FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. Capítulo 11 *BÔNUS* - Editado


Fic: O Início de uma Vida Sexual


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo Bônus

Bom, pra quem não está entendendo, eu vou tentar explicar com minhas próprias palavras o que é esse tal de capítulo bônus.

Capítulo Bônus, 14 letras, acento circunflexo no o, etc. Mas mais basicamente, é algo muito interessante, que vai acontecer, aconteceu, algum fato, qualquer coisa, com os personagens da minha fic (na minha mente, óbvio), não nos livros.

Bem, vou deixar claro que os capítulos bônus geralmente não estão em sincronia com o tempo real vivido na fic, neste caso aqui nós voltaremos ao passado, que não é muito distante.

Bom, espero que gostem bastante e aproveitem esse bônus.


---------x---------


No reflexo do espelho, um garoto se despia em um banheiro mal-iluminado.

Aquele era o banheiro da suíte vazia. Como a casa era muito grande, normalmente havia quartos que sobravam, e ultimamente estava sendo aquele.

E Sirius gostava muito daquela suíte. Porque era longe do resto dos outros quartos, e porque no banheiro dela, ele podia passar horas e horas sem ser incomodado.

A toalha vermelho-sangue, para depois que tivesse se banhado, já estava lá, no seu devido lugar.

Sirius, já nu, caminhou até o box do banheiro, e girou a torneira da água quente. Depois de alguns segundos, com a palma da mão, ele experimentou a temperatura da água. Vendo que estava ao seu agrado, ele entrou debaixo d'água e deixou-se molhar com a ducha.

O frescor da água lhe tocando a pele era tão gostoso, que ele nem reparou que alguém entrava em seu banheiro "privado".

Esta pessoa também se despiu, e entrou silenciosamente no box.

Sirius estava de olhos fechados, tão perdido em pensamentos que não percebeu nada. Mas no momento em que ele abriu os olhos, seu coração quase saiu pela boca, e seu membro quase explodiu ao vislumbrar aquele corpo tão desejado.

Narcisa assistia ao "espetáculo do crescimento" com muito gosto. E tal não foi sua surpresa quando Sirius gritou para que ela saísse já dali, totalmente o oposto do que seu membro parecia querer.

- Calma Si! Pra quê tanto escândalo? – perguntou Narcisa.

- Co-Como assim pra quê? – disse ele atrapalhado. – Você não pode aparecer nua, de repente, no meio do banho das pessoas!

- Por que não? – perguntou num tom falso ingênuo. – Ele parece que gostou muito dessa minha aparição. – disse Narcisa, provocativa, se referindo ao membro Sirius.

- I-Isso não vem ao caso! – disse ele mais uma vez atrapalhado. – E se alguém nos pegar aqui?

- Meus pais não estão aqui, nem os seus...

- E o meu irmão? – indagou Sirius.

- Seu irmão saiu junto com seus pais. – disse Narcisa se aproximando de Sirius. – O resto do pessoal está todo na cozinha preparando o almoço.

- Mas... mas...

- Sirius querido, nós não faremos nada de mau se você também não quiser fazer. – disse Narcisa num tom falsamente calmo, enquanto passava as mãos delicadamente provocativas em torno dos lábios de Sirius.

- Ma-mas... esse é exatamente o meu pro-problema... – ele disse com uma nota de medo na voz.

- Você acha que não consegue se controlar? – perguntou Narcisa enquanto lambia a orelha de Sirius.

- Bom... eu... eu não sei... veja bem Narcisa... é muita tentação para agüentar assim sozinho...

- Você não precisa agüentar se não quiser... eu estou aqui por que te amo... eu quero ser toda sua... – dizia Narcisa sussurrante em seu ouvido.

- Mas você sabe que não devemos... você sabe muito bem disso...

- Meu amor, eu sei muito bem disso desde a primeira vez em que nos beijamos... e eu já ouvi você me dizer isso uma centena de vezes, e nem por isso eu deixei de te amar, e nem muito menos de te dar prazer.

Sirius sentia um arrepio percorrer sua espinha com cada palavra que ela lhe dizia. Era fato que seu membro rígido e pulsante desejava mais do que tudo aquele corpo junto ao seu. A garota que ele sempre amou... sempre desejou tanto... mas agora, com o perigo em frente aos seus olhos, ele precisava pensar rápido, para não fazer nenhuma besteira.

- Eu... eu sei disso tudo, Cisa. Mas você entende que isso que a gente pretende fazer é muito mais sério? Vai marcar nossas vidas pra sempre e...

- Você já marcou a minha vida pra sempre, Sirius.

- Meu amor, e se você ficar grávida?

- Hum... quanto a isso não precisa se preocupar. Eu andei preparando a poção anticoncepcional nas últimas semanas e ficou pronta ontem. Antes de vir pra cá, eu já tomei a primeira dose.

Sirius suspirou aliviado. A pressão em baixo de seu umbigo aumentou consideravelmente, mas o seu medo continuava ali.

- Bom... não posso dizer que isso não me alivia, mas do mesmo jeito, o ponto principal não é esse. É o que você vai fazer com a sua vida, Cisa. Eu te amo, muito, muito, muito. Mas você entende que eles nunca permitirão que a gente case? E daí? E quando essa outra pessoa for te receber e souber que você não é mais... virgem? O que você vai dizer?

- Sirius, se não for com você, eu não vou me casar com mais ninguém nessa vida.

Sirius engoliu em seco.

- Não adianta, meu amor. Por mais que a gente diga coisas, faça promessas, você os conhece, você... sabe como é essa família. Se eles quiserem que você se case com alguém, você vai se casar.

Narcisa também engoliu em seco. Era a triste realidade da Família Black.

- Eu não me importo, Sirius! – falou ela com convicção. – Não me importo com o que digam, não me importo com nada. Eu sei que mais dia, menos dia eles vão nos descobrir e todo esse nosso sonho vai desabar. Eu só não quero baixar a cabeça! Perder a luta antes do tempo! Nós temos que aproveitar o pouco tempo que nos resta junto, para sermos muito felizes.

- Si-sim. Você está certa... – disse Sirius em um tom emocionado. – Eu te amo demais para querer me privar de você. – Sirius segurou o queixo de Narcisa e lhe trouxe para um beijo carinhoso. – Agora seja o que Deus, e nós, quisermos.

Narcisa sorriu. Um sorriso tímido e alegre ao mesmo tempo. Deixaria as coisas rolarem naturalmente, não queria que o dia mais feliz de sua vida se tornasse forçado. Pegou o sabonete. De leve ela foi ensaboando os ombros de Sirius, peito, barriga, costas e pernas.

Sirius estava bem mais relaxado agora, sentindo de leve Narcisa ensaboar seu corpo todo.

Ela decididamente sabia como provocá-lo. A forma como arranhava seu corpo de leve enquanto usava o sabonete. O jeito carinhoso e excitante de ensaboar seu membro e testículos.

Enquanto Narcisa movimentava sua mão sobre o membro de Sirius, fingindo que estava só ensaboando, este por sua vez, lhe beijava o pescoço e a orelha.

E como toda a situação que não é pensada antes de acontecer, as coisas rolaram de uma forma naturalmente erótica. Logo o sabonete já havia sido esquecido, e as mãos rolavam no corpo um do outro sem nenhum pudor.

Narcisa batia para Sirius sem parar, enquanto ele apertava seus seios com as duas mãos, apertando-os um contra o outro, ficando estupefato com o volume com que tais faziam. Sua gana com eles foi tanta, que ele não se conteve ao ver os bicos rosados e deliciosos que se encontravam entre seus dedos finos. Só os dedos não bastavam. Por isso o encontro de lábios e língua neles se tornou praticamente óbvio de se fazer. E enquanto chupava, alternando entre um e outro, uma das mãos de Narcisa continuava no vai-e-vem interminável em seu membro, e a outra emaranhada entre seus cabelos.

Não demorou muito tempo e Sirius percebeu que não conseguiria mais se segurar.

- Cuidado... – ele sussurrou parando tudo que estava fazendo e se encostando ofegante na parede.

Narcisa entendeu, já que este já era praticamente um código entre eles, que Sirius estaria prestes a gozar. E como sempre, ela parou de masturbá-lo para poder guardar seu fruto até a melhor parte daquela noite.

E para não deixar que o clima terminasse, Sirius puxou Narcisa com vontade e pôs-se a beijá-la com fervor, enquanto pressionava seus quadris sobre seu membro, apenas para atiçá-lo.

Narcisa não se conteve. A língua que antes estava na boca de Sirius, percorreu o caminho até seu pescoço, e depois até seu peitoral. Descendo fulminante até abocanhar o membro rígido do garoto.

Sirius não pode conter um gemido misturado em êxtase e satisfação, quando sentiu os lábios carnudos e a língua maciça de Narcisa pressionando a parte mais erógena de seu corpo.

Suas mãos desceram instintivamente, e se prenderam no emaranhado de cabelos loiros. Ajudando e ao mesmo tempo incentivando para que ela não parasse. E ela decididamente não parou. Continuou abocanhando, lambendo e enlouquecendo Sirius, até o momento em que ele teve que dizer cuidado de novo para que ela parasse.

E enquanto esperava se recuperar, Sirius não hesitou em fazer o mesmo com Narcisa. Fazendo com que ela se deitasse no chão do box, de pernas abertas para ele, Sirius começou a chupar também o sexo da garota. Sua língua e lábios alternavam em movimentos sobre seu clitóris, enquanto um de seus dedos entrava e saia de sua vagina.

Passados alguns minutos Narcisa já estava completamente louca. Os movimentos sobre seu clitóris eram cada vez mais agressivos, e com gemidos mais fortes em resposta. Dois dedos agora entravam e saiam de dentro dela, e Sirius queria cada vez mais que os dois se transformassem em seu membro.

Não demorou muito, e Narcisa disse suplicante.

- Vem, Sirius! Eu te quero agora, mais do que nunca. Quero ser toda sua... pra sempre!

Sirius não esperou que ela repetisse duas vezes. E como a posição já estava favorável, com Narcisa deitada no chão e completamente aberta para ele, ele só teve o trabalho de se postar sobre ela.

É agora, cara! É agora! Sirius repetia para si mesmo, ansioso com o que viria a seguir.

E devagar ele foi encaixando. Sentindo sua glande sendo sugada lentamente, seguida pelo resto de seu membro, até chegar no talo.

A sensação mais gostosa de toda a sua vida, pensou ele.

Ele então retirou o membro de novo, calmamente, sentindo ele percorrer todo o caminho da volta. E mais uma vez entrar dentro de Narcisa.

Esta por sua vez estava aliviada por não ter sentido quase nenhuma dor. Ela ainda continuava mordendo seu lábio inferior, mas não mais por nervosismo, agora só conseguia sentir prazer.

E os movimentos continuaram. A velocidade, o prazer e os gemidos aumentando a cada minuto.

Em determinada hora, os dois puderam perceber o rompimento do hímen de Narcisa. Mas ambos estavam em tão completo êxtase, que nem deram atenção ao ocorrido.

Eles se movimentavam com tanta sincronia, que podiam jurar que aquela não era a primeira vez em que faziam amor.

Eles trocaram de posições como se fossem experientes. Experimentaram quase tudo que conseguiram fazer dentro do cubículo do box. Mas eles se "encontraram" mesmo quando Narcisa ficou de quatro. Aquela posição, segundo os dois, era a fatal.

Narcisa percebia que o membro de Sirius fazia mais contato com sua vagina quando estavam daquele jeito. E ele sentia seu membro ser ainda mais comprimido por ela.

Resultado Final: Ambos chegaram ao clímax praticamente ao mesmo tempo nesta posição.

Logo após, caíram exaustos sob a ducha de água. Lado a lado, os dois respiravam ofegantes. Narcisa com a mão sobre o peito, sentindo o coração acelerado, e Sirius de borco completamente incapaz de qualquer movimento.

Passados alguns minutos, Sirius recuperado do choque de ter feito a melhor coisa que já havia feito na vida, acolheu Narcisa em seus braços e pôs-se a lhe dizer palavras doces.

- Eu te amo tanto... – ela lhe disse em resposta. – Essa foi a melhor coisa que eu já fiz na minha vida, e é a qual eu vou me orgulhar pelo resto dos meus dias por ter sido contigo!

- Obrigado por ser sempre tão compreensiva comigo, e obrigada principalmente por me deixar te amar tanto. Eu tenho certeza de que esse momento vai ficar guardado na nossa memória pra sempre, e essa é apenas mais uma das provas de que nós nos amaremos eternamente, juntos ou não.

Narcisa não se deixou chorar. Mas seus olhos brilharam de lágrimas emocionadas ao ouvir aquelas palavras de Sirius. Era tudo tão lindo... mas ao mesmo tempo doía tanto pensar que esse sonho todo acabaria a qualquer momento.

- O que você acha de nos banharmos devidamente agora? – ela disse tentando abrir um sorriso alegre, para espantar os maus pensamentos.

- Com certeza, minha princesa. Será que você deixaria seu súdito começar a ensaboá-la? – disse Sirius com graça.

- Súdito, não! Rei! – disse ela beijando-o com paixão. – Mas pode sim, minha alteza. Pode fazer o que bem entender.

- Hum... o que bem entender? – disse Sirius num tom pervertido.

- Haha! Será que você só pensa nisso agora, senhor? – brincou ela.

- Com uma beldade dessas do meu lado, é impossível não pensar!

- Bobo! – disse ela um pouco vermelha.

- Mas vai ver... eu viciei mesmo... – disse ele num tom falso pensativo.

- Haha! Essa é boa, senhor Sirius! Viciou assim... de primeira?

- Deveria estar orgulhosa de ser tão boa assim...

- Pois é... o senhor também...

- Será que você estaria pronta pra outra? – indagou o galanteador.

- Quem sabe... – respondeu Cisa provocativa. – Mas agora é melhor tomarmos o nosso banho.

- Concordo. – disse Sirius enquanto pegava o sabonete. – E agora? Por onde eu começo?

OBS.: Por onde ele começou, se eles transaram ou não de novo naquela noite, tudo isso fica por conta da imaginação dos leitores. Façam bom proveito!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 22/03/2013

^^

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.