FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Capítulo 4


Fic: BgBand - SM JL RD ED


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Capítulo 4 ou: Abusivas.


Image Hosted by ImageShack.us


Narrado por: Marlene McKinnon
Humor: cagando de medo.
Pensando em: aonde se acham instrumentos.


I’m feeling like a popcorna.

Isso mesmo, uma pipoca. Ou melhor, um milho de pipoca que vem naqueles pacotinhos de Yoki e que você nunca consegue abrir, porque os publicitários, ou sei lá quem são as criaturas que fabricam aquilo, fazem questão de fazer um embalagem que só pode ser aberta com tesoura. Resumindo, se você estiver no meio do deserto de Gobi, morrendo de frio, e estiver a fim de comer uma pipoquinha enquanto assiste a uma briga de camelos você não pode, só porque você precisa de uma tesoura.

Tá, agora vem a explicação da do milho. Eu já disse que meu inglês é muito avançado, obrigada. Mas, não é a questão de eu saber falar mandarim, japonês, chinês, alemão, canadense (?) que vai mudar isso. ALGUÉM ME JOGA NA PAREDE E ME CHAMA DE AMOEBA. Um milho na pipoqueira recebe muita pressão e acaba explodindo certo? Não essa pressão que eu sei que você tá pensando, mas é relativamente proporcional (?). Fato, eu me sinto um pequeno grão de milho numa pipoqueira, prestes a ser comido por um casal de namorados que trocam salivas e se comem no sofá de casa.

Eu preciso me tratar, essa seca está começando a me tornar uma pessoa meio... abusiva (?).
Talvez seja pelo fato de que meu irmão lindo e tripegável de olhos azuis e com cara de Dougie Poynter resolveu anunciar que vai casar formar uma banda e quer minha ajuda. Gente, pára tudo. EU DISSE QUE MEU IRMÃO É TRIPEGÁVEL. Eu realmente preciso me tratar. Não que ele não seja tripegável, mas ele é meu irmão, é fruto da minha barriga (?). Talvez.

Porque todo mundo me olha feito uma bolacha Traquinas de um olho só, daquelas mordida e cheia de baba de crianças que tem os dentes nascendo, god? Se eu tivesse sendo fitada por esses caras, vulgo amigos do meu irmão, numa ocasião normal eu acho que eu estaria achando que provavelmente tivesse um pedaço de papel higiênico grudado na bunda ou então, a dita cuja estaria chamando atenção, o que já é de costume, mas assim, NÃO TEM PAPEL NA MINHA BUNDA! Alguém me diz o que eu faço, por que meu irmão precisa da minha ajuda e ele tá gritando comigo, ele realmente merece a guilhotina.

- Duda, se controla fazendo o favor? A gente precisa da ajuda delas. – disse o Remus enquanto meio que lançava um olhar de: ‘ Cala a boca se não eu mando 25 neguinhos de baterem e arregaçarem sua calça da Luigi Bertolli.’ Ui, meu irmão é descontrolado.

Mas, reflita. Se eu vim do mesmo lugar que ele, pra quem não sabe é a barriga da minha mãe, eu tenho alguns traços retóricos e iguais á ele? MAMÃE ME ACUDA. Eu sou igual ao meu irmão, ou seja, eu sou um garoto tecnicamente?

Como o Remus é interesseiro, gente. Ele mandou o Duda calar a boca só porque ele precisa da nossa ajuda, ou seja, se ele não precisasse meu irmão podia me espancar e me jogar do octogésimo quarto andar de um prédio que ele nem aí pra mim? Hoje eu estou a fim de achar um motivo pra briga, como meu pai diz, atenção meu pai ( a autora finalmente tirou as mães da história, hallelujah irmãos õ/), eu estou querendo arranjar pêlo em ovo.

- Isso mesmo Remus, bota ordem nisso aí. – disse a Dorcas enquanto fazia um gestos meio que de ‘manos do gueto’. A Dorcas pararia o parlamento com esse jeito, ainda mais se ela tomasse um chá da tarde com a Rainha Elizabeth. HIOASHDIOASDHOIASDHIODH. Eu tenho certeza que ela chegaria mó pagando de funkeira e falaria: ‘E aí Bety?’. Nota mental: melhorar meu vocabulário.

- Eu fui a única que percebi que nenhuma de nós tem talento nenhum? – nossa Lily, isso foi muito profundo e a minha auto-estima chegou ao máximo, obrigada. QUE TIPO FALA QUE EU SOU SEM TALENTO? Tá bom, eu sou sem talento. Isso me lembrou aquele comercial que eu acho engordativo e que diz: ‘Vem, vem que eu te encho de talento’. Eu acho que isso, porque nesse momento eu fico mais preocupada em me afogar num pedaço de pizza. – Sem querer assim, parecer a chata gostosona, mas vocês sabem tocar alguma coisa?

Lily tirou as palavras peladas da minha boca. Eu não sei porque, mas toda vez que eu falo palavra eu tenho vontade de falar pelada. Não que eu queira ver qualquer pessoa pelada, ou queira, não sei ao fato, mas dá tanta vontade de falar que eu falo porque se não depois eu me sinto mal e entro em depressão por não falar. Isso é constrangedor, mas assim, vocês são meus psicólogos, que isso fique bem claro, feito farol de carro que buzina no seu olho (?) quando você acabou de acordar.

- Bom, eu sei tocar um pouco de teclado e violão, o Sirius é um gênio na guitarra, não eu não sou gay, o Remu toca muito bem bateria e o Duda disse que sabe tocar baixo.

- Você sabe tocar baixo? – perguntei eu, afinal eu não sabia que meu irmão tocava baixo. Que tipo de irmã acorda e dorme no mesmo recinto que o irmão, vai pra escola com ele, faz lição com ele, divide o banheiro com ele, caga com ele e não sabe que o irmão toca baixo? Estou passada, um ferro elétrico por favor, os antigos são muito pesados e eu não quero virar passadeira agora. Não no sentido de onde todo mundo passa a mão, por que eu ainda mereço receber um prêmio à castidade.

- Aham, é por isso que eu ficava no quarto durante a tarde. - Eu juro que pensei que fosse outra coisa. Tá, meu irmão não faria isso comigo em casa. Eu acho.

- Eu juro que pensei que fosse outra coisa. – QUE MEDO! A Emy controla minha mente só pode ser. Mas eu acho que eu vi uma nota sinfonia de alívio na voz dela ao saber que meu irmão não fazia o tipo de coisa que ela achava que ele fazia.

- Hãm-hãm. – escarrou o James. Que nojo. Mentira, o James não escarrou, mas sabe aquele barulho que a gente faz quando a garganta coça e você meio que puxa saliva pra descoçar ela? Então, é esse. – A sexualidade do Duda é gay, obrigado. Mas então, você ajudam a gente ou não?

Meu irmão é gay, há. Eu já sabia disso amigos, mas era uma coisa que eu não esperava receber por correio feito cegonha. Nossa, alguém paga essa viajem que eu fiz?

- Calma, eu preciso pensar numas coisas. Tá tudo meio confuso, eu estou vendo a luz. Vocês têm instrumento? - disse eu, afinal eles esperam tocar com as panelas da minha mãe, aonde eu faço meus deliciosos miojos? No, sir.

- Pra que vocês querem formar essa banda? – perguntou a Emy cortando a argumentação precoce do Sirius, que estava pronto pra me responder. Sabe, a boca dele é vermelha. Não, é amarela Marlene. Mas assim, será que ele passa batom? o.o

- Quem vai cantar? – perguntou a Lily, já querendo invocar uma de Hayley Williams. Como eu sei? Simples, ela começou a caminhar em direção ao computador pronta pra enfiar o dedo no mouse óptico ( dá licença, é óptico u_u) e tirar o papel de parede do Jones, que só agora que eu percebi que tá sem camisa, mostrando todo aquele peitoral, pra colocar For a Pessimist, I’m a Pretty Optimistic.

- E qual é o nome da banda? – perguntou a Dorcas enquanto arrastava a Lily pra bem longe do meu monitor preto com o Jones descamisado. Falando nisso cadê meu gato? Gente, eu não vejo o que eu vejo, vejo?

- Que puta questionário. Agora eu sei porque vocês passam horas nesse quarto e no telefone. Eu juro que pensei que fosse outra coisa. – disse o Duda com as sobrancelhas arqueadas. Eu só não te chamo de filho-da-puta porque eu tenho amor a minha mãe, seu filho-da-puta. Como você é vingativo, credo. Eu tenho certeza que eu não sou assim, ou melhor, eu acho.

- Bom, a gente tem resposta pra tudo isso, ouve só. – disse o James enquanto tirava um bloquinho de papel de dentro do bolso da calça. Bem que eu notei que as calças dele estavam com um certo volume. Ei, não é isso que você tá pensando, e eu juro que eu não olhei pra bunda dele.

Tá bom, eu dei uma passada de olho meio que... abusiva.

- Bom, a gente ficou sabendo, segundo o Duda...

- O que não é muito confiável, já que ele roubou 20 libras de mim semana passada. – disse eu. CARA MEU IRMÃO ME ROUBOU! Socorro,temos um cleptomaníaco aqui, god. Eu disse pra ele que ele podia contar comigo nos momentos difíceis, mas ele não quis me ouvir porque ele estava com o meu IPod na orelha. EI, ELE TAVA COM O MEU IPOD.

- PORRA! QUE MANCADA! – gritou falou o Sirius. Gente, quem me dera poder receber uma cuspida na orelha vindo dele. Quer dizer, não precisava ser tecnicamente na orelha, se é que você me entende (6).

- Ei, minha orelha, seu cão. – disse meu irmão. Desculpem, eu não conheço esse ser tão bem educado. Espero que meu irmão não trate as interessadas nele dessa forma.

- Voltando. - é impressão minha ou o Remus e o James sempre põe ordem no galinheiro? Não, que todos aqui sejamos galinhas e galinhos galos, mas a gente não consegue parar de falar. – Como eu tava falando parece que o pai de uma de vocês era músico, eu acho.

Não gostei da parte: . EU NÃO SOU UMA QUALQUER. Eu sou Marlene McKinnon, nascida no hospital, não com uma parteira, que tem uma bunda gigantescamente grande que faz os pedreiros olharem e que está na seca.

- Vulgo meu pai. – disse a Lily. Ah cara, é muito foda a garagem da casa da Lily. Tirando a vez que eu deixei cair uma caixa de ferramentas na minha cabeça e eu tome 7 pontos na testa por isso, o que não é nada, atenção, NADA, eu amo a garagem dela. Isso me lembra aquela música: ponho o carro, tiro o carro, a hora que eu quiser, que garagem apertadinha, que doçura de mulher. IASDHIOHASDOIHASDIOHASDIOHSDAIOHASDIO. Que coisa.

- Isso, e se eu não me engano seus pais fazendo festas, eventos e pá.

- É, mas tipo assim, eu não consigo entender o que meus pais tem a ver com isso. Eu acho que ninguém até a fim de ver meu pai vestido de Elvis catando The Killers, tá? – não, obrigada. Eu já vi isso uma vez e tive que tomar Maracujina pra dormir.

- Hãm, não. HSDAHO. Mas calma, deixa a gene terminar. – disse o Remus. – A gente ficou sabendo também que uma de vocês tem um tio produtor que vai chegar da França.

- DUDA, VOCÊ ANDA ESPIONANDO A GENTE? TE METE GAROTO! – gritou a Dorcas. Eu realmente estou ficando revoltada com meu irmão. FATO. Está explicado porque sempre que eu abria a porta do quarto eu ouvia outra batendo. E eu achando que McFly estava prejudicando meus tímpanos, ou a voz tesuda do Jones estava afetando meu cérebro, never. Ótimo, agora todos estão olhando pra Dorcas como se ela fosse um peixinho e soubesse nadar. Isso não é cool, obrigada (y).

- Isso mesmo, te mete. Mas continuem fazendo o favor. Eu quero saber até que parte vocês sabem sobre a gente, tipo, você podem contar nossa vida num noticiário.- eu não me segurei. Daqui a pouco eles vão saber até qual é a cor da minha calcinha, e isso não é bom.

- Enfim, a Emy tem os pais que são donos de um restaurante que tem shows todas as sextas, e eu e a Lene temos o violão da Madonna e o baixo, além de eu saber fazer back vocal e a Lene saber dançar. – eu se dançar (?). PELO AMOR DE DEUS. Meu irmão quer me matar de vergonha. Eu não estou pronta pra virar chacrete. Mas assim, e se os amigos dele me viram dançar? Não que eu dance feito a ex-Alzira, mas... EU TAVA DANÇANDO.

- Por isso, a gente tava pensando no seguinte: o pai da Lily podia emprestar os instrumentos no começo, o tio da Dorcas se desse podia deixar a gente gravar uma demo quando estivéssemos preparados, os pais da Emy podiam deixar a gente fazer uma apresentação e a Lene podia ajudar a gente na hora de cantar, tipo coordenar. Tudo isso se vocês topassem e os pais de você concordassem, também. – disse o Sirius. CARA ELE É GOSTOSO! Me diz que menino na idade dele consegue juntar tudo isso numa frase? E além de tudo, ele tá pedindo pra gente. O Josh não sabia nem falar o bê-á-bá. Mas tipo, ME ENGANA QUE EU GOSTO, que você pediria permissão pros meus pais pra fazer certas coisas. Opa, falei besteira.

- A gente quer formar a banda porque vai ter um festival em Liverpool, aonde um monte de bandas vão se candidatar e vai ter um concurso, a melhor ganha £5.000 e fora que vai poder tocar nas rádios do Reino Unido. - CARALHO Remus. Ganhar £5.000 só pra ir lá tocar e voltar e ainda fazer sucesso? Não quero isso. EU SEI QUE VOCÊ PENSOU AO CONTRÁRIO, eu tava testando você. É óbvio que aí eles vão ficar com a grana. Mas, por outro lado, É LIVERPOOL! ♥_♥

- No caso, eu iria cantar e o Sirius também, e o Duda ia fazer back-vocal. O Sirius canta super bem, e eu mediano. – posso imaginar como o Sirius canta bem, James (6). Sabia que eu acabei de ler que as mulheres gostam de homens cafajestes? Esse não é meu caso, porque o Josh era cafajeste e eu não morria de tesão por ele (?). Eu preciso ser analisada. É impressão minha ou as meninas estão literalmente um pouco com os olhos fora de órbita e quase beijando os pés deles?

- O nome da banda. Bom, a gente ainda não sabe porque nós estamos esperando vocês, a gente precisa da ajuda de vocês pra isso também. – ui, me senti agora Duda. ELE TÁ DEPENDENDO DE MIM PRA VIVER. Eu posso simplesmente ou deixar eles com a cara no chão e não aceitar ou então aceitar tudo de uma vez e ficar com o Sirius [/mentira].

Uma coisa: eles não são Bradesco, mas são completos. Cara, eles taparam nossa boca, eles já sabiam de tudo antes mesmo de eu nascer (?), ou melhor, eles sabem mais de mim do que eu mesma, e isso tá me assustando, afinal, como eu vou ficar se eles descobrirem que eu ainda como pasta de dente Tandy? ‘—

Enfim, eu realmente percebi que alguma coisa além amizade uniu eu e as meninas. É O DESTINO! CARMA! Eu sabia. Calma, eu não vou começar a fazer macumba, mas eu finalmente percebi que existem coisas que acabaram ligando nós quatro. Eu nunca tinha pensado que um dia o restaurante da mãe da Emy iria abrigar pobres coitadas feito eu.

Mas calma, as coisas ainda continuam não sendo tão fáceis assim.

- E aí? – perguntou o James com uma cara de quem parece que tá pisando em bosta. Eu acho que a Lily vai pular no colo dele e tascar um beijo de aspirador nele.

- Bom, isso literalmente me assustou. Você sabem mais da gente do que a gente lembra que lembrava (?). Alguma coisa assim. – disse eu. Eu odeio quando as palavras peladas saem cuspindo da minha boca e eu não tenho auto-domínio sob elas.

- É verdade. Só faltava vocês falarem de quantos meses eu nasci. – disse a Emy enquanto sentava no puf e ia se afogando feito um dinossauro na lama. D-I-N-O-S-S-A-U-R-A.

- Sete. – respondeu o Remus. PAI DO CÉU! ALGUÉM INSTALE CAMÊRAS AQUI. Eu estou me sentindo no Big Brother, a diferença é que eu não vou ganhar um milhão e sim 2,47% da comissão do meu irmão. A Emy olhou com uma cara de espinha recém-estourada pra ele e se adentrou ainda mais no puf. Ela vai atingir a sala.

- Esperem. Eu preciso pensar em tudo isso, é muita coisa. E faltam algumas coisas, tipo assim, a função de cada um (?). – perguntou a Lily com cara de quem não tem certeza do que fala, mas quer falar pra chamar atenção.

- Vocês são mais difíceis de convencer do que minha mãe. – disse o Sirius com um sorriso de 32 dentes branquíssimos, dignos de iluminar um salão.

- Garotas difíceis são as melhores. – disse eu. Ele tava me comparando a mãe dele, vamos com calma. CALMA, DIGO EU. Eu acabei de cantar ele ou é impressão minha? Emmeline levante sua bunda gorda desse puf, porque agora é a minha vez de se afundar nele.

- Eu tenho total certeza disso.- disse o Sirius com o um sorriso muito sexy de canto de olho (?). Quando eu fico nervosa eu troco as palavras, obrigada. Wait a minute. É outra impressão digital minha ou ele me cantou? Gente, se morre. SIRIUS BLACK DEU ATENÇÃO PRA UMA RALÉ FEITO EU. Respira.

Aonde tá o buraco? Não esse buraco que você pensa, mas o buraco pra eu enfiar a cara, já que tá todo mundo me olhando pra nós dois, com coisa: vocês vão se comer aqui e agora ou querem que a gente se retire?

- Com licença, hãm hãm. – disse o James. James eu te amo, eu te juro que mais tarde eu te mando um caminhão de bombom recheados de licor pra você ficar bem gordo e bêbado. – A gente tinha pensado no seguinte: primeiro a gente ia começar como uma banda cover, só ia tocar músicas de outras bandas pra ir treinando, depois a gente pensou em eu, o Duda, e o segundo o que ele me disse a Lily e a Dorcas escrevermos as músicas. Ele disse que elas são super criativas. – Porque ele disse Lily primeiro? Preconceituoso, a Dorcas devia vir primeiro, por causa da ordem alfabética. Não gostei mais de você, jegue.

- Não sabia que eu era criativa. Tudo bem que eu desenho bem, mas...mas.- disse a Dorcas olhando pro teto. Tá legal, agora ela quer achar uma espaçonave no meu teto. REALIZA MINHA FILHA. Eu estou muito grossa hoje.

- A Emy ficaria encarregada de marcar os nossos compromissos, se a gente tiver e do equipamento de áudio e a Lene ajudaria a gente a tocar, tipo dar umas idéias e cantaria em algumas músicas. Os ensaios seriam na garagem do Jay e eu tenho um carro parado, se alguém tivesse um parente maior de idade que soubesse dirigir, tá tudo fechado. – disse o Duda. Meu irmão tá pensando gente, isso é um objeto de estudo, fato. Tipo, eu nunca pensei que ele teria essa capacidade de ligação de fatos. Gente, eu amo meu irmão. Tá legal, não conta pra ele fazendo o favor.

Eu acho que a Emy vai chorar e se jogar no chão por virar secretária. Ele tem o dom pra isso, sério. As coisas dela são todas organizadas e eu acho que daria certo ela como a nossa mãe (?). HIOASDHIOHASD, imagina ela correndo com uma mamadeira atrás da gente. Ela não gosta de crianças, por isso ela é que fica menos vezes com a Sarah, a menina pentelha que a gente é babá. A gente vai revezando e juntando a grana. Engraçado, toda vez que chega o dia Emy ela tá com cólicas, porque será? ‘—

Agora quem precisa realizar sou eu. EU CANTANDO? Gente, eu acho que eu vou incorporar a Mariah Carey aqui. Tipo, eu realmente queria ter o corpo dela, mas já que não deu pra virar prima dela eu me contento com esse que eu tenho, obrigada. Mas assim, EU CANTANDO? Imagina, eu subindo num palco. Não, não imagina. Eu não sei se eu seria capaz de tanto, se nem lavar a louça eu tenho coragem quanto mais cantar?

Silêncio frenético. Isso me lembra aquele grupo: “ As Frenéticas.” Tá legal, vamos dizer que elas são minha fonte de inspiração depois do Jones (?). Ao certo, eu nem sei que elas são eu só sei que as músicas delas causam e eu quero envelhecer feito a Victória Beckham, ou seja, podre de rica, bonita, com um corpo de dar inveja e com um cara muito gostoso do meu lado que pague tudo pra mim, inclusive meu botox, e que não me traia. Mentira, não adianta nada disso se ele não tiver conteúdo. Se ele tiver conteúdo e tudo isso eu me amarro.

- Eu topo. – disse a Lily toda animada e levantando a mão. ALGUÉM BATE NELA FAZENDO O FAVOR? Ela perdeu a cabeça ou quê? Atenção: procura-se uma cabeça laranja que atende pelo nome de Lily.

- Eu também topo, não tenho nada a perder, só a ganhar mesmo. – disse a Emy com um sorriso estridente no rosto. Cara, alguém vira esse mundo de cabeça pra baixo pra ver se eu caio na China? Tá, a Emy sempre foi mais fácil de convencer, mas eu to ficando passada feito a toalha engomada da minha mãe que eu estraguei.

- Tô dentro. – disse a Dorcas fazendo um yes com o dedo. Tá legal, agora tá todo mundo sorrindo e olhando pra mim. O que não queria aconteceu. Ah cara, eu preciso pensar rápido.

Ajudo meu irmão a formar essa banda, o que pode ser divertido pelo fato que eu vou cantar e vou poder falar todos os dias com o Sirius e companhia limitada e ainda de quebra viajo pra Liverpool e tenho a chance de ficar popular ou então eu continuo nessa mesma merda que eu estou, minhas amigas me matam, porque sem mim elas não vão querer fazer e ainda fico reconhecida como chata e não tenho a mínima possibilidade de falar com os caras.

Olha, eu realmente prefiro a opção um, apesar de que talvez depois eu me arrependa. Cara, esse raciocínio tá muito lento, alguém por favor ejeta Speedy aqui? Eu nunca pensei que meu irmão um dia me tiraria da lama na qual eu me encontro, mas a gente se surpreende cada dia mais na vida (?).

- Tá legal, vocês sabem como me comprar, eu aceito. – disse eu parecendo que aceitava um pedido de casamento. Já estou até me imaginando jantando na casa dos McGuys e depois tomando um licor na sala de estar da mansão do Jones. HDASHDIOSAHDIOASHIOSDAH.

- Ótimo. Cara, você não sabem o quanto a gente agradece pra vocês. – disse o Remus com os olhinhos brilhando feito criança. Ele tem uma lábia. Esse cara deve ser o pegador.

- Sério, se não fosse vocês a gente não ia saber como começar a banda. – disse o James enquanto sentava na cadeira do meu computador e parecia tirar um peso de 400 quilos das costas. Deve ter sido realmente muito assustador falar com a gente. Eles estão até mais... brancos (?).

- Hoje todas vocês subiram no meu conceito. Inclusive você Marlenoca. – disse o viado do meu irmão, Duda McKinnon. Marlenoca? Já não bastava minha mãe ter posto esse maldito nome em mim ele anda inventa uma coisa dessas? Que Deus tenha Maria Madalena aí do lado dele, mas minha mãe tinha que homenageá-la pondo o nome em mim?

- Estou lisonjeada, Dudoquinha. – disse eu enquanto fingia abrir um vestido. Ah, você entendeu. – Só não sei como vocês querem que eu cante. Eu juro, strip eu não faço.

- HASDIOHSDOAIHOASD, calma Lene. Isso é assunto pra mais tarde. – disse o Sirius enquanto piscava pra mim. Cara, ele tá querendo me derreter feito purpurina aqui né? SÓ PODE SER. Por que mais um cara gostoso feito ele iria fazer uma coisa dessas comigo?

- Falando em mais tarde, e o nosso trabalho? – disse a Dorcas. CARALHO, CACETE E TUDO QUE HÁ DE BOM. Eu preciso fazer um trabalho de Liverpool inteirinho com mais 3 magricelas que quase acabaram comigo.

- GOD, ME ACUDA! São 7:30 da noite eu não estou em casa. Minha mãe vai me matar. Ela disse que eu tinha que voltar até as 7:00. – disse a Emy enquanto colocava meu quarto abaixo procurando o celular dela. Porra, minha privacidade é proporcionalmente zero u_u

- Por acaso seu celular não é esse que tá no cós do seu jeans. – disse o Duda enquanto andava até o computador e ia ver o que o James estava fazendo.

- Eu te mato sua gazela. Vai, liga pra ela e dorme aqui. – disse eu tentando ver o porquê do aglomerado de gente em volta do meu computador.

- Relaxa gente, esse trabalho sai hoje. – disse a Lily enquanto voltava a fazer o cartaz com a Dorcas.

- A gente ajuda vocês. – disse o James enquanto ia até o cartaz com o Remus e pegava um lápis de cor na mão? HDASOIHASDOIHASDOIHASDOIHASD. James Potter pintando feito Pablo Picasso, isso merece um foto.

- Vai indo pra lá Emy, ainda tem que caber mais uma bunda nessa mesa. – disse meu irmão. Repito, não ligue pra educação dele. Ele é muito... abusivo (?). A letra dele é melhor doque a minha, você querendo ou não.

Agora você se pergunta que tipo de escola deixa o irmão e os amigos dele ajudarem no trabalho? A minha, meu professor é vesgo. Ou seja, livre passaporte pra zoeira total.

- E aí, tá precisando de ajuda? – perguntou o Sirius enquanto pegava uma cadeira e sentava de pernas pra frente do meu lado e colocava um óculos. Gente, que óculos são esses? Eu nunca pensei que óculos ficavam tão bem nas pessoas.

A vida é assim, uma mão lava a outra e as duas lavam o pé.

Image Hosted by ImageShack.us


Narrado por: Lily Evans
Humor: desesperada.
Pensando em: ado-a-ado.


- Bom, tecnicamente Liverpool não existiria sem os Beatles, quer dizer, todo o sucesso da música que revolucionou mil novecentos e alguma coisa partiu dessa pequena cidade. – disse eu enquanto via um monte de gente da minha maldita querida sala de aula me olhando como se o que eu estivesse falando fosse do milênio passado. Mas, calma. É DO MILÊNIO PASSADO, dãr. Estou me sentindo tão idosa nesse momento, uma fralda por favor.

- Bom, é isso. – disse a Lene percebendo que o nosso trabalho já tinha acabado, a gente já tinha repetido cada parte 5 vezes e nenhum animal colega batia palmas, nem mesmo o professor da bundinha gostosa. Ah, é. O trabalho.

Você parou na parte que o James encarnou uma de Adolf Hitler e resolveu pintar todo o cartaz comigo e com a Dorcas. Não, ele não destruiu o cartaz, mas assim, você sabia que o tio Hitler pintava quadros? Tipo, eram bem obscuros amigo, mas ele pintava pra ganhar a vida. Ele pintou até a parede de casa, inclusive a minha. Ou seja, eu tenho a parede da minha casa pintada por um nazista que matou 32 milhões de pessoas e no fim quis se matar com a amante, morra de inveja.

Mas, voltando. Os meninos fizeram um trabalho maravilhoso. O Sirius pegou uns sites que eu nunca tinha visto na minha vida e eu preciso admitir a Lene estava com toda razão em babar por aqueles óculos, eles pareciam um casal de jornalistas trabalhando num novo projeto. Nossa, eu estou precisando bater com a cabeça. Isso foi nerd demais: uma casal de jornalistas trabalhando num novo projeto.

O Duda saiu com vinte hematomas na perna de tanto receber chutes e socos da Emy, porque segundo ela, a bunda dele é grande demais pra dividir uma cadeira com a dele. Hematomas me lembram emas que me lembra alguma palavra que tem H e M, mas eu não consigo lembrar. Ou talvez hematomas me lembrem... hematomas (?).

Eu e a Dorcas fizemos dois cartazes lindos, tão lindos que é um novo tipo de arte moderna, e vocês sabem, arte moderna causa um impacto meio...abusivo. Por isso, parece que ninguém reconheceu nossa arte. Isso é expressão de opinião. Quer dizer, bloqueio a opinião. Não. AH , QUE BOSTA! É aquela coisa, quando você não pode expressar sua opinião, porque vocÊ vive numa ilha chamada Inglaterra, aonde você não conhece nem metade do seu país e você freqüenta uma escola aonde tem um professor tarado por sexo selvagem. Isso faz de mim uma cidadã em perfeito estado psicológico.

Eu preciso dizer que eu babei? Tipo, os olhos do Jay são tão lindos. Não que eu tenha ficado olhando só para os olhos, mas eu não podia simplesmente fazer uma análise completa, digna de IML no garoto. Ele me disse que tem uma irmã, ou seja, eu posso levar meu irmão pra brincar com a irmã dele e acabar ficando por lá. FALA SÉRIO, EU SOU UMA GÊNIA. Pra falar a verdade, eu acho que qualquer um seria capaz de pensar uma coisa dessas, mas vejamos, uma pessoa que vive o que eu vivo todos os dias e tem a cabeça formada meio que por pessoas desconfiáveis (?), isso que eu disse é um caso de recuperação precoce.

- Bom, o trabalho de vocês ficou bom. – BOM? VOCÊ DISSE BOM? Isso aqui é uma arte professor. É um trabalho digno do museu do Louvre e você diz ’bom’. Eu sei que todos os artistas foram recriminados e até exilados, mas a gente vive no século XXI, fica a dica. Eu não estou nem um pouco a fim de ser mandada pra Rússia, amigo. Então, por favor, cristalina e repita: essa trabalho é um luxo e é uma honra termos vocês aqui. – Eu gostei dos cartazes e vocês explicaram tudo muito bem. Eu acho que vocês merecem 7.5.

GENTE EU TIREI SETE E MEIO DE OITO. Tá legal, eu to muito nerd, eu preciso melhorar minhas notas para baixo antes que comecem a me fitar de esquizofrênica e eu seja obrigada a me sentar numa mesa de alunos que tiram meleca do nariz e grudam chiclete no próprio lanche pra inventar o novo elemento químico da tabela periódica.

Falando em inventar eu estou sentindo um pressão sobre a Dorcas. A menina está ficando com olheiras e não consigo mais ver uma capa de gordura revestindo o abdômen dela, o que me preocupa muito, já que daqui a pouco eu vou ser a única obesa do grupo. Mas calma, eu tô chamando as meninas de obesa? Eu realmente sei valorizar um amizade mentindo. Toda vez que elas me perguntam se elas estão gordas eu falo: ‘Pelo amor de Deus, se passar um palito de churrasco Mimi do seu lado eu acho que levo o palito embora no seu lugar, porque você tá igual a ele.’ Boa comparação, ou seja, eu chamei elas de anoréxicas, despeitadas, desbundadas e... comestíveis (?).

EI, EU ESTOU SENDO EMPURRADA! Talvez seja pelo fato de que o trabalho já acabou, o professor já deu a nota e eu continuo olhando pra minha obra-prima feita com o James Potter. Não, não é nosso filho mas sabe, é fruto da nossa cabeça. Que tocante, eu vou começar a escrever poemas. Falando em poemas, blues, e poesia eu preciso começar a pôr minha cabeça para funcionar, já que euzinha da Silva fiquei encarregada de escrever as músicas da banda-ainda-não-identificada-do-Duda. A Dorcas ficou com a função de faxineira do palco. Mentira. Ela vai dar o nome pra banda, tá explicado. A menina não tá nem comendo de tanto esforço que ela tá fazendo. Mas eu não duvido nada que em pouco tempo ela crie um nome decente. Pelo menos, é o que eu espero.

- Bom, pediram pra avisar os senhores sobre uma “competição” aqui no colégio. – olha que chique, aqui no meu colégio eles chamam a gente de senhores. Tudo bem que eu me sinto uma idosa e que esse professor poderia cuspir menos enquanto fala, mas é a vida amigo (Ý).
- É uma competição para Presidente de Sala.

- Pra que serve um Presidente de Sala? – perguntou a Angel. Pra enfiar no seu cú. Cara, como existem pessoas burras. Eu ainda não me conformo como o Sirius namora ela. Tipo, eu acho que eles passam o dia fazendo um exercício não-verbal. Mas eu preciso refletir sobre uma coisa: pra quê serve um Presidente de Sala? Eu também não sei, ou seja meu nível de burrice é igual o da Angel. Sim, a gente tem que me medir o nível de burrice porque o nível de inteligência dela é equivalente à limpeza do Rio Tietê.

- Serve para acatar as opiniões dos colegas e leva-las a diretoria pra fazer uma escola, mas humanitária. Além disso, eles promovem as excursões, feiras de ciências e outros eventos. – nossa, eu realmente queria saber falar igual ele. Humanitária é uma palavra que causa tanto impacto. Tipo, você tá no maior silêncio e grita: HUMANITÁRIA! É como o grito da Independência do Brasil, só que com menos Dom Pedro. O safado tinha, acho que oito mulheres e 18 nomes. COM ALGUÉM VIVE COM OITO MULHERES? Eu não conseguiria viver com oito homens, por exemplo. Eu acho que não. – Algum de você gostaria de se candidatar?

Preciso dizer que imediatamente cinco nerds, que tiram catota do nariz e grudam embaixo da mesa levantaram a mão, junto com mais duas pessoas descentes, mas que coitados, são losers feito a gente e eu nem ao menos sei o nome deles, sendo que eu vivo com eles todos os dias? Bom, pra não perder o hábito, a filha-da-puta, corna, viada coleguinha Carly levantou a mão.

Imagina pra onde ela vai organizar um excursão, no mínimo vai ser para um desfile de moda da Christian Dior aonde um monte de modelos feito ela passeiam por um palco alto com laços do tamanho da sala da minha casa na cabeça. Ou então, para um motel de quinta categoria aonde ela vai querer mostrar o processo de reprodução. Eu realmente preciso controlar minha raiva. Vou começar a pintar, feito o Hitler, quem sabe um dia u não vire uma terrorista e finalmente eu apareça no jornal, numa matéria redigida by Marlene McKinnon, casada e com um renca de filhos de Sirius Black.

- A Lily quer professor. – Quero. Quero sim. QUERO? PERA AI! Quem te deu autorização de pronunciar meu nome em vão senhora Emmeline, com dois ‘m’s’, ‘th’ e etc. Imagina eu, Lily Evans, discutindo relações com um bando de gente gritando na minha orelha que quer comer o novo lanche do McDonalds no passeio? Meu ouvido não é penico, obrigada.

- Ei, eu não quero. – disse eu, tentando, sem resultado algum, livrar meu nome da boca de pessoas terroristas e destruidoras de sonhos feito as meninas. POR ACASO SÃO ELAS QUE VÃO VIRAR SECRETÁRIA PARLAMENTAR? Não, não são. Não são elas que vão exibir esse corpinho que Deus me deu pra todo mundo? Não que eu vá fazer uma dança erótica, mas eu vou ter que falar em público e quando isso acontece eu fico indistinguível, porque eu fico tão laranja quanto meus cabelos.

- Srta. Evans, eu acho que a senhorita deveria se candidatar, afinal você fala muito bem em público. – obrigada pelo elogio, mas eu ainda não quero ser comida por uma Anaconda chamada Carly. Fala sério, eu só sei falar bosta e palavrão, o que eu vou representar? O grupo dos Favelados Encardidos e Maloqueiros do Primeiro Ano?

- Muita obrigada senhor, mas eu realmente prefiro ficar na minha pra esse tipo de coisa. – disse eu tentado manter minha compostura enquanto o que eu tinha vontade de verdade era de enfiar o dedo no olho de cada pessoa dessa sala, incluindo a Emy, que foi a ideologista dessa idéia destruidora de sonhos.

- Lily, pelo amor de Deus pai todo poderoso de misericórdia divina, essa é nossa única chance de sair da merda, depois da banda-não-identificada-do-Duda. – disse a Dorcas enquanto apontava uma caneta do Piu-Piu um tanto quanto grossa e acabou por me deixar vesga enquanto olhava pra ela. Não, ela não vai me hipnotizar, porque eu simplesmente tenho a força õ/. Mamãe e papai, com a graça de Deus, nunca deixou faltar nada pra mim. Vai ver por isso eu estou tão gorda. Eu e a Dorcas podíamos nos juntar num movimento de carolas beatas, porque eu acho que essas preces a Deus foram um tanto quanto abusivas.

- Imagina se você ganhar, mais pra frente você pode pedir um show dos meninos aqui na escola. – disse a Lene enquanto erguia uma das sobrancelhas e passava um papel pra Emy preencher, que eu não consegui identificar o que é.

Antes que eu pudesse expressar minha opinião, mais uma vez eu fui repreendida pelas minhas próprias amigas. Eu estou começando a achar que elas fizeram um pacto com o Hosama Binladen, no qual eu devo ser torturada e depois internada numa clínica para quem nasceu com pequenos defeitos. A Emy levantou e andou até o professor e entregou o papel e disse:

- Tá aí a ficha da Little Lily. – é isso que dá você contar tudo sobre você pra suas amigas, um dia elas se revoltam contra você ou te obrigam a falar publicamente para um bando de gente ignorante, incluindo você na fita, e já que sabem tudo, inclusive o número do seu RG, elas passam a tomar as decisões por você. Nossa, eu realmente me auto-instalei numa crise emo.

- EI PROFESSOR! Eu quero me candidatar também. – Ponte que partiu na puta que pariu. Se antes da Carly se candidatar ao posto de Miss eu prometo popularidade para todos vocês idiotas que votarem em mim eu já tinha perdido com apenas 2,7% dos votos imagina agora, eu simplesmente vou para os recordes da escola. Os recordes das pessoas mais toscas que sabiam que iam perder com 0% e mesmo assim se candidataram.

Em parte isso vai ser bom, vejamos por esse ângulo reto perpendicular. Eu posso fazer coisas legas pela escola, como por exemplo, mandarem limparem aquele banheiro, porque eu ele simplesmente é medonho. Eu acho que nem as faxineiras entram nele. Ou então, mandarem cortarem a grama da quadra, porque as folinhas simplesmente pinicam minha perna quando eu dou meus passeios por lá. Você já foi pinicado por grama? É tão formigante, sério. Eu pensei que tivessem formigas na minha perna e sai me batendo.

- Pronta pra perder Lily? – perguntou a Carly enquanto passava com aquela bunda maníaca
siliconizada do meu lado. Sério, se nessa idade ela já está podendo silicone é porque as coisas dela realmente estão caindo, imagina quando ela ficar idosa. Cara, essa lei da gravidade é um dom na minha vida, assim no meio de uma discussão eu posso dizer: ‘ Há, seus peitos são caídos (?)’. Como se isso fosse mudar muito as coisas, mas um dia o silicone será de graça, eu tenho fé nisso (Y).

- Não tanto quanto você. E a propósito, é Evans pra você. – TOME CHOCOLATE! Faz bem pra pele, quer dizer, não tão bem. Pelo menos pra minha não faz. SABIA QUE MELANCIA DÁ ESPINHA? É porque tudo que tem auto teor de açúcar ativa a produção de espinha. Não que espinha sejam fabricadas, mas assim se você parar de comer chocolate se mau-humor vai trilhões, porque você deixa de liberar endorfina, fato. Via ver por isso aquela minha vizinha diabética é tãaaaaaaaaaao chata. Ela reclamou só porque eu coloquei Paramore pra tocar Hallelujah às oito da manhã no domingo. Qual é? Ela veio me dizer que a nossa rua não é um culto adventista, não entendi.

- ENFIM LIBERDADE IRMÃOS! ENFIM SÓS! – disse a Lene enquanto saia da sala de aula com a mochila nas costas. O sinal tinha batido e eu nem tinha percebido. Vai ver porque eu perdi tempo demais olhando pra cada cravo na cara da Carly, eu contei. São sete cravos, bem pretos. Essa minha parte tá muito demartológica.

- Marlene se controla, fazendo o favor. Eu ainda não quero ser presa por perturbação de ambiente. – disse a Dorcas enquanto enlaçava o braço no da Lene e carregava ela pra saída da escola. Eu ainda vou tacar o secador na banheira da Lene quando ela estiver tomando um banho de sais de chocolate. Nota Mental: parar de lembrar de chocolate em tudo e quanto é hora.

- Eu quero me expressar. Estava me dando náuseas ficar no mesmo ambiente que a Angel. – disse a Lene enquanto enfiava o dedo na garganta fingindo vomitar o que seria a Angel. Imagina ela toda vomitada (?). Que nojo, tenho certeza que seria o fim da carreira Barbie comercial de televisão dela.

- Engraçado, antes de você saber que ela namorada do Sirius você não tinha náuseas. – disse a Emy enquanto arqueava uma das sobrancelhas. Tá um tal de arquear sobrancelhas. Já perceberam que a Emy é a única que arqueia uma só? EU NÃO CONSIGO! Tipo, eu faço todas as caretas do mundo, até as do Bozo, mas eu não consigo.

- Vai ver ela engravidou do Sirius e ele agora vive sentindo enjôo e a Angel quer bater nela. – disse a Dorcas. Isso é uma história digna de CSI.A menina que morreu por seu amante. Nossa, isso foi realmente fruto de uma mente psicopata.

Quer uma dica? NUNCA assista ’Eu sei quem me matou.’ com aquela ruiva que tenta me copiar, achando que pode, Lindsay Lohan. A viada dormiu com o Judd e depois vira lésbica? Se eu dormisse com o Judd nunca mais saia da cama, god. Se bem que eo Fletcher é o que há companheiras, aquela estrela brilha mais do que sonho de padaria (?). Mas então, no filme ela é seqüestrada ai mostram torturando ela e pá. Ou seja, se você gosta de uma torturinha básica, encha mais ainda o rabo da Lindsay Lohan de dinheiro, se não, junte-se à nós.

- Como vocês adivinharam? – perguntou a Lene. Gente, calma aí. MINHA MELHOR AMIGA TÁ GRÁVIDA! PÁRA TUDO! CADÊ A PARTEIRA? Eu acho que estou sentindo as contrações. Vai nascer, respira. Mas reflita, quem tá grávida é a Marlene o,õ. E assim, como ela sabe que tá grávida se ela conheceu o Sirius ontem? Gente, tudo bem que certas coisas têm que ser feita com pressa, mas assim, eles se conheceram ontem, eles têm toda uma vida pela frente.

- Ótimo, agora temos uma amiga grávida que vai ter um filho de um cara sexy e que vai ter um feto que vai vomitar na nossa cara. – disse a Emy enquanto acenava pro primo gostoso dela de longe. Alguém já disse que ele é um tesão, god? Tipo, ele tem a maior fama de pegador do colégio. Eu acho que ele já pegou todas, até a Carly e a Angel, não que isso seja uma coisa muito assustadora, até porque o apelido delas é maria-maçaneta, mas assim, ELE É O PRIMO DE EMY!

- Marlene, você tá me assustando. Eu estou me sentindo em Juno, daqui a pouco você encarna a Ellen Page aqui com aquele barrigão. Se você virar ela, me dá seu telefone de hambúrguer? – esse telefone é o que há. Porém, eu não posso éter um desses, na verdade ninguém pode ter um desses porque simplesmente como alguém vai comer pelo ouvido? E além de tudo eu tenho certeza de que aquele telefone é feito só pra Ellen Page, porque nós somos super-pobres e não podemos ter um telefone feito em Hollywood. HEIN? Tá vendo, eu sou uma gênia.

- CLARO QUE NÃO! Primeiro: se um dia eu ficar grávida eu vou comer tudo na minha frente e isso inclui o telefone, assim meu filho nasce falando. Segundo: quando eu ficar grávida eu vou ficar com estrias e vou ter que passar Óleo de Amêndoa Paixão eu vou precisar do telefone pra pedir delivery, ou você acha que eu vou sair andando inchada e gorda por aí? – disse a Lene enquanto eu via a Dorcas broxar cada vez mais. ISSO É B-R-O-X-A-N-T-E! Mas o que eu vejo não é broxante, pelo contrário, é excitante. Muito excitante. Tá legal, você deve tá pensando que daqui a pouco eu vou ter uma liberação de hormônios pra não falar outra coisa.

- TÁ BOM, EU ROUBO DE VOCÊ SUA VACA. Tomara que quando você fique grávida seu filho nasça com cara de hambúrguer. GENTE A LENE NÃO TA GRÁVIDA! Agora eu entendi. Tipo, fica você aqui no meio de três meninas que dizem estar procriando um ser dentro delas pra ver se você não surta. A Dorcas tá fazendo uns gestos meio estranhos. É a nova linguagem dela, eu acho. EU APOSTO QUE TEM PALAVRÃO. Ela fica procurando os palavrões novos, mas se bem eu não me engano o que eu acabei de ver não passa de um vai tomar no cú (?).

- Oi garotas. – disse o primo da Emy que estou quase babando enquanto olho pra ele. Ela tá cumprimentando a gente. Tá legal, ele não pegou nenhuma de nós porque nós somos muito gostosas e ele é pouco lindo pra gente pegar [/mentira]. Tá legal, ele só fala com a gente porque a Emy é prima dele e ele tem um carro, e ai se lê não trata ela bem o pai dele tira o carro dele (?). Sim, ele dirige. Não Lily, ele tem carro só pra preencher o vácuo na garagem dele, dãr.

- Hey, tudo bom? – disse a Lene enquanto quase caia pra trás por causa do peso biteloso da sua mala. ESSA MENINA FAZ CONTRBANDO. Ou a favor bando, como você preferir, isso depende do seu nível de drogamento. Parece que ele quer pegar ela, mas ela não tá a fim (?). Não que ela não esteja a fim, mas ele vai pegar ela de jeito, ai ela vai querer mais e ai o Sirius vai pegar os dois de jeito (?). Pêra aí, a Lene vai pegar os dois de jeito, eu acho. O QUE ELA TÁ ESPERANDO? SENHA POR ACASO OU O FLETCHER CASAR? Que Deus permita marmita que isso só aconteça quando eu for a namorada futura esposa que vai ter filhos com ele.

- Tudo e com vocês? Tá aqui aquele seu trabalho. – disse ele pra Emy antes mesmo da gente responder. PORQUE O MUNDO TÁ APRESSADO? Eu sou a única que faço yoga é? Quer dizer, eu tento, mas depois de quase quebrar minha coluna com os exercícios eu acabo dormindo, e o meu ronco atinge a sala e ai minha mãe vem me acordar pra me lembrar que eu tenho lição pra fazer x_x

- Mas pêra aí, era dos lobos-marinhos e o acasalamento, aqui só tem dos lobos-marinhos e eu sei o que é um lobo-marinho. É um animal que eu vi no aquário e que tem um bigodão que deve fazer cócegas. – disse a Emy enquanto chacoalhava o trabalho na cara do primo dela. Eu tenho medo dela, fica a dica. Imagina um soco dela. Se uma menina que era super musculosa saiu com o nariz sangrando da aula só porque ela acertou ela sem querer quando foi passar a prova pra trás, imagina a Lily raquítica quando espancada por ela.

- Eu sei, mas você não cumpriu o trato, então é só metade. – disse ele enquanto dava uma piscadinha, que poderia ser interpretada com uma cantada se não fosse o fato de que a Emy esta ficando roxa de vermelha e tá quase batendo nos países baixos dele.

- Você queria o quê, eu falei com você faz três dias sabia? E além de tudo, ela tá em outra, e ele é muito sexy se você quer saber. – disse a Emy. Isso tá parecendo contrabando, aonde um não quer pagar o outro. Ou melhor, aquelas coisas que se chamam operador\s de telemarkentig mais que na verdade deviam ser chamadas de meninas irritadoras de gente necessitada de informação, vulgo burras.

- Então devolve o trabalho. – disse o primo dela puxando o trabalho da mão dela. Tá legal, eu tenho certeza que é bom eu vazar, antes que uma mão voe na minha cara, e não vai ser a do primo da Emy tentando me beijar.

- Gente, eu acho que meu irmão tá me chamando. – disse a Lene enquanto saia andando pra trás e caia numa pedra bem de bunda. Tá legal, essa meninas vai ficar aleijada ou então com hemorróidas. Sim, eu sou médica, comprei meu diploma do farmacêutico que uma vez me deu uma injeção na bunda e infeccionou. Ou seja, eu tirei a profissão dele, há u_u

- É, é melhor eu ir indo girls, a gente se encontra na casa do James às 3:00 horas. – disse eu enquanto girava nos calcanhares feito uma dançarina de ballet cheia de calos e micoses nos dedos (?). Tá legal, isso me lembra mitose, que me lembra minha prova de Biologia. Alguém aí sabe o que é mitose? Porque assim, eu tava mais preocupada em tacar papeizinhos na cabeça da Carly pra tentar fazer parecer que ela estivesse com caspas.

Sim, eu vou pra casa do James, nem te conto o que eu vou fazer lá. Quer dizer, eu poderia contar mais eu não vou. Ou seja, eu vou contar o que eu vou fazer. ENSAIAR! Não, não vou ensaiar um coreografia erótica com ele, podia né, mais não é (6). A gente vai começar a ensaiar, guardar o material e pá. Tudo na garagem, ele disse que é bitelosamente grande. Imagino o que é bitelosamente grande. NÃO, NÃO É ISSO! Podia, mas não é.

Bom, se tudo pudesse, a gente não nascia chorando não?

>Image Hosted by ImageShack.us


Narrado por: Emmeline Vance
Humor: eu quero bater em algum filho de uma mãe sem dono.
Pensando em: como matar seu primo sem uma arma.


- Escuta aqui sua criatura que eu sou obrigada a chamar de primo, ninguém tira os trabalhos de mão de Emmeline Vance (?). – disse eu enquanto tentava alcançar a gigante mão do meu primo que fica no ponto aonde Deus está sentado, já que eu sou baixinha e ele é muito elevado. É um erro genético, os meus genes nasceram com o cromossomo da formiga Tanajura, ou seja pequena e com uma bunda gigantesca.

Meu primo é um filho-da-puta, viado, idiota, besta, comedor de bosta chato. Qual é o problema dele? A mãe dele não deu leite suficiente pra ele quando ele nasceu? ELE FOI REJEITADO? Gente, para tudo. SERÁ QUE MEU PRIMO FOI ADOTADO? Tipo, sem maiores preconceitos, mas eu preciso saber desse fato, porque ele é meu primo entende? Mas por outro lado, do lado Emmelinístico de se ver, eu não tenho que ter dó dele. Tá legal, eu sei que ter dó e/ou pena de alguém é uma coisa muito pedinte, mas assim se você vê um cachorro na rua você via ficar com o quê? Bom, eu poderia ficar com o Duda, mas eu ficaria com pena (?). Ninguém disse nada, fica a fica.

- Shiu. Escuta, ouve bem. Você vai fazer o que eu te pedi ou não? – disse ele enquanto colocava a mão na minha boca e me arrastava pra trás da árvore que fica na porta do meu colégio muito foda e que é...muito foda. NINGUÉM MANDA EMMELINE VANCE SHIAR! MUITO MENOS ARRASTA ELA PRO MATINHO!

Tudo bem que meu primo é super hot, parece o Chad Murray, mas não é o Chad Murray e tem uma voz tão gostosa e entorpecente quanto a de algum cara locutor de rádio, mas assim, eu não posso ter qualquer tipo de relação sexual com ele, porque nós somos parentes. REALIZA! Porém, se ele realmente for adotado, isso me impede de inverter esse quadro? Por que ele ta me arrastando pro matinho? Eu não quero ir pro matinho, não nesse momento.

GENTE, PARA TUDO E CRISTALINA! Meu primo é a cara do Remus. Alguém me ajuda, eu quero um copinho de Coca-Cola pra me afogar, ou melhor, de Fanta, já que Coco-Cola engorda demais e eu não quero ter uma bunda com mais estrias e celulights do que eu já tenho. Eu olho pra ele e lembro do Remus. É como naqueles filmes que a gente tá bem naqueles momentos e você lembra do ex. Não que eu esteja fazendo alguma coisa com meu primo, mas assim, foi uma sinopse (?).

- NÃO ME SHIA! E não encosta em mim, a não ser que você queira ficar aleijado e ser denunciado por abuso sexual, ser levado pela polícia e passar viver feito um cão sarnento endo que dividir uma sela de cadeia com mais 74 presos sedentos de atividade sexual. – disse eu enquanto apontava cada vez mais o dedo na cara dele até ele ficar vesgo e tropeçar.

Eu realmente sei deixar as pessoas com medo. Eu até gritaria aqui, mas acontece que se eu gritar com ele eu vou ser obrigada a andar 15 quadras até a minha casa e ficar com as pernas dormentes até que um bom senhor, velho e idoso que dirige aqueles carrões da época em que Roberto Carlos era um espermatozóide resolva me dar carona e me levar pra algum lugar que não seria lá muito familiar. Pronto, falei. Eu tô precisando que alguém me dê asas aqui, por favor, porque tudo que eu mais quero é ir embora dessa criatura que é meu primo e esquecer que ele é a cara do Remus.

Imagina se a Dorcas fica sabendo disso, eu acho que meu primo só vai ser encontrado por um grupo de garotos que estão acampando na floresta silvestre, porque vai ser ali que meu primo vai ser encontrado. Eu não posso simplesmente cumprir minha parte do acordo, na verdade eu só cumpro as coisas quando eu tenho um plano que me beneficia verbalmente (?), ou melhor, quando o Bush deixar de mandar tropas americanas pro Iraque eu como a cumprir, de fato.

- Tá legal, eu ainda quero ter uma família. Me diz, por que você não pode cumprir o acordo? – perguntou ele enquanto olhava pros lados e tentava ver ser não tinha ninguém por perto. É que ele tem medo de que ágüem super popular veja ele com essa prima looser, ele quase nem se preocupa com popularidade [/mentira]. E ele é o único garoto que eu vi até hoje que passa corretivo em espinha .___.

- Porque a Lene viu outro garoto tripegável, o Sirius, e digamos que ela tá meio interessada nele. Ela não vai topar. – disse eu enquanto fingia imitar ele e já ia saindo de trás da arvore. Mãe me dá um help aqui? É que assim, meu primo tá me puxando pro matinho tentando me estrupar, bejos. Meu primo tem cara de pato, eu acabei de descobrir isso em vão (?). Mas, reflita, se ele tem cara de pato eu realmente tenho chances Chace Crawfoord é gay de ter cara de cavalo arrotado [ vide algum capítulo que eu não lembro o número ]. Eu disse que eu tenho um cromossomo da formiga Tanajura. Eu sei que isso não tem nada a ver, mas eu dava tchau pro meu cocô e você? o.õ

- O SIRIUS QUE NAMORA A LERDA E BURRA DA ANGEL? – PUTA QUE PARIU. Senti que caguei por uma perna e escorreu pela outra (?). COMO ASSIM ELE SABE QUEM É O SIRIUS? Será pelo fato que ele conhece a Angel, toma lanche com ela, anda com ela, caga com ela, e que o Sirius é namorado dela e tecnicamente ele caga com ele também? Pára tudo, eu tenho 34,5% de chances Chace Crawford é gay de receber Sirius Tesãozinho Black em casa, fica a dica, e brincar de fazer comidinha com ele.

Mas vendo pelo ângulo reto inclinado 45º à esquerda agora meu primo sabe que a Lene tá meio que tendo tesões pelo Sirius, e ele pode contar isso pra ele, e se ele contar isso pra ele, ele vai ficar se achando e se ele ficar se achando ele vai falar com a Lene e aí vai falar: Eu sei o quê você fez no verão passado (?). E aí a Lene vai se afogar numa bacia de nitrogênio. Ufa, falei. FUDEU, A MALENE ME COMEU/COMERÁ.

- Eu disse Sirius? MEU VOCÊ TÁ SURDO OU QUE CARGAS DA ÁGUA? Eu falei Cindius, sua besta [/fimdamaiormentiradaminhavida]. Quem é Sirius afinal, que nome de... estrela (?).– gostei de falar cargas da água. Dá impacto e é... abusivo (?). Atenção gentalha do meu Brasil varonil, a partir de hoje o Sirius se chama Cindius e que se dane o caralho a quatro de nomes estranhos. Não tem nada melhor do esquisitices normais (?).

- Cindius? Esse não era o nome da sua vizinha? Ele é namorado da Angel, não interessa. – disse ele enquanto me virava na árvore todinha (?). Tá legal, isso tá ficando erótico demais, o que aconteceu foi que ele mudou a posição anterior, a gente deu um triplo carpado. Me vizinha se chamava Cindius, sério. Segundo a mãe dela foi uma homenagem à um banda do século XVIII que tocava cavaquinho. Tipo, eles tinham que se esgoelar (?) já que o microfone não atingia fronteiras feito a Tim.

- Era, mas é um nome unissex (?). COMO ASSIM NÃO INTERESSA? Claro que interessa. Pêra aí, se tá querendo comer ficar com a Angel? – perguntei eu enquanto arqueava uma das sobrancelhas. Morra de inveja relés mortal, eu consigo movimentar uma única sobrancelha. Existem nomes unissexys (?). Todo mundo quer comer a Angel, é fato. Todo mundo menos eu, eu ainda quero ter uma família antes de tomar esse tipo de decisão (?).

- Em parte, mas o panaca do Sirius tá com ela. – PERA LÁ! Ninguém chama Sirius Tesãozinho Black de panaca na minha frente, nem dos lados e muito menos por trás. O menino aqui tá se achando só porque tá com uma loira boazuda chamada Emmeline Vance atrás de um toco de uma árvore. ELE ACHA QUE PODE! Mas ele não pode. Qualquer um queria estar no meu lugar, menos eu, que sou prima dele .__.

- Alto lá, como dizia a Tia Bebel. O Sirius não é panaca. – disse eu enquanto me revoltava de angústia e sofridão instalada no meu pobre miserável, paupérrimo e sem um tustão coração. A Tia Bebel era a tia mais legal que a gente tinha, pena que um dia ela tava na casa dela e se afogou no vaso sanitário. Não me pergunte como. Talvez isso explique o fato de eu dar tchau pro meu cocô. Meu primo não gostava dela, só porque ela não pôs ele no testamento. Mais um motivo que explica o fato de ele ser adotado.

- Você sabe que a Tia Bebel me atormenta mentalmente, então ‘cê pára! E como assim ele não é panaca? Você disse que não conhecia ele e tá defendendo ele. Você tem um caso com ele? Eu posso te ajudar. – eu não ouvi isso, obrigada. Mas agora eu literalmente me fudi, comofas. Quem mandou eu defender a Lene? EU devia ter deixado eles se pegarem de jeito e depois deixado o Sirius bater nos dois. Eu realmente não sei se ela tá querendo ficar com ele, então porque eu to martirizando assim? É ISSO QUE VOCÊ GANHA QUANDO AJUDA ALGUÉM! Tapa na cara pra Emmeline.

- PÁRA TUDO! Eu não tenho caso nenhum. Por que a gente tá falando do Sirius mesmo? Vamo, me dá carona pra casa fazendo o favor. – disse eu me fazendo de desentendida e puxando pelo meu primo pelo colarinho da camisa pólo da Brooksfield que ele deve ter gastado 100 libras enquanto eu mendigo por míseras £2 pra comprar um cachorro quente que nem maionese de ovo vem. Ah fala sério, porque meu primo é rico e eu não? Quer dizer, eu nunca passei necessidade sabe, ma seu também nunca pude chegar e falar: “Dá licença pé rapado, rala peito Zé Ruela porque a titia Emmeline siliconada has just arrived com seu novo BlackBerry.”

- Emmeline eu te conheço. Um dia você vai falar, nem que seja sob tortura filha. E escuta, quem disse que eu vou te dar carona? Eu já ia dar pra outra pessoa. – ISSO! Fica dando pra outras pessoas, fica mesmo. Dá pra umas vinte e depois vem me contar quantas você engravidou. E FILHA É O CARALHO A QUATRO. Eu sou sua prima, eu ainda não te dei esse tipo de intimidade e nem vou te dar. Sim, literalmente em todos os sentidos. Principalmente a que se refere da minha bacia pra baixo.

- Filha é o fruto da união e do amor do teu pai com tua mãe, então não shia. E outra coisa, eu acho que tu não tá a fim de ser levado para custódia (?) pelo código penal sob tortura ou muito menos perder seu possante amarelo gema-de-ovo arrasa quarteirão. – disse eu enquanto invocava o advogado do Diabo aqui (?). Tá legal, eu arrasei, fala sério neguinho, tô pronta pra tomar seu apartamento em leilão de gado. EMMELINE VANCE PODE TIO!

- Emmy, tem certeza que você fez o Jardim de Infância? É que a sua linguagem tá meia confusa, mas em todo caso, vamo indo então, que eu tenho o que fazer. Que fique claro que eu fiz isso porque eu quero, não porque você me obrigou. – como assim, ‘Você fez o Jardim de Infância?’. Eu tenho cara de quem passou o Jardim de Infância brincando de Barbie ou de casinha com comidinha e se esqueceu de escrever na caixa de areia? Enfim, TODO MUNDO JÁ BRINCOU DE MAMÃE E FILINHA TÁ LEGAL? Eu sou mais dentro de um milhão e meio (?).

Eu tenho certos traumas com o Jardim de Infância. Atenção: essa história é proibida para menores de 14 anos, pessoas com palpitações cardíacas e ataques de coceira (?).

A pirralha ranheta Emmeline Vance estava indo pra seu primeiro dia de aula na sua primeira escola. Lá ela encontrou mais três meninas chatas e subdesenvolvidas que viraram suas amigas. As quatro garotinhas de maria-chiquinha estavam comendo seu querido lanchinho. O lanche da pirralha Vance eram os famosos nuggets, cobertos com uma capa gordurosa que vaza óleo e dá colesterol. Emmeline estava degustando do seu filé de nuggets quando o sinal bate e ela tem mais um nuggets pra comer. Como Emmeline é lerda e esfomeada quis dar cabo do seu nuggets. Nesse momento a professora dinossaura que quase acabou com todos os seus sonhos de ser um popstar grita: “COMO LOGO ESSE FRANGO MENINA!. Emmeline Vance engoliu o frango que passou engasgado e ela quase morreu asfixiada com ele. Depois desse dia, Emmeline nunca mais foi a mesma (?).

TÁ VENDO! Eu tenho motivos de sobra pra ser assim, meia que... abusiva (?).

- Me erra, fazendo o favor. – disse eu enquanto adentrava no recinto chamado de carro. Se é que uma coisa feita de lata sob quatro rodas e com mais lixo no banco de trás do que toda a calha do Rio Tietê pode receber esse nome. ESSE CARRO PRECISA IR PRO PIMP MY RIDE! Tipo, sempre foi meu sonho ter uma casa ou o carro reconstruído pela MTV ou pelo Luciano Tucano Hulk (?). – Sério, um dia desses essa porta vai cair e u não vou fazer nada pra impedir que isso aconteça.

- É muito bom saber que eu posso contar com você nas horas vagas, prima. É o seguinte: nada de gritar, nada de xingar e não fale com estranhos (?). A Angel tá vindo aí. – COMO ASSIM A ANGEL TÁ VINDO AÍ? Ele disse que ia dar carona pra uma pessoa, e não pra uma vadia. Eu não posso ficar no mesmo lugar que ela, tudo isso é infectante demais e ela definitivamente cansa minha linda e bela beleza. Eu acho que vou vomitar, agora eu entendo a Lene. Tô grávida, obrigada (Y).

- CARA! Por que você não apresenta ela pra nossa família de uma vez? Talvez por que ela seja uma puta. Decida-se, é ela ou eu. – disse eu dando um de ofendida, mas na realidade eu tô fudida. Meu primo vai me jogar da janela do carro feito um latinha de refrigerante que ele usou, bebeu e arrotou e depois amassou. Fala sério, a piranha nem é da sala dele, É DA MINHA PORRA! Agora que não entendeu sou eu, afinal, ele quer ficar com a Angel ou com a Lene (?). Melhor não responder.

- Você quer mesmo que eu responda qual das duas? – O QUE É ISSO? REALIZA FILHO! EU SOU SUA PRIMA! Eu nasci da barriga da sua tia tá legal? Eu comi no mesmo prato que você. Eu agüentei seus peidos fedidos do meu lado. Eu vi você tomar mamadeira, eu dei tapas na sua cara e é assim que você retribui? Estou me sentindo usada, eu preciso da minha mãe. Nota mental: pesquisar no Google se pode processar os parentes por abandono (?).

- Te juro, se ela der um chute que seja na minha bunda, ela vai sangrar até a janela do carro quebrar (?). Yes, nós teremos uma luta livre aqui. – disse eu tentando dar uma de Mike Tayson. Meu tapa dói e eu sei disso, mas a intenção é essa, doer pra caralho. Eu preciso para de falar palavrões antes que a autora conte minha parte aqui.
- Se controla. – AGORA O BICHO VAI PEGAR! QUEM É A DESCONTROLADA AQUI? Odeio que me chamem de descontrolada, porque eu não sou descontrolada, só tenho alguns surtos, nos quais eu saio quebrando tudo. Eu adoro fazer igual as cenas de novelas.

- VOCÊ VAI VER DAQUI A POUCO QUEM É A DESCONTROLADA. Repete. – disse eu enquanto tirava o cinto de segurança e dava com a cabeça no vidro devido ao fato que meu primo deu o motor de arranque (?). Caramba, essa doeu. Ouço vozes (?). Ou melhor, ouço barulhos de porta batendo e de uma piranha entrando.

- Nossa, que descontrole Vance. Ah, brigada por me dar carona Denis. – disse a Angel, com sua super micro-saia que dá pra ver a calcinha, uma blusa com um decote na ponte que partiu e uma sandália de maloqueira. Ela vai ver daqui a pouco quem é a descontrolada [2]. Por que todo mundo acha que eu sou descontrolada (?). Eu sou descontrolada? É PRA RESPONDER, PORRA!

- Pra você ver o que você faz. – disse eu enquanto mudava a estação de rádio. Pelo amor de Deus, meu primo precisa mudar essas estações. Eu realmente não sei o que acontece aqui, mas eu penso que meu primo menor e minúsculo acha que os botões são tipo de massageadores de dedos, é uma hipótese. Não muito construtiva, mas... abusiva (?).

- De nada Angel. Emmeline tira disso aí. – COMO ASSIM EMMELINE? COMO ASSIM TIRA DISSO AÍ? Primeiro, eu tenho tanto direito de ser chamada pelo apelido do que essa Poly que usa carro da Barbie tá legal? E escuta bem, mas bem mesmo filho, ela é tão pobre quanto eu, porque assim como eu, ela tá pegando carona sabe? E quanto ao tira disso aí, você engole essas palavras até não ter mais fome e se alimentar só de água, porque eu nunca irei tirar de McFly na rádio.

- Nossa, que música mais... abusiva (?). – PÁRA TUDO! ELA PENSA QUE É QUEM PRA CHAMAR MCFLY DE ABUSIVO? Abusiva é uma palavra tão feia, eu nunca usaria. Tá legal, já parei com a ironia. A partir de hoje eu nunca mais falo abusiva, não depois dessa palavra ter saído da boca de um E.T que fez uma cirurgia de reconstituição genética e que tá no meio humano só pra abduzir a gente. Todo mundo que anda com a Angel vai ser abduzido, e isso inclui o Sirius.

- Olha, não reclama não tá? Eu duvido que a sua cantoria no chuveiro ou sua professora de canto lírico cante tão bem quanto eles, fica a dica, querida. Quando você souber ao menos quem eles são, aí você denúncia eles por perturbação de carros. – disse eu defendendo meus lindos bebês que nasceram da minha barriga (?). Gente, O FLETCHER VAI CASAR! Como assim, ele vai casar, ele não pode casar. É hoje que a Lily se interna no convento e só sai de lá quando o papa resolver casar com uma senhora gostosa e cheia da grana.

- Eu não faço aula de canto lírico querida. Denis, amanhã o carro do meu pai fica pronto então o motorista vem me buscar. – tá legal, ela continua não tendo um carro certo (?). Por que assim, se o carro do meu pai for meu então gente, pára tudo, eu tenho um Peugeot com direção hidráulica, ar condicionado e travas elétricas. Eu só sei que o ar condicionado refresca u_u

- Ãh, beleza então. Precisando é só falar. – disse meu primo literalmente quase morrendo de desgosto por não dar mais carona pra ela e poder abusar dela sexualmente depois de eu sair. Eu preciso de ar, esse caminho tá muito comprido e tá uma porra de um calor hoje. PORRA, ELE VAI PASSAR DA MINAH CASA OU É IMPRESSÃO MINHA?

- PÁRA DENIS! – disse eu enquanto me contorcia e enfiava o pé no freio, bem na frente da minha casa. Quer dizer, eu acho que pisei no acelerador e agora tá saindo a maior fumaça do carro. HASDIOHDIOASHIODASHIODHASIOHASDIOHASD, A ANGEL DEU COM A CABEÇA NO BANCO! Eu quebrei o carro do meu primo, mas em compensação a Angel tá com a cara amassada e cheio de rímel pela cara, e são 2:50 da tarde. PÁRA TUDO! DAQUI DEZ MINUTOS EU TENHO QUE TÁ NA CASA DO JAMES! Eu acho que vou parir aqui gente. O carro pifou, a Angel que me bater, eu não almocei, o carro do meu primo pifou, eu preciso do aparelho de áudio e o carro do meu primo pifou. O CARRO DO MEU PRIMO PIFOU!

- VOCÊ É LOUCA OU O QUÊ? – disse meu primo e a Angel ao mesmo tempo. Eu tô com medo, mas ao mesmo tempo eu preciso ir pra casa do James. MAMÃE ME ACUDA! õ/ Pensa, pensa, pensa. Eu não consigo pensar sob pressão. Tá, legal eu preciso sair daqui antes que me comam, mas eu preciso ir pra casa do James e ao mesmo tempo e não dá pra ir a pé até a casa dele. Eu vou cometer suicídio.

- TÁ LEGAL! PÁRA TUDO! Denis, abre a porra dessa porta e me deixa sair. – isso é um começo, eu preciso sair do carro. É impressão minha ou eu estou vendo um carro de polícia ali na esquina? Fudeu. AH, EU VOU SER PRESA! Eu vou ser presa e vou passar o resto dos meus dias na cadeia comendo comida com fungos, não vou no show do McFly e não vou poder ver o Cosmo e a Wanda nunca mais.

- Você quebrou a trava, não tem como sair, só se alguma alma resolver abrir do lado de fora. – disse meu primo enquanto batia com a cabeça na buzina e buzinava na minha orelha (?). É impressão minha ou eu me envolvi num acidente de carro? Mas cadê o poste? Porque assim, pra mim acidente é quando alguém sai gravemente ferido, e no caso a Angel tá bem ferida. Ela tá babando. HDASIOHSDOAIHASDIOAHSDIOSDHAIOSADID, cadela sarnenta (?).

- EU VOU SAIR DAQUI! – disse eu enquanto abria o vidro manualmente e saia pela janela (?). EU TENHO A FORÇA! Analisem, eu sou uma pessoa de personalidade, afinal, quantas meninas saem do carro pela janela? Prefiro não comentar. Enfim terra firme (?). Agora reflita de novo Emmeline. Tá difícil, eu gastei tudo na idéia de sair pela janela. ‘—

- GAROTA EU TE MATO! – disse o Denis enquanto socava o banco e chutava o vidro. Talvez tenha sido isso em fato, porém eu não sei direito, porque tá tudo realmente branco lá dentro.

- DENIS ‘CÊ TÁ SE ACHANDO SÓ PORQUE TEM ESSE POSSANTE AMARELO GEMA-DE-OVO! FICA SABENDO QUE MEU CARRO DA BARBIE ERA ROSA E COM PURPURINA! MORRA DE INVEJA! – disse eu. Afinal, ninguém me ameaça de morte, nem mesmo se esse alguém tiver razão de me ameaçar, sabe por quê? Porque eu sou imortal. Nem te conto como eu consegui isso. – Você não sai daqui, não fala com estranhos e se o policial chegar dá uma cuspida na cara dele. Eu juro que se você sair o guincho vai ficar responsável não só por guinchar a sua lata-velha, mas assim, a sua cueca filho. – Eu sou realmente muito educada, fala sério (Y).

Sim, eu tenho meus contatos. Se você quiser saber, olha na lista telefônica, lá tem um monte de números com o nome de um monte de gente. Inclusive o meu. Outro dia eu liguei pra mim mesma e falei comigo. Eu realmente tenho uma voz bem sedutora, ui. Tá legal, eu preciso falar com os meus pais e pedir o aparelho de áudio emprestado e ir pra casa do James. Eu vou roubar o aparelho. Ou melhor, pedir emprestado sem autorização.

- Como você acha que ele vai sair daqui com o carro pifado? – disse a Angel. Tá legal, ela tem razão, mas isso não significa que ela seja mais inteligente do que eu, ela só teve um surto básico de inteligência precoce em 5 segundos. Eu to achando que a pancada ajudou ela um pouquinho. Eu preciso bater na cara dela de novo. PÁF!

Pra quem não sabe interpretar onomatopéias eu acabei de dar um tapa na cara da Angel. GENTE EU TO ME SENTINDO TÃO LEVE! Eu acho que hoje é o dia mais feliz da minha vida, afinal, quando você pode bater na cara da Angel e ela tá trancada dentro de um carro e não consegue sair porque parece aqueles bebês presos nas cadeirinhas.

- VOCÊ ME PAGA EMMELINE! – disse ela enquanto socava a trava e tentava puxá-la com os dentes feito uma selvagem (?). Ui, eu desperto a ira das pessoas. Como seu eu tivesse realmente muito medo desse bando de massa corpórea de silicone que balança feito bexiga repleta de água. Sabe o que eu faço pra você? SAIO ANDANDO! É a melhor coisa e ainda queimo caloria.

Porra, agora eu tô com medo. E se ela me der um tiro pelas costas e eu cair aqui e ninguém me ver? E se eu começar a defecar? Gente, eu amo vocês e foi muito bom conhecer todos, mas eu acho que meus dias de glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo acabaram (?).
Burra, como ninguém vai te ver se você tá na frente da sua casa? CRISTALINA!

Adentrei no recinto que eu chamo de casa após de um longa tentativa de enfiar a chave na maçaneta, já que eu estava tremendo. Socorro, eu tenho mal de Parkinson, mãe. Eu já disse que a porta da minha casa é linda? Tem um “V” nela, em homenagem a minha Barbie que se chamava Vitória, quer dizer, me disseram isso uma vez, mas eu acho que é V por causa de Vance. Será (?). [ N/B: sem comentários ¬¬’ ]

A minha sala é bem floral (?). Tá legal, eu odeio minha sala, ela é brega, talvez seja porque minha mãe seja meia brega. Afinal, quem iria por estampas de flores em um sofá com almofadas indianas e um tapete verde no centro da sala? Provavelmente um juiz de futebol, caso quisesse improvisar uma pelada na sua casa. Mas a criatividade da minha mãe é foda.

Meus olhos vêem o que eu vejo? Vêem. O APARELHO DE ÁUDIO *-* Me consuma gostosão, afinal eu rodei o mundo e bati na Angel (eu sei que vou me arrepender disso depois) pra pegar essa coisa que eu nem sei pra quê a gente vai usar. Eu juro que se eu chegar lá e isso não tiver uso, o James vai ter a casa dele destruída por uma bomba atômica encomendada na fábrica do Bin Laden Company’s with George Bush.

- Filha, o que você tá fazendo? – FUI PEGA EM FLAGRANTE! Eu sou ser presa [2]. Minha mãe me pegou roubando a minha casa. No mínimo ela vai pensar que eu estou roubando pra me drogar e vai me internar numa clínica de reabilitação aonde eu vou ser companheira de quarto da Britney. Oi Britney, vamos brincar? Ou então, eu vou passar o resto dos meus dias na cadeia com um cabelo desidratado e sem esmaltes pra colorir a parede.

- Emy, você tá bem? – perguntou meu pai que saiu de trás do jornal com seus olhos tampa de garrafa. É agora que eu vou morrer. Gente, eles vão me internar, eu tenho certeza disso. Eu devo tá pálida e eles vão pensar que é efeito da maconha. Faça amor ao faça guerra (?). Ui, vamos sair todos fazendo relações sexuais por aí (?).

- Uma pergunta e uma resposta: Me empresta o aparelho de áudio? – disse eu enquanto olhava pros dois com um olhar tanto quanto assassino. Eu preciso sair logo daqui, mas eu não saio sem o áudio. EU NÃO SOFRI O PÃO QUE O DIABO AMAÇOU PRA MORRER NA PRAIA (?).

- Pra quê? – perguntou minha mãe enquanto tentava achar qualquer vestígio de droga no meu rosto de boneca de porcelana. Ui, me achei. BIP, resposta errada.

- Uma pergunta e uma resposta: Me empresta o aparelho de áudio? – repeti como um papagaio. Que isso não saia daqui. Eu só quero uma resposta, será que é tão difícil de desenvolver um raciocínio lógico nessa família? Nota mental: isso inclui você u_u

- Tá, porém se você quebrar isso vai sair da sua mesada. – disse meu pai enquanto fumava seu charuto cubano de Cuba (?). Papai me dá mau exemplo gente, por favor, chamem a assintência social. Um dia eu ainda vou morrer sufocada porque eu tenho medo da propagando do cigarro (?). Se bem que uma vez eu vi um cara num propaganda do cigarro que era de tirar o fôlego eo pulmão de qualquer pessoa.

- Eu amo vocês, volto as sete, bejos. – disse eu arrastando o aparelho e o microfone com o pé, já que ele é bitelosamente pesado e minha coluna é fragilizada e fechando a porta de casa com um estampido pra vizinhança inteira ouvir? Que lindo, o trouxa do meu primo continua me esperando dentro do carro. Coma graça de Deus parou de sair fumaça, sabe, eu não tô a fim de apagar indenização por maus tratos a latarias.

- Tá legal, aonde você pensa que vai? – disse ele enquanto se abanava feito um gato egípcio dentro da pirâmide, digo catacumba, digo carro. Apresento a vocês meu novo chofer: Jarbas Denis Júnior.

- Abre o porta-malas. – disse eu. - AGORA - Acrescentei ao perceber que ele já ia abrir aquela boca aonde milhares de partículas de salivas passeiam pra reclamar da minha ordem. Se eu to mandando, é pra mandar e ficar mandado, mando neguinho? Joguei a tralha no porta-malas, fechei ele e quase perdi meus dedos fiz o carro chacoalhar mais do que trio elétrico na Bahia. Adentrei no recinto chamado de carro e fechei a porta. Beleza, rendam-se à mim relés mortais, vocês são meus reféns.

- Emmeline, é um ... – disse ele enquanto queria começar seu sermão do monte Everest. FILHO, CRISTALINA! Eu tenho 7 minutos pra chegar na casa do James e a gente tem 6 quadras pra andar, então pisa no acelerador fazendo o favor, ou quer que eu exploda o motor de vez?

- ANDA! EU JÁ SEI CONTAR NEGUINHO. Liga esse carro, vai reto, vira a esquerda e no segundo farol vira a direita, casa 741 B. Tu vai me levar na casa do meu amigo. – disse eu enquanto enfiava a chave do carro naquela coisa que fica pra ligar e puxava aquela alavanca que fica no meio dos dois bancos (?).

- Emmeline sua vida vai virar um inferno. – disse a Angel, no que eu percebi que estava com metade da cara bem vermelha. Bem mais do que o cabelo da Lily. Mamãe me ajuda, eu acho que ceguei a menina e ela vai me comer.

- Você é louca, sério. Nunca mais te dou carona, nunca mais. Eu ainda não quero enfiar minha cara no poste! – disse meu primo enquanto esperava um dos faróis abrir. Sabe o que eu fiz? Liguei o som no volume 31 e coloquei pra tocar You wanna piece of me . What the fuck? Não ouço vozes q.

- Fica sabendo Angel, que garotas que vão pro inferno vão pra onde quiser. – disse eu. Muito sábia e surda. Eu sei que o ditado não é assim, mas serve e se você quiser me repreender se enfia numa garrafa e depois coloca uma melancia na bunda que vira moda (?). Tá, calei de vez agora.

- Qual é o seu problema? Você tá achando que ninguém da nossa família vai ficar sabendo é? – disse a Angel ou meu primo. Talvez seja meu primo, porque eu acho que não tenho qualquer grau de parentesco com a Angel, tenho? Ou talvez ele mandou ela falar por ele através de telepatia. [N/B: sem comentários ¬¬’ [2]]

- Experimenta falar que eu tenho qualquer coisa haver com isso e eu falo que você tava dirigindo bêbado e fui eu que impedi a gente de bater no poste. – eu sou uma gênia, fala aí (Y). Se bem que ameaçar as pessoas não é uma coisa da qual eu possa me orgulhar (?). AH QUE TRSITE, EU SOU UMA CRIMINOSA! Eu vou ser presa [3]. Esse discurso tá ficando passado.

- Querida, eu tava no carro também. – disse a Angel como se o testemunho dela importasse cargas da água. Quem vai acreditar no que uma rinoceronta velha e caída diz? Nota mental: contratar capangas pra bater na Angel, assim me livro do testemunho dela.

- Angel, ‘cê tá querendo ficar com toda a cara vermelha? – perguntei eu me virando pra trás e lançando um olhar sedutor e assassino pra ela. Ui, virei lésbica. Tá bom, parei.

- Meu pai vai te processar. Denis, nunca mais eu falo com você na minha vida. – disse ela enquanto saia de trás do meu banco e se encolhia no canto da janela feito um rato prestes a ser usado de cobaia (?). Eu não concordo em fazer isso. Digo, usar ratos como cobaias. Eles tem sentimentos tá legal? E não se esqueçam, antes dos humanos, os ratos e macacos viviam em perfeita harmonia e constituíam famílias (?).

- Isso mesmo, ai você fala assim: ’ Oi pai, sabe eu peguei carona com um garoto de 17 anos e a prima dele, porque eu sou muito folgada e vadia e fiquei dando em cima dele. Aí a prima dele foi parar na casa dela e o carro quebrou.”. Realmente, esses são motivos muito bons pra me processar. – disse eu enquanto tirava o cinto.

- Vadia é a tua bisavó (?). – disse ela enquanto olhava pra mim e se aproximava. PÁRA TUDO! A MENINA QUER ME BEIJAR! Tudo bem que meu olhar é sedutor e eu estava querendo deixar ela com medo, mas assim, era brincadeira, eu não quero ter esse tipo de relação unissex (?). PÁRA TUDO! [2]. ELA CHAMOU MINHA SANTA BISAVÓ DE VADIA?

- Não tanto quanto a sua. – disse eu e sai do carro fechando a porta na mão dela e fazendo ela urrar de dor (?). Nossa, eu estou realmente má. Te mete garota! Ninguém mandou ela pegar carona com meu primo, o destino dela estava pré-destinado (?). Eu realmente queria que o Sirius visse ela nessas situações. Ou não, talvez ele quisesse me bater por bater na namorada dele, e aqueles músculos realmente me fariam perder o controle, literalmente, em todos os sentidos.

- Eu não sei o que fazer com você. Sério, você precisa se tratar. . – disse meu primo enquanto abria o porta-malas e tirava os cacarecos de lá de dentro. DESCONTROLADA É A BISAVÓ! Eu realmente devo estar com um extinto assassino hoje. Você acha? Eu não. [/ironia] Da última vez que ele me chamou de descontrolada o carro dele quebrou, espera pra ver ele ficar aleijado. Não tá faltando muito.

- Ah, me erra Denis. Veja pelo lado positivo: você já pode ficar sozinha com a Angel. Faça bom proveito dela. Sei lá, porque vocês não vão passear no hospital? Ela realmente precisa de atendimento.- disse eu enquanto me dirigia pra parte da frente do carro. – Tchau Angel. – disse eu acenando pra ela do lado de fora.

- Pêra aí! Essa aí não é a casa do James, amigo do Sirius? O que você vai fazer aí? – FUDEU! FUDEU! Não sei se vocês já perceberam, mas sem sempre quem fica com a pior parte da história sou eu *o* A autora realmente me ama. Tá legal, eu preciso arranjar uma desculpa. Vamos abrir o caderninho de desculpas:

1. Fingir que não é comigo.
2. Cuspir na cara dela.
3. Cortar ela em pedacinhos.
4. Nem te conto.
5. Nenhuma das alternativas acima.

Unidunetêsalamêminguê. Eu acho que fico com a cinco, é a mais sensata no momento, já que mais tarde meus capangas vão bater nela. Eu não faço trabalho sujo, isso é trabalho pra faxineira. Sem preconceitos, mas eu não sei limpar fogão. Só me interessa a parte de bater o prato e falar: “Eu quero comer.”

- Essa não é a casa desse abestado, você não me viu aqui e eu não me chamo Emmeline Vance.- disse eu tentando fazer um jogo psicológico de tabuleiro e indo até a porta da casa do James. A última coisa que eu ouvi foi o carro bater na esquina [/mentira]. Foi o grito da Angel no ouvido do meu primo, obrigada. Não se esqueçam, Denis foi bom te conhecer (Y). EU faço seu texto de óbito.

UAU.UAU².UAU³. Que puta casa. Eu acho que só a garagem da casa dele deve ser a minha inteira, incluindo a sala floral e o jardim carpido. PAI, EU QUERO A CASA DO JAMES! Estou pensando seriamente em dar o golpe do baú. Ela e linda: é toda branca, tem um puta de um jardim muito bem cuidado, três sacadas no andar de cima, aonde supostamente deve ser aonde se dorme, três janelas intercalando as sacadas e n andar de baixo duas janelas enormes com uma porta de madeira desenhada e uma maçaneta dourada. To com medo de quebrar as coisas aí dentro e ele me fazer lavar pratos pra pagar. Sério, e acho que errei de casa.

Era só o que me faltava, ter visto essa coisa e ser a casa errada. Tomara que não seja a do lado. Eu realmente não entro naquela coisa nem que o Dougie esteja lá dentro. Pensemos na hipótese. Deixa eu conferir. Um minuto de silêncio pra eu pensar por favor, já disse que não funciono sob pressão. Tá legal, é a casa dele. Bem que ele disse que a garagem era imensa.
Aonde fica a campainha? õ.o Eu realmente nunca entendi porque casa de rico tem aqueles bagulho pendurado na porta que você bate, ao invés de campainha. Campainha é algo tão... abusivo. Tratei de meter a mão na argolinha pendurada. Que povo lerdo! TÁ PESADO AQUI SABIA IRMÃO?

- Emy? – perguntou o Duda ao abrir a porta e logo depois aparecendo o James, o Sirius e como não podia deixar de ser, a Marlene. Que folgado, a casa é do James e ele que abre a porta. É o anfitrião que dá as boas-vindas. Aprendi isso na propagando do Ferreiro Rocher. – O que que você tá fazendo aqui?

COMO ASSIM O QUE EU TO FAZENDO AQUI? É muito bom saber que eu não faço parte da banda sabia? Simplesmente depois de tudo que eu passei me perguntam o que eu to fazendo aqui. Eu realmente vou bombardear essa casa. Bin Laden, fazendo o favor!

- Como assim? São 3 horas. Não foi esse o combinado? – disse eu enquanto jogava o áudio no pé no Duda e o menino caia no chão. Mais um pra lista de aleijados.

- Emy, são 2 horas do tarde. – disse o James enquanto mostrava aquele relógio dele. Ele tá gostoso, e o Sirius também. Os dois tão de calça jeans. O James tá com uma camiseta da Lacoste e o Sirius com uma da Crawford Chace Crawford é gay. Se ele não queria me ver não precisa mentir o horário, era só falar, eu só ia xingar e bater nele, mais isso é detalhe.

- Não são não, olha aqui. – disse eu olhando meu celular. TÁ LEGAL! SÃO DUAS HORAS DA TARDE! QUEM MEXEU NESSA PORRA? – Tá legal, quem fez isso? Marlene, eu te mato sua vaca. – disse eu e aí a Lene começou a rir que nem uma nerd da minha cara. Eu não sei o que ela tava fazendo com três meninos em uma casa. Sozinhos.

- Eu não fiz nada. Cala a boca e entra. Aposto que ‘cê nem almoçou. – disse ela enquanto lambia uma colher de sorvete daquela marca estranha. Será que tá tão óbvio que eu não comi? Alguém sabe alguma clínica que cuide de barulhos do estômago (?).

- A gente ouviu você gritando. – disse o Sirius provavelmente achando que eu tava sendo estrupada. Nem te conto, tava metendo a mão na cara da sua namorada, digamos assim.

- Senta que lá vem história. – disse eu entrando com o áudio na casa do James. – Mas primeiro, deixa eu em afogar num copinho de Coca-cola.

Image Hosted by ImageShack.us


Narrado por: Dorcas Meadowes.
Humor: oi mãe, tô dopada (?).
Pensando em: BgBand.


- Time is waiting, we only got 4 minutes to save the world. No hesitating.Grab a boy.Grab a girl.Time is waiting.We only got 4 minutes to save the world.No hesitating.We only got 4 minutes, 4 minutes. - cante eu pela rua enquanto olhava para os lados tentando identificar qual das casas da esquina seria a minha (?) e tentando fugir do Maníaco do Parque que persegue minha mente nada má.

Fala sério, maldita hora que a Emy resolveu quase aleijar o primo dela. Se não fosse essa criatura tentar estrupar o Denis, há essa hora eu podia estar trancada no banheiro secando meu cabelo pra ir dar um role com meu cachorro e encontrando um gatinho por aí, ou então, falando com o Remus no MSN, fica a dica. EU TENHO O MSN DELE, VOCÊ NÃO! Morra de inveja sua pindaíba. Eu ainda não consigo entender porquê o Word insiste em que eu coloque msn em letras garrafais. Isso é perda de tempo, e eu realmente tenho muito o que fazer, como alimentar meu peixe (?).

Mãe, fazendo o favor de comprar uma casa com piscina, ar-condicionado refrigerante, uma cama de casal só pra mim ou não, com uma banheira de hidromassagem de cinco litros de chocolate e muita, muita cerveja. Tá legal, eu preciso começar a me conformar com a minha condição de pobre desigual. Eu sou tão igual quanto a qualquer pessoa digna e indigna (?) de favela. Esse mundo não é justo, até as árvores sofrem com ele, veja por esse lado. Um bando de canibais cortam suas almas e as prontificam em fogueiras pra comer gente (?). IMAGINA O PSICOLÓGICO DELAS COMO É! Elas vêem esse tipo de cena todos os dias.

E você se pergunta, e a Dorcas? O que ela têm haver com a árvore da Floresta do Xingu. Nada :’) A única coisa que me solidifica e me deprime é que eu tenho um tio cara-de-pau, pão-duro e desqualificado rico e que viaja por toda esse mundo vasto e quadrado e não me traz nem ao menos um floco de neve. Ah gente, eu queria tanto um floco de neve, eu ia guardar ele pra sempre, afinal, ele não derrete dentro de vasilhas (?). Mas, analisemos os fatos: eu preciso convencer essa gentalha de ouvir a banda-não-indentificada do Duda e isso não é bolinho de arroz, já que ele é solteiro, chato e pé-rapado.

[ Início de humilhação pela minha consciência] CRISTALINA DORCAS! Você precisa arranjar o nome da banda, porque o que você fez até agora de mais útil foi alimentar seu peixe azul cor de marfim (?) e se entupir de Nutella com pão, usando isso de pretexto pra comer mais do que aquela mulher da novela brasileira que estourou. Perguntem aos pais de vocês, Dorcas não é bom exemplo. Ela nasceu pra ensinar os outros a comerem mais do que a necessidade e enfiarem sua cabeça na areia da praia. [ Fim da humilhação pela minha consciência.]

Só pra constatar, late que eu tô passando, ou te fode. Você realmente me ajudou muito. Talvez esse meu subconsciente seja o motivo da minha angústia e luta com a balança do banheiro da minha casa. Tá legal, Dorcas, reflita. Você tem uma hora pra chegar na sua casa, seu cafofo, seu aconchego (?), falar com seu tio mala e criar um nome digno de anúncio de TV.

DEUS, OLHA PRA MIM UMA VEZ. Respirem, não será uma banda Gospel, eu só tô pedindo uma ajudinha aos céus porque eu não acordei iluminada hoje. Olhe os passarinhos no fio elétricos prestes a serem eletrocutados, o nome a banda podia ser The BirdBand. Tá legal, isso pode ter um duplo significado e podem pensar que se trata de outro passarinho. Não rolou. Olhemos as flores, elas realmente estão precisando de água. Pra quê o governo contrata tanta gente pra limpar a rua se nem metade consegue tirar os chicletes que ficam na porta da minha casa e grudam de manhã no meu sapato? A banda podia ser The ElizabethQueenBand. Ou não. Definitivamente não, afinal , nem o príncipe Charles eu iria conhecer.

Eu cheguei a uma conclusão, o que é o suficiente pra um dia todo. EU NÃO SEI PENSAR DE BARRIGA VAZIA. Tudo bem, eu já tinha chego a essa conclusão, eu so não tive coragem de explicitá-la (?). Eu preciso de um prato de macarrão e quero me lambuzar igual a menininha da propaganda, fica a dica. Alguém sabe como faz? Realmente aquele propaganda é nojenta, desculpa, mas meu pai não come assim. Ou não comia, eu não sei ao certo se eu ainda posso chamar ele de pai ou não. Mas deixa pra lá, eu no momento preciso arrancar meu pescoço e pendura-lo em praça pública.

CADÊ A PORRA DA CHAVE? Eu preciso de um GPS. De fato, eu não sei se um GPS cabe na minha chave, mas eu diria que uma chave cabe no meu GPS (?). Na verdade eu quero um chaveiro bem gostoso que saiba fazer chaves ou então... alguma coisa. É a terceira chave que eu perco no mês. Eu estou começando a pensar na possibilidade de um maníaco me seguir e invadir minha casa com uma facão daqueles de cortar carne e u só ser encontrada uma semana depois, quando resolverem limpar a casa já que ninguém ligaria para uma canibal Dorcas.

Eu não sei aonde se localiza a campainha da minha casa, fica a dica. Não, eu não me mudei faz uma semana, na verdade eu me mudei pra cá desde que eu sai do aperto que era a barriga da minha mãe. Pra mim bebês são óvnis, todos nós somos se você quer saber. A única diferença é que ao invés de sermos verde, nós somos castanhos, loiros e ruivos (?). Isso foi uma hipótese, não sigam em vão (?). Alguém tá precisando carpir essa grama que incide no chão da minha casa. Não, não é que cresce grama dentro da minha casa, mas cresce grama no quintal da frente dela (?). Na frente da minha casa tem uma árvore, então toda vez que eu fico estressada eu saio pelada (?) e abraço ela. Tirando a pare do pelada, a outra parte realmente se inclui na minha rotina rotineira de todos os dias (?).

Toc-toc-toc. Pra quem não sabe distinguir onomatopéias eu respondo pra você querido amigo de fé, meu irmão camarada (8). Eu bati esmurrei a porta de minha casa, e eu juro solenemente que se a minha mãe não estiver em casa eu vou dar queixa na polícia por transtorno alimentar (?). Eu poderia pular a janela, mas eu acho que eu sou obesa e não passo e eu não quero que o jornaleiro me veja entalada com a bunda de fora quando passar aqui.

- Dorcas ... PORRA O QUE É ISSO? – tá legal, eu acho que eu preciso ir ao oculista ou sei lá quem é o cara que cuida dos olhos e suas entradas laterais (?). Eu realmente não sei usar minhas mãos ao meu favor. É que assim é uma história triste, eu acabei de meter a mão na cara do meu tio achando que tava batendo na porta. Não deve ter doído, ao julgar pelo estado dele estatelado no chão e com a mão no rosto [/ironia].

- O que tá... DORCAS EU JÁ DISSE PRA VOCÊ ABRAÇAR A ÁRVORE EM MOMENTOS DE REVOLTA! – disse berrou minha mãe enquanto ajudava meu tio a levantar do assoalho de madeira que assola minha casa (?). Tá legal, minha casa não é feita de piso gelado frio, porque a gente não teve dinheiro pra colocar esse piso. Mas é melhor assim, piso gelado dá 57% mais resfriado e asma. Sua asmática, morra.

- Eu não tive culpa, eu confundi ele com a porta. – tá legal, eu quero um advogado aqui. TÃO ME ESTRUPAR! Minha mãe vai querer me bater, eu tenho total certeza disso. Imagina como eu vou pra escola cheia de coisas roxas na cara e com a bunda quebrada. Mamãe, me acuda. Pêra aí, é minha mãe que quer me bater, como eu posso pedir pra ela me acudir? Eu preciso de um plano de saúde, porque além de falta de coordenação, sim eu tenho mão-boba e nem te conto onde eu enfio ela, eu tenho daltonismo. Eu nem sei diferenciar uma porta de um ser humano, fica a dica. FALA SÉRIO, EU SOU BURRA FEITO PORTA. Imagina quantas madeiras foram gastas pra fazer essa porta. Hein, e você aí analisando a minha porta.

- Como quem você anda andando? Com o Mike Tayson? – perguntou meu tio enquanto se recompunha do incidente e ia andando até a cozinha. DÁ LICENÇA QUE A CASA É MINHA? Eu entro na cozinha primeiro cabeção. GENTE, PÁRA TUDO! Isso significa que eu vou ter que esperar ele se servir pra eu poder comer. Eu tenho fome sabia, meu estômago não tá mais roncando, ele tá cantando rock’n roll. MÃE, EU QUERO COMER!

- Não sei, de fato (?). Mãe, eu tô com fome e tenho que sair daqui meia hora. – agora chega parte do sermão. Eu dou 7 segundos pra ela sugar a informação pelo ouvido, ou pelo nariz, afinal as pessoas sugam coisas pelo nariz, o ar é sugado pelo nariz (?) e começar a me dar um sermão, falando que eu estou me drogando e que vou ter o mesmo fim da Britney Spears. Tá legal, não é bom você ter um fim da Britney. Se bem que namorar o Justin e ter gazilhões de dólares na conta são um bom jeito de ganhar a vida (?).

- Como assim, você mal chegou em casa e já vai sair? Eu não te pus no mundo pra você vir pra casa encher a pança e sair queimando calorias e se drogando por aí. Você foi muito grande pra sair tá legal? – PÁRA TUDO! MINHA MÃE ME CHAMOU DE BEBÊ OBESO COM GRANDE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL! Ela tá querendo dizer que eu dei trabalho pra ela desde que eu nasci? Tá legal, eu não tenho culpa que o óvulo, feto ou óvni apelidado pelo nome de Dorcas resolveu nascer com mais tamanho do que deveria e quase acabou com ela. Enfim, foi culpa dela eu te nascido gorda, ela comeu coxinha demais da gravidez. Talvez por isso eu tenha nascido com cara de esfiha de pizza.

- Eu não tô me drogando. Talvez eu esteja, quando eu deixo partículas de Coca-Cola entrar no meu bronzeado e sexy corpinho. – disse eu enquanto jogava a mala no sofá e ia até a cozinha. Cheguei no piso gelado. Ui, que refrescante. Isso tá parecendo quando a gente tá assim, tostando no sol, e ai vem um filho-da-puta cara e te joga um balde de água fria ou então te cata e te joga no mar. Eu queria que alguém me catasse e jogasse no mar, porque tá realmente calor hoje. O bagulho tá esquentando.

- Dorcas, fazendo favor de lavar as mãos. Eu sinceramente não sei aonde você pegou. E depois leva sua mochila pro quarto. – nem te conto aonde eu peguei mãe. Talvez eu tenha pego em um daqueles canos de dançarina e tenha virado uma chacrete. GENTE, QUEM VIU O ESPECIAL DO CHACRINHA? O Abelardo alguma coisa que eu não lembro. Eu chorei gente, sério. Eu nunca contei, mas eu sempre tive uma queda por ele, aquele chapéu era muito sexy. Quem dera que os garotos de hoje em dia usassem aqueles chapéus.

Mãe eu quero um elevador com 16 andares aqui em casa, favor mandar o papai comprar. Se meu pai tem que comprar as coisas da minha necessidade eu preciso incluir na lista um elevador. Sim, isso faz parte da minha necessidade, na verdade, das minhas pernas, porém, minhas pernas ficam localizadas no meu fêmur (?) que ficam ligados na minha bacia e um osso que o médico disse que ia me deixar paralítica (?). Minha sanidade corporal é comprometida, fato. A Lily sempre diz que eu nasci com o pé na cova. Eu acho que meu pai deve ser falido, há essa altura do campeonato, já que minha pensão alimentícia não é barata. Imagina ele pagar tudo que eu como? Eu acho que ele já deve estar falido e ninguém quer me contar pra eu não me sentir obesa e me juntar ao Fat Family.

PÁRA TUDO E CHAMA O GUINCHO! CADÊ O MEU QUARTO? Socorro, minha mãe tá grávida de um homem que eu não sei, não conheço, e muito menos tenho noção se é um marginal Tietê ou não, e o suposto feto é um óvni que está sugando todos os meus bens, inclusive minhas roupas. Minha mãe entrou pro movimento hippie e resolveu jogar todas as nossas roupas e/ou doa-las pra um bando de cachaceiros enquanto nós andaremos pelados e jejuaremos 46 horas por dias, nos alimentando de luz (?). Minha mãe processou o Bill Gates e tirou todos os computadores do mundo e por isso eu irei herdar a Microsoft. Meu irmão é filho do Bill Gates e óbvio, da minha mãe. MEU QUARTO NÃO É MAIS MEU QUARTO! Quer dizer, ele continua branco e com paredes, e também tem um piso, mas minhas coisas sumiram.

Desci as escadas desesperadamente, tropecei no degrau, cai e dei com os dentes no chão e começou a sangrar e adentrei no recinto chamado de cozinha, aonde as pessoas comem suas misturebas e depois saem em direção ao banheiro (?) para eliminá-las.

- Mãe, eu concordo com você virar hippie, mas você não pode me privar de assistir Gossip Girl e muito menos tirar minhas roupas do guarda-roupa me obrigando a andar nua pela casa. Isso é ataque ao pudor. – disse eu enquanto me servia desesperadamente de uma fatia de bolo antes do almoço. EU SOU ESTRANHA, NÃO ME PERGUNTE O PORQUÊ.

Quando eu fico estressada eu logo quero enfiar alguma coisa na boca, principalmente que seja comível (?). Tá legal, eu não saio enfiando qualquer coisa na boca como você tá pensando, mas talvez uma chupeta caísse bem nos meus dentes.

- Ela não virou hippie Dorcas. – disse meu tio. Cala-se, assim você me deixa louca. E detalhe, eu não te perguntei nada. Você se pergunta porque esse meu ódio por ele é tão... abusivo (?). Eu não gosto dele, não gosto mesmo. Se eu tenho problemas mentais hoje a culpa é dele, não é nem de minha mãe que fez esforço pra me parir.

Ele deu com a minha cabeça na soleira da porta quando eu era criança e ai fez um barulho igual àqueles que a gente resolve encarnar o Harry Judd e começa a batucar em tudo quanto é coisa oca. E pior, depois disso nem pra me levarem no hospital. Repito, desde aquela época eu já precisava de plano de saúde e ninguém se atentou ao fato.

- Tá legal, mãe. Eu sei que seu salário também não dá pra muito, mas assim, não é virando sacoleira e vendendo tudo na nossa casa que a gente vai sair da merda. Desse jeito nossa cabeça só vai ser engolida por ela. Eu não quero comer no chão. – disse eu de boca cheia enquanto me servia de lombo ao molho môo shu.

Tá vendo, é culpa da mulher que me pôs no mundo que eu sou gorda, ela cozinha bem. Eu tô achando que fui trocada na maternidade, era pra u ter nascido raquítica. Talvez na outra encarnação eu tenha sido uma criança africana que comeu melancia com os McGuys, e por isso eu sinto obsessão por comida 

- Dorcas têm gente passando fome, pára de falar besteira. O quarto seu vai ser o do seu tio próximas duas semanas. - CRÉEEEEEEEC. Pra quem não sabe distinguir onomatopéias eu traduzo [2] : deixei o prato com lombo cair no chão. Vou ter que comer feito índios canibais que cortam madeira e fazem fogueira, no chão.

Mas, cristalinizando: o sujeito, que me deu uma porrada na cabeça, que viaja pra 20 países diferentes no mês, come coisas que eu nunca vi na vida, isso inclui pessoas do sexo oposto, que eu tenho que chamar de tio, se apossa da minha cama e do meu quarto laranja sendo que ele podia ficar no hotel mais caro de Londres? Eu não sou egoísta, só não quero que tire o cheiro de baba do meu travesseiro.

PÁRA TUDO! Por que ele pegou minhas roupas? Temos duas alternativas. Ou ele é um tarado que quer abusar sexualmente de mim e pegou minhas roupas pra fazer você sabe o quê você sabe onde, ou então, não melhor do que isso, ele é travesti e vai sair à noite com s minhas roupas da Victoria’s. Tá legal, eu prefiro continuar doando roupa aos pobres toda vez que uma delas furar e ficar arregaçada.

- Dorcas, você anda se drogando? Sério. Seu estado tá ficando preocupante, você pode estar com crise de abstinência. – disse meu tio enquanto colocava suco no seu copo e deixava cair metade dele pra fora bebia calmamente.

Problemas de coordenação são genéticos, eu acabei de descobrir isso. Porém eu acho que não quero ficar igual o meu tio, principalmente em relação à barba. Depois sou eu que estou sofrendo de crise de abstinência. Olha com quem minha quer que eu viva, com um drogado que eu não sei se é drogado, mas tem cara de drogado (?). E se toma anfetamina? Tá legal, ele deve preparar coquetéis.

- Não. Deixa eu falar uma coisa, sério agora. – disse eu enquanto pensava seriamente em tacar fogos nos meus cabelos e sair pela janela me jogando na piscina. Eu preciso pedir pro meu tio dar uma chance pra banda-não-identificada-do-Duda. Isso vai rasgar meu coração, mas eu preciso me livrar desse sentimento que me corrompe a alma (?). Uau, eu preciso anotar essas frases num papel, não é sempre que eu acordo com toda essa disposição de Pitágoras. Sempre alguma coisa caga meu raciocínio, em breve chegaremos ao fundo do poço, fica a dica.

- Tá bom. Estamos todos com os ouvidos desentupidos (?). – HÁ! Que senso de humor mais... abusivo (?). Panaca, tô morrendo de rir. Alguém riu? Eu não ri, obrigada. Tá se achando só porque tu catou o meu quarto e o meu CD dos Beatles que eu tinha comprado na liquidação do shopping como um presente pra mim por conseguir não ficar de recuperação em geometria. Palhaço, estúpido, tartaruguitas.

- Tio, o senhor daria uma chance pra um banda que tá começando assim, mas bem no início mesmo pra patrocinar? - perguntei eu enquanto enfiava uma garfada de macarrão na boca. Talvez ele não tenha entendido e concorde achando que é qualquer merda que eu tô falando. Ou talvez ele tenha entendido e tá prestes e dar com a jarra de suco de melão na minha cabeça até eu pedir desculpas por insultar seu grande império de Gravadora New Song.

- Talvez, se a banda fosse realmente boa sim. – OH MY GOD! OH MY GOD! DEUS EU TE AMO, O SENHOR É HOT (?). Desculpa, mas o acúmulo de tensões me faz ficar com a pá virada. Dorcas, reflita. Você não sabe se os garotos são realmente bons, quer dizer, no sentido físico da palavra eles são realmente mito bons, são de comer rezando, mas eu acho que meu tio não é interessado nesse tipo de criatura, então vamos ao quesito talento.

Se eles forem realmente bons, PIMBA!, um ponto a mais pra gente. Tá legal, eu preciso do nome agora. NÃO EXISTE BANDA SEM NOME, CRISTALINA DORCAS! Que cara você vai chegar pro James e falar: ‘ Oi, não tenho o nome, beijos.’

- Mas pra quê isso Dorcas? – perguntou minha mãe enquanto lavava a louça remanescente dos meus restos de comida (?). Enojei agora. Eu não gosto de lavar louça, a comida vira uma gosma, e tudo bem que vai ficar igualzinho no meu estômago, mas estômago é estômago e minhas unhas que eu paguei pra fazer são minhas unhas que eu paguei pra fazer (?). Realmente brilhante.

- Logo, eu espero, vocês vão saber. Mãe tô indo. Qualquer coisa celular, ou rua de baixo. – disse eu enquanto dava um beijo nos dois e batia porta antes que me prendessem feito um boi, na mesa de jantar e me amordaçassem (?). meu celular é tão lindo *-* Minha mãe comprou um pra mim quando o meu caiu na privada quando eu fui fazer minhas necessidades fisiológicas. Foi sem querer, eu tava morrendo de pressa porque eu tinha que atender o telefone e a Emy tava começando a me ameaçar de quebrar meus dentes e ai, ploft, ele caiu feito cocô.

Sim, o James mora na rua de baixo da minha casa, a gente é vizinho, paralelamente falando (?). Ele mora numa casa que toda vez que eu passava eu babava e minha mãe tinha que me impedir de destruir o jardim. Não que eu seja uma vândala sabe? Mas eu ficava revoltada, porque eu não podia morar naquela casa, sendo que a minha é cinco vezes menor, e o quarto dele é do tamanho da minha sala.

Mas, voltando ao raciocínio lógico/fisiológico (?), eu não consigo pensar em um nome pra banda. Eu sempre tive muita inspiração, mas é sempre assim amigos, eu sempre acabo chegando ao fundo de poço e me tornando companheira da Britney Spears. A autora deve realmente odiar e/ou amar a Britney, porque ela vive escrevendo o nome dela e tudo quanto é linha. No final da história, vejamos quantos Britney’s ela escreveu.

Tá legal, acabou de passar um carro de pobres, desleixados e subdesenvolvidos me chamando de gostosa. Eu não gosto disso. Quer dizer eu até gostaria de levar uma cantada, mas teria que ser de alguém que pelo menos pudesse me pagar uma pipoca em chamasse de bonita, e não prestasse só atenção no meu corpo. Não tô a fim de ser largada quando a Lei da Gravidade começar a funcionar no meu metabolismo (?). Um dia tudo caí.

CADÊ A CAMPAINHA? Eu devia ser alguém que vivia tocando a campainha dos outros na outra encarnação e depois saía correndo, até o dia em que eu levei um choque e morri, porque sinceramente, eu nunca consigo achar campainha na casa de ninguém, você são provas vivas. Nem a da minha casa eu achei. Ou talvez a autora goste de me fazer de palhaça. [ N/A: Dorcas está revoltada, acudam õ/ ]. Nossa, que coisa chique, a casa do James tem aquelas argolinhas que você bate até quebrar seus dedos, já que a casa é imensa e ninguém ouve. Será que se eu arrombar a porta alguém percebe? Eu acho que eles nem têm câmera de segurança [/ironia].

- Dorcas! – não, a porta James. Não tá vendo não. Que vergonha, tá todo mundo aí. Ou seja, eu vou ter que anunciar pro mundo que eu não achei um nome descente e aí eu vou ser expulsa da casa do James e o regador de jardim vai ser ligado e eu vou ficar encharcada, igual naqueles filmes em que os namorados proibidos tentam entrar no quarto das namoradas pra fazer você sabe o quê e ai isso acontece e acaba com o tesão clima.

- Hi Jay! Tudo bom? – perguntei eu enquanto adentrava no recinto e realizava meu sonho de consumo ao pisar no chão brilhante daquela casa gigante que eu queria pra mim desde que eu passei aqui pela primeira vez (?). Ele tem piso gelado, ou seja, ele tem asma. Coitada, a Lily vai ter que passar noites dando bombinha e passando oxigênio pra ele quando eles casarem, fica a dica. Meu, que casa é essa (?). Eles devem ter faxineira [ N/B: não, jura ? õ.o], porque limpar uma casa dessa é igual tentar tirar toda a sujeira que se acumula em Nápoles, as vezes, na Itália. Não, na Romênia sua anta.

- Tudo. Vem cá, tá todo mundo na garagem, a gente tava te esperando atrasilda. – não vou cá nem lá. Vai que ele quer abusar sexualmente de mim ali no cantinho. Essa casa pode não ter câmera de segurança, assim como meu cérebro de rato pensou (?).

Adentrei na garagem e vi um vuco-vuco geral (?). O Remus tava na bateria, tocando bem baixinho, o Sirius tava agachado com metade daquela bunda coberta com cueca de fora conectando as guitarras, o Duda tava sentado tocando baixo bem baixo (?) com uma garrafa de alguma coisa bebível na mão, a Emy tava chutando o áudio, porque supostamente não conseguia conectar ele na parede, a Lily tava arrumando os microfones, na verdade parecia mais uma dança erótica quando ela forçava eles no suporte e a Lene tava segurando o violão da Madonna. Isso aqui tá realmente uma big bagunça. Olhei pros garotos, olhei pras garotas e entrei em coma (?).

PÁRA TUDO! A LUZA LARANJA DESCEU AQUI Talvez seja uma grande besteira isso que eu vou dizer, ou talvez seja o futuro de uma mente brilhante brotando aqui bródi (?). A idéia nasceu com 3,800 gramas e com 45 cm de altura. Foi difícil, mas eu pari e ela não foi para emcubadeira (?). BigBand é extremamente clichê, concordam? Fora, que parece Big Bang e ninguém aqui tá querendo ser equiparado ao sino do Big Bang, porque aquilo lá ralmente atordoa, apesar de ser bonito e ter uma vista de doer os olhos e cortar o flash (?). Tudo aqui tá uma big zona, boys and girls por toda a parte. Nada melhor do que juntar garotos e garotas com uma grande energia e idéias a dar com pau (?) num nome. BgBand. That is, nada de The na frente, afinal todas as bandas do UK acabam por ter esse prefixo, e isso atrapalha pra falar, porque ninguém acaba falando. FALEI!

É sempre, The Beatles, The Queens, The Beach Boys, The a puta que pariu. FALA SÉRIO, EU SOU UM ARRASO! (H) Eu tenho a força, queridos irmãos de guerra e de paz. Eu tive um momento de inteligência precoce, me perdoem réles mortais, eu criei o nome BgBand.

- DOOOOORK’S! – gritou a Lene e me agarrou eroticamente me fazendo cair com ela em cima de mim. Espero que nenhuma criatura que a Deus-ou-não pertença, esteja filmando isso. Enfim, eu não quero ser motivo de chacota nas pegadinhas do Faustão, porque isso é fim de carreira, e digamos, que meu lado artístico está aflorando feito um gay em ebulição (?).

- TÁ LEGAL! EU QUERO MINHA MÃE! – disse eu enquanto estendia o braço esperando que alguma alma boa e caridosa, que dê pra todo mundo me ajudasse. Isso aqui tá virando um putaria. Eu vim aqui pra ensaiar e não ficar sendo amassada feito uma leguminosa que vai virar um yakissoba.

- Tá legal, não tem sua mãe, mas tem eu. – disse o Remus enquanto me ajudava a levantar. AGORA ELE DESOBRIU MINHA OBESIDADE SECRETA! São nesses casos de puxão do chão que as pessoas acabam descobrindo que você é gorda. Por isso, siga meu conselho, e nunca deixe um cara gostoso e que você quer comer puxar você do chão, ele vai descobrir o quão elefanta você é.

- Muito obrigada, um dia você ainda vai ganhar na mega-sena, tenha fé. – disse eu enquanto dava três tapinhas no ombro musculoso e gostoso do Remus e me posicionava ao lado do James, afinal ele é muralha de grande, e se alguém quiser me estrupar vai ter que destruir o muro de Berlim de novo e começar uma rebelião farroupilha (?).

- Tá legal, quando esse ensaio vai começar? – disse a Emy sentada no puff que afundava cada vez mais. Alguém já disse, ou talvez o super-cérebro de vocês tenha percebido que a Emy é tarada-maníaca-obsessiva por puff’s. Quem sabe na outra encarnação ela era tão pobre que não tinha nem onde sentar, é uma hipóteses.

- A gente tava esperando a Dorcas chegar, dãr. – disse o Sirius enquanto ameaça um corneto pra Emy (?). A intimidade está ao clímax aqui, eu percebi isso. Enfim, nós vamos fazer uma banda, a gente tem que ter intimidade suficiente. Eu acho, vocês acham? Minha mãe acha.

SOCORRO! A PORTA DA GARAGEM ABRIU SOZINHA! Vão me comer, eu vou ser assassinada na garagem do meu vizinho paralelo e ai o assassino vai me estrupar e eu não vou poder pausar a cena, que nem nessas novas televisões que são um luxo. Eu realmente gosto de dramatizar as coisas e colocar um estrupo no meio, obrigada. Mamãe, me acuda.

- Oi Jamie. Nossa, quanta coisa e quanta gente. – disse uma menininha morena de olhos verdes que deve ser filha do James (?), ou talvez prima, ou ainda irmã. Eu acho que seria irmã, afinal, ela é a cara dele. Ou não, talvez meu daltonismo tá me atrapalhando. – Elas são suas namoradas (?).

- Ui, James pegador. Pega quatro de uma vez só. – HIDOASHOIDASHOSDIAHSDIOAHOAISDHOASDIHDIOASHODIASHI, disse o Duda enquanto dava um acorde no baixo (?). Gente, tudo bem que o James é gostoso e tal, mas assim, pegar quatro de uma só vez é estranho. Eu só sei que eu caguei de rir.

- Gente, essa aqui é minha irmã, Brity. Não elas não são minhas namoradas, dãr. – disse o James enquanto dava um leve pelada que deve ter arrancado a cabeça da menina e o que eu vejo, supostamente, seria um vulto. EU SABIA QUE A AUTORA IA ENFIAR BRITNEY AQUI! Eu sabia que um dia uma Britney apareceria na história.

- Oi, Brity. Se vai assistir nosso ensaio? – perguntou a Lily enquanto tentava parecer normal e demonstrar que seria uma boa mãe, caso o James quisesse casar com ela e ter filhos. REALIZA! Você tem apenas 15 anos, besta.

- Posso Jamie? – perguntou a Bruty enquanto puxava a calça do irmão dela. Isso mesmo, puxa mais, ainda nem apareceu a cueca. Deus, obrigada por trazer essa menina. Ela é prodígio, tem o quê? Sete anos de idade é já sabe que o irmão dela é tripegável.

- Pode, mas fica sentada e não fala. Dorcas, você conseguiu o nome pra banda? – disse o James enquanto me encarava ferozmente. Eu tô com medo, e se eles não gostarem do nome e me matarem na garagem? Imagina como a Brity ia ficar traumatizada. Caralho, é pra pensar em mim.

- Foi assim: logo que eu entrei aqui eu percebi uma grande e bitelosa bagunça. Vocês pareciam completamente perdidos. Eram você garotos pra todo lado, e vocês garotas pra outro. Eu resolvi juntar toda essa confusão num nome, que causasse bastante impacto, tirando o famoso The da frente. Enfim eu criei BgBand, a única banda do UK sem um THE na frente. – disse eu quanto queria abrir uma cratera ao julgar pelo olhar desses seres.

- Na verdade, McFly e Paramore também não tem. – tá legal Emmeline, você desceu 15 pontos no meu conceito, fica a dica. Eu nunca mais falo com você e vou destruir seu IPod em pedacinho tão minúsculos que seus dentes vão parecer gafanhotos em busca de comida, feito o filme da Vida de Inseto.

- Quanta vezes eu tenho que dizer pra não atrapalhar minha linha de raciocinio? O médico disse pra não contrariar. – disse eu enquanto fazia todo mundo rir. Tá legal, eu preciso saber de alguma alma caridosa que dê pra todo mundo concorda comigo ou se eu tenho que começar a sair correndo por aí com sebo nas canelas, antes que alguém me faça como teste pra atirador de facas.

- Eu gostei. É maneiro. – disse a Brity. Ótimo, uma menina que usa maria-chiquinhas, supostamente usa a roupa da mãe pra brincar quando fica sozinha e que detalhe, tem sete anos de idade, gostou da minha idéia. Fantástico, isso realmente prova que eu posso ser professora do segundo ano primário.

- Eu concordo com esse bagulho do ‘the’ se vocês querem saber. É extremamente clichê e a nossa banda não pode ser assim. BgBand pra mim lembra alguma coisa que faz barulho e que seja bem grande. – disse a Lily num dos seus devaneios e não percebendo a besteira do ’ que seja bem grande’. Ninguém ouviu nada, fica a dica.

- Eu gostei. Todo mundo fecha? – disse o Remus enquanto batia as baquetas na mão. Esse menino deve tá com verme de começar a tocar, ao julgar pelo comportamento dele. Ou talvez não, ele esteja com vontade de ir no banheiro. Remus você subiu 25 pontos no ibope da Dorcas aqui.

- Por mim tá ótimo. – disse o Sirius enquanto ia até o microfone dar uma tapa pra ver se ele tava pegando. Eles estão tarados pra tocar. Espero que eles não estejam tarados pra outro tipo de coisa. Enfim, todo mundo topou e eu virei a Elizabeth aqui. Eu governo essa monarquia de reles mortais.

- BGBAND! BGBAND! Estou até vendo a Madonna implorando por nós enquanto eu vomito no pé dela. - disse a Lene tendo um pequeno surto momentâneo e fazendo todo mundo rir com os passinhos dela no meio da garagem. Marlene McKinnon tem o dom de fazer os ouros rirem, não só verbalmente falando, mas também quando ela escreve. Eu me cago com os textos dela.

- Acabou o surto o quer mais 5 minutos? Não é porque você tem o violão da Madonna que você sair ofendendo ela por aí. – disse o Duda enquanto passava o baixo envolta do ombro e ia até o microfone, ajudar o Sirius a conectar. Eu tô ficando com medo, ou melhor, a Lene. Eu conheço ela tempo suficiente pra saber que quando ela fica com medo ela começa a inventar assunto pra não fazer o que tem que fazer.

- Lene, tô contigo. – disse a Brity enquanto fazia um okey com o dedo pra Lene e ela respondia com um igual (?). Tá legal, a Lene tá invocando a bisavó aqui e tá tentando parir a menina de novo.

- Sério agora. Que música vocês sabem tocar? – perguntou a Emy enquanto chutava a caixa de som, que eu acho que não devia tá pegando, porque o Remus acabou de dar um berro e u só ouvi a glote dele pestanejar (?). – PORQUE ESSA PORRA NÃO FUNCIONA? – a Emy descontrolou. Nota mental: pegar anfetamina do meu tio e colocar num copo pra Emy, assim ela se acalma.

- Você já tentou ligar na parede? – perguntou a Brity de longe apontando pra tomada desconectada. Emy sinto muito falar, mas uma menina de sete anos é mais inteligente que você. Falei, é fato e não adianta. QUE TIPO DE PESSOA NÃO CONECTA O CABO?

- Ãhn, não. – eu tenho a impressão que a Emy passou a gostar ainda menos de crianças. Tirem essa menina daqui, ela vai morrer.

- Hum, voltando. Bom a gente andou treinando algumas. – disse o Remus enquanto dava umas batidas na bateria (?). Eu já disse que ele tá com um tênis escrito Beatles? Ah gente, ele tá tão sexy. Ele tá com uma calça e uma camiseta e tá cheiroso pra caralho. Ou ele não tinha tomada banho aquele dia da festa ou ele não passou perfume. Eu confio na opção dois (?).

- O tipo de música que a gente quer fazer não é só falar de sentimentos, mas principalmente transmitir entende? Sem aquele monotonia e nada emo, pelo amor de Deus. Ninguém quer borrar a maquiagem (?). – disse o Duda enquanto falava no microfone e milagrosamente começou a pegar ensurdecia todo mundo.

- Tá legal, então nós da parte de escrever as músicas temos que fazer músicas assim? – perguntou a Lily. Não, vamos fazer músicas assado (?).

- Exatamente. Outra coisa, o tipo de som vai ser parecido com Paramore e essas bandas. Em base, McFly também seria bom. Beleza pra vocês? – disse o James olhando pra gente. Imagina que eu não ficaria com tesão de ouvir minha banda tocar acusticamente Transylvania. Eu preciso de contrato pra tocar as músicas (?). Judd, estou indo pegar sua assinatura e algo mais.

- Jamie, McFly é o que há. Outra coisa [2] : meu tio disse que daria chance pra um banda de início se ela fosse realmente boa. Vocês são realmente bons? – disse eu enquanto batia na bochecha do dito cujo. Tomara que não tenha doído, ao julgar pelo vermelho eu diria que sim. Cadê a árvore?

- Você sabe jogar Dorcas. – disse o Sirius enquanto me mandava um piscada de olho. – A gente vai precisar treinar muito galera. Lene, tu vai cantar com a gente em algumas músicas e em outras só você canta. Quando tu não cantar a gente pra precisar da sua ajuda e da Emy pra coordenar a gente. – disse ele enquanto passava um dos braços envolta dela e ela quase desmaiava de tal perfume que exalou. Gente, eu preciso de um ventilador pra tirar esse perfume daqui ou eu vou morder cada um deles num local inapropriado.

- Sim senhor. – disse ela enquanto fazia boca de peixe no Sirius (?). HDASIOHDASIOHASDIOD. – Nada melhor do que a gente começar colocando uma base pra treinar, não? DJ Emy Vance, bota som na caixa. – completou a Lene enquanto dava um tapa na bunda da Emy de estalar metrô em dia de holocausto (?).

- Vai que é tua Emy. – disse a Lily enquanto dava um dos CD’s na mão da Emy e ela selecionava uma das músicas. Emy vai virar DJ, abandonar a gente, enfiar dinheiro no rabo e comer caviar todo dia, incluindo refeições da tarde. Fim da história.

- Hey, I'm looking up for my star girl. – cantou o Fletcher do outro lado do som (?). Essa banda vai dar o que falar, escreve o que eu tô dizendo. De preferência, com giz de cera.

_______________________________________________________


N/A: Oiii gente *-* FINALMENTE POSTADO IRMÃOS! õ/ Digamos que esse foi um dos capítulos postados mais rápidos de BgBand. Talvez isso seja explicado porque eu to de férias (?). Ou não. Enfim, eu fiz várias atualizações essa semana, porque a partir de agora as coisas ao ser mais corridas aqui. Eu vou para as Olimpíadas (?). Não. Pois é, daqui há uma semana começam minhas aulas e eu resolvi criar uma fic nova, que logo vai estar com o link no resumo da BgBand. Espero que vocês gostem tanto quanto essa. Queria agradecer aos comentários e pedir pra que vocês continuassem com eles, e se possível divulgassem a fic pra quem puder (?). Tá legal, eu tô ficando folgada demais ‘--. Queria lembrar também da promoção. Por favor, participem, garanto que vocês não irão se arrepender do personagem (?). É isso gente. Espero que vocÊs tenham gostodo, foi do fundo do meu pobre coração sem um tustão (?). :*

Diine Black


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.