FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. A detetive de mentira


Fic: Remember Why


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Rememver Why – Capitulo IV – A detetive de mentira

-Preciso fazer algumas perguntas, elas podem parecer constrangedoras, mas são necessárias, se preferires posso voltar outra hora, sei o quanto é doloroso perder um ente querido, e posso respeitar a sua dor...
-Não prefiro falar logo tudo agora... Quero descobrir o assassino de minha esposa! - havia ódio em seus olhos, Hermione sentiu um calafrio ao perceber isso.




-Vamos começar! OK?
-Pode perguntar o que quiser. – sua voz era fria quase sem sentimento.
-Bom, podemos começar do início, como vocês se conheceram?
-Essa você deve saber... – disse ele sério.
-É verdade, mas eu tenho que registrar com suas palavras, saber os detalhes que só você pode dizer.
-Detalhes... – ele fez uma pausa e começou a narrar – Deixe me ver... Eu trabalhava no Wallks e Wallks uma corretora de imóveis na Haley, eu costumava trabalhar mais do que devia, e em um desses dias que eu estava de hora extra, a Gina apareceu ela estava à procura de apartamento para alugar. Eu não prestei muita atenção a sua amiga no início, mas a medida que o tempo foi passando e nada de eu conseguir um apartamento bom para Gina ela sempre aparecia lá para ter noticias. Parecia que elas não usavam telefone...
-Não usavam telefone?! – perguntou Hermione forçando uma surpresa.
-É elas moravam juntas, e não tinham telefone por conta dos gastos....
-Sim, sim prossiga – Hermione parecia aliviada.
-Onde eu estava... Ah! Um dia eu consegui um apartamento maravilhoso, tentei entrar em contato com elas , mas não consegui, parece que elas também não recebiam cartas, era muito estranho, até que resolvi procurá-las, procurei em catálogos em outras empresas e nada, até que eu resolvi descasar um pouco no parque não é que ela estava lá? Fui conversar com ela, perguntar sobre Gina, mas ela também não sabia. Levei-a até o apartamento, ela fechou negócio por Gina, parece que elas tinham um acordo judicial ou algo parecido, e então depois do meu expediente nós saímos. E saímos mais vezes e mais, costumávamos nos encontrar com Gina e Harry. Até que ela resolveu nos apresentar para o pai dela, ele não gostou nem um pouco de mim, ele foi rude e nós terminamos por causa dele. – ele respirou fundo, havia muita dor em sua voz.
-Sem querer atrapalhá-lo, me conte Sr. Everton o que o senhor sabe sobre esse acordo?
-Bom... – ele pareceu parar para pensar - Eu nunca entendi direito, a Luna sempre foi muito aberta sabe? Mas tinha certas coisas que ela me contava e eu nunca entendi direito, e como julgava não ter muita importância... É importante não é? – ele a olhava apreensivo.
-Num caso como esse tudo é importante, mas existem outros modos de descobrir Sr. Everton não se preocupe. – disse Hermione com o seu tom mais calmo.
Fez-se um silencio. Brian olhava perdido para um ponto fixo no chão, e Hermione espera pacientemente a continuação da história.
-Por que o pai da Luna não admitiu o relacionamento de vocês? – perguntou Hermione quebrando o silêncio.
-Eu não sei. Ele disse algo sobre cara certo e de segredos de família...
-Mas mesmo com a proibição vocês casaram. – Não era uma pergunta e sim uma afirmação para induzir a continuação da história.
-Sim... – ele olhou Hermione se sentido meio culpado - Não conseguimos ficar separados, a Luna foi a única que conseguiu me afastar do trabalho, e quando eu trabalhava eu só pensava nela, eu estava atrapalhando tudo e se continuasse como estava eu ia ser despedido, ia ficar sem minha namorada, sem meu emprego tudo que eu mais significava pra mim. Até que eu tomei a minha decisão eu pedi ela em casamento e ela aceitou, moramos um tempo juntos depois nós nos casamos escondido e viemos para a Irlanda... Nós moramos tão pouco aqui, eu fui para uma convenção para acertar meu emprego aqui e quando eu voltei...
-Muito obrigada Sr. Everton foi um bom resumo. –“Tenho que chegar ao ponto certo” pensou ela. – Agora me diga como era a sua relação com a sua esposa? – perguntou Hermione séria lembrando-se de algumas perguntas feitas por detetives de livros que ela já havia lido.
-Era boa... Quer dizer era ótima... – ele pareceu confuso - Aonde você quer chegar com isso? Você não acha que...?
-Não! De forma alguma. – respondeu ela desconfortada – O que eu quero dizer é você sabia tudo sobre sua esposa?
-É claro que sim! – disse ele com muita certeza e retornando ao seu estado vazio.
-Quem você acha quem a matou?
-Eu... Eu não faço idéia.
-Por que Irlanda? Por que Aklow?
-Bom... – ele fez uma pausa – Como eu já disse nós casamos escondido e...
-E ai vocês casaram e fugiram para Aklow?
-Era um sonho que a Luna tinha desde criança, ela dizia que era um país místico, ela sempre acreditou em magia...
-E você acredita em magia, ou só veio por desejo dela?
-Bem... Eu nunca acreditei em magia, mas eu faria tudo pra deixá-la feliz. – havia desespero em sua voz.
-A cidade tem alguma coisa especial?
-Não. Viemos parar aqui por acaso, foi onde eu conseguir um emprego.
-A policia já tem fez a pericia?
-Bem acho que já posso autorizá-la a pegar os dados, vou contratá-la Sra. Granger! – disse ele com um sorriso forçado.
-Mas você não pode me contratar Sr. Everton, pois eu já trabalho para outra pessoa...
-Para quem?
-Bem houve outro assassinato com as mesmas características do assassinato de sua esposa.
-E uma pessoa te contratou para desvendar os dois?
-É mais ou menos isso. Mas eu não vou querer o seu dinheiro, não será necessário. – Hermione parou olhou em volta voltou a falar - Sr. Everton? Será que podemos visitar a cena do crime?
-Eu não sei... – disse ele confuso – Eles me disseram que o local tinha que ser mantido isolado.
-Será apenas uma pesquisa rápida. – disse ela sorrindo.
-Não sei se será muito produtiva, mas...

22 de novembro 5h36min PM ((Phoenix’s Garden))
Gina, Harry e Rony estavam na sala de estar conversando, quando Hermione voltou.
-Alguma novidade? – perguntou Rony ansioso.
-Muitas novidades – disse Hermione sorrindo.
-E quando vão poder enterrá-la? – perguntou Harry.
-Você não esta pensando em ir pro enterro está? – perguntou Gina incrédula.
-Por que não? Eu não devo nada a ninguém! Tudo o que eles têm são especulações, eles não podem provar nada, até mesmo por que não tem nada pra provar!
-Mas você não pode. O ministério já te cassou antes... – disse Gina.
-Mas foi diferente. – disse Harry autoritário.
-Não! Não é diferente! – disse Gina aumentando o tom de voz.
-Ela tem razão Harry – disse Hermione – Você não pode deixar que eles suspeitem de você. Aquela carta pode te destruir. Se você aparecer podem achar que foi você.
-Vocês acham mesmo que o assassino vai para o enterro? – perguntou Rony – Se o Harry for vai ser melhor. Quer dizer as suspeitas vão diminuir, por que se ele não for vão achar que ele está se escondendo.
-Sabe o Rony tem razão – disse Harry – Ela também era minha amiga...
-Certo. Então Vamos todos – disse Gina vencida.
-Quando vai ser? – perguntou Rony a Hermione.
-Daqui a dois dias.
-Vamos então sair para jantar, já que a Gina não teve cabeça para preparar o jantar hoje – disse Harry se levantando.
- Mas antes disso eu tenho uma pista – disse Hermione seria.
-Você tem? – perguntou Rony surpreso. – Nossa Mione você é demais, já é a segunda! Não duvido que você encontre o culpado!
-O que você achou? – perguntou Gina.
-Isto – disse ela tirando um colar de ouro branco com a corrente entrelaçada e uma linda opala no centro de dentro de um pacote. – Pena que está tão bem protegido. – disse ela mais para se mesma do que para os presentes.
-Mas o que é isso? – perguntou Harry.
-Um colar! – disse Hermione.
-Isso nós sabemos, mas isso não quer dizer nada! – disse Rony.
-Você está enganado – disse Gina – Isso quer dizer muita coisa!
-Como pode dizer muita coisa é apenas um colar idiota! – disse Harry bruscamente.
-É! Mas que não estava lá antes do assassinato! – disse Hermione sorrindo.

.........................................................................................................................................................
N/A – Aewww o capitulo galera espero que vocês gostem e comentem para demonstrar que existem!!!!!!!!!


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.