FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Desde que te vi


Fic: Minha vida com eles. - CAP 3 NO AR.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitlo2 – DESDE QUE TE VI.


(N/A: aconselho a ler esse cap ouvindo a Musica Desde que te vi. http://www.youtube.com/watch?v=2HfdkcfZgLo


Beijos meus amores e Boa Leitura)


Tudo estava decidido, Hermione rira para a Toca. Ela havia mandado uma carta para a Sra. Weasley comunicando que ela iria. A Sra. Weasley ficou muito animada com a idéia e disse pra ir a hora que ela quisesse.


Como seus pais trabalhariam cedo, Hermione aparatou fora dos limites da toca as 10:00 em ponto. Logo quando passou o portão, sentiu o cheiro da deliciosa comida da Sra. Weasley. Como ela havia sentido falta daquele ambiente familiar.


- Hermione, pensei que não viria – falou a Sra. Weasley


- é que meus pais foram trabalhar mais tarde, então eu quis ficar mais um pouco com eles – mentiu.


- ah sim – a Sra. Weasley a olhou – como está tudo?


- bem – Hermione sorriu – e aqui? Como estão as coisas?


- estamos indo – a Sra. Weasley foi para o fogão – devagar, mais indo.


- olha Sra. Weasley, eu sei que fiquei muito tempo longe mais é que... – Hermione respirou fundo – é que eu não estou preparada para encarar essa realidade. Eu sinto muito por Fred.


- não fiquei assim, querida – a Sra. Weasley enxugou as lagrimas do rosto de Hermione. – ninguém está preparado para essa realidade, você não é a única.


Depois de um abraço demorado Hermione entendeu que tudo ficaria bem, o tempo não importaria, o que importa é que agora a paz reinava no mundo bruxo.


- cadê a Gina? – Hermione perguntou


- está dormindo ainda – a Sra. Weasley falou


- vou colocar a minha mala no quarto. –  disse Hermione saindo da cozinha.


Hermione subiu a escada devagar para não fazer barulho e quando chegou na porta do quarto de Gina ela parou e abriu a porta devagar. Tudo estava com ela se lembrava, os postrs, as camas, o armário, as revistas, os cd’s, um turbilhão de lembranças vieram na mente de Hermione.


A dona do quarto estava deitada na cama com um rapaz forte com os cabelos pretos bagunçados. Hermione tapou a boca para conter um gritinho.


Gina estava abraçada a Harry, os dois dormiam tranquilamente. Hermione saiu do quarto rezando pra ninguém entrar.


Chegando à cozinha Hermione viu o Sr. Weasley parado na porta se despedindo da mulher.


- dia – o Sr Weasley disse – tchau Hermione.


- tchau – ela falou


- venha querida, coma alguma coisa – a Sra. Weasley chamou.


Hermione começou a comer e u barulho na escada comunicou que alguem havia acordado.


- bom dia família – Gina disse


-bom dia – responderam


- Mione – Gina correu até a amiga


- oi Gi. – Hermione sorriu


- você chegou a quanto tempo? -  Gina perguntou


- meia hora no Maximo – Hermione respondeu – fui lá no quarto te acordar, mais fiquei com pena. Você estava dormindo tão bem... – Hermione a abraçou e sussurrou no ouvido de Gina – eu quero saber de tudo que aconteceu naquele quarto, Gina Weasley.


- também te amo amiga. – Gina se sentou.


- como vai a minha irritante sabe tudo mais irritante do mundo? – Harry abraçou a amiga


- nem começa – Hermione deu um tapa no braço de Harry.


- amiga você faz uma coisa por mim? – Gina pediu


- depende – Hermione respondeu


- vamos comigo hoje no beco, preciso comprar umas coisas – Gina falou


- vou pensar no seu caso – Hermione olhou para a amiga – chama o Harry.


- não é legal ir ao beco com uma pessoa que só fica na loja de quadribol – Gina olhou para Harry.


- hey, você também gostou da vassoura – Harry se defendeu.


- é mais eu não fico lá o tempo todo.  – Gina continuou


- eu fui com você na Maddme Malkins – Harry estava começando a ficar irritado.


- UMA VEZ – Gina falou alto – porque você acha que os nossos encontros são em Hogsmead?


- ah fala sério – Harry levantou – você nunca reclamou disso.


- mas agora estou reclamando – Gina ficou de pé.


- Gina, faça-me o favor – Harry falou


- faça-me o favor? – Gina ficou frente a frente com ele – VOCÊ É INSUPORTAVEL POTTER.


- fique sabendo que você também é Weasley – Harry chegou perto


- você adora de fazer de... – Gina não pode terminar de falar, Harry a puxou pela cintura e a beijou. Um beijo simples de bom dia


- o que eu sou ruivinha? – ele sussurrou em seu ouvido


- desprezível – disse num suspiro.


- devo bater palmas? – Rony falou. Ele estava encostado no ultimo degrau da escada. – me acordou com esses seus berros, satisfeita?


- credo! – Gina deu a mão para o namorado – que mau humor. Bom dia para você também, Roniquinho.


- bom dia – ele foi em direção a mãe e deu um beijo nela.


- bom dia – todos responderam. Rony reconheceu uma voz que ele queria ouvir a muito tempo.


- Hermione? – ele se virou


- oi Rony – ela sorriu


- vamos sair daqui – Gina falou – a cenas a seguir são proibidas para menores de 100 anos.


- Dumbledore seria bem-vindo aqui – a Sra. Weasley disse enquanto saía da cozinha. Fazendo os dois ficarem corados.


- e aí como vão as coisas? – Rony perguntou enquanto se servia de um pouco de suco de abobora.


- vão indo – Hermione observava Rony atentamente – e você? Como vai?


- levando – ele suspirou – não é a mesma coisa sem o Fred.


- vai passar Rony – Hermione chegou perto – estou aqui pro que der e vier.


- eu sei – Rony sentiu Hermione chegar mais perto. - é só que eu queria te agradecer.


- por? – Hermione perguntou


- por cuidar de mim. – Rony respondeu


- foi só a minha obrigação – Hermione corou e baixou a cabeça.


- hey – Rony levantou a cabeça de Hermione – você só me protegeu e não me deixou morrer.


- eu tive medo – Hermione começou a chorar – eu tive tanto medo Rony.


- medo de que? – o ruivo chegou perto da garota.


- de te perder!


- posso te contar um segredo? – Rony sussurrou no ouvido de Hermione.  Ela apenas assentiu.


- a cada minuto daquela maldita batalha eu lutei com todas as minhas forças em um só objetivo. – Rony sussurrou – manter você viva.


- Ah Rony – Hermione o abraçou.


- Mione – seus rostos foram se aproximando – eu... – ele podia sentir o hálito quente de Hermione no seu rosto.


- e aí galera? – Jorge entrou na cozinha


- você tem 1 segundo para sair daqui e não ser um homem morto. – Rony estava verde de tanta raiva


- Rony para de brigar com o seu irmão – a Sra. Weasley entrou na cozinha acompanhada de Harry e Gina.


- DROGA – ele berrou.


Logo depois do café Rony e Harry foram jogar quadribol. Enquanto Gina e Hermione foram conversar no quarto.


- conta tudo e não esconda nada – Hermione disse.


- ok eu conto – Gina sorriu – mas antes você vai ter que me falar o que aconteceu na cozinha.


- não foi nada – Hermione corou – nós iríamos nos beijar, mas Fred entrou na cozinha...


- isso explica a raiva de Rony – Gina falou


- é – Hermione riu – agora conta tudo.


- ok – Gina deitou com a cabeça no colo da amiga – ontem à noite nós estávamos no jardim namorando.


FLASH BACK


Harry e Gina estavam  no jardim deitados na grama, curtindo a noite quente de verão.


- Gi – Harry chamou


- sim? – ela olhou para o namorado


- tava dormindo? – ele perguntou


- não... – Gina voltou a olhar o céu estrelado – tava só pensando!


- posso saber no que tanto pensa? – Harry passava a mão pelo cabelo ruivo de Gina.


- na vida – Gina deitou no peito do namorado


- e o que seria “vida”? – Harry abraçou Gina.


- tudo – Gina suspirou – sabe depois da batalha muita coisa mudou. Viver sem o Fred é muito – Gina fez uma pausa. Harry percebeu que a namorada não conseguiria terminar a frase, e começou a brincar com o cabelo cor de fogo da namorada. – Harry você morreria por mim?


- claro que sim – Harry estava surpreso com a pergunta. O olhar de Gina perdeu o brilho de antes. – Gi... – Harry se sentou de frente para ela – entenda, a minha vida se resume a você agora. Você Gina, é a única coisa que me manteve forte naquela batalha. Você sabe disso.


- sabe por que eu te amo tanto? – Gina perguntou


- hm? – Harry falou


- porque desde aquele dia na plataforma, mesmo sem saber que você era – Gina sentou no colo de Harry – eu já sabia que você seria o homem da minha vida, e que eu iria lutar contra tudo para podermos ficar juntos.


Gina beijou Harry, um beijo calmo cheio de amor, conforme o tempo passou o beijo de tornou cada vez mais urgente e ousado. As mãos de Harry vagavam pelas costas de Gina enquanto as pequenas mãos dela bagunçavam o cabelo preto de Harry.


- Gi – ele disse quando se separaram


- sim? – Gina respondeu ofegante


- eu te amo – ele a abraçou.


- eu também – ela sorriu


Passaram-se alguns minutos e o sono começou a chegar.


- Harry? – Gina falou


- que? – ele respondeu


- quantos filhos você quer ter? – Harry a olhou e viu que ela falava serio.


- quantos o futuro permitir – ele falou mais serio ainda.


- dorme comigo? – Gina pediu


- não sei Gi – Harry pensou nas feras ruivas.


- por favor – ela pediu novamente


- ok – ele se levantou – vamos. Aí você vai para o seu quarto faz o que você tem que eu fazer enquanto eu vou tomar meu banho e despistar seus pais – Gina assentiu. Eles entraram na toca e deram um “boa noite” rápido.


Gina foi para o seu quarto e deitou na cama e ficou pensando no que havia acontecido e no que poderia acontecer. Uma batida na porta fez seus devaneios sumirem.


- não se trocou ainda? – Harry estava parado no corredor totalmente escuro.


- tava deitada, nem percebi o tempo passar – Gina riu


- seu pai já foi ver se eu estava no meu quarto – Harry olhou para a namorada.


- típico – Gina falou - não se surpreenda se depois que nós casarmos ele também não apareça para ver o que e como você faz com a filha querida dele. – Harry riu.


- acho bom ele nem querer saber – Harry disse com um sorriso maroto.


- abaixa a bolinha Potter – Gina fechou a porta. – vou trocar de roupa, tapa os olhos – falou


- ok – Harry colocou as mãos sobre os olhos – pode abrir?


- eu nem tirei a blusa ainda – Gina bufou – pervertido


Gina tirou a camisa e ficou só de sutiã. Um sutiã que ela havia ganhado de Hermione no natal. Branco com smiles coloridos. Gina tirou o short jeans e a calcinha era o conjunto do sutiã.


- minha nossa! – Harry estava abismado com o corpo da ruiva.


- Harry, eu falei pra você não olhar. – disse Gina enquanto colocava o short do pijama.


- desculpe – ele tapou novamente os olhos.


- pronto – ela olhou para Harry. – vou ao banheiro escovar meus dentes. Não toque em NADA. – Gina saiu deixando Harry deitado em sua cama.


- ruivinha mandona – ele se levantou, arrumou a cama e deitou.


- já ta me esperando? – ela falou.


- vem – ele estendeu os braços e Gina foi correndo até ele. – agora dorme ruivinha.


- ta – ela se aconchegou no peito dele – você não vai embora não é?


- NUNCA – ele respondeu e beijou a testa dela.


Poucos minutos depois Harry e Gina dormiam tranquilamente.


FIM DO FLASH BACK


- ai que lindo – Hermione falou – quer dizer que não aconteceu nada alem disso?


- não – Gina sorriu – o Harry tem muito respeito!


- como eu queria que o Rony fosse assim – Hermione suspirou.


- você e o Rony não conversaram depois do beijo? – Gina perguntou perplexa


- não – Hermione baixou a cabeça – seu irmão estava muito abalado com a morte de Fred.


- isso não é desculpa – Gina cantarolou.


- ah Gina, não enche – Hermione deitou na cama


- ok – Gina deu um beijo no rosto da amiga – vou namorar um pouco.


- tchau – Hermione ficou observando pela janela um certo ruivo jogar quadribol.


- Harry – Gina gritou – vem aqui, é urgente.


- sim madame? – ela disse ao parar perto de Gina.


- quero dar uma volta com você – disse apontando pra vassoura.


- é pra já. – ele riu – monta aqui.


- Harry – Gina disse quando estavam muito alto – nós temos que ajudar o Rony e a Mione.


- com? – ele disse enquanto voava em direção ao morro.


- eles não conversaram depois do beijo – Gina suspirou


- iih – Harry colocou a mão na cabeça – aí fica complicado, ruiva.


- eu sei – ela o abraçou mais forte – o Rony é muito lerdo.


- e a Mione muito orgulhosa – Harry completou


- é – Gina avistou ao longe um casal trouxa jogando baralho – Harry, toma cuidado pra não ser visto!


- fica tranquila – ele parou – ta comigo ta com Deus.


- coitadinho – Gina continuava observando o casal. – Harry... tive uma idéia. Tenho que ir a Londres agora e você vai comigo!


- que? – Harry viu Gina virar a vassoura em direção a Toca – ah não Gi.


- ah sim – Harry continuou indo em direção a Toca – rápido.


- a é? – ele a olhou com um sorriso malicioso – OK.


- Harry, para! – Gina queria socá-lo, mas o medo de cair da vassoura era maior.


- pronto ruivinha – disse os colocar Gina no chão.


- você tem 5 minutos para estar aqui novamente. – Gina falou pausadamente


- ok – Harry pulou da vassoura e foi para a toca.


Gina subiu correndo e encontrou Hermione sentada da janela olhando para algo.


- Mione – ela chamou


- sim? – disse assustada


- vou ir para Londres com o Harry. – Gina avisou – quer que eu traga alguma coisa?


- não – hermione voltou a olhar Rony voando.


- e tira os olhos do meu maninho. – Gina riu – ele pode cair da vassoura.


- idiota – hermione bufou.


Quando Gina chegou na cozinha Harry a esperava.


- vamos? – ele disse


- aonde? – Molly perguntou


- vou ao beco diagonal, eu te falei hoje mais cedo. – falou Gina.


- ah sim – Molly sorriu – divirtam-se.


- obrigado – disseram os dois.


Passaram pelo jardim e viram Rony brincando com a goles.


- parece uma criança né? – Harry falou


- tem uma menina lá no meu quarto que está adorando ver essa criancice dele – Gina disse, arrancando uma gargalhada de Harry.


- vamos? – Harry estendeu a mão.


- claro – Gina respondeu. Os dois aparataram.


 


- minha nossa, como ele pode ser tão lindo? – hermione se perguntava. Rony percebeu que hermione o olhava e voou em direção a janela do quarto de Gina.


- posso saber o que você tanto olha? – Rony perguntou


- na... nada – hermione gaguejou


- sei – ele sorriu - olha eu não sou nenhum jogador profissional não.


- eu gosto de te ver jogar – ela corou


- é bom saber – ele olhou para o livro que hermione segurava. – que livro é esse?


- A Bella e a Fera – Rony a olhou – é um clássico trouxa.


- é legal? – Rony perguntou interessado


- é – hermione tomou coragem – vai tomar um banho e me encontra no jardim, vou ler para você.


- sério? – ele abriu um sorriso


- sim – ela observou ele ir em direção ao chão e sair correndo até a varanda e tirar a camisa.


Hermione observou atentamente cada músculo do corpo de Rony, mesmo estando longe ela conseguia ver algumas coisas. Ela foi despertada dos seus devaneios por passos na escada.


- eu já volto – Rony falou quando abriu a porta – não vou demorar no banho.


- ok – foi só o que hermione conseguiu dizer.


5 minutos depois hermione estava sentada debaixo da amendoeira com o livro nas mãos. Não demorou muito até Rony aparecer.


- e aí? – ele disse se sentando ao lado de hermione – podemos?


- claro – hermione riu – esse livro é um clássico infantil, mas eu sou apaixonada por ele desde que eu me entendo por gente. Vou começar a ler, concentrado?


- sim – ele deitou na grama fresca com os braços debaixo da cabeça.


- “ Era uma vez um comerciante muito rico que tinha três filhas, sendo um homem de bom senso, ele não poupou custo para a sua educação. Suas filhas cresceram para ser muito bonito, especialmente a mais jovem, que foi chamada de beleza, um nome especial que fez suas irmãs ficarem muito ciúmes dela.


As duas mais velhas tinham uma grande dose de orgulho, porque elas eram ricas. Eles se deram ares ridículo, e não visitar as filhas outros comerciantes ", nem com qualquer empresa manter, mas pessoas de qualidade. Saíram todos os dias para as partes, bailes, peças de teatro, concertos, e assim por diante, e eles riam de sua irmã mais nova, porque ela passou a maior parte de seu tempo na leitura de bons livros.


De repente, tudo de uma vez o comerciante perdeu toda sua fortuna, com exceção de uma casa pequeno país a uma grande distância da cidade, e disse a seus filhos, com lágrimas nos olhos que eles devem ir lá e trabalhar para viver. O mais velho dos dois responderam que nunca teria que deixar a cidade, pois tinham vários comerciantes proeminentes que tinham certeza ficaria feliz em tê-los, embora eles não tinham fortuna. Mas as senhoras eram boas enganado, pois os seus amantes desprezados e abandonou-os em sua pobreza. Como eles não estavam gostaram por causa do seu orgulho, toda a gente disse, eles não merecem ser perdoados, nós estamos muito contentes de ver o seu orgulho humilhado, soltá-los e dar-se ares de qualidade da ordenha as vacas e cuidando de seus produtos lácteos. Mas, acrescentou que, estamos extremamente preocupados com beleza, ela é como uma encantadora criatura doce-humorado que fala tão gentilmente aos pobres e tem como uma natureza amigável e gentil.


Quando chegaram à sua casa de campo, o comerciante aplicou-se à agricultura e Bela subiu às quatro da manhã. Antes que os outros se mexeu, ela se apressou a limpar a casa e preparar o pequeno almoço para a família. No começo ela achou muito difícil, pois ela não tinha sido usado para trabalhar como empregada, mas em menos de dois meses, ela ficou mais forte e mais saudável do que nunca. Depois que ela tinha feito seu trabalho, ela lida, tocada no cravo, ou então cantado enquanto ela virou fio.


Pelo contrário, suas duas irmãs não sabiam como gastar seu tempo. Levantaram-se às dez e não fez nada, mas conter sobre o dia todo, lamentando a perda de suas roupas finas e conhecido."Não, mas ver a nossa irmã mais nova", eles riram, um para o outro, "o quão bem ela é capaz de uma vida de trabalho servil."


A família viveu cerca de um ano na casa de campo quando o comerciante recebeu uma carta com uma conta que um navio que ele achava que tinha se perdido no mar, que realizada em dezenas conselho de peças de tecidos e sedas que tinha comprado, tinha de fato com segurança chegou. A família se alegrou na volta de sua fortuna. Quando as duas filhas mais velhas viram o pai pronto para expor, uma implorou a ele para lhe comprar um colar de pedras preciosas novo, eo outro uma grossa corrente de ouro, mas de beleza pediu apenas para uma rosa.


O bom homem partiu em sua jornada. Mas quando ele chegou lá, oh tais problemas não foram adequadamente sobre quem pertence o navio ea mercadoria a bordo, e depois de uma grande quantidade de problemas e dores sem nenhum propósito, ele voltou tão pobre quanto antes, especialmente depois que ele comprou a multa colar de novo e corrente de ouro que ele prometeu a suas duas filhas mais velhas. Pensando que ele poderia vir em cima de uma roseira para satisfazer o desejo de sua filha mais nova, ele levou seu cavalo para a floresta profunda.Como o pôr do sol eo vento começou a uivar, o pobre homem percebeu que estava irremediavelmente perdido. Além do mais, com a chuva ea neve que ele sabia que poderia morrer de fome com frio ou fome, ou ser devorado pelos lobos, a quem ele ouviu uivos durante todo o ele. Então, em um instante, olhando através de uma longa caminhada de árvores, viu uma luz a alguma distância. Acontecendo um pouco mais adiante, ele notou que veio de um lugar iluminado com velas de cima para baixo. O comerciante correu para o lugar, mas fiquei muito surpreso por não encontrar ninguém nas praças externas. Seu cavalo seguiu-o, e vendo uma grande abertura estável, entrou, e encontrando tanto feno e aveia, o pobre animal, que estava quase morrendo de fome, caiu para comer muito de coração. O comerciante amarrou à manjedoura e caminhou em direção a casa, onde viu ninguém. Entrando em um grande salão, encontrou um bom fogo e uma tabela com abundância estabelecidos. Como ele estava molhado com o bem através de chuva e neve, ele se aproximou do fogo para secar-se. "Eu espero", disse ele, "o dono da casa, ou seus servos, desculpa a liberdade eu tomo, eu suponho que não demorará muito para que alguns deles aparecem."


Ele esperou um tempo considerável, até que atingiu onze, e ainda ninguém veio. Por fim, ele estava com tanta fome que ele não agüentava mais, mas teve uma perna de frango e comi-o em dois bocados, tremendo o tempo todo. Depois disso, ele bebeu algumas taças de vinho. Cada vez mais corajoso, saiu da sala e atravessou por vários apartamentos grandes com mobiliário magnífico, até que ele entrou em uma câmara. Na câmara era uma cama muito boa, e como ele estava muito cansado e era meia-noite, ele concluiu que era melhor fechar a porta e ir dormir.


Eram dez da manhã seguinte, antes de o comerciante acordou. Como ele ia se levantar, ele ficou surpreso ao ver um bom terno de roupa disposto sobre a cama que se encaixam perfeitamente. Certamente, disse ele, este palácio pertence a algum tipo de fadas, que tem visto e pena minha angústia. Ele então retornou para o grande salão onde havia jantado na noite anterior, e encontrou um pouco de chocolate pronta em uma mesinha. "Obrigado, Fada Senhora bom", disse ele em voz alta ", por ser tão cuidadoso como a fornecer-me um pequeno-almoço. Estou extremamente grato por todos os seus favores."


O bom homem bebeu seu chocolate e, em seguida, foi procurar seu cavalo, mas passando por um caramanchão de rosas que ele se lembrou do pedido de beleza para ele, e reuniu um ramo em que foram várias. Imediatamente ele ouviu um grande estrondo como um trovão, e olhando ao redor, viu um enorme monstro - duas presas em sua boca e os olhos vermelhos de fogo cercado por cerdas e chifres saindo de sua cabeça e speading sobre suas costas.”


- Crianças o almoço ta pronto – Molly gritou.


- estamos indo. – Rony gritou e resposta – continuamos depois do almoço? m


- sim – hermione sorriu.


- vamos? – Rony ofereceu a mão para ajudá-la a levantar. Os dois foram para a cozinha de mãos dadas.


 


- Harry nós amos chegar atrasados. Dá pra me explicar o que você ta fazendo? – Gina falou aborrecida


- comprando uma coisa – ele pagou e pegou a sacola.


- o que é isso? – Gina disse confusa.


- um DVD – Harry olhou para a namorada – é para assistir filmes.


- ah sim – ela sorriu – tem isso na casa da Mione.


- esqueci de uma coisa... – ele entregou a sacola pra Gina – vai ao corredor da saída de emergência e me espere lá.


- ok – Gina deu um beijo em Harry – não demora.


Gina correu até o corredor que estava completamente vazio. Passaram-se 5 minutos e nada de Harry chegar. Um grupo de jovens apareceu no corredor, Gina apenas continuou esperando por Harry sem dar atenção aos meninos.


- hey Max – falou um garoto alto – eu adoro ruivinhas.


- eu também – um dos garotos falou – ainda mais quando ela está de vestido. – os garotos riram.


- qual é o seu nome florzinha? – um dos meninos chegou perto


- não te interessa. – Gina falou


- huhuhu – ele riu – a ruivinha é raivosa.


- não sou raivosa – Gina sorriu – a não ser com idiotas como vocês.


- vou te mostrar quem é idiota – ele segurou na cintura de Gina.


- mais um passo e você é um moleque morto – Harry falou, ele estava com ódio.


- e quem seria você? – o garoto perguntou – um super herói?


- depende – Harry deixou a TV no chão e foi andando lentamente – pra ela eu sou um super herói, mais pra você eu sou uma ameaça. – Harry puxou a varinha e com um feitiço mudo todos estavam no chão.


- o...o que você quer? – o garoto que a pouco agarrava Gina estava deitado no chão.


- eu quero que você saia de perto da minha vida agora! – ordenou.


- vida? – o menino riu – que vida?


- ela – Harry apontou para Gina.  – vocês têm 10 segundos para estarem fora do alcance da minha visão.  10, 9 - Harry mal terminou e nenhum menino se encontrava lá.


- super herói? - Gina chegou perto do namorado e deu um demorado beijo nele. – acho que você não vai ser tão super se não chegar em menos de 5 minutos na toca.


- Gina, me desculpe – ele disse enquanto fazia os feitiços de extensão dentro da sacola e colocava a TV dentro.


- Harry? – ele a olhou – Obrigada.


- eu te amo. - Ele segurou na mão dela


- eu também – foi a ultima coisa que Gina disse antes de ser tomada pela horrível sensação de aparatar.


 


A cozinha estava silenciosa a não ser pelos murmúrios da Sra Weasley. “cadê aqueles dois?”. Rony observava hermione comer, ele nunca tinha reparado como a amiga havia mudado. Ela se transformara numa linda mulher. Hermione percebeu os olhos de Rony cravados sobre ela.


- algum problema? – perguntou


- nenhum – ele disse sem graça – só estava observando.


- o que? – ela olhou para o prato


- hermione, você se... – um barulho fez os dois sobressaltarem.


- graças aos céus. – Molly foi correndo para o jardim. – onde é que vocês estavam?


- desculpe Sra. Weasley – Harry falou – fui comprar algumas coisas e me atrasei.


- o almoço está servido – ela disse enquanto entrava.


- estou faminta – Gina deu um beijo na bochecha do irmão e um na cabeça da amiga.


- Gi – Rony falou – sabe qual livro a Mione está lendo para mim?


- qual? – ela perguntou olhando para Hermione que estava muito corada.


- A Bela e a Fera – ele sorriu


- isso mesmo dona Hermione – Gina falou – eu estou há uma década te pedindo esse livro emprestado e você lê para o meu irmão?


- Gina não exagera – hermione a olhou


- ok – Gina piscou para Rony – aproveita irmãozinho. – hermione ficou mais corada ainda enquanto todos riam.


O almoço passou rápido. Hermione escovou os dentes e ficou no jardim esperando por Rony.


- cheguei – ele disse – trouxe isso, as formigas daqui são canibais – disse mostrando a toalha que havia trazido para cobrir o chão.


- percebi – disse hermione coçando a coxa onde havia uma espécie de picada.


- pronto – hermione sentou e abriu o livro. – posso deitar?


- claro – ela falou. Uma coisa inesperada aconteceu, Rony sentou na toalha e deitou com a cabeça nas pernas de hermione.


– vamos continuar? – Rony disse.


- "Mortal", rugiu a fera ", que lhe disse que você pode arrancar a minha rosa?"


"Por favor, senhor", disse o comerciante de medo e terror por sua vida, "Eu prometi a minha filha para trazê-la para casa uma rosa e esqueci o assunto até o último momento, e então eu vi seu belo jardim e achei que você não perca uma única rosa, ou então eu teria pedido a sua permissão. "


"Roubo é roubo", disse a besta ", quer se trate de uma rosa ou um diamante; sua vida é perder."


O comerciante caiu de joelhos e implorou por sua vida por causa de suas três filhas, que não tinha nada, mas ele a apoiá-los. "Meu senhor," disse ele, "Rogo-vos que me perdoe, realmente eu não tinha intenção de ofender na coleta de uma rosa para uma de minhas filhas, que me desejava trazê-la de um."


"Você diz que tem filhas", respondeu o monstro. "Eu vou perdoá-lo, com uma condição -. Que um deles vem de bom grado e sofrer por você jura que, se qualquer um dos seus daughers se recusa a morrer em seu lugar, você vai voltar dentro de três meses e colocar-se à minha disposição."


Então o comerciante jurou. Levando sua rosa, ele montou em seu cavalo e montou casa.


Assim que ele entrou em sua casa, suas filhas veio correndo em volta dele, batendo palmas e mostrando a sua alegria em todos os sentidos. Ele deu o colar para sua filha mais velha, a corrente de ouro à sua segunda filha, e depois ele deu a rosa para sua mais jovem, e como ele deu, ele suspirou.


"Oh, obrigado, pai", todas elas chorei.


Mas o mais jovem disse: "Por que você suspiro tão profundamente quando você me deu minha rosa?"


"Mais tarde eu vou te dizer", disse o comerciante.


Assim, por vários dias que eles viveram felizes juntos, embora o comerciante perambulava sombrio e triste, e nada suas filhas poderiam fazer seria animá-lo até que por fim, pressionado por sua filha mais nova, ele relatou sua aventura fatal.


Imediatamente os dois mais velhos configurar protestos lamentável, culpando Beleza pobres, e disse que todos os tipos de mal-humorada as coisas para ela.


Beleza falou: "Desde o monstro vai aceitar um de sua filha", disse ela, "Eu vou entregar-me à toda sua fúria, e eu estou muito feliz em pensar que minha morte vai salvar a vida de meu pai, e ser uma prova de meu doce amor por ele. "


"Beleza, eu estou encantado com o seu tipo e generosa oferta", disse o comerciante, "mas não posso deixar você fazer isso. Estou velho e não têm tempo para viver, por isso pode perder apenas alguns anos, no máximo. "


"Na verdade o pai", disse Beleza, "você não deve ir para o palácio sem mim, você não pode me impedir de seguir você." Beleza insistiu em partir para o palácio, e fez os preparativos necessários para si mesma, e suas irmãs foram secretamente felizes com a perspectiva de se livrar de seu uma vez por todas.


Então dia seguinte, o comerciante teve de beleza por trás dele em seu cavalo, como era o costume naqueles dias, e partiu para a morada da besta. Quando ele chegou lá e eles desceu do seu cavalo as portas da casa se abriu, eo que você acha que eles viram lá? Nada. Assim subiram os degraus e atravessou o corredor até a sala de jantar. Lá, eles viram uma mesa com todos os tipos de óculos bonitos e pratos e travessas E DE MESA, com muita coisa para comer em cima dela. Então eles esperaram e esperaram, pensando que o dono da casa que parece, até que finalmente o comerciante disse: "Vamos sentar e ver o que acontece então."Quando se sentaram, mãos invisíveis passou-lhes coisas para comer e beber, e comeram e beberam para o conteúdo do seu coração. E quando se levantou da mesa surgiu também e desapareceu pela porta como se estivesse sendo realizada por funcionários invisíveis.


De repente, a Besta encheu a porta. "É este o seu filha mais nova?" ele cresceu.


E quando ele tinha dito que era, a Besta disse: "Ela está disposta a ficar aqui comigo?"


Então ele olhou para beleza que disse, em voz trêmula: "Sim, senhor."


"Bem, nenhum mal te sucederá." Com isso, ele levou o comerciante até seu cavalo e disse-lhe: "Honest homem, vai amanhã de manhã os seus caminhos, mas nunca pensar em vir aqui novamente." Em seguida, o Fera retornou à beleza e disse-lhe: "Esta casa com tudo o que nele é sua, se você deseja alguma coisa, bater palmas e dizer a palavra e esta deve ser trazido a você".E com isso ele fez uma espécie de arco e foi embora.


Então Beleza viveu no lar da Besta e foi servida por funcionários invisíveis e tinha tudo o que ela gostava de comer e de beber, mas ela logo se cansou da solidão. No dia seguinte, quando a Fera veio para ela, embora ele parecia tão assustador, ela tinha sido tão bem tratado que ela tinha perdido uma grande parte do seu terror dele. Então eles falaram juntos sobre o jardim ea casa e de negócios de seu pai e toda sorte de coisas, de modo que beleza perdida completamente seu medo da besta.


"Beleza", disse a Fera, "se a minha presença é problemática, vou terminar a nossa conversa e Leavy você. Para me diga, você não acha me muito feio?"


"É verdade", disse Bela, "porque eu não posso dizer uma mentira, mas acredito que você é muito boa índole."


"Sim, sim", disse a Fera ", meu coração é bom, mas eu ainda sou um monstro".


"Entre a humanidade", diz Beleza, "há muitos que merecem esse nome mais do que você, e eu prefiro você, assim como você é, àqueles que, sob uma forma humana, esconde um coração traiçoeiro, corrupto e ingrato. "


Beleza comeu uma ceia saudável e quase conquistou seu temor de que o monstro, mas ela quase desmaiou quando ele disse a ela: "Beleza, você vai ser minha mulher?"


Foi algum tempo antes que ela ousou responder, pois ela tinha medo de fazê-lo com raiva se ela recusou. No último, no entanto, ela disse tremendo: "Não, Fera." Imediatamente, o pobre monstro suspirou, e depois sussurrou tão horrivelmente que o palácio inteiro ecoou. Mas logo recuperou a sua beleza, susto para o Fera disse com uma voz triste, "então adeus, Beleza", e saiu da sala.


Bela passou os próximos três meses muito contente no palácio. Vendo a Besta freqüentemente tinham tão acostumados a ela para sua deformidade, que, longe de temer o tempo da sua visita, ela muitas vezes olha em seu relógio para ver quando seria nove, para a Besta nunca perdeu chegando a essa hora. Havia apenas uma coisa que deu Beauty qualquer preocupação, o que foi que todas as noites, antes de ir para a cama, o monstro sempre perguntei a ela, se ela seria sua esposa. Um dia ela disse-lhe: "Beast, você me faz muito desconfortável, eu gostaria de consentimento para casar com você, mas eu sou muito sincero de fazer você acreditar que nunca vai acontecer, eu sempre estima-lo como amigo, por favor, tente estar satisfeito com isso. "


"Acho que deve", disse a Fera ", para, ai eu sei muito bem meu próprio infortúnio Embora eu deveria me feliz que você vai ficar aqui;!. Prometer nunca me deixar."


Beleza corou ao dizer estas palavras. "Eu podia", respondeu ela, "de fato, a promessa de nunca te deixar, mas eu tenho tão grande o desejo de ver o meu pai que eu tenho medo eu fret até a morte, se você se recusa me que a satisfação."


"Talvez isso vai ajudar", disse a Fera. Ele entregou-lhe um tratado espelho e no espelho redondo era a imagem do pai da Bela, pining-se doente pela perda dela.


"Oh!" ela gritou, e correu toda a cor de seu rosto.


"Eu preferiria morrer a mim mesmo", disse o monstro ", do que dar-lhe o mínimo de desconforto. Vou enviar-lhe a seu pai. Você pode permanecer com ele por uma semana, mas se você não retornam antes do final da semana, pobre animal vai morrer de tristeza. "


"Eu lhe dou minha promessa", disse Bela ", para retornar em uma semana."


"Você deve estar lá amanhã de manhã", disse a Fera. "Leve essa magia do espelho com você, e este anel. Você só precisa colocar o seu anel no espelho antes de ir para a cama, quando você tem uma mente para voltar. Beauty Farewell".


Quando beleza despertou na manhã seguinte, ela encontrou-se na casa de seu pai. Ela rapidamente se vestiu e foi para a cozinha, onde seu pai deu um grito alto e pensei que ele iria morrer com alegria de ver sua querida filha novamente. Ele segurou-a firmemente trancado em seus braços durante um quarto de hora. Assim que os primeiros transportes eram mais, o pai compartilhada com bela a boa notícia - tanto suas irmãs se casaram.


Beleza enviados para suas irmãs que se apressou para lá com seus maridos. Eles eram ambos muito infeliz. O mais velho tinha casado com um cavalheiro, muito bonita mesmo, mas gosta tanto de sua própria pessoa, que ele estava cheio de nada, mas seu próprio eu querida, e negligenciado sua esposa. O segundo tinha se casado com um homem de inteligência, mas ele só fez uso do mesmo para praga e tormento todo mundo, e mais a esposa de todos. Irmãs da beleza sickened com inveja, quando a viu vestida como uma princesa, e mais bonita do que nunca, nem todos poderão seu comportamento carinhoso obrigando sufocar seu ciúme, que estava pronto para estourar quando ela lhes disse como estava feliz. Desceram ao jardim para desafogar em lágrimas, e disse um para o outro, de que maneira é essa criatura pouco melhor do que nós, que ela deveria ser muito mais feliz? "Sister", disse o mais velho, "um pensamento greves minha mente. Ela nos contou sobre a promessa de ficar apenas uma semana. Vamos tentar mantê-la além da semana. Talvez o monstro vai ser tão enfurecido por quebrar sua palavra de que ele vai devorá-la. "


"Certo, irmã", respondeu o outro. Eles voltaram para a casa e se comportou tão carinhosamente a sua irmã que beleza pobres choraram de alegria. Quando a semana foi expirado, eles choravam e arrancavam os cabelos, e parecia tão triste em parte com ela que ela prometeu ficar uma semana mais.


Nesse meio tempo, a beleza não podia deixar de sentir desconfortável de que ela era provavelmente causando dor para Fera pobres, a quem ela amava sinceramente, e realmente desejava ver de novo. A décima noite ela passou para o pai, ela sonhou com a Fera no jardim do palácio, o sofrimento, talvez até morrer, por solidão para ela. Bela ficou surpreso de seu sono, endireitou-se na cama, e começou a chorar. "Eu não sou muito mau", disse ela, "a agir de modo a unkindly Fera, que tentou tão difícil de me agradar em tudo? É culpa dele se ele é tão feio? Ele é gentil e bom, e isso é mais do que o suficiente Por que eu me recuso a casar com ele eu seria mais feliz com o monstro do que minhas irmãs estão com seus maridos;.? não é nem saber, nem um rosto fino, em um marido, que faz uma mulher feliz, mas a virtude, a doçura . de temperamento, e reflexão, e Fera tem todas essas qualificações valiosas Dito isto, Bela rosa, colocou anel no espelho, e depois deitou novamente; escassos ela estava na cama antes de adormecer, e quando ela acordou o próximo manhã, ela foi muito feliz ao encontrar-se no palácio da Fera.


Ela vestiu um de seus mais ricos trajes para agradá-lo, e esperou para a noite com a impaciência extrema, finalmente a desejada para a hora chegou, o relógio marcava nove anos, ainda não apareceu Fera. Bela então temia que ela tinha sido a causa de sua morte, ela correu chorando e torcendo as mãos toda sobre o palácio, como um em desespero, depois de ter procurado por ele em toda parte, ela se lembrou de seu sonho e voou para o jardim, onde ela tinha sonhado ela o viu. Lá ela encontrou pobre animal esticada, muito sem sentido, e, como ela imaginou, morto. Ela se jogou em cima dele e encontrar o seu coração batendo ainda, ela trouxe um pouco de água do canal e derramou sobre sua cabeça. Fera abriu os olhos, e disse a Bela, "Você esqueceu a sua promessa, e eu estava tão aflito por ter perdido você que resolvi me morrer de fome, mas desde que eu tenho a felicidade de vê-lo mais uma vez, eu morro satisfeito".


"Não, querida Fera", disse Bela, "você não deve morrer ao vivo para ser meu marido;..! A partir deste momento Eu dou-lhe minha mão, e juro a ser ninguém, mas o seu Alas Eu pensei que tinha apenas uma amizade para você , mas a dor que eu sinto agora me convence de que eu não posso viver sem você. "


Tão logo ela disse isso do que a pele do animal dividido em dois e saiu um príncipe mais jovem e bonito. O príncipe disse-lhe que tinha sido encantada por um mago e não poderia recuperar sua forma natural até que uma donzela que, de sua livre e espontânea vontade, declarar que o amava.


Então o príncipe enviado para o comerciante e suas filhas, e ele era casado com a bela, e todos viveram felizes para sempre.”


 


-E fim. – hermione disse


- se não tem outra história?  – eles foram até a cozinha.


- Sim, Bela adormecida, branca de neve. – Hermione olhou pela janela- Rony o que aqueles dois estão aprontando? – hermione apontou para Gina e Harry que estavam sentados perto de outra arvore.


- seilá – Rony disse – mais não é nada bom.


- é – hermione olhou para Rony – vou pro quarto de Gina descansar um pouco.


- ok – ele falou – eu vou pro meu também.


Os dois subiram devagar e ao chegarem na porta do quarto de Gina eles se separaram. Hermione entrou com um sorriso nos lábios e viu uma carta de baralho no chão.


- um rei de copas? – hermione olhou e tinha umas palavras na carta – “me encontre ás 4 da tarde debaixo da amendoeira. Beijos, seu rei.” – hermione leu e releu a carta, quando ela olhou no relógio viu que já eram 3:30. Correu para tomar banho e colocar uma roupa mais fresca.


 


Rony subiu a escada devagar pensando em como ele era sortudo em ter uma amiga como hermione e que um dia ele teria que confessar o que ele realmente sente por ela. Ao entrar no quarto ele vê uma carta o chão.


- “me encontre às 4 da tarde debaixo da amendoeira. Beijos, sua rainha” – ele releu a carta – minha rainha? Hermione só pode ser. – ele deitou na cama e esperou o ponteiro do seu relógio chegar ao numero 4.


O ponteiro do relógio na parede do quarto de Gina apontava o numero 4. Hermione estava uma pilha de nervos, ela não sabia quem era o “seu Rei”, mas tudo indicava que era Rony, ela queria que fosse Rony, TINHA QUE SER RONY.


Hermione desceu devagar e respirando fundo, quando chegou na porta da cozinha ela pode ver que era ele, sim, Ronald Weasley estava esperando por ela. Ele era o seu Rei. Ela foi andando em passos largos até ele.


- olá minha rainha – ele fez uma reverencia.


- oi – hermione respondeu corada.


- o que lhe trás aqui? – ele encostou-se ao tronco da árvore.


- eu... eu recebi uma carta de baralho – hermione começou, ela percebeu que não adiantaria de nada se ela fosse tímida .


- ah sim – ele sorriu – o seu chamado.


- meu? – ela arregalou os olhos. – Gina...


- mas já que estamos aqui, vamos conversar – Rony a olhou.


- sobre?


- nós – os dois coraram – pode ser?


- sim – ela abaixou a cabeça. Ela não queria saber o que Rony teria a dizer sobre ela. Ela o amava e ninguém mudaria isso.


- eu queria te falar Mione... – ele respirou fundo. – eu sei que nós somos amigos... ah droga, pq eu sempre fico assim perto de você? – hermione levantou a cabeça – hermione – ele se aproximou -  Hoje  sinto que eu preciso te contar, que Desde que te vi Tudo é diferente para mim,Porque seu coração vive dentro de mim,Desde que te vi,Soube que era feita para mim.


- Rony? – ela falou - Eu não quero mais segredos, eu não posso mais fingir, sem o seu amor, me vejo presa nessa solidão. Fiz de tudo pra não te amar, mas me perdi nessa paixão, já tentei te esquecer, mas é teu meu coração.


- rainha? – ele percebeu que ela chorava – o que aconteceu? – ele a abraçou, o cheiro de harmione invadiu suas narinas deixando completamente atordoado.


- Desde que te vi, soube que era feito para mim, minha vida mudou, quero sempre estar com você – ela o abraçou.


- posso te dar uma coisa? – Rony perguntou


- sim – ela olhou pra ele. Rony segurou a nuca de hermione e deu um beijo nela, um beijo apaixonado e cheio de saudades.


- eu te amo – sussurrou


- eu também – ela falou.


 --------------------------------------------------------------------------------------------


 N/A: então galerinha? Gostaram? Espero que sim.
Essa história da Bella e a Fera é a original. não é a adaptada para crianças. eu infelizmente tive que tirar da net pq o meu livro ta com a minha amiga.   ¬¬


Um avisinho rápido, só o primeiro cap que foi em 1ª pessoa.


Bom, eu não sei ao certo quando vai sair o próximo cap, meus testes começam agora e eu não estou indo muito bem na escola¬¬


Uma dica: o próximo cap será um pouco mais... digamos que “quente” e bonitinho.


 comentário =  capitulo


twitter: @HPSECRET


MSN: pottermaniaca21@hotmail.com

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 6

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por pottermaniaca21 em 15/11/2011

tambem AMO A Bela e a Fera *----*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por pottermaniaca21 em 15/11/2011

obrigado *--*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 15/11/2011

Ahhhhhhhhh eu ameiiii *-* Mione e Rony perfeiiiitos A Bela e a Fera é meu conto de fadas predileto...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 15/11/2011

Ahhhhhhhhh eu ameiiii *-* Mione e Rony perfeiiiitos A Bela e a Fera é meu conto de fadas predileto...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por pottermaniaca21 em 10/10/2011

obg *------*    pra mim tem que ser assim H/G R/HM e ponto.

até escrevo Dramione... mas não gosto muito >< 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Dih Potter em 10/10/2011

Adoreeeeeiiiiiiiiii!!!

 

Linda Fic!

Harry/Gina e Rony/Hermione >>> lindoss

 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.