FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Capítulo VIII


Fic: SURPREENDIDOS PELA PAIXÃO fic de Dyone Smith


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A Obs.: Meio grande o próximo capítulo. Espero que curtam, porque eu achei bem divertido.

* Tudo o que estiver entre "[i] e [/i]" são os pensamentos do Draco. *

*****

Hermione decidiu não esperar mais. Sem pedir permissão puxou o cabelo de Malfoy, retirando um fio. Mergulhou um copo na poção, colocou o fio dentro e bebeu tudo de uma única vez. Ela não sentiu nada de diferente e sorriu na direção do Professor, que possuía uma cara de desgosto e já se dirigia para sua mesa enquanto ditava os diversos modos de utilização da poção. Harry e Rony tinham um misto de receio e admiração pela coragem da garota, viraram-se para começar a anotar o que Snape dizia. Hermione não sabia ao certo se a poção tinha funcionado, porém também não estava errada, pois ela se lembrava de tudo o que tinha acontecido até aquele momento. Sentou-se na cadeira, pegou a pena e pergaminho a fim de anotar as informações que o professor ditava. Cruzou as pernas e antes mesmo que pudesse começar a escrever teve uma estranha sensação e ouviu Malfoy sussurrando em seu ouvido.

[i] - Nossa... assim você me mata Granger! [/i] – ela ouviu ele dizer, porém o garoto nem ao menos olhou ou virou em sua direção.

- O que? – ela perguntou num tom de voz baixo.

- O que, o quê? – Malfoy parecia estar confuso e voltou a escrever em seu pergaminho, balançando a cabeça.

- Nada não. – simplesmente respondeu. Será que ela tinha escutado direito?

[i] - Deve estar louca, tá até falando sozinha. [/i] – Ele continuou dizendo.

- Eu não estou louca, tá?! – Ela disse quase sussurrando, virando na direção de Draco.

Ele olhou-a sem entender.

- Mas eu nem falei nada. – Disse franzindo a testa.

Hermione começou a entender o que estava acontecendo. A poção estava fazendo efeito, e ela ficaria ouvindo o pensamento do garoto ao seu lado até o final da aula. Passaram-se uns quarenta minutos e a turma estava em completo silêncio, devido ao exercício que o Professor havia passado. Ela já estava ficando pirada com a voz do Malfoy na sua cabeça pesquisando ingredientes e modo de preparo diversas vezes. Como Hermione sabia tudo sem precisar consultar o livro, foi a primeira a terminar. Quando descruzou as pernas e se levantou ouviu novamente a voz na sua cabeça.

[i] - Merlim! Assim eu não acabo nunca. Porque ela tem que usar uma saia tão pequena? [/i] - Ele a olhou pelo canto do olho.

- Qual o problema com a minha saia? – ela disse, voltando-se pra Draco.

- Hã?! – ele olhou pra ela. - Nenhum. Porque você está me perguntando isso? – ele deu de ombros.

- Idiota. – Ela se dirigiu até a mesa do Professor, entregando o pergaminho. Quando passou por Rony, o amigo lhe deu uma piscada. Ela retribuiu com um sorriso.

[i] - E ainda fica dando mole pro cabeça de cenoura! [/i] – ele dizia balançando a cabeça, fingindo não prestar atenção na cena.

- Já disse pra você parar de chamá-lo assim! – ela o fulminou com os olhos e apontou o dedo na sua direção.

- Do que você tá falando, garota? – ele abriu os braços, em posição de defesa.

- Pro seu governo, a minha saia não é curta e eu não estou ficando louca! – ela falava sem parar. – E se eu dou mole ou não o problema é meu!

[i] - Pro palito de fósforo! [/i] – ele pensava enquanto erguia uma sobrancelha.

- E você não tem que se meter na minha vida. Eu não lhe devo satisfação! – ela dizia irritada enquanto o garoto se divertia às suas custas. – E palito de fósforo é a sua mãe!

- Srta. Granger, o que está acontecendo? – o Professor Snape já estava em pé ao lado da garota.

Os alunos estavam boquiabertos, nem disfarçavam estudar mais. Harry e Rony cruzaram os olhares sem saber o que fazer, afinal, Hermione começara a gritar feito louca com o Malfoy, e ele nem tinha falado nada.

- O que está acontecendo? O Sr. ainda me pergunta? Este idiota está me enchendo a paciência, além de ficar se metendo onde não deve. – ela virou o pescoço pra fitar o Professor.

- Bom... Eu não vi o Sr. Malfoy fazendo nada contra você, Srta. Granger. E ao menos que você queira ficar de detenção, sente-se e fique quieta.

- Mas, não é possível! – ela batia o pé olhando pra cara do garoto. – Ele nunca faz nada.

- Srta. Granger, eu não vou repetir. Sente-se! – O professor já estava em sua mesa, com as mãos apoiadas.

[i] - Senta logo, pára de fazer drama. [/i] – ele olhava na direção de seu pergaminho.

- Eu não tô fazendo drama! Você é que é um idiota.

Ela sentou-se com a cara mais fechada do mundo.

[i] - É, mas o meu beijo você não achou idiota. [/i] – ele olhou pra cara de fúria da garota.

- Cala a boca! – ela falou virando-se na sua direção.

[i] - Vem calar se for mulher! [/i] – ele riu abertamente. Sabia que se tratando de Hermione Granger, ele seria azarado até a última geração.
Porém, Hermione preferiu não usar a varinha e voou no pescoço de Draco.

- Seu cretino, acha que eu não consigo fazer você calar a boca, é?! – ela estava praticamente em cima do garoto. Estava ciente que ele era bem mais forte que ela, porém não desistiria tão fácil.

Ele esforçava-se pra não gargalhar enquanto segurava-a pelos braços. De repente, sentiu aquele perfume familiar de pêssego, e viu os olhos castanhos bem próximos aos seus. Não conseguiu resistir novamente. Num instante, soltou os braços dela, fazendo com que Hermione ficasse completamente deitada em cima dele, e antes que ela pudesse fazer qualquer coisa, beijou-a. Não se importava se era uma sala de aula, se tinha alunos ou muito menos professor. Não conseguia parar, pois sentia a respiração ofegante junto à sua e a boca carnuda moldando-se a dele, com uma mistura de raiva e desejo. Ela tentava se soltar, mas na verdade, parecia querer continuar ali.

- Mas onde vocês pensam que estão? Isso aqui não é um ringue e muito menos o Madame Puddifoo! – Snape estava mais pálido do que o normal e olhava a cena com uma cara de nojo. - Tratem já de se recompor. Menos 50 pontos pra Grifinória e menos 30 pontos pra Sonserina!

- Mas Professor, a culpa foi dele! Ele que ficou me azucrinando, e ele que me beijou. Porque eu tenho que ser punida com menos pontos? Isso é uma injustiça! – Hermione estava de pé olhando incrédula pro Professor.

[i] - Fica quieta, Granger. Vai ser pior se continuar falando. [/i] – Malfoy ficou sério assim que recebeu um olhar dilacerante de Hermione.

- Detenção pros dois hoje às 20:00 hs. Não se atrasem! – O Prof. deu as costas aos alunos se dirigindo para sua mesa.

- Mas... – Hermione ainda ia questionar, mas o sinal tocou, informando que a aula acabara.

Ela não sabia pra onde olhar. Harry e Rony a encaravam como se esperassem uma explicação. Draco já havia se levantado, guardado os materiais e saído da sala. Os cochichos podiam ser ouvidos do outro lado do castelo. Ela se arrependia profundamente de ter devolvido o vira-tempo para a Prof.ª McGonagall e não ter comprado Pó de Flu pra sumir dali!

- Mione, você poderia nos dizer o que foi que aconteceu aqui? – Rony estava com as orelhas vermelhas e a cara pálida como se tivesse visto um Inferi na sua frente.

- É, até agora eu não entendi o que deu em você! E o Malfoy, então? – Harry passou as mãos no cabelo e balançou a cabeça negativamente.

- É que… - ela tentou explicar o que havia acontecido.

A sorte de Hermione é que a última aula do dia era Runas Antigas, que Harry e Rony não haviam escolhido fazer. Não sabia se conseguiria fazê-los entender o que havia acontecido, sendo que ela própria não estava convencida do que realmente havia ocorrido. Despediu-se rapidamente dos amigos, e antes de entrar na sala sentiu uma tremenda dor de cabeça. A poção havia acabado de perder o efeito.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.