FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. LEMBRANÇAS


Fic: AMOR DO PASSADO - REEDITADA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Hermione sorriu e seguiu em direção à sua casa.

Da janela da biblioteca, Harry observava Hermione voltar para casa, com uma cesta de rosas na mão, ele admitira a si mesmo que tinha sido muito grosseiro, mas não queria saber de intimidades com estranhos, ele jamais se deixaria enganar novamente... ele não passaria por tudo novamente, simplesmente por confiar demais nas pessoas.

Ele desceu rumou para a cozinha, caminhando ruidosamente sobre o chão de madeira. Luna que estava entrando pela porta dos fundos o abordou e disse:

--- Precisava ser tão indelicado com a nossa vizinha? disse ela colocando a mão na cintura.

Harry teve até vontade de rir, Luna tentando ficar brava com ele era uma das suas cenas favoritas.

-- Não quero saber de invasões em nossa casa. Não vim para este fim de mundo para poder fazer amizade com os caipiras da região.

---Hunpf!!! Caipiras, de onde você tirou esta idéia, ao que me consta seu outro vizinho, Sr. Draco se for chamado de caipira, te parte em dois. E a Srta. Granger é uma moça muito educada e muito fina.

--- Tão fina que estava toda suja de terra, roubando mudas de rosas!!! Ah me poupe Luna!!! Não quero saber de amizades, relacionamentos, e nem confraternizações com vizinhos.

--- Harry, ela só veio aqui para pegar as rosas que o Sr. O'Connor já havia dado a ela... precisava ser tão grosseiro? Meu irmão, você precisa ficar mais suave com a vida, depois te tudo que aconteceu, a sua visão da vida ficou turva... quero tanto meu irmão extrovertido de volta... por favor - dizia Luna acariciando a cabeça dele.

Ele amoleceu, pegou as mãos dela e beijou a palma das duas mãos, e olhando firmemente pra ela disse:

--- Ainda não consigo minha irmã... os cortes e as queimaduras sararam, mas as marcas daqueles 40 dias ainda não saíram da minha mente. Sinto muito.

Dizendo isto ele se encaminhou para o quarto para fazer algumas ligações.

Ficou o restante da manhã em negociações, despachou com Neville e o encarregou de ir à América do Sul fechar um negócio de uma usina de cana de açúcar.

Ele decidira parar com as viagens por um tempo, e depois de tudo que acontecera ele precisava relaxar.... as palavras de Luna haviam tocado fundo mesmo, mais que ele gostaria de admitir, mas aquele Harry extrovertido tinha ficado naquela cabana... o Harry que saíra de lá era mais forte e menos propenso a confiar nos outros...

Tentando levar estas lembranças para longe, ele decidiu descer para ver se o almoço estava pronto e também para dar um beijo de bom dia em Lucy, ele não tomara café da manhã e ela iria ralhar com ele, com certeza.

Desceu as escadarias, e rumou para a cozinha, mas antes de chegar, pela porta da frente estava entrando seu amigo Draco. Com uma calça jeans apertada, uma camisa branca aberta no peito, e um chapéu - ele parecia realmente um fazendeiro do século XVII, se não fosse pelo celular que estava na cintura, você poderia apostar que ele havia saído de uma das histórias antigas....

--- Olá meu amigo... não resisti, e não esperei seu convite, estava cavalgando por trás da propriedade e vi seu helicóptero, e como sei que ninguém o pilota a não ser você. Decidi te pagar uma visita. - disse o loiro tirando o chapéu e arrumando os cabelos para cumprimentar o amigo

Harry se adiantou, e estendeu o braço para o amigo, puxando-o para um abraço:

--- Olá meu amigo, que bom revê-lo, você está um autêntico cow-boy. Eu estava mesmo dizendo a Luna que hoje mesmo se você não aparecesse eu iria até sua propriedade para conversarmos. Vamos entrando e ver o que Lucy nos preparou para o almoço.

Draco era amigo de Harry, desde quando ele o ajudara em seus negócios uma vez. Harry o ajudar a incorporar uma firma de extração de diamantes na África do Sul, só o ajudara, pois sabia que Draco era um homem justo e que tratava bem seus empregados, e o que aquele pessoal precisava era de dignidade e um bom patrão.

Ele também o conhecia através do Sr. O'Connor, ele dizia que Draco era um menino de ouro literalmente, seus pais haviam morrido e deixado a ele uma enorme fortuna, que ele multiplicara habilmente no decorrer dos anos. A fama de Draco era de ser um patrão generoso com os empregados, mas também muito exigente. Primava pela honestidade acima de tudo. Harry gostava disso.
Draco era uma das únicas pessoas que ele podia confiar. Um dos únicos que participou ativamente na captura de seus seqüestradores, e ele tinha ficado com Luna e Neville até a captura de quase toda quadrilha.

--- Cow-boy não é Sr. Potter, quero ver se esta estadia aqui também não vai tirar este seu jeito mauricinho, sapatos italianos não combinam aqui no campo. E nem pensar em andar a cavalo vestindo uma calça Armani.

Eles se encaminharam sorrindo para a cozinha. Lá encontraram Luna e Lucy e Neville que estava fazendo um lanche rápido e ia em direção ao aeroporto. 

Draco cumprimentou a todos e ganhou um grande beijo de Lucy.

--- Ai que bom, mais um para eu alimentar... vai ficar para o almoço né querido?

Luna rapidamente respondeu, abraçando o loiro que havia se sentado:

--- Claro que vai, faz tempo que não nos vemos, e precisamos colocar o papo em dia!!

Draco carinhosamente beijou a mão de Luna e disse:

--- E aí já casou? Ou esse daí te mantém trancada na torre mais alta do castelo pra ninguém roubar a irmãzinha preciosa.

--- Não casei e não vou casar, sou feliz assim. E por falar em castelos, o nosso amigo aqui, hoje pela manhã se encontrou com nossa vizinha, a Srta. Granger e foi pra lá de grosseiro com ela.

--- Não acredito Harry, justo com a Mione? Ela é um doce de pessoa, super hospitaleira, e minha amiga também.

Harry fez uma careta

Luna não satisfeita completou:

--- A coitada veio aqui buscar umas mudas de rosas cedidas pelo Sr. O'Connor, e meu irmãozinho aqui botou ela pra correr.

--- Também não é assim Luna, ela entrou aqui sem pedir, não gosto de estranhos, sou alérgicos a eles. E não quero ninguém bisbilhotando por aqui.

--- E a Mione deixou barato sua grosseria. Pelo que conheço daquela garota, ela não deixa nada impune. Tem a língua afiada. 

Harry analisou o amigo profundamente e disse:

--- Parece que a conhece bem? O que é já andou cortejando a moça? É assim que se fala aqui no interior?

Draco sorriu, sabia que o humor de Harry havia mudado desde o seqüestro e que ele ficara um pouco mais amargo em suas observações.

--- Com a Hermione o termo correto seria cortejar sim. E o homem que conquistá-la será um homem de sorte. Ela é bela, educada, boa dona de casa e dona de uma inteligência fantástica. Difícil de se ver nos dias de hoje. E respondendo à sua pergunta, tenho com ela a mesma relação que tens com Luna, a considero uma irmã, ela foi pra mim parte essencial desde a morte do papai, e o Sr. e a Sra. Granger faziam questão de me incluir na família. Mas é só isso.

--- Então quer dizer que a Srta. Granger é pra casar? disse Harry seco

--- Isso aí, se tiver pensando em algo com ela esqueça, ela é muito arisca em matéria de relacionamentos, o último que tentou, quase saiu baleado da fazenda. Ah, e ela atira muito bem.

--- Não tenho nenhum interesse em manter relações com a Srta. Granger. Portanto não corro este perigo.

--- É uma pena, porque o lago passa bem no meio das duas propriedades, e você terá que dividi-lo com ela. E é uma pena que você esteja armado até os dentes contra ela, porque somente o lado que fica perto da propriedade dela que se é possível usar para mergulhos, então se quiser nadar vai ter que abaixar a crista.

-- Pelo que sei o lago pertence às duas propriedades, portanto não tenho que pedir permissão para nadar...

--- Harry, faça um favor ao seu amigo aqui, não a maltrate, pelo menos isso. Essa menina já sofreu mais do que devia, e ainda continua sendo uma das pessoas mais doces que conheci. Gosto muito dela, por favor.

--- Vou pensar no seu caso, é só ela manter as perninhas dela fora da minha cerca...

Depois do almoço delicioso, foram para a biblioteca tomar um café. A biblioteca da casa já estava toda ornamentada com os livros preferidos de Harry, inclusive sua nova aquisição, estava sobre a mesa, ele estava ansioso pela chegada do livro.

Draco foi até a escrivaninha e leu o título e riu intimamente, e retrucou:

--- Huhuh.... Então quer dizer que gosta de romances, o grande Magnata inglês Harry Potter se rende aos romances eróticos? Quem diria: Nefertari a Rainha Sedutora por autoria de Nihil.

Harry se dirigiu rapidamente para a escrivaninha e olhou a capa do livro, ele estava realmente ansioso por este livro. O último que havia lido tinha o poder de transportá-lo para outro mundo - seu título era - Sob o luar da Mesopotâmia - autoria de Nihil.

--- Um a zero pra você Draco, descobriu o meu mais obscuro segredo, adoro este autor, ou autora.. não sei, é de uma sutileza seus romances, e os detalhes de época são incrivelmente bem descritos, cheguei a pesquisar as referência bibliográficas, cheguei até visitar alguns lugares, a descrição feita nos livros é de uma nitidez e realismo impressionantes e pude constatar a também veracidade dos fatos descritos. Claro que tudo recheado com doses altíssimas de erotismo, que, diga-se de passagem, muito bem escrito. Sutil e com um furor de deixar um homem solitário ainda mais carente.... - disse Harry sorrindo

Harry continuou: 

--- Quer um emprestado? Tenho certeza que não vai se arrepender.

--- Só se for este novo... porque os outros eu também tenho meu amigo. Pois é, temos isso em comum. Se não contar a ninguém que gosto, também não falo que você gosta - fechado?

--- Fechado - disse Harry pegando um cálice de licor para os dois

---- Você acha que o autor é homem ou mulher. Sei que ele negocia por uma advogada, que eu pessoalmente conheço e que não revela o nome de seu cliente nem sob tortura.

--- É parte do mistério acho eu, mas não sei opinar, mas pelo romantismo das cenas eróticas aposto que é uma mulher, só mulher fantasia as coisas assim.

Draco o analisou profundamente, e pensou:

""" Se ele imaginasse que brigou com ela hoje de manhã"""

--- Eu, eu não sei não Harry. Vou ficar na dúvida.... Sei de rumores que o autor ou autora se revelará no último livro que escreverá.. 

--- Tomara que seja daqui uns 30 anos... sou viciado nesta literatura, espero que ele ou ela não se aposente tão cedo.

Continuaram conversando, e Draco se despediu dizendo que ainda tinha que receber dois cavalos de raça na fazenda e que estava organizando uma festa, ou melhor, um sarau para pessoas da região, e disse para que Harry ficasse preparado, ele não aceitaria um não como resposta. E só pra provar que ele estava falando sério, disse a Harry que faria um baile de máscaras, assim ele poderia circular sem ser reconhecido por ninguém.

Harry disse que ia pensar no assunto. 

Estava um calor insuportável, e ele até que poderia usar a piscina, mas ela ainda esta em obras e ele queria ver de perto este lago. 
Foi para o quarto se trocar....

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x—x

Hermione chegou em casa com o rosto afogueado a Sra Jane e o Sr. Hastings estavam na cozinha e escutaram ela chegar.

-- Tia Jane, a Sra. Não sabe o tamanho da grosseria deste nosso vizinho, ele , ele é um ogro...

--- Calma minha filha o que aconteceu? Ele é mal educado? É muito feio pra você chamar ele de ogro?

--- Não tia, ele é um grosso, me chamou de ladra de rosas... e disse que não gosta de ninguém bisbilhotando a propriedade dele. Se não fosse a irmã dele chegar com certeza a esta hora ele teria chamado a polícia ou me colocado de lá pra fora a pontapés.

-- Ah – então a moça que estava com ele é irmã e não esposa como pensei?

--- É tia, uma coisa daquelas não se casa não, ao invés de sapatos deveria usar ferraduras!!

--- Pelo menos ele é bonito? Se for é igual cavalo selvagem, é só domar!!!

---- Ai tia, a Sra. não tem jeito mesmo, já está detectando o primeiro solteiro num raio de 50 km.... pois esse aí eu passo tia!!!

--- Ele é feio? 

--- Nem reparei tia, fiquei lívida com nossa discussão que nem reparei....

--- Ele é pelo menos alto, magro, velho , novo....

--- Não vou escapar mesmo de você né? Ele é alto, cabelos negros bagunçados, profundos olhos verdes, uma boca máscula e ótima para ofender gente de bem, e também cheira bem... – disse Hermione saindo em direção à estufa para levar as mudas de rosas.

Ms. Jane sorriu e disse a Hastings:

--- Isso tudo porque ela não reparou bem... imagina se tivesse reparado... com esta raiva ela ainda deu uma descrição destas, posso apostar que este homem é de primeira...

Os dois sorriram e Mr. Hastings saiu em direção à estufa dizendo que ia ajudar sua pequena com as mudas.

Chegando lá ela estava absorta no trabalho, como a estufa era toda de vidro, em estilo vitoriano, era uma das paixões de Hermione passar os dias lá, parecia que ela tinha sido transportada para outro mundo. Draco costuma dizer que ela tinha ali, um pedaço do paraíso só pra ela...e ela concordava.

Mr. Hastings chegou e disse que terminaria o serviço. Hermione agradeceu e decidiu que estava muito calor que ela ira se refrescar um pouco no lago.

Subiu para o quarto e se trocou, colocou um maiô verde, que marcava perfeitamente seu corpo. Ela não se olhava no espelho, não gostava.. aliás, detestava .... tudo isso por causa de Louis... mas hoje ela não se permitiria ficar triste... hoje não...

Quando ajeitou o maiô no corpo, ela olhou para o colo dos seios e viu a única coisa que gostava, uma mancha de nascença em formato de coração , no meio dos seios, uma mancha vermelha, como se fosse uma tatuagem, era perfeita, como se fosse desenhada, pequena e delicada. Os pais brincavam dizendo que ela era tão boa que Deus havia dado a ela dois corações.

Ela colocou o roupão em volta do corpo e desceu para o lago.

Sentou-se sobre uma pedra e começou a pensar como sua vida era boa, mas estava estagnada. Abriu um pouco o roupão e colocou os pés na água... ela não gostava de se lembrar, lembrar do dia que seus sonhos de amor foram literalmente por água abaixo:

“”””””””””””””””””””’
Flashback

Os seus pais haviam morrido, e ela se sentia muito só. Há tempos namorava Louis, mas nunca se apaixonara verdadeiramente por ele. Ele era filho de um fazendeiro falido da região que ficara como dono de uma hospedaria em uma cidade próxima a Aberdeen.

Depois da morte de seus pais, Hermione ficara carente, afinal os dois haviam morrido juntos em um acidente de carro. E ela se apoiara em Louis, ele era tudo que restava, além de Ms. Jane e seus queridos amigos. Mas ela queria se sentir amada.. e decidiu se entregar de corpo e alma no relacionamento. 

Louis a respeitava, ela gostava disso, eles tinham algumas intimidades, mas ele sempre insistia para pararem, pois achava que sexo deveria ser feito só depois do casamento. Ela ficava encantada com isso, porque hoje em dia os relacionamentos eram modernos. E isto fizera ela se decidir a ficar com ele. Embora Ms. Jane a alertasse dizendo que ele era um caçador de ouro, dando o golpe do baú, mesmo assim Hermione decidiu acabar com a solidão.

Ela e Louis estavam em casa um dia de chuva, quando as carícias entre eles ficaram mais íntimas e como sempre Louis parava na melhor parte. Deixando Hermione frustrada, afinal de contas ela era mulher e queria muito experimentar as delícias que ela mesma descrevia em seus livros... 

Louis parou e disse baixinho... ---Querida , vamos fazer assim, amanhã, venho te buscar e vamos para aquela cabana perto do celeiro dos Masons, então eu a uso de vez em quando para estudar, lá temos tudo que precisamos, mas claro que vou arrumar tudo para nós e teremos nossa primeira noite de amor, o que achas? Mas promete se casar comigo?

Hermione ficou radiante, acabaria ali sua solidão.

Louis foi embora, e ela não conseguia dormir, resolveu então ela mesma preparar a surpresa para ele. Pegou lençóis novos, velas aromáticas, vinho, taças, flores, colocou sua capa de chuva, cobriu a cesta e foi diretamente para a cabana para preparar o que seria seu ninho de amor no dia seguinte....

Chegando lá ela viu que a luz da cabana estava acesa, e olhou pela janela, ela divisou o vulto de Louis na cabana e sorriu pensando que ele estava tão ansioso pela noite seguinte que ele tinha tido a mesma idéia que ela, de arrumar a cabana um dia antes. Ela decidiu ficar ali espiando... a chuva estava ficando mais forte...

Ela olhou novamente pela janela e viu ele andando de um lado para o outro gesticulando, quando de repente ela viu uma mulher se levantar da cama, totalmente nua, e se encaminhar pra ele.

Ela era linda, negra, com cabelos longos, seios fartos e um corpo perfeito.

Hermione estava em choque, ela ainda não acreditava no que estava acontecendo, quando ouviu:

--- E aí querido, deu um trato na branquela? Ela caiu na sua lábia?

--- Calma morena... está tudo arranjado... amanhã vamos vir pra cá e vou consumar meu noivado – vou trazer a presa pro abate – disse ele com uma risada que Hermione jamais esquecerá..

--- Tenho pena de você sabia, aquela mulher sem atrativos nenhum, sem peitos, sem cor, aposto que nem as pernas ela depila... vai me trocar por aqui lá ??? – dizia a morena tirando a roupa de Louis...

--- Você sabe que eu preciso, vais ser um sacrifício mesmo, largar minha deusa de ébano para ficar com aquela mulher, mas você sabe que precisamos não é? Eu sei que ela é sem sal, tem peitos pequenos, e não sinto tesão nenhum por ela. Sabe que pra ficar excitado, eu penso em nós dois ? 

--- Vou trazer ela pra cá amanhã. Ela está toda derretida. Louca pra ter alguém que a faça mulher...

Hermione quase desabou quando ouviu isso, mas ficou firme ali, vendo até onde eles chegariam.

Louis continuou:

--- Vou me casar com a riquinha, em troca ela vai ter o papai aqui na cama, e você será a madame mais elegante de Aberdeen pois com o dinheiro que ela herdou dos pais e a propriedade nós seremos ricos minha morena....


Hermione não pôde mais ouvir nada, saiu em disparada pra casa, a chuva estava intensa, e ela se enveredou para o lado do lago, escorregou , caiu e bateu a cabeça ficando inconsciente, sorte que estava perto da estrada, quando Draco passou e viu um vulto caído na estrada.

Ele saiu da caminhonete e alcançou o vulto e viu que era Hermione, desmaiada, ela estava ainda segurando a cesta ele a carregou para dentro da caminhonete, a acomodou no banco e rumou para sua casa. Chegando lá ele pediu que chamassem um médico pois ela estava desacordada... ele tirou as roupas molhadas dela e a mergulhou numa banheira de água quente, ela acordou, e olhou Draco com uma expressão vazia no rosto.

Ele se aproximou dela e disse:

--- O que aconteceu Mione, porque você está neste estado?

--- Draco, me prometa uma coisa – disse ela com a voz fraca... Jamais deixe Louis atravessar os limites da minha fazenda e não o deixe chegar perto de mim.

--- Tudo que você quiser, mas me conte o que aconteceu...pelo amor de Deus Mione, olhe só pra você, você poderia ter morrido, caiu desmaiada, com o rosto no chão, e com esta chuva...

Hermione não teve tempo de responder e desmaiou. 

O médico chegou e fez todos exames necessários, ela estava em estado de choque, e permaneceu assim por mais de 20 dias, e Draco velava seu sono e cuidava dela junto com Ms. Jane.

Somente Draco e Ms. Jane sabiam da verdade.

Hermione nunca mais se relacionara com ninguém, e também não voltara a se olhar no espelho, ela acreditava na descrição feita por aquele dois... ela 
deveria ser realmente sem atrativos aos olhos de um homem...
“”””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””

E com este pensamento, e voltou a si, estava na beira do lago, gostava de nadar sozinha, ela jamais se expunha.

Ele a observava de longe, ela estava com um roupão na beira do lago, molhava displicentemente os pés na beira da água, ele estava do outro lado do lago, queria nadar, se refrescar um pouco, mas ficou hipnotizado com a visão do outro lado....

Ela abria lentamente o roupão, mas não o tirara por completo. Harry estava oculto por uma grande pedra na beira do lago, e a ficou observando por um tempo.

Hermione estava acostumada com o silêncio o lugar e se sentiu observada, sem ser notada, ela levantou o olhar e viu que Harry a olhava do outro lado da margem. 

Ela fechou o roupão rapidamente e gritou:

--- Se fosse você Sr. Harry, não mergulharia aí deste lado. Tem pedras pontiagudas e você pode se machucar gravemente. O melhor lugar para mergulhar é do meu lado da margem, mas como o Sr. disse que não aceita convites, creio que vai ter que ficar com calor – disse ela zombando dele.


--- Teoricamente o lago é nosso, então não estaria invadindo sua propriedade de forma nenhuma se mergulhasse aí do seu lado – disse ele com aquela voz grave e antes de Hermione responder ele continuou, agora andando em sua direção e retirando seu próprio agasalho...

--- Mas muito obrigada pelo aviso, deveria ter uma placa ou algo assim que explicasse isso, se não fosse por você eu estaria no fundo do lago agora machucado... ( mentiu Harry, pois Draco já o havia avisado a respeito) 

Ela estava hipnotizada, ele havia tirado a blusa do agasalho e ela jamais havia visto um físico como aquele, não tão de perto... ele andava em sua direção e ela foi se afastando de costas, sem conseguir tirar o olho dele.

Ele estava cada vez mais perto, e Hermione inconscientemente apertava o cinto do roupão... ele chegou perto dela, tirou a parte debaixo do agasalho, revelando aquelas coxas perfeitas e disse:

--- Se me permite, mergulharei deste lado, e chegando perigosamente perto dela disse:

--- Algum perigo deste lado? Disse com a voz rouca

Hermione tremeu, mas ainda continuava com raiva dele, no dia anterior ele tinha sido muito grosseiro, e ela se ofendera

--- Não, pode nadar à vontade, ao contrário de você, eu não trato minhas visitas com falta de educação. Agora se me dá licença, vou embora. Divirta-se – Ah!!! Para sair do lago, saia também deste lado, caso contrário como te disse você pode se machucar, e só nade até o meio do lago, e depois daquela cachoeira, tem uma caverna subterrânea linda, onde você poderá descansar caso esteja cansado. Adeus.

Sem dar tempo dele responder ela subiu a colina rapidamente. Ela tremia da cabeça aos pés, não sabia como aquele homem podia mexer tanto com seus sentimentos... era raiva que ela sentia – só podia ser ... ele havia sido grosseiro e ela não gostara nem um pouco disto..

Harry ficara na beira do lago olhando Hermione subir, ele perdera a graça do mergulho. Ela também sabia ser insolente, e ele gostava disso. Também gostava do jeito que ela falava, empinando o queixo para cima. É ele estava gostando deste jogo de gato e rato.
E a última palavra não seria dela...

Rapidamente ele colocou a parte debaixo do agasalho e subiu a colina, e como um gato a alcançou, pegou no braço dela e a virou para si...

--- Porque desistiu de nadar? Foi a companhia?

--- Não Sr. Harry, pra dizer a vontade eu já havia desistido do mergulho antes do Sr. chegar. Acho que não estou no clima para nadar.

Ele passou a mão sobre a gola do roupão dela e ela se encolheu – ele retrucou:

--- Eu não mordo, está com medo de ficar de maiô perto de mim? Disse ele olhando-a de cima abaixo e se detendo no decote dela

Ela fechou com mais força o roupão, tanto que os nós dos dedos dela ficaram brancos e ela respondeu trêmula:

-Não..

Ela ficou sem graça e olhou para a cicatriz abaixo das costelas dele. Ele percebeu e passou a mão sobre a cicatriz e disse:

--- Ela dói mais aqui disse apontando a cabeça, do que aqui, disse apontando o abdome. Mas não respondeu a minha pergunta, está com medo de tirar o roupão perto de mim?

--- Não Sr. Harry, mas se quer saber... também não gosto de me expor. Mas ao contrário do Sr. não toco ninguém da minha propriedade. Fique à vontade para nadar e cuidado, se chover saia logo do lago, senão ficará ilhado na caverna subterrânea.

Dizendo isto ela se afastou a passos largos...

Harry ficou observando-a caminhar, ela era sendual, e ela deixou Harry pensativo, ele ele disse baixinho:

---É Srta. Granger, parece que não sou só eu que tem cicatrizes por aqui...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.