quero fazer uma história bem fofis pra ele, um dos meus preferidos. Mione gatona, sei la, tinha que ser, hahaha. Serpente do Éden?! Amoooo, hahaha nunca tinha ouvido essa...é lê apareceu neh, tããão fofo. Realmente espero que goste do Jesse como ele, porque eu adoro o Tom, mas não tem muitas fotos descentes dele sabe, aih... Guriah, sabe que eu acho que você atrasou a fic, toda essa expectativa, to com medooo o.O, vou reescrever uma pancada de coisas, espero que não decepcione muito. Bom, nem tem o que falar mais, seus elogios levantaram minha moral e eu to maaais que feliz de saber que ja tenho uma leitora que vai ser figurinha carimbada. Ah e que bom que gostou da capa :D mas ela não é minha, eu achei no google sabe, pretendo fazer ou achar alguém que faça uma original da fic, mas por enquanto... Seja muuito bem vinda. Beeijo.
Isabel McCoy – Awn e agora, você já conseguiu ler? Sim sim? Haha boom não faz mal demorar um pouquinho neh, desde que o que você ler te agrade :D Ah você disse que a fic é bem escrita! Brigadaaaaaaaaa, sinceramente, que bom que acha isso. Caaara, e você se amarra em mitologia! Não, com certeza subiu no meu conceito total, eu também sou tipo, super apaixonada por mitologia, apesar de que aqui só vai o básico, porque sabe como é, tem muuuuita coisa e daí falar muito fica chato. Ahhhh mas você disse que amar neh, então ta, to esperando ansiosa pelas suas declarações. :D neem me encomodo se ela vierem em comentários, hehe. Serio, muuuito obrigada pelo elogio, por ler a fic e comentar, e seja Bem Vinda. Beeijo
B. Black – Valeu pelo toque :D eu já tinha reparado, mas ainda to bem indecisa com que tempo usar e acho que é isso que ta cagando tudo ¬¬ Bom, tentei concertar nesse capitulo, melhorou? Uma beta, é eu pensei nisso, mas betas não se acha assim neh, coisa de gente graande, sabe como é, ainda to na faze de mini empresa, hahaha, mas vou prestar mais atenção nisso = ) Vou te contar hein, o Dio apareceu só duas vezes e já fé maioor sucesso neh, to até vendo meninas apaixonadas pelos deuses, isso seria amor platônico literalmente neh...haha. Eeeee olha só, o Drakition apareceu, como eu disse lá no começo ainda ta meio água com açúcar, mas melhora :D e capitulo que vem ele aparece mais, com o meu preferido, particularmente 8D, aih aih dois perfeitos... tah, voltando a realidade, bem vinda e espero que tenha gostado do capitulo. Beeijo.
Danny Evans – Muito bom, muito bom. Muuuuuito mesmo, você gostou da fic ee do jeitinho do Dio...ahhh, mas essa é das minhas, haha, ah e fala sééério, o Chad gato? Magiina, hehe, que bom que gostou Danny, você tem razão, Ártemis e Hermione vão ser uma dupla interessante, eu AMO a Temi de paixão, ela e uma outra personagem são bem eu sabe, mas talvez as pessoas não gostem tanto dela afinal, de qualquer maneira, é a minha preferida, oow e ela apareceu nesse cap. O que achou, eu acho a Sophia Bush maravilhosa, tinha que ser ela. Me conte tudo e não me esconda nada, criticas, sugestões, tudo bem vindo; na medida do possível, é claro. E pow, você é bem esperta, tudo bem, ta na cara, mas deixa eu ser feliz um pouquinho e pensar que pelo menos um pouquinho de mistério eu consegui fazer... hahaha o Ares e o Draco também vão dar pano pra manga. Aih e o Ares, my god, valha-me deus hahahaha. Te espero nos próximos capitulo ok? Bien venida! :D beeijo

COMENTEM!! :DD


Desde já,
Love yá.
Marjo



19-08-2008

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.