FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. A Reunião


Fic: Só Queria Dizer Que Te Amo --- R/Hr D/Hr ---


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo 9 - A Reunião

McGonagall era quem comandava aquela reunião, estava na ponta da mesa, na outra estava Muriel, a dona da casa. Todos os professores estavam ali (pelo menos todos que já haviam tido algum contato com Draco), mas não todos os membros da Ordem. McGonagall falava da importância da reunião e Harry, Rony e Hermione prestavam muita atenção, afinal, aquela era a primeira reunião deles.

- (...) a única pessoa que presenciou tudo foi o Potter, então, se o Senhor fizer a gentileza de nos contar. - Todos os olhos voltaram-se para ele.

Harry fez que sim com a cabeça e começou a relatar desde o dia em que havia visto Draco no Beco Diagonal (neste ele teve ajuda de Rony e Hermione para narrar) até o dia em que Snape puxou Draco para fora da Torre de Astronomia. Todos ouviam com muita atenção, quando Harry terminou de contar, McGongall perguntou se todos concordavam em falar o que achavam. Fazendo, então, automaticamente uma votação e já estava em aberto perguntas que quisessem fazer para Harry sobre a noite em que Dumbledore fora morto. Fora decidido que começaria pela McGonagall e fariam em sentido horário, fazendo com que Rony Harry e Hermione fossem os últimos, respectivamente.

-Bom, eu acho que podemos dar uma chance ao menino, acho que isso é o certo, pois Dumbledore tentou dar-lhe uma chance e acredito que ele teria aceitado se Snape não tivesse chego naquele momento. E sobre as suspeitas sobre ele ser Comensal, acredito que foi um castigo para os pais dele e não creio que ele o fez por vontade própria. – Falou McGonagall.

Sucedeu-se a McGonagall o Professor Binns, depois um membro da Ordem, Elifas Doge, Hagrid, que não falou nada só ‘votou’. O sucedendo: Tonks, Lupin, Madame Maxime, que já estava na Inglaterra para o casamento, Olho-Tonto Moody, Quim, Flitwick, que estava em uma pilha de almofadas, fez muitas perguntas e votou. Depois dele veio: Slughorn (que votou contra, pois ainda têm medo dos comensais), Profª Sprout, acabaram os professores começou a ter os Weasley: Muriel, Arthur, Carlinhos, Gui, Fleur, Molly, Fred, Jorge e, por fim, o trio.

Rony estava com as orelhas vermelhas quando falou simplesmente:

-Não acho que ele deva voltar.

Então foi a vez de Harry:

-Bom, eu acho que podem querer que ele volte para espionar ou para tentar fazer como no ano passado e colocar Comensais dentro da escola. Se quiserem que ele volte deve ter algum motivo, pois nenhum dos Malfoys muda do dia pra noite. Então, acho que ele não deve voltar.

Havia tido um empate. Tudo dependia de Hermione, ela que acabaria por decidir se ele voltaria ou não para a escola. Hermione sentiu todos os olhares pesando sobre ela. Fechou os olhos e pensou. Depois de um encorajamento da Profª McGongall e da Srª Weasley, Hermione respirou fundo e começou a falar:

-Eu acho que Malfoy não está de volta para espionar ou para colocar Comensais dentro da escola, pois tenho certeza de que ele seria vigiado e ele ou eles com toda a certeza têm consciência disto. A Sra. Malfoy não me parece ser tão ruim assim, na Copa Mundial de Quadribol quando a vi, ela cuidava muito bem do filho. Ano passado também. Acho que ela só quer o bem do seu filho e talvez por ameaças à sua família todos eles fazem coisas que não devem. Menos o Lucius Malfoy, mas ele está preso por enquanto. Eu acho, assim como Dumbledore que todos merecem uma segunda chance.

-Mas Mione, Dumbledore confiou no Snape e olha como acabou! – argumentou Harry.

-Não é o mesmo caso, Harry. Duvido muito que Snape estava sendo ameaçado por Voldemort, ou algo do tipo. Acho que Malfoy merece uma segunda chance, sim. E que deve voltar a Hogwarts e terminar a Escola. Alias esse ano temos os N.I.E.M.S. e ele terá que estudar e não ficar pensando em uma tática para matar todos! Apesar de que, talvez eu esteja falando besteira, mas... bem, uma vez um comensal estava na escola se fingindo de Olho-Tonto, como saberemos que é mesmo o Malfoy que irá voltar?

-Quer dizer que você vota a favor, Srta. Granger?-Perguntou McGongall. Hermione simplesmente fez que sim com a cabeça sob os olhares fuziladores de Harry e Rony, além da incompreensão dos dois pela decisão da garota. - Muito inteligente essa sua pergunta Granger, mas creio que logo que o Sr. Malfoy esteja no trem, alguém ficara com ele durante uma hora e verá se ele não estará disfarçado. Estávamos pensando em algum de vocês três fazer isso e entrar na cabine do Sr. Malfoy e fingir ser um de seus amigos. Tonks estará no trem e chamará uma das pessoas da cabine, então, seria a vez de vocês.

-Mas quem de nós? –perguntou Harry.

-A principio seria qualquer um, mas Granger creio que lhe darei mais uma função como cargo de Monitora-Chefe. Eu sei que vai ser difícil para a Srta. pois não tem muita amizade com o Sr. Malfoy, porém, eu pedirei que fique de olho nele. Você terá a senha de todos os salões comunais, então não precisará preocupar-se. Por esse motivo acharia melhor se a Srta. fosse na cabine do Sr. Malfoy. Tudo bem, pra você?

-Isso depois da reunião dos monitores, não?

-Sim, avisarei ao Goldstein que depois da reunião você terá de fazer um favor para mim, ele entenderá e assumirá as suas responsabilidades, ok?

Hermione confirmou.

-Mas, professora, eu não sei se bem, quero dizer, não seria estranho a Tonks só chamar um aluno? Porque ela não chama dois? Então iríamos eu e Rony que já estaríamos na cabine de monitores e diríamos que nosso trabalho era junto.

-Pode ser. De acordo, Tonks?

-Sim, claro! - respondeu Tonks.

-Mandarei avisar a família Malfoy, então que Draco poderá pegar o expresso no dia 1º de setembro. Mais algo para colocar em questão, ou podemos encerrar a reunião?

-Com licença, professora... Não é um pouco perigoso pegarmos o expresso? Assim, na guerra?

-Não se preocupe. Terão alguns aurores e membros da Ordem no trem, estamos fazendo o possível para que nada aconteça...

-Além disso, Hermione, duvidamos muito que os Comensais ataquem o trem, muitos filhos destes estão indo para Hogwarts, os poucos lugares em que eles poderiam atacar estarão com muitos aurores, o Ministério está se precavendo o máximo.-falou Lupin.

-Err... Com licença? –Disse Harry, - Eu gostaria de fazer uma pergunta. Bom, nós participamos dessa reunião e... Bem, eu gostaria de saber se podemos entrar na Ordem da Fênix.

-Potter! Vocês são muito novos ainda e... – falou McGonagall.

-Desculpa professora, mas somos maiores de idade. –disse Hermione.

-Hermione vocês estão na escola ainda, não podemos permitir! – disse a Sra. Weasley.

-Cai fora, mamãe! Nós somos maiores de idade e a escola não tem nada a ver com isso. Eu, Harry e Hermione fizemos muito mais do que a maioria dos bruxos da nossa idade!- disse Rony com um sorriso.

-Mas, Sr. Wealey, mesmo que os aceitemos para Ordem, vocês não poderão fazer nada para nos ajudar!-falou McGonagall indignada com o que os garotos estavam propondo.

-Será que não? – falou Harry convicto. – Nós três somos os únicos que sabemos o que Dumbledore estava planejando. Nós somos os únicos que podemos fazer algo.

-Então nos conte o que Dumbledore estava planejando! – disse Flitwick com sua voz aguda.

-Desculpe, mas não podemos.

-Então porque não fazem as coisas sozinhos?- desafiou McGonagall.

-Ótimo. Então não voltaremos para Hogwarts. – disse Hermione, levantando uma sobrancelha. -Se for para fazermos tudo sozinhos, não precisaremos ir para Hogwarts, pois precisaremos fazer as “nossas coisas”.

A Sra. Weasley se mexeu na cadeira.

-Hermione! – soou a voz alta de Quim.

-Que!? Eu estou fazendo uma lógica correta. Antes, Dumbledore mandava vocês fazerem algumas coisas que vocês poderiam não saber, mas com toda a certeza deveriam estar relacionadas a isso, já que ele não podia fazer em tempo integral. Bom, em Hogwarts não poderíamos fazer as coisas em tempo integral, por isso precisaríamos da ajuda de vocês de vez em quando, mas se não pudermos entrar na Ordem, teremos que dedicar nosso tempo integral com o que Dumbledore pediu para que fizéssemos, ou seja, não poderíamos voltar para a escola. – Hermione falou isso muito rápido e olhando pro teto, como se tivesse decorado as palavras, o que não era muito lógico, pois não estava planejando aquilo.

-Hermione foi inteligente colocando os fatos. – falou Gui. - E sinceramente, eu acho que...

Gui parou, pois percebeu o olhar da mãe. Era preferível ficar quieto. O trio sorriu. O ambiente ficou em silencio por alguns segundos.

-Eu acho a idéia brilhante! – falou Tonks piscando para o trio.

-Pode até ser brilhante, mas eles são muito novos ainda... -falou Arthur.

-Maiores de idade. -Rony interrompeu o pai. Em seguida murmurou “desculpa” para Arthur, pois o interrompera.

-Concorr-rdo com o R-ronald, idade não imporrta, eu julguei mal Arry no Torneio Trribruxo por ele ser-r menor de idad e ele, alem de salvarr minha irman, foi muito melhorr que eu. -falou Fleur.

-Podem ser maiores de idade, mas falta maturidade! - falou a Sra. Weasley.

-Você está dizendo que eu sou imaturo Sra. Weasley? Depois de tudo que já aconteceu comigo? – Harry resolve fazer-se de vitima, para ver se convencia a Sra. Weasley.

-Não, Harry querido, você não... Mas o Rony...

-Mamãe! - chingou Rony.

-Se querem minha opinião, agora que Dumbledore não esta conosco precisamos de muita gente conosco e mais três... Seria um sacrilégio. – Falou Elifas Doge, depois de muito tempo observando tudo.

-Concordo com Elifas. Já foi professor deles e para quem estava no terceiro ano naquela época, esses três já estavam mais do que adiantados. Não duvido que Hermione saiba de coisas que não saibamos que Harry saiba duelar melhor que a gente e que haja alguém como Rony para apoiar, ajudar e... Pode não parecer, pois ele não demonstra, mas nas horas em que é necessário, acho que Rony é o mais maduro dos três. Não digo quatro anos atrás. Digo hoje. Ele amadureceu muito. Eu percebi enquanto conversava com ele antes de todos chegarem. -falou Lupin.

As orelhas de Rony misturaram-se com seus cabelos.

-Tudo bem. Acho que se todos aqui estão de acordo que eles podem entrar na Ordem... – falou McGonagall.

Muitos afirmaram com a cabeça, mas a Sra. Weasley, a Tia Muriel e o Sr. Weasley não se moveram.

-Então temos de colocá-los a par das noticias, novidades... De tudo.

Os três sorriram vitoriosos.

-Primeiro as reuniões da Ordem serão em Hogwarts, depois, que sem Dumbledore deveremos arranjar alguém para nos coordenar.

-E como resolveremos isso? – perguntou o Sr. Weasley.

-Não sei ainda.

-Pode parecer infantil demais, mas... eu acho que deveria haver uma votação. – opinou Hermione.

-Eu já havia pensando nisso, Srta. Granger. –Disse McGonagall. -Tudo bem, então teremos que pensar melhor e teremos que chamar todos os membros da ordem para votar. Avisaremos a todos que não estão aqui presentes. Reunião 3 de setembro verei alguma sala boa para isso e o horário, então avisarei a todos vocês. Mais alguma coisa?

-Comparando com o que Voldemort tem, nós temos muito pouco. Precisávamos mais gente conosco, para ajudar-nos, não somos o bastante comparando com o numero que Voldemort reuniu, muitos não são por vontade própria, mas de qualquer forma, estão lutando contra nós. – Falou Elifas Doge.

-Então temos que chamar uma galera! – Falou Rony.

-Não é assim tão fácil. Temos que ver quem é confiável, ter certeza de que não estão com a maldição Imperius e coisas do gênero.

-Mas há pessoas em quem confiamos. Fred e Jorge conhecem um monte, aposto! Eles têm muitos amigos, além do que, conhecem muitas pessoas na loja... Aposto que os dois sabem ver quem presta e quem não presta, não sabem?

-Claro que conhecemos! –falaram os dois animados.

-Tudo bem, mas, Fred, Jorge... Tenham muito cuidado com quem irão chamar. E atenção só maiores de idade e que não estejam mais na escola. Esses ai são uma exceção. – falou McGonagall indicando o trio. – Se mais alguém conhecer alguém e tenha certeza de que poderá aliar-se a nós.

-Professora, mas como Dumbledore fazia para selecionar pessoas? – perguntou Harry,

- Só Merlin sabe... Mais alguma coisa?

-Eu soube que Voldemort está fazendo como fez antes. Esta fazendo inferis de novo e boa parte dos gigantes aliou-se a ele. – falou Tonks.

-Gui, Fleur... Não há como fazer com que alguns duendes aliem-se a nós? – Perguntou o Sr.Weasley.

-Não, papai... eles preferem ficar fora disso. Eles cuidam do banco e deu. Não querem meter-se em nenhum lado e não sair perdendo depois. - respondeu Gui.

-Mais algo? – perguntou McGonagall. Ninguém falou nada. - Considerem a reunião encerrada. E até 3 de setembro.

Todos se levantaram da mesa, alguns se despediram e foram em borá, outros ainda conversavam.

-Potter, Weasley, Granger? Posso dar uma palavrinha com vocês?

Os três foram em direção a professora.

-Será que vocês três agüentam esperar até o inicio do ano letivo ou querem ir agora, enquanto estão de férias, param poderem pegar o que Dumbledore deixou para vocês?

Eles se olharam.

-Bom, depende professora... Depende o que ele deixou para a gente, quero dizer, talvez nós precisemos dessas coisas agora, talvez só no início do ano. Ele falou algo sobre urgência em nos entregar essas coisas? – Perguntou Hermione.

-Bom, na verdade não. Mas se vocês querem eu levo vocês agora mesmo e depois os trago de volta. Mas teremos que avisar o pessoal que iremos sair no caso de irmos agora.

-Eu quero ir agora. – disse Harry.

-Tudo bem, então vamos. – disse Rony.

McGonagall avisou rapidamente a todos ali que iriam dar uma saída e acabaram resolvendo que voltariam diretamente para A Toca depois de Hogwarts. McGonagall olhou para o três e perguntou para Harry e Rony:

-Vocês dois já fizeram o teste de aparatação?

Os dois negaram.

-Tudo bem, então. Srta. Granger você vai com Rony que eu vou com Harry, ok?

-Tudo bem, mas... Desaparatamos onde?

-Na frente do Três Vassouras.

-Prontos? Vamos lá para fora em algum lugar que dê para aparatar.

McGonagall andava na frente, e o trio atrás. Depois de andarem um pouco mais de 2 minutos, McGonagall parou.

-Potter, pegue meu braço. – virou-se para Rony e Hermione, nos vemos lá.

E os dois desapareceram.

Hermione estendeu sua mão para Rony, ele a pegou e os dois coraram.

-Está pronto?

Ele afirmou com a cabeça.

-Não está preocupado pra onde eu posso te levar? – perguntou brincalhona.

-Não. Eu confio em ti, Mione. Sempre confiei. Ainda mais agora. - no momento em que falou agora, Rony apertou com firmeza a mão de Hermione. Esta apenas sorriu e aparatou.

Quando abriram os olhos novamente se acharam em Hogsmead, na frente do Três Vassouras.

-Porque demoraram?-perguntou McGonagall.

-Estava tentando convencer Rony que eu sabia mesmo aparatar. – Hermione falou rápida.

McGonagall fez um som de impaciência e saiu andando, os três em sua cola. Rony e Hermione ainda tinham suas mãos entrelaçadas.

Chegaram ao castelo, depois de McGonagall desfazer milhares de feitiços, entraram. Caminharam pelo silencioso e escuro pátio a luz do luar, até que entraram pelas portas e estavam caminhando pelos desertos corredores. Era estranho estar ali sabendo que não estavam em aula. Nunca estiveram em Hogwarts nas férias de verão e estavam achando estranho. Finalmente chegaram à antiga sala de Dumbledore, agora sala de McGonagall.

Entraram na sala, McGonagall mandou-os sentarem-se, os três obedeceram e esperaram enquanto a professora sairá momentaneamente da sala para pegar o que Dumbledore havia deixado para eles. Hermione tinha os olhos no quadro de Dumbledore, estava analisando-o. Os outros dois estavam distraídos. Hermione fez menção de soltar a mão de Rony e ele a segurou com mais firmeza, a garota olhou para ele, então ele soltou sua mão. Hermione levantou-se e foi até o quadro de Dumbledore, parou na frente dele agora os dois a examinavam atentamente.

-Aaamm... Professor Dumbledore? – o quadro piscou, mas não respondeu. – Professor Dumbledore? Desculpe-me estar lhe perturbando, mas... bom, sem o Sr. tudo fica difícil e, bom, eu gostaria de saber se o Sr...

-Não perca seu tempo, garota! – falou Fineus Nigellus. – Ele não fala com ninguém, e não sabemos o porquê! Quero dizer, ele falou... Deixe-me ver... Uma vez. Mas foi só, depois não falou mais. Eu nunca o achei muito certo da cabeça, mas nesse momento, em que todos precisam, ele fica fingindo que não existe e que não pode falar conos...

Nesse momento McGonagall adentrou a sala, Hermione se virou assustada.

-Desculpa professora, mas eu tive que...

-Tudo bem, ele falou alguma coisa?

-Não.

McGonagall suspirou.

-Tudo bem. Vamos ao que ele deixou a vocês.

E só então eles perceberam que uma caixa vinha flutuando atrás de McGonagall.

-Ela esta lacrada. Não acredito que ele quisesse que qualquer visse o que estava ali dentro. O Ministério queria ver o que tinha ali dentro. Foi a única vez que o quadro falou e acabou fazendo com que eles desistissem de pegar a caixa. Bom, eu vou aos meus aposentos e deixá-los-ei aqui, quando terminarem é só ir lá.

McGonagall fez sinal com a varinha e a caixa pousou no chão, os três se entreolharam curiosos, enquanto McGonagall subia para seus aposentos os três levantaram e sentaram-se ao redor da caixa.



[(N/A).: Espero que esse capitulo esteja melhor que o outro... Eu quero 45 comentários pra postar o 10... Metade dele já esta no pc... Muito obrigada pelos comentarios, eu realmente gostaria de responder um por um, mas eu deveria estar estudando... Então falando assim, por cima...
Mas, bem, só a Fe mesmo pra sabe como é difícil pra mim porque ela me conhece e sabe o quão a minha vida é corrida... então se eu demoro um pouqunho pra postar a culpa não é totalmente minha... Obrigada por acharem que minha fic preste e por pedir que eu poste e elogiar, acho que se vocês não fizessem isso eu já teria abandonado a fic a muito tempo, como quase já fiz um dia.
E se algumas de vcs estiverem escrevendo fics, podem me mandar o link! Só não garanto que vou lê-las em seguida, talvez demore um pouco(ou um pouco mais que um pouco) mas juro uqe um dia eu leio!

Ta acho que ja falei de mais. Obrigada a todos vcs mesmo!!
Até o capitulo 10!

Bruxinha Mione]

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.